Nos domínios da mediunidade aula9

692 visualizações

Publicada em

Curso sobre o Livro ; Nos domínios da Mediunidade, espírito André Luiz pelo médium Chico Xavier.
Curso no Grupo Espírita Lamartine Palhano Jr, Em Vitória no ES - por Leonardo Pereira.

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
692
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
47
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nos domínios da mediunidade aula9

  1. 1. NOS DOMÍNIOS DA MEDIUNIDADE LEONARDO PEREIRA POSSESSÃO (Estudo 9 de 30)
  2. 2. NOS DOMÍNIOS DA MEDIUNIDADE LEONARDO PEREIRA QUESTÕES PARA ESTUDO
  3. 3. 1) Todo aquele que sofre uma possessão é um médium?
  4. 4. 2) Qualquer encarnado pode sofrer uma possessão ?
  5. 5. 3) Por quê a magnetização do encarnado em tratamento auxilia o obsessor ?
  6. 6. 4) Toda mediunidade se aflora sempre para o trabalho?
  7. 7. 5) Como devemos trabalhar a obsessão e a possessão em médiuns?
  8. 8. NOS DOMÍNIOS DA MEDIUNIDADE LEONARDO PEREIRA POSSESSÃO (Estudo 9 de 30)
  9. 9. T R E C H O S D O C A P Í T U L O. ...Permanecia o cavalheiro plenamente ligado ao algoz que o tomara de inópino. O Córtex cerebral apresentava-se envolvido de escura massa fluídica.
  10. 10. Reconhecíamos no moço incapacidade de qualquer domínio sobre si mesmo. -- É a possessão completa ou a epilepsia essencial...
  11. 11. • -- Apesar da carga doentia que suporta na atualidade, devemos aceitar o nosso Pedro na categoria de médium? • -- Perguntou Hilário, atencioso.
  12. 12. • -- Pela passividade com que reflete o inimigo desencarnado, será justo tê-lo nessa conta, contudo, precisamos considerar que, antes de ser um médium na acepção comum do termo, é um Espírito endividado a redimir-se.
  13. 13. • -- Mas não poderá cogitar do próprio desenvolvimento psíquico?
  14. 14. • ...-- Desenvolver, em boa sinonímia, quer dizer “retirar do invólucro” “fazer progredir” ou “produzir”. • Assim compreendendo, é razoável que Pedro, antes de tudo, desenvolva recursos pessoais no próprio reajuste. ...
  15. 15. • -- Aparelhos mediúnicos valiosos naturalmente não se improvisam. • Como todas as edificações preciosas, reclamam esforço, sacrifício, coragem, tempo... • E sem amor e devotamento, não será possível a criação de grupos e instrumentos louváveis, nas tarefas de intercâmbio.
  16. 16. NOS DOMÍNIOS DA MEDIUNIDADE LEONARDO PEREIRA QUESTÕES PARA ESTUDO
  17. 17. 1) Todo aquele que sofre uma possessão é um médium? Em sentido amplo, todos somos médiuns, pois, como definiu Kardec no Livro dos Médiuns, "todo aquele que sente, num grau qualquer, a influência dos Espíritos é, por esse fato, médium". Esta, portanto, é uma faculdade inerente ao ser humano, pelo que, pode-se dizer, todos são, mais ou menos, médiuns. Há pessoas, no entanto, em que esta faculdade se mostra bem caracterizada e se manifesta de forma mais intensa, produzindo efeitos mais claramente identificados. São estes que usualmente se denominam médiuns.
  18. 18. • A possessão, como uma influência espiritual negativa mais grave que a obsessão, manifesta-se quando duas mentes em desequilíbrio se imantam pela força do ódio recíproco e passam a atuar como se fossem uma só. • O transe mediúnico, quando isto acontece, está caracterizado, como esclarece a André Luiz o instrutor Áulus.
  19. 19. 2) Qualquer encarnado pode sofrer uma possessão ? Assim como ocorre nos casos de obsessão, qualquer encarnado, desde que permita os vínculos de sintonia que o liguem ao espírito Obsessor, pode ser vítima de uma possessão.
  20. 20. 3) Por quê a magnetização do encarnado em tratamento auxilia o obsessor ? Conforme explicou o instrutor Áulus, "salutares e renovadores pensamentos assimilados pela dupla de sofredores em foco expressam melhoria e recuperação para ambos, porque, na imantação recíproca em que se vêem as idéias de um reagem sobre o outro, determinando alterações radicais." Assim, a atuação magnética aplicada ao encarnado aproveita ao possuidor, operando em ambos os seus efeitos.
  21. 21. 4) Toda mediunidade se aflora sempre para o trabalho? "Aparelhos mediúnicos valiosos naturalmente não se improvisam", explicou Áulus. A mediunidade é resultado de uma construção do espírito imortal ao longo de sua existência, com esforço e sacrifício. Vindo à carne, o espírito dotado dessa faculdade tem o livre-arbítrio para decidir o rumo que a ela dará.
  22. 22. • Uns a utilizam para satisfazer seu orgulho, sua vaidade ou, até mesmo, suas necessidades materiais. Outros, mais moralizados, empregam-na no trabalho em favor do bem e do próximo necessitado. É a chamada "mediunidade com Jesus". Para tanto, o médium deve se encontrar livre de qualquer vínculo de compromisso com débitos adquiridos no passado.
  23. 23. 5) Como devemos trabalhar a obsessão e a possessão em médiuns? Tratando do tema em "A Gênese", Allan Kardec recomenda que os casos de obsessão devem ser tratados mediante a substituição do fluido pernicioso, oriundo do obsessor, com que se acha impregnada a vítima, por fluido sadio, que repelirá o fluido malsão, substituindo-o. É uma ação idêntica à utilizada pelos médiuns curadores. Além dessa ação magnetizadora, Kardec recomenda, também, que se atue sobre o obsessor através da doutrinação, feita com firmeza e autoridade moral, buscando convencê-lo a renunciar aos seus maus desígnios.
  24. 24. • No caso de possessão, o trabalho deve ser no mesmo sentido, acrescido, em ambas as hipóteses, da transformação moral da vítima e do recurso da prece, que ajudará a ambos: ao obsessor e ao obsedado, a compreender a necessidade de abandonar seus objetivos maléficos; ao obsedado ou possuído, a proceder a sua reforma íntima.
  25. 25. Bons estudos e iluminadas reflexões!

×