DNA Aliança 2

231 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
231
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

DNA Aliança 2

  1. 1. ENFOQUE ALIANCISTA DE SANTIFICAÇÃO: ANTECEDENTES BÍBLICOS E HISTÓRICOS
  2. 2. 1. O tratamento de um tema tão essencial para o pensamento de A.B. Simpson, devemos rever e levar em conta aquelas convicções que marcaram o início da história:
  3. 3. Convicções que marcaram o início da história: 1a. Unidade em tudo aquilo que é essencial (2 Tes. 2:15) Estes eram os temas que não permitiam negociação. Temas centrais de doutrina. Não havía possibilidade de variação.
  4. 4. Convicções que marcaram o início da história: 1b. Liberdade em tudo aquilo que não era essencial (Romanos 14). Muitos temas da vida e doutrina são secundários e devem ser objetos de liberdade de consciência e de fé.
  5. 5. Convicções que marcaram o início da história: 1c. Amor em todas as coisas (Col. 3:14-15). A Aliança deu liberdade para que cada um pudesse presentar suas opiniões, no entanto não exerceram pressão em um espírito agressivo e controverso. Os líderes da Aliança desde cedo decidiram concordar em estar em desacordo, mas em paz, onde reina o amor e a aceitação mútua.
  6. 6. • 2. Antecedente histórico da santificação em A. B. Simpson:
  7. 7. Antecedente histórico da santificação em A. B. Simpson • 2a. O avivamento na Inglaterra durante o ministério de D.L. Moody (1872-1873) impactou a Simpson. Moody dava testemunho do enchimento do Espírito Santo e como o seu ministério havía sido transformado.
  8. 8. Antecedente histórico da santificação em A. B. Simpson • 2b. W.E. Boardman e R. Pearsall Smith visitam a campanha de Moody. Boardman escreve um livro decisivo sobre a experiência de Simpson: “The Higher Christian Life!” (1859). Ambos são impactados pela relação entre santificação e o evangelismo em Moody.
  9. 9. Antecedente histórico da santificação em A. B. Simpson • 2c. Ao voltar dos EUA organizou convenções por todo o país sobre a santificação. Simpson participa de uma delas em 1874. Ele chega somente na parte preliminar da convenção onde escutou testemunhos, e foi o suficiente.
  10. 10. • Um testemunho: “Amigos, vim aqui para ver se poderia tirar algo desta convenção, mas Deus me levou a sós com Ele, e eu tive uma visão de Jesus que nunca mais vou necessitar de alguém ou de algo mais.”
  11. 11. Antecedente histórico da santificação em A. B. Simpson • 2d. 1874: Simpson aceita o pastorado em Louisville, Kentucky. A Guerra Civil americana havia deixado um milhão de mortos e grandes perdas econômicas. Abundava o ódio no pós-guerra, prejuízos civis e famílias profundamente feridas por causa da guerra.
  12. 12. • Na procura espiritual de Simpson surgem termos como: “A vida mais profunda” “A total suficiência de Cristo Jesus”, “A experiência da crise”; termos que indicam tanto a proximidade da experiência de santidade quanto a sua distância.
  13. 13. Antecedente histórico da santificação em A. B. Simpson • 2e. Ao celebrar seus cinquenta anos de ministério, Simpson relata sua experiência de santidade:
  14. 14. • “O Senho Jesus é revelado como Presença viva e com total suficiência; e soube pela primera vez em minha vida que Cristo não havía nos salvado dos perigos futuros e não havía nos abandonado para lutar a peleja da fé tão bem como pudéssemos, senão que Ele mesmo havía nos justificado e estava esperando santificar-nos, para romper em nosso espírito, sustituindo Sua força, Sua santidade, Seu gozo, Seu amor, Sua fé, Seu poder por todos nossos valores e nos transformar em uma realidade “Habitarei entre vós e caminharei convosco”. Através do umbral do (meu) espírito passou um Ser tão real como o Cristo que veio a Jõao em Patmos, e a partir desse momento um novo segredo tem sido o encanto, a glória, e a fortaleza da vida e do testemunho.” (A.B.Simpson, editorial, The Alliance Weekly, 1915).
  15. 15. • 3. A santificação em Simpson:
  16. 16. • Simpson entendia que a santificação era trazer a vida de Cristo Jesus para o crente. Este talvez seja o maior problema em compreender a santidade aliancista.
  17. 17. A santificação em Simpson • 3a. No evangelismo de Moody, eram feitas chamadas ao altar, ensinava sobre a necessidade do batismo do Espírito Santo como um passo consequente. Moody ensinava que a salvação consistia experimentalmente em receber o ES, mas era necessário o batismo do ES para suprimir a natureza carnal e alcançar uma vida vitoriosa de serviço.
  18. 18. • Moody continuou este pensamento do movimento dos irmãos (livres) que Simpson qualificou como os “supresionistas”. A natureza carnal permanecia mesmo depois da plenitude do Espírito, mas foi suprimida pelo andar obediente do crente no Espírito.
  19. 19. • O segundo movimento que Simpson descartava era aquele que ele chamava “perfeccionismo”. Em seu tempo era um movimento muito forte que pregava a extinção da mente carnal do crente e a perfeita comunicação da alma com o Espírito Santo.
  20. 20. La santificación en Simpson • 3b. A “vida profunda” (Simpson) ou a “vida superior” (Boardman) não consistia na erradicação do pecado ou da natureza pecaminosa. Consistia na necessidade de compreender a realidade da natureza caída do crente e a realidade de ser “nada” e a impossibilidade de apropriar o espiritual por si mesmo, por sua vez apropriar a plenitude da autoridade e do poder de Cristo na pessoa e obra do Espírito Santo. A instrumentalidade da pessoa do ES no processo de santidade é fundamental.
  21. 21. • 4. Cristo santificador, o batismo do Espírito Santo e a experiência de crise.
  22. 22. • Na teologia aliancista Cristo na redenção é o tema de santificação e da plenitude do ES. O ES chega para moldar o crente em Cristo e a Sua plenitude (João 16:14-15). O ES traz o crente para a santidade e plenitude de Cristo.
  23. 23. • Simpson e a liderança inicial da Aliança defendiam a vida cheia do Espírito Santo caracterizada por uma crise de fé. Pardington especialmente cria que a recepção da plenitude (batismo, plenitude) poderia ocorrer na conversão ou subsequente à conversão. Simpson concordava plenamente com esta posição :
  24. 24. • “Estamos dispostos, no entanto, a aceitar que o batismo do ES pode ser recebido ao mesmo tempo que acontece a conversão. Temos visto o pecador convertido, santificado… no mesmo momento (de sua conversão) e para cada um a experiência é diferente… O que defendemos é que o batismo do ES é uma experiência única e deve ser apropriada a um ato de fé, e isto inclui uma crise consistente de uma total redenção e entrega…” (A.B. Simpson Living Truths, Dic. 1905)
  25. 25. •Conclusões:
  26. 26. Conclusões : • 1. A Aliança em todo continente tem sido impregnada de pneumatologias e teologias (dispensacionalismo, pentecostalismo, etc.) diferentes das existentes na época de Simpson.
  27. 27. Conclusões : • 2. Portanto o conceito de santidade tem sido moldado às custas de evitar excessos produzidos em outras posições doutrinárias.
  28. 28. Conclusões : • 3. Nem todos hoje em dia estão de acordo com a posição prematura da Aliança em torno da santificação.
  29. 29. Conclusões : • 4. Devemos reconhecer uma falha de procedimento na aquisição da experiência de santidade.
  30. 30. Conclusões: • 5. O essencial da Aliança ainda nos ilumina, devemos estar unidos na diversidade e respeitar-nos em amor. A santidade não é uma doutrina mas essencialmente é uma experiência que permea a vida de Cristo em nós.
  31. 31. Deus nos leve pela mão na caminhada para uma vida profunda! Walter Pérez Doglio, PhD

×