Na luz da indulgência

722 visualizações

Publicada em

do livro da esperança de Emmanuel por Chico Xavier, palestra feita em Jacaraipe no Lar Evangélico.

Publicada em: Espiritual
  • Seja o primeiro a comentar

Na luz da indulgência

  1. 1. Na Luz da Indulgência Livro da Esperança Psicografia Francisco Cândido Xavier – Espírito Emmanuel “ Leonardo Pereira
  2. 2. “E se ao que quiser pleitear contigo tirar-te o vestido, larga-lhe também a capa. JESUS - MATEUS,5: 40.
  3. 3. “Sede indulgentes com as faltas alheias, quaisquer que elas sejam; não julgueis com severidade senão as vossas próprias ações e o Senhor usará da Indulgência convosco, como de indulgência houverdes usado para com os outros.” - Cap.10,17.
  4. 4. indulgência 1.disposição para perdoar culpas ou erros; clemência, misericórdia. 2.absolvição de pena, ofensa ou dívida; desculpa, perdão
  5. 5. “E se ao que quiser pleitear contigo tirar-te o vestido, larga-lhe também a capa”.
  6. 6. e se alguém te obrigar a ir carregado mil passos, vai com ele ainda mais outros dois mil. Dá a quem te pede, e não volte às costas ao que deseja que lhe emprestes.
  7. 7. Temos que aceitar tudo que fizerem contra nós?
  8. 8. Todos nós, espíritos imperfeitos, ainda arraigados `a evolução da Terra, reclamamos concurso e compaixão uns dos outros, mas nem sempre sabemos por nos mesmos, quando surgimos necessitados de semelhantes recursos.
  9. 9. O próprio instinto de conservação, que é uma lei da natureza, nos diz que não devemos entregar de boa-vontade o pescoço ao assassino. Por essas palavras, Jesus não proibiu a defesa, mas condenou a vingança.
  10. 10. Qual o Caminho?
  11. 11. - Não se vingar – Não desejar o mal – Não Retribuir na mesma moeda 11
  12. 12. Cada ato de agressividade que ocorre neste mundo, tem como origem básica uma criatura que ainda não aprendeu a amar. (Hammed)
  13. 13. Anseias pela vitória do bem, contudo, acende a luz da indulgência para faze-lo com segurança.
  14. 14. Em muitas circunstâncias, estamos cegos da reflexão, surdos do entendimento, paralíticos da sensibilidade e anestesiados na memória sem perceber.
  15. 15. 0 irmão da luta de ontem mostra-se hoje em plena abastança material, delirando na ambição desenfreada. Certo, aspiras a vê-lo recambiado ao próprio equilíbrio, a fim de que o dinheiro lhe sirva de instrumento à, felicidade, no entanto, para isso, não comeces por censurar-lhe o procedimento- Usa a indulgência e renova-lhe o modo, de pensar e de ser.
  16. 16. 0 amigo escalou a evidência pública, fazendo-se verdugo em nome da autoridade. Queres garantir-lhe o reajuste para que o poder se lhe erija, em caminho de paz, entretanto, não te dês a isso, exibindo atitude condenatória. Usa a clareando-lhe o raciocínio.
  17. 17. A jovem do teu convívio embriagou-se na ilusão, caindo em sucessivos abusos, a pretexto de mocidade. Justo suspires por reintegrá-la no harmonioso desenvolvimento das próprias faculdades situando-a no rumo das experiências ,de natureza superior, todavia, por ajudá-la, não lhe reproves os sonhos. Usa a indulgência e ampara-lhe a meninice.
  18. 18. 0 companheiro em provas amargas escorregou no desânimo e tombou em desespero. Claro que anelas para ele o retorno a tranquilidade, no entanto, não te entregues às criticas que lhe agravariam a irritação. Usa a indulgência e oferece-lhe apoio.
  19. 19. 0 Próprio Criador espera as criaturas, no transcurso do tempo tolerando-lhes as faltas, e encorajando-lhes as esperanças, embora lhes corrija todos os erros, através de leis eficientes e claras.
  20. 20. Lei de ação e Reação
  21. 21. Livre arbítrio Inteligência Razão Resposta determinista
  22. 22. Indiscutivelmente, ninguém constrói nada de bom, sem responsabilidade e disciplina, advertência e firmeza, mas é imperioso considerar que toda boa obra roga auxílio a fim de aperfeiçoar-se.
  23. 23. Pensa no bem e faze o bem, contudo, é preciso recordar que o bem exigido pela força da violência gera males inúmeros em torno e desaparece da área luminosa do bem para converter-se no mal maior.
  24. 24. Qual a importância do perdão em nossas vidas?
  25. 25. PAZ INTERIOR LIBERTAÇÃO DA DOR CAPACITAÇÃO INTIMA CURA DAS FERIDAS CRESCIMENTO ESPIRITUAL
  26. 26. Perdoa-se pessoas e não atos.
  27. 27. O que é preciso para perdoar?
  28. 28. Entrar em contato com a dor, sem medo. Identificar sentimento. Conscientização. Não procurar culpados. Oração. Aprendizado.
  29. 29. Por que na maioria das vezes não conseguimos perdoar?
  30. 30. Mecanismos de Defesa para não perdoar!
  31. 31. Resistências Racionais:
  32. 32. Negação. Esquecer. Arranjar desculpas. Perdão superficial.
  33. 33. Resistências Emocionais:
  34. 34. Humilhação Vergonha Impotência Medo/Rejeição Culpa Depressão
  35. 35. FALSAS CONCEPÇÕES DO PERDÃO.
  36. 36. Apatia com erros alheios. Fingir que nada acontece. Apoio a comportamentos inadequados. Conivência com o erro. Passividade frente as agressões. Desrespeito aos direitos.
  37. 37. Pronto para perdoar? E ai? Posso parar?
  38. 38. Recusa ao perdão!
  39. 39. Perpetuação do mal. Ressentimento permanente. Estagnação no passado. Vontade de vingança.
  40. 40. Em que consiste o ato de perdoar?
  41. 41. Decisão de não se vingar. Reavaliação das situações. Novas perspectivas da relação humana. Valorização da dignidade do ofensor. É reflexo da misericórdia divina.
  42. 42. Uma linda noite e uma Feliz Semana!

×