Hardware e software

369 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Hardware e software

  1. 1.  Hardware vs software  Tipos de software  Hardware de entrada(input)e/ou saída (output)de dados e hardware de armazenamento de dados  Tipos de memorias. Memorias principais e secundarias  Arquitectura de um computador/Como é feito um computador
  2. 2.  Hardware é melhor descrito como um dispositivo que está fisicamente conectado ao computador ou algo que pode ser tocado fisicamente. Um CD -ROM , monitor, impressora e placa de vídeo são exemplos de hardware do computador. Sem qualquer hardware do computador não existiria e software não teria nada a correr. É a parte física de um computador , incluindo os circuitos digitais , como distinguido do software de computador que executa dentro do hardware.
  3. 3.  Entrada/saída, sigla E/S (em inglês: Input/output, sigla I/O) é um termo utilizado quase que exclusivamente no ramo da computação (ou informática), indicando entrada (inserção) de dados por meio de algum código ou programa, para algum outro programa ou hardware, bem como a sua saída (obtenção de dados) ou retorno de dados, como resultado de alguma operação de algum programa, consequentemente resultado de alguma entrada. São exemplos de unidades de entrada de um computador: disco rígido, microfone, teclado, mouse, tela sensível ao toque, Scanner, Leitor de código de barras, Celular, pen-drives, Máquina fotográfica digital, Webcam, joysticks outros acessórios de jogos. São exemplos de unidades de saída de um computador: monitor, caixas de som, impressora. Algumas unidades são de entrada e saída de dados ou também chamados Dispositivos Híbridos: disco rígido, disco flexível ou disquete, monitor sensível a toques, pen-drives, joystick vibratório e impressora. As interfaces de entrada e saída são responsáveis pela conexão entre as várias partes de um sistema computacional baseado na arquitetura de Von-Neumann. Esta interface é responsável por conectar fisicamente o processador e a memória do sistema ao barramento, tornando-se o terceiro elemento do sistema computacional proposto, foi uma grande revolução no mundo da informática, pois facilita a vida de muitas pessoas. Ao contrário do que se pode pensar a interface de entrada e saída não é só o conector físico e sim também o responsável pela comunicação lógica entre o barramento e o dispositivo. Essa função de conexão foi basicamente desenvolvida para que seja possível a comunicação entre vários dispositivos, fazendo com que a velocidade do barramento seja mais bem aproveitada e ainda tanto os periféricos quanto os elementos essenciais tenham programação/produção mais voltada ao seu desempenho, deixando a interconexão com as interfaces de entrada e saída.
  4. 4.  Software é um termo geral usado para descrever uma colecção de programas de computador , procedimentos e documentação que executar alguma tarefa em um sistema de computador. Sistemas computacionais práticos dividir sistemas de software em três classes principais: software de sistema , software de programação e software de aplicação, embora a distinção é arbitrária e, muitas vezes turva. Software é uma sequência ordenada de instruções para alterar o estado do hardware do computador em uma determinada sequência . Normalmente é escrito em linguagens de programação de alto nível que são mais fáceis e mais eficiente para os seres humanos de usar ( mais próximas da linguagem natural) do que em linguagem de máquina . Linguagens de alto nível são compilados ou interpretados em código objecto em linguagem de máquina . Software também pode ser escrito em uma linguagem de montagem , essencialmente , uma representação mnemónica de uma linguagem de máquina, utilizando um alfabeto linguagem natural.
  5. 5.  Software de sistema é um termo genérico referente aos programas de computador usados para iniciar e executar redes e sistemas de computador. Software de sistema contrasta com (2) Software aplicativo que é a designação geral de programas de computador para realizar tarefas do utilizador. Software aplicativo podem possuir propósito geral (processamento de textos, navegadores de rede ...) ou específico (contabilidade, controle de carga, ...) e (3) ferramentas de programação, como compiladores e ligadores, utilizados para traduzir e combinar código-fonte e bibliotecas em programas executáveis (programas que vão pertencer a uma destas categorias).
  6. 6.  Software aplicativo (aplicativo ou aplicação) é um programa de computador que tem por objetivo ajudar o seu usuário a desempenhar uma tarefa específica, em geral ligada a processamento de dados. Sua natureza é diferente de outros tipos de software, como sistemas operacionais e ferramentas a eles ligadas, jogos e outros softwares lúdicos.
  7. 7.  A memória primária, também conhecida como memória principal, às vezes, é alvo de perguntas de provas de concursos públicos. Mas, então, qual o conceito da memória primária? Memória primária também é chamada de memória real, trata-se dos tipos de memória que o processador pode endereçar diretamente, sem as quais o computador não pode funcionar. Estas fornecem geralmente uma ponte para as secundárias, mas a sua função principal é a de conter a informação necessária para o processador num determinado momento; esta informação pode ser, por exemplo, os programas em execução. Nesta categoria insere-se a memória RAM (volátil), memória ROM (não volátil), registadores e memórias cache. A memória secundária é do tipo que não podem ser endereçada diretamente pela CPU, os dados precisam ser carregados na memória principal antes de eles serem tratados pelo processador. Não são estritamente necessárias para a operação do computador. São geralmente não-voláteis, permitindo guardar os dados permanentemente. Incluem-se, nesta categoria, os discos rígidos, CDs, DVDs e disquetes.
  8. 8.  A evolução da informática foi caracterizada pelo desenvolvimento de computadores com características as mais diversas, traduzidas pelos diferentes parâmetros, cada vez mais conhecidos da maioria de usuários de computador: a CPU adoptada, a capacidade de memória, a capacidade do disco rígido, a existência de memória cache e outros menos conhecidos. A definição destes parâmetros e a forma como os diversos componentes de um computador são organizados, define aquilo que é conhecido por arquitetura de computador e vai determinar aspectos relacionados à qualidade, ao desempenho e à aplicação para a qual o computador vai ser orientado. Existem vários modos de uso do termo, que podem ser usados referindo-se a: O desenho da arquitetura da CPU do computador, o seu conjunto de instruções, "addressing modes" e técnicas, tais como paralelismo SIMD e MIMD. Arquitecturas de hardware mais generalizadas, tais como computação em cluster e arquitecturas NUMA (acesso não-uniforme à memória). A utilização menos formal do termo refere-se a uma descrição dos requisitos (especialmente requisitos de velocidades e interligação) ou implementação do design para as várias partes de um computador, tais como memória, placa-mãe, periféricos electrónicos ou, mais frequentemente, CPU. A arquitetura é frequentemente definida como o conjunto de atributos da máquina que um programador deve compreender para que consiga programar o computador específico com sucesso, ou seja, para que consiga compreender o que o programa irá fazer aquando da sua execução. Por exemplo, parte da arquitetura são as instruções e o raio de operadores manipulados por elas. De uma maneira semelhante, a frequência em que o sistema opera não é incluída na arquitetura. Esta definição revela as duas principais considerações dos arquitectos de computadores: (1)desenhar hardware que se comporta como o programador pensa que se irá comportar, (2)utilizar implementações existentes de tecnologias (por exemplo, semicondutores) para construir o melhor computador possível. A 2ª consideração é frequentemente referida como a microarquitetura.

×