Atravessando a Crise Mundial

1.927 visualizações

Publicada em

Ministro Guido Mantega

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.927
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Atravessando a Crise Mundial

  1. 1. Ministério da Fazenda 1 Atravessando a Crise Mundial LIDE Ministro Guido Mantega Fevereiro de 2009 1
  2. 2. Ministério da Fazenda 2 Agravamento da Crise Mundial Crise Financeira externa não foi suficientemente  equacionada Recessão global vai tomando corpo nos países  avançados e emergentes são afetados Brasil reúne condições mais favoráveis que a  maioria dos países para enfrentar crise Medidas do governo atenuam os impactos e  permitirão uma saída mais favorável para o Brasil Reação conjunta sociedade e governo poderá  superar a crise mais facilmente 2
  3. 3. Ministério da Fazenda 3 Crise financeira provoca enorme desvalorização dos ativos bancários 255 19 Citigroup 97 HSBC 215 85 JP Morgan 165 5 RBS 120 64 Santander 116 20/jan/09 35 2T07 UBS 116 35 Goldman Sachs 100 7 Barclays 91 10 Deutsche Bank Valor de mercado em US$ bi 76 Fonte: www.portfolio.com 16 Morgan Stanley 49 3
  4. 4. Ministério da Fazenda 4 Redução da produção industrial e do comércio mundial 4
  5. 5. Ministério da Fazenda 5 Redução acentuada do PIB Mundial PIB (em %) 10 Mundo Desenvolvidos 8 Emergentes e em Desenvolvimento 6 5,0 3,3 4 3,0 2 0,5 1,1 0 -2,0 -2 -4 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009* 2010* Fonte: FMI (WEO) Elaboração: MF/SPE 5
  6. 6. Ministério da Fazenda 6 Crise mundial – Impacto menor no mercado interno brasileiro de autoveículos (Em mil unidades) País Janeiro/09 Janeiro/08 Variação % Estados Unidos 655,2 1.039,1 - 36,9% (Veículos leves) Japão 301,7 376,6 - 19,9% Alemanha 189,4 220,4 - 14,1% (Automóveis) França 178,1 199,6 - 10,8% (Automóveis e com. leves) Itália 157,4 233,7 - 32,6% (Automóveis) Espanha 59,4 101,6 - 41,6% (Automóveis) Argentina 33,7 55,2 - 38,9% México 69,7 96,8 - 28,0% (Veículos leves) Brasil 197 215 - 8,1% 6 Fontes: VDA, CCFA, Anfac, Adefa, Amia, Ward’s AutoInfoBank, AutoNews Reuters/Japan Automobile Dealers Association
  7. 7. Ministério da Fazenda 7 A crise e a Economia Brasileira Problemas a serem resolvidos  Restrição do crédito e custo financeiro  Queda da demanda de setores da economia  Saída de capitais e redução do saldo em conta  corrente Queda na confiança  Redução do comércio exterior  7
  8. 8. Ministério da Fazenda 8 CONCESSÕES DE CRÉDITO (Recursos Livres) média diária (set/2008 = 100) PJ PF TOTAL set/08 100,0 100,0 100,0 out/08 92,9 92,2 92,7 nov/08 96,0 97,7 96,6 dez/08 102,0 99,0 101,0 jan/09 * 100,5 101,4 101,1 */ dados preliminares – até o dia 15 de janeiro Fonte: BCB 8
  9. 9. Ministério da Fazenda 9 JUROS E SPREADS BANCÁRIOS O spread médio atingiu 30,6pp, em dez/08, enquanto que a taxa de juros 43,2%, uma variação frente a dez/07 de, respectivamente, 8,3 pp e 27,81%. %aa pp 45 35 Juros (E) Spreads (D) 40 30 35 25 30 20 abr jun ago out dez fev abr jun ago out dez fev abr jun ago out dez 06 06 06 06 06 07 07 07 07 07 07 08 08 08 08 08 08 9 Fonte: BCB. Elaboração: MF/SPE
  10. 10. Ministério da Fazenda 10 Volume de Vendas do Comércio Varejista (var.% acumulada nos últimos 12 meses) 16 PMC PMC Ampliada* 14 12 10,9 10 9,8 8 6 4 2 nov jan mar mai jul set nov jan mar mai jul set nov 06 07 07 07 07 07 07 08 08 08 08 08 08 (*) inclui veículos, motos, partes e peças e materiais de construção. 10 Fonte: IBGE. Elaboração: MF/SPE
  11. 11. Ministério da Fazenda 11 SALDO EM TRANSAÇÕES CORRENTES (Valores acumulados em 12 meses) % do PIB 6 TRANSAÇÕES CORRENTES 4 Balança comercial (FOB) 2 0 -2 -4 -6 dez dez dez dez dez dez dez dez dez dez dez dez dez 96 97 98 99 00 01 02 03 04 05 06 07 08 Fonte: BCB Elaboração: MF/SPE. 11
  12. 12. Ministério da Fazenda 12 Brasil é Menos Atingido Crescimento mais robusto: PAC   mais investimentos  aumento do mercado interno  expansão da renda Robustez fiscal: maiores superávits, melhor  composição da dívida e controle inflacionário Sistema financeiro sólido e menor  alavancagem (volume de crédito, endividamento) 12
  13. 13. Ministério da Fazenda 13 Brasil é menos atingido Regulação financeira e do mercado futuro  Bancos públicos  Reservas elevadas em reais: set/08 R$ 272 bi de  compulsório Reservas internacionais: aproximadamente  US$200 bi Menor vulnerabilidade externa e cambio flutuante  Elevação do Investimento Externo Direto  Confiança no Brasil: Risco Brasil  13
  14. 14. Ministério da Fazenda 14 Res. Primário e Nominal do Setor Público (% PIB em 12 meses ) 6,00% 4,56% 4,18% 4,35% 4,07% 3,89% 3,80% 3,91% 3,35% 3,55% 4,00% 2,92% 3,24% 2,00% 0,01% 0,00% % do PIB -1,53%-1,04% -2,00% -2,23% -2,43% -2,96% -2,95% -3,37% -3,29% -4,00% -4,17% -4,65% -5,28% -6,00% Primário Nominal -6,97% -8,00% 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2008* * Excluindo-se o efeito de integralização de cotas do FFIE pelo FSB. 14 Fonte: BCB Elaboração: MF/STN
  15. 15. Ministério da Fazenda 15 DÍVIDA LÍQUIDA DO SETOR PÚBLICO (% do PIB) 55 52,4 50,5 50 47,0 46,5 44,0 45 42,0 40 36,1 36,0 35 30 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 * */ Projeções de mercado 15 Fonte: BCB Elaboração: MF/SPE
  16. 16. Ministério da Fazenda 16 Investimento Público do Governo Federal e da Petrobrás (% do PIB) 3,0 PAC Petrobrás 2,5 Governo Federal 1,7 2,0 1,3 1,5 0,9 0,8 1,0 0,8 0,8 0,8 1,2 0,5 1,0 0,7 0,6 0,5 0,5 0,3 0,0 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 * */ Projeções. 16 Fontes: MF/STN e MP/DEST. Elaboração: MF/SPE
  17. 17. Ministério da Fazenda 17 Grau de Alavancagem sobre o Patrimônio (índice médio dos 10 maiores bancos*) Os 10 maiores bancos detêm índices de Basiléia muito acima do recomendado tanto internacionalmente (8%), quanto pelo Banco Central do Brasil (11%). 35x 35 30 25 20 12,5x 11x 15 6,5x 10 5 0 Bas ileia BACEN Bancos Lehm an Bras ileiros Brothers */ o índice foi ponderado pelo valor do ativo total das instituições. 17 Fonte: BCB.
  18. 18. Ministério da Fazenda 18 Depósitos Compulsórios (R$ Bilhões) 272 56 219 186 52 71 45 71 64 69 41 42 61 39 13 20 16 15 set/08 out/08 06/Fevereiro/09 18 18 Fonte: Banco Central
  19. 19. Ministério da Fazenda 19 RESERVAS INTERNACIONAIS (US$ bilhões) 230 Jan/09 200,8 210 190 170 150 130 110 Mar/06 90 59,8 70 50 30 jan abr jul out jan abr jul out jan abr jul out jan 06 06 06 06 07 07 07 07 08 08 08 08 09 Fonte: BCB. Elaboração: MF/SPE. 19
  20. 20. Ministério da Fazenda 20 INVESTIMENTO ESTRANGEIRO DIRETO (US$ bilhões) 50 45,1 45 40 34,6 32,8 35 28,6 28,9 30 22,5 25 19,0 18,8 18,1 16,6 20 15,1 15 10,8 10,1 10 4,4 5 0 1 995 1 996 1 997 1 998 1 999 20 0 0 20 1 0 20 2 0 20 3 0 20 4 0 20 5 0 20 6 0 20 7 0 20 8 0 20 Fonte: BCB Elaboração: MF/SPE
  21. 21. 21 EMBI+ e EMBI+ Brasil 0 100 200 300 400 500 600 700 800 900 1000 1-jan-07 1-fev-07 Fonte: JP Morgan 1-mar-07 1-abr-07 1-mai-07 1-jun-07 1-jul-07 Dif. 1-ago-07 1-set-07 1-out-07 Ministério da Fazenda 1-nov-07 1-dez-07 EMBI+ 1-jan-08 1-fev-08 1-mar-08 1-abr-08 Elaboração: MF/SPE 1-mai-08 EMERGENTES 1-jun-08 1-jul-08 EMBI + Brasil 1-ago-08 1-set-08 1-out-08 1-nov-08 1-dez-08 1-jan-09 1-fev-09 RISCO BRASIL DIMINUI E AUMENTA DIFERENCIAL ENTRE DEMAIS 0 50 -50 100 150 200 250 300 RISCO BRASIL X EMERGENTES Dif. 21 21
  22. 22. Ministério da Fazenda 22 Principais medidas de combate a crise Redução de compulsório  Financiamento das exportações e divida externa  Financiamento a agricultura  Incentivo a Construção Civil  Financiamento do Investimento e da Produção  Desonerações e incentivos fiscais  Estímulo para aumento do crédito – redução IOF  22
  23. 23. Ministério da Fazenda 23 Medidas mais recentes Criação da Caixa Banco de Investimento  Compra do Banco Votorantim pelo Banco do Brasil (MP  443) Suspensão da exigência da Certidão Negativa de Débito,  por 6 meses, para empréstimos nos Bancos Públicos Alteração das alíquotas do Imposto de Renda  Redução IPI automóveis  Aporte adicional de R$ 100,0 bi (3,5% do PIB), em 2009,  para o BNDES BNDES com R$ 168 bi e PETROBRAS aumenta programa  de investimentos em R$ 110,6 bi em novos projetos de um total de R$ 340,5 bi 23
  24. 24. Ministério da Fazenda 24 Redução do IRPF Imposto de Renda Pessoa Física - IRPF Faixa de Renda Alíquota Antiga Alíquota Nova Mensal até R$ 1.434,00 0% 0% entre R$ 1.434,00 e 15% 7,5% R$ 2.150,00 entre R$ 2.150,00 e 15% 15% R$ 2.866,00 entre R$ 2.866,00 e 27,5% 22,5% R$ 3.582,00 a partir de R$ 27,5% 27,5% 3.582,00 24
  25. 25. Ministério da Fazenda 25 Redução do IPI automóveis Redução do IPI - Automóveis Cilindradas Gasolina Álcool/Flex 1.000 Cai de 7,0% para Cai de 7,0% para zero zero De 1.000 a 2.000 Cai de 13,0% para Cai de 11,0% para 6,5% 5,5% + de 2.000 Manutenção em Manutenção em 25,0% 18,0% 25
  26. 26. Ministério da Fazenda 26 Elevação do Desembolso do BNDES 91 26
  27. 27. Ministério da Fazenda 27 Investimentos da PETROBRAS aumentam Investimentos (US$ bilhões) Segmento de negócio 2008-2012 2009-2013 Diferença(%)         Exploração e Produção 65,1 104,6 61% Abastecimento (RCT) 29,6 43,4 47% Gás e Energia 6,7 11,8 76% Petroquímica 4,3 5,6 30% Distribuição 2,6 3 15% Biocombustível 1,5 2,8 87% Coorporativo 2,5 3,2 28% Total 112,4 174,4 55% 27
  28. 28. Ministério da Fazenda 28 ATIVIDADE NO INÍCIO DE 2009 28
  29. 29. Ministério da Fazenda 29 TAXAS INTERNACIONAIS DE JUROS (%aa) 7 Fed Fund 6 Libor (em US$) - 3 meses 5 4 3 2 1 0 fev abr jun ago out dez fev abr jun ago out dez fev 07 07 07 07 07 07 08 08 08 08 08 08 09 29 Fonte: Fed e Reuters Elaboração: MF/SPE
  30. 30. 30 28.000 33.000 38.000 43.000 48.000 53.000 58.000 63.000 68.000 73.000 78.000 1/1/08 13/1/08 Fonte: Bovespa 25/1/08 6/2/08 18/2/08 1/3/08 */ Posição em 12/02/2009. 13/3/08 25/3/08 6/4/08 18/4/08 30/4/08 12/5/08 Ministério da Fazenda 24/5/08 5/6/08 73.517 17/6/08 29/6/08 Elaboração: MF/SPE. 11/7/08 23/7/08 4/8/08 16/8/08 28/8/08 9/9/08 21/9/08 (Dados diários – em pontos) ÍNDICE BOVESPA 3/10/08 53.055 15/10/08 27/10/08 8/11/08 29.435 20/11/08 2/12/08 14/12/08 26/12/08 7/1/09 19/1/09 31/1/09 40.688 12/2/09 30
  31. 31. Ministério da Fazenda 31 COMPORTAMENTO DAS COMMODITIES 500 ÍNDICE CRB SPOT 450 400 350 300 250 fev abr jun ago out dez fev abr jun ago out dez fev 07 07 07 07 07 07 08 08 08 08 08 08 09 31 Fonte: Reuters Elaboração: MF/SPE
  32. 32. Ministério da Fazenda 32 MELHORIA NO DESEMPENHO DO SETOR AUTOMOBILÍSTICO (Em milhares de automóveis) 350 300 250 200 197,5 186,1 150 Produção Licenciamento 100 50 jan/08 mar/08 mai/08 jul/08 set/08 nov/08 jan/09 Fonte: Anfavea Elaboração: MF/SPE. 32
  33. 33. Ministério da Fazenda 33 SINALIZADOR DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL * var.% sobre o mês anterior – previsão 10,0 5,7 5,0 0,0 -5,0 -10,0 -15,0 set out nov dez jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez jan 07 07 07 07 08 08 08 08 08 08 08 08 08 08 08 08 09 */ Indicador mensal que antecipa tendências da atividade industrial no estado de São Paulo. 33 Fontes: FGV e AES Eletropaulo. Elaboração: MF/SPE.
  34. 34. Ministério da Fazenda 34 ÍNDICE DE CONFIANÇA DO CONSUMIDOR 155 149 150 147 148 148 145 143 143 140 140 139 140 137 137 135 134 135 133 133 132 132 130130 131 128 128 130 127 127 124 125 120 115 110 fev abr jun ago out dez fev abr jun ago out dez fev 07 07 07 07 07 07 08 08 08 08 08 08 09 34 Fonte: Fecomércio Elaboração: MF/SPE
  35. 35. Ministério da Fazenda 35 Ação contra a crise Maior ação do Estado   Ação conjunta Estado e setor privado  Mobilização geral contra a crise  Escapar da armadilha da parcimônia  Combater o medo do consumidor e alarmismo  Diferenciar com clareza situação do Brasil dos demais países  Transformar a crise em oportunidade 35
  36. 36. Ministério da Fazenda 36 36

×