Nísia Floresta: "A lágrima de um Caeté"

467 visualizações

Publicada em

apostila de introdução para o ensino fundamental sobre Nísia Floresta: trabalho de mestrado profissional em Letras

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
467
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nísia Floresta: "A lágrima de um Caeté"

  1. 1. 1 Poema "A lágrima de um Caeté" (1849) Nísia Floresta (1810 - 1885) Avant - Propos O infeliz Caeté, apesarde ter chegadoa esta corte no mês de Fevereiro logo depois da revolta dos Rebeldes em Pernambuco, é somente agora que lhe permitiram aparecer, e isto depois de o terem feito passar por mil torturas inquisitoriais!... Graças à benfazejamão, que o fez renascer, qualFênix, das cinzas a que o haviam ou queriam reduzir! Lá quando no Ocidente o sol havia Seus raios mergulhado, e a noite triste Denso ebânico véu já começava Vagarosa a estender por sobre a terra; Pelas margens do fresco Beberibe, Em seus mais melancólicos lugares, Azados para a dor de quem se apraz Sobre a dor meditar que a Pátria enluta! Vagava solitário um vulto de homem, De quando em quando ao céu levando os olhos Sobre a terra depois tristes os volvendo… Ilustração acima sobre NísiaFloresta feitapor Danieluiz2014
  2. 2. 2 Vamos fazer uma visita a um endereço eletrônico (site) que apresenta um breve resumo da vida da escritora? Mas ANTES de vocês acessarem o link abaixo , eu ainda vou contar, como um raspsodo contava numa rapsódia, um pouco do que nos espera nesta aventura do índio Caeté ... www.memoriaviva.com.br/nisiafloresta Agoraestamos prontos para continuar a leiturado poema longo? Sim Não Talvez Vamos refletir umpouco antes de começarmos nossa aventura ao ler um poema longo? "Toda primeira leitura de um clássico é na realidade uma releitura." Ítalo Calvino Mas eu ainda não sei o que as palavras "rapsódia" e "clássico" significam? Anote aí... Rapsódia __________________________________________________ ____________________________________________ Clássico __________________________________________________ _________________________________________________
  3. 3. 3 Para você, Herói e Heroína são personagens que: OPÇÃO 01: Vencemsempre. OPÇÃO 02: Perdemsempre. OPÇÃO 03:Algumas vezes perdem. Para você, Herói e Heroína são personagens que: OPÇÃO 01:Nuncafogem. OPÇÃO 02:Às vezes fogem. OPÇÃO 03:Sempre fogem. Vamos conhecer de perto o herói Caeté poetizado por Nísia Floresta? Era da natureza o filho altivo, Tão simples como ela, nela achando Toda a sua riqueza, o seu bem todo… O bravo, o destemido, o grão selvagem, O Brasileiro era… - era um Caeté! Era um Caeté, que vagava Na terra que Deus lhe deu, Onde Pátria, esposa e filhos Ele embalde defendeu!...
  4. 4. 4 É este… pensava ele, O meu rio mais querido; Aqui tenho às margens suas Doces prazeres fruído… Aqui, mais tarde trazendo Na alma triste, acerba dor, Vim chorar as praias minhas Na posse de usurpador! Que de invadi-las Não satisfeito, Vinha nas matas Ferir-me o peito! Ferros nos trouxe, Fogo, trovões, E de cristãos Os corações E sobre nós Tudo lançou! De nossa terra Nos despojou!
  5. 5. 5 Tudo roubou-nos, Esse tirano, Que o povo diz-se Livre e humano! Filho se diz De Deus Potente De quem profana A obra ingente! (Fragmentos de "A lágrima de um Caeté", pela primeira vez publicado em 1849, por Nísia Floresta, assinado com o pseudônimo de Telesila) Você Gostou? Você conhece uma palavra que seja um sinônimopara a palavra "pseudônimo"? Você já ouviu falar na heroína grega chamada Telesila? Você sabe o que significa uma nota de rodapé? Vamos colocar notas de rodapé, em ordem numérica, nas palavras difíceis de entender o sentido? Por exemplo, essa última palavra "ingente" será que eu entendi o significado, o sentido que ela traz naqueles versos ? A palavra "ingente" será nossa última nota de rodapé? 1-
  6. 6. 6 Já debatemos sobre herói e heroína? Já discutimos sobre "notas de rodapé" e "sentido"? Adivinhe o que poderemos fazer agora? Aprender a verdadeira diferença entre versos e estrofes? Para quê? "Para que", você me pergunta? Eu, então, vos respondo: vamos escolher umverso apenas dentro de uma estrofe e compormos um desenho caricatural, ou seja, semelhantes às charges que apresentamos com a ilustração de Danieluiz sobre a escritora poliglota Nísia Floresta. Como é? Você acha que um verso só é pouco para fazer um desenho de um herói indígena, um Caeté? Responda: Então, busque mais de um verso ou mais de uma estrofe, entretanto, anote quais foram os versos ou as estrofes que você usou (ou mais usou) para realizar seu desenho interpretativo. Seudesenhoseráem branco e pretoou seráuma charge colorida? Estou pensando em fazer...
  7. 7. 7 Antes de fazer esse desenho, eu sugiro que possamos ir nós todos assistir a um vídeo especial sobre a Nísia Floresta? Uma turma do Ensino Fundamental, uma atriz, uma diretora e uma pesquisadora podem nos ajudar? Vamos ver? Sim, vai ter teatro, música de rap, histórias de brasileiras e brasileiros. Enfim,há de ser inspirador! www.youtube.com/watch?v=-fqz5fsFssE -----------------Recortar ------------------------------------ Será que você conseguiriaSOMENTE acompanhar a leitura completa de um poema longo,de 712 versos, chamado "A lágrimade um Caeté"? Sim ( ) Não ( ) Talvez ( ) Será que você conseguiriaLER EM VOZ ALTA (recitar) o poema "A lágrima de um Caeté" NA AULA? Sim, mas em grupo ( ) Sim, mas só ( ) Não, nem em grupo ( ) Gostaria de saber mais sobre a poesia brasileira? Não, nem um pouco ( ) Talvez, só um pouco ( ) Sim, eu curti ( ) O eu lírico narrador é aquele que ____________________________________________
  8. 8. 8 Vamos avaliar AGORA se esta nossa aventura de ler um poema longo vai dar certo? Vamos saber se ela FUNCIONA mesmo de verdade ? "A escrita é, assim, um dos mais poderosos instrumentos de libertação das limitações físicas do ser humano." Rildo Cosson IMPORTANTE: VAMOS CURTIR as estrofes retiradas do poema longo "A lágrima de um Caeté" (1849) ? MAS ANTES DISSO, OBSERVE A ARTE: ESCREVA o que você achou da ilustração acima de Danieluiz, encomendada para esta apostila, realizada em homenagem à escritora e ao seu poema longo? Adivinhe você qual livro ela segura e ostenta com orgulho nessa imagem. Você curtiu a arte acima? _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________
  9. 9. 9 FRAGMENTOS DO POEMA LONGO: Em eterno desprezo eis-te esquecido, Como estão tantos outros teus iguais! Que perdendo na Pátria os seus costumes, As vantagens não gozam desses homens, A quem sacrificaramPátria, honra!... Indígenas do Brasil, o que sois vós? Selvagens? os seus bens já não gozais… Civilizados? não… vossos tiranos Cuidosos vos conservam bem distantes Dessas armas comque ferido tem-vos De sua ilustração, pobre Caboclos! Nenhum grau possuís!... Perdeste tudo, Exceto de covarde o nome infame… Dos Caetés os manes vingados estão! Desse Camarão, também renegado, Que bravo guerreiro a Fama apregoa, O título de nobre lá jaz desprezado! ( "Alágrima de um Caeté",de NísiaFloresta, página 39 )
  10. 10. 10 PERGUNTAS: Você consegue lembrar qual das três estrofes foi recitada em uma cena dovídeo a que assistimos sobre a Nísia Floresta? Tente descrever, com suas palavras, qual foi a estrofe e como foi a cena do vídeo em que ela apareceu. Você lembra o que é um eu lírico narrador? Será que poderíamos responder a pergunta do eu-lírico narrador nos versos : "Indígenas do Brasil, o que sois vós?" Mesmo sendo sim ou não a sua resposta, procure explicá-la com frases e ideias que façam sentido. Você agoraentendeuoqueéumanotaderodapé?Elaéimportanteparaentendermos alguns textos de um modo melhor? Caberia alguma nota de rodapé nas três estrofes acima? De quais palavras buscaremos sinônimo(s) no dicionário para facilitar nossa aventura de entender o que lemos? Na sua opinião o índio Caeté foi um herói? E os indígenas brasileiros, de um modo geral, podem ser por você, considerados heróis e heroínas? Tente explicar com duas frases, no mínimo, a sua resposta. As três estrofes acima não apresentam rimas nos finais dos versos de um modo constante. Em outras palavras, encontramos poucas rimas como, por exemplo, a palavra "renegado" que rima com a palavra "desprezado", na terceira estrofe. Vocêpercebeuquenemtodopoemaprecisaterrimaparaser consideradoumpoema. Qual é a sua opinião sobre esse fato? Poema sem rima é possível? Impossível? Tente explicar a sua ideia sobre isso.
  11. 11. 11 BIBLIOGRAFIA CALVINO, Ítalo. Por que ler os clássicos. Trad. Nilson Moulin. 1a ed. 2a reimp. . Rio de Janeiro: Companhia das letras, 1999. COSSON, Rildo.Letramento Literário: teoria e prática. 2a ed. , 1areimp. - São Paulo: Contexto, 2011. DUARTE, Constância Lima. Nísia Floresta: vida e obra. Natal: Editora universitária (UFRN), 1995. FLORESTA, Nísia. A lágrima de um Caeté. Ed. atualizada com Notas e Estudo Crítico de Constância Lima Duarte para a 4a edição. Natal: Fundação José Augusto, 1997. GOMES, Carlos Magno. Ensino de literatura: dos estudos de gênero à historiografia. In: Revista Brasileira de Literatura Comparada - v. 1, n. 22 - Rio de Janeiro: Abralic, 2013. MOISÉS, Massaud. Dicionário de termos literários. Cultrix, São Paulo, 1974. RAMALHO, Christina. Elas escrevemo épico. Florianópolis: Ed. Mulheres, 2005. RAMALHO, Christina. Vozes épicas: história e mito segundo as mulheres. Rio de Janeiro: UFRJ, 2004. Tese de Doutorado. RAMALHO, Christina. Poemas épicos: estratégias de leitura. Rio de Janeiro: Uapê, 2013. ROMERO, Sílvio. Literatura, história e crítica. Luiz Antônio Barreto (org.). Rio de Janeiro: Imago Ed.; Aracaju - Se: Universidade Federal de Sergipe, 2002. SILVA, Anazildo Vasconcelos. Semiotização literária do discurso. Rio de Janeiro: Elo, 1984. SILVA, Anazildo Vasconcelos; Ramalho, Christina. História da Epopéia Brasileira: teoria, crítica e percurso. Rio de Janeiro: Garamond, 2007. www.projetomemoria.art.br/NisiaFloresta/pro.html
  12. 12. 12 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM LETRAS – PROFLETRAS UFS / ITABAIANA DISCIPLINA: Literatura e Ensino PROFESSOR: Dr. Carlos Magno Gomes PROPOSTA PEDAGÓGICA PLANEJADA PARA O 9o ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Mestrando: Waldemar Valença Pereira DATA: 11-09-2014

×