Fundamentos da Nossa Confissão                             Trindade                            Romeu Bornelli      Querido...
alicerces da nossa confissão. A reunião anterior nós usamos o primeiroperíodo e nos valemos desse texto de 1ª Timóteo, mos...
porque não são irmãos. Nós precisamos ter isso muito definido nosnossos corações. Há uma essência da nossa confissão, alic...
juntas. Deus nunca separa edificação de glória, pelo contrário, Elesempre une as duas coisas. A glória está ligada à edifi...
igreja. Então a pregação do Evangelho manifesta o mistério desde ostempos ocultos em Deus, que Paulo chama em Efésios 3 de...
que você é simplesmente um religioso, praticante do protestantismo,que está em uma condição muito infeliz, porque Deus te ...
os oito alicerces - você gosta de anotar - e depois nas outras reuniões,nós vamos passar pequenas pinceladas neles, e depo...
Pois também Cristo morreu, uma única vez, pelos pecados, o justo pelosinjustos, para conduzir-vos a Deus; morto, sim, na c...
tão claro na Bíblia, tão claro na pregação apostólica – lembram naprimeira pregação de Pedro nos Atos dos apóstolos? - “Es...
alicerce que eu coloquei, expiação, entregue por causa das nossastransgressões - expiação, e ressuscitou. Agora olhe o que...
institucionalizar, ele vai bagunçar e deformar toda essa maravilhosarealidade chamada igreja. E ela vai se tornar apenas a...
cristianismo. Era só o nome. O nome era cristianismo, mas a realidadeera paganismo, porque agora a verdade do novo nascime...
pregadores entre aspas, usam a Bíblia, mas são liberais na sua visãodoutrinária, eles dizem que a Bíblia não é a palavra d...
não for aberta, pregada aos santos, compartilhada, estivermosexortando com ela, nos admoestando, nos corrigindo, nos pasto...
fala: Deus é tudo, tudo é Deus. Deus está em tudo, na árvore, nocachorro, no vento, no mar. Esse não é o Deus da Bíblia. A...
mente você não se conhece perfeitamente. Você acha que se conhece,mas você não se conhece plenamente, perfeitamente. Não é...
apenas uno, eu creio que nós teríamos bastante dificuldade com essaquestão amor, porque o amor que ama a si mesmo é um amo...
mesmo, não três pessoas em um único Deus, mas uma pessoa, e aindaassim, amar a Si mesmo, ou melhor, amar as suas criaturas...
Eu sou o engenheiro, eu sou o ..... e esse não é você. Esse é a suaprofissão. Quem é você? Você é filho, ou filha de Deus....
pessoalmente esse trabalho através da Tua palavra, em cada um denós. Atrai-nos a ti, Senhor. Conquista-nos totalmente. Cum...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

02 trindade

1.049 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.049
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

02 trindade

  1. 1. Fundamentos da Nossa Confissão Trindade Romeu Bornelli Querido Pai. Em nome de Jesus nos reunimos. Nome doce,sublime, santo, nome que nos dá prazer. Nós queremos te pedir, pelatua bondade, que o Senhor nos dê o privilégio de podermos ver algomais da tua gloriosa pessoa, enquanto estudamos a sua palavra. Somospobre e cegos, mas no Senhor nos tornou filhos, nos deu a Tua luz, nosenriqueceu com a Tua própria pessoa, em Teu filho. Em Ti estão todosos tesouros, da sabedoria e do conhecimento. Pedimos que o Senhorabra um pouco dessas tuas câmaras do tesouro nessa noite para nós,para que possamos ver algo mais da glória do Senhor. Te pedimosSenhor, esperando tudo de Ti, em Ti e para Ti. Em nome de Jesus,amém. Vamos ler dois textos antes de prosseguirmos com o estudo quetemos iniciado na reunião anterior, a respeito dos Fundamentos danossa Confissão. Abram em Lucas, por favor, cap. 6. Vamos ler a partirdo verso 46 Por que me chamais Senhor, Senhor, e não fazeis o que vosmando? 47 Todo aquele que vem a mim, e ouve as minhas palavras, eas pratica, eu vos mostrarei a quem é semelhante. 48 É semelhante aum homem que, edificando uma casa, cavou, abriu profunda vala elançou o alicerce sobre a rocha; e, vindo a enchente, arrojou-se o riocontra aquela casa e não a pôde abalar, por ter sido bem construída. 49Mas o que ouve e não pratica é semelhante a um homem que edificouuma casa sobre a terra sem alicerces, e, arrojando-se o rio contra ela,logo desabou; e aconteceu que foi grande a ruína daquela casa. O texto que lemos na reunião anterior, 1ª Timóteo, cap. 3,versículos 14 até o final. 14 ¶ Escrevo-te estas coisas, esperando irver-te em breve; 15 para que, se eu tardar, fiques ciente de como sedeve proceder na casa de Deus, que é a igreja do Deus vivo, coluna ebaluarte da verdade. 16 Evidentemente, grande é o mistério dapiedade: Aquele que foi manifestado na carne foi justificado em espírito,contemplado por anjos, pregado entre os gentios, crido no mundo,recebido na glória. Irmãos, o Senhor depositou de uma forma bem definida e clara,um encargo no meu coração para estar partilhando com vocês durantevárias reuniões, embora nós iremos agora, no presente, tomar apenasquatro períodos, e esse já é o segundo, temos então mais dois apenasinicialmente, para nós partilharmos algo a respeito da visão dos
  2. 2. alicerces da nossa confissão. A reunião anterior nós usamos o primeiroperíodo e nos valemos desse texto de 1ª Timóteo, mostrando aosirmãos a importância de algumas palavras chaves nesse pequenocontexto de 1ª Timóteo 3:14 a 16, e nós mostramos que quando Paulofala que a igreja é a casa de Deus, ele então a partir daí, mostraalgumas expressões muito claras do significado dessa tremendarealidade. Ela é a igreja de Deus. Ela é a casa de Deus. A igreja é ahabitação de Deus, e Paulo não pára aí. Ele diz que ela é coluna ebaluarte da verdade. Irmão. Eu não sei com relação a você, mas esse é um texto quepesa tremendamente em termos de desafio, em termos de conquista,em termos de peso mesmo, de fardo, em meu próprio coração. A igrejaé casa de Deus. E como casa de Deus é coluna e baluarte da verdade.Não de uma verdade, não de um ângulo da verdade, mas de toda averdade. A verdade, no singular, se refere então à verdade a respeito deDeus, como Ele tem se revelado a nós. Deus e os seus propósitoseternos. Então nós iremos procurar extrair desse foco alicerces, porqueirmãos, assim como em um corpo, nós temos o nosso esqueleto,mantendo a sustentação de todo o corpo, assim na revelação da palavrade Deus, nós temos verdades que são essenciais e temos verdades quesão secundárias. Um corpo de verdade. Nenhuma mais importante doque outra. Algumas são essenciais, e outras são periféricas. Cada umano seu devido lugar tem o seu devido valor, assim como em uma casa.Em uma casa, uma mesa, não é propriamente essencial. Você podecomer com o prato na mão, ou assentado em uma cadeira. Mas a mesatem um lugar importante na casa, embora não essencial, masimportante, no seu devido lugar, assim como a cadeira e todos osdemais utensílios, mas os alicerces da casa, são singulares com relaçãoà casa. Se nós não temos alicerces o que é que nos adianta uma mesa euma cadeira? Assim, no corpo de verdade da palavra de Deus, nóstemos verdades que são alicerces, e se nós não temos o alicerce, de quenos adiantam pequenas compressões. De que nos adianta quem sabesaber o que é ministério, o que é Dom, ou o que é isso, ou o que éaquilo? Então, quão necessário é nós estarmos vendo aquilo que éessencial? O Espírito Santo nesses dias irmão, tem chamado o povo deDeus para o que é essencial, porque Satanás tem pleiteado não poraquilo que não é essencial. Mas ele tem pelejado contra aquilo que éessencial. Então, o encargo do meu coração depositado pelo Senhor, émostrar para os irmãos qual é essa coluna vertebral, quais são essesalicerces que se referem então à pessoa do Senhor, ao seu plano eternoe à sua revelação. O que Ele nos revelou do que é absolutamenteessencial, sem as quais nós não nos podemos chamar verdadeiramentee com propriedade de cristãos. E nem podemos chamar a outros quenão compactuam do mesmo corpo de verdade também de irmãos,
  3. 3. porque não são irmãos. Nós precisamos ter isso muito definido nosnossos corações. Há uma essência da nossa confissão, alicerces danossa confissão, que aqueles que não compartilham desse alicerce nãoconhecem a Deus. Eles são absolutamente essenciais. Então gostariaque os irmãos, em primeiro lugar, já fiz isso um pouco quarta-feira enós vamos fazer hoje, na próxima quarta-feira, na outra reunião,primeiro quatro períodos só para fazermos uma introdução panorâmicacom essa finalidade. Só a introdução panorâmica. E nosso irmão Nilton,o Senhor também depositou um encargo no coração dele de partilhar daepístola de Tiago. Ele vai fazer isso, depois de eu ministrar essas quatromensagens. Ele vai depositar o encargo que o Senhor lhe deu e depoisretornaremos a esse assunto que eu estou procurando então colocarapenas uma visão geral em quatro sessões, e depois vamos voltar emtodos os pontos, um a um. Nós vamos ver um corpo, uma colunavertebral de oito alicerces. Oito verdades essenciais, que constituemmesmo um fundamento da nossa confissão.Irmão eu queria dizer a você que quanto mais nós conhecemos osirmãos aqui ou ali, mas nós vemos a carência de alicerce. São pessoasque, em primeiro lugar, tem o Senhor. Em segundo lugar, amam aoSenhor, e em terceiro lugar, buscam ao Senhor, mas há alguma coisafaltando aí, no meio desse amor, dessa devoção, desse desejo para ocom o Senhor: é a falta de alicerce. São pessoas então que no maiorzelo, e no maior interesse pelo próprio Senhor, de alguma maneira, elaspodem ser confundidas. Podem ser até mesmo enganadas e na melhordas hipóteses, estarão sem poder de testemunho, sem aquelefundamento nas suas próprias vidas que exalam então o frescor doconhecimento sólido da vida de Cristo, e isso então faz muita diferençano testemunho cristão. Quando você olha para uma família, você temmuitos membros naquela família. Uma criança de três anos, ou quatro,ou cinco ou oito, expressa algo da realidade daquela família, porque elaestá criada ali. Se ela compreende um pouco de obediência ela vaimostrar, se ela compreende um pouco de autoridade ela vai mostrar, seela compreende um pouco de disciplina ela vai mostrar, mas, se vocêquiser conhecer o caráter daquela família, você não olha propriamentepara os filhos. Você olha, em primeiro lugar, para os pais. Quem são ospais, o que eles pensam, como é que eles vivem? Não é? Porque então,a partir dessa base, é que os filhos refletem aqueles alicerces, assim, nacasa de Deus. Então nós deixamos de ter verdadeiros poder detestemunho, quando a nossa vida não é amadurecida, quando ela nãotem alicerces muitos sólidos, alicerces pelos quais, nós vivemos, e pelosquais nós devemos morrer: a base da nossa confissão. Irmãos. A Bíblia é muito clara em lançar esses alicerces, e o nossocoração ele ganha robustez sobre esses alicerces, e a partir deles ganhabeleza. As duas coisas na palavra de Deus andam juntas, sempre
  4. 4. juntas. Deus nunca separa edificação de glória, pelo contrário, Elesempre une as duas coisas. A glória está ligada à edificação. Sem aedificação não há glória. Assim, nas nossas vidas individuais, familiarese na vida da igreja, que é a casa de Deus. Então Deus edifica a suaigreja sobre alicerces sólidos para que ela tenha a beleza, a belezadessa solidez, a beleza dessa cidade compacta. Lembram daquele Salmoque fala de Jerusalém, profeticamente se referindo à igreja? Jerusalémque está edificada sobre os montes, como uma cidade compacta. Osmuros de Jerusalém são louvados. Então isso fala de uma edificaçãosólida. Olhe esse texto de Lucas que nós acabamos de ler! A insensatezde um homem que edifica a sua casa sobre a areia. Ela não subsiste àprova. Não é? Mas há sabedoria sobre aquele que edifica sobre a rocha.Ele cava na areia. Ele procura a rocha, e ele lança os alicerces. Muitointeressante a figura, porque ele não coloca a rocha ali. A rocha já estáali. Assim também nós não tornamos o Senhor o nosso alicerce. Ele é oalicerce. Ele é a rocha dos séculos. Qual é o nosso compromisso? Cavar.Tirar areia. Procurar a rocha e sobre ela lançarmos os nossos alicerces.Como é que nós fazemos isso? Através do estudo da palavra de Deus.Efésios, cap. 3, versículo 8, Paulo diz que todo o seu ministério comoapóstolo, tinha essa finalidade. Efésios cap. 3. Se você observar o verso8 (8 A mim, o menor de todos os santos, me foi dada esta graça depregar aos gentios o evangelho das insondáveis riquezas de Cristo 9 emanifestar qual seja a dispensação do mistério, desde os séculos, ocultoem Deus, que criou todas as coisas,). A mim, o menor de todos ossantos, foi dada esta graça. Qual a graça? Aquilo que enchia a vida dePaulo, diz assim: pregar o evangelho das insondáveis riquezas de Cristo.E manifestar qual seja a dispensação desse ministério. Em Timóteotambém nós vemos a palavra mistério. Fala daquele mistério de Deus,mas não é algo esotérico o mistério de Deus, não é algo oculto que sópode ser conhecido por alguma sabedoria especial. Muito pelo contrário.Paulo está dizendo que esse mistério ele foi dispensado, dado, revelado,aos santos, apóstolos e profetas no Espírito. E Paulo diz que ele é umdeles. A mim me foi dada essa graça. Veja lá em Efésios 3, versículo 8:pregar o Evangelho das insondáveis riquezas de Cristo, e manifestar omistério desde os séculos ocultos em Deus. Então os irmãos estãovendo o que a pregação do Evangelho faz? A pregação do Evangelhonão é para divertir as pessoas. A pregação do Evangelho não é paravocê se sentir melhor. A pregação do Evangelho não é para você se sairembalado daqui, quase dormindo, para chegar na sua casa e deitar nacama. A pregação do Evangelho é para te d e s a f i a r. A pregação doEvangelho é para te i n c o m o d a r. A pregação do Evangelho é paramostrar quais são as realidades de Deus, e qual é a nossa própriarealidade, e qual é a relação que existe entre essas duas realidades.Deus e eu. Deus e você. Deus e a igreja, Deus e a sua casa que é a
  5. 5. igreja. Então a pregação do Evangelho manifesta o mistério desde ostempos ocultos em Deus, que Paulo chama em Efésios 3 de insondáveis.Nós não podíamos ir lá. Ele é quem tinha que vir aqui. O Verbo se fezcarne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a suaglória. Nós não podíamos ir lá, porque as riquezas são insondáveis. Nãoexiste sabedoria especial, não existe iluminação especial, não existe umgrau de entendimento especial. Não existe nada que possa alcançaresse nível de verdade, a verdade eterna absoluta que está em CristoJesus que é o próprio Deus. Então irmãos, essa verdade foi depositadana igreja. Quão importante é isso? É isso que está escrito em 1ªTimóteo 3: Ela é casa de Deus. Deus não habita em todos os lugares.Deus habita em sua casa. Ele está em todos lugares porque Ele éimanente - não é? - além de transcendente. Mas a palavra que se referea habitação fala de morada. Eu também posso passar em muitas ruasem São Lourenço, mas eu moro em minha casa. Deus habita na igrejaembora a sua presença e seus olhos alcance em todo lugar, até oinferno Ele conhece, Mas Ele habita na igreja. A igreja é a sua casa.Então Paulo diz assim: além de casa, habitação do Deus vivo, suamorada ela é coluna. Coluna fala de sustento, e ela é baluarte. Baluartefala de proclamação, anúncio. A igreja sustenta, e a igreja anuncia,proclama. O quê? A verdade. Na reunião passada nós também falamos para os irmãos que essapalavra “a verdade” se refere a um corpo de doutrina. Ela é usada, aquimesmo, através de outros termos que nos ajudam a entender. AquiPaulo usa o termo piedade. Grande é o mistério da piedade. Aquele quefoi manifestado na carne, justificado em espírito, se refere a esteSenhor que é a própria verdade: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”- conhecereis a verdade e a verdade vos libertará. Então esse Senhor,que é a verdade, Ele se fez carne e habitou entre nós. Então Paulo diz:Grande é o mistério da verdade, ou da piedade; aquele que foimanifestado na carne; o verbo que se fez carne. É o texto que você temaí na sua frente em 1ª Timóteo 3. Então, essa palavra mistério Paulousa em vários contextos nas escrituras, sempre se referindo a isso quevier oculto em Deus, mas que agora foi plenamente revelado. O mistériodo Evangelho, o mistério da piedade, o mistério de Deus, o mistério doreino dos céus, o mistério do matrimônio, o mistério da sabedoria deDeus outrora oculta – 1ª Coríntios 2, e em muitos contextos, você vaiver essa palavrinha, sempre se referindo a algo eterno, santo, glorioso,guardado no coração de Deus, e agora plenamente revelado em Cristo,e plenamente revelado não a todos, mas plenamente revelado a quem?A esse povo que Paulo chama em Timóteo de casa de Deus, coluna ebaluarte da verdade. Então nós terminamos a reunião anteriormostrando aos irmãos, que se você não tiver um senso adequado dequem você é, como membro desse corpo, você então não tem nada,
  6. 6. que você é simplesmente um religioso, praticante do protestantismo,que está em uma condição muito infeliz, porque Deus te fez algo muitomaior do que isso, Deus te fez membro do corpo de Cristo, casa deDeus, participante da casa de Deus que é coluna e baluarte da verdade.A verdade não está em todo lugar, um pouco aqui e um pouco ali. Averdade está na igreja de Deus. Irmão. Você sente o peso disso? Vocêsente que você faz parte disso porque você nasceu de novo? Você sabeque você faz parte disso? Que você crê, eu penso que você creia, se nãoo que é que você está fazendo aqui? Mas você sabe no seu coração, queo Espírito Santo habita em você para isso, que você é parte dessetestemunho, coluna e baluarte para sustentar e para proclamar? Grandeé esse mistério, esse mistério da piedade. Então irmãos, essa é a igreja,a casa de Deus. A nossa ocupação então, quando pregamos oEvangelho, quando repartimos a palavra de Deus uns com os outros, dealguma forma, é estarmos vasculhando quais são esses alicerces nosquais nós lançamos os nossos fundamentos da nossa vida, da nossamente, da nossa vontade, de tudo o que há em nós, onde nós lançamoso nosso coração. E os irmãos vão ver então que há pelo menos oitoelementos, nós vamos procurar isolar oito verdades que são esseesqueleto, esses alicerces, que nós não negociamos, não abrimos mão,não dizemos nem mais nem porém, nem todavia, mas se.... Não. Sãoverdades claras, alicerces da nossa confissão, sem os quais a casa deDeus não pode ser edificada, e sem essa edificação nunca haverá glória.Irmão, há muita diferença entre você comprar um terreno, dez milheirosde tijolos, jogar naquele terreno e achar que tem uma casa. E vocêcomprar um terreno, rasgar as bases, chamar os construtores, edificaros tijolos e fazer uma linda casa. Há muita diferença. Dez milheiros detijolos em um terreno não são uma casa. Hoje, de modo geral, ocristianismo tem se parecido muito mais a dez milheiros de tijolos emum terreno do que uma gloriosa casa. E como nós precisamos entãoresgatar os alicerces? Nós não vamos começar pela janela. Nós nãovamos dependurar a janela no ar. Nós vamos resgatar os alicerces, paraque o Senhor leve os nossos corações a uma profunda solidez, Nelemesmo e nas verdades reveladas na sua palavra. Quão importante éisso? Irmão. O inimigo tem pelejado contra os alicerces. Se você querderrubar uma casa, não balance a janela. Balance as colunas que vocêderruba a casa. O inimigo tem pelejado contra os alicerces. Então oSenhor depositou de uma forma constrangedora, em meu coração, essaquestão dos alicerces, para nós estarmos compartilhando durante umbom tempo e estaremos fazendo quatro reuniões apenas, por enquanto,de introdução. Vamos lá, prosseguir um pouco. Qual seria esse primeiro alicerce então? Vamos falar umpouquinho dele hoje, e só mesmo umas pinceladas. Primeiro alicerce.Para que você não fique muito curioso, deixe-me te passar quais seriam
  7. 7. os oito alicerces - você gosta de anotar - e depois nas outras reuniões,nós vamos passar pequenas pinceladas neles, e depois nós vamos, um aum com mais tempo. Primeiro alicerce da casa de Deus. A revelação da Trindade.Trindade, primeiro alicerce. E depois nós vamos ver porque esse alicercetem sido tão atacado pelo diabo. Qual o significado desse ataque? Epara onde esses desvios, com relação a essa verdade podem nos levar,até mesmo a perdermos completamente a visão do Deus da Bíblia, doDeus que se revela como o único Deus, em três pessoas. Então oprimeiro grande alicerce da casa de Deus é a revelação da Trindade. O segundo grande alicerce é a revelação da encarnação.Encarnação. Esse é um alicerce que o diabo sempre pelejou. Você selembra nos primeiros séculos, dos escritos de João. Todo espírito quenão confessa que Jesus veio em carne, não é de Deus. Esse é o espíritodo anticristo que nega o Pai e nega o Filho. E depois nós vamos ver umpouquinho sobre essas implicações. Segundo alicerce irmão. Isso éalicerce. Encarnação. Nós não cremos em um Deus supremo arquiteto -isso é o Deus dos filósofos, dos pensadores. Um Deus impessoal. Nóscremos em Deus como revelado em Cristo, no tempo e na história. Tués o Cristo, o Filho do Deus vivo. Quando Pedro falou isso, o Senhorfalou para ele que ele era um bem aventurado, porque você não podiasaber disso, se o Pai que está nos céus não te revelar. Não é? O Verbose fez carne. Encarnação. Deus entrou na história, no tempo e nahistória. Isso tem toda uma implicação. É por causa disso que nóspodemos ser salvos, porque um Deus supremo arquiteto, não salvaninguém. Mas um Deus que entra na história e assume os nossospecados, nos salva. Não é? Então a verdade da encarnação é o segundogrande alicerce da casa de Deus. Terceiro alicerce. Expiação. O Verbo se fez carne não apenas paraviver uma vida humana, realizar milagres, curas, ensinar, trazermodelo. Quantos falam isso, irmão? Quantos já descambaram há muitotempo do verdadeiro Evangelho por causa da perda desse alicercechamado Expiação!! O terceiro alicerce. Porque vê em Jesus Cristo,apenas um modelo. Quem é Jesus? Jesus é Deus? Sim. Jesus é Deus. Éo verbo que se fez carne? Sim, é o verbo que se fez carne. É o Filho deDeus? Sim é o Filho de Deus, e Ele veio à terra como exemplo a serimitado. Isso mata o Evangelho, porque Ele não é exemplo apenas. Eleveio a essa terra para morrer. Expiação. Se o grão de trigo, caindo emterra - isso é encarnação, o segundo alicerce – não morrer - expiação,terceiro alicerce – fica só. Deus nunca poderia ter uma espiga de grãos,que aquele grão não fosse semeado, a Bíblia chama essa verdade deexpiação. O que é que é expiar? Literalmente falando? Tirar a culpa.Nossa culpa foi lançada sobre Ele. O justo foi oferecido pelos injustos,para nos conduzir a Deus. Não é isso que Pedro disse? (1 Pedro 3:18
  8. 8. Pois também Cristo morreu, uma única vez, pelos pecados, o justo pelosinjustos, para conduzir-vos a Deus; morto, sim, na carne, mas vivificadono espírito,) Então os irmãos vejam que isso é um alicerce. Isso não énegociável. Nós não somos salvos nem mesmo por confessarmos queJesus é o Filho de Deus se não soubermos a respeito da obra daexpiação. Você se vê um pecador? Você precisa de um salvador? Vocêrecorre a Ele como o seu único e suficiente salvador? Então você ésalvo. Do contrário você não é salvo. Mesmo sabendo da Trindade,mesmo sabendo da encarnação, porque nós somos salvos pelaexpiação. Sem derramamento de sangue não há expiação, não háremissão. Então esse é o terceiro alicerce. Expiação. Qual seria o quarto alicerce? Justificação pela fé. Expiação é o queo Senhor Jesus fez na cruz do calvário. Agora, como eu posso meapropriar daquilo que Ele fez? Como eu posso me valer da justiça Dele?Eu não posso me tornar justo. Não é? O que é que nós vemos por aí,muitas pessoas pregarem? É que nós devemos praticar boas obras, boasobras e mais boas obras, fazermos alguma coisa aqui, outra lá, e vamosganhando com isso, ganhando tentos e mais tentos, nesse jogo entreDeus e nós, até Deus olhar e falar: “!Puxa. Você deu tudo o que vocêtinha. Então agora eu vou te considerar um justo, baseado nas suasobras”. Será que é assim que nós somos salvos? Nós não somos salvospor religião, não somos salvos por educação, não somos salvos porconhecimento. Nos somos justificados pela Fé, em Cristo. Esse é oquarto alicerce. Justificação pela fé. Os irmãos sabem que esse é oalicerce mais fundamental que o Senhor usou como uma espada nasmãos de Lutero, principalmente. Calvino foi o teólogo da reforma;Lutero foi o guerreiro da reforma. Lutero pegou a espada e saiucortando as cabeças, e Calvino fez a teologia da reforma. E Luteroguerreou a reforma. Justificação pela Fé. Ele levantou a sua espada eacabou com aquela a visão romanista da justificação pelas obras, asindulgências, penitências, etc. e etc. Nós somos justificados somentepela fé em Cristo Jesus, nosso Senhor. Justificados pois pela fé, temospaz com Deus por meio de Jesus Cristo, nosso Senhor(Romanos 5:1).Então irmão, que alicerce, tremendo, quarto alicerce. Depois, o quinto alicerce: Ressurreição. É claro que estãointimamente relacionados. Se Cristo tivesse apenas realizado expiação,e não tivesse ressuscitado, a nossa fé seria vã, porque a ressurreição éum outro alicerce da nossa confissão. Os irmãos acham que Satanás nãopelejou contra esse alicerce? Leia a história da igreja e vocês vão ficarimpressionados. Houve pessoas na história da igreja, durante algumasépocas que afirmavam que o corpo de Jesus havia sido comido porcachorros, e por isso o corpo Dele nunca foi encontrado. Alguns diziamque os seus discípulos haviam aberto o túmulo e roubado o corpo Dele,depois que Ele morreu, mas o testemunho da ressurreição de Cristo é
  9. 9. tão claro na Bíblia, tão claro na pregação apostólica – lembram naprimeira pregação de Pedro nos Atos dos apóstolos? - “Este Jesus quevós crucificastes, Deus o ressuscitou e o fez Senhor e Cristo” (Atos2:36) então irmãos, a ressurreição é um outro fundamento tremendo,um alicerce. Nós fomos salvos porque a ressurreição é uma prova deque Deus aceitou como suficiente, plenamente, o sacrifício de Cristo. Seo sacrifício de Cristo, pelos nossos pecados, tivesse algum defeito,alguma coisa a desejar, alguma mácula, Ele não poderia serressuscitado, porque Ele seria retido pela morte. Os irmãoscompreendem isso? Mas Ele só pode ser ressuscitado porque Ele erasanto e porque o Seu sacrifício foi completamente suficiente. Se Eletivesse alguma coisa a ver com o pecado, alguma mácula, a morte iriaretê-lo, porque o pecado reina no império da morte, e então se Jesustivesse qualquer tipo de pecado, seja em pensamento, em motivação,interior, ou exterior, qualquer mácula, qualquer defeito, Ele seria retidopela morte. A morte o prenderia com os seus grilhões. Então Pedro,quando prega aquela mensagem em Atos, ele diz assim: “Ele não podiaser retido pela morte”. Lembra? Rompeu os grilhões da morte porquenão era possível ser retido por ela. Então irmãos, a ressurreição é essegrande aval de Deus. Qual segurança que nós temos de que esse nossosubstituto na cruz do Calvário, foi um substituto suficiente, comsegurança que você pode ter que você foi salvo. O que é que vocêprecisa para ter essa segurança? Crer que Deus ressuscitou a Cristodentre os mortos, e que aquela oferta foi suficiente para a sua salvação.Lembra no finalzinho de Romanos 4, como Paulo termina aquelecapítulo? Dê uma olhada rápida. A gente vai voltar depois nessasverdades como eu falei, mas dê uma olhada rápida nisso. Romanos 4 ,finalzinho. Olhe os dois últimos versos. Diz que aquela justiça foiimputada a Abraão pela fé e não pelas obras. Justificados pela fé, é otermo de Paulo aqui em Romanos 4. Ele termina dizendo assim. Aquilonão foi escrito apenas por causa de Abraão, mas também por nossacausa. Romanos 4:24 mas também por nossa causa, posto que a nósigualmente nos será imputado, a saber, a nós que cremos (no quêirmãos? Cremos em Deus; cremos que Jesus se fez carne? Isso tudoestá implícito) naquele que ressuscitou dentre os mortos a Jesus, nossoSenhor. Isso tudo está implícito, isso tudo está embutido, mas essaverdade da ressurreição está lá à frente, como nós temos mostrado aquinesses alicerces. Nós que cremos no quê? Naquele Deus que ressuscitoudentre os mortos a Jesus nosso Senhor. Está vendo onde é que está ofoco da nossa fé? Nós cremos no Deus - não no Deus impessoal, não noDeus transcendente, não no Deus criador, não apenas nisso - mas nóscremos no Deus que ressuscitou dos mortos a Jesus o nosso Senhor. E épor causa disso que nós temos o versículo 25: o qual, esse Jesus foientregue por causa das nossas transgressões, esse então o terceiro
  10. 10. alicerce que eu coloquei, expiação, entregue por causa das nossastransgressões - expiação, e ressuscitou. Agora olhe o que diz aí: porcausa da nossa justificação. Então se Cristo não tivesse ressuscitado,nós não poderíamos ser justificados. Está tão claro o versículo, não é?Então vamos recordar aqui até onde nós já chegamos. Trindade noprimeiro alicerce, Encarnação, segundo alicerce, Expiação, morteexpiatória vicária, substitutiva, realizada pelo Cordeiro de Deus na cruzdo Calvário. Expiação, terceiro. Quarto: Justificação pela fé e quintoRessurreição, quinto alicerce. Agora o sexto alicerce que nós voltaremos com mais tempo paratocar nele. O Espírito Santo. Esse é um outro alicerce. Quanta confusãoexiste no meio da igreja em torno do assunto Espírito Santo? Quantaconfusão? Alguns nem se interessam por essa pessoa chamada EspíritoSanto. Alguns nem crêem que Ele é Deus. Deus com Deus. Outros seconfundem com tanta mirabolância a respeito do Espírito Santo que seperdem num misticismo tremendo, em completo misticismo, porqueessa verdade, a respeito do Espírito Santo, ela também é essencial navida da igreja. É um alicerce. Se nós nos perdemos com relação a isso,nós temos muitos problemas no exercício do ministério, na vida doCorpo de Cristo, nós nos perdemos completamente, no exercício dosdons. Então o Espírito Santo seria um sexto alicerce. O sétimo alicerce, seria o Corpo de Cristo: a Igreja. Esse é umoutro alicerce. Irmão tem muita coisa hoje em dia sendo dita em termosde Igreja. Igreja é isso, Igreja é aquilo, para ser igreja tem que praticarisso, para ser igreja se fala assim, se vive assim. A igreja tem esse eesse fundamento. A igreja tem uma base presbiteriana, a igreja temuma base batista, a igreja tem uma base metodista ou sei lá mais oque? Mas o que é a igreja bíblica. Você não vê presbiterianismo,batismo, metodismo na Bíblia. Você vê só a Igreja. Não é? Então o queé a Igreja, a casa de Deus? Então a igreja é um sétimo alicerce. O corpode Cristo. Isso é um alicerce. Irmãos, o pelejar de Satanás em tornodesse alicerce, é imenso também. Ele lança pessoas umas contra asoutras. “Olhe aqui a minha estrutura eclesiástica. Ela é melhor do que asua, ela funciona melhor. Ela tem essa base”. Todo esse assunto deigreja se torna tão confuso e na palavra de Deus ele é tão simples. AIgreja se compõem de todos aqueles que verdadeiramente crêem emCristo Jesus, esse Senhor que se fez carne, que morreu, ressuscitou,que derramou o seu Espírito para habitar na sua casa, a sua igreja.Todos os que confessam esse Senhor, são irmãos. Todos devem viverjuntos. Todos devem se amar e se servir. E existem algumas questõesespecíficas e práticas a respeito da igreja que são todas simples, que seo homem não coloca as suas mãos medonhas neles, nós então podemosgozar da simplicidade e pureza de Cristo. Mas se o homem coloca assuas mãos medonhas, e começa a sistematizar, estruturar,
  11. 11. institucionalizar, ele vai bagunçar e deformar toda essa maravilhosarealidade chamada igreja. E ela vai se tornar apenas aquela estrutura,aquela instituição, aquela denominação, seja lá o que for, semrealidade, e sem vida. Então o corpo de Cristo é um outro alicerce e aBíblia fala muito sobre o corpo de Cristo. E por último o oitavo alicerce que nós iremos tocar com maisdetalhes, é o Supremo Propósito de Deus. Oitavo alicerce. Nósprecisamos de uma visão do Supremo Propósito de Deus. Não bastaapenas Trindade, Encarnação, Expiação, Ressurreição, Justificação pelaFé. Nós precisamos de uma visão do supremo propósito de Deus paraque nós não nos percamos na nossa vida, na nossa prática, sejaindividual, familiar, corporativa: visão do plano do propósito de Deus.Como Deus, nesses últimos tempos principalmente, veja que isso aqui éuma série, não é? E se você olhar a história da igreja você vai ver que oSenhor fez, o Senhor seguiu esses passos, na história da igreja, nessesdois mil anos, restaurando as verdades exatamente como elas estão narevelação bíblica. Qual é a primeira verdade essencial revelada naBíblia? Não é o supremo propósito de Deus. É a Trindade. Não é aencarnação de Cristo. É a Trindade primeiro. Primeiro se vê bem aTrindade, para depois se ver a encarnação. Não é? Como que você vaiver bem isso. Ver bem a encarnação sem ver a Trindade. Quem é quese encarnou? Foi o Espírito ou foi o Filho? Então, sem ver bem aTrindade, não vemos bem a encarnação. Vamos falhar na visão da cruz,na visão da Expiação. E falhar na Justificação, na Ressurreição e etc.Então, quando você olha a história da igreja você vai ver que a Trindadeé a primeira verdade restaurada por homens de Deus, quando tudoestava perdido. Deus começou a reconstruir a restaurar a sua casa. OSenhor arregaçou as mangas e disse desde os tempos do NovoTestamento para Pedro: Eu edificarei a minha igreja, e as portas doinferno não prevalecerão contra ela. Muito claro, ele falou para Pedro.Então irmãos, quando você vê essa história de dois mil anos de igreja,você vê que o Senhor está cumprindo exatamente o que Ele falou. Todoaquele vigor, aquele poder, aquela realidade que os apóstolos tinham noprimeiro século foi perdida. Os irmãos sabem. Veio o segundo século, oterceiro, o quarto com Constantino, oficializando o cristianismo comoreligião oficial do império – que coisa bacana - agora todo cidadãoromano é um cristão, todo mundo que nascer no império romano vai serbatizado, porque na nasceu no império romano é cristão. Mas a Bíblianão diz isso. A Bíblia não diz que quem nasce no império romano écristão. A Bíblia diz que quem nasce da água e do Espírito é cristão.Quem nasce de novo é o cristão. Não é? Então ele oficializou, eencorajava as pessoas a se batizarem. Oferecia uma moeda de prata euma muda de roupa para quem quisesse se batizar. Então os irmãosvejam que todo aquele paganismo, ele agora tinha o nome de
  12. 12. cristianismo. Era só o nome. O nome era cristianismo, mas a realidadeera paganismo, porque agora a verdade do novo nascimento foi perdida.Irmão isso não é sério? Então quando isso aconteceu Deus levantou ohomem que arregaçaram as mangas e começaram a restaurar asverdades perdidas. E se você olhar, foi exatamente no quarto século oConcílio de Nicéia, e depois o concílio próximo, no ano 381, o Concílio deConstantinopla. Dois mais importantes concílios daquele século. Nicéiano ano 325 e Constantinopla no ano 381. Todos dois no século 4. Qual éa verdade essencial resgatada por esses Concílios? Uma só. Trindade.Primeira verdade, porque Deus tem que começar pelo começo. A gentenão começa pelo fim. Não é? Então Ele levantou homens para resgataressa primeira verdade, a Trindade. Deus é uno, um único Deus, mas Elesubsiste em três pessoas. Qual a relação entre elas? Como elassubsistem? Então o Senhor resgatou, começou a resgatar essasverdades através desses homens no quarto século. Tão essencial isso é,e na próxima reunião nós vamos procurar mostrar porque isso é tãoessencial. Mas então irmãos, quando você acompanha a história, vocêvai vendo essa mesma seqüência, até chegarmos hoje, esse oitavoalicerce que eu citei, o propósito de Deus, você vai ver como Deuslevantou o homens nesse sentido. Muitos homens. Austin Sparks,Watchman Nee, alguns vivos ainda hoje, Stephen Kaung, DevernFronke. Deus tem levantado esses irmãos com clareza a respeito doSupremo Propósito de Deus, o propósito eterno de Deus para que aigreja hoje possa ter então resgatado esse último alicerce nessa históriade dois mil anos. Nós cremos que o Senhor, realmente, está às portas,porque a ocupação do Senhor hoje, através desses homens, tem sidoresgatar esse último alicerce, o Supremo Propósito já que de modogeral, todos esses outros já foram resgatados. Agora irmãos, é claro,que em cada uma geração, em cada geração, o Senhor pela suabondade, Ele opera novamente. Geração após geração, para que cadageração tenha todo o resgate. Se você olhar a história da igreja você vaiver que a história da igreja já tem esse resgate, já fez esse resgate detodas essas verdades: a Trindade, a Encarnação, a Expiação, aJustificação pela fé, tudo isso que eu falei aqui, já resgatou. Mas emcada geração há a necessidade desse resgate, porque cada geração vivea perda desse resgate de forma específica. Nós não nascemosconhecendo isso. Então em cada geração o Senhor deseja resgatar todoo alicerce para que nós tenhamos todo aquele conteúdo. Então a gentevai colocar no final, como um apêndice aí, esse oitavo alicerce, oSupremo Propósito de Deus. Nós vamos colocar como um pequenoapêndice, a Bíblia. A Bíblia. A palavra escrita de Deus. Isso é um outroalicerce. As pessoas, principalmente do século 19 para cá nos últimostempos, essa corrente chamada modernista, ou liberal, dentro da igreja,é um instrumento nas mãos do diabo para confundir os santos. Esses
  13. 13. pregadores entre aspas, usam a Bíblia, mas são liberais na sua visãodoutrinária, eles dizem que a Bíblia não é a palavra de Deus, mas elacontém a palavra de Deus. Então você tem aqui textos inspirados etextos não inspirados e se isso é verdade então, você deve exercer asua crítica o seu juízo sobre o que é inspirado e o que não é inspirado.Então você perde toda a realidade da ação da palavra de Deus sobrevocê, porque você é que é o juiz dela e não ela é juiz de você. E nósdevemos ficar submissos à autoridade infalível da palavra de Deus e nãonos colocarmos como juízes dela. Então Deus tem levantado um grupode homens em especial, conhecido como colégio de Chicago, algunshomens de Deus, alguns teólogos ali, naquela cidade, e eles templeiteado, com relação a esse assunto da inerrância Bíblica, àinfalibilidade e à inspiração plenária das Escrituras Sagradas. E comonós temos necessidade disso? Como você vê a Bíblia. Que valor você dáa ela? Alguns tem vergonha de andar com a Bíblia na mão? Será quevocê tem visto bem esse livro irmão? Há duzentos anos atrás houveuma perseguição na Inglaterra, duzentos para trezentos anos, durante oreinado de Maria 1ª, chamada “A sanguinária”. Sabem o que elamandava fazer? Que todos aqueles que professavam o nome de Jesusfossem mortos, e seu sangue fosse recolhido em uma bacia, e que aBíblia dele fosse mergulhada no seu sangue. A ira dessa mulher, contrao testemunho de Cristo na vida dos cristãos, e contra a palavra de Deus.Ela pediu que a Bíblia deles fosse mergulhada no seu sangue. Eu li umlivro há pouco tempo de um irmão, e ele disse que teve o privilégio demanusear uma dessas bíblias que tinha esse sangue seco de quasetrezentos anos, uma das bíblias que foi mergulhada no sangue dessesmártires, porque Satanás peleja contra a palavra escrita, saiba você.Então que necessidade nós temos de resgatar esse valor adequado detodos esses alicerces? E a Bíblia seria esse apêndice, não colocamoscomo nono alicerce, porque a Bíblia é o instrumento de revelação detodos os oito alicerces que nós falamos. Você não os encontra em algumoutro lugar, senão na Bíblia. A Trindade, a Expiação, a Encarnação.Então dentro desses oito alicerces você coloca como um adendo aí, umacréscimo, a Bíblia. O diabo odeia a Bíblia. O que ele mais quer é umaBíblia fechada, o que ele mais quer é que pessoas se reúnam duranteuma hora e meia, falem e cantem, e dêem testemunho, e vem o dueto,o quarteto, o terceto, o coral e não sei mais o quê, e encha o culto deafazeres, de coisas, mirabolâncias, mas que a Bíblia não seja aberta,pregada e ensinada. Ele odeia a Bíblia. Odeia a Bíblia, porque a Bíblia éa palavra de Deus. Não é? Então nós precisamos de voltar a darmos ovalor devido da palavra de Deus. A gente só pode ser edificado por meio da palavra. Porque apalavra é o instrumento de revelação de todos esses alicerces. Elesestão claros na Bíblia. Todos esses oitos alicerces. Mas se essa Bíblia
  14. 14. não for aberta, pregada aos santos, compartilhada, estivermosexortando com ela, nos admoestando, nos corrigindo, nos pastoreando,nos ensinando, nós não temos nada. Então irmão, que necessidade nóstemos tido, desse resgate nesses dias? Eu queria tomar com você o finalzinho do tempo que nós temos efalar um pouquinho, já que temos ainda um restinho de tempo, paraaproveitarmos, eu queria falar um pouquinho sobre a Trindade, essaprimeira verdade.Eu queria que você visse um pouquinho e como eu disse quevoltaríamos depois, eu não quero usar aqui agora, a linguagem, vamoschamar de teológica, embora ela seja muito importante. Mas eu queriahoje, por enquanto, tempo é pequeno, para terminar, usar a linguagemaplicada.Por que a revelação da Trindade é importante? Irmão eu queria quevocê pensasse, faça um esforço aí, coloca a tua cabeça para funcionarmais um pouquinho, o restante da reunião, eu queria que você pensassecomigo sobre dois conceitos. Vamos deixar, por enquanto, a questãoteológica, e vamos ficar com a questão aplicada: por que a Trindade éuma revelação tão importante? O que eu vou falar aqui não é ofundamento, porque o fundamento é o próprio ser do Deus Triuno. É averdade teológica, a verdade doutrinária, mas isso vamos falar em outromomento. Agora, eu queria falar um pouquinho da verdade aplicada anós. Por que é importante compreendermos a Trindade doutrinária, aTrindade teológica? Será que isso não é assunto de seminário? Será queisso não é assunto de escolásticos? Será que isso não é assunto depastores? Para os irmãos em geral, a vida da igreja, não tem muitoproblema saber Trindade, pessoas, um único Deus. Será? Eu queria quevocê pensasse sobre dois assuntos e levasse para casa para vocêmeditar um pouco. O primeiro é sobre a personalidade e o segundo ésobre o amor. Essas duas grandes realidades, a personalidade e o amor,elas são totalmente derivadas da Trindade de Deus. Irmão, umapersonalidade, ela não pode ser desenvolvida, e nem mesmo existe noisolamento. É impossível. Pense em uma situação hipotética, na verdadeimpossível. Mas pense um pouquinho comigo. Pense, se você pudesse,nascer, Deus te criar, te gerar no vácuo. Você não ser gerado nemmesmo no ventre da sua mãe. Deus criar você pela ação do seu própriopoder no nada, no vácuo. Você não foi gerado em lugar nenhum, masvocê não é eterno. Você foi criado. Então Deus te criou, te criou novácuo. Não existe coisa nenhuma, não existe pessoa nenhuma, e existesó você. Sabe o que ia acontecer? Você não teria autoconsciênciaporque a nossa autoconsciência ela só existe quando nós estamos emrelação com algo ou com alguém. Pense um pouco sobre isso. Então, seDeus é pessoal, e Deus é pessoal, ou Ele não é? A Bíblia diz que Ele épessoal. Deus não é algo indefinido, impessoal, não é como o panteísmo
  15. 15. fala: Deus é tudo, tudo é Deus. Deus está em tudo, na árvore, nocachorro, no vento, no mar. Esse não é o Deus da Bíblia. A Bíblia dizque Deus é pessoal, Ele é transcendente, Ele está acima e além de tudoisso, mas também está em tudo isso, mas não comunicando a suaessência. Não há essência de Deus no vento, não há essência de Deusna árvore, não há essência de Deus nem no homem que Ele criou,porque a essência de Deus é incomunicável, é o ser de Deus. Ele nãocomunica a sua essência. Ele comunica apenas os seus atributos: suasantidade, sua glória, sua justiça. Isso Ele compartilha com aqueles queo conhecem, não é? Mas Ele não compartilha a sua essência. Então opanteísmo é uma heresia. Cada coisinha tem um pouquinho de Deus.Isso é uma mentira, uma heresia. Então irmãos, Deus é pessoal. É umapessoa Divina. Na verdade, para definirmos bem, Ele é um ser tripessoal, mas único. Agora, como é que Deus tem consciência de Simesmo? Ele fala de Si mesmo na primeira pessoa, porque Ele é tripessoal. Vou te ajudar a pensar um pouquinho mais. Pense napersonalidade humana. A personalidade humana, ela existe comopersonalidade humana, porque Deus é uma pessoa. Uma pessoahumana existe porque existe pessoa de Deus. Essa realidade chamadapessoa, não ia existir se Deus não fosse pessoa. Quando Ele criou ohomem Ele disse assim: Façamos o homem à nossa imagem, conformea nossa semelhança. Está tão claro. A pessoa humana existe porque apessoa Divina existe. Deus é o arquétipo, e nós somos o équitipo. Nãoé? Nós derivamos essa imagem Dele. Então pense sobre apersonalidade humana. Como que você conhece a você mesmo? Por queé que você conhece a você mesmo? Por que? Porque você é tripartido.Você tem um espírito, que Deus colocou em você para você tercomunhão com Ele, mas que não pode ter comunhão com Ele enquantovocê não é regenerado, enquanto você não conhece o Senhor Jesus,mas Deus criou um espírito em você para você ter comunhão com Eleque é Espírito, Deus criou uma alma para você se conhecer a si mesmo,suas aferições, seus desejos e sua mente e com ela conhecer as outrascoisas, e criou o seu corpo para você entrar em contato com as coisasmateriais. Você toca, você sente, e como que você conhece a vocêmesmo? Você tem uma mente. Se você não tivesse uma mente, vocênão se conheceria. Você poderia ainda ser um ser criado, mas não seauto conheceria. Você consegue ver irmão? Como que Deus se conhecea Si mesmo? Porque Deus se conhece a Si mesmo por meio de umasegunda pessoa divina, gerada por Ele e não criada, que a Bíblia chamade Logos, ou Verbo. Seria usando uma linguagem limitada claro, porquea realidade de Deus é infinitamente maior do que essa que estou usandopor exemplo, a nossa, serve como modelo, como exemplo, seria como anossa mente como se Cristo fosse a mente de Deus. Então, como queDeus Pai se auto conhece? Por meio do Filho. Agora irmão, na sua
  16. 16. mente você não se conhece perfeitamente. Você acha que se conhece,mas você não se conhece plenamente, perfeitamente. Não é? Porquevocê não é onisciente. Ou você é? Não é. Todos temos umconhecimento limitado. Você não se conhece plenamente. E Deus? Deusé onisciente. Deus se conhece plenamente. Então, como que Deus seconhece? Pela sua sabedoria, porque Ele é plenamente sábio. Eleconhece tudo, Ele é onisciente. Como que Ele se conhece? Usando afigura que eu usei, pela sua mente, mas a sua mente não é uma coisa,não é um atributo Dele. Aí é que você tem que tomar cuidado. Suamente, na comparação que nós estamos fazendo é uma pessoa. Ele seconhece através de uma segunda pessoa, gerada por Ele, unigênito, eessa pessoa é o Verbo. Através do Verbo, do Logos, da Segunda pessoa,Deus se auto conhece. Agora você vê a beleza disso? Deus se autoconhece perfeitamente porque Ele é todo sábio, e então, pela suasabedoria, que é o seu Verbo, Ele se conhece, ou você acha que Deusnão se conhece totalmente? Ele se conhece totalmente porque a suasabedoria é perfeita. Ele conhece a Si e a todas as coisas perfeitamente.Então o seu Verbo, é a Pessoa pela qual Ele se conhece, e a Pessoa pelaqual Ele se revela. A Bíblia não é clara que Deus se revelou pelo SeuVerbo, o nosso Senhor? Ele é, Colossenses diz, a imagem do Deusinvisível. Paulo em Coríntios diz a mesma coisa, que o deus desteséculo, o diabo, ele cegou o entendimento dos incrédulos, para que nãolhes resplandeça a luz do Evangelho da glória de Cristo, que é a imagemde Deus. Então, Deus se conhece perfeitamente, em uma segundapessoa, que é o Verbo, o Logos, e nessa segunda pessoa, Ele também,logicamente, se revela perfeitamente. Assim como Ele se conheceperfeitamente, Ele se revela perfeitamente. Então, quando João falaassim, o Verbo - Verbo significa razão, um dos significados é esse - epor isso que eu comparei com a questão mente na nossa vida. Você seconhece por causa da sua mente; Deus se conhece no seu Verbo, noseu Filho, e quando Ele se revela, Ele se revela perfeitamente. Por issoque Jesus disse assim: Quem me vê a Mim, vê o Pai. Ele é o unigênitode Deus, cheio de graça e de verdade. João fala assim: Vimos a suaglória, glória singular, glória que não há igual em outro lugar. Glória dounigênito do Pai. Que maravilha irmãos. Esse é o Senhor Jesus. Então,essa idéia de personalidade, a primeira que eu coloquei para vocêmeditar, nós só somos pessoas e experimentamos essa realidade de serpessoas, porque Deus é pessoa. Essa realidade nossa, tão fundamentalpara a nossa existência, imagine você deixar de ser pessoa, o que é quevocê iria ser? Você podia ser um objeto, poderia ser um animal,irracional, você não teria autoconsciência, consciência de você mesmo.Toda essa beleza que nós desfrutamos como pessoas humanas é porcausa da Trindade, derivada diretamente da Trindade, porque Deus épessoa. E agora, rapidamente, pense sobre o amor. Se Deus fosse
  17. 17. apenas uno, eu creio que nós teríamos bastante dificuldade com essaquestão amor, porque o amor que ama a si mesmo é um amor meioconfuso. Para que a realidade do amor possa ser plena, é necessárioduas pessoas. E a realidade do amor em Deus é tão plena, que aexpressão do amor em Deus ela é absolutamente completa e perfeita. Oamor do Pai, para com o Filho, é desfrutado e vivido em uma terceirapessoa que procede do Pai e que também procede do Filho, mas não éum atributo, é uma Pessoa Divina, o Espírito, procedente do Pai, nãogerado pelo pai, o Filho é quem é gerado, mas o Espírito procede do Pai,procede do Filho e é uma pessoa Divina, na qual o Pai e o Filho têmcomunhão, um com o outro. Então esse é o modo de vida da Trindade.O Pai habita no Filho, o Filho habita no Pai, o Espírito procede do Paipara o Filho, o Espírito procede do Filho para o Pai, o Espírito contém oPai, também contém o Filho. Cada uma das três pessoas está em cadauma delas. É assim que a Trindade existe. Esse é o modo de vida daTrindade. Então, quando a Bíblia diz que Deus é amor, a Trindade estáno Espírito. Ou implícita, se você quiser. Para mim está explícita. Quemaravilha irmãos, a realidade da Trindade tem expressão prática. Elanão é apenas uma verdade teológica. Não vá a isso apenas commentalidade acadêmica. Mas procure ver que toda a revelação Bíblica doser de Deus, tem uma aplicação prática e aplicada então em nossasvidas. Derivamos todos os exercícios de nossas vidas, até como homensnaturais, dessa revelação. Aqueles que não conhecem ao Senhor Jesus,nunca podem viver isso em plenitude, mas ainda assim devem isso aEle. As pessoas que hoje levantam as suas vozes e blasfemam contraDeus, ainda deve a sua pessoalidade a Deus. Ainda devem isso a Deus.Esse é o nosso Deus. Agora Ele nos chamou para conhecê-Lointimamente, Pessoa a Pessoa, experimentar esse amor que é umarealidade que só Ele inicialmente conhecia. Deus é amor. Quando nósvemos o nosso Senhor orando, ali em João 17, a Trindade é o focodaquela oração, você sabe muito bem, Ele ora a respeito disso. Ele falaassim: “Pai. A minha vontade, é que onde eu estou” - e onde Ele está? –Ele está no seio do Pai. Ele não se separou do Pai. Então Ele pede issopara nós. Ele diz: “Pai. Minha vontade é que onde eu estou, no teu seio,estejam junto comigo os que me destes, para que vejam a minha glória.Eu neles, e Tu em Mim, para que eles sejam aperfeiçoados na unidade”.Nós fomos chamados para essa comunhão de amor, para essacomunhão de prazer, para essa plena realização. Os irmãos estão vendoque a gente pode tornar essa verdade apenas acadêmica? E vamosperder todo o significado dela? Mas se quisermos, com a ajuda doSenhor, podemos ver quão prática e maravilhosa ela é. Você não vaiencontrar amor amando a si mesmo. Você vai encontrar amor amando ooutro, assim como o Pai ama o Filho. Se você me dissesse assim -queria colocar isso para encerrarmos - Deus podia ser uma única pessoa
  18. 18. mesmo, não três pessoas em um único Deus, mas uma pessoa, e aindaassim, amar a Si mesmo, ou melhor, amar as suas criaturas, amar oque Ele criou. Mas irmão, Ele nunca poderia amar o que Ele criou, deuma forma suprema. Você compreende isso? Ele nunca poderia amar oque Ele criou com todo o seu amor, com tudo o que Ele é, porque o queEle criou é limitado. Você não pode colocar um oceano em uma caneca.Todo ser criado é limitado pela própria criação. Ele é obra. Deus sópodia amar completamente dentro de uma realidade tri pessoal. Quandoo Senhor Jesus encarnado foi ali ao Jordão para o seu batismo, o que éque aquela voz do céu falou? Exatamente isso. “Este é o” - não disseum, um dos – mas disse ““o” Meu filho amado, em quem tenho todo oMeu prazer.” Então Deus não poderia dar, supremamente, plenamente,todo o seu amor para alguém criado, porque não cabe um oceano emuma caneca. Então Ele só poderia compartilhar supremamente o seuamor com uma outra pessoa Divina. Digamos, tão Divina quanto Ele,gerada por Ele mesmo. Deus com Deus. Então essas duas pessoas,podem compartilhar a plenitude do amor. Essa é a palavra que usaPaulo quando Ele ora pelos Efésios e conseqüentemente por nós,quando ele termina aquela oração em Efésios 3. Pleroma. Pleroma nogrego. Essa palavra significa plenitude, completação, perfeito, completo.Paulo fala assim que nós cristãos, somos chamados para conhecer aCristo, na sua largura , no seu comprimento, na sua altura, na suaprofundidade - não é assim em Efésios 3? – e conhecer o amor de Cristoque excede todo entendimento para que nós sejamos - não comoindivíduos - mas agora com igreja tomados de toda a plenitude de Deus,aquilo que Ele pode depositar em nós o seu amor, como corpo, comoigreja. Então Deus nunca poderia amar plenamente qualquer ser criado.Aquele ser não iria desfrutar senão um fragmento desse amor, e Deusiria se sentir entristecido, vamos usar uma linguagem bem humana,porque Ele não poderia dar plenamente o seu amor para ninguém,porque ninguém é capaz de conter a imensidão desse amor, mas Elepôde dar plenamente o seu amor a alguém e esse alguém é o seu Filho.Esse é o meu Filho amado em quem me comprazo. E por causa desseimenso amor, Ele deu o Seu Filho, na cruz do Calvário, para que nóscriaturas limitadas, pequenas canecas, pudéssemos experimentar algodesse oceano de amor no Deus triuno. Será que a verdade da Trindadeé só teológica? É só acadêmica? Ou será que ela é um alicercerealmente, das nossas vidas como igreja? Irmãos, que o Senhor nosajude a vermos, com mais clareza, e a desejarmos, acima de tudo,entrarmos na realidade para a qual o Senhor nos chamou.Experimentar. Não veja você mesmo como uma pessoa qualquer.Irmão, não fique recorrendo a coisas para tentar buscar identidade.Quanto nós não vemos a Trindade nós fazemos isso. Você vai tentarbuscar a identidade em alguma coisa. Quem é você? Eu sou o dentista.
  19. 19. Eu sou o engenheiro, eu sou o ..... e esse não é você. Esse é a suaprofissão. Quem é você? Você é filho, ou filha de Deus. Você foichamado para comunhão com o Deus triuno em Cristo Jesus. Esse évocê. Quando nós não vemos bem a Trindade, não estamos desfrutandoessa relação tremenda que só o Pai, o filho e o Espírito tinham por todaa eternidade antes do tempo. Quando nós não estamos desfrutandoessa relação, dia a dia, nós estamos tentando buscar identidade paranós em outras coisas. E não é só identidade não. Significado também.Segurança também, e nós não vamos conseguir extrair essas três coisasque são básicas para a personalidade humana: identidade, significado,sentido de vida, e segurança em nenhuma coisa em nenhuma pessoa,que não seja o próprio Deus. Não encontramos, porque nós somoschamados para a comunhão com o Deus triuno. Fizeste-nos para Ti, einquieto está o nosso coração enquanto não repousar em Ti, como disseAgostinho. Irmãos, a realidade do Deus triuno não é coisa paraseminário. É uma revelação extensial da palavra de Deus, para a qualnós fomos chamados a desfrutar. Então, levante os seus olhos, erga oteu coração e ore a Deus nesse sentido. Senhor. O Senhor me chamoupara isso, e é isso que eu quero ter. Nada menor. O Senhor me chamoupara isso e é isso que eu quero viver. Senhor mostra para mim o que naminha vida que porventura impede isso. Fala o Senhor porque eu soutolo. Eu não me conheço a mim mesmo. Só o Senhor me conhece. Falacomigo sobre mim. Purifica-me dos meus pecados, conserta os meuscaminhos, trás arrependimento mais profundo na minha vida. Busqueessa relação irmão para a qual você foi criado, relação com o Deustriuno em Cristo Jesus. Relação de amor, de significado, de identidade,de segurança, de prazer, de tudo que nós necessitamos. Amém. Vamosorar. O Pai, como somos agradecidos a Ti, porque o Senhor não semanteve oculto, em mistério, mas o Senhor se revelou a nós. Deus deamor. Deus que é luz, na qual não há treva nenhuma, um Deus que écheio de graça e de verdade. Deus que nos amou até o fim, Deus quedeu seu Filho por nós na cruz do Calvário. Ah Senhor. Pedimos aoSenhor que aplique em nossas vidas, as suas verdades reveladas de talforma que ela seja uma sustentação do nosso ser. Não queremos vivervida de menino, inconstantes, infelizes, inseguros. Nós queremos vivervidas robustas em Ti Senhor, constantes, sólidas. Pedimos ao Senhorque edifique todo o nosso ser com a Tua palavra, pedimos ao Senhorque nos dê graça para a compreensão dessas verdades, ilumine os olhosdo nosso entendimento. Faze-nos meditar a respeito dela. Não nos dêapenas um orgulho intelectual de sabermos, mas nos dê um coraçãoardente por experimentarmos essa relação de gozo e de prazer,comunhão com o Deus triuno. Pedimos ao Senhor que faça
  20. 20. pessoalmente esse trabalho através da Tua palavra, em cada um denós. Atrai-nos a ti, Senhor. Conquista-nos totalmente. Cumpre o Teupropósito em nossas vidas, e vivamos vidas com propósito, enquantoestamos nessa terra. Pedimos ao Senhor, em Cristo Jesus. Amém.

×