Cap 12

94 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
94
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cap 12

  1. 1. Após aquela reveladoraconversa com Adolf, Evelyn finalmentedescobre o assassino, nada mais nadamenos do que seu pai Fritz, mas ela nãoconseguia acreditar que seu pai fingiu suaprópria morte para matar sua mãe, isso erahorrível.
  2. 2. Mesmo estando abalada com arevelação da identidade doassassino, Evelyn percebe que suainvestigação foi um sucesso, ela estavalivre das correntes do passado, jádescobrira quem matou sua mãe e isto jáera o bastante, alias, procurar Fritz para sevingar para quê? Era o que elapensava, não queria mais saber daquelahistoria
  3. 3. Evelyn então decide ir para oorfanato Frida Weber para revelar a seuirmão quem era o assassino deMarion, agora eles podiam viver em paz.Chegando na estação, Evelyn compra suaspassagens na bilheteria, se dirige para ovagão de passageiros, entra em umacabine, fecha as portas e procuradescansar, as revelações de ontem aindaatormentavam-na em sua mente, nãodemora muito e ela cai no sono.
  4. 4. Não demora muito e Evelyndesperta, ela se vira para o lado para pegar um agasalho em sua bolsa, alias era inverno e já passara das 20h00min, ao se virar, ela enxerga algo estranho na janela do trem, ela se aproxima para ver o que é, então de repente ela vê novamente o reflexo de sua mãe, ela se assusta e desperta novamente, aquilo fora apenas um pesadelo, que intriga Evelyn, será umaviso de minha mãe? mas ela não acredita nisso, alias ela já havia descoberto a identidade do assassino, seu pai Fritz.
  5. 5. Ela chega a estação, desce do trem e semistura a multidão de outros passageirosque também desembarcavam, sua missão agora era ir a encontro de seu irmão.
  6. 6. Evelyn não demora muito parachegar ao orfanato F. Weber, vendo aquele local ela se lembra do tempo difícil, emque teve de sofrer calada e sozinha, apenas na companhia de Herbert, pela morte de sua mãe, mas essas lembranças nãosignificam mais nada para ela, Evelyn quer começar uma nova vida ao lado de Matthew, Marie e Herbert, e, de uma vez por todas esquecer o passado.
  7. 7. Ela chega até a porta e toca opequeno sino pendurado no teto dapequena arinha que cercava a entrada doorfanato, prontamente é atendida por umasenhora, chamada Frida, a dona do local.Ela foi como uma avó para Evelyn, elaguarda boas recordações da velha senhora.D. Frida então pergunta o porquê da visitade Evelyn:
  8. 8. _Oh! Evelyn, que saudades devocê minha menina! Fazer uma visitasempre é bom, vamos entra, aqui fora estafrio. _Obrigada vovó Frida! –Entram no orfanato, que esta repleto decrianças brincando – É incrível como asenhora ainda se lembra de mim! – DizEvelyn, surpresa com a memória dapequena senhora.
  9. 9. _Como poderia esquecer deuma menina tão meiga comovocê, venha, vamos ao escritório – elas dãoalguns passos e logo chegam a pequenasalinha – aceita um cafezinhoquerida, aqui também tem aquelespãezinhos de mel que eu sei que vocêadora! _Não vovó, Obrigada. _Oh minha filha, você aindatenta me enganar? _Como assim vovó Frida?
  10. 10. _Eu sou velha mas não caduca!– fala D. Frida aos risos, causando omesmo em Evelyn-Eu conheço vocêquerida, eu sei o quanto você sofreu antesde chegar até aqui no orfanato, e tambémsei o quanto foi difícil deixar seuirmão, que adoecia a cada dia, para quepudesse descobrir... _Pare! – Interrompeu Evelyn –desculpe vovó, mas não quero que toqueneste assunto, ainda não suporto saber quemeu pai fingiu sua morte para matarminha mãe – Fala Evelyn com os olhos jámarejados, mas que logo são enxugadospara não preocupar D. Frida
  11. 11. _Então, por que veio aqui? Pracomer pão de mel que não foi... – IndagaD. Frida, irritada porque Evelyn nãoaceitou os seus pães de mel, soltandogargalhadas ao final da frase. Logo após parar de rir, Evelyndiz: _Vim buscar Herbert, vamoscomeçar uma nova vida. Diz Evelynentusiasmada. Então, um minuto desilencio toma a sala, Evelyn não entende opor que, então senhora Frida diz:
  12. 12. Ele não esta mais aquiquerida... _Mas como! – Exclama Evelynjá exaltada – Ele estava passando porproblemas e adoecendo a cada dia, comopuderam fazer isso com ele?
  13. 13. _Querida entenda! Ele jáestava há seis anos aqui no orfanato, já iacompletar 20 anos de idade! Ele já eramaior de idade e aqui era um orfanatopara crianças, eu tive que deixá-lo ir viversua vida! Não podia sustentar um homemvagabundo com problemas que sóatrapalhava minha vida! – Disse D. Fridanum momento de exaltação, onde mostrasua verdadeira personalidade, uma velhahipócrita e individualista que queriacuidar de órfãos apenas para não ir para oinferno quando morresse.
  14. 14. Com isso, Evelyn se põe achorar, onde estaria seu irmão? Será queela vai começar uma nova vida? Respostasapenas nos próximos capítulos
  15. 15. ©2013 Portal Machado de Assis

×