1ª EDIÇÃO - BOLETIM INFORMATIVO

1.707 visualizações

Publicada em

1º BOLETIM INFORMATIVO DA CASA DO MENOR - NACIONAL

Publicada em: Espiritual, Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.707
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
67
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1ª EDIÇÃO - BOLETIM INFORMATIVO

  1. 1. Boletim Informativo - Nacional – JANEIRO DE 2011 – 1ª Edição RETIRO DA FAMÍLIA VIDAA CASA DO MENOR DE FORTALEZA RECEBEU TODOS OS VOCACIONADOS DA FAMILIA VIDA PARA RENOVAÇÃO DE SEUS VOTOS. Casa do Menor São Miguel Arcanjo 1
  2. 2. CASA DO MENOR SÃO MIGUEL ARCANJOMENOR BOLETIM INFORMATIVO EDITORIAL LEANDRO MONTEIRO AGRADECIMENTOS Dep. Boletim Informativo AGRADECEMOS A TODOS OS ENVOLVIDOS NA ELABORAÇÃO DESTE BOLETIM E A CASA DO MENOR SÃO O Boletim informativo da Casa do MIGUEL ARCANJO POR INCENTIVAR A CULTURA E A COMUNICAÇÃO NA Menor São Miguel Arcanjo é um instrumento BAIXADA FLUMINENSE. de comunicação que tem o objetivo de divulgar o trabalho desenvolvido por está instituição que há 24 anos vem resgatando vidas, através de cursos profissionalizantes, oficinas culturais e casas lares. SEJA PARCEIRO DO NOSSO BOLETIM E através da metodologia Presença, INFORMATIVO Padre Renato Chiera, fundador da Casa do Menor, tem sido referencia na Baixada ANUNCIE AQUI! Fluminense quando o assunto é resgate de E ajude a Casa do Menor São Miguel jovens socialmente menosprezados, devido a Arcanjo a continuar, por mais 24 anos, alguma dependência química, problemas acolhendo crianças, adolescentes e jovens em situação de risco pessoal, dando ênfase ao familiares ou no cumprimento de medidas trabalho com suas famílias, tendo como sócio-educativas. preocupação e objetivo a reintegração familiar E a 1ª Edição do Boletim Informativo e social. Além de favorecer o protagonismo da Casa do Menor, dentre vários assuntos, desses meninos e meninas. destaca-se o Retiro Anual da Família Vida, E lembre-se: “UM POUQUINHO PARA VOCÊ onde vocacionados da instituição se É UM MILAGRE PARA NÓS!” encontram e renovam os seus votos nesta obra, que é de DEUS. BOA LEITURA! CASA DO MENOR – 24 ANOS 2 CASA DO MENOR – 24 ANOS
  3. 3. JANEIRO DE 2011 1º Retiro da Casa do Menor da Região Sudeste 13 de Janeiro de 2011Por: Leandro Luciano S.M. dos Santos FOTO FOTO Um dia programado para ser inesquecível e impactante, correspondeu todas as expectativas possíveis! Colaboradores e Voluntários da Casa do Menor São Miguel Arcanjo (Sudeste) participaram do 1º Retiro Espiritual de 2011 em um sítio, localizado em Miguel Couto. “A multidão dos fiéis era um só coração e uma só alma. Ninguém considerava suas as coisas que possuía, mas tudo entre eles era posto em comum” (At 4,32). E possuindo como base, esta que é, a palavra de vida deste mês, todos foram convidados a viver a unidade e a colocarem tudo o que possuem em prol dos outros. PREPARATIVOS Um grupo de colaboradores se prontificou a organizar o café da manhã, e a ornamentar o espaço para que tudo estivesse perfeito no início do retiro. E esse espírito de fraternidade e de trabalho em equipe, representava a essência de se ter JESUS em nosso meio, e era perceptível aos olhos a satisfação em servir em amor. CASA DO MENOR – 24 ANOS 3
  4. 4. CASA DO MENOR SÃO MIGUEL ARCANJO Juliana Oliveira (Aprendiz da CNS) demonstrou em suas expectativas, a curiosidade em participar, pela primeira vez, de um retiro da instituição. E afirma: “Espero vivenciar, hoje, momentos que venham edificar a minha alma. Renovando as minhas forças para as demais atividades da próxima semana!”O RETIRO O inicio do retiro foi conduzido pelo Srº Márcio Antônio (Formação Institucional), queressaltou o objetivo do encontro, exaltar o AMOR de Deus através da maneira em que merelaciono com o meu próximo. Em seguida, Edilene Galdino (Coordenadora AdministraçãoGeral) solicitou que dezoito voluntários se apresentassem a frente do palco iniciando adinâmica que teria como objetivo final, a integração, a descontração e a vivência da palavra devida do mês. “Esse retiro foi marcado por muita alegria e de momentos de comunhão. Realmente, um dia inesquecível para todos!” diz: Juliane (Recepcionista da Instituição) CASA DO MENOR – 24 ANOS 4 CASA DO MENOR – 24 ANOS
  5. 5. MENOR BOLETIM INFORMATIVO JANEIRO DE 2011 A Vice-Presidente da Instituição, Srª Lúcia Inês, comandou o momento de reflexão sobre o tema da Palavra de Vida do mês de Janeiro. E, enfatizou, através de uma metáfora que o ser humano possui dentro de si, um ser bom e outro ruim. E que escolhemos, em livre arbítrio, a quem alimentar, e essa escolha representa o que somos. Momento de Comunhão Espiritual Logo, após o momento de comunhão a Vice- Presidente da Casa do Menor sugeriu como prática de se doar em prol do outro, que todos os funcionários se comprometessem em conquistar doze pessoas para se tornarem “AMIGOS FIÉIS” da Casa do Menor, contribuindo mensalmente com a quantia, simbólica, de R$ 5,00 ou R$ 10,00. E em troca eles estariam sendo presenteados, a princípio, com um calendário 2011. E ao término do retiro, o Srº Stefio Vieira (Diretor da Instituição) agradeceu ao Empresário “Seu Lauro” e família, por acreditarem no trabalho da Casa do Menor e por cederem o seu sítio para os nossos encontros, sempre que solicitado. CASA DO MENOR – 24 ANOS 5 CASA DO MENOR – 24 ANOS
  6. 6. CASA DO MENOR SÃO MIGUEL ARCANJO CHARGEPor: Fábio Leandro (O CLIP) CASA DO MENOR: IDE E PREGAI O EVANGELHO A TODAS AS NAÇÕES! Quero ser AMADO! Me ajude! Socorro! CASA DO MENOR – 24 ANOS 6 CASA DO MENOR – 24 ANOS
  7. 7. JANEIRO DE 2011 Geração Z Jovem AprendizPor: Leandro Luciano S.M. dos Santos FOTO Atualmente lidar com jovens passou a ser mais que um "problema do pessoal da escola"e de pais ultra-tradicionais (que normalmente encontram dificuldade quando o assunto é ajuventude). A adolescência é a fase da descoberta, do novo, do moderno... E o peso daresponsabilidade pode ocasionar grandes transtornos àqueles adeptos a uma vida baseada emvideo game, Hanna montanna, Justin Bieber, futebol e internet. Programas como "Jovem Aprendiz" que visa oferecer a oportunidade do primeiroemprego, faz com que o índice de jovens entre 14 e 24 anos atuantes no mercado de trabalho,cresça. No entanto, qual será o perfil desse jovem, quais são os seus ideais, suas motivações ecomo as empresas podem se preparar para receber e melhor aproveitar esse jovem? Procurando as respostas indagadas anteriormente, comecei a observar as atitudes dosJovens Aprendizes da Casa do Menor São Miguel Arcanjo, ONG que possui um papel socialextremamente ativo e importante para a comunidade de Miguel Couto e bairros adjacentes. Edentre vários projetos sociais, RESSALVO o "Projeto Agência" sendo o órgão capacitado deintermediar a inserção de jovens carentes ao mercado de trabalho, a partir do programa "JovemAprendiz", idealizado pelo Governo Federal. CASA DO MENOR – 24 ANOS 7 CASA DO MENOR – 24 ANOS
  8. 8. CASA DO MENOR SÃO MIGUEL ARCANJO Então... Analisando esses jovens pude perceber que o seu relacionamento com osdemais funcionários da ONG são de perfeita harmonia. O desempenho desses jovens éelogiado por todos os responsáveis de setores em que atuam. No entanto, essa relação nãoé, somente, constituída por um mar de rosas. Alguns jovens levam na barganha aoportunidade que lhe foi dada e passam a utilizar de libertinagem, defendendo-se atrás dopapel de jovens imaturos... A partir daí o que for relatado por mim torna-se uma questão deopinião pessoal e que não nos vem ao caso! Enfim, conheci jovens brilhantes, com o objetivo de criar um futuro promissor, com amente voltada ao eterno aprendizado, verdadeiros exemplos do profissional do futuro,caracterizado pela “multifuncionalidade”. A "Geração Z" é um movimento construído pouco apouco por esses jovens credenciados a vencer na vida por méritos próprios! E, em entrevista ao Boletim Informativo da Casa do Menor, Priscila Cristina Coelho de17 anos e Aprendiz de Auxiliar de Escritório pela empresa CNS, relata a experiência do seuprimeiro emprego e sobre a importância do trabalho da Casa do Menor em sua vida. Confira! CMSMA - Boletim Informativo, pergunta: O que é ser JovemCMSMA - Boletim Informativo, pergunta: Como era a sua rotina antes de ser Aprendiz?aprendiz? Aprendiz Priscila, responde: Ser um Jovem Aprendiz éCMSMA - Boletim Informativo, pergunta: O que é ser Jovem Aprendiz? utilizar de comprometimento, é vestir a camisa e ter orgulho do suor resultante de tanto esforço. Ser aprendiz é dar valor aCMSMA - Boletim Informativo, pergunta: O que você fez quando recebeu o seu 1º cada acerto e a cada erro, é saber que estou em constantesalário? processo de aprendizagem.CMSMA - Boletim Informativo, pergunta: Se não existisse a Casa do Menor SãoMiguel Arcanjo, você estaria, hoje, trabalhando de carteira assinada? Por quê?CMSMA- -Boletim Informativo, pergunta: Como era a sua rotina antes de ser aprendiz?paraCMSMA Boletim Informativo, pergunta: O que a Casa do Menor representavocê e a sua família?Aprendiz Priscila, responde: Minha rotina se resumia em curso de Informática, aqui na Casado Menor, e aos estudos. CASA DO MENOR – 24 ANOS 8
  9. 9. JANEIRO DE 2011CMSMA - Boletim Informativo, pergunta: O que você fez quando recebeu o seu 1º salário?Aprendiz Priscila, responde: Lembro que perturbava a minha mãe para que ela mecomprasse uma câmera digital, mas devido as suas condições financeiras, ela sempre dizia:“Este mês não vai dar!” E graças ao meu 1º salário de aprendiz, realizei o meu sonho e compreia minha câmera digital. E foi muito boa a sensação de sonho realizado!CMSMA - Boletim Informativo, pergunta: Se não existisse a Casa do Menor São MiguelArcanjo, você estaria, hoje, trabalhando de carteira assinada? Por quê?Aprendiz Priscila, responde: Acredito que não. Porque atualmente nenhum adolescenteconsegue emprego sem a experiência comprovada em carteira. E a Casa do Menor São MiguelArcanjo, graças a Deus, existe para dar a jovens, como eu, a oportunidade de crescimentoprofissional e, principalmente, pessoal. Nós somos capacitados para nos tornar profissionais-cidadãos!CMSMA - Boletim Informativo, pergunta: O que a Casa do Menor representa para você e asua família?Aprendiz Priscila, responde: A Casa do Menor representa à primeira, e grande, oportunidadeda minha vida! Porque foi através do trabalho desenvolvido por essa instituição, que eu entendia importância de se ter um projeto de vida. E a minha família torna-se grata por saber que, hoje,eu tenho uma perspectiva de um futuro vitorioso, graças a Casa do Menor. Edineia Galdino, Coordenadora dos Cursos Profissionalizantes e responsável pelo Projeto Jovem Aprendiz da Casa do Menor São Miguel Arcanjo de Miguel Couto. CASA DO MENOR – 24 ANOS 9 Declaração edneia
  10. 10. CASA DO MENOR SÃO MIGUEL ARCANJO MENSAGEM DE PAZPor: Tia Dita OLHE COM AMOR! FOTO EDINEIA FOTO Foto: InternetOlhe para trás, veja os obstáculos que você superou...Olhe para frente! Não fique parado! Levante-se quando tropeçar e cair. Estabeleça metas,tenha planos e prossiga com firmeza. FOTO EDINEIAOlhe para dentro... Conheça seu coração e analise seus projetos, mantenha puros seussentimentos, não deixe que o orgulho, a vaidade e a inveja dominem seus pensamentos eseu coração.Olhe para o lado! Socorra quem precisa de você. Ame o próximo e seja sensível paraperceber as necessidades daqueles que o cercam.Olhe para baixo, não pise em ninguém, perceba as pequenas coisas e aprenda a valorizá-las.Olhe para cima! Há um Deus maior do que você, que o ama e cuida para que você tenhatudo o que necessita.E enfim, OLHE PARA DEUS! Perceba a profundidade, a riqueza e o poder da bondadedivina. Sinta esse Deus que olha por você em todos os dias de sua vida!Esse Deus que é amor. Amor que perdoa, amor que não cobra, amor sem interesse! Até a próxima! CASA DO MENOR – 24 ANOS 10 CASA DO MENOR – 24 ANOS
  11. 11. JANEIRO DE 2011 10 anos de Casa do Menor de Fortaleza MENINOS RECUPERAM MENINOSPor: Renato Chiera A vida nasce onde menos se espera. E com mais força. Meninos de rua, consideradosperigosos e irrecuperáveis, tornam-se instrumentos de recuperação para outros como eles,abandonados pela família e condenados pela sociedade. A experiência de Pe.Renato e deseus "filhos" mostra que muitos problemas não se resolvem, não só porque não há vontadepolítica, mas sobretudo porque não há vontade "humana": confiança, abertura, solidariedade,esperança, coragem. Não programamos abrir novas casas fora do Estado do Rio de Janeiro: na BaixadaFluminense temos já muito trabalho e problemas suficientes para nossas pequenas forças.Por que Fortaleza? A Casa do Menor nasceu não por um programa humano, mas paraacolher os sinais de Deus que nos guiava através de fatos e situações da vida. É ainda pornos deixarmos guiar por Deus, que sentimos Pai bom e Providência, que nos abrimos a estanova aventura. E iniciava-se a aventura, que logo descobrimos ser uma aventura divina. Éramosguiados por uma mão invisível. Nossos abrigos eram casas sem janelas, dormíamos no chão,em lugares onde entravam bichinhos e muitos pernilongos, que faziam festa com o sanguecarioca. Estabelecemos os primeiros contatos com os bairros, às favelas que rodeiam aFazenda, chamada Uirapuru (nome de um passarinho pequeno, que canta poucas vezes, mastão bem que os outros pássaros se calam para escutá-lo). Descobrimos muita pobrezamaterial e moral, além da degradação familiar. E, de imediato, percebemos que a droga e acola estavam espalhadas em todos os cantos. E por isso as crianças roubavam e seprostituíam, além de ajudar suas mães sem marido, para manter o vício. Presenciamos aassaltos e a cenas de violência.“Nossos abrigos eram casas sem janelas, dormíamos no chão, em lugaresonde entravam bichinhos e muitos pernilongos, que faziam festa com osangue carioca!” Pe. Renato Chiera CASA DO MENOR – 24 ANOS 11
  12. 12. CASA DO MENOR SÃO MIGUEL ARCANJO Visitamos as praças, onde amontoavam-se os meninos de rua, com seus rostosmacilentos, olhos profundos e com bastante raiva em seu coração. A polícia nos dizia que há poucas semanas havia chegado o crack, que vicia empoucas semanas. E que a cola era vendida aos meninos por adultos sem escrúpulos em umdesonesto comércio. E afirmavam que estes meninos, quando estão dopados de cola, chegama se matar com pedras, lâminas de barbear ou navalhas. "Vê este menino magro? É doente deAids e está drogado. Espera só a morte...". Há centenas de favelas onde há centenas de meninos são deixados sozinhos em casapela mãe ou pelo pai, que vão para o trabalho. E eles entram nas drogas, na vida sexual ativae precoce e crescem sem limites e regras. Fortaleza é a capital do porno-turismo e italianos,alemães e argentinos são clientes assíduos e conhecidos. Compreendemos, logo, que não nosfaltaria trabalho.Os primeiros meninos de rua A Casa do Menor é chamada a ser, com outros, construtora de uma nova história devida e salvação no terceiro milênio. E graças aos nossos parceiro temos acesso a vários meiosde comunicação, tais como: televisão, rádio e jornais locais, ao de passarmos pelas ruas,sermos reconhecidos e acolhidos como: “Os amigos dos meninos de rua”. Chega, então, Taciano, 12 anos, inteligente e violento, que conhece todos os segredosdas ruas e que foi encontrado jogado e ao léu, no Maranhão, a 900 km de Fortaleza. Nãoconhece o pai, a mãe e nem seu sobrenome (não tem certidão de nascimento).Mas apresentatraços de um verdadeiro líder. E com o passar do tempo passaram a chover telefonemas:mães sozinhas e desesperadas, cujos filhos, crianças e adolescentes, vivem na rua o dia todoe aprendem o que não presta.Sonhos realizados Recebemos um grande terreno; construímos um centro profissionalizante, 5 (cinco)casas-lares, iniciamos uma fábricas de produção, um centro de esporte e lazer com quadrae sala para atividades. CASA DO MENOR – 24 ANOS 12 CASA DO MENOR – 24 ANOS
  13. 13. JANEIRO DE 2011 Tenho certeza de que este não é um projeto humano, mas de Deus. Nós somospobres, porém Deus é rico e é o único capaz de tocar o coração de muitas pessoas emmuitas partes do mundo. E o sonho foi se tornando realidade. Já somos em grande número e juntos formamos um corpo sadio, que quer dar vida eglobalizar a solidariedade. Sou louco? Podem me julgar. Estou apaixonado pelo ser humano. Estou apaixonadopela vida. Estou apaixonado pelos meninos que querem viver. Penso ainda em frases como ado jovem Eduardo: "Não volto para a rua, porque aqui me sinto amado".E você? E você? Não fique aí olhando. A vida é bonita quando a doamos para os outros. Nãohá outra felicidade. Por que você não experimenta também? Esses meninos são uma grandegraça: dão-me o privilégio de amá-los, de me sentir útil e de ser feliz. Há uma só tristeza: a denão amar e de não fazer nada para ninguém. Sou louco? Podem me julgar. Estou Pe. Renato Chiera apaixonado pelo ser humano. Estou apaixonado pela vida. Estou apaixonado pelos meninos que querem viver. Penso ainda em frases como a do jovem Eduardo: "Não volto para a rua, porque aqui me sinto amado". Pe. Renato Chiera CASA DO MENOR – 24 ANOS 13 CASA DO MENOR – 24 ANOS
  14. 14. CASA DO MENOR SÃO MIGUEL ARCANJO Retiro da Família Vida em FortalezaPor: Renata Vargas FOTO EDINEIAPRIMEIRO DIA – A SAÍDA A nossa saída, estava marcada para ás 14:00 horas, do dia 14 de Janeiro, mas oônibus só voltou do conserto no final da tarde. Sendo assim, a nossa viagem teve início ás21:30 horas. Partimos com um forte desejo de união, mas nada forçado foi tudo muito natural eJesus estava entre nós em todos os momentos. Então, fizemos um pacto de amor recíproco,para que Jesus pudesse permanecer ali e isso aconteceu. Tudo o que comíamos era divididode forma natural e foi neste clima, que a cada dia se tornava mais forte, que sentimos queestávamos realmente nas mãos de Deus. Considero que ali começou o nosso retiro.Percebi que quando estamos em Deus, tudo fica leve, mais fácil e alegre. Tudo era divertido,as dores nas costas, os pés inchados, o tempo que permanecíamos na estrada, o povodormindo embalado nos colchonetes, no chão do nosso “caveirão” e até mesmo quandoquebrou o arranque. Nada atrapalhava o nosso clima de união! Pudemos nos amarreciprocamente e totalmente livres, Impressionante! Passamos a primeira noite na estrada, nos revezando para amar o Isaías e nãodeixá-lo dormir. Colocamos a música mais alta, para que o mantivesse esperto e ficávamosali, apreciando a paisagem, a lua, as estrelas maravilhosas e conversando com ele. A noitepassou. CASA DO MENOR – 24 ANOS 14
  15. 15. JANEIRO DE 2011SEGUNDO DIA – NA ESTRADA Durante o dia, o Alberto dirigiu o ônibus, para que o Isaías pudesse dormir, mascontinuávamos revezando, para que a viagem pudesse manter o clima de amor entre nós.Tomamos café em um posto de gasolina, onde também tomamos banho e, ainda no climada partilha, dividíamos as providências que nos chegaram, ainda em Miguel Couto, pelasregionais Rosas dos Ventos, Miguel Couto e Tinguá. Além daquelas pessoas que sesensibilizaram com nossa vida missionária. A todos muito obrigada! Almoçamos em um restaurante simples, mas muito gostoso e seguimos a viagemrumo a Aracaju. Jantamos na Bahia, e seguimos viagem, nos divertindo, revezando e rezando nashoras programadas. Paramos as 23:30 h, porque sentimos que o Isaías estava um poucosonolento e assim experimentamos uma vida de caminhoneiro que dorme nas estradas davida....TERCEIRO DIA – CHEGADA EM ARACAJÚ Chegamos em Aracajú na hora do almoço. Foi a maior festa rever nossos irmãos esubir com o ônibus na comunidade Santa Madalena. Almoçamos, nos despedimos da tiaErenildes, do Flavinho e do Willian, que ficaram com o Lailson, para que fosse possível oretiro para a Renata e o Cícero. A nossa viagem seguiu até a nossa próxima parada: Santana do Ipanema, ondedormimos e demos carona aos irmãos: Tia Celina, Marcos, Luís Antônio e Cristiano. Tambémnos encontraram lá, para pegar carona conosco: Anderson e Reginaldo da regional Igarassu.Seguimos ao nosso destino final. Fortaleza.QUARTO E ÚLTIMO DIA DE VIAGEM Almoçamos em um lugar simples, mas com um atendimento caloroso. O destaqueficou para o Cícero, que quando nos demos conta, já estava dentro da cozinha do restaurante,se fazendo família com a senhorinha, que nos atendeu. Ah! Teve o Fia também. Um vendedorde sorvetes surdo e mudo que tentava dizer o preço do sorvete, mas cada um entendia umacoisa diferente, por fim, o nosso especialista em surdez avançada, Stéfio Vieira, conseguiuentender que tinha sorvete de R$0,50 e sorvete de R$1,00. CASA DO MENOR – 24 ANOS 15
  16. 16. CASA DO MENOR SÃO MIGUEL ARCANJO Chegamos a fortaleza, as 23:00 horas. Fomos recebidos com uma faixa de sejam bemvindos, fogos de artifício. E quando chegamos no Centro de Atividades Esportivas havia umdelicioso jantar e um bolo, que nem vi a cara, imagina o gosto... Disseram-me que estavaótimo! Chegamos as Dorotéias. Que delícia! Ar condicionado nos quartos, ducha no banheiroe uma cama maravilhosa. Sinto que ronquei bem alto! (Risadas)PRIMEIRO DIA DE RETIRO. Para começarmos o dia com o espírito Santo, adoramos ao santíssimo e depois nosdirigimos à sala de conferência onde assistimos a uma palestra do padre Renato, muitoemocionante sobre “O hoje da minha alma”. Depois partilhamos as nossas experiências devida, que nos levaram ao caminho de Deus. Eu particularmente consegui perdoar as pessoas que me fazem muito mal, compalavras, atitudes erradas, julgamentos e fofocas. E que preferem, mesmo sem perceber,atrapalhar a nossa caminhada. Entendi que estão perdidos, na alma e no coração, mas quesão filhos de Deus.Terminamos o dia com uma missa, jantar e mais partilha. Foi muito bacana!SEGUNDO DIA DE RETIRO “Para mim, o ponto máximo!” O tema foi: DEUS A LIBERDADE VERDADEIRA. O IDEAL. Falamos sobre a liberdade que Deus nos oferece. Do desapego e iniciamos osConselhos Evangélicos da Igreja Católica, com uma espetacular palestra e lição de vida daIrmã Maria da Paz, que vive a 56 anos, na clausura das Carmelitas. Ela nos mostrou o que,realmente, é Deus e como Ele é capaz de transformar a nossa alma! Impressionou-me, que apesar da clausura, ela entende da realidade das crianças derua tanto quanto nós. E os ama incondicionalmente em suas orações. Me fez perceber, que asorações delas são de extrema importância para que possamos trabalhar. É na verdade, amola mestra do nosso trabalho. Sem as orações de todas as Irmãs enclaustradas do mundo,não existiriam as grandes vocações para ajudar aqueles que mais necessitam. Entendi queelas realmente conversam com Deus e por isso, existem pessoas, como nós, que são cha- CASA DO MENOR – 24 ANOS 16
  17. 17. JANEIRO DE 2011madas a ajudá – los de uma forma ou de outra. Elas se santificam em suas orações.Não posso deixar de escrever as maravilhosas palavras dela, embebidas de Espírito Santo deDeus e que só servem para enriquecer a nossa alma. 1. “As coisas não me tornam feliz” 2. “A pobreza nos liberta” 3. “Deus quer corações especiais” 4. “A castidade torna o nosso coração livre. Assim, podemos gerar vidas” 5. Sobre a obediência: “Faço apenas o que é necessário’”. 6. “A obediência nos liberta do medo” 7. “Os necessitados são o amor de Jesus vivo” 8. “Eu não posso entrar sozinha no céu, tenho que levar um grande número de Santos comigo” – Se referindo aos que sofrem. 9. “A humanidade toda depende de mim” 10. “O maior milagre é a Eucaristia. Saber que Deus está ali presente e que posso tê-lo dentro de mim”. 11. “Se o amor que dou é verdadeiro, então não me canso, não é rotina”. 12. “O melhor analgésico é amar” 13. “Quando a gente se entrega verdadeiramente, a gente sente que o mundo desbotou”. Como não se emocionar com tamanha santidade e grandeza? Sinto que devo despir aminha alma agora, neste dia, e me tornar livre para doar todo amor que existe em mim. Sinto-me um grão de mostarda. Percebo que minha alma necessita dos necessitados, que o meualimento deve ser o momento presente, que devo ser de Deus e para Deus e nada mais deveimportar. Nada é mais importante que Deus. Se o deixo entrar, me libertarei de tudo e detodos e poderei amar “todo Jesus que encontrar no meu caminho” e isso vai me santificar, vaitransformar a minha alma e me levar a Deus. Todo o resto deve desbotar em mim! Então meconfessei... Quando voltamos do Almoço, nos aprofundamos nos conselhos bíblicos. Ainda muitoemocionados com tudo o que a Irmã Maria da Paz nos proporcionou.Assistimos a um vídeo da Fazenda da Esperança sobre a pobreza. Depois o padre Renato,nos explicou melhor o que isso significava, podemos debater sobre várias coisas. Enfim,dormirmos todos muito pensativos... CASA DO MENOR – 24 ANOS 17
  18. 18. CASA DO MENOR SÃO MIGUEL ARCANJOTERCEIRO E ÚLTIMO DIA DE RETIRO Continuamos a assistir ao vídeo sobre os conselhos evangélicos. Desta vez sobreCastidade e obediência. Tudo era muito confuso para mim, mas aos poucos pude perceberque um forte desejo de continuar, queimava o meu coração. Então, percebi que queria mesmoesta vida e que perdoar seria o meu primeiro passo para amar, amar e amar...Não serei hipócrita de dizer que perdoei tudo e todos, mas já dei o primeiro passo meconfessando e limpando o meu coração. Muitas coisas pairam em minha mente neste momento parece que um turbilhão deidéias e emoções caminha sobre mim. Sinto-me preparada e vejo que tenho pressa pararealizar as obras na qual Deus me confiou. Confesso que ainda tenho medo. O ponto máximo deste dia, na verdade, foi a renovação e os passos dentro da Famíliavida. Que são eles:1º passo - Pacto de Unidade (o Namoro com Deus);2º passo – Compromisso – (o noivado com Deus);3º passo – Promessas – (o casamento com Deus dos que já são casados);4º passo – Votos – (o casamento com Deus para os Celibatários); Muitos fizeram ou renovaram os passos e outros como eu, deram um passo a maisdentro da família, rumo ao casamento. Estou noiva. Noiva de Deus!Marcelo foi o único a fazer as promessas, por ser casado. Foi muito emocionante perceber,que mesmo os casados são escolhidos por Deus. Nossos passos foram celebrados com uma missa, onde assinamos a nossa escolha.Tudo muito simples, mas muito emocionante. Voltamos para a Pousada da Casa do Menor ás 16:00 horas.Durante todo este tempo, a nossa tia Ana, de Aracajú, ficou de cama. Chegamos a levá-la aoHospital por duas vezes. Na primeira vez, ela não foi atendida; na segunda vez, ela foiatendida, e medicada, mas nada de melhora. Muito pelo contrário, ela só piorava.Passamos o sábado livre, para fazermos o quiséssemos, mas choveu tanto, que acabamosficando por lá. Eu fui almoçar na casa do Stéfio Vieira (Diretor Tesoureiro), conhecer a famíliadele. O que foi muito bacana. No final da tarde, fomos ver a praia. Voltamos, fui comer umapizza com meus dois filhos e a Carol e voltamos para casa. CASA DO MENOR – 24 ANOS 18
  19. 19. JANEIRO DE 2011A SAÍDA Saímos as 04:00 h da manhã, rumo a Santana do Ipanema. Experimentamos tempos mais difíceis durante a volta. Pouco dinheiro, o arranque quefora consertado, quebrou novamente e o dinheiro só dá para dormir ou comer. Decidimoscomer, é claro. Dormimos esta noite em um posto de gasolina, perto dos caminhões. Foi umaexperiência dolorosamente maravilhosa. Doía tudo, mas estávamos felizes. Hoje, vivemos Jesus abandonado. A nossa tia Ana foi internada, na UTI, comPneumonia grave. Rezamos muito por ela. Agora á noite, falamos com o padre Renato e ele, nos deu a triste notícia, de que elafora transferida, para um hospital com mais recursos e que está encubada e que já recebeu ossacramentos. Estamos desolados... A dor gera vidas. Mas doe...Não tenho mais palavras, elas não me acodem são tão vazias e já não traduzem o que vai àminha alma! 19
  20. 20. CASA DO MENOR SÃO MIGUEL ARCANJO Descanse em PAZ, Tia Ana!Por: Renata Vargas FOTO EDINEIA É com muito pesar que comunicamos que no dia 27 de Janeiro de 2011, às 16:00h, a funcionária Ana Maria dos Santos, a tia Ana de Aracaju, faleceu devido a uma falência múltipla dos órgãos, em Fortaleza, onde fora internada em estado grave, no último domingo, dia 23 de Janeiro. Tia Ana, participou do Retiro, já se sentindo debilitada e com suspeita de Pneumonia. Ela chegou a ser atendida de urgência, em um hospital da cidade, mas seu estado se agravou com o passar dos dias, sendo internada em estado grave na UTI de um grande hospital de Fortaleza. Ela chegou a ser transferida, passou por uma cirurgia, mas no dia 27 de Janeiro, ela não resistiu ao sorriso de Deus. Tia Ana deixou 3 filhos e o pai, já muito idoso. Deixa também a família vida de corpo, mas estará sempre entre nós! Tia Ana foi ao paraíso depois de renovar o pacto de amor recíproco com a comunidade. E que Deus te abençoe sempre! CASA DO MENOR – 24 ANOS 20
  21. 21. JANEIRO DE 2011 JÁ ESTAVA ESCRITO...Por: Edilene Galdino FOTO EDINEIA Foto: Internet A EMOÇÃO DE NÃO SER ESPERADO A espera deve ser preparada FOTO EDINEIA porque a espera que não espera sempre se surpreenderá com o amanhecer... O sol poderá brilhar e o túnel, antes escuro, se iluminará apontando o caminho... E o medo deixará de ser derrota... O nada passará a ser tudo... E mãos se erguerão e a força chegará... A espera que antes não esperava... Será festa da chegada... O novo se manifestará... E uma estrela atravessará a tempestade das trevas... E brilhará trazendo a luz. A espera não mais será espera... E vamos comemorar a chegada do amanhã... E música tocará nos corações... Se abrirá um novo horizonte... E diremos enfim... Somos felizes. CASA DO MENOR – 24 ANOS 21
  22. 22. CASA DO MENOR SÃO MIGUEL ARCANJO Projeto Construindo Cidadania em Vila CláudiaPor: Leandro Luciano S. M. dos Santos FOTO EDINEIA Alegria das crianças da Comunidade de Vila Cláudia recebendo a doação de leite. Confesso estar surpreso com a importância sócio-educacional do Projeto Construindo Cidadania para os moradores de Vila Cláudia. Um bairro discriminado e FOTO EDINEIA subjugado a falta de oportunidades. Acredito e tenho a total convicção de que Deus esteja nos lugares mais improváveis. E sem sombra de dúvidas, Deus se encontra no sorriso de cada criança atendida por esse maravilhoso projeto em Vila Cláudia, bairro pobre de Miguel Couto E em entrevista ao nosso Boletim Informativo, Marlene, nos conata um pouco do trabalho desenvolvido em Vila Cláudia e sobre a importância do projeto Construindo Cidadania para os moradores de vila Cláudia. CASA DO MENOR – 24 ANOS 22
  23. 23. JANEIRO DE 2011 CMSMA - Boletim Informativo, pergunta: Conte-nos um pouco do trabalho realizado no bairro de Vila Cláudia? Marlene, responde: O trabalho que realizamos junto a comunidade de Vila Cláudia, acontece de segunda a sexta-feira sempre das 8 as 17 horas, com atividades de PERCUSSÃO, DANÇA, CAPOEIRA, FUTEBOL e REFORÇO ESCOLAR. Atendemos à todos da comunidade e aqueles inscritos no Projeto Construindo Cida-dania. Também fazemos um acompanhamento familiar, onde visitamos as casas dos atendidospelo Projeto para saber como estão se comportamento diante as diversas situações familiares. Esempre que identificado alguma anomalia, encaminhamos a família as devidas repartiçõespublicas.CMSMA - Boletim Informativo, pergunta: Atualmente, qual é a maior dificuldade do Projetoconstruindo Cidadania?Marlene, responde: Nossa maior dificuldade é a estrutura do galpão aonde trabalhamos, pois olocal ainda é muito precário.CMSMA - Boletim Informativo, pergunta: Qual é a importância do Projeto Construindo Cidadaniapara a comunidade de Vila Cláudia?Marlene, responde: Costumo dizer que a importância do Projeto Construindo Cidadania abrangebenefícios para toda sociedade. Pois permitem, as mães que trabalham, que seus filhos fiquem naescola e ao saírem se direcionem para o nosso Projeto, evitando sua permanência nas ruas.Preenchendo, assim, seu tempo ocioso.CMSMA - Boletim Informativo, pergunta: O que lhe motiva em Vila Cláudia?Marlene, responde: O que me motiva em Vila Cláudia é o carinho e a gratidão das crianças eadolescentes atendidos; É perceber em seus olhos a alegria quando fazemos algum evento; Ésentir que sem esse Projeto, talvez, eles não teriam uma perspectiva de futuro. CASA DO MENOR – 24 ANOS 23
  24. 24. CASA DO MENOR SÃO MIGUEL ARCANJO Ação Social realizada no bairro de Vila CláudiaCMSMA - Boletim Informativo, pergunta: Existe alguma situação, em Vila Cláudia, que lhemarcou? Conte-nos sobre o ocorrido? FOTO EDINEIAMarlene, responde: Sim. No ano passado uma pessoa da comunidade, de Vila Cláudia, meprocurou para pedir ajuda a sua filha, pois estava desconfiada que a menina estivesse usandodrogas. Eu chamei a adolescente para conversar, e ela me confessou tudo. Então, choramosjuntas. Em seguida, decidir encaminhá-la ao ESPAÇO PROGREDIR para que fizesse umtratamento... Ela ficou se tratando durante 1 (um) ano e agora estar bem e curada. Aleluia! Estefato me marcou bastante, porque quando algumas pessoas da comunidade ficaram sabendo daminha ajuda e apoio a esta jovem, começaram a me olhar de cara feia, pois não aceitavam e nemacreditavam em sua recuperação. Enfim, arrumei um serviço para ela e hoje ela está trabalhando,seguindo a sua vida e sempre me agradecendo por tudo que fiz a ela. “Nossa maior dificuldade é a estrutura do galpão aonde trabalhamos, pois o local ainda é muito precário.” Marlene Marlene 24 CASA DO MENOR – 24 ANOS
  25. 25. JANEIRO DE 2011 C.I.D.A.H – Centro Cultural Colônia de Férias 2011Por: Leandro Luciano S. M. dos Santos FOTO EDINEIA Foto tirada no 1º dia da colônia de férias A Colônia de Férias é uma programação voltada para crianças e adolescentes da comunidade de Miguel Couto e bairros adjacentes, e abrigados da Casa do Menor São Miguel Arcanjo. Organizada por uma equipe de profissionais qualificados para desenvolver atividades FOTO EDINEIA desportivas e brincadeiras lúdicas, além de promover a ARTE DE AMAR como uma filosofia a ser praticada nos dias das atividades. ATIVIDADES DESENVOLVIDAS 1. Jogo de perguntas e respostas - 50 perguntas - 2 minutos para cada resposta. O vencedor dessa atividade garante vaga na semifinal no torneio de queimada; 2. Torneio de queimada (15 minutos para cada jogo, e ganha a equipe que tiver o maior número de integrantes no “céu”); 3. Mímica - 5 mímicas para cada grupo (5 minutos para cada grupo); 4. Recipiente (revezamento da seringa revezamento: livre, pés amarrados, corrida com sacos); 25 CASA DO MENOR – 24 ANOS
  26. 26. CASA DO MENOR SÃO MIGUEL ARCANJO Um dos melhores momentos da Colônia de Férias foram as atividades realizadas na piscina5. Revezamento Na Piscina 5x5 – 1ª DISPUTA (3 GRUPOS); 2ª DISPUTA (3 GRUPOS);6. Palestra – Higiene Pessoal7. Brincadeira do Banquinho FOTO EDINEIA8. Corrida de revezamento de bastão na quadra 5x5 (ganha a equipe que completar o circuito em menos tempo) a equipe que ganhar essa atividade, ganha vaga para a semifinal para a disputa de cabo de guerra na piscina;9. Cabo De Guerra Na Piscina (Dentro Da Piscina Com Revezamento)10. Adivinha o que é? - 5 elementos a serem adivinhados para cada – 5 minutos para cada equipe;11. Enchendo o recipiente (revezamento da seringa revezamento: livre, pés amarrados, corrida com sacos);12. Cadeiras de botas;13. Caça ao objeto (o representante de cada equipe terá que encontrar 5 objetos, espalhados na piscina, com “olhos vendados” em menos tempo);14. Circuito maluco;15. Bola de gude na piscina; CASA DO MENOR – 24 ANOS 26
  27. 27. JANEIRO DE 2011 Espaço do Menor – Atividades recreativas para os pequeninos.REGRAS DA COLÔNIA Para os atendidos em situação deFOTO EDINEIA e social, a transgressão das regras risco pessoalrepresenta uma afirmação e exposição de sua situação marginalizada na sociedade. E paraevitarmos problemas de indisciplina, resolvemos criar um quadro de regras e sanções para nortearos atendidos a um comportamento desejado.PARCERIA COM O PROJETO CONSTRUINDO CIDADANIA EM VILA CLÁUDIA A parceria entre o Centro Cultural e o Projeto construindo Cidadania em Vila Cláudiaapresentou-se como um importante mecanismo de integração entre os trabalhos sociaisdesenvolvidos em cada setor. Pois, juntos agregam forças para fazer da Colônia de Férias, algoinesquecível. E os maiores beneficiados com essa união foram às crianças que lotaram o CentroCultural com muita alegria! Outra parceria importante foi à participação do setor almoxarifado da Casa do Menor, quedoou brinquedos que foram distribuídos durante o evento. CASA DO MENOR – 24 ANOS 27
  28. 28. CASA DO MENOR SÃO MIGUEL ARCANJO Momentos antes da palestra PALESTRA INSTRUTIVA Em Colônias de Férias, nem sempre só a brincadeira atrai. E acreditamos que essa seja uma boa oportunidade para a conscientização de todos com relação a bons hábitos e cidadania. E por isso decidimos proporcionar uma palestra de higiene pessoal para as crianças e adolescentes atendidos. A Palestra foi ministrada pela Enfermeira Adriana, que gentilmente se disponibilizou para levar informações importantíssimas a todos os presentes na colônia de férias. Após a Palestra Instrutivasobre a Higiene Pessoal, foramdistribuídas escovas de dente ecreme dental para todas ascrianças e adolescentespresentes na Colônia de Férias. CASA DO MENOR – 24 ANOS 28
  29. 29. JANEIRO DE 2011 Concentração de todas as equipes na brincadeira do banquinhoPUBLICO ALVO Crianças e Adolescentes entre 8 a 17 anos moradores do bairro de Miguel Couto e FOTO EDINEIAadjacentes e residentes dos abrigos da Casa do Menor São Miguel Arcanjo; E durante os cinco dias de atividades, cerca de 120 (cento e vinte) crianças lotaramo Centro Cultural da Casa do Menor. Enfatizo, que em sua maioria, crianças e adolescentesoriundos do Bairro de Vila Cláudia.JORNADA DIARIA Durante a semana do dia 24 a 28 de Janeiro, a Colônia de Férias 2011 foi o principalassunto entre as famílias dos participantes, e que elogiavam a organização e a qualidadeno serviço prestado a comunidade. Durante a semana da Colônia de Férias foi disponibilizado o almoço de todos os atendidos. Graças à parceria com o Projeto Construindo Cidadania em Vila Cláudia. 29 CASA DO MENOR – 24 ANOS
  30. 30. CASA DO MENOR SÃO MIGUEL ARCANJO Apresentação de Balé no último dia da Colônia de Férias E através de atividades recreativas, a Colônia de Férias 2011 teve como objetivopreencher o tempo ocioso de crianças e adolescentes da comunidade de Miguel Couto e debairros adjacentes, apresentado a palavra Deus através da ARTE de AMAR, metodologia FOTO EDINEIAutilizada pela Casa do Menor São Miguel Arcanjo. Enfim, o Boletim Informativo da Casa do Menor parabeniza a todos os profissionaisenvolvidos nesse maravilhoso evento. Equipe Branca. Equipe Campeã da Colônia de Férias 2011. Ganharam como prêmio, um dia de lazer no sítio. CASA DO MENOR – 24 ANOS 30
  31. 31. JANEIRO DE 2011 Família Ângelo - IgarassuPor: Adônis FOTO EDINEIA Venho trazer breves notícias dos primeiros dias de uma antiga/nova convivência aqui em Igarassu-PE. Chegamos da FANTÁSTICA viagem de retorno saindo de Fortaleza até Alagoas, onde para nos despedimos dos tripulantes da Nave e seguimos de ônibus. 26/01 QUARTA-FEIRA – A NOSSA CHEGADA Já chegamos sintonizados nos últimos acontecimentos e de modo particular com a situação da tia Ana. 27/01 QUINTA –FEIRA - IMPRIMIMOS JÁ UM RITMO: DESPERTAR ÀS 7:00h ORAÇÃO: 7:30h Café: 08:00h JORNADA: 08:30h ALMOÇO: 12:00h RETORNO: 13:00h TERÇO/ORAÇÃO DA NOITE: sexta-feira (Troca de Experiência), Sábado (Comunhão de Almas) – ás 18:00 horas CASA DO MENOR – 24 ANOS 31
  32. 32. CASA DO MENOR SÃO MIGUEL ARCANJO Ontem A experiência de Reginaldo foi marcante com a Palavra AMAR O INIMIGO, poisAnderson e eu combinamos de resolver coisas práticas em Igarassu, amanheceu chovendo enão desanimamos, rezamos. No café Anderson se lembrou da orientação de Lucinha em usaras economias para manter a casa e depois ver as outras coisas. Desistimos de sair. Unidos eAtentos ao momento presente, o falecimento da tia Ana, não sabíamos como ser práticos semsermos incoerentes/insensíveis. Com pouco credito nos celulares, usamos da forma mais inteligente, ligando para oRio pedindo retorno, mas os créditos acabaram antes de conseguirmos o ramal desejado.Corremos para a internet e enviamos um pedido de comunicação com vários contatos na Sede.Tia Dita de imediato nos atendeu. Iniciamos por e-mail a comunicação, em seguida Tacianarespondeu também. (Enquanto isso percebemos s que a vontade de Deus era que fossemosobedientes e fizemos o que a Lucinha nos orientou). Anderson pediu para o Reginaldo comprarmantimentos em Igarassu. Diante da informação da Taciana, percebemos que não teríamos recursos imediatos edeveríamos aguardar a comunicação da Taciana com Lucinha, e então, Taciana conosco.Continuamos o dia, Reginaldo foi a Igarassu, na sua volta preparamos o almoço, comemos,descansamos e tivemos um pouco de lazer com filmes. Rezamos o terço, fizemos a troca de experiência e foi marcante. Como todos vivemosa dificuldade de AMAR O INIMIGO, sendo obedientes a Lucinha. E o Anderson morrendo navontade, abraçando a dor que se soma a dor da tia Ana. Reginaldo em particular, porque nãoqueria sair, não queria usar os créditos e acabou por cair em julgamentos, por um instante, caiuem julgamentos. Depois deu o passo e foi a diante. Minutos antes da oração, ele estava tirandobananas quando recebeu uma mensagem de recebimento de crédito e em seguida uma ligaçãoconfirmando. Então, entendeu, na hora, a mão de Deus, sua ligação e, ali se manifestava oCêntuplo, ele colocou tudo e Deus não faltou! Foi muito forte. A internet está muito ruim, tentei enviar esta mensagem várias vezes, desde as 06:00horas da manhã. Espero não os ter cansado e nem perdido o foco. A palavra hoje, dia no qual escrevo essa mensagem, é AMOR RECÍPROCO, e comesta experiência de enviar mensagem, acredito já estar vivendo...Uno Família Ângelo CASA DO MENOR – 24 ANOS 32

×