D arte 03

1.611 visualizações

Publicada em

Aula 3 de Direção de Arte - Uninove - 5o. Semestre

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.611
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
59
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

D arte 03

  1. 1. Direção de Arte Prof. Lelo Brito - 5º semestre - quarta-feira, 2 de outubro de 13
  2. 2. Elementos individuais da linguagem visual • Ponto; • Linha; • Forma; • Direção; • Tom; • Cor; • Textura; • Escala; • Dimensão; • Movimento. quarta-feira, 2 de outubro de 13
  3. 3. PONTO quarta-feira, 2 de outubro de 13
  4. 4. Ponto • Unidade de comunicação visual mais simples e irredutivelmente mínima; • Tem grande poder de atração visual sobre o olho: quarta-feira, 2 de outubro de 13
  5. 5. Ponto • Dois pontos são instrumentos úteis para medir um espaço ou no desenvolvimento de qualquer tipo de projeto visual: quarta-feira, 2 de outubro de 13
  6. 6. Ponto • Dois pontos são instrumentos úteis para medir um espaço ou no desenvolvimento de qualquer tipo de projeto visual: quarta-feira, 2 de outubro de 13
  7. 7. Ponto • Dois pontos são instrumentos úteis para medir um espaço ou no desenvolvimento de qualquer tipo de projeto visual: quarta-feira, 2 de outubro de 13
  8. 8. Ponto • Quando vistos, os pontos se ligam, sendo capazes de dirigir o olhar: quarta-feira, 2 de outubro de 13
  9. 9. Ponto • Quanto mais juntos, mais intensa é a capacidade de conduzir o olhar: quarta-feira, 2 de outubro de 13
  10. 10. Ponto • Em grande número e justapostos, criam ilusão de tom ou de cor: quarta-feira, 2 de outubro de 13
  11. 11. LINHA quarta-feira, 2 de outubro de 13
  12. 12. Linha • Uma cadeia de pontos, ou mesmo dois pontos próximos, nos faz identificá-los como um outro elemento: a linha; • É comum, também, definir a linha como um ponto em movimento. quarta-feira, 2 de outubro de 13
  13. 13. Linha • Uma cadeia de pontos, ou mesmo dois pontos próximos, nos faz identificá-los como um outro elemento: a linha; • É comum, também, definir a linha como um ponto em movimento. quarta-feira, 2 de outubro de 13
  14. 14. Linha • Nunca é estática; • Elemento de pré-visualização quarta-feira, 2 de outubro de 13
  15. 15. FORMA quarta-feira, 2 de outubro de 13
  16. 16. Forma • A linha sempre vai descrever uma forma; • Ela também articula a complexidade da forma; • Três formas básicas, com características específicas; • A cada uma delas atribui-se uma série de significados, seja por associação, por vinculação arbitrária ou mesmo por nossas próprias percepções (psico ou fisiológicas): quarta-feira, 2 de outubro de 13
  17. 17. Formas Infinitude Calidez Proteção Enfado Honestidade Retidão Esmero Ação Conflito Tensão quarta-feira, 2 de outubro de 13
  18. 18. Forma • Todas as formas básicas são figuras planas e simples, fundamentais; • Facilmente descritas e construídas (visual ou verbalmente); • Combinadas, podem resultar em variações infinitas: quarta-feira, 2 de outubro de 13
  19. 19. DIREÇÃO quarta-feira, 2 de outubro de 13
  20. 20. Direção • As formas básicas expressam três direções visuais básicas: Circular Horizontal e Vertical Diagonal quarta-feira, 2 de outubro de 13
  21. 21. TOM quarta-feira, 2 de outubro de 13
  22. 22. Tom • Aparecem por meio da justaposição; • Intensidade de obscuridade ou claridade; • Presença ou ausência relativa de luz; • Vemos o que é escuro porque está próximo ou se sobrepõe ao claro, e vice-versa: quarta-feira, 2 de outubro de 13
  23. 23. Tom • Da obscuridade à luz há várias graduações: quarta-feira, 2 de outubro de 13
  24. 24. Tom • O tom ajuda na simulação da tridimensionalidade, quando usamos o ponto de fuga ou outras técnicas: quarta-feira, 2 de outubro de 13
  25. 25. COR quarta-feira, 2 de outubro de 13
  26. 26. Cor • Toda cor está impregnada de informação; • Experiências visuais que temos todos em comum; • Significados associativos da cor das árvores, da relva, do céu, da terra etc.; • Vasta categoria de significados simbólicos das cores: quarta-feira, 2 de outubro de 13
  27. 27. Cor • Raiva; • Perigo; • Amor; • Calor; • Vida; VEMELHO EXEMPLO: quarta-feira, 2 de outubro de 13
  28. 28. Cor • A cor tem 3 dimensões que podem ser definidas e medidas: a. Matiz (ou croma); b. Saturação; c. Brilho. quarta-feira, 2 de outubro de 13
  29. 29. Cor - Matiz • É a cor em si, em número superior a 100; • Grupos ou categorias de cores que compartilham efeitos comuns; • São três matizes primários (ou elementares): amarelo, vermelho e azul; • Cada um representa qualidades fundamentais: quarta-feira, 2 de outubro de 13
  30. 30. Cor - Matiz - Mais próxima da luz e do calor; - Expansão; - Intenso; - Mais ativa e emocional; - Expansão; - Provocador; - Passivo e suave; - Contração; - Brando; Primários quarta-feira, 2 de outubro de 13
  31. 31. Cor - Matiz Círculo Cromático Secundários Secundários Secundários quarta-feira, 2 de outubro de 13
  32. 32. Cor - Saturação • É a pureza relativa de uma cor, do matiz ao cinza; • A cor saturada é simples, quase primitiva; • Composta dos matizes primários e secundários; quarta-feira, 2 de outubro de 13
  33. 33. Cor - Saturação • Cores menos saturadas levam a uma neutralidade cromática, até mesmo à ausência de cor, sendo sutis e repousantes; • Quanto mais saturada (intensa), mais carregada de expressão e emoção; quarta-feira, 2 de outubro de 13
  34. 34. Cor - Saturação MENOS SATURADO "A Aula de Dança" (1873) - Edgar Degas quarta-feira, 2 de outubro de 13
  35. 35. Cor - Saturação MAIS SATURADO "O Abraço" (2006) - Romero Britto quarta-feira, 2 de outubro de 13
  36. 36. Cor - Brilho • É a dimensão acromática da cor; • Vai do claro ao escuro: COM BRILHO SEM BRILHO REDUÇÃO GRADUAL DO BRILHO quarta-feira, 2 de outubro de 13
  37. 37. TEXTURA quarta-feira, 2 de outubro de 13
  38. 38. Textura • Elemento visual que serve de substituto para outro sentido: o tato; • O julgamento do olho costuma ser confirmado pela mão; • É possível apresentar texturas que não apresentem qualidades táteis, mas apenas óticas: quarta-feira, 2 de outubro de 13
  39. 39. Textura quarta-feira, 2 de outubro de 13
  40. 40. Textura quarta-feira, 2 de outubro de 13
  41. 41. Textura quarta-feira, 2 de outubro de 13
  42. 42. Textura quarta-feira, 2 de outubro de 13
  43. 43. Textura quarta-feira, 2 de outubro de 13
  44. 44. ESCALA quarta-feira, 2 de outubro de 13
  45. 45. Escala • É a capacidade dos elementos visuais de se modificarem e se definirem uns aos outros; • Dependendo da justaposição, é mais nítida a difernça entre cores, formas e tamanhos; • "O grande não pode existir sem o pequeno": quarta-feira, 2 de outubro de 13
  46. 46. Escala • É a capacidade dos elementos visuais de se modificarem e se definirem uns aos outros; • Dependendo da justaposição, é mais nítida a difernça entre cores, formas e tamanhos; • "O grande não pode existir sem o pequeno": quarta-feira, 2 de outubro de 13
  47. 47. Escala • É a capacidade dos elementos visuais de se modificarem e se definirem uns aos outros; • Dependendo da justaposição, é mais nítida a difernça entre cores, formas e tamanhos; • "O grande não pode existir sem o pequeno": OU quarta-feira, 2 de outubro de 13
  48. 48. Escala • É a capacidade dos elementos visuais de se modificarem e se definirem uns aos outros; • Dependendo da justaposição, é mais nítida a difernça entre cores, formas e tamanhos; • "O grande não pode existir sem o pequeno": OU quarta-feira, 2 de outubro de 13
  49. 49. Escala • A escala pode ser estabelecida, também, por meio das relações com o campo ou com o ambiente; • Os resultados são fluidos, não absolutos, pois há muitas variáveis modificadoras: quarta-feira, 2 de outubro de 13
  50. 50. Escala • A escala pode ser estabelecida, também, por meio das relações com o campo ou com o ambiente; • Os resultados são fluidos, não absolutos, pois há muitas variáveis modificadoras: quarta-feira, 2 de outubro de 13
  51. 51. Escala • A escala pode ser estabelecida, também, por meio das relações com o campo ou com o ambiente; • Os resultados são fluidos, não absolutos, pois há muitas variáveis modificadoras: quarta-feira, 2 de outubro de 13
  52. 52. Escala • Usada em projetos e mapas para representar uma medida proporcinal real: quarta-feira, 2 de outubro de 13
  53. 53. Escala • O importante é relacionar o tamanho com o objetivo na estruturação da mensagem visual; • Ex: quarta-feira, 2 de outubro de 13
  54. 54. Escala quarta-feira, 2 de outubro de 13
  55. 55. Escala quarta-feira, 2 de outubro de 13
  56. 56. DIMENSÃO quarta-feira, 2 de outubro de 13
  57. 57. Dimensão • A dimensão existe apenas no mundo real; • Podemos senti-la e vê-la com o auxílio de nossa visão estereóptica e binocular; • Nos desenhos, fotos e demais representações bidimensionais, a dimensão é apenas implícita; • Nesses casos, a dimensão é uma ilusão, que pode ser reforçada de muitas maneiras, principalmente com o recurso da perspectiva: quarta-feira, 2 de outubro de 13
  58. 58. Dimensão • A dimensão existe apenas no mundo real; • Podemos senti-la e vê-la com o auxílio de nossa visão estereóptica e binocular; • Nos desenhos, fotos e demais representações bidimensionais, a dimensão é apenas implícita; • Nesses casos, a dimensão é uma ilusão, que pode ser reforçada de muitas maneiras, principalmente com o recurso da perspectiva: quarta-feira, 2 de outubro de 13
  59. 59. Dimensão quarta-feira, 2 de outubro de 13
  60. 60. Dimensão quarta-feira, 2 de outubro de 13
  61. 61. MOVIMENTO quarta-feira, 2 de outubro de 13
  62. 62. Movimento • Assim como a dimensão, o movimento é implícito e apenas uma ilusão; • É possível simular uma "sugestão de movimento" nas manifestações visuais estáticas; • Ex: quarta-feira, 2 de outubro de 13
  63. 63. Movimento quarta-feira, 2 de outubro de 13
  64. 64. Movimento Convenção formalizada de leitura quarta-feira, 2 de outubro de 13
  65. 65. Movimento quarta-feira, 2 de outubro de 13
  66. 66. Movimento Curvas e movimentos sinuosos quarta-feira, 2 de outubro de 13
  67. 67. Movimento quarta-feira, 2 de outubro de 13
  68. 68. Movimento Preferência pelo canto esquerdo inferior quarta-feira, 2 de outubro de 13
  69. 69. Fonte DONDIS, Donis A. Sintaxe da LinguagemVisual. São Paulo: Martins Fontes, 2007 quarta-feira, 2 de outubro de 13

×