SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 17
DEFINIÇÕES

A   diferença fundamental entre
 o texto literário e o texto não-
 literário é que, no primeiro,
 predomina a função estética,
 e no segundo, a função
 utilitária.
FUNÇÃO ESTÉTICA
 A função estética que caracteriza o texto literário tem
  como principais traços
 a plurissignificação,

 a desautomatização da percepção,

 a conotação,

 a relevância do plano de expressão

 e a intangibilidade da organização linguística.
PLURISSIGNIFICAÇÃO
 É a característica da linguagem literária de abrigar
  vários significados na expressão.
 Um texto literário permite a intersecção de
  diferentes planos de leitura, e abriga palavras,
  expressões, frases e imagens que podem possuir
  mais de um sentido no contexto em que são
  empregadas.
DESAUTOMATIZAÇÃO DA LINGUAGEM
 É a tentativa de encontrar relações entre as
  palavras que não sejam as que aparecem no uso
  cotidiano e não-literário das mesmas.
 Essas       relações        provocam   surpresa,
  estranhamento, graça e diversos outros impactos
  psicológicos.
CONOTAÇÃO
A   conotação, segundo o Houaiss, é o
  “conjunto de alterações ou ampliações que
  uma palavra agrega ao seu sentido literal
  (denotativo), por associações linguísticas de
  diversos tipos (estilísticas, fonéticas,
  semânticas)”.
 Ela    se opõe à denotação, que é
  “propriedade que tem um significante de se
  referir genericamente a todos os membros
  de um conjunto”.
CONOTAÇÃO - 2
 Assim,   a conotação se dá quando um novo
  sentido agrega-se ao sentido literal de um
  signo linguístico.
O      texto literário tem como traço
  característico a conotação.
 Isso significa que as palavras e as
  expressões que nele venham a ser
  utilizadas frequentemente associam-se a
  mecanismos (metáfora, metonímia) que
  lhes atribuem novos sentidos além
  daqueles que já possuem.
RELEVÂNCIA DO PLANO DA
EXPRESSÃO
A   relevância do plano da expressão é
  muito maior no texto literário que no texto
  não-literário.
 No texto literário, a organização do plano da
  expressão não é realizada apenas para
  permitir a compreensão do conteúdo, mas
  sim para recriar o conteúdo na expressão,
  recuperando traços de sentido.
 Ou seja: quando se trata do texto literário, a
  forma ganha relevância para que se
  compreenda o sentido da mensagem.
INTANGIBILIDADE DO TEXTO LITERÁRIO

 Intangibilidade  é a propriedade daquilo que
  não pode ser tocado, atingido.
 Quando se fala de intangibilidade do texto
  literário, faz-se referência à impossibilidade
  de manter sua essência quando ele é
  resumido.
 Um texto não literário pode ser resumido
  sem a perda de suas informações mais
  importantes.
 Já um texto não literário não pode ter
  nenhuma de suas partes subtraídas nem
  modificadas, pois cada um dos elementos é
  significativo em relação ao todo.
   Podemos esquematizar as diferenças entre textos
    literários e não literários por meio da tabela a
    seguir:
Textos literários              Textos não-literários

Plurissignificação, vários     Na medida do possível, um
planos de leitura.             único plano de leitura e
                               significação unívoca.
Linguagem desautomatizada,     Linguagem automatizada,
provocando surpresa,           convencional.
estranhamento.
Conotação (metáforas,          Denotação (sentido literal das
metonímias, novos sentidos).   palavras e expressões).


Relevância do plano da         Irrelevância do plano da
expressão.                     expressão.
Intangibilidade (não podem     Tangibilidade (podem ser
ser resumidos ou               resumidos e parafraseados).
parafraseados).
FONTES
 FIORIN; PLATÃO. Para entender o texto: leitura e
  redação. 8ª edição. São Paulo: Ática, 1984.
 HOUAISS, A. (dir.). Dicionário Eletrônico Houaiss
  da Língua Portuguesa 1.0.5a. Rio de Janeiro:
  Editora Objetiva Ltda., 2002. 1 CD ROM.
Paisagem


É meio dia; a brisa sopra mansa
Nas folhas da emburana perfumada;
Sustento a carabina tauxiada
Na mão fidalga, o caçador descansa.


Agachado a seus pés um cão de raça,
Pendente a língua, o olhar fosforescente,
Agita a cauda e espera, impaciente,
O instante de lançar-se sobre a caça.


O sol, grande pintor, pintor divino,
Empunhando a palheta de ouro fino,
A floresta, de luz, vai retocando.


E, ao longe, dois pombinhos, cor de neve,
O seu ninho de amor, pequeno e leve,
Armam, trocando beijos e arrulhando.


                                            (Lírios da Juventude. p.53. 1909)
ESSE TEXTO É LITERÁRIO, POIS,
     ELE EXPRESSA ALGO.

Os textos literários,são aqueles que, em geral, têm o objetivo
de emocionar o leitor, e para isso exploram a linguagem
conotativa ou poética. Em geral, ocorre o predomínio da função
emotiva e poética.
Exemplos de textos literários:
poemas, romances literários, contos, telenovelas.




                                 Entenderam ?
Médicos diagnosticam parasitas com 'microscópio de iPhone'
                         na África

           Eles improvisaram microscópio com celular, fita adesiva, lanterna
  e lente.
  Equipamento permitiu identificar ovos de ancilóstomo e outras
  verminoses.
          Cientistas improvisaram um microscópio usando um iPhone, fita
  adesiva dupla face, lanterna, placas de laboratório comuns e uma lente de
  câmera de US$ 8. O objetivo foi diagnosticar verminoses na área rural da
  Tanzânia, na África, aponta um estudo publicado nesta terça-feira (12).
          A pesquisa detalhando como criar o microscópio de campo foi
  divulgada no periódico "American Journal of the Tropical Medicine and
  Hygiene". Nela, os médicos demonstraram como usar o celular com esta
  finalidade, adaptando-o para ser um microscópio de baixo custo.
          Com o aparelho, cientistas identificaram ovos de ancilóstomo (um
  tipo de verme) e outros parasitas nas fezes de crianças infectadas.
           "Tem havido muito improviso em laboratórios, com microscópios
  feitos usando celulares, mas esta é a primeira vez que a tecnologia foi
  usada em campo para diagnosticar parasitas intestinais", disse Isaac
  Bogoch, médico especializado em doenças infecciosas do Hospital Geral de
  Toronto, principal autor do estudo.
          A inovação pode ajudar a tratar pacientes infectados com
  parasitas, segundo a agência de notícias AFP. Vermes intestinais infectam
  2 bilhões de pessoas no mundo todo, sobretudo crianças, às vezes
  causando subnutrição.
         As doenças causadas por parasitas podem ser difíceis de
  diagnosticar, em parte por causa do elevado custo de um microscópio
  convencional, estimado em cerca de US$ 200, afirmam os pesquisadores.
ESSE É UM TEXTO NÃO LITERÁRIO, POIS, ELE NÃO PASSA
     SENTIMENTO ALGUM AO LEITO E SIM TEM A FUNÇÃO DE
                   INFORMAR O LEITOR.
   Os textos não literários pretendem informar o leitor
de forma direta e objetiva, a partir de uma linguagem denotativa.
A função referencial predomina-se nos textos não literários.
   Exemplos de textos não
    literários: notícias e reportagens jornalísticas,
textos de livros didáticos de História, Geografia, Ciências,
textos científicos em geral, receitas culinárias, bulas de remédio.




                                                Entenderam ?
EREM-João Bezerra
Alunos: Leonardo Ferreira, Vinicius Gonçalves, Felipe
              Augusto e Beatriz Letícia.
               Disciplina: Português
                Professora:Violeta
                Série:1º Turma: C

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Romantismo - aula
Romantismo - aulaRomantismo - aula
Romantismo - aula
 
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIASLITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
 
Toda a Literatura
Toda a LiteraturaToda a Literatura
Toda a Literatura
 
Introdução a Literatura
Introdução a LiteraturaIntrodução a Literatura
Introdução a Literatura
 
Introdução à literatura
Introdução à literaturaIntrodução à literatura
Introdução à literatura
 
Trovadorismo I
Trovadorismo ITrovadorismo I
Trovadorismo I
 
Pré modernismo-slides
Pré modernismo-slidesPré modernismo-slides
Pré modernismo-slides
 
Os Gêneros Literários
Os Gêneros LiteráriosOs Gêneros Literários
Os Gêneros Literários
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Literatura
LiteraturaLiteratura
Literatura
 
Slides sobre reportagem
Slides sobre reportagemSlides sobre reportagem
Slides sobre reportagem
 
Crônica jornalística slides
Crônica jornalística slidesCrônica jornalística slides
Crônica jornalística slides
 
Gênero notícia
Gênero notíciaGênero notícia
Gênero notícia
 
LÍNGUA PORTUGUESA | SEMANA 34 | 3ª SÉRIE | GÊNEROS TEXTUAIS E COMPARAÇÃO DE ...
LÍNGUA PORTUGUESA | SEMANA 34 | 3ª SÉRIE  | GÊNEROS TEXTUAIS E COMPARAÇÃO DE ...LÍNGUA PORTUGUESA | SEMANA 34 | 3ª SÉRIE  | GÊNEROS TEXTUAIS E COMPARAÇÃO DE ...
LÍNGUA PORTUGUESA | SEMANA 34 | 3ª SÉRIE | GÊNEROS TEXTUAIS E COMPARAÇÃO DE ...
 
Conto
ContoConto
Conto
 
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica
 
Semântica
SemânticaSemântica
Semântica
 
Tipos e gêneros textuais
Tipos e gêneros textuaisTipos e gêneros textuais
Tipos e gêneros textuais
 

Semelhante a Textos literários e não literários

Texto literário e texto não literário
Texto literário e texto não literárioTexto literário e texto não literário
Texto literário e texto não literáriovinivs
 
Texto literário e texto não literário
Texto literário e texto não literárioTexto literário e texto não literário
Texto literário e texto não literárioDon Veneziani
 
Grupo 06 generos textuais grupo 06
Grupo 06 generos textuais  grupo 06Grupo 06 generos textuais  grupo 06
Grupo 06 generos textuais grupo 06silvia-9616
 
Tecnico em edificações senai matéria para prova resumão português
Tecnico em edificações senai matéria para prova resumão portuguêsTecnico em edificações senai matéria para prova resumão português
Tecnico em edificações senai matéria para prova resumão portuguêsMil Pereira
 
Lingusticaaplicadainterpretaodetextoscursinho 111006072155-phpapp02
Lingusticaaplicadainterpretaodetextoscursinho 111006072155-phpapp02Lingusticaaplicadainterpretaodetextoscursinho 111006072155-phpapp02
Lingusticaaplicadainterpretaodetextoscursinho 111006072155-phpapp02Maria Marlene Marcon
 
Parte 1 linguística geral apresentação
Parte 1   linguística geral apresentaçãoParte 1   linguística geral apresentação
Parte 1 linguística geral apresentaçãoMariana Correia
 
Introdução a Literatura.pdf
Introdução a Literatura.pdfIntrodução a Literatura.pdf
Introdução a Literatura.pdfThaisDeus3
 
Apostila texto vnia_arajo
Apostila texto vnia_arajoApostila texto vnia_arajo
Apostila texto vnia_arajoAraujo Silva
 
18029 aula 1 conceitos básicos
18029 aula 1 conceitos básicos18029 aula 1 conceitos básicos
18029 aula 1 conceitos básicosJonedson Souza
 
Curriculo de Língua Portuguesa Ensino Fundamental - Estado de PE
Curriculo de Língua Portuguesa Ensino Fundamental - Estado de PECurriculo de Língua Portuguesa Ensino Fundamental - Estado de PE
Curriculo de Língua Portuguesa Ensino Fundamental - Estado de PEMarcia Oliveira
 
Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013
Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013
Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013Elaine Junger
 

Semelhante a Textos literários e não literários (20)

Texto literário e texto não literário
Texto literário e texto não literárioTexto literário e texto não literário
Texto literário e texto não literário
 
Texto literário e texto não literário
Texto literário e texto não literárioTexto literário e texto não literário
Texto literário e texto não literário
 
Grupo 06 generos textuais grupo 06
Grupo 06 generos textuais  grupo 06Grupo 06 generos textuais  grupo 06
Grupo 06 generos textuais grupo 06
 
Tecnico em edificações senai matéria para prova resumão português
Tecnico em edificações senai matéria para prova resumão portuguêsTecnico em edificações senai matéria para prova resumão português
Tecnico em edificações senai matéria para prova resumão português
 
Leitura e produção
Leitura e produçãoLeitura e produção
Leitura e produção
 
Linguagem e pensamento.pptx
Linguagem e pensamento.pptxLinguagem e pensamento.pptx
Linguagem e pensamento.pptx
 
Lingusticaaplicadainterpretaodetextoscursinho 111006072155-phpapp02
Lingusticaaplicadainterpretaodetextoscursinho 111006072155-phpapp02Lingusticaaplicadainterpretaodetextoscursinho 111006072155-phpapp02
Lingusticaaplicadainterpretaodetextoscursinho 111006072155-phpapp02
 
Parte 1 linguística geral apresentação
Parte 1   linguística geral apresentaçãoParte 1   linguística geral apresentação
Parte 1 linguística geral apresentação
 
Linguagem e língua 97
Linguagem e língua 97Linguagem e língua 97
Linguagem e língua 97
 
Introdução a Literatura.pdf
Introdução a Literatura.pdfIntrodução a Literatura.pdf
Introdução a Literatura.pdf
 
Propaganda
PropagandaPropaganda
Propaganda
 
_Funções.ppt
_Funções.ppt_Funções.ppt
_Funções.ppt
 
_Funções.ppt
_Funções.ppt_Funções.ppt
_Funções.ppt
 
_Funções linguísticas
_Funções  linguísticas _Funções  linguísticas
_Funções linguísticas
 
_Funções.ppt
_Funções.ppt_Funções.ppt
_Funções.ppt
 
Semântica
SemânticaSemântica
Semântica
 
Apostila texto vnia_arajo
Apostila texto vnia_arajoApostila texto vnia_arajo
Apostila texto vnia_arajo
 
18029 aula 1 conceitos básicos
18029 aula 1 conceitos básicos18029 aula 1 conceitos básicos
18029 aula 1 conceitos básicos
 
Curriculo de Língua Portuguesa Ensino Fundamental - Estado de PE
Curriculo de Língua Portuguesa Ensino Fundamental - Estado de PECurriculo de Língua Portuguesa Ensino Fundamental - Estado de PE
Curriculo de Língua Portuguesa Ensino Fundamental - Estado de PE
 
Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013
Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013
Lngua portuguesa-i prof-william-sanches-verso_2013
 

Último

Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdfAntonio Barros
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxpatriciapedroso82
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaIlda Bicacro
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteIpdaWellington
 

Último (20)

Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 

Textos literários e não literários

  • 1.
  • 2. DEFINIÇÕES A diferença fundamental entre o texto literário e o texto não- literário é que, no primeiro, predomina a função estética, e no segundo, a função utilitária.
  • 3. FUNÇÃO ESTÉTICA  A função estética que caracteriza o texto literário tem como principais traços  a plurissignificação,  a desautomatização da percepção,  a conotação,  a relevância do plano de expressão  e a intangibilidade da organização linguística.
  • 4. PLURISSIGNIFICAÇÃO  É a característica da linguagem literária de abrigar vários significados na expressão.  Um texto literário permite a intersecção de diferentes planos de leitura, e abriga palavras, expressões, frases e imagens que podem possuir mais de um sentido no contexto em que são empregadas.
  • 5. DESAUTOMATIZAÇÃO DA LINGUAGEM  É a tentativa de encontrar relações entre as palavras que não sejam as que aparecem no uso cotidiano e não-literário das mesmas.  Essas relações provocam surpresa, estranhamento, graça e diversos outros impactos psicológicos.
  • 6. CONOTAÇÃO A conotação, segundo o Houaiss, é o “conjunto de alterações ou ampliações que uma palavra agrega ao seu sentido literal (denotativo), por associações linguísticas de diversos tipos (estilísticas, fonéticas, semânticas)”.  Ela se opõe à denotação, que é “propriedade que tem um significante de se referir genericamente a todos os membros de um conjunto”.
  • 7. CONOTAÇÃO - 2  Assim, a conotação se dá quando um novo sentido agrega-se ao sentido literal de um signo linguístico. O texto literário tem como traço característico a conotação.  Isso significa que as palavras e as expressões que nele venham a ser utilizadas frequentemente associam-se a mecanismos (metáfora, metonímia) que lhes atribuem novos sentidos além daqueles que já possuem.
  • 8. RELEVÂNCIA DO PLANO DA EXPRESSÃO A relevância do plano da expressão é muito maior no texto literário que no texto não-literário.  No texto literário, a organização do plano da expressão não é realizada apenas para permitir a compreensão do conteúdo, mas sim para recriar o conteúdo na expressão, recuperando traços de sentido.  Ou seja: quando se trata do texto literário, a forma ganha relevância para que se compreenda o sentido da mensagem.
  • 9. INTANGIBILIDADE DO TEXTO LITERÁRIO  Intangibilidade é a propriedade daquilo que não pode ser tocado, atingido.  Quando se fala de intangibilidade do texto literário, faz-se referência à impossibilidade de manter sua essência quando ele é resumido.  Um texto não literário pode ser resumido sem a perda de suas informações mais importantes.  Já um texto não literário não pode ter nenhuma de suas partes subtraídas nem modificadas, pois cada um dos elementos é significativo em relação ao todo.
  • 10. Podemos esquematizar as diferenças entre textos literários e não literários por meio da tabela a seguir:
  • 11. Textos literários Textos não-literários Plurissignificação, vários Na medida do possível, um planos de leitura. único plano de leitura e significação unívoca. Linguagem desautomatizada, Linguagem automatizada, provocando surpresa, convencional. estranhamento. Conotação (metáforas, Denotação (sentido literal das metonímias, novos sentidos). palavras e expressões). Relevância do plano da Irrelevância do plano da expressão. expressão. Intangibilidade (não podem Tangibilidade (podem ser ser resumidos ou resumidos e parafraseados). parafraseados).
  • 12. FONTES  FIORIN; PLATÃO. Para entender o texto: leitura e redação. 8ª edição. São Paulo: Ática, 1984.  HOUAISS, A. (dir.). Dicionário Eletrônico Houaiss da Língua Portuguesa 1.0.5a. Rio de Janeiro: Editora Objetiva Ltda., 2002. 1 CD ROM.
  • 13. Paisagem É meio dia; a brisa sopra mansa Nas folhas da emburana perfumada; Sustento a carabina tauxiada Na mão fidalga, o caçador descansa. Agachado a seus pés um cão de raça, Pendente a língua, o olhar fosforescente, Agita a cauda e espera, impaciente, O instante de lançar-se sobre a caça. O sol, grande pintor, pintor divino, Empunhando a palheta de ouro fino, A floresta, de luz, vai retocando. E, ao longe, dois pombinhos, cor de neve, O seu ninho de amor, pequeno e leve, Armam, trocando beijos e arrulhando. (Lírios da Juventude. p.53. 1909)
  • 14. ESSE TEXTO É LITERÁRIO, POIS, ELE EXPRESSA ALGO. Os textos literários,são aqueles que, em geral, têm o objetivo de emocionar o leitor, e para isso exploram a linguagem conotativa ou poética. Em geral, ocorre o predomínio da função emotiva e poética. Exemplos de textos literários: poemas, romances literários, contos, telenovelas. Entenderam ?
  • 15. Médicos diagnosticam parasitas com 'microscópio de iPhone' na África Eles improvisaram microscópio com celular, fita adesiva, lanterna e lente. Equipamento permitiu identificar ovos de ancilóstomo e outras verminoses. Cientistas improvisaram um microscópio usando um iPhone, fita adesiva dupla face, lanterna, placas de laboratório comuns e uma lente de câmera de US$ 8. O objetivo foi diagnosticar verminoses na área rural da Tanzânia, na África, aponta um estudo publicado nesta terça-feira (12). A pesquisa detalhando como criar o microscópio de campo foi divulgada no periódico "American Journal of the Tropical Medicine and Hygiene". Nela, os médicos demonstraram como usar o celular com esta finalidade, adaptando-o para ser um microscópio de baixo custo. Com o aparelho, cientistas identificaram ovos de ancilóstomo (um tipo de verme) e outros parasitas nas fezes de crianças infectadas. "Tem havido muito improviso em laboratórios, com microscópios feitos usando celulares, mas esta é a primeira vez que a tecnologia foi usada em campo para diagnosticar parasitas intestinais", disse Isaac Bogoch, médico especializado em doenças infecciosas do Hospital Geral de Toronto, principal autor do estudo. A inovação pode ajudar a tratar pacientes infectados com parasitas, segundo a agência de notícias AFP. Vermes intestinais infectam 2 bilhões de pessoas no mundo todo, sobretudo crianças, às vezes causando subnutrição. As doenças causadas por parasitas podem ser difíceis de diagnosticar, em parte por causa do elevado custo de um microscópio convencional, estimado em cerca de US$ 200, afirmam os pesquisadores.
  • 16. ESSE É UM TEXTO NÃO LITERÁRIO, POIS, ELE NÃO PASSA SENTIMENTO ALGUM AO LEITO E SIM TEM A FUNÇÃO DE INFORMAR O LEITOR.  Os textos não literários pretendem informar o leitor de forma direta e objetiva, a partir de uma linguagem denotativa. A função referencial predomina-se nos textos não literários.  Exemplos de textos não literários: notícias e reportagens jornalísticas, textos de livros didáticos de História, Geografia, Ciências, textos científicos em geral, receitas culinárias, bulas de remédio. Entenderam ?
  • 17. EREM-João Bezerra Alunos: Leonardo Ferreira, Vinicius Gonçalves, Felipe Augusto e Beatriz Letícia. Disciplina: Português Professora:Violeta Série:1º Turma: C