Show de mágica contra o sábado

2.539 visualizações

Publicada em

Acesse o blog http://pesquisasbiblicas.blogspot.com.br e conheça outras obras do autor Leandro Bertoldo.

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.539
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.100
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
95
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Show de mágica contra o sábado

  1. 1. 1LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado SHOW DE MÁGICA CONTRA O SÁBADO Leandro Bertoldo
  2. 2. 2LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado Dedicatória Dedico este livro aos meus grandes amigos Fofa, Pitucha, Calma e Mimo.
  3. 3. 3LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado O Senhor permitiu ao inimigo da verdade fazer decidido esforçocontra o sábado do quarto mandamento. É desígnio Seu despertar por esse meio interessedecidido naquela questão que é um teste para os últimos dias. Isto abrirá o caminho a que aterceira mensagem angélica seja proclamada com poder. (II Mensagens Escolhidas, 370). Ellen Gould White Escritora, conferencista, conselheira, e educadora norte-americana. (1827-1915)
  4. 4. 4LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado SumárioDados biográficosPrefácioIntroduçãoCapítulo ICapítulo IICapítulo IIICapítulo IVCapítulo VCapítulo VICapítulo VIICapítulo VIIIICapítulo IXCapítulo XPosfácioBibliografiaRelação de Endereços
  5. 5. 5LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado Dados biográficos Leandro Bertoldo é o primeiro filho do casal José Bertoldo Sobrinho e AnitaLeandro Bezerra. Seu irmão chama-se Francisco Leandro Bertoldo. Os dois seguiram acarreira no judiciário paulista, incentivados pelo pai, que via algo de desejável na estabilidadedo serviço público. Leandro fez as faculdades de Física e de Direito na Universidade de Mogi das Cruzes– UMC. Seu interesse sempre crescente pela área das exatas vem desde os seus 17 anos,quando começou a escrever suas primeiras teses científicas sérias sobre os fenômenos físicos.Em 1995, publicou o seu primeiro livro de Física, que atraiu a atenção de muitos professoresuniversitários. O seu comprometimento com o Direito é resultado de suas atividades junto aoTribunal de Justiça do Estado de São Paulo. Em 1986, influenciado pela colega de trabalho Célia Regina de Souza Xavier,converteu-se ao cristianismo, recebendo as suas primeiras orientações doutrinarias dodedicado professor Valdir Gonçalves Xavier. Posteriormente estudou na Classe Bíblica com oeminente professor Pedro B’ärg. Pouco tempo depois começou a ministrar estudos bíblicosnos lares de diversos interessados. Mais tarde, ao assumir a direção da Classe Bíblica, teve grande êxito em prepararalgumas almas sinceras para o santo batismo. Porém, a sua atividade principal tem sidorealizada na Classe Pós-batismal, onde tem preparado dezenas de novos lideres paratrabalharem nos ministérios da igreja e na obra evangelística voluntária. Leandro casou-se duas vezes e teve uma filha do primeiro matrimônio chamadaBeatriz Maciel Bertoldo, hoje formada em Direito. Há vinte anos está casado com a suasegunda esposa Daisy Menezes Bertoldo, que o tem apoiado incondicionalmente. Muitos dosseus momentos de descontração são proporcionados por seus amáveis amigos e felizescachorrinhos: Fofa, Pitucha, Calma e Mimo. Durante a sua carreira como cientista, contabilizou centenas de artigos e dezenas delivros, todos defendendo teses originais em Física e Matemática, destacando-se: “TeoriaMatemática e Mecânica do Dinamismo” (2002); “Teses da Física Clássica e Moderna”(2003); “Cálculo Seguimental” (2005); “Artigos Matemáticos” (2006) e “GeometriaLeandroniana” (2007), os quais estão sendo discutidos em vários grupos de pesquisasavançadas nas grandes universidades do país. Em teologia suas principais obras são asseguintes: “Estudos Bíblicos Avançados” (2006); “Exercícios de Estudos Bíblicos” (2008);“Profecias Sobre o Tempo do Fim” (2009); “A Lei, o Sábado e o Domingo” (2010) e“Perguntas e Respostas” (2011), os quais estão sendo utilizados em pequenos grupos e classesbíblicas. Muitas igrejas estão realizando seminários bem-sucedidos com o livro “ProfeciasSobre o Tempo do Fim”. No primeiro semestre de 2012, a convite do carismático missionário voluntário “EdsonFelix” – pioneiro em organizar e dirigir as duas igrejas em César de Souza – teve o grandeprivilégio de realizar a partir de 18 de março de 2012 aos domingos, durante um período deseis meses, um enriquecedor seminário intitulado “Profecias Sobre o Tempo do Fim”,baseado em seu livro “Conflito Final”. O seminário teve a participação maciça dos membrosda comunidade local, resultando em vários batismos. Em sua igreja foi Secretário do Ministério Pessoal, Tesoureiro, Professor da EscolaSabatina, Promotor de Literatura, Professor da Classe de Visitas, Ancião e, atualmente,Coordenador de Classe Bíblica.
  6. 6. 6LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado Prefácio Seguindo as orientações contidas nas Escrituras Sagradas, os Adventistas do SétimoDia ensinam, pregam, imprimem, veiculam e distribuem material evangelístico que versamsobre os mais variados temas bíblicos, tais como: Segundo Advento de Cristo, Plano daSalvação, Estado dos Mortos, Inferno, Lei de Deus, Sábado do Senhor, Santuário, Milênio,Justificação pela fé, Santificação, Temperança etc. Com toda essa atividade evangelística, a atenção de muitos cristãos sinceros e fiéis àPalavra de Deus tem sido despertada para essas arrebatadoras verdades bíblicas. Então surgem os falsos ministros, que cheios de ciúmes e inveja, se levantam epassam, como meio de retaliação, a fabricar matérias ilusórias totalmente distorcidas em faceda sincera e honesta atuação daqueles que “guardam os mandamentos de Deus e a fé deJesus” (Apocalipse 12:17; 14:12). Negligenciando a salvação de sua própria alma, os falsos ministros se levantam efazem afirmações pérfidas, depreciativas, caluniadoras, difamatórias e levianas. Essesministros são falsos profetas que denigrem não só o santo dia do Senhor (Isaías 58:13), mastambém a honra, a dignidade e a imagem dos santos do Altíssimo (Apocalipse 14:12) queobservam metodicamente os preceitos sagrados da Palavra de Deus. O mais curioso é que, passando-se por cristãos, esses falsos ministros do evangelhonegam pelas suas ações e obras o cristianismo que professam pregar, e o fazem sem o mínimoconstrangimento, usando de falsidade, deslealdade e mentira, tanto no púlpito como naliteratura, presumidamente, para pressionar e vacinar a cristandade contra a poderosamensagem bíblica do sábado do Senhor. Mas, contra a verdade bíblica, não há poder quepossa prevalecer no coração daqueles que são sinceros e fiéis a Palavra de Deus. Por essas razões, o presente livro vem a lume com o único objetivo de mostrar aopúblico a enorme obra de engano que está sendo realizada nestes últimos dias por intermédiode impressionantes mestres religiosos do ilusionismo bíblico moderno. Este livro é constituído por dez capítulos, onde estão distribuídas mais de setentadivertidas mágicas. Sem prolixidade e sem ser tendenciosa, a presente obra propõe-se arevelar aos expectadores os principais truques maléficos que estão ocultos em todas asmágicas que comumente são realizadas em várias partes do mundo nos shows de mágicacontra o sábado. Caso você seja um cristão fiel, sincero e honesto para com Deus e para com asverdades bíblicas, posso adiantar que, após a leitura deste singelo livro, você jamais será omesmo. É o meu sincero desejo e oração que o Senhor nosso Deus possa iluminar-teabundantemente para que você possa tomar a decisão correta ao lado do Senhor, mas emplena harmonia com a Sua Santa Palavra. Amém! leandrobertoldo@ig.com.br
  7. 7. 7LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado Introdução “Multidões exultarão de que Deus esteja operando maravilhosamente por elas, quando aobra é de outro espírito. Sob o disfarce religioso, Satanás procurará estender sua influência sobre o mundocristão”. (Reavivamento e seus Resultados, 10). Ellen Gould White Atualmente uma enorme parcela da cristandade desconhece completamente asdoutrinas fundamentais da Bíblia Sagrada, e o pior, é que nem está interessada em conhecê-las. Alguns chegam a ponto de questionar a validade de um estudo mais profundo dasEscrituras Sagradas. Esses “cristãos” parecem que ignoram o fato de que “Está escrito: Nemsó de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus”. (Mateus 4:4). Aesses cristãos cabe perfeitamente a célebre repreensão de Jesus Cristo: “Vós não sabeis de queespírito sois”. (Lucas 9:55). Inexplicável. Alguns afirmam, com ares de doutores, que a Bíblia Sagrada éincompreensível porque está cheia de mistérios. É claro que ela está cheia de mistérios, massomente para aqueles que não compreendem a Palavra de Deus porque não se dedicam aestudá-la com a profundidade necessária. Tais cristãos fecham os olhos para o fato de que “ascousas encobertas são para o Senhor nosso Deus; porém as reveladas são para nós e paranossos filhos para sempre”. (Deuteronômio 29:29). Como as coisas estão claramentereveladas nas páginas das Escrituras Sagradas, então elas não estão mais ocultas emprofundos mistérios, simplesmente porque não estão mais encobertas e são perfeitamentecompreensíveis ao estudante dedicado e honesto. O que é misterioso é a falta de interesse damaior parte da cristandade em procurar com todo o seu coração e inteligência compreender eaceitar as Mensagens de Deus, como elas realmente se encontram reveladas nas EscriturasSagradas. “As multidões rejeitam a verdade das Escrituras, por ser ela contrária aos desejosdo coração pecaminoso e amante do mundo; e Satanás lhe proporciona os enganos queamam.” (O Grande Conflito, 601). Doutrina. Outros criticam o estudo doutrinário das Escrituras Sagradas sob o pretextode que as doutrinas separam as pessoas. Mas esse é justamente o seu objetivo primordial:separar os homens para propósito sagrado, conforme está expresso na oração do Senhor:“Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade”. (João 17:17). O vocábulo “santo” nalíngua hebraica é qadosh e em grego é hagio que etimologicamente significam “serseparado”. Portanto, a Palavra de Deus separa o cristão das trevas para sua maravilhosa luz.Além disso, foi Jesus quem disse: “Não cuideis que vim trazer a paz à terra; não vim trazerpaz, mas espada. Porque eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, e a filha contra suamãe, e a nora contra sua sogra. E assim os inimigos do homem serão os seus familiares”.(Mateus 10:34-36). Diante do exposto está claro que o ensino cristão naturalmente separa aspessoas, até mesmo os membros de uma mesma família, então o que se dirá dos estranhos! Aprópria Bíblia Sagrada exorta os cristãos a separarem-se daqueles que divergem da doutrinaensinada pela Igreja: “E rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões eescândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles”. (Romanos 16:17). Ensino. Ao desprezarem as doutrinas bíblicas, esses amados cristãos estão cumprindo– sem perceber – a profecia que diz: “Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina;
  8. 8. 8LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábadomas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas própriasconcupiscências”. (II Timóteo 4:3). Tais cristãos parecem desconhecer que o ensino dadoutrina é mandamento divino. Eis o que diz a Bíblia Sagrada: “Retendo firme a fiel palavra,que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para admoestar com a sã doutrina,como para convencer os contradizentes”. “Tu, porém, fala o que convém à sã doutrina”.“Tens cuidado de ti mesmo e da doutrina: persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, tesalvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem”. (Tito 1:9; 2:1; I Timóteo 4:16). Oapóstolo Paulo também exortou às lideranças das igrejas “que não ensinem outra doutrina”. (ITimóteo 1:3). Engano. A verdade é que “o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo, eSatanás, que engana todo o mundo” (Apocalipse 12:9) está trabalhando para anular asfronteiras doutrinárias existentes entre as diversas denominações religiosas com a intenção deunir todas as igrejas sob o seu estandarte. Seu alvo final consiste em perseguir os santos doAltíssimo (Apocalipse 12:17; 16:14; 19:19). Para alcançar seu intento, o grande inimigo daverdade está construindo pontes entre as diversas denominações religiosas visando facilitaruma futura união entre todas as igrejas. Por meio da prática de “sinais e prodígios”, Satanástem adentrado nas igrejas protestantes e causado grande alvoroço e divisões. Conseguiu atémesmo penetrar nas fileiras católicas na década de sessenta, quando introduziu, com suaastúcia, as técnicas pentecostais, que na igreja católica são chamadas de carismáticas. Porforça do movimento ecumênico e visando ludibriar os incautos, Satanás apresenta o seguintelema: “Existem mais pontos que nos unem do que nos separam”. Sua proposta para unir asdiversas denominações religiosas tem sido a seguinte: Primeiro, defender doutrinas que sãocomuns entre a maioria das denominações religiosas, tais como imortalidade da alma,observância do domingo, um inferno ardendo eternamente, torturas sem fim das almasimpenitentes, arrebatamento secreto etc. Segundo, procurar desestimular, combater enocautear o ensino de doutrinas que causam divergências ou divisões. Terceiro, construirfortes laços entre as diversas igrejas da cristandade com as mistificações dos dons do EspíritoSanto, com a realização de “grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam atéos escolhidos”. (Mateus 24:24). Espiritismo. Para fazer oposição às verdades bíblicas, Satanás levantou a partir de1849 o adormecido espiritismo pagão, o qual Deus havia condenado desde a época de Moisés(Deuteronômio 18:10-14). O moderno espiritismo surgiu com o propósito de negar oEvangelho de Cristo, o qual está sintetizado em João 3:16: “Porque Deus amou o mundo detal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mastenha a vida eterna”. Contrariando o Evangelho de Cristo, o Espiritismo prega outroevangelho, onde ensina que todos possuem um espírito imortal e consciente que sobrevive àmorte do corpo físico, independentemente de qualquer crença que o falecido porventura tinha.Com sua argúcia, Satanás alcançou grande êxito em colocar uma roupagem supostamentecientífica no antigo espiritismo pagão. Com isso conseguiu atrair, seduzir, enganar earregimentar milhares de incrédulos para as suas fileiras. A maioria dos espíritas são pessoasque necessitam de provas científicas, fatos palpáveis e evidências tangíveis para poder “verpara crer”, e Satanás oferece a todos eles essas provas. Todavia, isto não é fé, porque a fé é “aprova das coisas que se não veem” (Hebreus 11:1). “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvirpela palavra de Deus”. (Romanos 10:17). Ninguém precisa ter fé para crer que um avião voaporque isto é um fato observável, assim também o espírita não necessita ter fé para crer nacomunicação com os mortos, porque – muito embora seja um engodo – “para eles” isto é umfenômeno observável. Mas o fato é que os espíritas ainda estão devendo ao mundo a provacrucial que fundamenta a sua religião. Eles ainda não conseguiram provar cientificamente queos espíritos com quem se comunicam são realmente espíritos dos mortos ou alguns dos anjoscaídos simulando ser o espírito de algum falecido. Para resolver essa questão os espíritas
  9. 9. 9LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábadocriaram doutrinas fantasiosas em torno do assunto, afirmando que todos são espíritos demortos em graus mais ou menos evoluídos, sendo que os anjos não existem e que demôniossão apenas espíritos de mortos menos evoluídos. Mas essa doutrina não resolve a questão“científica”. Ainda estão a dever a prova crucial do Espiritismo. Se todos são espíritos demortos, então por que não dizer – em harmonia com a Bíblia Sagrada – que todos sãoespíritos de demônios, simulando os mortos? Pentecostalismo. Por meio do movimento espírita – negando diretamente oEvangelho de Cristo – Satanás não conseguiu atingir totalmente os seus intentos. Por isso elelevantou a partir de 1905 o movimento pentecostal, um sincretismo religioso de manifestaçõesemocionais e espiritualistas com doutrinas cristãs de origem metodista. Esse movimentoencontra-se dividido em centenas de seitas com crenças diversificadas e infiltrado emmilhares de igrejas de tradição protestante. Embora aparentem defender o evangelho, essasseitas combatem com veemência o espírito protestante e os grandes temas bíblicos, tais comoa Lei Moral, o Sábado do Senhor, o Antigo Testamento, a Mortalidade Inerente da Alma, aImortalidade da Alma mediante a fé em Cristo Jesus. Essas seitas defendem a mitologia gregada pena eterna num inferno para os maus e o céu para os bons, ensinam a filosofia pagã dePlatão de que todos possuem uma alma imortal que permanece viva depois da morte.Realmente, seus ensinos não são verdadeiramente bibliocêntricos. Do que adianta ensinar quesomos salvos pela graça mediante a fé, se não ensinam que somos julgados pelas obras, postoque a fé sem as obras correspondentes está morta! Uma das grandes incoerências de suasdoutrinas é que condenam o sábado sob o argumento de que se trata de preceito do AntigoTestamento, mas convenientemente insistem em recolher os dízimos e as ofertas, que tambémsão preceitos do Antigo Testamento. Como seita, instalada no ceio da cristandade, parecemcordeiros, mas falam como o dragão quanto se trata de combater grupos religiosos quepensam diferentes deles. Para eles todas as religiões e igrejas são seitas (menos eles, é claro).Eles parecem que desconhecem a diferença fundamental entre religião e seita. Prodígios. A atração fatal que mantêm todos os seguimentos pentecostais na falsailusão de que possuem a aprovação divina está baseada na mistificação dos dons do EspíritoSanto. Esse movimento foi severamente condenado por Cristo Jesus, quando Ele profetizou:“Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teunome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E entãolhes direi abertamente: Nunca vos conheci: apartai-vos de mim, vós que praticais ainiquidade”. “E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos”. “Porque surgirãofalsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora,enganariam até os escolhidos”. (Mateus 7:22-23; 24:11, 24). Atualmente, os novosseguimentos pentecostais vêm se orientado pela antiga e condenada doutrina simonistas (Atos8:18-21), que em última análise nada mais é do que a troca de benção divina por dinheiro. Omovimento pentecostal surgiu com o propósito de criticar, combater e fazer guerra aos que“guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo” (Apocalipse 12:17).As Escrituras Sagradas revelam que, num futuro não muito distante, todas as igrejas unidasprocurarão aliar-se aos poderes políticos para assegurar sua proeminência no mundo econsumar a sua guerra contra Cristo nas pessoas dos Seus santos (Apocalipse 19:19). Istoocorrerá quando Satanás, por meio de todas as instituições cristãs que puder colocar sob o seucontrole, realizar “grandes sinais, de maneira que até fogo faz descer do céu à terra, à vistados homens”. (Apocalipse 13:13). “Sendo os ensinos do espiritismo aceitos pelas igrejas,removem-se as restrições impostas ao coração carnal, e o professar religião se tornará ummanto para ocultar a mais vil iniquidade. A crença nas manifestações espiritualistas abre aporta aos espíritos enganadores e doutrinas de demônios, e assim a influência dos anjos mausserá sentida nas igrejas.” (O Grande Conflito, 610).
  10. 10. 10LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado Contradições. Algumas pessoas menos esclarecidas supõem que a Bíblia Sagrada estáfervilhando de erros e contradições. Nada mais equivocado! Bem entendida, as EscriturasSagradas não apresentam nenhuma espécie de erro ou contradição. O que as pessoas nãopercebem é que as contradições aparecem não porque a Bíblia Sagrada está errada, masporque as suas interpretações pessoais estão equivocadas e o conhecimento bíblico dointérprete é limitado. Muitas dessas pseudo-interpretações estão fundamentadas nasentrelinhas das Escrituras Sagradas. Porém, ocorre que as entrelinhas são conceitos inferioresque não podem contradizer as linhas. Outras falsas interpretações estão baseadas empassagens bíblicas obscuras. Porém, as passagens obscuras por serem herméticas não podemcontradizer as passagens bíblicas mais claras, vivas e expressivas. A regra da HermenêuticaSacra ensina que as linhas devem esclarecer as entrelinhas e as passagens mais claras devemexplicar as mais obscuras. Isto é muito elementar, claro e lógico. Estudando. Por que devemos estudar as Escrituras Sagradas em profundidade? Bem,devemos estudar as Escrituras Sagradas profundamente “para que não sejamos mais meninosinconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que comastúcia enganam fraudulosamente”. (Efésios 4:14). Além disso, sabemos que os primeiroscristãos estudavam com afinco as Escrituras Sagradas, razão pela qual “anunciavam comousadia a palavra de Deus” (Atos 4:31). Por exemplo, os bereanos foram elogiados por Lucas“porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estascoisas eram assim”. (Atos 17:11). “Os que andavam dispersos iam por toda a parte,anunciando a palavra”. (Atos 8:4). Além disso, o Senhor Jesus deu a seguinte orientação aosseus seguidores: “Examinais as Escrituras”. (João 5:39). “O povo de Deus é encaminhado àsSantas Escrituras como a salvaguarda contra a influência dos falsos ensinadores e poderilusório dos espíritos das trevas” (O Grande Conflito, 599). Gentios. Nos dias de hoje, alguns cristãos sinceros, porém equivocados, afirmam queos gentios não estudavam a Palavra de Deus, recebendo apenas as singelas orientaçõescontidas no Concilio de Jerusalém. Mas tal afirmação não condiz com os relatos bíblicos. Eiso que diz as Escrituras Sagradas: “Os gentios tinham recebido a palavra de Deus”. (Atos11:1). Entre os gentios “a palavra de Deus crescia e se multiplicava”. (Atos 12:24). Os gentiosde Antioquia reuniram-se para ouvir a Palavra de Deus: “E no sábado seguinte ajuntou-sequase toda a cidade a ouvir a palavra de Deus”. (Atos 13:44). Na cidade de Corinto a Palavrade Deus era ensinada aos gentios: “E ficou ali um ano e seis meses, ensinando entre eles apalavra de Deus”. (Atos 18:11). Diante de tantos versículos, como dizer que os gentios nãoestudavam a Palavra de Deus? Incoerência. Apesar de demonstrarem certo desprezo pelas Escrituras Sagradas, essescristãos ainda mostram-se incoerentes ao defenderem suas crenças religiosas pelas mesmasEscrituras que costumam desdenhar, quando encurralados em suas interpretações aleijadas. Omais grave é que em suas defesas desfocadas da realidade bíblica, eles se valem de métodosescusos e argumentos esdrúxulos. Por exemplo, contrariando dezenas de textos bíblicos queexplicitamente ensinam sobre a “mortalidade inerente da alma” devido ao pecado de Adão eEva, bem como a promessa divina de sua “imortalidade condicional” baseada exclusivamentena fé em Cristo Jesus, esses pesquisadores superficiais defendem a controvertida tese da“imortalidade inerente da alma” baseando-se numa singela ilustração bíblica sobre o “Rico e oMendigo Lázaro” (Lucas 16:19-31). Com isso tacitamente negam as nefastas consequênciasda queda do homem e o real objetivo do Plano da Salvação, que justamente visa trazer a vidaeterna para tornar a alma imortal. O que ninguém jamais teve coragem de contar a essescristãos é que tal ilustração bíblica trata-se apenas de uma simples parábola que foi inventadapara explicar a incredulidade dos judeus. Todos sabem que a parábola não tem o objetivo de
  11. 11. 11LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábadorefletir a descrição de fatos verídicos. A parábola é apenas uma estória imaginária narrada emmetáforas, que tem por objetivo tão-somente ilustrar um princípio moral ou espiritual. Seletividade. É de conhecimento geral que a mente humana é seletiva. Por essa razãoela tem a tendência de levar o ser humano a cometer sérios enganos. Como declarou o profeta:“Enganoso é o coração, mais do que todas as cousas, e perverso: quem o conhecerá?”(Jeremias 17:9). Enquanto a nossa mente não adquire uma compreensão holística do todo, elatende a selecionar e isolar as informações que parecem encaixar-se em nosso conhecimento demundo. Por outro lado, ela ignora e despreza as informações que conflitam com o nossoconhecimento a respeito do assunto. Isto ocorre porque a mente humana aceita somente comoverdade as informações que lhe parece razoável e lógica; porém, as informações que não lheparecem lógica ou que não sejam razoáveis são rejeitadas como falsas. Por esse motivo oshomens chegam inconscientemente a ponto de distorcer a nítida verdade dos versículosbíblicos para moldá-los às suas próprias teorias, em vez de suas teorias amoldarem-se àsverdades bíblicas claramente reveladas. Por exemplo, alguns cristãos defendem teoriasbaseadas em textos que falam da Lei Cerimonial para provar que a Lei Moral foi abolida. Essetipo de confusão é muito comum em mentes tacanhas, destituídas de informações maisprofundas sobre a realidade da questão estudada ou que estão carregadas de preconceitoscontra determinadas doutrinas. Uma mente verdadeiramente honesta e genial está preparadapara desprender-se da seletividade natural da mente humana e pensar holisticamente, e nãoem termos de partes isoladas. Esse tipo de mente procura analisar e harmonizar todas aspassagens bíblicas sobre determinado assunto sem levantar nenhuma contradição com todo oescopo das Escrituras Sagradas, permitindo assim que as próprias Escrituras expliquem-se a simesmas.
  12. 12. 12LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado Capítulo I “Com magistral poder tem Satanás procurado tornar nulo e inútil o quarto mandamento, afim de que o sinal de Deus seja perdido de vista. O mundo cristão tem calcado sob os pés o sábado do Senhor e observa osábado instituído pelo inimigo. Deus, porém, tem um povo leal a Ele. Esta obra deve ser levada avante da maneiradevida”. (Conselho Sobre Saúde, 235). Ellen Gould White Os cristãos que procuram fazer desvaler a observância do “sábado do Senhor”atuam como verdadeiros ilusionistas. Esses modernos encantadores religiosos formados naarte da persuasão costumam empregar, pelo mundo afora em seus muitos shows contra osábado do Senhor, algumas fantásticas táticas e artifícios, visando negar a validade do sábadona vida do cristão. Em geral eles apresentam certo talento para a palavra e possuem modosagradáveis perante o seu auditório. Quando fazem uso de suas táticas espetaculares são bem-sucedidos em iludir, enganar e transviar milhões de pessoas que assistem aos seus shows.Entre essas táticas, destacam-se as seguintes: 1º. Empregam versículos bíblicos fora de contexto para desaprovar aobservância do sábado do Senhor. 2º. Pecam por omissão ao desprezarem as informações bíblicas quecontradizem as suas suposições. 3º. Não informam ao seu auditório que o argumento que inventam paradesaprovar a observância do sábado também desaprova a observância do domingo. 4º. Costumam empregar uma “falsa analogia” para fazer desvaler a observânciado sábado em benefício da observância do domingo. 5º. Muitas de suas suposições contra o sábado são incoerentes com os própriosensinos doutrinários que defendem. 6º. Usam textos que falam da abolição da Lei Cerimonial para “provar” aabolição da Lei Moral. 7º. Procuram vincular o sábado à Lei Cerimonial para mais facilmente abatê-lo. 8º. Em defesa da observância do domingo atuam como “analfabetosfuncionais”, que sabem ler, mas não sabem interpretar o que leram. 9º. Em seus argumentos contra o sábado violam o princípio da não contradição. 10º. Infringem o princípio do “nexo textual”, no qual a interpretação devecorresponder rigorosamente ao conteúdo do texto bíblico em análise. Os mágicos costumam utilizar muitos outros truques escusos semelhantes a estes, osquais se encontram escondidos em suas largas mangas, e que empregam em seus fabulososespetáculos de mágica contra o sábado do Senhor. Porém, estas dez táticas são suficientespara dar um vislumbre de suas atividades teatrais, que tem iludido milhões de pessoas quefrequentam os seus auditórios. A seguir vamos assistir a um magnífico show de mágica contra o sábado, onde serãoapresentados aos expectadores as principais ilusões realizadas por mágicos profissionais eamadores do mundo inteiro. Esses profissionais na arte de ludibriar o público têm alguns propósitos escusos bemdefinidos, o primeiro deles consiste em tosquiar as ovelhas e o segundo enganá-las paramantê-las em seu redil e continuar tosquiando-as. É evidente que esse tipo de show de mágica contra o sábado também visa criarpreconceitos, divisões e vacinar os novos conversos para que no futuro não recebam decoração a verdade bíblica fundamental sobre o santo dia do sábado.
  13. 13. 13LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado 1ª Mágica O domingo surge no lugar do sábado Os modernos ilusionistas religiosos são muito artificiosos e costumam apresentaruma curiosa mágica alegórica para fazer o sábado desaparecer e o domingo surgir no palco dacristandade. Esses magníficos mágicos costumam usar o relato da criação para favorecer aguarda do domingo, com a justificativa de que foi no “primeiro dia” que Deus criou a luz(Genesis 1:3-5). Que maravilha! O domingo deve ser guardado pelos cristãos porque foi nessedia que Deus criou a luz. Agora que você conhece essa espantosa mágica que favorece aobservância do domingo, e está todo maravilhado, vou revelar os truques secretos que estãopor trás dessa mágica estupenda. 1º. O mágico esconde de sua plateia dormente que o próprio relato da criaçãoestabelece explicitamente a observância do sétimo dia da semana como um dia de repouso,abençoado e santificado por Deus (Gênesis 2:2-3). 2º. Para que a ilusão criada por essa fabulosa mágica possa funcionar, osilusionistas não revelam ao público que séculos depois – no Monte Sinai – o Senhor Deusdesprezando totalmente o “primeiro dia” em que criou a luz, ratificou plenamente aobservância do repouso do sétimo dia da semana, conhecido como sábado (Êxodo 20:8-11). O mágico é um verdadeiro craque em sua arte de produzir falsas ilusões. Milhões quenão pesquisam as Escrituras Sagradas são diariamente ludibriados por esses ilusionistasmodernos. 2ª Mágica O sábado era exclusivo para os israelitas Uma interessante mágica especialmente realizada para facilitar a aceitação dodomingo pela cristandade consiste em selecionar os textos de Êxodo 20:2; Deuteronômio 5:1-3; 12-15; 4:8, 10, 13, 44, para em seguida causar a poderosa ilusão de que Deus ordenou aguarda do sábado exclusivamente para o povo israelita, e ninguém mais. Para que essa mágicapossa seduzir o público é necessário que o ilusionista oculte alguns pequenos truques, que sãofatais para o sucesso de sua ilusão: 1º. O mágico ilude o seu auditório com o truque da palavra “exclusivamente”.Nada mais errado! A guarda do sábado nunca foi dada “exclusivamente” para os judeus e aBíblia Sagrada em nenhum lugar afirma tal disparate. 2º. O sábado não foi dado “exclusivamente” aos judeus porque foi abençoado esantificado na primeira semana da criação do mundo, bem antes da existência de qualquerjudeu sobre a face da terra (Gênesis 2:2-3). 3º. O mágico esconde de sua desatenta plateia todas passagens bíblicas queordenam aos gentios a santificarem o sábado. Eis a prova: Êxodo 20:10; 23:12; Isaías 56:2-3;56:6-7; 58:13-14; Atos 13:42 e 44; 10:34.
  14. 14. 14LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado 4º. Supondo que o sábado não deve ser guardado pelos gentios porque foi dadoaos judeus, então os gentios estão excluídos do Novo Concerto porque está escrito que oNovo Concerto foi feito com a “casa de Israel e com a casa de Judá” (Hebreus 8:8); os gentiosestão livres de obedecer a Deus porque Ele afirmou que é “o Deus de Israel” (Jeremias 11:3);também estão livres dos dízimos e ofertas porque eles foram dados aos filhos de Levi(Números 18:21). 3ª Mágica O sábado é somente do judeu Outra curiosa atração fatal semelhante à anterior, que é apresentada nos showsdesses mágicos, consiste em iludir os seus espectadores com a crença de que o sábado ésomente do judeu. Os truques que essa fantástica mágica oculta são bem simples. 1º. O mágico esconde os textos bíblicos que desmoralizam a sua mágica, osquais provam que o sábado não era somente do judeu, mas também dos gentios. Eis a prova:Êxodo 20:10; Êxodo 23:12; Isaías 56:2-3; Isaías 56:6-7; Isaías 58:13-14; Atos 13:42 e 44;Atos 10:34. 2º. Supondo que o sábado seja somente do judeu, então toda lei – os DezMandamentos, os dízimos, as ofertas etc – também são somente do judeu. Nesse caso, oscristãos estariam livres para cultuar imagens, usar o nome de Deus em vão, desobedecer a paie mãe, roubar, matar, adulterar, mentir, cobiçar etc. É evidente que as coisas não são dessemodo; portanto, o quarto mandamento como todos os demais não eram destinados somente aojudeu. 3º. Caso o sábado fosse somente do judeu, Jesus não teria dito que Ele é oSenhor do sábado (Marcos 2:28), mas teria dito que o judeu é o senhor do sábado. 4º. O sábado não era somente do judeu porque os gentios convertidos à verdadenão só guardavam o sábado, como também participavam de todas as demais atividadesprescritas no Livro da Lei. Por exemplo, Isaías fez referência aos “filhos dos estrangeiros”(Isaías 56:6-7) que, além de guardarem o sábado, também compartilhavam do concerto doSenhor, festejavam no Templo Sagrado, participavam das ordenanças de holocausto esacrificavam animais no altar do Senhor. 4ª Mágica O Antigo Testamento foi abolido Outra mágica interessante que o ilusionista costuma apresentar para o seuindiferente auditório, visa criar na mente do expectador a ilusão de que o Antigo Testamentonão tem validade para os cristãos em termos de doutrina e prática. Porém, para que essafabulosa mágica funcione, o ilusionista recorre a vários truques sujos e desprezíveis.
  15. 15. 15LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado 1º. O mágico é tão obtuso que confunde o homônimo “Antigo Testamento”constituído pelos 39 livros – cinco escritos por Moisés e os demais pelos Profetas – com“Antigo Testamento” constituído pelo pacto de derramamento de sangue de animais pararemissão de pecados. O que foi abolido com a morte do Cordeiro de Deus foi o pacto, e nãoos escritos sagrados, tão exaltado e empregado pelos apóstolos em suas atividadesevangelísticas. 2º. Com esse truque dúbio o mágico consegue mais facilmente negar qualquerdoutrina contida nos livros sagrados que constituem o Antigo Testamento. Basta afirmar quetal ensino não tem mais valor, já que supostamente os escritos do Antigo Testamento foramabolidos. 3º. O mágico não conta à sua iludida plateia que os gentios eram evangelizadospelas Escrituras Sagradas. Ocorre que as únicas Escrituras que até então existiam era o AntigoTestamento. Logo, os apóstolos não reconheceram a suposta abolição das escrituras do AntigoTestamento. 4º. O que o mágico não percebe é que a ilusão produzida por sua enganosamágica não aboliu apenas o sábado, mas aboliu o próprio Deus de Israel. Condenou adevolução dos dízimos e das ofertas. Passou a permitir a prática da idolatria, adultério,blasfêmias, furtos, mentira etc., haja vista que todos esses conceitos estão fundamentados noAntigo Testamento. Que mágico abobalhado, heim! 5ª Mágica Todos os dias são santos Uma extraordinária ilusão apresentada nos espetáculos desses fantásticosencantadores religiosos consiste em empregar versículos bíblicos fora do seu verdadeirocontexto para ardilosamente “provar” que todos os dias da semana são santos. Essesmagníficos mágicos deliram no engano de suas próprias ilusões fantasiosas; e o mais grave éque os maiores enganados são eles mesmos. Esses ilusionistas são o máximo em mágicasfajutas, e costumam apresentar-se em seus shows de mágica contra o sábado vestidos comroupas chiquérrimas. São lindos de morrer... morrer. Apesar de toda sua pompa, ostentação,orgulho e vaidade, a sua mágica apresenta seus truques obscuros, que a seguir passarei atrazer à luz. 1º Caso todos os dias fossem santos, os mágicos não estariam implicando comaqueles que guardam o sábado. 2º. O mágico esconde de sua encantada plateia que o Senhor tornou santoapenas o sétimo dia da semana, quando descansou, abençoou e santificou o dia do sábado. 3º. O ilusionista não revela a ninguém que em nenhum lugar da Palavra deDeus consta que o Senhor tenha abençoado ou santificado todos os dias da semana, a não sero dia do sábado. 4º. O mágico oculta do seu auditório que nas Escrituras Sagradas não constaque o Senhor tenha abençoado ou santificado o domingo. Aconselho a esses mágicos que parem com seus truques tolos e infantis porquesomente servem para enganar e alimentar os mais incautos, os fanáticos, os obtusos, osobstinados e os que ignoram as Escrituras Sagradas.
  16. 16. 16LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado 6ª Mágica Todos os dias são iguais Em seu fabuloso show de mágica contra o sábado, o prestidigitador com a boca nomel, num verdadeiro abracadabra, ilude o seu auditório com a ideia de que o sábado e odomingo são dias como qualquer outro. Por trás dessa mágica fabulosa está a crença de quetodos os dias são iguais. Para que essa mágica possa enganar, o prestidigitador procuraesconder de sua plateia alguns truques. 1º. O mágico esconde que as Escrituras Sagradas e somente as EscriturasSagradas são a norma de fé, doutrina e conduta para o fiel cristão (Romanos 15:4; II Timóteo3:16-17), e são elas que ensinam ao cristão que o sábado não é um dia como o domingo oucomo qualquer outro. 2º. Deus fez questão de diferenciar o sétimo dia da semana de todos os demais,descansando, abençoando e santificando o sábado (Gênesis 2:2-3; Êxodo 20:11). Esses trêsatos divinos tornaram o sábado totalmente distinto de qualquer outro dia da semana. 3º. Caso o sábado tenha perdido o seu valor porque todos os dias são iguais,então o domingo também não tem nenhum valor, simplesmente porque todos os dias sãoiguais. Ao que parece esse mágico não é um dos mais espertos. Caso ele fossesuficientemente astuto teria evitado as arapucas do seu argumento fajuto. Como pode realizarmágicas contra o sábado, quando a sua ilusão detona fragorosamente a observância dodomingo! 7ª Mágica Palavras inexistentes nas Escrituras Esses maravilhosos ilusionistas com as suas fabulosas mágicas contra o sábadoargumentam que na Bíblia Sagrada não existem as palavras Lei Moral, Lei Cerimonial, LeiCivil, Lei Criminal etc. Que todas essas palavras são invenções dos Adventistas do SétimoDia. Para que essa mágica possa funcionar os ilusionistas costumam esconder de suaenfeitiçada plateia alguns truques importantes. 1º. Os mágicos não contam a verdadeira história: Que não foram osAdventistas do Sétimo Dia que inventaram tais palavras. Elas existem de longa data, bemantes do surgimento dos Adventistas do Sétimo dia. 2º. Realmente, essas palavras não estão registradas nas Escrituras Sagradascom essas expressões. 3º. Os mágicos escondem do seu auditório que as palavras Trindade, Milênio,Bíblia Sagrada, Onisciência, Onipresença, Onipotência etc. também não estão registradas naBíblia Sagrada, entretanto eles as empregam com a maior naturalidade.
  17. 17. 17LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado 4º. Os ilusionistas não revelam aos seus expectadores que as “ideias” que todasessas palavras traduzem estão perfeitamente registradas nas Escrituras Sagradas, portanto taispalavras são lícitas, haja vista que expressam ideias bíblicas. 5º. Os mágicos não revelam ou não sabem que somente quando as ideias nãoestão nas Escrituras Sagradas é que as palavras são consideradas antibíblicas. Por exemplo:arrebatamento secreto, alma imortal, espírito imortal, domingo etc. Todas essas palavras sãoantibíblicas porque as ideias que elas traduzem não encontram respaldo nas EscriturasSagradas.
  18. 18. 18LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado Capítulo II “Vi que os que se opõem ao sábado do Senhor não podiam tomar a Bíblia e mostrar que suaposição é correta; portanto difamariam os que creem e ensinam a verdade e atacariam o seu caráter”. (Primeiros Escritos,69-70). Ellen Gould White Os cristãos refratários ao sábado têm transpirado bastante para conseguir dar nó empingo d’água, achar chifre na cabeça de cavalo, encontrar pêlo em casca de ovo, fazer poeiralevantar no meio do mar, trazer de volta aqueles que nunca foram, ou fazer coelhosdesaparecerem e reaparecerem em suas cartolas encantadas. Nas suas incansáveis turnês contra o santo sábado do Senhor, esses surpreendentesmágicos conseguem criar na mente incauta e ignorante a fantástica ilusão de que o sábadodesapareceu na cruz. O mais extraordinário dessa mágica é que esses ilusionistas com muita habilidadeconseguem tirar o domingo pagão de sua cartola encantada para colocá-lo no lugar do bíblico“sábado do Senhor”. O espetáculo é simplesmente magnífico, maravilhoso e soberbo! Isso ninguém podenegar! Milhões de pessoas pelo globo terrestre têm sido iludidas com essas encantadorasmágicas, que muitas vezes estão acompanhadas por sinais e prodígios realizados pelos falsosministros do evangelho. Somente existe um meio de escapar da poderosa obra de engano. É necessário que oexpectador seja fiel a um claro “Assim diz o Senhor” e proceda como os bereanos “porque debom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eramassim” (Atos 17:11).
  19. 19. 19LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado 8ª Mágica A indistinção de leis Em seus magníficos shows de mágica contra o sábado do Senhor, essesmaravilhosos prestidigitadores modernos, com as rédeas soltas de sua imaginação, conseguembolar algumas mágicas realmente incríveis. Eles costumam iludir a plateia do mundo inteiroinsinuando que a Bíblia Sagrada não faz distinção de leis. O estratagema escondido por trásdessa mágica está baseado nos seguintes truques: 1º. O mágico oculta dos olhos do público que a própria Bíblia Sagrada faz claradistinção de leis. Eis a prova: “Estes são os estatutos, e os juízos, e as leis que deu o Senhorentre si e os filhos de Israel, no monte Sinai, pela mão de Moisés”. “E os estatutos, e asordenanças, e a lei, e o mandamento, que vos escreveu tereis cuidado de observar todos osdias”. (Levítico 26:46; II Reis 17:37). 2º. Note as diferentes legislações que são citadas: “estatutos”, “juízos”,“ordenanças”, “mandamento”, “lei”. Caso tudo fosse a mesma coisa, então os escritoresbíblicos estariam sendo redundante, o que não é o caso. 3º. Em geral, a expressão “mandamento” é uma referência ao Decálogo,chamado na Bíblia Sagrada de “Dez Mandamentos”, e “ordenanças” trata-se de umareferência aplicada aos cerimoniais religiosos do antigo culto divino de holocaustos deanimais, sob a responsabilidade dos sacerdotes levitas. Que droga de ilusão! É mole ter que aguentar assistir a esse show de mágica contra osábado realizado por ilusionistas fajutos? 9ª Mágica A guarda do sábado antes do Sinai Com ares de quem possui grande autoridade no manejo das Escrituras Sagradas, omágico consegue ser bastante persuasivo em alucinar o seu público com a fabulosa ilusão deque antes do concerto do Sinai, Deus nunca ordenou qualquer pessoa a guardar o sábado. Amultidão irrompeu em gritos e aplausos. Um momento inesquecível! O segredo do sucesso damágica consiste em esconder alguns truques. 1º. Para convencer mais facialmente a sua cativada galera, o mágico apresentaalgumas passagens bíblicas, totalmente fora do seu real contexto. 2º. O mágico não revela que o sétimo dia da semana foi santificado peloSenhor Deus na fundação do mundo, bem antes da entrada do pecado ou da existência dequalquer judeu sobre a face da Terra. 3º. O ilusionista não conta a ninguém que na palavra “santificar” está implícitoo mandamento e comando divino para guardar o sábado. Isto porque o vocábulo “santo”significa ser “separado” para propósito sagrado.
  20. 20. 20LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado 4º. O mágico procura manter oculto aos olhos do público que não teria nenhumsentido Deus ter separado (santificado) o sábado para propósito sagrado na fundação domundo, se ninguém naquela época tivesse a obrigação de santificar o sétimo dia da semana. Peço humildemente que os expectadores possam ter discernimento e venham adesprender-se dos laços do mágico, em que à vontade estão presos. Que a galera não sejacomo “o burro que esfrega o burro”. 10ª Mágica Abraão não guardou a lei Esses fanáticos mágicos; digo, esses fantásticos mágicos apresentam ao seu públicocativo a fabulosa ilusão de que Abraão não guardou o sábado ou qualquer outro preceito dalei. Com essa ilusão o mágico mostra que não sabe nem o ó do borogodó. Sua mágica“espetacular” apresenta alguns truques fajutos. 1º. O mágico esconde dos olhos de sua admirada plateia que o próprio SenhorDeus afirmou que Abraão guardou as suas leis. Eis a prova: “Porquanto Abraão obedeceu àminha voz, e guardou o meu mandado, os meus preceitos, os meus estatutos, e as minhasleis”. (Gênesis 26:5). 2º. Observe as diferentes legislações que são citadas: “obedeceu à minha voz”,“guardou o meu mandado”, “os meus preceitos”, “os meus estatutos”, e as “minhas leis”.Caso tudo fosse a mesma coisa, então o Senhor estaria sendo redundante, o que não é o caso. 3º. Esse testemunho dado pelo Senhor Deus não seria verídico caso Abraão nãotivesse guardado o sábado, que foi dado para a humanidade na fundação do mundo, ou quetivesse deixado de observar a lei de Deus. 4º. Caso Abraão não tenha guardado a Lei Moral dos Dez Mandamentos, entãoque lei ele guardou? 5º. Supondo que naquela época a lei não estava em vigor, então Abraão poderiater sido um homem depravado, cometendo todo tipo de atrocidades, simplesmente porque “opecado não é imputado, não havendo lei” porque “onde não há lei também não hátransgressão”. (Romanos 5:13; 4:15). Realmente, nessa mágica, o ilusionista vacilou feio! 11ª Mágica Um pacto entre Deus e os israelitas A próxima mágica apresentada nos shows desses fabulosos ilusionistas é muitointeressante. Tirando de sua cartola encantada as passagens bíblicas de Deuteronômio 5:27 eLevítico 26:45-46, os mágicos enfeitiçam o seu público com a fabulosa ilusão de que osábado faz parte de um concerto entre Deus e os israelitas, e ninguém mais. Essa maravilhosamágica apresenta alguns truques escabrosos:
  21. 21. 21LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado 1º. O truque que o mágico procura esconder de seus expectadores consiste emempregar versículos isolados para favorecer o sucesso de sua mágica e ocultar da vista do seupúblico os versículos que a desmoralizam. 2º. O concerto não foi feito somente com israelitas, mas também com osgentios: “Vós todos estais hoje perante o Senhor vosso Deus: os cabeças de vossas tribos,vossos anciãos, e os vossos oficiais, todo o homem de Israel. Os vossos meninos, as vossasmulheres, e o estrangeiro que está no meio do teu arraial; desde o rachador da tua lenha até aotirador da tua água. Para que entres no concerto do Senhor teu Deus, e no seu juramento que oSenhor teu Deus hoje faz contigo”. (Deuteronômio 29:10-12). 3º. Eis outra prova bíblica de que o concerto também foi feito para os gentios:“E aos filhos dos estrangeiros, que se chegarem ao Senhor, para o servirem, e para amarem onome do Senhor, sendo deste modo servos seus, todos os que guardarem o sábado, não oprofanando, e os que abraçarem o meu concerto. Também os levarei ao meu santo monte, e osfestejarei na minha casa de oração; os seus holocaustos e os seus sacrifícios serão aceitos nomeu altar, porque a minha casa será chamada casa de oração para todos os povos”. (Isaías56:6-7). 12ª Mágica O sábado para quem participou do concerto Uma excelente mágica manipula os dados bíblicos de tal maneira que o ilusionistaleva o seu auditório ao delírio, fazendo-o crer que o sábado tinha validade somente paraaqueles israelitas que ouviram e aceitaram os termos do concerto, e que ninguém mais teria aobrigação de observá-lo. O truque escondido por trás dessa maravilhosa mágica é muitodesagradável e você já vai saber... 1º. O mágico oculta de sua plateia que a Bíblia Sagrada ensina claramente que,enquanto estivesse vigorando, o concerto teria validade futura para todos que viessem aaceitar os termos desse concerto, independentemente de ter estado presente ou não no dia emque foi promulgado pelo Senhor. 2º. Eis a prova bíblica de que o concerto tinha validade para todas as pessoasem qualquer época, tanto presente quanto futura: “E não somente convosco faço este concertoe este juramento. Mas com aquele que hoje está aqui em pé conosco perante o Senhor nossoDeus, e com aquele que hoje não está aqui conosco”. (Deuteronômio 29:14-15). Esse versículo bíblico desmistifica a fabulosa ilusão de que o concerto foi feitosomente com os israelitas, e ninguém mais. 13ª Mágica Ninguém deve julgar ninguém Uma mágica simplória apresentada nos shows desses surpreendentes ilusionistasconsiste em tirar de suas cartolas encantada a passagem bíblica de Romanos 14:4-6 para em
  22. 22. 22LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábadoseguida iludir os expectadores com a crença de que Paulo ensinava que ninguém deve julgaralguém que não guarda o sábado, simplesmente porque todos os dias são iguais. Essasurpreendente mágica apresente alguns truques: 1º. O mágico não revela ao seu público cativo que na passagem bíblica tiradade sua cartola não é Paulo quem afirma que todos os dias são iguais. Mas sim alguns cristãosromanos heréticos. Eis a prova: “um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todosos dias” (Romanos 14:15). 2º. Outro truque dessa magnífica mágica consiste em esconder que o próprioSenhor Deus tornou o sábado diferente dos demais dias da semana ao descansar, abençoar esantificar esse dia (Gênesis 2:2-3; Êxodo 20:11). 3º. O truque escondido na manga do mágico é o seguinte: se ninguém devejulgar outro que não guarda o sábado, então por que aqueles que guardam o domingo ficamjulgando quem guarda o sábado? 4º. Caso o sábado e o domingo sejam dias como qualquer outro, por que nãoguardar o dia de sábado, conforme manda a Bíblia Sagrada? 5º. O mágico é muito incoerente porque, enganando a galera com a ilusão deque todos os dias são iguais, ele ainda insiste em condenar o sábado, além de persistir nadefesa da observância do domingo! 14ª Mágica A lei do Amor substituiu os Dez Mandamentos Os mágicos detonando levantam o seu bastão encantado e fazem todos crerem nailusão de que os Dez Mandamentos não são a parte mais importante da lei, mas sim o amor aDeus e o amor ao próximo. Essa fabulosa mágica esconde os seguintes truques: 1º. O mágico não revela ao seu auditório encantado que tanto o mandamentodo amor a Deus quanto do amor ao próximo foram dados por Deus na mesma ocasião em queforam dados os Dez Mandamentos (Levítico 19:18; Deuteronômio 6:5). 2º. Desde época remota, a lei do amor a Deus e do amor ao próximo estavamem vigor juntamente com os Dez Mandamentos. Nem por isso a lei do amor havia substituídoos Dez Mandamentos. 3º. A verdade é que esses ilusionistas não fizeram a lição de casa. Casocontrário, eles saberiam que o decálogo expressa o amor a Deus e o amor ao próximo. 4º. O mágico omite dos seus espectadores que os quatro primeirosmandamentos do decálogo materializam o nosso amor a Deus, e os seis últimos materializamo nosso amor ao próximo. 5º. Todos sabem que o amor, em si mesmo, é um sentimento subjetivo e queprecisa manifestar-se na prática de obras, caso contrário, estará morto. A obediência aos DezMandamentos manifesta esse amor. O tumulto que se seguiu foi total. Pessoas berravam, gritavam e jogavam todo tipo delixo no palco procurando atingir o mágico, que teve que fugir rapidamente para os bastidores.
  23. 23. 23LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado 15ª Mágica A palavra lei não se refere ao Decálogo Num de seus fabulosos shows de mágica contra o sábado, o magnífico mágico iludea sua enfeitiçada plateia com a crença de que a palavra “lei” em nenhuma das 400 vezes queela ocorre na Bíblia Sagrada se refere ao decálogo, onde encontramos a guarda do sábado.Esse truque é o mais bárbaro de todos porque reflete uma vergonhosa inverdade, que somenteconvence as mentes mais ignorantes. Essa mágica oculta aos olhos dos expectadores algunstruques desprezíveis. 1º. O mágico esconde da plateia que muitas vezes a palavra “lei” refere-se simao Decálogo. Eis as provas: “Que diremos pois? É a lei pecado? De modo nenhum: mas eunão conheci o pecado senão pela lei; porque eu não conheceria a concupiscência, se a lei nãodissesse: Não cobiçarás”. (Romanos 7:7). “Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçarem um só ponto, tornou-se culpado de todos. Porque aquele que disse: Não cometerásadultério, também disse: Não matarás. Se tu pois não cometeres adultério, mas matares, Estasfeito transgressor da lei”. (Tiago 2:10-11). Todas essas citações são de mandamentos quepertencem ao Decálogo. 2º. Caso o mágico tivesse algum pingo de dignidade e fosse suficientementehonesto com a verdade bíblica, ele deveria ter dito ao público que a palavra “lei”, nas 400vezes que ela incide na Bíblia Sagrada, nem sempre se refere ao Decálogo, posto essa palavraé ampla e faz referência à Lei Moral, Lei Cerimonial, Lei de Moisés, Lei de Saúde, LeiSanitária, Lei Civil, Lei Criminal etc. Essa mágica é o mico do ano!
  24. 24. 24LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado Capítulo III “Não podendo apresentar contra os defensores do sábado bíblico um ‘está escrito’, à faltadeste, lançarão mão da violência. Neste campo de batalha será ferido o último grande conflito da controvérsia entre averdade e o erro”. (II Testemunhos Seletos, 149-150). Ellen Gould White Os modernos mágicos religiosos, em seus múltiplos shows de mágica contra osábado, sempre têm um novo truque escondido em suas mangas, cartola ou em sua capaencantada para fazer desvaler a guarda do “sábado do Senhor”. O mais curioso em tudo isso é que, em seus shows de mágica, esses fantásticosmágicos conseguem produzir quimeras e iludir milhares de pessoas pelo mundo afora,simplesmente porque a galera não estuda as Escrituras Sagradas com a devida profundidadeque o assunto merece. A plateia ignorando um claro “Assim diz o Senhor” parece anestesiada por algumfeitiço produzido pelos encantamentos do mágico, e creem piamente que a mágica realizadapelo prestidigitador não é nenhum truque de ilusionismo, porém a mais pura realidade dosfatos. O admirável no show de mágicas é que pessoas cultas e altamente capazesnegligenciem um honesto estudo das Escrituras Sagradas, permitindo-se ser tapeadas pelosilusionistas em seus múltiplos shows de mágica contra o sábado. Talvez a melhor explicaçãopara o fenômeno encontre-se em II Tessalonicenses 2:10-12: “Porque não receberam o amorda verdade para se salvarem. E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiama mentira. Para que sejam julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazerna iniquidade”.
  25. 25. 25LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado 16ª Mágica Transitoriedade do sábado No show de mágica contra o sábado, o ilusionista levanta a sua batuta encantada eproclama ao seu auditório o seguinte: “Senhoras e senhores, é com grande satisfação queanunciamos que o sábado não é uma instituição perpétua, assim como a lei não é”. A seguirpara “provar” a veracidade de sua ilusão o mágico faz uma longa citação de Gálatas 3:17-26.A plateia entra em delírio, aplaude, assobia e chora emocionada. Terminada a mágica, todoscreem piamente que o sábado não é uma instituição perpétua, com base na citação de que a leiera transitória. Essa fabulosa mágica guarda seus truques abomináveis, que o auditóriodesconhece porque não estuda as Escrituras Sagradas. 1º. O mágico procura iludir seu auditório apresentando textos bíblicos quefalam da transitoriedade da Lei Cerimonial para abater a perpetuidade do sábado do Senhor. 2º. Usando texto fora de contexto, o mágico procura vincular o sábado à LeiCerimonial enquanto que todos sabem que o sábado está vinculado à Lei Moral. 3º. O sábado faz parte da Lei Moral porque foi incrustado pelo dedo de Deusno coração dos Dez Mandamentos, cujo conteúdo é totalmente moral. 4º. O sábado não faz parte da Lei Cerimonial porque não realiza expiação depecados. Além disso, foi abençoado e santificado por Deus antes mesmo da entrada do pecadono mundo. 5º. Tanto o sábado é perpetuo que foi dado na fundação do mundo, para serguardado por todos os descendentes de Adão e Eva. 17ª Mágica Deus aborrece o sábado Esta mágica nem é digna de apresentação, mas, infelizmente, ainda continua sendorealizada por mágicos sem idoneidade moral. Esses ilusionistas tiram de sua cartolaenfeitiçada a passagem bíblica de Isaías 1:13-14. A seguir iludem a sua plateia com a crençade que Deus aborrece o sábado, porque envolve um preceito cerimonial carente da verdadeirafé. A plateia deslumbrada pelos dotes do mágico acredita cegamente em tudo o que eleapresenta em seu show de mágica contra o sábado. O que o público não sabe é que existemalguns truques secretos por trás dessa mágica. 1º. O truque consiste em tirar o texto fora do seu contexto original para dar umnovo significado e uma falsa interpretação, conforme os interesses escusos do mágico. 2º. O ilusionista não revela à sua plateia que o sábado jamais foi preceitocerimonial porque foi dado na fundação do mundo, bem antes da entrada do pecado. 3º. O sábado não é um preceito cerimonial simplesmente porque ele não realizaa purificação do pecado de ninguém: “Sem derramamento de sangue não há remissão”.(Hebreus 9:22).
  26. 26. 26LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado 4º. O sábado não é um preceito cerimonial, mas moral, posto que foi encravadopor Deus entre os Dez Mandamentos, que são universalmente morais. 5º. O Senhor Deus não pode aborrecer algo que Ele mesmo instituiu. O que oSenhor aborrece é o modo como o povo daquela época estava observando os preceitosdivinos, sem a devida reverência pelo sagrado. Isso é muito obvio pela simples leitura doversículo bíblico apresentado pelo mágico. 18ª Mágica A lei foi abolida e com ela o sábado Outra mágica deslumbrante realizada por vários prestidigitadores fajutos em seusshows de mágica contra o sábado consiste em tirar de sua cartola encantada a passagembíblica de Hebreus 7:18; 8:13; 10:9, para em seguida iludir os expectadores com a ideia deque o sábado faz parte da lei, mas esta foi totalmente abolida por Jesus Cristo. Com essa, omágico arrasou. A plateia delirando entra em êxtase. Ela está plenamente convicta de que issoé a verdade mais refinada que pode existir. Porém, o que não percebem é que existem algunstruques de mau gosto por trás dessa formidável mágica. 1º. O esquálido mágico ilude a sua plateia com textos bíblicos que falam da“Lei Cerimonial” para causar no auditório a sensação de que a “Lei Moral” foi abolida, e comela o santo sábado do Senhor. 2º. O truque que o mágico emprega consiste em vincular o sábado à LeiCerimonial para poder mais facilmente abater o santo dia do Senhor. 3º. As passagens bíblicas apresentadas pelo mágico falam do sacerdóciolevítico e do primeiro ou antigo concerto de sacrifícios e ofertas de manjares. Nada a ver coma Lei Moral. 4º. Em nenhum momento as passagens bíblicas apresentadas pelo mágicofazem referência ao santo sábado ou aos Dez Mandamentos. A ilusão é produzida unicamentepor conta e risco do mágico, que é um tremendo mal-caráter e enganador. Considerando o tipo de mágica que os ilusionistas e seus cupins, digo seus cupinchasfazem visando desprezar o sábado bíblico para defender o domingo pagão, não é nem umpouco surpreendente que pessoas honestas fiquem indignadas com tanta mentira. 19ª Mágica Estamos no concerto da graça e não da lei A seguir o ilusionista cara de pau usando sua batuta de pau em Hebreus 8:6-13 e,ajudado por sua corja de amigos, ilude o seu público encantado com a sórdida crença de queestamos em um novo concerto, o da graça, onde o sábado não tem vez porque antigamente oscrentes eram justificados pelas obras. Essa mágica apresenta os seguintes truques ocultos:
  27. 27. 27LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado 1º. O mágico oculta dos olhos de sua plateia que o Antigo Concerto visava aexpiação de pecados pelo sangue de animais e o Novo Concerto visa a expiação dos pecadospelo sangue de Cristo. 2º. Nos dois concertos a salvação sempre foi somente pela graça.Evidentemente a graça nunca deu liberdade a ninguém para transgredir a Lei de Deus, nemantes e nem depois de Cristo. 3º. O patriarca Abraão, que viveu sob a jurisdição do Antigo Concerto, foijustificado pela graça mediante a sua fé. Eis as provas: “Pois, que diz a Escritura? CreuAbraão a Deus, e isso lhe foi imputado como justiça”. (Romanos 4:3). “Pela fé ofereceuAbraão a Isaque, quando foi provado, sim, aquele que recebera as promessas ofereceu o seuunigênito”. (Hebreus 11:17). 4º. A Bíblia Sagrada fala de muitos outros homens e mulheres que foramsalvos pela fé. Eis a prova: “Pela fé Abel ofereceu a Deus maior sacrifício do que Caim, peloqual alcançou testemunho de que era justo, dando Deus testemunho dos seus dons, e por ela,depois de morto, ainda fala”. (Hebreus 11:4). “Pela fé Raabe, a meretriz, não pereceu com osincrédulos, acolhendo em paz os espias”. (Hebreus 11:31) etc. Depois dessa, o mágico saiu para gozar umas férias nada engraçadas. 20ª Mágica A inexistência de mandamento para guardar o sábado O ilusionista parece estar brincando de Pinóquio com a plateia maravilhada. A suaspalavras são inspiradas pelo pai da mentira (João 8:44), e o seu nariz cresce vertiginosamente.Após algumas boas gargalhadas da galera cativada, o mágico passa a iludi-los com a crençade que no Novo Testamento não existe mandamento para guardar o sábado, embora todos osdemais sejam encontrados. Os truques por trás dessa hilariante mágica são os seguintes: 1º. O mágico está contradizendo uma de suas mágicas anteriores, quandoapresentou à plateia a ilusão de que a lei foi totalmente abolida por Cristo. Ora, se a lei foitotalmente abolida, então não resta mais nenhum mandamento para ser guardado. Então comopode afirmar que no Novo Testamento encontramos todos os mandamentos da lei, exceto osábado? 2º. O mágico esconde que o Novo Testamento registra sim o mandamento dosábado em mais de sessenta passagens bíblicas. Eis a prova: Mateus 12:1; 12:2; 12:5 (§ 1º);12:5 (§ 2º); 12:8; 12:10; 12:11; 12:12; 24:20; 28:01; Marcos 1:21; 2:23; 2:24; 2:27 (§ 1º);2:27 (§ 2º); 2:28; 3:02; 3:04; 6:02; 15:42; 16:01; Lucas 4:16; 4:31; 6:01; 6:02; 6:05; 6:06;6:07; 6:09; 13:10; 13:14 (§ 1º); 13:14 (§ 2º); 13:15; 13:16; 14:01; 14:03; 14:05; 23:54; 23:56;João 5:09; 5:10; 5:16; 5:18; 7:22; 7:23 (§ 1º); 7:23 (§ 2º); 9:14; 9:16; 19:31 (§ 1º); 19:31 (§2º); 19:42; Atos dos Apóstolos 1:12; 13:14; 13:27; 13:42; 13:44; 15:21; 16:13; 17:02; 18:04. Essa mágica abala a autoridade do mágico e desmoraliza qualquer outra ilusão queporventura ele possa produzir. Mas para o seu auditório cativo e hipnotizado, pouco importa aidoneidade moral do ilusionista.
  28. 28. 28LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado 21ª Mágica Jesus nunca ordenou a guarda do sábado O fabuloso ilusionista nunca acerta uma, mas sempre erra feito. Agora, com ares desabichão, tira de sua cartola encantada a ilusão de que Jesus Cristo nunca ordenou alguém aguardar o sábado. Realmente, esse mágico é o cara! Sem querer, mas querendo zombar do mágico, digo que essa admirável mágicaesconde os seguintes truques: 1º. O prestidigitador esconde de sua plateia os textos bíblicos que apresentamJesus Cristo exemplificando a observância do santo sábado (Mateus 12:9-13; Marcos 2:27-28;6:2; Lucas 4:16). 2º. Jesus Cristo jamais precisaria ter ordenado que alguém guardasse o sábadoporque Ele costumava remeter os Seus ouvintes ao exame das Escrituras Sagradas, as quaisordenam a santificação do sábado. 3º. O mágico não revela ao seu público enfeitiçado os textos bíblicos queprovam que a igreja cristã guardava o sábado (Lucas 23:54-56 – 24:1; Atos 15:21; Atos13:14-15; Atos 13:42 e 44; Atos 16:13; Atos 17:2; Atos 18:4 e 11). 4º. Essa mágica é uma bomba que explode nas mãos do ilusionista. Eleinadvertidamente não percebe que cometeu um atentado contra a observância do domingo,simplesmente porque Jesus Cristo jamais ordenou que alguém guardasse o domingo. 5º. Onde está escrito que Jesus ou algum dos apóstolos escreveram sobre odever do cristão em guardar o domingo? Qual mestre teria ousadia de cobrar de seusseguidores a prática de um “novo” preceito, sem nunca tê-lo ensinado ou mencionado aosseus próprios discípulos? 22ª Mágica A lei findou com João Batista A próxima mágica é muito curiosa e também hilariante. O prestidigitadorempregando a sua batuta em Lucas 16:16 consegue iludir milhares de expectadores presentesem seu auditório com a maravilhosa mágica de que o ministério da lei e do sábado findou como ministério de João Batista, sendo abolidos na cruz. O truque que essa mágica oculta não éapenas um, mas são vários. 1º. O mágico viola descaradamente o princípio da não contradição. Se a leidurou até João, então não haveria mais nada para ser cravada na cruz. Essa incoerência émuito comum entre esses mágicos que batalham contra o sábado. 2º. O mágico consegue esconder de sua plateia que a palavra “lei”acompanhada da palavra “profetas” é uma clara alusão aos cinco primeiros livros da BíbliaSagrada e não especificamente à Lei Moral, escrita por Deus em duas tábuas de pedra.
  29. 29. 29LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado 3º. O mágico oculta dos expectadores que a palavra “duraram”, registrada emLucas, está escrita em itálico, indicando que ela não existe no texto original, sendo umacréscimo gratuito do tradutor João Ferreira de Almeida. 4º. O mágico não revela ou desconhece que a palavra correta no lugar de“duraram” é “profetizaram”, conforme prova o texto paralelo de Mateus 11:13. 5º. A Lei e os Profetas “profetizaram” até João Batista, quanto então passarama ter as suas profecias cumpridas na vida de Cristo Jesus. Com essa atitude infantil e claramente de má fé, esses grandes mágicos insultam ainteligência do seu público mais esclarecido e perspicaz. 23ª Mágica O sábado não justifica ninguém Debaixo de fracos holofotes, bem no meio da penumbra, o ilusionista apresenta umamágica óbvia a todos. Ele ilude a sua encantada plateia com a crença de que o sábado nãojustifica ninguém, porque a lei não foi dada para justificar, mas para revelar ao homem o seupecado. Essa mágica como qualquer outra encerra alguns truques: 1º. Na verdade essa mágica não tem nada de extraordinário, simplesmenteporque é a mais pura verdade. O sábado ou qualquer outro preceito da lei não salva ninguémporque a lei não foi dada ao pecador como método de salvação, mas sim de santificação. 2º. O que o mágico não revela ao seu público, é que ninguém será salvo semobservar os preceitos da lei porque a lei revela ao homem o seu pecado (Romanos 3:20; 7:7; IJoão 4:3) e o salário do pecado é a morte (Romanos 6:23; Tiago 1:15; I Coríntios 15:56). 3º. Outro truque escondido na manga encantada do mágico consiste na falsainsinuação de que quem guarda o sábado o faz para alcançar a salvação pelas obras da lei.Nada mais equivocado por parte desse mágico malicioso! 4º. Somos salvos unicamente pela graça mediante a fé e julgados pelas obras,porque a fé sem as obras está morta. É... Parece que a mágica ficou sem graça depois que o seus truques foram revelados aogrande público.
  30. 30. 30LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado Capítulo IV “O quarto mandamento tem sido pisado a pés; por isso, somos chamados para reparar abrecha na lei de Deus e defender o sábado profanado”. (Vida e Ensinos, 86). Ellen Gould White A verdade é que os mágicos têm suado bastante as suas camisas para poder manter oseu show de prestidigitação contra o sábado do Senhor nas paradas do sucesso. Seus muitos suores são motivados por vários fatores. Primeiro, porque existemandamento bíblico ordenando energicamente e explicitamente a observância do sábado; poroutro lado, não existe qualquer mandamento bíblico ordenando a santificação do domingo.Segundo, em razão disso, os mágicos são obrigados a inventar mil e um artifícios com feiçõesaparentemente plausíveis para fazer por desmerecer a santificação do sábado semanal. Poroutro lado, também são obrigados a inventar outros mil e um artifícios que sejamsuficientemente razoáveis aos olhos do público leigo para justificar a observância do domingopagão. Para alcançar os seus maléficos propósitos, os ilusionistas são obrigados a vender asua alma ao diabo. A partir de então passam a empregar todo tipo de mentira com o únicopropósito de combater o sábado e os mandamentos de Deus, iludindo plateias pelo mundointeiro. Quem confia nos mágicos para salvação de sua alma está entrando numa tremendafria. Não podemos colocar a salvação de nossas próprias almas nas mãos de quem quer queseja. Precisamos por nós mesmos investigar, inquirir e descobrir o que é verdade: “Demaneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus”. (Romanos 14:12).
  31. 31. 31LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado 24ª Mágica Adultério espiritual Numa bela mágica baseada na passagem bíblica de Romanos 7:1-4, o ilusionistaanuncia ao seu público hipnotizado que guardar o sábado para o cristão é incorrer num gravepecado chamado “adultério espiritual”. Os truques que esse mágico de meia pataca não contaao seu hipnotizado auditório são os seguintes: 1º. A passagem em consideração não fala nada a respeito do sábado, mas simda Lei Cerimonial, a qual visava à expiação de pecados pelo sacrifício de animais. 2º. Quem comete adultério espiritual é o cristão que procura guardar a LeiCerimonial com o objetivo de realizar a purificação dos seus pecados pelo sangue de animais,e não pelo sangue de Cristo. 3º. Todos sabem que após a cruz a purificação dos pecados dá-se unicamentepelo sacrifício de Cristo e não mais pelo sacrifício de animais. 4º. O mágico, empregando uma passagem bíblica que trata especificamente daLei Cerimonial, procura iludir o seu público com a ideia de que o sábado moral foi abolido. Gosto muito de mágica, mas esse ilusionista de segunda categoria está entrando numatremenda “roubada” com seus inúmeros truques de “araque”. 25ª Mágica Os fusos horários O espetáculo de mágicas extraordinárias contra o sábado do Senhor prossegue coma plateia delirando de alegria. A seguir o mágico, devidamente caracterizado, vem com aseguinte ilusão: somente é possível observar o sábado na região de Israel. Em outras regiõesdo mundo não é possível guardar o sábado porque, devido à diferença de fuso horário, osábado começa em horários diferentes. Essa mágica é das boas! Porém, o ilusionista escondeda plateia os seus truques desprezíveis. 1º. De modo descarado, o ilusionista procura iludir a sua plateia levando-a acrer que o sábado deve ser guardado no “mesmo instante” em toda parte do globo terrestre.Nada mais absurdo e ridículo! 2º. O mágico omite de sua obtusa plateia que a Bíblia Sagrada nuncaestabeleceu que todos devessem observar o sábado no mesmo instante, dentro do mesmoperíodo de tempo, onde quer que estejam. Mas ela ensina que o sábado deve ser guardado depôr do sol a pôr do sol e não simultaneamente em toda parte do mundo. Como pode o mágicopartir para tamanhas infantilidades contra o sábado do Senhor! 3º. O ilusionista sonega a informação de que, desde os tempos mais antigos, osjudeus da diáspora estavam espalhados em várias regiões do mundo, porém eles guardavam osábado normalmente em seus diferentes fusos horários, seguindo apenas a orientação bíblicade guardar o sábado de pôr do sol a pôr do sol. Nada mais simples, lógico e claro. Nosso Deus não é um Deus de confusão como osmágicos querem fazer parecer com seus truques fajutos e asquerosos.
  32. 32. 32LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado 26ª Mágica Os fatos do cristianismo deram-se no domingo Outra mágica ambiciosa que procura favorecer a observância do domingo pelacristandade procura iludir a plateia com a ideia de que os grandes acontecimentos docristianismo não se deram no sábado, mas no domingo. Para provar a veracidade de suamágica, o prestidigitador retira de sua cartola encantada os seguintes fatos bíblicos: aressurreição de Jesus, o aparecimento de Jesus aos discípulos, pentecostes, pregação de Pedro,batismo dos primeiros conversos. Apesar de parecer plausível aos olhos leigos, essa mágicaguarda vários truques abomináveis. 1º. O mágico procura desesperadamente juntar todo tipo de acontecimentos queporventura tenham ocorrido no primeiro dia da semana numa inútil tentativa de suprir a totalfalta de mandamento divino ou bíblico ordenando a observância do domingo. 2º. É digno de nota observar que o mágico oculta da plateia que a palavradomingo nem mesmo aparece nas passagens que ele costuma apresentar, mas apenas osingelo nome ordinário: “primeiro dia da semana”. 3º. Caso o domingo deva ser guardado com base em acontecimentos ocorridosnesse dia, então o sábado também deve ser guardado porque Jesus descansou no sepulcronesse dia de pôr do sol a pôr do sol. A quantidade de mágicas fajutas é de arrepiar! A verdade é que nenhumacontecimento, por mais relevante ou glorioso que seja, pode dar direito ao homem desubstituir um claro mandamento divino: “Assim diz o Senhor”. 27ª Mágica A Igreja guardava o domingo e não o sábado Baseado numa mágica toda tendenciosa que emprega as passagens bíblicas de Atos20:6-7 e I Coríntios 16:1-2, o mágico proporciona ao seu público a extraordinária ilusão deque a igreja primitiva guardava o domingo e não o sábado. Essa mágica é um verdadeiroespanto! Uma poça de sabedoria! Infelizmente essa mágica não passa de uma sórdida ilusão,que esconde vários truques aos olhos da plateia. 1º. Dessa ilusão depreende-se que o mágico sabe ler, mas não entende e nemsabe interpretar o que está lendo, podendo ser considerado um verdadeiro “analfabetofuncional”. 2º. Em nenhum momento as passagens bíblicas apresentadas pelo mágico emseu show de mágica contra o sábado deixam transparecer que os primeiros cristãos estavamsantificando ou guardando o domingo. 3º. A palavra domingo nem mesmo é mencionada nos referidos textos, queforam escritos várias décadas depois da morte de Cristo, provando que o primeiro dia dasemana não era tido como dia do Senhor.
  33. 33. 33LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado 4º. O ilusionista esconde de sua iludida plateia que o sábado, por sermandamento divino e bíblico, era sim, guardado pelos primeiros cristãos. Eis a prova bíblica:Marcos 6:2; Lucas 4:16; Mateus 24:20; Lucas 23:54-56 – 24:1; Atos 13:14-15; 13:42 e 44;15:21; 16:13; 17:2; 18:4 e 11; Filipenses 3:17; II Tessalonicenses 3:6. Por mais bem elaborados que sejam as mágicas dos ilusionistas, a grande verdade é aseguinte: contra fatos não há mágica que possa resistir. 28ª Mágica Quem guarda o sábado caiu da graça Diante de seu assombrado auditório, o mágico levanta a sua batuta encantada, edando duas batidinhas em sua cartola mágica, acaba tirando dela a passagem bíblica deGálatas 5:1-4. A seguir vem com a extraordinária ilusão de que quem guarda o sábado caiu dagraça ou nunca entrou nela, e que estão separados de Cristo. Apesar de curiosa, existem váriostruques escondidos nessa mágica: 1º. Realmente, quem guarda qualquer preceito da lei com o objetivo dealcançar a salvação está fora da graça e tentando algo impossível, porque a lei jamais foi dadacomo método de justificação. 2º. O mágico procura insinuar falsamente ao seu auditório que os observadoresdo sábado o fazem para alcançar a justificação. Nada mais enganoso! 3º. O ilusionista não revela ao seu encantado auditório que o sábado éobservado do mesmo modo como os demais cristãos observam qualquer outro mandamentoda Lei Moral. 4º. O mágico confunde alhos com bugalhos. A passagem bíblica tirada de suacartola nada fala do sábado, mas fala de circuncisão, que é um preceito da Lei Cerimonial. 5º. A circuncisão nada tem a ver com o sábado. Enquanto que a circuncisão foidada aos hebreus, na pessoa de Abraão; o sábado foi dado à humanidade, ainda no Jardim doÉden. 6º. A essência do truque realizado pelo mágico consiste em usar um preceito daLei Cerimonial para supostamente “provar” que um preceito da Lei Moral foi abolido. 29ª Mágica Rudimento fraco e pobre O mágico aproxima-se do seu auditório e, com ares de mistério, anuncia em alto ebom som a passagem bíblica de Gálatas 4:9-11. Em seguida procurar criar no coração doouvinte a ilusão de que Paulo chama o sábado de rudimento fraco e pobre. Com esse truque aplatéia, delirando, é totalmente ludibriada. Essa magnífica mágica esconde vários truques.
  34. 34. 34LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado 1º. Caso os espectadores fossem mais cautelosos, eles teriam observado quenas passagens bíblicas apresentadas pelo mágico, Paulo nem de longe menciona ou insinua apalavra “lei” e muito menos “sábado”. 2º. O mágico não revela ao público que Paulo está considerando conceitosamplos da Lei Cerimonial ao mencionar “guardais dias, e meses, e tempos, e anos”. 3º. Caso a ilusão seja aceita como verídica, então ela exclui a guarda dodomingo da “parada”, haja vista que a referida passagem bíblica não menciona nenhum diaespecífico. Detesto dizer isso, mas esse mágico perdeu toda sua credibilidade. Como podeadvogar a abolição do sábado numa mágica e defender a validade do domingo em outra,quando as suas próprias ilusões condenam a observância de qualquer dia? É a falta decoerência que geram a incredulidade nas ilusões causadas pelas mágicas. 30ª Mágica Nenhum apostolo recomendou a guarda do sábado Tirando de sua cartola encantada os versículos bíblicos de Mateus 10:19-20; Atos2:4; 4:8; Gálatas 1:11-12, o mágico cria a poderosa ilusão na mente de sua animada plateia deque nenhum dos apóstolos recomendou a qualquer cristão a observância do sábado. Quemágica maravilhosa! Porém, muitos sãos os truques escondidos pelo mágico para criar essapoderosa ilusão. 1º. A primeira coisa que se observa é que todas as passagens bíblicasapresentadas pelo mágico não têm nenhuma relação com a ilusão que produziu no auditório.Falta o “nexo textual”. 2º. O mágico omite dos seus expectadores que os apóstolos não precisavamrecomendar aos cristãos a guarda do sábado, simplesmente porque tudo o que eles ensinavamtinha por base as Escrituras Sagradas, a qual recomenda veementemente a observância dosábado. Eis a prova: Atos: 4:29, 31; 6:2, 4, 7; 8:4, 14; 11:1; 12:24; 13:5, 7, 44, 46, 49; 15:15,35, 36; 16:32; 17:11, 13; 18:11; 19:10, 20. 3º. O ilusionista esconde de sua plateia que os discípulos guardavam o sábado(Lucas 23:54-56). Que o apóstolo Paulo guardava o sábado (Atos 13:42 e 44; 16:13) erecomendou os cristãos a seguir o seu nobre exemplo (Filipenses 3:17; 4:9). O que o mágico não percebe é que o tiro de sua mágica saiu pela culatra, hajavista que os apóstolos, em todo o Novo Testamento, jamais recomendaram a qualquer cristãoa guardar o domingo. Esse dia sim, não tem mandamento bíblico, e nem a sua guarda foiexemplificada por Jesus ou pelos apóstolos.
  35. 35. 35LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado Capítulo V “A questão do sábado será o ponto controverso no grande final conflito em que o mundointeiro há de ser envolvido”. (Eventos Finais, 135). Ellen Gould White Atualmente vivemos num mundo incrédulo, onde uma simples alegação aquém dadúvida razoável não é suficiente para gerar plena convicção no espírito humano. Precisamosde provas claras, concretas e objetivas de que o sábado da Lei Moral foi abolido, mas osmágicos não possuem tal prova. Entre centenas de truques visando favorecer a guarda do domingo, os modernosilusionistas religiosos costumam apresentar, em seus shows de mágica contra o sábado,algumas passagens bíblicas com o fito de “provar” que a Lei Moral foi abolida, para emseguida decidirem que o sábado também foi abolido. Os truques empregados pelos mágicos, e que eles não costumam revelar a ninguém, seencontram guardados a sete chaves. Basicamente, esses truques consistem em empregar textosfora de contexto. Alguns desses textos tratam da Lei de Moisés, outros se reportam à LeiCerimonial, outros ao Antigo Concerto e ainda outros abordam assuntos diversos. Mas emtudo o mágico procura pretexto para condenar o sábado. A verdade é que os mágicos dão tiros para todos os lados, empregando todo tipo deartifício ilícito que possam imaginar, numa vã tentativa de iludir o público com a crença deque a Lei Moral e o sábado foram abolidos na cruz. Nessa desatinada atividade, as mágicassão contraditórias e os mágicos incoerentes. Portanto, totalmente indignos de crédito.
  36. 36. 36LEANDRO BERTOLDOShow de Mágica Contra o Sábado 31ª Mágica O Concílio de Jerusalém não menciona o sábado A próxima mágica apresentada pelo ilusionista consiste em tirar da cartolaencantada a famosa passagem bíblica de Atos 15:28-29. Com essa passagem em mãos omágico cria em seu auditório a enganadora ilusão de que o sábado foi abolido porque oConcílio de Jerusalém nada mencionou sobre a necessidade do cristão guardar tal dia. Nessamaravilhosa e espantosa mágica contra o sábado o ilusionista esconde vários truques. 1º. O mágico omite de sua plateia que nas resoluções tomadas pela Igreja noConcílio de Jerusalém nada foi dito sobre qualquer mandamento da Lei Moral, mas nem porisso inferimos que podemos ter vários deuses, cultuar imagens, blasfemar do nome de Deus,adulterar, furtar, matar, mentir, cobiçar etc. Então por que inferir que podemos profanar osábado? 2º. O ilusionista procura esconder de seu público que o Espírito Santo nãoprecisava ter novamente recomendado a guarda do sábado porque Ele já o havia recomendadono Decálogo. 3º. O mágico também não conta que o Concílio de Jerusalém não recomendoua devolução do dízimo ou das ofertas. E agora, como fica? Vamos inferir que não precisamosdevolver os dízimos e as ofertas? 4º. Seguindo a ilusão do mágico nenhum cristão deveria guardar o domingosimplesmente porque o Concílio de Jerusalém não recomendou tal prática. Será que essemágico é tão obtuso que não acerta uma! É uma pena que o mágico não consiga ser coerente com a Bíblia e nem consigomesmo! 32ª Mágica Paulo não recomendou ninguém a guardar o sábado Outra mágica interessante que tem tapeado milhões de pessoas pelo mundo inteiro,levando-as a guardar o domingo no lugar do sábado é a seguinte: O mágico tira de sua cartolaencantada a passagem bíblica de Atos 20:18-21, 26-27 para em seguida iludir a sua plateiacom a ideia de que Paulo, como apóstolo dos gentios, nada ensinou acerca da necessidade docristão guardar o sábado. Essa mágica maçante possui alguns truques bobocas. 1º. O principal truque escondido nessa mágica consiste em negar a validade dequalquer coisa que não esteja escrito no versículo bíblico. Desse modo, o mágico pode negaro Universo, exceto o que estiver na passagem bíblica que ele seleciona. Realmente, essa éuma ilusão tola produzida pelo demo com a intensão de enganar os obtusos de espírito e osbroncos de coração. 2º. O ilusionista esconde de sua ludibriada galera que Paulo não somenteguardava o sábado como também orientou os cristãos a imitarem seu exemplo. Eis a prova:

×