Servico social 1

36.605 visualizações

Publicada em

3 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
36.605
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
47
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
354
Comentários
3
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Servico social 1

  1. 1. Universidade Anhanguera - Uniderp Centro de Educação a Distância Caderno de Atividades Serviço Social Coordenação do Curso Elisa Cléia Pinheiro Rodrigues Nobre Autores Andrea Tochio de Antonio Elisa Cléia Pinheiro Rodrigues Nobre Emanuela Patrícia de Oliveira Enilda Maria Lemos Silvia C. A. Marques Yaeko Ozaki
  2. 2. Universidade Anhanguera - Uniderp Centro de Educação a DistânciaChanceler Diretor-AdjuntoAna Maria Costa de Sousa Luciano SathlerReitorGuilherme Marback Neto Coordenação de Qualidade do MaterialVice-Reitora DidáticoHeloisa Helena Gianotti Pereira Luciano Gamez: Coordenador e organizadorPró-Reitores da publicaçãoPró-Reitor Administrativo: Antonio Fonseca Fernanda Bocchi Balthazarde Carvalho Helena OkadaPró-Reitor de Extensão, Cultura e Waurie RolãoDesporto: Ivo Arcângelo Vendrúsculo BusatoPró-Reitor de Graduação: Eduardo de IlustraçõesOliveira Elias Ednei MarxPró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação:Elizabeth Tereza Brunini Sbardelini ANHANGUERA PUBLICAÇÕESCENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Gerente EditorialDiretor-Geral Adauto DamásioJosé Manuel Moran C129 Caderno de atividades: serviço social / Andrea Tochio de Antonio …[et al.]; Organizador Luciano Gamez; Coordenação do cur- so Elisa Cléia Pinheiro Rodrigues Nobre. - Valinhos : Anhan- guera Publicações, 2010. p. 248 - (EAD ; 2ª série). ISBN: 978-85-7969-033-4© 2010 AnhangueraPublicações - Proibidaa reprodução final ou 1. Serviço social - Metodologia. 2. Sociologia. 3. Serviço socialparcial por qualquer meiode impressão, em forma - Filosofia. I. Antonio, Andrea Tochio de. II. Nobre, Elisa Cléia Pi-idêntica, resumida ou nheiro Rodrigues. III. Série.modificada em línguaportuguesa ou qualqueroutro idioma. Impresso CDD – 20 ed. : 370.15no Brasil 2010
  3. 3. Nossa Missão, Nossos ValoresDesde sua fundação, em 1994, os fundamentos da “Anhanguera Educacional” têm sido o principal motivo doseu crescimento.Buscando permanentemente a inovação e o aprimoramento acadêmico em todas as ações e programas, é umaInstituição de Educação Superior comprometida com a qualidade do ensino, pesquisa de iniciação científica eextensão, que oferecemos.Ela procura adequar suas iniciativas às necessidades do mercado de trabalho e às exigências do mundo em cons-tante transformação.Esse compromisso com a qualidade é evidenciado pelos intensos e constantes investimentos no corpo docentee de funcionários, na infraestrutura, nas bibliotecas, nos laboratórios, nas metodologias e nos Programas Institu-cionais, tais como:• Programa de Iniciação Científica (PIC), que concede bolsas de estudo aos alunos para o desenvolvimento de pesquisa supervisionada pelos nossos professores.• Programa Institucional de Capacitação Docente (PICD), que concede bolsas de estudos para docentes cursa- rem especialização, mestrado e doutorado.• Programa do Livro-Texto (PLT), que propicia aos alunos a aquisição de livros a preços acessíveis, dos melhores autores nacionais e internacionais, indicados pelos professores.• Serviço de Assistência ao Estudante (SAE), que oferece orientação pessoal, psicopedagógica e financeira aos alunos.• Programas de Extensão Comunitária, que desenvolve ações de responsabilidade social, permitindo aos alunos o pleno exercício da cidadania, beneficiando a comunidade no acesso aos bens educacionais e culturais.A fim de manter esse compromisso com a mais perfeita qualidade, a custos acessíveis, a Anhanguera privilegiao preparo dos alunos para que concretizem seus Projetos de Vida e obtenham sucesso no mercado de trabalho.Adota inovadores e modernos sistemas de gestão nas suas instituições. As unidades localizadas em diversos Es-tados do País preservam a missão e difundem os valores da Anhanguera.Atuando também na Educação a Distância, orgulha-se em oferecer ensino superior de qualidade em todo o Terri-tório Nacional, por meio do trabalho desenvolvido pelo Centro de Educação a Distância da Universidade Anhan-guera - UNIDERP -, nos diversos polos de apoio presencial espalhados por todo o Brasil. Sua metodologia permitea integração dos professores, tutores e coordenadores habilitados na área pedagógica, com a mesma finalidade:aliar os melhores recursos tecnológicos e educacionais, devidamente revisados, atualizados e com conteúdo cadavez mais amplo para o desenvolvimento pessoal e profissional de nossos alunos.A todos, bons estudos! Prof. Antonio Carbonari Netto Presidente - Anhanguera Educacional
  4. 4. Sobre o Caderno de AtividadesCaro(a) Aluno(a),Você está recebendo o Caderno de Atividades, preparado pelos professores do Curso de Graduação em que vocêestá matriculado, com o objetivo de contribuir para a sua aprendizagem. Ele aprofunda os conteúdos disponíveisnas publicações que fazem parte do Programa do Livro-Texto (PLT), trazendo orientações de estudo, destaques,propostas de atividades individuais e em grupo e desafios de aprendizagem a serem realizados.As questões propostas foram elaboradas pelos docentes ou adaptadas de provas públicas já realizadas, inclusi-ve do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (ENADE), que tem o objetivo de aferir o rendimento dosalunos dos cursos de graduação em relação a conhecimentos, habilidades e competências, necessários ao seufuturo desempenho profissional. Essa inclusão de perguntas, selecionadas a partir de avaliações ocorridas forado âmbito universitário, colabora na sua preparação para o enfrentamento de situações mais contextualizadas.Você também vai encontrar caminhos para vincular os textos e questões com as teleaulas do seu curso. Issopermite planejar com antecedência seu tempo e dedicação, estudar os temas previamente e se preparar paraaproveitar ao máximo a interação com a equipe docente.Desejamos que você tenha um ótimo semestre letivo. José Manuel Moran e Luciano Sathler Diretoria do Centro de Educação a Distância Universidade Anhanguera - UNIDERP
  5. 5. Autores Andrea Tochio de Antonio Graduação: Ciências Sociais - Universidade Federal de São Carlos - UFscar, 2004. Graduação: Psicologia - Universidade Paulista - UNIP Jundiaí, cursando 5º semestre. Mestrado: Antropologia Social - Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP, 2008. Elisa Cléia Pinheiro Rodrigues Nobre Graduação: Serviço Social - Universidade Católica Dom Bosco, 1992. Especialização: Gestão de Políticas Sociais - Universidade do Estado e da Região do Pantanal/UNIDERP, 2003. Mestrado: Educação - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul/UFMS, 2007. Emanuela Patrícia de Oliveira Graduação: Ciências Sociais: Bacharel em Sociologia e Antropologia e Licenciatura em Ciências Sociais - Universidade Estadual de Campinas, 2004. Especialização: Didática e Metodologia do Ensino Superior - Universidade Anhanguera-UNIDERP, 2008. Mestrado: Antropologia Social - Universidade Estadual de Campinas, 2007. Enilda Maria Lemos Graduação: Estudos Sociais - Faculdade de Ciência, Letras e Educação de Presidente Prudente (FCLEPP), 1975. Graduação: Serviço Social. Faculdades Unidas Católicas de Mato Grosso (FUCMT), 1979.Especialização: Metodologia de Ação do Serviço Social. Faculdades Unidas Católicas de Mato Grosso (FUCMT), 1982. Mestrado: Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional. Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal, UNIDERP, Campo Grande, Brasil, 2004. Sílvia C. A. Marques Graduação: Comunicação Social com habilitação em Cinema e vídeo - FAAP, 2000. Mestrado: Comunicação e Semiótica - PUC de São Paulo, 2003. Doutorado: Comunicação e Semiótica - PUC de São Paulo, 2009. Yaeko Ozaki Graduação: Psicologia - Universidade São Francisco (USF), 1991. Especialização: Administração de Recursos Humanos - Universidade São Judas Tadeu (USJT), 1993. Mestrado: Clínica Médica - Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP, 2008. Luciano Gamez – Organizador da publicação Graduação: Psicologia - Universidade de Lisboa, 1992. Mestrado: Engenharia Humana - Universidade do Minho, 1998. Doutorado: Engenharia de Produção - Área de concentração: Ergonomia Universidade Federal de Santa Catarina, 2004.
  6. 6. SumárioFundamentos Históricos e Teóricos-Metodológicos do Serviço Social I Tema 1 - O Processo de Produção Capitalista ............................................................. 15 Tema 2 - O Serviço Social e o Trabalho do Assistente Social ........................................ 21 Tema 3 - As Origens do Serviço Social Brasileiro e Latino-Americano .......................... 26 Tema 4 - Manifestações sociais das décadas de 1920 e de 1930 ................................ 34 Tema 5 - As Primeiras Escolas Brasileiras de Serviço Social .......................................... 40 Tema 6 - A Prática e o Discurso dos Primeiros Assistentes Sociais ............................... 46 Tema 7 - Primeiras Instituições Públicas e Privadas que Implantaram o Serviço Social ........................................................................................... 52 Tema 8 - Primeiros Congressos Brasileiros de Serviço Social ........................................ 58Formação Social, Econômica e Política do Brasil Tema 1 - O Brasil Colônia ........................................................................................... 71 Tema 2 - A Economia Cafeeira ................................................................................... 77 Tema 3 - A Crise do Trabalho Escravo......................................................................... 82 Tema 4 - A Imigração e o Esgotamento do Sistema Cafeeiro ...................................... 88 Tema 5 - O Brasil Republicano e a Industrialização ..................................................... 94 Tema 6 - As Diferenças Econômicas Regionais no Brasil ............................................ 100 Tema 7 - Revolução de 1930 e a Era Vargas ............................................................. 105 Tema 8 - O Processo de Substituição de Importações ............................................... 110Filosofia Aplicada ao Serviço Social Tema 1 - O Ser Humano .......................................................................................... 129 Tema 2 - O conhecimento ........................................................................................ 185 Tema 3 - História da Filosofia ................................................................................... 141 Tema 4 - Filosofia Moderna...................................................................................... 146 Tema 5 - Filosofia Contemporânea ........................................................................... 151 Tema 6 - Ciência e Filosofia ...................................................................................... 157 Tema 7 - Ética e Filosofia .......................................................................................... 162 Tema 8 - Filosofia Política e Estética ......................................................................... 167
  7. 7. Sociologia Tema 1 - Fundamentos básicos da Sociologia Geral: da pesquisa sociológica ao planejamento governamental ............................................................... 180 Tema 2 - Cultura e sociedade: as estruturas, as interações e os grupos sociais .......... 187 Tema 3 - O papel das instituições na regulamentação e controle social..................... 194 Tema 4 - O papel da sociedade civil na dinâmica social e na luta pelo desenvolvimento sustentável ..................................................................... 202Responsabilidade Social e Meio Ambiente Tema 1 - Ecossistemas e aquecimento global ........................................................... 215 Tema 2 - As metas do milênio e a sustentabilidade .................................................. 221 Tema 3 - Responsabilidade empresarial ................................................................... 228 Tema 4 - Marketing sustentável ............................................................................... 235
  8. 8. FundamentosHistóricos, Teóricose Metodológicosdo Serviço Social IAutoras:Elisa Cléia Pinheiro Nobre eEnilda Maria Lemos
  9. 9. Fundamentos Históricos, Teóricos e Metodológicos do Serviço Social I Orientações de estudo Caro(a) aluno(a), Este caderno de atividades foi elaborado com base no livro “Relações Sociais e Serviço Social no Bra- sil” dos autores Marilda Vilela Iamamoto e Raul de Carvalho da Editora Cortez, 2006. Ele é composto por 8 temas: Tema 1 O Processo de Produção Capitalista Aborda os conteúdos situados na Parte I, no capítulo I, páginas 29 – 70. Nesse capítulo você entenderá o funcionamento da sociedade capitalista. Dentre outros conceitos, você estudará: capital e trabalho, produção e reprodução, mercadoria, relação social e mais valia, comentados a seguir. O conceito de capital se refere aos proprietários dos meios de produção (os empresários) e o conceito de tra- balho se refere aos trabalhadores. Ambos buscam interesses divergentes, porém eles são imprescindíveis um ao outro, embora se oponham e vivam em conflito permanente. O trabalhador vende a sua força de trabalho ao empregador, mas é o capital que se apropria da riqueza social produzida pelo conjunto dos trabalhadores. O processo de produção é permanente e contínuo. Ele produz o lucro que é extraído daquela parte do traba- lho que o trabalhador não recebe. É o lucro que vai para o capitalista. A mercadoria é fruto da relação entre o capital e o trabalho. A forma com que a mercadoria se apresenta ao comprador não deixa ver as condições de trabalho em que ela foi realizada. Nela está expressa a exploração social, porém de forma oculta. A relação social discutida pelos autores é a relação estabelecida entre o capital e o trabalho. É uma relação de oposição e de fortes vínculos pela necessidade de um ao outro. Por isso, ela é contraditória e conflituosa. O capital é uma relação social. A mais valia é aquela parte que o trabalhador produz, por cujo trabalho não recebe, e que vai em forma de lucro para o capitalista. Tema 2 O Serviço Social e o Trabalho do Assistente Social Aborda os conteúdos situados na Parte I, no capítulo II, páginas 71 – 124. Nele você observará os conceitos abordados pelos autores: questão social, presença política dos trabalhadores, controle social e papel do Servi- ço Social. Segue um breve comentário acerca desses conceitos. A questão social (conceito já trabalhado no primeiro semestre) precisa sempre ser lembrada no curso de Ser- viço Social. Ela é o objeto de trabalho do assistente social, é decorrente da relação capital e trabalho no qual se manifesta nos diversos problemas sociais.12
  10. 10. A presença política dos trabalhadores diz respeito à organização dos trabalhadores e seu posicionamento declasse social. Isso significa que os trabalhadores passaram a atuar no coletivo e não individualmente. A lutacoletiva, de fato, é uma luta política que tem força de exercer a pressão social.O controle social deve ser compreendido sob dois pontos de vista: do capital ou do trabalho. No tema em estu-do, o controle social é visto como uma forma de a classe dominante exercer o controle social dos trabalhadores,quer dizer, impedir que eles organizem algum movimento que possa comprometer o domínio da burguesia nasociedade vigente. O controle social está ligado ao papel que o Serviço Social exerce na sociedade capitalista.A profissão nasceu de uma demanda da classe dominante para atender seus interesses, contudo é importantedizer que a força do movimento operário foi um fator essencial para o surgimento do Serviço Social.Tema 3As Origens do Serviço Social Brasileiro e Latino-AmericanoAborda os conteúdos situados na Parte I, no capítulo II, páginas 71 – 124. Nesse tema, você entenderá osseguintes conceitos: pensamento social da igreja, origem confessional do Serviço Social, reprodução da forçade trabalho, reprodução do controle e da ideologia dominante. Na sequência, observe um comentário sobreos conceitos mencionados.O pensamento social da Igreja Católica mostra a preocupação desta com os problemas sociais. O pensamentosocial da igreja está inscrito nas duas primeiras encíclicas sociais (documentos do papa que indicam diretrizes):a encíclica Rerum Novarum e a encíclica Quadragésimo Anno.O significado da origem confessional do Serviço social está vinculado ao próprio significado da palavra: con-fessional diz respeito a uma crença religiosa. O fato de os autores chamarem a atenção para a “origem con-fessional” do Serviço Social, quer dizer que a profissão está ligada a uma proposta da Igreja Católica. Logo, oServiço Social em alguns países da América Latina, entre eles, o Brasil, nasceu ligado à Igreja Católica.A reprodução da força de trabalho se refere às condições mínimas necessárias para que o trabalhador explo-rado possa realizar o seu trabalho, por exemplo os serviços sociais prestados pelo Estado, nos quais o ServiçoSocial atua. A reprodução do controle e da ideologia dominante quer dizer que o trabalho do Assistente Socialajuda na continuidade da organização social capitalista. Ele atua junto aos trabalhadores contribuindo paraque eles se mantenham em condições de trabalhar (apesar da exploração social), ao mesmo tempo em quesua ação mostra que o trabalhador não está abandonado, que ele é socorrido nas suas necessidades emer-genciais e básicas.Tema 4Manifestações sociais das décadas de 1920 e de 1930Aborda os conteúdos situados na Parte II, no capítulo I, páginas 125 – 164. Nele você observará os seguintesconceitos discutidos pelos autores: manifestações sociais, anarquismo, socialismo, república velha, repúblicanova, movimento de 1930 e movimento católico laico. As manifestações sociais são organizadas pela socieda-de civil e podem ter o apoio de setores da classe dominante. O anarquismo é um conjunto de princípios queé contra a autoridade e a dominação. O socialismo defende a igualdade das classes sociais. Ambos estiveramna origem da organização do movimento operário.A república velha compreende o período que se estendeu de 1889 (Proclamação da República) até o movi-mento de 1930. Nessa época o café exercia a hegemonia na economia brasileira. A república velha terminousem que o Estado e a Igreja tivesse assumido a questão social.O movimento de 1930 foi realizado pelos setores descontentes com a política agroexportadora do café e pôsfim à república velha. Esse movimento acabou com o domínio dos fazendeiros do café na economia brasileira.O movimento laico da Igreja Católica está ligado à ação da igreja feita pelos leigos e não por pessoas religio-sas. A igreja mobilizou intelectuais e outros grupos da sociedade civil para realizarem um trabalho junto aospobres, especialmente com as famílias operárias. 13
  11. 11. Tema 5 As Primeiras Escolas Brasileiras de Serviço Social Aborda os conteúdos situados na Parte II, no Capítulo II, páginas 165 – 186 do PLT. Nesse tema você terá oportu- nidade de refletir sobre conceitos essenciais para a compreensão do assunto estudado nas aulas transmitidas. Para maior fixação do conteúdo, lembre-se que ação social eram ações que tinham como objetivo “melhorar a situa- ção material das classes desprotegidas e principalmente das classes laboriosas por meio que não fosse a esmola” (FARO, 1936, pág. 90 apud LIMA, 1982, pág. 44). Essas ações propiciaram as reflexões sobre a questão social. “Protoformas do Serviço Social” é outro importante conceito a ser observado no referido tema, pois se re- laciona às ações das primeiras instituições surgidas após a primeira Guerra Mundial, as quais favoreceram o surgimento das primeiras escolas de Serviço Social. Tema 6 A Prática e o Discurso dos Primeiros Assistentes Sociais Aborda os conteúdos situados na Parte II, no Capítulo II, páginas 187 – 234 do PLT. Nele você irá perceber quantos fatores estão presentes na formação do Serviço Social e também que a prática e o discurso dos pri- meiros assistentes sociais foram determinantes na definição de conceitos e diretrizes da profissão. O conteúdo aqui apresentado será de extrema importância para você aprofundar seu conhecimento, pois caridade, visão de mundo, tecnificação da assistência e vocação são termos constantemente debatidos neste tema e que me- recem atenção por fazerem parte do caminho percorrido na busca de legitimação do Serviço Social como profissão. Tema 7 Primeiras Instituições Públicas e Privadas que Implantaram o Serviço Social Aborda os conteúdos situados na Parte II, no Capítulo III, páginas 235 – 324. Nele você conhecerá as institui- ções pioneiras na implantação do Serviço Social. Como você poderá observar no Livro-Texto, a implantação dessas instituições contou com o impulso do contexto econômico vigente e, consequentemente, devido ao contraste existente entre a burguesia e o proletariado. Aproveite então essa oportunidade para exercitar o seu conhecimento sobre a criação do Conselho Nacional de Assistência Social – CNSS –, A Legião Brasileira de Assistência – LBA –, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – SENAI –, o Serviço Social da Indústria – SESI –, entre outras, que são exemplos de instituições criadas nesse período. Tema 8 Primeiros Congressos Brasileiros de Serviço Social Aborda os conteúdos situados no Capítulo IV e páginas 325 – 354. Nele você terá a oportunidade de ampliar sua visão sobre a realização dos primeiros congressos de Serviço Social no Brasil, por meio dos quais o Serviço Social buscava produzir uma autojustificativa em relação à definição de suas funções, a seus mantenedores institucionais e, secundariamente, à sua clientela. (IAMAMOTO e CARVALHO, 2006). Participando ativamente desse processo, você entenderá por que os congressos e seminários são espaços privi- legiados para defesa de objeto, métodos e técnicas da profissão e também na busca de vinculação do Serviço Social com a política governamental. ATENÇÃO! As respostas para as atividades deste caderno estão disponíveis no ambiente virtual do curso. Consulte seu professor-tutor para maiores informações.14
  12. 12. Tema 1O processo deprodução capitalistaObjetivos de aprendizagem• Reconhecer as duas classes da sociedade capitalista;• Assimilar alguns conceitos próprios da sociedade capitalista essenciais para compreender essa organiza- ção social;• Compreender o processo de produção na sociedade capitalista.Para início de conversaNeste tema você vai estudar alguns aspectos do processo deprodução capitalista. Por que este tema é importante? Por-que o capitalismo é o modo de produção que vigora em qua-se todos os países. Sendo assim, é preciso conhecer as leis dasociedade capitalista para reconhecer o seu funcionamento.Aí está a importância deste tema.Por dentro do temaA sociedade capitalista é formada por duas classes sociais: burguesia e tra-balhadores. A burguesia é a classe dominante, aquela que é proprietária dosmeios de produção. Os trabalhadores vendem a sua força de trabalho ao ca-pitalista.Qualquer tipo de análise que pretenda compreender a origem de um fatosocial, fatalmente terá de ir às suas raízes. Por outro lado, as suas raízes estãona relação capital e trabalho.Além das classes sociais, é importante você estudar alguns conceitos que sãopróprios do modo de produção capitalista. Sem compreender capital e traba-lho, produção e reprodução, mercadoria, relação social e mais valia, fica difícil o entendimento dessa organi-zação social.É preciso ainda compreender o processo de produção na sociedade capitalista, que é feito a partir da relaçãoentre o capital e o trabalho. Nesse processo são produzidas as condições necessárias para manter o trabalha-dor preparado para exercer a sua função, apesar da sua exploração.Portanto, conhecendo as classes sociais que compõem a sociedade capitalista, alguns conceitos próprios des-sa organização e o seu processo de produção, você terá alguns elementos para compreender o Serviço Social. 15
  13. 13. Fundamentos Históricos, Teóricos eTema 1 - Atividades Metodológicos do Serviço Social I Atividades INSTRUÇÕES Hoje, o desempenho profissional exige do tra- balhador a habilidade de trabalhar em equipe e a clareza nas colocações verbais. Para exercitar isso, as atividades de 1 a 5 deverão ser realiza- das em grupo de 4 ou 5 alunos. Determinação, interesse e persistência são essenciais nesse pro- cesso. Porém, momentos de estudo individuali- zado também devem fazer parte do processo de aprendizagem. Importante: faça uma leitura cuidadosa do enun- ciado de cada atividade, em especial dos frag- mentos de textos aos quais ela se refere. Questão 2 Ponto de partida A atividade que se segue diz respeito ao traba- lho concreto e ao trabalho abstrato. O trabalho concreto é criativo e produz valor de uso, ou Se o capitalismo regula quase todos os países, seja, coisas que servem para o consumo. O “[...] como essa sociedade está organizada? O ponto trabalho abstrato é a propriedade que adquire o de partida para você compreender o capitalismo trabalho humano quando destinado à produção é que essa sociedade está organizada em duas de mercadorias. Por essa razão, existe somente classes sociais. Logo, esta é a base de sua orga- na produção de mercadorias” (Ramon Peña Cas- nização. tro). Disponível em: <http://www.epsjv.fiocruz.br/ Agora, é com você! Responda às questões a upload/d/Trabalho_Abstrato_e_Trabalho_Con- seguir para conferir o que aprendeu! creto_ts_(com_pequeno_erro).pdf> Acesso em 15 abril 2010. Você deverá realizar as questões de 1 a 5 em gru- A produção de mercadorias é própria da socieda- po. de capitalista. O trabalho abstrato se insere nas relações de produção, por conseguinte é aquele trabalho que produz mercadorias. Após a leitura do texto acima, explique com suas Questão 1 próprias palavras o que entende por trabalho abstrato e por trabalho concreto. O modo de produção capitalista difere do modo de produção feudal. Neste último, não havia tra- balhador assalariado, pois o trabalho era feito de forma artesanal. Sobre o capitalismo, os autores em referência dizem o seguinte: “Na sociedade de que se trata, o capital é a relação social deter- minante que dá a dinâmica e a inteligibilidade de todo o processo da vida social.” (IAMAMOTO; CARVALHO, 206, pág. 30). Com base no texto, elabore um parágrafo sobre o capitalismo, diferenciando o capitalismo do feudalismo. 16
  14. 14. Fundamentos Históricos, Teóricos eMetodológicos do Serviço Social I Tema 1 - Atividades Questão 3 No modo de produção capitalista destaca-se a exploração do trabalhador. Sendo assim, o tra- balhador entrega ao capitalista “[...] diariamen- te, o valor de uso de sua força de trabalho – o trabalho de uma jornada. Tal fato não apenas reproduz o valor de todo o capital adiantado, como cria novo valor que se materializa em mercadorias. Essas mercadorias são proprieda- de do capitalista, por ele vendidas no mercado” (IAMAMOTO; CARVALHO, 206, pág. 47). Com base nas considerações acima, faça um breve comentário sobre a exploração do tra- balhador na sociedade capitalista, destacando a venda da força de trabalho e o “conceito de mais valia”. Questão 5 Agora que você viu alguns aspectos do capital, elabore um texto que aborde a condição do tra- balhador (que ali colocou a sua força de traba- lho) depois de concluída a produção da merca- doria. Para isso, leia a página 47 do PLT. Questão 4 O processo de produção capitalista caracteri- za-se pela reprodução do capital. Iamamoto & Carvalho (206, pág. 46) definem a reprodução A questões de 6 a 9, a seguir, são de múltipla como a continuidade do processo de produção, escolha. Elas deverão ser resolvidas individual- que é social. O produto dessa produção é a mer- mente. Em cada questão escolha apenas uma cadoria. alternativa. Pense num tênis. Escreva um parágrafo colo- cando os elementos necessários à produção do tênis. Mostre que o tênis, na vitrine, não deixa ver esses elementos. 17
  15. 15. Fundamentos Históricos, Teóricos eTema 1 - Atividades Metodológicos do Serviço Social I Questão 6 Questão 7 O texto que segue trata do capitalismo: “Crítica O capitalismo passou por diversas fases. O modo ao capitalismo: A mais rigorosa crítica ao capita- de produção capitalista teve início na metade lismo foi feita por Karl Marx, ideólogo alemão do século XIV com a fase manufatureira ou co- mercial. A Revolução Industrial inaugurou a fase que propôs a alternativa socialista para substi- industrial ou concorrencial do capital no século tuir o Capitalismo. Segundo o marxismo, o capi- XVIII. No final do século XIX iniciou a fase mono- talismo encerra uma contradição fundamental polista ou financeira do capital. “O liberalismo se entre o caráter social da produção e o caráter assentava no princípio da livre iniciativa, basea- privado da apropriação. Isso conduz a um anta- do no pressuposto de que a não regulamentação gonismo irredutível entre as duas classes prin- das atividades individuais no campo socioeconô- cipais da sociedade capitalista: a burguesia e mico produziria os melhores resultados na busca o proletariado (o empresariado e os assalaria- do progresso.” Essa teoria que nasceu na Ingla- dos).” Capitalismo e sistema capitalista. terra, no século XVIII, privilegia o mercado e não Acesse em: <http://www.renascebrasil.com.br/f_ a intervenção do Estado. Disponível em: <http:// capitalismo2.htm> Acessado em: 24 mar. 2010. www.renascebrasil.com.br/f_capitalismo2.htm> Faça uma leitura das afirmativas referentes ao Analise as afirmativas que tratam do texto men- texto acima. cionado. I. O que distingue o capitalismo dos outros a) Na fase monopolista do capital predomina- modos de produzir a vida material é a pro- ram na economia manifestações econômicas dução individual e a apropriação coletiva essencialmente manufatureiras, ou seja, o da produção. monopolismo caracterizou-se pelas manufa- turas. II. A relação entre a burguesia e os trabalha- dores é de conflito, pois as duas classes se b) O ressurgimento do comércio, as ocupações opõem e necessitam uma da outra. Daí há da América do Sul pelos portugueses e espa- permanente tensão entre elas. nhóis tinham por trás o acúmulo de riqueza, próprios do modo de produção capitalista. III. As inovações tecnológicas têm se constituí- Essa é a fase manufatureira do capital. do em um dos mecanismos de aproximação entre a burguesia e o proletariado, ou seja, c) O liberalismo econômico surgiu na Inglaterra de diminuição das desigualdades sociais. no final do século XVIII e defendia a não in- tervenção do Estado na economia. Logo, essa IV. No capitalismo a divisão das classes sociais teoria econômica nasceu com o capital indus- se extingue por completo, quando a bur- trial ou concorrencial. guesia se alia ao proletariado para lutar em favor dos interesses comuns. d) O capitalismo monopolista data do final do século XIX e o concorrencial do século XVIII, o V. Na sociedade capitalista, em determinadas primeiro orientado pelos princípios do libera- circunstâncias as duas classes sociais, bur- lismo econômico. guesia e proletariado, se unem para rea- e) O liberalismo econômico surgiu no final do lizar o projeto do capital, apesar dos seus século XVIII e defendia a não intervenção do interesses divergentes. Estado na economia. Logo, esta era a teoria Somente é correto o que se afirma em: que vigorou no capitalismo manufatureiro. a) A alternativa I é a correta. Assinale a alternativa que apresenta a resposta b) As alternativas II e V são corretas. correta. c) As alternativas I e IV são corretas. I. A alternativa “a” é a correta. d) As alternativas I e V são corretas. II. As alternativas “b” e “d” são corretas. e) A alternativa IV é a correta III. A alternativa “d” é a correta. IV. As alternativas “a” e “d” são corretas. V. As alternativas “b” e “e” são corretas. 18
  16. 16. Fundamentos Históricos, Teóricos eMetodológicos do Serviço Social I Tema 1 - Atividades Questão 8 Questão 9 “A livre competição entre os capitalistas havia “O trabalhador assalariado sai do processo de progressivamente destruído as pequenas e mé- produção como ingressou: como mera força de dias empresas. Tornando-se cada vez mais gi- trabalho, como fonte pessoal de riqueza que se gantescas, aquelas que se sustentaram no mer- realiza como riqueza para outros.” (IAMAMO- cado deram margem à formação de empresas TO; CARVALHO, 206, pág. 47). monopolistas. Com isso, a livre competição foi superada. Tal mudança de qualidade apresenta Com base no texto, analise as seguintes afirma- outra especificidade, ainda, que se expressa na tivas: instauração do domínio do capital financeiro. A a) O trabalhador participa do processo de pro- fase monopolista do capital passa a ser a fase do dução capitalista na mesma condição dos domínio do capital financeiro, uma nova forma proprietários dos meios de produção. Logo, assumida pelo capital, como resultado da fusão capital e trabalho recebem os mesmos bene- do capital industrial e do capital bancário.” (AL- fícios. VES, 2001, p. 189)1 . b) Participam do processo de produção capital e Reflita sobre as afirmativas acerca do texto aci- trabalho, no entanto o trabalhador sai desse ma. processo na mesma condição que entrou. a) A mudança da fase concorrencial do capita- c) Ao término da produção capitalista o empre- lismo para a fase monopolista se deu quan- sário sai recebendo a parte do lucro corres- do as pequenas e médias empresas se uni- pondente à parte que o trabalhador recebe ram, criaram força e conseguiram extinguir pelo seu trabalho. as empresas monopolistas. d) No processo de produção capitalista o traba- b) A fusão do capital industrial com o capital lhador produz riqueza sem receber a parte bancário deu origem à fase monopolista do da riqueza que produziu, pois ele recebe ape- capital, sob o domínio do capital financeiro. nas o tanto necessário à sua sobrevivência. c) Quando as grandes empresas abarcaram as e) Para ingressar no processo de produção capi- pequenas e médias empresas, terminou o talista o trabalhador empresta a sua força de domínio do capital industrial. Isso deu início trabalho, pois essa força de trabalho não é à fase monopolista do capital. comercializável, não é mercadoria. d) A livre concorrência e o monopolismo são Assinale a resposta correta: duas fases que possuem as suas especifici- I. A alternativa “a” é a correta. dades, ora tendendo ao capitalismo, ora às formas tradicionais de produzir. II. As alternativas “b” e “c” são corretas. e) A livre concorrência terminou quando as III. As alternativas “c” e “d” são corretas. grandes empresas abarcaram as pequenas e IV. As alternativas “b”, “c” e “e” são corretas. as médias empresas, dando início à fase mo- V. As alternativas “a”, “b” e “e” são corretas. nopolista do capital. Marque a resposta que apresenta a sequência de letras corretas. I. A alternativa “a” é a correta. II. As alternativas “b” e “d” são corretas. III. As alternativas “c” e “d” são corretas. IV. As alternativas “b”, “c” e “e” são corretas. V. As alternativas “a”, “b” e “e” são corretas. 1 ALVES, Gilberto Luiz. - A Produção da Escola Pública Contemporânea. Campo Grande, MS: ed. UFMS; Campinas, SP: autores associados, 2001. pág. 288. 19
  17. 17. Fundamentos Históricos, Teóricos eTema 1 - Atividades Metodológicos do Serviço Social I A seguir, a questão diz respeito ao seu municí- AMPLIANDO O CONHECIMENTO pio. Você quer saber mais sobre o assunto? Então consulte: • Duas teses sobre o trabalho no capitalismo. Questão 10 Marcelo Weishaupt Proni. Disponível em: <http:// cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?pid=S0009- 67252006000400013&script=sci_arttext>. Acesso Como se viu no sistema de produção capitalista em: 21 abr. 2010. o trabalhador se submete às imposições do capi- • Economia Política: Uma Introdução Crítica, de tal. Às vezes ele tem de trabalhar em condições José Paulo Netto. insuportáveis. Não bastasse isso, o trabalhador tem de contar também com o desemprego. • Marcelo Braz. Capítulo 4, O Modo de Explora- Logo, exploração social e desemprego fazem ção Capitalista: A Exploração do Trabalho. V.1 parte do capitalismo. Discuta a exploração so- São Paulo: Cortez, 2006. cial e apresente uma situação que ocorre no seu • Marcelo Braz. Capítulo 3, Produção de Merca- município é que expresse esse processo. dorias e Modo de Exploração Capitalista”. V. 1 São Paulo: Cortez, 2006. FINALIZANDO Nesse tema, você viu que o assistente social é chamado a conhecer a organização da sociedade capitalista, isso porque ele vai lidar com a ques- tão social, que é decorrente da relação capital e trabalho. O Serviço Social, assim como outras profissões, foi uma demanda do capitalismo mo- nopolista. Daí a necessidade do estudo desse tema. 20
  18. 18. Tema 2O Serviço Social e o trabalhodo assistente socialObjetivos de aprendizagem• Reconhecer os determinantes da assistência social especializada;• Compreender o surgimento do Serviço Social na sociedade monopolista;• Refletir sobre o trabalho do assistente social.Para início de conversaVocê conheceu alguns aspectos da organização social capi-talista. É na fase monopolista do capital que surgiu o ServiçoSocial. Mais especificamente, houve a passagem da assistên-cia social caritativa para a assistência social especializada. Apartir daí, você vai se inteirar do trabalho do assistente social.Para refletir sobre o processo de construção histórica do Ser-viço Social, você deverá realizar as atividades que seguem,com base no livro “Relações Sociais e Serviço Social no Brasil:Esboço de Uma Interpretação Teórico-Metodológica” de Ma-rilda Iamamoto e Raul de Carvalho (págs. 71 – 124), parte I- “Proposta de Interpretação Histórico-Metodológica”, capí-tulo II - “O Serviço Social no Processo de Reprodução das Re-lações Sociais” e texto complementar postado no ambiente.Por dentro do temaÉ importante que você saiba que a assistência social especializada é decorren-te de uma demanda do capital monopolista, fazendo surgir o Serviço Social.Portanto, o Serviço Social foi demandado pelo capital monopolista, bem comooutras profissões. A partir disso, você vai conhecer o trabalho do assistentesocial.É certo que a leitura dos textos indicados é essencial para você se inteirar daconstrução histórica do Serviço Social. 21
  19. 19. Fundamentos Históricos, Teóricos eTema 2 - Atividades Metodológicos do Serviço Social I Atividades Disponível em: <http://www.fnepas.org.br/pdf/ servico_social_saude/texto2-2.pdf>. Acesso em: 5 mai. 2010. O texto de Iamamoto chama a atenção para a INSTRUÇÕES profissionalização do serviço social a partir da As questões de 1 a 5 deverão ser realizadas em base técnico-científica imposta às atividades de grupo de 4 ou 5 alunos. Compartilhando o con- ajuda filantrópica. Essa visão não explica o servi- teúdo com os colegas, por meio da discussão, ço social na sociedade capitalista. você vai ampliar o seu conhecimento e exercitar A partir da leitura do texto explique a profissio- o trabalho em equipe e a comunicação. Essas nalização do serviço social, focando os elemen- habilidades são essenciais no ambiente profis- tos constitutivos deste processo. sional de hoje. As atividades de 6 a 10 deverão ser feitas individualmente. Ponto de partida Você sabia que o Serviço Social é uma profissão que não veio da iniciativa de uma pessoa ilus- tre? Pois bem! O Serviço Social nasceu de uma de- manda do capital na sua fase monopolista. É so- bre esta ótica que deverá resolver as atividades deste tema. Agora, é com você! Responda às questões a seguir para conferir o que aprendeu! A seguir as questões de 1 a 5 deverão ser reali- Questão 2 zadas em grupo. A luta dos trabalhadores contribuiu para que a assistência social fosse racionalizada (MARTI- Questão 1 NELLI, 2006, p. 99).: “[...] só coibindo as práti- cas de classe dos trabalhadores, impedindo suas manifestações coletivas e mantendo um con- “É freqüente a afirmativa que o Serviço Social se trole sobre a “questão social” é que se poderia torna profissão quando impõe uma base técnico- assegurar o funcionamento social adequado” científica às atividades de ajuda, à filantropia. Ou, (idem).” Cabe lembrar que a assistência social, em outros termos, quando se processa uma tecni- realizada informalmente por iniciativa de enti- ficação da filantropia. Essa é a tônica do discur- dades filantrópicas e de pessoas benemerentes, so dos pioneiros e de grande parte da literatura não dava conta de atender ao aumento da de- especializada abrangendo, inclusive, autores do manda social. movimento de reconceituação. Essa é uma visão Redija um parágrafo sobre a criação da assistên- de dentro e por dentro das fronteiras do Serviço cia social especializada, enfatizando o aumento Social, como se ele fosse fruto de uma evolução do desemprego (devido às inovações tecnológi- interna e autônoma dos sujeitos que a ele se de- cas), o aumento da exploração dos trabalhado- dicam.” As Dimensões Ético-políticas e Teórico- res e a luta dos trabalhadores. metodológicas no Serviço Social Contemporâneo. Por Marilda Villela Iamamoto. “2.2. Os funda- mentos do processo de institucionalização e desenvolvimento da profissão: trajetória e De- safios” Iamamoto (págs. 12-16). 22
  20. 20. Fundamentos Históricos, Teóricos eMetodológicos do Serviço Social I Tema 2 - Atividades Questão 4 A frase que segue diz respeito ao trabalho do assistente social: “O assistente social, no exercí- cio de suas atividades, vinculado a organismos institucionais estatais, paraestatais ou privados, dedica-se ao planejamento, operacionalização e viabilização de serviços sociais por ele programa- dos para a população.” (IAMAMOTO; CARVAHO, 2006, pág. 112). Elabore uma frase explicando o trabalho do as- sistente social conforme a visão dos autores. Questão 3 Você viu como é necessário o assistente social compreender a questão social na sociedade ca- pitalista. Pois, é com a questão social que o as- sistente social vai lidar no seu trabalho. Sobre a questão social o texto diz: A questão social é : ““[...] a manifestação, no cotidiano da vida social, da contradição entre o proletariado e a burguesia, a qual passa a exigir outros tipos de intervenção, mais além da caridade e repres- são” (IAMAMOTO; CARVALHO, 2006, pág. 77). A partir do texto, explique a origem da questão social no capitalismo. Questão 5 Com relação ao Serviço Social, os autores afir- mam: “Responde tanto a demandas do capi- tal como do trabalho e só pode fortalecer um ou outro polo pela mediação do seu oposto.” (IAMAMOTO; CARVALHO, 2006, pág. 75). A partir do texto acima, escreva um parágrafo destacando o Serviço Social e as demandas do capital e do trabalho. 23
  21. 21. Fundamentos Históricos, Teóricos eTema 2 - Atividades Metodológicos do Serviço Social I ários e sustentando a construção coletiva de respostas às suas demandas. b) Neutra, objetivando evitar a presença e o acirramento das contradições sociais. c) Legitimadora da política institucional, por meio da imposição de suas normas e da defe- As questões seguintes são de múltipla escolha e sa de seus objetivos e interesses. deverão ser resolvidas individualmente. d) Conservadora, atuando de modo a enquadrar demandas dos usuários nos limites institucio- nais e defendendo os interesses dominantes na instituição. Questão 6 e) Voluntarista, desconsiderando as contradi- ções sociais e institucionais. “O Serviço Social institucionaliza-se na socieda- Disponível em: <http://www.inep.gov.br/down- de capitalista como ação interventiva de cunho load/superior /2004/enade/provas / SERVICO%20 socioeducativo. As classes sociais são inscritas no SOCIAL.pdf>. Acesso em: 13 abr. 2010. campo políticoideológico, executando políticas sociais públicas e privadas e respondendo a in- teresses contraditórios das classes sociais, que estão em luta permanente. Nessa relação com Questão 8 as políticas sociais, os processos interventivos do Serviço Social configuram-se como: “Considere e analise as afirmações abaixo sobre a) Serviços neutros, objetivando o bem co- a questão social como eixo estruturante do Ser- mum. viço Social. b) Mecanismos auxiliares no repasse de bens e I. O Serviço Social se constitui uma profissão serviços direcionados à reprodução do tra- como mecanismo institucional utilizado pelo balhador. Estado para dar respostas às expressões da c) Instrumentos a serviço da classe dominante. questão social,via políticas sociais. d) Instrumentos a serviço das classes subalter- II. Os Assistentes Sociais intervêm nas mais va- nas. riadas formas de expressão da questão social, e) Instrumentos de uma profissão responsável tais como os indivíduos as experimentam nas pela transformação da sociedade.” relações de trabalho, na família, na saúde e Disponível em: <http://www.inep.gov.br/download/ em outras esferas da vida social. superior/2004/enade/provas/SERVICO%20SOCIAL. III. A questão social constitui-se exclusivamente pdf> Acesso em: 13 abr. 2010. de um conjunto de problemas de indivíduos e grupos usuários dos serviços prestados pelo Estado, via políticas sociais. IV. O reconhecimento de um conjunto de pro- Questão 7 blemas vinculados às modernas condições de trabalho urbano constitui o fundamento da questão social. “Do ponto de vista das instituições emprega- doras do assistente social, o conjunto de estra- Somente é correto o que se afirma em: tégias profissionais tem como objetivo último a) I e II. legitimar e reproduzir a instituição e a socieda- b) I e III. de de classes da qual elas fazem parte. Todavia, c) I e IV. a relativa autonomia dos profissionais e seus compromissos ético políticos com os usuários d) II e III. dos serviços institucionais lhes permitem desen- e) II e IV. volver uma prática profissional: Disponível em: <http://www.inep.gov.br/download/ a) Crítica, em face das demandas e limites insti- superior/2004/enade/provas/SERVICO%20SOCIAL. tucionais, valorizando os interesses dos usu- pdf> Acesso em: 13 abril 2010. Questão 12. Aces- so em: 13 abr. 2010. 24
  22. 22. Fundamentos Históricos, Teóricos eMetodológicos do Serviço Social I Tema 2 - Atividades AMPLIANDO O CONHECIMENTO Questão 9 Para saber mais sobre esse assunto consulte: • As demandas e as respostas profissionais do “No marco do que se tem denominado de teo- Serviço Social na sociedade capitalista, Andres- ria social crítica, a questão social é: sa Gomes Carvalho de Amorim. Disponível em: a) Produzida pela ineficácia de métodos de <http://www.rededobem.org/arquivospdf/238. gestão social. pdf>. Acesso em: 14 abr. 2010. b) Constitutiva do desenvolvimento do capita- • Capítulo I “Serviço Social: a Ilusão de Servir”, lismo, pois ela não se suprime se esse se con- do livro de Maria Lúcia Martinelli, “Serviço So- serva. cial: Identidade e Alienação”. São Paulo: Cortez, 2007. c) Uma disfunção ou ameaça à ordem e à coe- são social. • A leitura de textos sobre a questão social é es- sencial para a formação acadêmica. Como você d) Uma situação natural, resultante de confli- viu, a questão social é o objeto de trabalho do tos individuais que expressam o desejo da assistente social. Indico dois textos: igualdade social. • Ednéia Machado. Disponível em: <http://www. e) Uma expressão que nasce para designar o ssrevista.uel.br/c_v2n1_quest.htm>. Acesso em: fenômeno do pauperismo, na primeira dé- 14 abr. 2010. Primeira parte “O Trabalho Profis- cada do século XX. sional na Contemporaneidade”, Capítulo , “O Acesso em:<http://www.inep.gov.br/download/ Serviço Social na Contemporaneidade”, do livro s u p e r i o r / 2 0 0 4 / e n a d e / p r o v a s / S E RV I C O % de Marilda Villela Iamamoto “O Serviço Social na 20SOCIAL.pdf>. Acesso em: 13 abr. 2010. Contemporaneidade: Trabalho e Formação Pro- fissional”. São Paulo: Cortez. (este livro é o PLT do 1º semestre). Questão 10 FINALIZANDO “O Serviço Social em sua trajetória não adquiriu Nesse tema, você viu que estudar os fundamen- o status de ciência [...]” (IAMAMOTO; CARVA- tos históricos do Serviço Social é essencial para LHO, 2006, pág. 88). a formação acadêmica. Por outro lado, não dá a) O Serviço Social não precisa se preocupar em para compreender as origens do Serviço Social produzir conhecimentos científicos e muito sem entender suas raízes. Elas estão na socieda- menos em fazer pesquisa nos seus campos de capitalista onde as classes dominante e subal- de trabalho. terna estão em permanente tensão, embora uma b) A prática do Serviço Social recebe subsídios necessite da outra. Esse conflito gera a questão dos conhecimentos acumulados e produzi- social, objeto de trabalho do assistente social. dos pelas Ciências Humanas. Portanto, este é o caminho. c) Por se inscrever na divisão social do traba- lho, o Serviço Social não se preocupa em produzir conhecimentos. d) Como o Serviço Social se inscreve na divisão social da sociedade capitalista, basta ao as- sistente social obter o conhecimento meto- dológico dessa profissão. e) Por não se constituir uma ciência, o Serviço Social não possui argumentos teóricos para estabelecer o controle social dos trabalha- dores e difundir a ideologia dominante. 25
  23. 23. Tema 3 As origens do Serviço Social brasileiro e latino-americano Objetivos de aprendizagem • Compreender a preocupação social da Igreja Católica; • Reconhecer a influência católica no Serviço Social latino-americano, particularmente no brasileiro; • Buscar outros fatores que estiveram na origem do Serviço Social nesse continente. Para início de conversa Agora que você já sabe da necessidade de estudar alguns aspectos da sociedade capitalista para compreender o sur- gimento do Serviço Social, é importante que conheça, tam- bém, o nascimento do Serviço Social na América Latina, par- ticularmente no Brasil. A sociedade capitalista, embora seja a que rege a maior par- te dos países, em cada lugar se manifesta conforme as suas especificidades. Isso explica o motivo de o presente tema abordar também a criação do Serviço Social no Brasil e em outros países da América Latina. Por dentro do tema Compreender a preocupação social da Igreja Católica. Nos países da América Latina, entre os quais o Brasil, o Serviço Social recebeu uma forte influência da Igreja Católica. Na realidade, a igreja deu uma respos- ta aos problemas sociais no final do século XIX, por meio da encíclica social “Rerum Novarum”. A encíclica norteou o trabalho social da Igreja Católica na América Latina e, a partir daí, se formou um movimento católico internacional. É nesse contexto que nasceu o Serviço Social latino-americano, particularmente o brasileiro. Esse é um dos motivos relevantes para o estudo do presente tema. Reconhecer a influência católica no Serviço Social latino-americano, principalmente no brasileiro. Você precisa saber do envolvimento da Igreja Católica nos problemas sociais. Os trabalhadores enfrentavam dificuldades no trabalho industrial e, com isso, organizavam lutas sociais em seu favor. A Igreja, temendo a influência de outros pensamentos, se empenhou num trabalho social. A Igreja criou um aparato institucional para viabilizar um projeto social que ajudou na criação do Serviço Social latino-americano, nas décadas de 1920 e de 1930. O Serviço Social latino-americano nasceu com as primeiras escolas de Serviço Social, cujo processo foi influenciado pelo pensamento católico.26
  24. 24. Buscar outros fatores que estiveram na origem do Serviço Social nesse continenteComo foi dito, a ação social da Igreja Católica foi norteada pela “Rerum Novarum”. Cabe lembrar que essaencíclica foi uma resposta que a Igreja deu aos problemas dos trabalhadores.Portanto, havia aí as manifestações do movimento operário que se organizaram combativamente. Esse movi-mento não ficou só na Inglaterra. Na medida em que os países iam se industrializando, os trabalhadores iamse organizando. Daí a emergência do movimento operário na América Latina.É necessário que você conheça também algumas peculiaridades do movimento operário na América Latina. 27
  25. 25. Fundamentos Históricos, Teóricos eTema 3 - Atividades Metodológicos do Serviço Social I Atividades Questão 1 INSTRUÇÕES O serviço social latinoamericano nasceu sob in- O exercício de compartilhar ideias, aprendiza- fluência do pensamento católico. O Chile é o país dos, conceitos é imprescindível na atividade onde foram criadas as duas primeiras escolas de acadêmica. Para que você possa desenvolver a serviço social. Ambas nasceram na década de habilidade de comunicação e de trabalhar em 1920, num contexto de lutas operárias e de um equipe, as atividades de 1 a 5 serão feitas em trabalho social que tinha como impulsionador grupo. a União Católica Internacional de Serviço Social (UCISS). Você deverá resolver as questões de 6 a 10 indi- vidualmente. O texto em referência é: “Primeiras escolas de Serviço Social da América Latina”, um texto com- Faça desse tema um caminho para a sua forma- plementar. Concentrem-se no item que trata da ção acadêmica. Reflita e busque compreender o União Católica Internacional de Serviço Social texto e a resposta escolhida. (UCISS). Este texto será postado no ambiente vir- Importante: você deve fazer uma leitura cui- tual de aprendizagem. dadosa do enunciado de cada atividade, em Em 8 linhas, no máximo, produza um texto sobre especial dos fragmentos de textos que a ela se a UCISS. refere. Ponto de partida Se você já conheceu o processo de construção do Serviço Social na sociedade capitalista, por que estudar as origens do Serviço Social no Bra- sil e na América Latina, se a sociedade latino- americana é regida pelo modo de produção capitalista? Por que a criação do Serviço Social latino-ameri- cano e brasileiro é uma manifestação do Serviço Social na sociedade capitalista? Questão 2 Agora, é com você! Responda às questões Como você viu, o Serviço Social latino-americano a seguir para conferir o que aprendeu! nasceu por determinação do capital e por pres- são do movimento operário. O mesmo processo A seguir as questões de 1 a 5 devem ser realiza- se manifesta em cada lugar com as suas especi- das em grupo. ficidades. Por isso, é importante conhecer a ori- gem do Serviço Social na América Latina. O texto-base é o item “Primeiras escolas de Servi- ço Social da América Latina” do texto-base (com- plementar). Elabore um texto de aproximadamente 8 linhas, apresentando o processo de criação da primeira escola de Serviço Social do Chile. 28
  26. 26. Fundamentos Históricos, Teóricos eMetodológicos do Serviço Social I Tema 3 - Atividades Questão 4 A criação da escola católica de Serviço Social do Peru apresenta algumas peculiaridades próprias daquele país. Redija um parágrafo sobre o pro- cesso de criação da escola católica de Serviço So- cial do Peru. Questão 3 Na década de 1920, no Chile, foram criadas duas escolas de Serviço Social. Uma delas é con- siderada a primeira escola latino-americana. A segunda escola é o alvo dessa atividade. A par- tir do texto indicado na questão 2, apresente os principais fatos do processo de criação da escola católica “Elvira Matte de Cruchaga”. Questão 5 Ainda sobre a escola Elvira, responda a seguinte pergunta: qual foi o papel que essa escola de- sempenhou em relação à União Católica Interna- cional de Serviço Social (UCISS)? 29
  27. 27. Fundamentos Históricos, Teóricos eTema 3 - Atividades Metodológicos do Serviço Social I A seguir, as questões de 6 a 10 são de múltipla escolha. Elas deverão ser resolvidas individual- mente. Escolha uma alternativa. Questão 7 Quanto à origem de classe das alunas da escola, vale dizer que elas vinham da classe dominante Questão 6 de formação católica. A escola “[...] surgia como uma alternativa de formação para um apostola- do que, na sua efetivação, ultrapassava os marcos “À Igreja Católica, através do apostolado de seu da ação social da Igreja, enquanto tal, e que, ain- movimento laico, caberá a tarefa de reunifica- da, correspondia às suas novas orientações para ção e recristianização da sociedade burguesa os leigos. Os ‘cooperadores’ – na linguagem da por intermédio da ação sobre as corporações e “Quadragésimo Anno’ – podiam dispor de uma demais grupos básicos, [...]” (IAMAMOTO; CAR- alternativa de ação que não conflitava com o seu VALHO, 2006, pág. 159). Esse trabalho da Igreja código de classe e lhes fornecia, neste âmbito, Católica teve início com a encíclica social “Re- um campo de intervenção que contribuía para rum Novarum” (1891) e a encíclica social “Qua- resguardar o sistema de dominação. Tratava-se dragésimo Anno” (1931). de uma perspectiva a partir da qual podiam pro- Assinale a alternativa que explica o texto men- por seus modelos, educar o povo, aproximá-lo cionado. da religião, mostrar-lhe a importância de dirigir a) Por meio do apostolado laico, a igreja católi- as suas demandas pelos condutos institucionais, ca recebeu a tarefa de reunificar e recristia- agir politicamente sem a consciência popular nizar a sociedade capitalista para fortalecer oposta à hegemonia das classes dominantes. Em a classe trabalhadora. suma: contribuir para forjar uma consciência que aceitasse as diferenças de classes como resultan- b) O apostolado laico a que se refere o texto tes de uma ordem natural dada, controlando a diz respeito ao movimento que contempla, influência de idéias ameaçadoras para religião e apenas, os religiosos. o Estado” (CASTRO, 2006, pág. 126). c) O trabalho desempenhado pela Igreja Cató- Analise as alternativas que seguem sobre o texto lica de reunificar e recristianizar a sociedade mencionado. burguesa tinha como propósito fortalecer a classe dominante e não os trabalhadores, I. As alunas da escola peruana eram da classe apesar de essa instituição realizar um traba- dominante, por isso, na escola, elas recebiam lho junto às famílias dos trabalhadores. uma formação apostolar que não contradi- zia à sua origem de classe e nem se contra- d) É certo que a Igreja desenvolveu um traba- punha aos padrões burgueses. lho junto às famílias operárias, pois ela pre- tendia contribuir na superação das classes II. O trabalho da escola peruana estava de sociais, por meio do seu trabalho de recris- acordo com a “Quadragésimo Anno”. Essa tianizar e reunificar a sociedade burguesa. encíclica previa que a igreja realizasse um trabalho social, desde que não colocasse em e) A Igreja realizou um trabalho de recristia- xeque a ordem burguesa. nizar e reunificar a sociedade burguesa so- mente com o seu trabalho espiritual, sem III. O trabalho da escola peruana estava de pretender lançar mão de grupos da socieda- acordo com as diretrizes sociais da Igreja, um de. trabalho que pretendia criar uma consciên- cia de classe que aceitasse os conflitos entre capital e trabalho como uma consequência da insubordinação dos trabalhadores. IV. Uma preocupação essencial da formação dada pela escola peruana era a sua fidedig- nidade à origem social das suas alunas. 30
  28. 28. Fundamentos Históricos, Teóricos eMetodológicos do Serviço Social I Tema 3 - Atividades V. A Igreja pretendia realizar um trabalho edu- cativo com o povo com vistas a aproximá- lo da religião e a agir politicamente, porém Questão 9 sem fazer a sua opção de classe pelos traba- lhadores para não quebrar a hegemonia das O texto abaixo discorre sobre a formação das vi- classes dominantes. sitadoras sociais da escola Elvira Matte de Cru- É válido o contido em: chaga: “‘[...] a formação de visitadoras sociais católicas, que desenvolvam as suas atividades à a) I e II, apenas. base de uma verdadeira caridade cristã; visitado- b) I, II, IV e V, apenas. ras que não só cuidem do aspecto material dos c) II e III e IV, apenas. seus assistidos, mas que se dediquem com amor d) I, II, III, IV e V. a tratar também de suas almas (...). Baseando-se nestes princípios, a Escola concebe o Serviço So- e) I e V, apenas. cial mais que como uma simples profissão; con- cebe-o como vocação para a qual são tão neces- sários os conhecimentos técnicos como o amor. Questão 8 [...]’” (Escuela de Servicio Social Elvira Matte de Cruchaga, 1930 -1940, págs. 7-8 apud CASTRO, 2006, pág. 74). “Ao Estado correspondeu a promulgação da Lei Analise o texto acima e assinale a afirmativa cor- nº 8. 530, de abril de 1937, pela qual se criava reta. a ESSP, fixavam-se os mecanismos de financia- a) As visitadoras sociais recebiam uma formação mento, as relações de dependência para com preocupada em oferecer uma ajuda material, o Estado, os organismos encarregados da sua sem, contudo, se preocupar com o trabalho condução etc. A Igreja, por seu turno, assumiu espiritual, pois era consenso que a Igreja não a orientação ideológica e a estrutura acadêmica havia perdido a sua hegemonia ideológica. – tarefas que pôde desempenhar graças à sua inserção no poder e à influência que sempre b) A formação que as visitadoras sociais rece- conservou, apesar de alguns enfrentamentos biam da escola mostrava que o trabalho des- que teve com o bloco dominante. “ (CASTRO, sa escola era voltado para a ajuda material e 2006, pág. 122). para o trabalho espiritual. É válido dizer que, no texto, o autor afirma que: c) No trabalho que a escola desempenhava jun- to às visitadoras sociais não havia qualquer a) O Estado e a Igreja exerciam papéis diferen- preocupação em solidificar os princípios cris- tes na criação da escola peruana, porém es- tãos. ses papéis se complementavam. d) A formação das visitadoras sociais aliava, tão- b) A estrutura da formação acadêmica ficou somente, o conhecimento teórico com o co- por conta da Igreja, mas sem forçar a opção nhecimento prático, não direcionando para a de classe das alunas da escola peruana. orientação religiosa. c) O Estado e a Igreja tinham os mesmos obje- e) O trabalho da escola junto às visitadoras so- tivos na criação da escola peruana, contudo ciais mostra a forma como ela concebe o Ser- eles se divergiam na sua orientação de clas- viço Social: um trabalho restrito ao conheci- se, pois um defendia a burguesia e a outra mento técnico. os trabalhadores. d) O trabalho social que a Igreja desempenha- va era de tal forma ligado à classe dominan- te que mostrava que, em nenhum aspecto, ela teve um enfrentamento com a burgue- sia. e) A orientação ideológica e de estruturação da escola peruana ficava por conta do Esta- do e os mecanismos financeiros vinham so- mente da Igreja. 31
  29. 29. Fundamentos Históricos, Teóricos eTema 3 - Atividades Metodológicos do Serviço Social I IV. O capital tinha interesse no trabalho do ad- Questão 10 vogado por atuar na mediação entre capital e trabalho, evitando com ele maiores proba- bilidades de uma rebelião social. “Os conflitos trabalhistas e a aplicação da legisla- V. O capital tinha interesse no trabalho do ad- ção pertinente, bem como as expressões do pro- vogado por atuar na mediação entre capital testo operário, eram tratados pelos advogados. e trabalho, evitando com ele maiores proba- E o problema da saúde era especialmente agudo bilidades de uma rebelião social. Mas, o tra- no momento em que a acumulação capitalista balho do médico era necessário na medida condenava à enfermidade milhares de trabalha- em que preparava o trabalhador para estar dores: a prevenção e a terapia eram precárias, em condições de produzir. não havia a necessária infraestrutura e se care- cia de um amplo corpo de profissionais – e, ba- A forma de o capital tratar o trabalho do médico sicamente, o capital não estava interessado em e do advogado está contida em responder a estas demandas de caráter social.” a) II, IV e V, apenas. (CASTRO, 2006, pág. 38). b) I, II e V, apenas. Reflita sobre o seguinte comentário que é basea- c) I, III e IV, apenas. do no texto acima: d) I, II, III, IV e V. Sobre os problemas sociais, o autor afirma que, e) I e III, apenas. no final do século XIX, a sociedade chilena apre- sentava sinais de industrialização. É claro que isso trazia os problemas próprios da mesma. Por ou- AMPLIANDO O CONHECIMENTO tro lado, as mazelas sociais advindas da explora- ção capitalista2 exigiam o trabalho do médico, do Você pode saber mais sobre esse assunto! Con- advogado, do assistente social e de outros profis- sulte: sionais. É importante a leitura de outros textos para am- Assinale a(s) alternativa(s) que mostra(mostram) pliar o seu conhecimento sobre as origens do o trabalho do médico e do advogado no capita- Serviço Social latino-americano, particularmente lismo. o brasileiro. Serão disponibilizadas algumas refe- I. O capital tratava o trabalho do médico e do rências para a sua leitura. advogado com o mesmo interesse, pois in- • Capítulo II “Igreja, Relações de Produção Capi- teressava aos empresários chilenos propiciar talista e o Período de Gênese da Profissão” do condições além daquelas necessárias à pro- livro de CASTRO, Manrique Manuel. “História do dução. Serviço Social na América Latina”. Tradução de II. O capital respondia às mazelas sociais advin- José Paulo Netto e Balkys Villalobos. 7.a ed. São das do processo de produção dando o apoio Paulo: Cortez, 2006. pág. 176. necessário aos advogados, pois eles atuavam • Capítulo III “A Igreja Católica e a Formação das na resolução do conflito entre o capital e o Primeiras Escolas de Serviço Social na América trabalho, porém o mesmo interesse não se Latina”; do livro de CASTRO, Manrique Manuel. apresentava ao trabalho do médico. História do Serviço Social na América Latina. Tra- III. Com relação aos problemas advindos da dução de José Paulo Netto e Balkys Villalobos. 7.a industrialização, a burguesia chilena dava ed. São Paulo: Cortez, 2006. pág. 176. maior importância ao trabalho do médico. A saúde estava em primeiro plano, em especial o trabalho preventivo, que dava condição de o trabalhador atuar no movimento operário. 2 A sociedade capitalista é formada pela classe burguesa e pela classe trabalhadora. Nessa sociedade, “[...] as relações de produção são relações entre classes sociais, proprietários e não-proprietários.” (WIKIPÉDIA). Disponível em:<http:// pt.wikipedia.org/wiki/Rela%C3%A7%C3%B5es_de_ produ%C3%A7%C3%A3o>. Acesso em: 18 dez. 2006. Da relação capital e trabalho emerge a questão social nas suas diversas expressões, desemprego, miséria etc. 32
  30. 30. Fundamentos Históricos, Teóricos eMetodológicos do Serviço Social I Tema 3 - Atividades FINALIZANDO Nesse tema, você viu que é preciso conhecer a forma como o Serviço Social se originou na Amé- rica Latina. Em cada lugar o Serviço Social se ma- nifesta conforme as suas particularidades. 33
  31. 31. Tema 4 Manifestações sociais da década de 1920 e de 1930 Objetivos de aprendizagem • Reconhecer o papel das encíclicas sociais na sociedade; • Compreender as posições do governo e da Igreja em relação ao contexto social das décadas de 1920 e de 1930; • Compreender os fatores que impulsionaram a implantação das leis sociais na política de governo. Para início de conversa Como você viu, o Serviço Social nasceu por uma demanda do capital monopolista. Aí está a razão de o assistente social estudar a organização da sociedade capitalista. Contudo, esse conhecimento não basta, uma vez que os fatos que ocorrem na sociedade capitalista, em cada lugar apresen- tam as suas peculiaridades. Por conta disso, você estudou alguns aspectos políticos, econômicos e sociais do Chile e do Peru. Todo esse trabalho vai dar base para você se inteirar da implantação do Serviço Social no Brasil. Isso pressupõe o estudo das manifestações brasileiras das décadas de 1920 e de 1930. Por dentro do tema - Reconhecer o papel das encíclicas sociais na sociedade No tema 3 você ficou sabendo da divulgação da encíclica social “Rerum Nova- rum” pelo Papa Leão XIII, em 1891. Na verdade, a “Rerum Novarum” foi uma resposta que a Igreja deu para os problemas sociais, que tiveram início na fase monopolista do capital. Cabe lembrar que os problemas sociais aumentavam com o aprimoramento das tecnologias. Quarenta anos depois da “Rerum Novarum” (na década de 1930), veio a en- cíclica “Quadragesimo Anno”. A Igreja, então, dá continuidade ao seu projeto social. Você vai perceber que a “Rerum Novarum” levou algumas figuras da Igreja Católica brasileira a chamarem a atenção para a questão social. Por sua vez, a “Quadragesimo Anno” deu as bases para a implementação do movimento católico leigo iniciado com a “Rerum Novarum”. Logo, o papel social das encíclicas está ligado aos problemas sociais originados nas demandas do capital monopolista.34
  32. 32. - Compreender as posições do governo e da Igreja em relação ao contexto social das décadas de 1920e de 1930Com relação à Igreja, é importante chamar atenção para o envolvimento dela com os problemas sociais. Guia-da pelas diretrizes das encíclicas sociais, a Igreja Católica desenvolveu um trabalho na sociedade que focou,dentre outros segmentos, as famílias operárias. Era temida a influência comunista no meio dos trabalhadores.O Estado também tinha o propósito de evitar perturbações que pudessem vir das lideranças comunistas.Não dá para compreender as manifestações ocorridas na sociedade brasileira nas décadas de 1920 e de 1930sem estudar as formas de enfrentamento da questão social do Estado e da Igreja Católica.- Compreender os fatores que impulsionaram a implantação das leis sociais na política de governoDepois que você conheceu o papel das encíclicas sociais na sociedade e as posições do governo e da Igreja,você vai estudar as greves no meio operário realizadas pelo sindicalismo anarquista, a criação do Ministériodo Trabalho para conciliar os conflitos estabelecidos entre capital e trabalho, o direito à greve e o atrelamentodo sindicalismo ao governo, dentre outros fatores. Da parte da Igreja Católica foram criadas instituições queforam ampliadas na década de 1930, que implementaram o movimento intelectual católico. 35
  33. 33. Fundamentos Históricos, Teóricos eTema 4 - Atividades Metodológicos do Serviço Social I Atividades INSTRUÇÕES As questões de 1 a 5 deverão ser realizadas em grupo de 4 ou 5 alunos. O trabalho em equi- pe possibilitará que você amplie o seu conheci- mento e exercite a comunicação. Importante: faça uma leitura cuidadosa do enunciado de cada atividade, em especial dos fragmentos de textos que a ela se referem. Ponto de partida Por que você considera importante conhecer as Questão 2 manifestações sociais brasileiras das décadas de 1920 e de 1930 no âmbito do estudo do Serviço Faça uma leitura cuidadosa do texto “História: Social? Movimento Operário da República Velha”, de ROBERSON DE OLIVEIRA. Disponível em:<http://www1.folha.uol.com.br/ folha/educacao/ult305u12950.shtml>. Acesso em: 8 set. 2009. Com base no texto produza um breve resumo, destacando os pontos referentes às lutas operá- rias no Brasil. Agora, é com você! Responda às questões a seguir para conferir o que aprendeu! As questões de 1 a 5 você deverá realizar em grupo. Questão 1 De acordo com Iamamoto e Carvalho (2006), no Brasil, a República Velha terminou sem que a Igreja e o Estado assumissem a questão social. Qual foi a postura adotada pela Igreja na Re- pública Nova em relação à questão social? Ex- plique. 36
  34. 34. Fundamentos Históricos, Teóricos eMetodológicos do Serviço Social I Tema 4 - Atividades Questão 3 O processo de industrialização brasileiro trou- xe marcas para os trabalhadores, pois o Brasil, como você sabe, é regido pelo modo de produ- ção capitalista. Na medida em que aumentava a exploração social, os trabalhadores reagiam contra. Nesse contexto, a jornada de trabalho sofreu algumas alterações. Com base na leitura da página 129 do PLT (lo- calizada no item “A Questão Social na Primeira República”), escreva uma frase sobre a jornada de trabalho (do início do século XX até o início Questão 5 da década de 1920). Para que foi criada a Juventude Operária Cató- lica (JOC)? Questão 4 Você deverá responder às questões 6 a 10 que são de múltipla escolha. Você deverá resolvê-las Durante a República Velha predominou a bur- individualmente. guesia cafeeira, que entrou em decadência a partir do Movimento de 30. Esse movimento iniciou uma fase em que foi implementada a industrialização e havia concessões sociais. Com base nessa frase, explique a forma como o Esta- Questão 6 do tratou a questão social na década de 1920 e na década de 1930. Analise as afirmativas relativas ao trabalho social da Igreja Católica no Brasil nas décadas de 1920 e de 1930. Utilize V para as afirmativas verdadeiras e F para as afirmativas falsas: a) A hierarquia iniciou e coordenou um traba- lho de reformulação política e religiosa na segunda metade da República Velha. b) Na década de 1930 o trabalho social da Igreja foi menos intenso que o da década de 1920, pois não havia tanto empenho por parte da hierarquia como houve na década anterior. 37

×