SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
X

MARGARINA X MANTEIGA
X

Quais são as diferenças entre margarina e manteiga?

   Ambas têm a mesma quantidade de calorias. A
       manteiga tem um pouquinho mais de
   gordura saturada - 8 gramas contra 5 gramas. 
X

Comer margarina pode aumentar em 53% a incidência
de doenças cardíacas em mulheres, quando consumida
   na mesma quantidade que a manteiga, segundo
   um estudo recente da Universidade de Harvard.
X

   Comer manteiga aumenta a absorção de muitos
nutrientes presentes em outros alimentos. A manteiga
     traz mais benefícios nutricionais, enquanto o
    pouco que a margarina traz lhe foi adicionado!
X

A manteiga é muito mais gostosa do que a margarina e
    pode melhorar o sabor de outros alimentos. A
  manteiga existe há séculos e a margarina há menos
                     de 100 anos.
X

               Agora, sobre a margarina:

- tem teor altíssimo de ácidos graxos tipo trans;
- triplica o risco de doenças coronarianas;
X

- aumenta o nível de colesterol total e o de LDL (o
"mau" colesterol);
- reduz o nível de colesterol HDL (o "bom" colesterol);
- aumenta, em cinco vezes, o risco de câncer;
X

- reduz a qualidade do leite materno;
- deprime a resposta imunológica;
- reduz a reação insulínica...
X

E o fato mais perturbador: a diferença entre o plástico e
          a margarina é de UMA MOLÉCULA.
X

   Basta saber disso para evitar, por toda a vida, a
margarina e tudo o que for hidrogenado (isto significa
que acrescentaram hidrogênio, mudando a estrutura
              molecular da substância).
X

Você pode experimentar por si mesmo. Compre uma
 embalagem de margarina e deixe-a aberta em sua
  garagem ou algum lugar sombreado. Em poucos
         dias, você vai notar duas coisas:
X

- nenhuma mosca (nem aquelas terríveis mosquinhas
das frutas) vai chegar perto dela (isso deveria lhe dizer
                     alguma coisa);
X

 - não vai apodrecer, nem ficar com cheiro esquisito.
Como não tem nenhum valor nutritivo, nada crescerá
     nela, nem mesmo aqueles microrganismos
    minúsculos encontrarão ali um lar para viver.
X

                      Por que?

              Porque é quase plástico. 

E você derreteria seus potes de plástico para passar no
                       seu pão?
X
Texto do Dr. José Geraldo Ferreira Gonçalves, do
  Instituto de Patologia Clínica Hermes Pardini
          (www.hermespardini.com.br)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aditivos alimentares
Aditivos alimentaresAditivos alimentares
Aditivos alimentaresday ....
 
Conservação dos alimentos pelo uso de aditivos
Conservação dos alimentos pelo uso de aditivosConservação dos alimentos pelo uso de aditivos
Conservação dos alimentos pelo uso de aditivosAlvaro Galdos
 
Manual de Boas Práticas de Manipulação de Pescado
Manual de Boas Práticas de Manipulação de PescadoManual de Boas Práticas de Manipulação de Pescado
Manual de Boas Práticas de Manipulação de PescadoPortal Canal Rural
 
352466022 fluxogramas-preparo-de-alimentos (1)
352466022 fluxogramas-preparo-de-alimentos (1)352466022 fluxogramas-preparo-de-alimentos (1)
352466022 fluxogramas-preparo-de-alimentos (1)Andreia Oliveira Chahhoud
 
Aula de Bromatologia sobre Umidade e Sólidos Totais
Aula de Bromatologia sobre Umidade e Sólidos TotaisAula de Bromatologia sobre Umidade e Sólidos Totais
Aula de Bromatologia sobre Umidade e Sólidos TotaisJaqueline Almeida
 
Questionário de Frequência Alimentar
Questionário de Frequência Alimentar Questionário de Frequência Alimentar
Questionário de Frequência Alimentar Bárbara Marcelly
 
História da conservação dos alimentos
História da conservação dos alimentosHistória da conservação dos alimentos
História da conservação dos alimentosRemoov
 
Análise de Alimentos 1.pptx
Análise de Alimentos 1.pptxAnálise de Alimentos 1.pptx
Análise de Alimentos 1.pptxJaquelineRumo
 
Queijo coalho
Queijo coalhoQueijo coalho
Queijo coalhoCencap
 
Alimentos, nutrientes e saúde
Alimentos, nutrientes e saúdeAlimentos, nutrientes e saúde
Alimentos, nutrientes e saúdeCristiane Koch
 
Estágio em Alimentação Coletiva.pdf
Estágio em Alimentação Coletiva.pdfEstágio em Alimentação Coletiva.pdf
Estágio em Alimentação Coletiva.pdfArlenoFavacho2
 
Projeto de instalação de um Laticínio
Projeto de instalação de um Laticínio Projeto de instalação de um Laticínio
Projeto de instalação de um Laticínio Geiry Souza
 
Aula cereais e derivados
Aula   cereais e derivadosAula   cereais e derivados
Aula cereais e derivadosCamila Moresco
 
A Diabetes e a Alimentação
A Diabetes e a AlimentaçãoA Diabetes e a Alimentação
A Diabetes e a AlimentaçãoMichele Pó
 

Mais procurados (20)

Aditivos alimentares
Aditivos alimentaresAditivos alimentares
Aditivos alimentares
 
Conservação dos alimentos pelo uso de aditivos
Conservação dos alimentos pelo uso de aditivosConservação dos alimentos pelo uso de aditivos
Conservação dos alimentos pelo uso de aditivos
 
Umidade e sólidos totais
Umidade e sólidos totaisUmidade e sólidos totais
Umidade e sólidos totais
 
Manual de Boas Práticas de Manipulação de Pescado
Manual de Boas Práticas de Manipulação de PescadoManual de Boas Práticas de Manipulação de Pescado
Manual de Boas Práticas de Manipulação de Pescado
 
352466022 fluxogramas-preparo-de-alimentos (1)
352466022 fluxogramas-preparo-de-alimentos (1)352466022 fluxogramas-preparo-de-alimentos (1)
352466022 fluxogramas-preparo-de-alimentos (1)
 
Aula de Bromatologia sobre Umidade e Sólidos Totais
Aula de Bromatologia sobre Umidade e Sólidos TotaisAula de Bromatologia sobre Umidade e Sólidos Totais
Aula de Bromatologia sobre Umidade e Sólidos Totais
 
Leguminosas
LeguminosasLeguminosas
Leguminosas
 
Questionário de Frequência Alimentar
Questionário de Frequência Alimentar Questionário de Frequência Alimentar
Questionário de Frequência Alimentar
 
Tabela nmp
Tabela nmpTabela nmp
Tabela nmp
 
História da conservação dos alimentos
História da conservação dos alimentosHistória da conservação dos alimentos
História da conservação dos alimentos
 
Análise de Alimentos 1.pptx
Análise de Alimentos 1.pptxAnálise de Alimentos 1.pptx
Análise de Alimentos 1.pptx
 
Queijo coalho
Queijo coalhoQueijo coalho
Queijo coalho
 
Análise sensorial de alimentos
Análise sensorial de alimentosAnálise sensorial de alimentos
Análise sensorial de alimentos
 
Sódio nos alimentos
Sódio nos alimentosSódio nos alimentos
Sódio nos alimentos
 
Alimentos, nutrientes e saúde
Alimentos, nutrientes e saúdeAlimentos, nutrientes e saúde
Alimentos, nutrientes e saúde
 
Relatorio analise de leite pratica
Relatorio analise de leite   praticaRelatorio analise de leite   pratica
Relatorio analise de leite pratica
 
Estágio em Alimentação Coletiva.pdf
Estágio em Alimentação Coletiva.pdfEstágio em Alimentação Coletiva.pdf
Estágio em Alimentação Coletiva.pdf
 
Projeto de instalação de um Laticínio
Projeto de instalação de um Laticínio Projeto de instalação de um Laticínio
Projeto de instalação de um Laticínio
 
Aula cereais e derivados
Aula   cereais e derivadosAula   cereais e derivados
Aula cereais e derivados
 
A Diabetes e a Alimentação
A Diabetes e a AlimentaçãoA Diabetes e a Alimentação
A Diabetes e a Alimentação
 

Destaque (16)

Manteiga
ManteigaManteiga
Manteiga
 
Manteiga x margarina
Manteiga x margarinaManteiga x margarina
Manteiga x margarina
 
Desnate e elabora€ ¦ção de manteiga
Desnate e elabora€ ¦ção de manteigaDesnate e elabora€ ¦ção de manteiga
Desnate e elabora€ ¦ção de manteiga
 
Creme de leite
Creme de leiteCreme de leite
Creme de leite
 
Processamento e secagem do leite - Físico-química
Processamento e secagem do leite - Físico-químicaProcessamento e secagem do leite - Físico-química
Processamento e secagem do leite - Físico-química
 
Processamento de Leite Condensado e Requeijão
Processamento de Leite Condensado e RequeijãoProcessamento de Leite Condensado e Requeijão
Processamento de Leite Condensado e Requeijão
 
Usinaleite
UsinaleiteUsinaleite
Usinaleite
 
Bom com manteiga
Bom com manteigaBom com manteiga
Bom com manteiga
 
Margarina
MargarinaMargarina
Margarina
 
Manteiga Erotica
Manteiga EroticaManteiga Erotica
Manteiga Erotica
 
QUEIJO ARTESANAL DE MINAS patrimônio cultural do Brasil VOLUME I Dossiê int...
QUEIJO ARTESANAL DE MINAS patrimônio cultural do Brasil VOLUME I Dossiê int...QUEIJO ARTESANAL DE MINAS patrimônio cultural do Brasil VOLUME I Dossiê int...
QUEIJO ARTESANAL DE MINAS patrimônio cultural do Brasil VOLUME I Dossiê int...
 
queijo
queijoqueijo
queijo
 
Leites fermentados
Leites fermentadosLeites fermentados
Leites fermentados
 
Pasteurização (leite)
Pasteurização (leite)Pasteurização (leite)
Pasteurização (leite)
 
Aula 1 definição, classificação.
Aula 1  definição, classificação.Aula 1  definição, classificação.
Aula 1 definição, classificação.
 
Queijos Uma aula saborosa
Queijos Uma aula saborosaQueijos Uma aula saborosa
Queijos Uma aula saborosa
 

Mais de João Lessa

Pirâmides - Há mais coisas entre o CEU e a TERRA
Pirâmides - Há mais coisas entre o CEU e a TERRAPirâmides - Há mais coisas entre o CEU e a TERRA
Pirâmides - Há mais coisas entre o CEU e a TERRAJoão Lessa
 
Programação Neuro Linguística
Programação Neuro LinguísticaProgramação Neuro Linguística
Programação Neuro LinguísticaJoão Lessa
 
Como Montar Sua Lista de Nomes no MMN
Como Montar Sua Lista de Nomes no MMNComo Montar Sua Lista de Nomes no MMN
Como Montar Sua Lista de Nomes no MMNJoão Lessa
 
A Importância dos Eventos e do Sistema no MMN
A Importância dos Eventos e do Sistema no MMNA Importância dos Eventos e do Sistema no MMN
A Importância dos Eventos e do Sistema no MMNJoão Lessa
 
Passo 2: Atividade
Passo 2: AtividadePasso 2: Atividade
Passo 2: AtividadeJoão Lessa
 
O Poder das Metas
O Poder das MetasO Poder das Metas
O Poder das MetasJoão Lessa
 
Meu sangue, Minha vida
Meu sangue, Minha vidaMeu sangue, Minha vida
Meu sangue, Minha vidaJoão Lessa
 
Nosso Corpo e Nossos Sentimentos
Nosso Corpo e Nossos SentimentosNosso Corpo e Nossos Sentimentos
Nosso Corpo e Nossos SentimentosJoão Lessa
 
Câncer e a Cura
Câncer e a CuraCâncer e a Cura
Câncer e a CuraJoão Lessa
 
Black belt blogging
Black belt bloggingBlack belt blogging
Black belt bloggingJoão Lessa
 

Mais de João Lessa (12)

Pirâmides - Há mais coisas entre o CEU e a TERRA
Pirâmides - Há mais coisas entre o CEU e a TERRAPirâmides - Há mais coisas entre o CEU e a TERRA
Pirâmides - Há mais coisas entre o CEU e a TERRA
 
Programação Neuro Linguística
Programação Neuro LinguísticaProgramação Neuro Linguística
Programação Neuro Linguística
 
Como Montar Sua Lista de Nomes no MMN
Como Montar Sua Lista de Nomes no MMNComo Montar Sua Lista de Nomes no MMN
Como Montar Sua Lista de Nomes no MMN
 
A Importância dos Eventos e do Sistema no MMN
A Importância dos Eventos e do Sistema no MMNA Importância dos Eventos e do Sistema no MMN
A Importância dos Eventos e do Sistema no MMN
 
Passo 2: Atividade
Passo 2: AtividadePasso 2: Atividade
Passo 2: Atividade
 
O Poder das Metas
O Poder das MetasO Poder das Metas
O Poder das Metas
 
Meu sangue, Minha vida
Meu sangue, Minha vidaMeu sangue, Minha vida
Meu sangue, Minha vida
 
Linhaça
LinhaçaLinhaça
Linhaça
 
Nosso Corpo e Nossos Sentimentos
Nosso Corpo e Nossos SentimentosNosso Corpo e Nossos Sentimentos
Nosso Corpo e Nossos Sentimentos
 
Câncer e a Cura
Câncer e a CuraCâncer e a Cura
Câncer e a Cura
 
10 Sugestões
10 Sugestões10 Sugestões
10 Sugestões
 
Black belt blogging
Black belt bloggingBlack belt blogging
Black belt blogging
 

Último

AULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsx
AULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsxAULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsx
AULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsxLeonardoSauro1
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfGustavoWallaceAlvesd
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASArtthurPereira2
 
INTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptx
INTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptxINTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptx
INTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptxssuser4ba5b7
 
Prurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdf
Prurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdfPrurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdf
Prurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdfAlberto205764
 
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaCristianodaRosa5
 
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfO mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfNelmo Pinto
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgeryCarlos D A Bersot
 

Último (9)

AULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsx
AULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsxAULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsx
AULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsx
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
 
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãosAplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
 
INTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptx
INTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptxINTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptx
INTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptx
 
Prurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdf
Prurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdfPrurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdf
Prurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdf
 
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
 
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfO mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
 

Diferenças entre margarina e manteiga e seus impactos na saúde

  • 2. X Quais são as diferenças entre margarina e manteiga? Ambas têm a mesma quantidade de calorias. A manteiga tem um pouquinho mais de gordura saturada - 8 gramas contra 5 gramas. 
  • 3. X Comer margarina pode aumentar em 53% a incidência de doenças cardíacas em mulheres, quando consumida na mesma quantidade que a manteiga, segundo um estudo recente da Universidade de Harvard.
  • 4. X Comer manteiga aumenta a absorção de muitos nutrientes presentes em outros alimentos. A manteiga traz mais benefícios nutricionais, enquanto o pouco que a margarina traz lhe foi adicionado!
  • 5. X A manteiga é muito mais gostosa do que a margarina e pode melhorar o sabor de outros alimentos. A manteiga existe há séculos e a margarina há menos de 100 anos.
  • 6. X Agora, sobre a margarina: - tem teor altíssimo de ácidos graxos tipo trans; - triplica o risco de doenças coronarianas;
  • 7. X - aumenta o nível de colesterol total e o de LDL (o "mau" colesterol); - reduz o nível de colesterol HDL (o "bom" colesterol); - aumenta, em cinco vezes, o risco de câncer;
  • 8. X - reduz a qualidade do leite materno; - deprime a resposta imunológica; - reduz a reação insulínica...
  • 9. X E o fato mais perturbador: a diferença entre o plástico e a margarina é de UMA MOLÉCULA.
  • 10. X Basta saber disso para evitar, por toda a vida, a margarina e tudo o que for hidrogenado (isto significa que acrescentaram hidrogênio, mudando a estrutura molecular da substância).
  • 11. X Você pode experimentar por si mesmo. Compre uma embalagem de margarina e deixe-a aberta em sua garagem ou algum lugar sombreado. Em poucos dias, você vai notar duas coisas:
  • 12. X - nenhuma mosca (nem aquelas terríveis mosquinhas das frutas) vai chegar perto dela (isso deveria lhe dizer alguma coisa);
  • 13. X - não vai apodrecer, nem ficar com cheiro esquisito. Como não tem nenhum valor nutritivo, nada crescerá nela, nem mesmo aqueles microrganismos minúsculos encontrarão ali um lar para viver.
  • 14. X Por que? Porque é quase plástico.  E você derreteria seus potes de plástico para passar no seu pão?
  • 15. X Texto do Dr. José Geraldo Ferreira Gonçalves, do Instituto de Patologia Clínica Hermes Pardini (www.hermespardini.com.br)