IRA neonatal

8.501 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.501
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
26
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
188
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • IRA neonatal

    1. 1. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS EM RECÉM-NASCIDOS Leonardo Cavadas Soares PUC - PR
    2. 2. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    3. 3. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    4. 4. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    5. 5. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    6. 7. SÍNDROME DE ANGUSTIA RESPIRATÓRIA DO RECÉM NASCIDO EXPRESSÃO CLÍNICA DA INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA EM RECÉM NASCIDO DECORRENTE DE IMATURIDADE PULMONAR PODE VIR ACOMPANHADA DE COMPLICAÇÕES PCA, HPPRM, HIV, DBP INCIDÊNCIA E GRAVIDADE LINEARMENTE INVERSAMENTE PROPORCIONAL A IDADE GESTACIONAL E PESO DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    7. 8. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO 56 1250 - 1500 68 83 85 RISCO DE DMH (%) 1000 - 1250 750 - 1000 500 - 750
    8. 9. FATOR DE RISCO Prematuridade Trabalho de parto prematuro – DMH DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    9. 10. FATORES DE PROTEÇÃO Estresse intrauterino Insuficiência placentária Sofrimento fetal crônico - asfixia DHEG Crescimento intrauterino retardado – CIUR Uso antenatal de corticosteróides DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    10. 14. P=2y/R
    11. 15. <ul><li>FISIOPATOLOGIA </li></ul><ul><li>Insuficiente SURFACTANTE produzido por pneumócitos II </li></ul><ul><ul><li>Instabilidade alveolar com tendência ao colapso em expiração </li></ul></ul><ul><ul><li>Extravasamento de líquido ao alvéolo </li></ul></ul><ul><ul><li>Hipoventilação alveolar </li></ul></ul><ul><ul><li>Shunts intrapulmonares </li></ul></ul><ul><ul><li>Hipoxemia, hipercapnia </li></ul></ul>DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    12. 16. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    13. 17. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    14. 18. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    15. 19. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    16. 20. QUADRO CLÍNICO Estigmas de prematuridade Taquipnéia Esforço respiratório Cianose Hipoventilação DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    17. 21. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    18. 22. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    19. 23. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    20. 24. PREVENÇÃO Pré-natal completo – evitar PMT CTC – situações de risco de TPP / RPMO < 32 sem Betametasona 12 mg IM 12/12 hs x 4 (24/24 hs x 2) DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    21. 25. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    22. 26. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    23. 27. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    24. 28. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    25. 29. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO VM – Indicações clínicas: Hérnia diafragmática Esforço respiratório grave Apnéia recorrente ( > 2/h) Distúrbio hemodinâmico grave Asfixia grave Apnéia por distúrbio neuro-muscular congênito Uso de drogas depressoras de SNC
    26. 30. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO VM – gasométricas: pO2 < 50 mmHg SO2 < 86% pCO2 > 60 mmHg FiO2 > 60-80% CPAP 5-6 cm H2O Acidose metabólica pH < 7,20 (< 6h) pH < 7,25 (> 6h)
    27. 31. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO USO DE SURFACTANTE EXÓGENO: Diminui tensão superficial alveolar Mantém estabilidade alveolar
    28. 32. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO USO DE SURFACTANTE EXÓGENO: PROFILÁTICO RESGATE
    29. 33. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO USO DE SURFACTANTE EXÓGENO: DISTRESS RESPIRATÓRIO GRAVE EM PRIM 48 HS ADMINISTRAÇÃO ASSIM QUE DIAGNÓSTICO O USO DE SURFACTANTE É SEGURO É UM A TERAPIA DE ALTO CUSTO
    30. 34. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    31. 35. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    32. 36. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    33. 37. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    34. 38. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    35. 39. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    36. 40. HIPERTENSÃO ARTERIAL PULMONAR Tratamento – ( não farmacológico) : Repouso Ambiente humanizado Minimização de estímulo visual, tátil e sonoro Aspiração de CET somente quando necessário DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    37. 41. HIPERTENSÃO ARTERIAL PULMONAR Tratamento – ( farmacológico) : Alcalinização com uso de HCO3 Ventilação convencional – evitar hiperventilação Sedação e Analgesia Inotrópicos Vasodilatadores Óxido Nítrico DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    38. 42. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO
    39. 43. DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO RECÉM-NASCIDO

    ×