Centro Educacional 02 do Cruzeiro
“Guerra do Paraguai”
Integrantes do grupo:
Larissa Ribeiro n. 09
Matheus Bastos n. 12
We...
Sumário
Introdução ...........................................................................1
Antecedentes da Guerra.......
Introdução
A Guerra do Paraguai teve seu início no ano de 1864, a partir da
ambição do ditador Francisco Solano Lopes, que...
Antecedentes da Guerra
O regime de Francisco Solano López caracterizava-se por um
centralismo total sem qualquer espaço pa...
Causas
 Insatisfação da Inglaterra com o crescimento econômico do
Paraguai;
 Política expansionista de Solano Lopez;
 V...
Início e desenvolvimento do conflito
- A guerra teve início em novembro de 1864, quando um navio
brasileiro foi aprisionad...
O Tratado da Tríplice Aliança
No dia 1°. de maio de 1865, o Brasil, a Argentina e o Uruguai
assinaram, em Buenos Aires, o ...
Motivos da participação da Inglaterra
Antes da guerra, o Paraguai era uma potência econômica na
América do Sul. Além disso...
O Fim da Guerra
No terceiro período da guerra (1869-1870), o genro do
imperador Dom Pedro II, Luís Filipe Gastão de Orléan...
Dois destacamentos foram enviados em perseguição ao presidente
paraguaio, que se internara nas matas do norte do país
acom...
Consequências
- Nesta guerra morreram cerca de 300 mil pessoas (civis e
militares);
- Cerca de 70% da população paraguaia ...
Conclusão
Em conclusão, essa Guerra ocorreu devido aos interesses da
Inglaterra em impedir o surgimento de uma nova potênc...
Bibliografia
 http://www.suapesquisa.com/historia/guerradoparaguai/
 http://www.historiadobrasil.net/guerraparaguai/
 h...
Trabalho de historia impresao
Trabalho de historia impresao
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Trabalho de historia impresao

289 visualizações

Publicada em

A guerra do Paraguai

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
289
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho de historia impresao

  1. 1. Centro Educacional 02 do Cruzeiro “Guerra do Paraguai” Integrantes do grupo: Larissa Ribeiro n. 09 Matheus Bastos n. 12 Wesley Marinho n. 20 Professora: Débora Série e turma: Segundo F Data: 08-05-14
  2. 2. Sumário Introdução ...........................................................................1 Antecedentes da Guerra........................................................2 Causas ..................................................................................3 Início e desenvolvimento do conflito....................................4 O Tratado da Tríplice Aliança...............................................5 Motivos da participação da Inglaterra...................................6 O Fim da Guerra..................................................................7,8 Consequências........................................................................9 Conclusão..............................................................................10 Bibliografia............................................................................11 Anexos...................................................................................12
  3. 3. Introdução A Guerra do Paraguai teve seu início no ano de 1864, a partir da ambição do ditador Francisco Solano Lopes, que tinha como objetivo aumentar o território paraguaio e obter uma saída para o Oceano Atlântico, através dos rios da Bacia do Prata. Ele iniciou o confronto com a criação de inúmeros obstáculos impostos às embarcações brasileiras que se dirigiam a Mato Grosso através da capital paraguaia. Sendo assim, o maior conflito armado internacional ocorrido na América do Sul no século 19.
  4. 4. Antecedentes da Guerra O regime de Francisco Solano López caracterizava-se por um centralismo total sem qualquer espaço para o surgimento de uma verdadeira sociedade civil. Não havia distinção entre o público e o privado e a família López governava o país como se de uma grande propriedade se tratasse. O governo controlava todo o comércio exterior. O mate, o fumo e as madeiras raras exportados mantinham a balança comercial com saldo. O Paraguai nunca fizera empréstimo no exterior e adotava uma política protecionista, isto é, de evitar a entrada de produtos estrangeiros, por meio de impostos elevados. Francisco Solano López, filho de Carlos Antonio López, substituiu o pai no governo em 1862, e deu prosseguimento à política de seus antecessores. O crescimento econômico exigia contatos com o mercado internacional, mas o Paraguai não tem litoral. Seus portos eram fluviais (de rios) e seus navios tinham que descer o rio Paraguai e depois o Paraná para chegar ao estuário do rio da Prata e, daí, ao oceano. O governo de Solano López elaborou um projeto para obter um porto no Atlântico. Pretendia criar o chamado Paraguai Maior, com a inclusão de uma faixa do território brasileiro que ligasse o Paraguai ao litoral. Para sustentar suas intenções expansionistas, López começou a preparar-se militarmente. Incentivou a indústria de guerra, mobilizou grande quantidade de homens para o exército (o serviço militar obrigatório já existia no Paraguai), submetendo-os a treinamento militar intensivo, e construiu fortalezas na entrada do rio Paraguai. No plano diplomático, procurou aliar-se, no Uruguai, ao partido dos blancos, que se encontrava no poder, adversário dos colorados, que eram aliados do Brasil e da Argentina.
  5. 5. Causas  Insatisfação da Inglaterra com o crescimento econômico do Paraguai;  Política expansionista de Solano Lopez;  Visando a província de Mato Grosso, o ditador paraguaio aproveitou-se da fraca defesa brasileira naquela região para invadi-la e conquistá-la. Fez isso sem grandes dificuldades e, após esta batalha, sentiu- se motivado a dar continuidade à expansão do Paraguai através do território que pertencia ao Brasil.  Seu próximo alvo foi o Rio Grande do Sul, mas, para atingi-lo, necessitava passar pela Argentina. Então, invadiu e tomou Corrientes, província Argentina que, naquela época, era governada por Mitre.
  6. 6. Início e desenvolvimento do conflito - A guerra teve início em novembro de 1864, quando um navio brasileiro foi aprisionado pelos paraguaios no rio Paraguai. - Em dezembro de 1864, o Paraguai invadiu o Mato Grosso. - No começo de 1865, as tropas paraguaias invadiram Corrientes (Argentina) e logo em seguida o Rio Grande do Sul. - Em 1 de maio de 1865, Brasil, Argentina e Uruguai selam um acordo para enfrentar o Paraguai. Contam com a ajuda da Inglaterra. - Em 11 de junho de 1865 ocorreu um dos principais enfrentamentos da guerra, a Batalha de Riachuelo. A vitória brasileira neste enfrentamento naval foi determinante para a derrota do Paraguai. - Em abril de 1866 ocorreu a invasão do Paraguai. - Em 1869, sob a liderança de Duque de Caxias, os militares brasileiros chegam a Assunção. - A guerra terminou em 1870 com a morte de Francisco Solano Lopes em Cerro Cora.
  7. 7. O Tratado da Tríplice Aliança No dia 1°. de maio de 1865, o Brasil, a Argentina e o Uruguai assinaram, em Buenos Aires, o Tratado da Tríplice Aliança, contra o Paraguai. As forças militares da Tríplice Aliança eram, no início da guerra, francamente inferiores às do Paraguai, que contava com mais de 60 mil homens bem treinados e uma esquadra de 23 vapores e cinco navios apropriados à navegação fluvial. Sua artilharia possuía cerca de 400 canhões. O Brasil achava-se despreparado para entrar em uma guerra. Apesar de sua imensidão territorial e densidade populacional, o Brasil tinha um exército mal-organizado e muito pequeno. E, na verdade, tal situação era reflexo da organização escravista da sociedade, que, marginalizando a população livre não proprietária, dificultava a formação de um exército com senso de responsabilidade, disciplina e patriotismo. Além disso, o serviço militar era visto como um castigo sempre a ser evitado e o recrutamento era arbitrário e violento. As tropas utilizadas até então nas intervenções feitas no Prata eram constituídas basicamente pelos contingentes armados de chefes políticos gaúchos e por alguns efetivos da Guarda Nacional. Um reforço era, portanto, necessário. A infantaria brasileira que lutou na Guerra do Paraguai não era formada de soldados profissionais, mas pelos chamados Voluntários da Pátria, cidadãos que se apresentavam para lutar. Muitos eram escravos enviados por fazendeiros e negros alforriados. A cavalaria era formada pela Guarda Nacional do Rio Grande do Sul.
  8. 8. Motivos da participação da Inglaterra Antes da guerra, o Paraguai era uma potência econômica na América do Sul. Além disso, era um país independente das nações européias. Para a Inglaterra, este país era um exemplo que não deveria ser seguido pelos demais países latino-americanos, que eram totalmente dependentes do império inglês. Foi por isso, que os ingleses ficaram ao lado dos países da Tríplice Aliança, emprestando dinheiro e oferecendo apoio militar. Era interessante para a Inglaterra enfraquecer e eliminar um exemplo de sucesso e independência na América Latina.
  9. 9. O Fim da Guerra No terceiro período da guerra (1869-1870), o genro do imperador Dom Pedro II, Luís Filipe Gastão de Orléans, conde d'Eu, foi nomeado para dirigir a fase final das operações militares no Paraguai, pois buscava-se, além da derrota total do Paraguai, o fortalecimento do Império Brasileiro. O marido da princesa Isabel era um dos poucos membros da família imperial com experiência militar, já que na década de 1850 participara, como oficial subalterno, da campanha espanhola na Guerra do Marrocos. A indicação de um membro da família imperial pretendia diminuir as dificuldades operacionais das forças brasileiras, problema agravado pelos muitos anos de campanham, pela insatisfação dos veteranos e pelos conflitos, políticos e pessoais, que se alastravam entre os oficiais mais experientes. Em agosto de 1869, a Tríplice Aliança instalou em Assunção um governo provisório encabeçado pelo paraguaio Cirillo Antônio Rivarola. Solano López organizou a resistência nas cordilheiras situadas a nordeste de Assunção. À frente de 21 mil homens, o conde d'Eu chefiou a campanha contra a resistência paraguaia, a chamada Campanha das Cordilheiras, que se prolongou por mais de um ano, desdobrando-se em vários focos. Os combates mais importantes foram os de Peribebuí, para onde López transferiu a capital, e de Campo Grande ou Nhugaçu (16 de Agosto), nos quais morreram mais de cinco mil paraguaios. Após a batalha de Peribuí, no dia 12 de Agosto, o Conde d'Eu parece ter-se exasperado com a obstinação paraguaia em continuar a luta, nada fazendo para evitar a degola de prisioneiros capturados durante e depois dos combates. Na batalha seguinte, Campo Grande, as forças brasileiras se defrontaram com um exército formado, em sua maioria, por crianças e idosos, criminosamente recrutados pelo ditador paraguaio. A derrota paraguaia encerrou o ciclo de batalhas da guerra. Os passos seguintes consistiram na mera caçada a López.
  10. 10. Dois destacamentos foram enviados em perseguição ao presidente paraguaio, que se internara nas matas do norte do país acompanhado de 200 homens. No dia 1.° de março de 1870, as tropas do general José Antônio Corrêa da Câmara (1824-1893), o visconde de Pelotas, surpreenderam o último acampamento paraguaio em Cerro Corá, onde Solano López foi ferido a lança e depois baleado nas barrancas do arroio Aquidabanigui. Suas últimas palavras foram: "Morro com minha pátria". Assim chegou ao fim o mais sangrento conflito internacional das Américas, a guerra do Paraguai
  11. 11. Consequências - Nesta guerra morreram cerca de 300 mil pessoas (civis e militares); - Cerca de 70% da população paraguaia morreu na guerra; - A indústria paraguaia foi destruída e a economia ficou totalmente comprometida; - A Inglaterra, que apoiou a Tríplice Aliança, aumentou sua influência na região. - Embora tenha saído vitorioso, o Brasil também teve grandes prejuízos financeiros com o conflito. Os elevados gastos da guerra foram custeados com empréstimos estrangeiros, fazendo com que aumentasse a dívida externa brasileira e a dependência de países ricos como, por exemplo, da Inglaterra; - Com a guerra, o exército brasileiro ficou fortalecido no aspecto bélico, pois ganhou experiência e passou por um processo de modernização. Houve também um importante fortalecimento institucional. Do ponto de vista político, o exército também saiu fortalecido e passou a ser uma importante força no cenário político nacional. - A popularidade de D. Pedro II caiu e a oposição aumentou com os movimentos abolicionistas e republicanos ganhando as ruas. Estava preparado o terreno para o fim da monarquia.Durante a Guerra do Paraguai, o Brasil viveu uma política de Conciliação (entre 1853 e 1868), que consistiu numa alternância entre liberais e conservadores no poder. Porém vários fatores, dentre eles, a própria Guerra contribuíram para o término dessa política.
  12. 12. Conclusão Em conclusão, essa Guerra ocorreu devido aos interesses da Inglaterra em impedir o surgimento de uma nova potência que poderia prejudica-la tornando-se sua maior concorrente no mercado de importações de produtos. O Paraguai para alcançar tal status só necessitava de obter uma saída para o Oceano Atlântico, utilizando as estradas dos países vizinhos para escoamento de seus produtos para o mundo. O Paraguai chegou a invadir Mato Grosso desencadeando o conflito. Os países que se sentiram ameaçados pelo Paraguai se unirão e formaram a Tríplice Aliança formada por Uruguai, Argentina e Brasil. A Inglaterra incentivou a Tríplice Aliança na guerra contra o Paraguai e prometendo empréstimos aos países participantes da guerra caso eles derrotaram o inimigo. A Tríplice Aliança venceu a guerra e o mais beneficiado foi a Inglaterra que continuou a ser a líder mundial em exportações de produtos, o Brasil começou a fazer empréstimos com os ingleses e o Paraguai saiu massacrado.
  13. 13. Bibliografia  http://www.suapesquisa.com/historia/guerradoparaguai/  http://www.historiadobrasil.net/guerraparaguai/  http://www.bussolaescolar.com.br/historia_do_brasil/guerra _do_paraguai.htm

×