Intrudução ao preparo do terreno

334 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
334
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Intrudução ao preparo do terreno

  1. 1. Introdução ao Preparo do terreno para implantação de povoamentos florestais Silvicultura: Aula 02 Profº Eng. Flor. Ms. Wagner Corrêa Santos Profº Eng. Flor. Wilson Cesar
  2. 2. Introdução  Ajuda no rendimento da produção  4 etapas (desmatamento, destocamento, limpeza e revolvimento do solo)  Analisar:  Condições do terreno  Tecnologia viável para utilização  Maquinário disponível e estradas  Recursos humanos disponível
  3. 3. Introdução  Condição do terreno  Avaliação global do terreno (visita ao local), apontar pontos positivos e negativos do local.  Vegetação:  Qualidade- (Mata virgem, capoeirão, capoeira, capoeirinha, campo, reforma, agricultura, pasto e outros)  Quantitativo: N/ha, diâmetro max, min, e medio  Solo:  profundidade, textura, declividade e classificação
  4. 4. Introdução  Tradição agrícola ( preparo do solo é fácil)  Sul: colonização européia ( técnicas européias)  Preparo tradicional: desagrega o solo  Cultura florestal não precisa preparo do solo excessivo
  5. 5. Introdução  ASPECTOS LEGAIS  Código Florestal  Define as Florestas e demais formas de vegetação permanente, dentre as quais aquelas situadas ao longo dos rios e cursos d’água, ao redor de lagoas lagos ou reservatórios de águas naturais ou artificiais, alem de topos de morros, montes e serras, nas encostas e partes destas, com declividade igual ou superior a 45°, e em áreas com altitude superior à 1800 metros, nas bordas dos tabuleiros ou chapadas, a partir da linha de ruptura do relevo em faixas de 100 metros em projeção horizontal conforme figura abaixo;
  6. 6. Introdução  Ainda nesta Lei o Art.3° foi revisto pela Medida Provisória 1957-47, de 01 de março de 2000; onde passa a ser necessária à prévia autorização do Órgão federal, através de figura do PLANO DE MANEJO FLORESTAL, onde as florestas nativas, em estado médio ou avançado de regeneração, somente serão passiveis de corte através do Plano de Manejo, subscrito por Técnicos habilitados e devidamente aprovados pelos Órgãos competentes afirma Leite; e que somente será admitida quando necessária à execução de obras de utilidade publica (Usinas Hidrelétricas), ou interesse social, e incumbe ao empreendedor a necessidade de realizar as medidas de compensação
  7. 7. Etapas do preparo do terreno M a c r o e t a p a s d o p r e p a r o d o t e rr e n o D e s to c a m e n to R e v o lv im e n to d o s o lo L im p e z a d o t e rr e n o D e s m a t a m e n to
  8. 8. Etapas do preparo do terreno M achado facão M anual M otosserras S em i-m ecanizado Lam inas C orrentão R olo faca M ecanizado D esm atam ento
  9. 9. Etapas do preparo do terreno  Destoco  Processo caro  Recomendado apos desmatamento de vegetação acima de capoeira  Reforma de talhão, não executar destoco e plantar entrelinas  Maquinas ou manual
  10. 10. Etapas do preparo do terreno grade pesada arado subsolador enxada rotativa prim ário grade leve Secundário C ultivo m inim o R evolvim ento do solo
  11. 11. Fim

×