Apresentacao de inventario

958 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
958
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentacao de inventario

  1. 1. TRABALHO DE INVENTÁRIOTRABALHO DE INVENTÁRIO
  2. 2. O Eucalipto no Brasil  As primeiras mudas de eucalipto que chegaram ao Brasil foram plantadas no Rio Grande do Sul em 1868. No mesmo ano,também foram plantados alguns exemplares na Quinta da Boa Vista, no Rio de Janeiro. O plantio do eucalipto em escala comercial data da primeira década do século XX (1904).
  3. 3. Os anos 1960: incentivos fiscais para o reflorestamento  A partir de meados dos anos 1960, o governo adotou uma intensa política de incentivo fiscal para reflorestamento, voltada para as grandes indústrias siderúrgicas e de papel e celulose
  4. 4.  EsseEsse Eucalyptus spEucalyptus sp que foi tirado oque foi tirado o volume tem mais ou menos de 25 avolume tem mais ou menos de 25 a 30 anos.30 anos.  Foi usado para fazer os bancos paraFoi usado para fazer os bancos para o colégio.o colégio.
  5. 5. Medição de dados dendrométricos de volume  Cubagem:Cubagem: São varias medições na arvore inteiraSão varias medições na arvore inteira no chão.no chão.
  6. 6. CÁLCULO DO VOLUME DECÁLCULO DO VOLUME DE TORASTORAS  Os troncos são bastante irregulares e nãoOs troncos são bastante irregulares e não existem dois que sejam totalmenteexistem dois que sejam totalmente idênticos. Contudo os troncos apresentamidênticos. Contudo os troncos apresentam uma forma geométrica semelhante a umuma forma geométrica semelhante a um cilindro. Desta forma alguns métodos sãocilindro. Desta forma alguns métodos são utilizadosutilizados
  7. 7.  Para a comercialização da madeira emPara a comercialização da madeira em toras é necessário se conhecer otoras é necessário se conhecer o volumevolume do lote, como também é essencial odo lote, como também é essencial o conhecimento do volume em pé dasconhecimento do volume em pé das árvores de um povoamento para oárvores de um povoamento para o estabelecimento dos planos de corte e oestabelecimento dos planos de corte e o ordenamento florestal,ordenamento florestal,
  8. 8.  isto é, o conhecimento da destinação daisto é, o conhecimento da destinação da madeira de acordo com as dimensões dasmadeira de acordo com as dimensões das toras resultantes do corte, que podem sertoras resultantes do corte, que podem ser destinadas para diferentes tipos dedestinadas para diferentes tipos de processamento:processamento:
  9. 9. CÁLCULO DO VOLUME DECÁLCULO DO VOLUME DE TORASTORAS  MétodosMétodos::  HUBERHUBER  SMALIANSMALIAN  NEWTONNEWTON
  10. 10. SMALIANSMALIAN  A fórmula de Smalian considera oA fórmula de Smalian considera o diâmetro da base e do topo. Dependediâmetro da base e do topo. Depende muito do diâmetro da forma dasmuito do diâmetro da forma das extremidades da tora, muitas vezes aextremidades da tora, muitas vezes a influência da base é maior e assiminfluência da base é maior e assim ocorre uma superestimativa do volume.ocorre uma superestimativa do volume.  d²x3.14/40.000 (g¹+g²)/2)x0,5=d²x3.14/40.000 (g¹+g²)/2)x0,5=
  11. 11. d²x3.14/40.000 (g¹+g²)/2)x0,5=d²x3.14/40.000 (g¹+g²)/2)x0,5=  68²x3.14/40,000=68²x3.14/40,000=0,3620,362  64²x3.14/40,000=64²x3.14/40,000=0,3210,321  63,5²x3.14/40,000=63,5²x3.14/40,000=0,3160,316  60²x3.14/40,000=60²x3.14/40,000=0,2820,282  59²x3.14/40,000=59²x3.14/40,000=0,2730,273  58,5²x3.14/40,000=58,5²x3.14/40,000=0,2680,268  (0,362+0,321)/2)x0,5=(0,362+0,321)/2)x0,5=0,1700,170  (0,321+0,316)/2)x0,5=(0,321+0,316)/2)x0,5=0,1590,159  (0,316+0,382)/2)x0,5=(0,316+0,382)/2)x0,5=0,1490,149  (0,382+0,273)/2)x0,5=(0,382+0,273)/2)x0,5=0,1380,138  (0,273+0,268)/2)x0,5=(0,273+0,268)/2)x0,5=0,1350,135
  12. 12. Método SmalianMétodo Smalian ComprimentoComprimento D(cm)D(cm) gg vv O,0O,0 6868 O,362O,362 0,1700,170 O,5O,5 6464 0,3210,321 O,159O,159 1,001,00 63,563,5 0,3160,316 0,1490,149 1,501,50 6060 0,2820,282 0,1380,138 2,002,00 5959 0,2730,273 0,1350,135 2,502,50 58,558,5 0,2680,268 Total:0,751m³Total:0,751m³
  13. 13. HUBERHUBER  Quando o diâmetro é tirado na metadeQuando o diâmetro é tirado na metade do comprimento da tora (ddo comprimento da tora (d0,50,5) e o) e o volume é calculado como se a toravolume é calculado como se a tora fosse um cilindro. A diferença parafosse um cilindro. A diferença para menos na parte superior é compensadamenos na parte superior é compensada pela diferença a mais na parte inferior.pela diferença a mais na parte inferior.
  14. 14.  O volume calculado desta forma éO volume calculado desta forma é relativamente exato se a forma aproxima-relativamente exato se a forma aproxima- se de um cilindro, porém os erros podemse de um cilindro, porém os erros podem ser consideráveis e os volumes podemser consideráveis e os volumes podem ser subestimados para as outras formasser subestimados para as outras formas de tronco.de tronco.  d²x3.14/40.000 v=gxlv=gxl
  15. 15. d²x3.14/40.000 v=gxlv=gxl  (65,5²x3.14)/40,000=(65,5²x3.14)/40,000=0,3360,336  (65²x3.14)/40,000=(65²x3.14)/40,000=0,3310,331  (62²x3.14)/40,000=(62²x3.14)/40,000=0,3010,301  (59,5²x3.14)/40,000=(59,5²x3.14)/40,000=0,2770,277  (58²x3.14)/40,000=(58²x3.14)/40,000=0,2640,264 0,336x0,5=0,336x0,5=0,1680,168 0,331x0,5=0,331x0,5=0,1650,165 0,301x0,5=0,301x0,5=0,1500,150 0,277x0,5=0,277x0,5=0,1380,138 0,364x0,5=0,364x0,5=0,1320,132
  16. 16. Método HuberMétodo Huber ComprimentoComprimento D(cm)D(cm) gg vv 0,250,25 65,565,5 O,336O,336 0,1680,168 0,750,75 6565 O,331O,331 0,1650,165 1,251,25 6262 O,301O,301 0,1500,150 1,751,75 59,559,5 0,2770,277 0,1380,138 2,252,25 5858 0,2640,264 0,1320,132
  17. 17. V=(g¹+4xg²+g³)/6)xh=V=(g¹+4xg²+g³)/6)xh=  (0,362+4x0,336+0,321)/6)x0,5=0,1689(0,362+4x0,336+0,321)/6)x0,5=0,1689  (0,321+4x0,301+0,316)/6)x0,5=0,1534(0,321+4x0,301+0,316)/6)x0,5=0,1534  (0,316+4x0,301+0,282)/6)x0,5=0,1501(0,316+4x0,301+0,282)/6)x0,5=0,1501  (0,282+4x0,277+0,273)/6)x0,5=0,1385(0,282+4x0,277+0,273)/6)x0,5=0,1385  (0,273+4x0,264+0,268)/6)x0,5=0,1330(0,273+4x0,264+0,268)/6)x0,5=0,1330
  18. 18. NEWTONNEWTON  Esta fórmula equilibra os erros dasEsta fórmula equilibra os erros das anteriores porque atribui peso maior aoanteriores porque atribui peso maior ao diâmetro do meio da toradiâmetro do meio da tora V=(g¹+4xg²+g³)/6)xh=V=(g¹+4xg²+g³)/6)xh=
  19. 19. Método NewtonMétodo Newton ComprimentoComprimento D(cm)D(cm) gg vv 0,00,0 6868 0,3620,362 0,250,25 65,565,5 0,3360,336 0,16890,1689 0,500,50 6464 0,3210,321 0,750,75 6565 0,3010,301 0,15340,1534 1,001,00 63,563,5 0,3160,316 1,251,25 6262 0,3010,301 0,15010,1501
  20. 20. 1,501,50 6060 0,2820,282 1,751,75 59,559,5 0,2770,277 0,13850,1385 2,002,00 5959 0,2730,273 2,252,25 5858 0,2640,264 0,13300,1330 2,502,50 58,558,5 0,2680,268 TotalTotal 0,7439m³0,7439m³
  21. 21. FATOR DE FORMAFATOR DE FORMA  Além do diâmetro e da altura (ouAlém do diâmetro e da altura (ou comprimento), a forma do tronco é ocomprimento), a forma do tronco é o terceiro fator que influencia o volume. Noterceiro fator que influencia o volume. No caso de árvores em pé, pelo fato de secaso de árvores em pé, pelo fato de se medir apenas o DAP, utiliza-se o fator demedir apenas o DAP, utiliza-se o fator de forma para correção do volume do cilindroforma para correção do volume do cilindro para se obter o volume real.para se obter o volume real.
  22. 22. FATOR DE FORMULAFATOR DE FORMULA FFF=comprimento xF=comprimento x g=g= Volume do cilindro=2,50 x0,362=0,905Volume do cilindro=2,50 x0,362=0,905 Fator de formula de Smalian:Fator de formula de Smalian: 0,751/0,905=0,8290,751/0,905=0,829 Fator de formula de Huber:Fator de formula de Huber: 0,753/0,905=0,8320,753/0,905=0,832 Fator de formula de Newton:Fator de formula de Newton: 0,7439/0,90=0,82190,7439/0,90=0,8219
  23. 23. UNIDADES MÉTRICAS DEUNIDADES MÉTRICAS DE VOLUME DA MADEIRAVOLUME DA MADEIRA  A unidade básica no sistema internacionalA unidade básica no sistema internacional para a determinação do volume depara a determinação do volume de madeira é o :madeira é o :  metro cúbicometro cúbico (m(m33 ).).
  24. 24. TERMOS TÉCNICOS E SUASTERMOS TÉCNICOS E SUAS ABREVIATURASABREVIATURAS  Diâmetro – dimensão do diâmetro do troncoDiâmetro – dimensão do diâmetro do tronco ou de árvoresou de árvores..  dd = diâmetro ( cm ou m)= diâmetro ( cm ou m)  DAPDAP = diâmetro a altura do peito, medido a= diâmetro a altura do peito, medido a altura de 1,30 maltura de 1,30 m  dd0,50,5 = diâmetro no meio da tora (d= diâmetro no meio da tora (dmm))  ddgg = diâmetro da área transversal média= diâmetro da área transversal média  ddcomcom = diâmetro comercial ( diâmetro mínimo= diâmetro comercial ( diâmetro mínimo de utilização, ex. 8 cm )de utilização, ex. 8 cm )
  25. 25.  hh = altura (m)= altura (m)  hhgg = altura correspondente ao diâmetro da= altura correspondente ao diâmetro da área transversalárea transversal  gg = área transversal de uma árvore, ou= área transversal de uma árvore, ou tronco (cmtronco (cm22 ou mou m22 ))  GG = área basal por hectare (m= área basal por hectare (m22 ))  LL = comprimento (m)= comprimento (m)
  26. 26.  cc = circunferência (cm ou m)= circunferência (cm ou m)  CAPCAP = circunferência a altura do peito= circunferência a altura do peito  VV = volume do povoamento= volume do povoamento  vv = volume de uma árvore, tora.= volume de uma árvore, tora.  stst = estereo= estereo
  27. 27.  FFFF = fator de forma da árvore= fator de forma da árvore  ICAICA = incremento corrente anual= incremento corrente anual  IMAIMA = incremento médio anual= incremento médio anual  IItt = incremento total ou P= incremento total ou Ptt = produção total= produção total  nn = número de amostras= número de amostras  NN = número de árvores por povoamento ou= número de árvores por povoamento ou por hectare.por hectare.  c/cc/c = com casca= com casca  s/cs/c = sem casca= sem casca
  28. 28. DETERMINAÇÃO DO VOLUMEDETERMINAÇÃO DO VOLUME DE TORASDE TORAS  InstrumentosInstrumentos 1.1. SUTASSUTAS –– instrumentos utilizados parainstrumentos utilizados para a medição de diâmetros, consistem de:a medição de diâmetros, consistem de:  --                  régua graduadarégua graduada  --                  braço fixo e,braço fixo e,  -- braço móvelbraço móvel
  29. 29. Aspectos importantes a seremAspectos importantes a serem observados para mediçõesobservados para medições corretascorretas::  A régua graduada deve ser reta e firme,A régua graduada deve ser reta e firme,  A escala deve ser bem visívelA escala deve ser bem visível  Os braços devem ser paralelos e estaremOs braços devem ser paralelos e estarem no mesmo plano longitudinal.no mesmo plano longitudinal.
  30. 30. Instrumentos -Instrumentos - SutaSuta
  31. 31. Alunos:Alunos:  CARLOS ALBERTO PRESTES Nº 07CARLOS ALBERTO PRESTES Nº 07  VILMAR ÁVILA Nº 27VILMAR ÁVILA Nº 27  JOSÉ LEANDRO H. DESTRO Nº 17JOSÉ LEANDRO H. DESTRO Nº 17

×