DNA Aliança Semiba 1

186 visualizações

Publicada em

semiba DNA Aliança 1

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
186
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

DNA Aliança Semiba 1

  1. 1. SUCESSOS COM IMPLICAÇÕES TEOLÓGICAS QUE OCORREM DESDE O SÉCULO XX
  2. 2.  DUAS GUERRAS MUNDIAIS.  Máxima influência do Movimento Missionário conduzido desde os EUA.  GUERRA DO VIETNAM 1965-1975  Início da decadência gradual do Movimento Missionário Cultural.  ANOS 60: BATISMO DO ESPÍRITO SANTO E LÍNGUAS.  Dividiu a Aliança em muitos lugares.  Atitudes e reações pela via negativa  ANOS 70:  Movimento de Renovação Carismática chefiada por Juan Carlos Ortiz y Orville Swindoll. Afetou a Aliança na Argentina e outros países da região.  Surgimento do Movimento de Crescimento de Igrejas, Unidade Homogênea e de regiões com maior resposta ao evangelho. A Aliança assume estas posturas.
  3. 3.  ANO 2000ATÉ HOJE: NASCIMENTO E DECADÊNCIA DO REDUCIONISMO MISSIOLÓGICO.  Estatísticas e economia ditam a visão. Modelo MissionárioTradicional vs. Igreja Missional.  Falta de uma reação regional ao novo mundo em que vivemos no século XXI (iniciado 11/9 e pós-modernismo).
  4. 4.  AAliança não tem mostrado facilidade de ler os movimentos que estão acontecendo.  Geralmente, a reação aliancista foi pela via negativa. Ea rejeitou ou, pelo contrário, foi pela via da aceitação total sem capacidade de reflexão.  Os movimentos que ocorreram são exclusivos um do outro. Por exemplo: não há relação entre o “dom de línguas” com a “unidade homogênea de crescimento de igrejas”. Isto demonstra que a fragmentação termina sendo incoerente com um todo teológico.  Ignora-se a riqueza e abundância do pensamento aliancista das primeiras épocas, por um romance histórico que é claramente inadequado.
  5. 5.  John Wesley (1703-1791). A conversão de Wesley foi o resultado da influência dos Moravos e Conde Zinzerdorf. Desejou reavivar a santidade bíblica. Não cria que as duas naturezas, a caída e a regenerada, continuassem em conflito ao longo de toda vida do crente. A velha natureza é removida pela natureza regenerada.  Phoebe Palmer (1807-1874). A santificação é uma atitude da vontade. É um estado de graça. “O altar santifica a oferta.” Santificação requer três passos: consagração, fé e confissão.  William Boardman (1810-1886). The Higher Christian Life (1858). Acreditava que a santificação era diferente da justificação/conversão da natureza e tempo. A primeira conversão e a segunda conversão. A santificação não é ser livre de “algo” com a ajuda de “alguém.” É na pessoa de Jesus Cristo.
  6. 6.  O Movimento Keswick (1875).A justificação tem a ver com a condenação do pecado; a santificação tem a ver com o domínio sobre o pecado. “Tendência” é parte da condição humana.A pesar da santificação, a inclinação do pecado permanecerá.A solução do problema consiste em vencer. A vitória sobre o pecado.  Jonathan Edwards (1703-1758).Os avivamentos são inesperados e “são eventos surpreendentes da parte de Deus.” Nenhuma ação humana pode estimular o avivamento.  Charles Finney (1792-1875).Os avivamentos são buscados, planejados, iniciados, conduzidos e alcançados.A vontade humana é decisiva. (A libertade de escolha foi uma idéia básica no avivamento do século XIX.)
  7. 7.  “Toda agência missionária tem sua fonte na profunda vida espiritual” (Simpson, 1899.)  “Quero pessoas que estejam suficientemente mortas para si mesmas para que possam ser livres para servir a outros” (Simpson, 1890.)
  8. 8.  “Sem dúvida, a ênfase de Simpson na obra cósmica de Cristo e a identificação do crente com Cristo tem importantes implicações para obra missionária. A vida cristã mais elevada e Missões diretamente se complementam uma com a outra, porqueCristo não vem habitar ou preencher o crente meramente para garantir bons sentimentos ou experiências, mas vem para capacitar a viver por Cristo e Seu Reino.” (Stoez)
  9. 9.  A base da santificação é a identificação com a plenitude de Jesus. “Cristo em nós, a Esperança da Glória” (1 Col. 1:27)  É o plano de Deus que o cristão seja totalmente santificado. “ E o Deus de paz os santifique inteiramente” (1Tes. 5:23)  A santificação não significa apenas poder para santidade mas poder para servir. “Santidade não é um prazer desejado pelo crente, mas o poder para o serviço” (Thomas 1986)  O cristão deve ter a vida cheia do Espirito através de uma experiência particular e definitiva  A verdadeira santidade produz zelo evangelístico. “...Nenhuma alma pode receber este fluir profundo e divino de vida e permanecer imóvel em si mesma”
  10. 10.  Simpson cria que existia uma vida em um plano superior para o cristão.  Essa vida superior era um chamado a uma vida de descanso pela fé.  Cria que a santidade havia sido alcançada por nós e consequentemente não deveríamos nos esforçar para obtê-la.  Simpson estava convencido que a plenitude da vida cristã veio pela obra do Espírito Santo.  Simpson via a vida santificada como cheia de gozo.  Ele cria que a consagração da alma, corpo e espírito era essencial para a plenitude do Espírito Santo.  Embora a plenitude do Espírito é obra soberana do mesmo Espírito através da morada de Cristo, há uma resposta necessária que vem da parte do crente.
  11. 11.  “A postura de Simpson concorda plenamente com o espírito de sua época. Embora seja uma postura cristocêntrica, não podemos ignorar que é logo no início do pentecostalismo que os eruditos começam a prestar mais atencão à pneumatologia também. Particularmente creio que aqui nós, como aliancistas, não temos feito muito. Estudamos o enchimento do Espírito Santo somente através de Cristo (o que é bom e como deve ser), mas noto que não entendemos a plenitude pela perspectiva da própria pneumatologia.” (Palomino)
  12. 12.  Año 1874.Chestnut St. Presbyterian Church in Louisville, Kentucky. Livro de Boardman. Promessa Atos 9:3 “... os céus se abriram.”  Año 1881. Foi inaugurado o tabernáculo do evangelho em NewYork.  Año 1885. Simpson assiste a conferência sobre em Londres.  Año 1900. Simpson escreve “a permanência de toda obra depende essencialmente, não tanto do gênio e energia de seus fundadores, como da pergunta se os princípios essenciais satisfazem a necessidade do coração dos homes...a qual nenhuma outra coisa pode encher...especialmente a aspiracão de todo cristão a uma vida cristã mais excelente possível revelando o segredo pelo qual pode ser obtido através da morada da vida de Cristo e do poder do Espírito Santo.”
  13. 13.  Uma mulher Afro-Americana falou em línguas na igreja de Simpson antes de 1897.  Simpson experimentou o “riso santo” por mais de uma hora.  Líderes importantes da Aliança falaram em línguas: John Salmon (Vice Pte.), Robert Jaffray,Alfred Snead, etc.  Simpson desejou falar em línguas mas nunca as recebeu.  Kathryn Kuhlman participou do Instituto Bíblico de Simpson 1924-1926.  William Joseph Seymour, o propulsor do avivamento da rua Azusa, posteriormente concordou com o ensino da Aliança sobre as línguas e pregou nas igrejas da Aliança.  O sogro do líder chinêsWatchman Nee foi pastor da Aliança.  Curas com alongamento de pé aconteceram na Aliança nos anos 1890 e 1960.
  14. 14.  “Não é possível em um movimento como este, que representa todas as denominações evangélicas, e que é mais fraternal que eclesiástico, formular uma declaração exata de fé em todos os temas e que satisfazem a todos nós. A Conferência buscará, presumimos, definir linhas as quais confiamos com a liberdade de opinião individual e aquelas linhas que esperamos uniformidade…Os pontos essenciais para nosso testemunho são Salvação, Santificação, Cura Divina e aVinda do Senhor. E mesmo nesses temas há muita variedade de expressão e opinião. Não podemos esperar que todos que ensinam sobre a santificação concordem em frases e processos...” (Simpson)
  15. 15.  Uma segunda e definitiva benção, de natureza diferente, embora não necessariamente isolada no tempo da experiência de conversão.  O batismo do Espírito Santo como uma experiência diferente, não só para obter poder no serviço, mas para a santidade pessoal e de vitória sobre o mundo e o pecado.  A morada de Cristo no coração do crente consagrada como uma experiência diferente.  A santificação pela fé como um dom particular da graça de Deus ao coração rendido e aberto à SuaVontade.  Crescimento na graça e na vida profunda do Espírito Santo como algo diferente, resultante da experiência de santificação.
  16. 16.  “A principal característica deste novo pacto ao qual Jeremias anunciou reside no fato que Deus promete escrever Sua lei “nos corações”…O antigo pacto deu luz à lei, mas não deu o poder e a disposição para obedecer. Contudo, o novo pacto…faz parte de nossa natureza, que incorpora a nossa vontade, as nossas decissões e nossos desejos, as nossas intuições, de tal maneira que chega a ser uma segunda natureza, de onde surge os desejos espontâneos e nossa vida mais profunda…”
  17. 17.  Vs. 25-26: “Este primeiro passo inclui perdão e conversão, que é a disseminação de água limpa….o poder dos pecados, remover o coração de pedra e pôr um coração de carne…” “O novo coração vai querer fazer o bem, mas não te dá o poder para fazer o correto”. O que é que produz este poder?  Vs.27 : “ É a morada do Espírito Santo e a chegada do Seu poder santificador ao coração do crente…Há algo diferente sobre este espírito novo. É Deus mesmo chegando a morar no novo espírito pelo Seu Santo Espírito trazendo tal poder que leva a alma a caminhar em santidade e lhe capacita a guardar Seus mandamentos”.
  18. 18.  Vs.28-30: Esta terceira dimensão é o fruto e a benção. Simpson vê em consequência, uma primeira dimensão de regeneração, diferente da segunda que é a morada e a plenitude do Espírito Santo; a terceira é uma vida cristã abundante em frutos.  Simpson também descreve os significados da santificação.O primeiro é a idéia de separação; o segundo é a decisão da dedicação; o terceiro aspecto é a “plenitude”, “ enchimento”.  “Somos santificados pela morada da vida e do poder do Espírito Santo em nós, enchendo nosso espírito, alma e corpo com a vida de Jesus Cristo.” Simpson.

×