LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia      O SÁBADO À LUZ DA BÍBLIA                           Leandro Bertoldo
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia                                    Dedico este livro à irmã em Cristo            ...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia      “Não basta termos boas intenções; não basta fazermos o que se julga ser dire...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia        “Podereis ler a Bíblia de Gênesis ao Apocalipse, e não encontrareis uma ún...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia                                    SUMÁRIONOTAS SOBRE O AUTORAPRESENTAÇÃOPREFÁCIO...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia       5.4 Os gentios observavam as leis cerimoniais       5.5 Os gentios particip...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia11. PAULO E A LEI CRAVADA NA CRUZ      11.1. Introdução      11.2 Uma lei cravada ...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia       15.5 O testemunho de Plínio       15.6 Coleta para os santos              1...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia                            NOTAS SOBRE O AUTOR         Leandro Bertoldo nasceu em...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia13h30 às 17h00. A aula inaugural dessa classe foi realizada pelo irmão Paulo Mazan...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia                                          APRESENTAÇÃO        “E ao início do temp...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia                                               PREFÁCIO          “Os que têm oport...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíbliasábado o grande Legislador Se identifica como o Criador dos céus e da Terra”. (III...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíbliaprecisa, qual é o dia do Senhor: “sábado ou domingo”. Para tal empreitada seguirem...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia                    CHAVE DE ABREVIATURASAA    –    Atos dos ApóstolosBC    –    T...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia                                                   1                              ...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da BíbliaÊxodo 31:18 – “E deu a Moisés (quando acabou de falar com ele no monte de Sinai) a...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíbliaou a obrigação de santificá-lo. Além do mais, todo homem necessita de um dia de re...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia       As razões expostas destacam claramente a importância, o caráter moral e uni...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíbliase chegarem ao Senhor”. Também prova que eles deveriam observar o concerto de expi...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia                                                    2                             ...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia       A seguir observe o conteúdo dos dez mandamentos na forma como foram escrito...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da BíbliaSegundo mandamento: “Nem levantarás estátua, a qual o Senhor teu Deus aborrece”(De...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da BíbliaTerceiro mandamento: Êxodo 20:7; Levítico 19:12; 20:3; 22:32; 24:15; 24:16; Salmos...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da BíbliaSegundo mandamento: João 4:24; Atos dos Apóstolos 17:16 e 29; Romanos 1:23-25; 2:2...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia2.6 O sábado no Novo Testamento        Etimologicamente a palavra “sábado” signifi...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia“ipsis litteris” o terceiro mandamento, que ensina: “Não tomarás o nome do Senhor ...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia                                                      3                           ...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia        O erro desses condutores reside no fato de que a Bíblia Sagrada não afirma...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia3.3 Deus somente para Israel        Supondo que fosse verdadeira a obtusa hipótese...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíbliaos seus sacrifícios serão aceitos no meu altar, porque a minha casa será chamada c...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíbliaidentificou-se como o Messias judeu e morreu pelo povo judeu. Portanto, como genti...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da BíbliaIsaías 56:6-7 – “E aos filhos dos estrangeiros, que se chegarem ao Senhor, para os...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia                                                       4                          ...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia        Aqueles que insistem em depreciar o sábado do sétimo dia da semana chamand...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíbliaafirmou: “O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia        Supondo que não houvesse lei entre Adão e Moisés, então o que foi Sete, En...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da BíbliaGênesis 39:9 – “Ninguém há maior do que eu nesta casa, e nenhuma cousa me vedou,se...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia                                                        5                         ...
LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíbliachegarem ao Senhor, para o servirem, e para amarem o nome do Senhor”. Mostra os ge...
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
O Sábado à Luz da Bíblia
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O Sábado à Luz da Bíblia

5.590 visualizações

Publicada em

Autor: Leandro Bertoldo. Para mais obras, acesse o blog: http://pesquisasbiblicas.blogspot.com

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.590
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
161
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Sábado à Luz da Bíblia

  1. 1. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia O SÁBADO À LUZ DA BÍBLIA Leandro Bertoldo
  2. 2. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia Dedico este livro à irmã em Cristo Cínthia Passos Assumpção Pedroso Dedicada médica pediatra. Uma cintilante estrela na coroa de Cristo
  3. 3. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia “Não basta termos boas intenções; não basta fazermos o que se julga ser direito, ouo que o ministro diz ser correto. A salvação de nossa alma está em jogo, e devemosexaminar as Escrituras por nós mesmos”. Ellen Gould White Escritora, conferencista, conselheira, e educadora norte-americana. (1827-1915)
  4. 4. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia “Podereis ler a Bíblia de Gênesis ao Apocalipse, e não encontrareis uma únicalinha que autoriza a santificação do domingo. As Escrituras ordenam a observânciareligiosa do sábado, dia que nós nunca santificamos”. A Fé de Nossos Pais, 92ª Edição, pág. 89. Cardeal Gibbson, Arcebispo de Baltimore Primaz da Igreja Católica Estados Unidos da América
  5. 5. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia SUMÁRIONOTAS SOBRE O AUTORAPRESENTAÇÃOPREFÁCIOCHAVE DE ABREVIATURAS1. DISTINÇÃO ENTRE LEIS 1.1 Introdução 1.2 Lei moral e cerimonial 1.3 Diversidade de leis 1.4 Considerações finais2. O DECÁLOGO 2.1 Introdução 2.2 Princípios morais do decálogo no Pentateuco 2.3 Princípios morais do decálogo no Antigo Testamento 2.4 Princípios morais do decálogo no Novo Testamento 2.5 O sábado no Novo Testamento 2.6 Considerações finais3. O SÁBADO E OS JUDEUS 3.1 Introdução 3.2 Novo Concerto Somente para Judeus 3.3 Deus somente para Israel 3.4 Deus também dos gentios 3.5 Dízimos exclusivamente para os Levitas 3.6 Conseqüências do argumento ardiloso 3.7 Os gentios são ordenados a guardar o sábado 3.8 Exclusividade e exclusão 3.9 Considerações finais4. A ORIGEM DO SÁBADO 4.1 Introdução 4.2 O sábado do judeu 4.3 A santidade do sábado 4.4 A suposta falta de mandamento 4.5 A transgressão da lei 4.6 A lei e o pecado 4.7 Considerações finais5. UMA MESMA LEI PARA TODOS 5.1 Introdução 5.2 Uma mesma lei para gentio e judeu 5.3 Os gentios observavam os cerimoniais festivos
  6. 6. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia 5.4 Os gentios observavam as leis cerimoniais 5.5 Os gentios participavam do concerto 5.6 Os gentios observavam a lei moral 5.7 Os gentios observavam as leis de saúde 5.8 Os gentios e as cidades de refúgio 5.9 Os gentios aprendiam o Livro da Lei 5.10 Os gentios podiam orar no templo 5.11 Considerações finais6. DOIS TESTAMENTOS E VÁRIOS CONCERTOS 6.1 Introdução 6.2 Diferentes espécies de concertos 6.3 Os principais concertos 6.4 Relação entre os concertos 6.5 Contrastes entre concertos 6.6 A mudança da lei 6.7 Considerações finais7. ABOLIÇÃO DO ANTIGO CONCERTO 7.1 Introdução 7.2 Prevista a abolição do Antigo Concerto 7.3 Abolição do Antigo Concerto 7.4 Abolição registrada no livro de Hebreus 7.5 Abolição do Antigo Concerto 7.6 Novo Concerto 7.7 Razão do Novo Concerto 7.8 Considerações finais8. PAULO E O SUPOSTO FIM DA LEI 8.1 Introdução 8.2 Análise 8.3 Exemplos dos dois ministérios9. CRISTÃOS LIVRES DA LEI 9.1 Introdução 9.2 Analogia do casamento 9.3 Comparações com a ilustração 9.4 Considerações finais10. OSÉIAS E A SUPOSTA ABOLIÇÃO DO SÁBADO 10.1 Introdução 10.2 Profetizado o fim de Israel 10.3 Cumprimento da profecia 10.4 Cativeiro Israelita 10.5 O profeta Isaías 10.6 Outros profetas 10.7 Considerações finais
  7. 7. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia11. PAULO E A LEI CRAVADA NA CRUZ 11.1. Introdução 11.2 Uma lei cravada na cruz 11.3. Significado bíblico de ordenanças 11.4. Uma lei que consistia em ordenanças 11.5. Sombras das coisas futuras 11.6. As diferentes espécies de sábados 11.7. Os sábados cerimoniais 11.8. Abolição do ritual do santuário terrestre 11.9. Holocausto nos sábados 11.10 Considerações finais12. A LEI DE DEUS E O LIVRO DA LEI DE DEUS 12.1 Introdução 12.2 Várias leis 12.3 Vários títulos 12.4 Os escritores bíblicos e os vários títulos do Pentateuco 12.5 Os diferentes títulos do Pentateuco 12.6 O decálogo e a lei de Deus 12.7 O decálogo e os mandamentos de Deus 12.8 Considerações finais13. A LEI E O SÁBADO 13.1 Introdução 13.2 Santificação do sábado 13.3 Razões bíblicas para observar o sábado 13.4 Considerações finais14. O SÁBADO NO NOVO TESTAMENTO 14.1 Introdução 14.2 Cristo guardou o sábado 14.2.1 Inauguração do Novo Concerto 14.3 As fiéis discípulas de Jesus guardaram o sábado 14.4 Paulo guardou o sábado com os gentios 14.5 A fuga de Jerusalém 14.6 Jesus não veio para revogar a lei 14.6.1 A lei e os profetas 14.7 Significado do termo “perpétuo” na Bíblia Sagrada 14.8 Considerações finais15. O DIA DO DOMINGO 15.1 Introdução 15.2 Ressurreição do Senhor 15.2.1 Episódios bíblicos 15.2.2 Memorial da Ressurreição 15.3 Ajuntamento dos discípulos 15.4 Os cristãos de Troas 15.4.1 Os cristãos de Troas e o partir o pão
  8. 8. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia 15.5 O testemunho de Plínio 15.6 Coleta para os santos 15.6.1 Coletas especiais 15.6.2 Considerações finais16. O DIA DO SENHOR 16.1 Introdução 16.2 Um simples numeral 16.3 Dia do Senhor segundo a Bíblia 16.4 O silêncio do domingo 16.5 Kyriaké hémerà 16.6 Considerações finais17. O DIA DO SOL 17.1 Introdução 17.2 O que disseram os pais da Igreja 17.3 Decreto de Constantino 17.4 O dia do Sol 17.5 Concílio de Laodicéia 17.6 Sínodo de Narbone 17.7 Considerações finais
  9. 9. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia NOTAS SOBRE O AUTOR Leandro Bertoldo nasceu em São Paulo – SP., aos 03 de março de 1959. Filho deJosé Bertoldo Sobrinho e de Anita Leandro Bezerra. Seu irmão Francisco Leandro Bertoldoé um dedicado oficial de justiça na Comarca de Itaquaquecetuba. O autor é casado com aamada Daisy Menezes Bertoldo, funcionária do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.Sua querida filha Beatriz Maciel Bertoldo é uma exímia advogada na Comarca de Mogi dasCruzes. Leandro é dono dos amorosos cachorros: Fofa, Pitucha, Calma e Mimo. O autor é escritor prolífero, palestrante e professor. Seus livros são conhecidos emtodo o Brasil e fora dele. Até o presente momento possui publicado vinte livros abrangendoas mais diversas áreas do conhecimento humano, tais como física, matemática, química,teologia e poesia. No início da década de oitenta, quando ainda era graduando no curso de CiênciasExatas e Tecnológicas, na Universidade de Mogi das Cruzes – UMC, o autor desenvolveumuitas de suas teses científicas em Física e Matemática, as quais vem publicandopaulatinamente. Posteriormente, bacharelou-se em Direito pela mesma Universidade.Atualmente é funcionário do Poder Judiciário do Estado de São Paulo. Através da colega de trabalho Célia Regina Xavier e dos cursos bíblicos ministradospor seu esposo Valdir Xavier, o autor converteu-se ao cristianismo em 23 de abril de 1986.A seguir passou a estudar com o exímio professor Pedro B’ärg no período de julho/1986 asetembro/1987. Foi batizado em 26 de setembro de 1987 pelo distinto pastor Davi Marski. A partir de novembro de 1987, o pastor Marski escalou-o para realizar uma série depalestras nas igrejas de Biritiba Mirim, Brás Cubas, Jundiapeba, Mogi das Cruzes eSabaúna. Suas exposições versavam sobre as principais Doutrinas Bíblicas. Sua primeiraapresentação foi realizada num sábado na igreja de Brás Cubas, com o tema da justificaçãopela fé. Com o estimulo da irmã Ozilda Pereira Moreira e de sua família, o autor tornou-seprofessor da Escola Sabatina. Apoiado pelo irmão Antonio Prado Júnior, que na época eradiretor da Escola Sabatina, foi nomeado professor da classe de visitas, passando a trabalharsob a supervisão do professor Pedro B’ärg. Além de suas atividades como palestrante e professor, também passou a realizar –junto com a sua namorada Daisy Menezes – durante três anos consecutivos (1988-1991),trabalhos evangelísticos no bairro da Vila Industrial, cidade de Mogi das Cruzes – SP.,distribuindo folhetos de casa em casa e ministrando estudos bíblicos aos interessados. Em 1993 veio a conhecer e travar uma grande e duradoura amizade com o queridoirmão em Cristo, Paulo César Mazanti. Juntos realizaram, com grande aproveitamento,durante vários anos, trabalhos evangelísticos nas classes bíblicas, residências, igrejas e naFavela do Gica. Houve ocasiões em que estudavam nas tardes de sábados com 38interessados na Palavra de Deus. Como resultado dessas atividades evangelísticas e,especialmente, devido à força carismática do Paulo Mazanti, muitas dessas almas foramganhas para Cristo, e hoje se encontram congregadas nas igrejas da região de Mogi dasCruzes. Em 07 de fevereiro de 2004, o autor e o amigo Paulo Mazanti conceberam epassaram a coordenar em conjunto a classe pós-batismal de sua congregação. Essa classeencontra-se em plena atividade até aos dias de hoje, funcionando todos os sábados das
  10. 10. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia13h30 às 17h00. A aula inaugural dessa classe foi realizada pelo irmão Paulo Mazanti, econtou com a presença de vários interessados, em especial, a dos amigos Donizete da Silva eMoacir dos Passos. A classe tem por objetivo fundamental fortalecer a fé dos novos conversos,esclarecendo-lhes as dúvidas e preparando-os para tornarem-se discípulos de Cristo. Ométodo da classe pós-batismal está baseado no seguinte lema: “Veja como faço e faça comofaço. Se você errar te corrigirei”. A duração do curso ministrado na classe pós-batismal está distribuída, por nível dedificuldade, em sete semestres. No primeiro o interessado é um ouvinte de estudos bíblicos;no segundo ele apresenta o estudo bíblico que ouviu; no terceiro é promovido a apresentadorimprovisador de estudos bíblicos; no quarto torna-se produtor e apresentador de estudosbíblicos. Durante todos esses quatro semestres, o interessado é constantemente interrompidoem sua apresentação e “bombardeado” com perguntas feitas pelo coordenador e demaisparticipantes sobre o assunto que está sendo ministrado. O objetivo dessas perguntasconsiste em conduzir o interessado a avaliar sua própria compreensão sobre o tema que estáapresentando, levando-o a raciocinar com sabedoria, discernimento, inteligência e lógica. Noquinto semestre o interessado passa a pregar sermões; no sexto ele passa a pregador eimprovisador de sermões. Nesses dois semestres o interessado não é interrompido emnenhum momento. Todavia, ele recebe orientações e críticas construtivas de todos osouvintes ao final de sua palestra. No sétimo e último semestre passa a conhecer maisprecisamente as técnicas de oratória, que lhe foi apresentada esporadicamente durante todo ocurso. No decorrer do curso, o interessado é incentivado e convidado a praticar de fato o queaprendeu nas aulas, dando estudos bíblicos e pregando sermões em pequenos grupos eigrejas. A classe funciona uma vez por semana e, para que todos tenham oportunidade defazer a sua apresentação, o tempo concedido a cada aluno dura 45 minutos, com umamargem de tolerância de 15 minutos. Algumas vezes, dependendo da quantidade de alunos,será necessário elaborar uma escala mensal para que todos possam participareqüitativamente. Pela classe pós-batismal de Mogi das Cruzes passaram dezenas de interessados. Essaclasse conta com o apoio e a participação dos professores Maurício Epiphânio, MaurícioShoji Kimoto, Moacir dos Passos e Nilton Satio Murakami. Atualmente, encontram-sematriculados os alunos Anne Patrice Guimarães Leite, Helena Naomi Okada da Paixão,Jéssica Caroline Cavalcante Falcão, Luiz Roberto Paliano Rodrigues e Willians Roberto daSilva. A todos a imensa gratidão do autor pela dedicação e, especialmente, pelaperseverança! Durante os seus vinte e três anos de conversão, Leandro foi secretário do MinistérioPessoal, Tesoureiro, Professor da Escola Sabatina, Promotor de Literatura, Professor daClasse de Visitas, Ancião e Coordenador de Classe Bíblica. Atualmente o autor vemcoordenando as classes bíblicas da igreja onde congrega, localizada na Rua Cel. SantosCardoso, nº 434, Jardim Santista - Mogi das Cruzes - SP.NOTA: Paulo César Mazanti (1967-2008) nos deixou em 06 de setembro de 2008 e agoradescansa no Senhor. Suas obras testificam de sua fé em Cristo. Atualmente, a história demuitas vidas está sendo reescrita por Deus, devido ao trabalho evangelístico do nosso amigoPaulo Mazanti em conduzi-las aos pés da cruz. “Bem-aventurados os mortos que desdeagora morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito para que descansem dos seus trabalhos, e assuas obras os sigam” (Apocalipse 14:13).
  11. 11. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia APRESENTAÇÃO “E ao início do tempo de angústia fomos cheios do Espírito Santo ao sairmos para proclamar o sábado maisamplamente. Isso enfureceu as igrejas e os adventistas nominais, pois não podiam refutar a verdade do sábado. E nessetempo os escolhidos de Deus viram todos claramente que tínhamos a verdade, e saíram e enfrentaram a perseguiçãoconosco”. Ellen Gould White (PE, 33) O livro que o leitor tem em mãos, denominado “O Sábado à Luz da Bíblia”,encontra-se inteiramente estruturado na Palavra de Deus e na Ciência da HermenêuticaBíblica. Seu principal objetivo consiste em apresentar aos mais diversos interessados umadefesa legitima sobre o verdadeiro “dia do Senhor”, razão pela qual a obra apresenta umcaráter eminentemente apologético. A “apologética” é uma das partes da teologia que tem por objeto a defesa da “fé queuma vez foi dada aos santos” (Judas 1:3) contra os ataques e objeções argüidas por seusdetratores. Destarte, a presente obra faz uma veemente defesa do “sábado” bíblico contra osataques e objeções levantadas por seus antagonistas. Este livro, produzido no primeiro trimestre de 2008, germinou como resultado dasperguntas e questionamentos levantados por alguns dos alunos que participam das classesbíblicas e da classe pós-batismal, onde o autor é coordenador e professor. Depois de concluído, o livro sofreu um tremendo revés. Acidentalmente o autorapagou o texto do computador. Foi necessário contratar um técnico para recuperar o arquivodeletado, o que obrigou o autor a reescrever algumas partes que não foram totalmenterestauradas pelo técnico. A obra é constituída por dezessete capítulos, e cada um deles encontra-sefundamentado numa rigorosa interpretação lógica, gramatical e exegética sem, contudo, serexaustivo. Muitos dos capítulos evidenciam a tremenda falta de bom-senso dos detratores dosábado, que empregam argumentos destituídos de base lógica suficiente para sustentar umainterpretação gramatical e exegética. “O tempo em que vivemos pede vigilância contínua, e os ministros de Deus devemapresentar a luz sobre a questão do sábado. Devem advertir os habitantes do mundo quanto aestar Cristo para vir em breve, com poder e grande glória. A última mensagem deadvertência ao mundo tem de levar homens a ver a importância que o Senhor dá à Sua lei.Tão claramente deve a mensagem ser apresentada, que nenhum transgressor, ouvindo-a, sejadesculpável em deixar de discernir a importância de obedecer aos mandamentos de Deus”(OE, 148). Ao encerrar esta breve apresentação, o autor roga ao Senhor nosso Deus para que amente e os corações sinceros sejam iluminados, a ponto de poderem enxergar plenamente aluz da verdade.
  12. 12. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia PREFÁCIO “Os que têm oportunidade de ouvir a verdade, mas não se esforçam para ouvi-la ou compreendê-la, pensandoque, se não a ouvirem não serão responsáveis, serão considerados culpados perante Deus, como se a tivessem ouvido erejeitado. Não haverá desculpa para os que preferem continuar no erro, quando poderiam compreender o que éverdade”. Ellen Gould White (V BC, 1145) “Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da salvaçãocomum, tive por necessidade escrever-vos, e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foidada aos santos” (Judas 1:3). A razão desta necessidade reside no fato de que existem muitasheresias encampando as verdades bíblicas. Algumas delas são gravíssimas, e vem sendoensinada no seio da cristandade como se tivesse o respaldo das Escrituras Sagradas, gerandono espírito de não poucos cristãos, amargos ressentimentos. Durante séculos as divergências doutrinárias têm sido o estopim que tem dividido oscristãos em “ortodoxo e heterodoxo”, “fundamentalistas e liberais”, “dogmáticos e hereges”.Os fundamentalistas procuram seguir estritamente os ensinos das Escrituras Sagradas, talqual Jesus e os apóstolos ensinaram e praticaram (Mateus 4:4; Atos 17:11; 24:14); enquantoque os liberais, deixando-se influenciar pelas filosofias do mundo, pela falsa ciência, pelosventos das novas idéias e pelas tradições seculares dos homens, trazem para o bojo dacristandade alguma forma de doutrina, filosofia ou teologia produzidas fora do contextobíblico e da boa exegese. Tal fato vem ocorrendo à revelia da advertência do apóstolo Pauloem Colossenses 2:8. Uma dessas divergências doutrinárias tem relação direta com aidentificação do dia sagrado de repouso. O sábado e os mandamentos de Deus têm sido objeto de veemente ataque por partede algumas seitas heréticas de origem protestante, que se apostataram da verdade paraabraçar uma forma de misticismo. Os adeptos desse sincretismo religioso se organizaram einsinuaram-se oficialmente no seio da cristandade no início do século XX. A ferocidade leonina (I Pedro 5:8) desses desatinados ataques contra a santa lei deDeus – inclusive do sábado – é natural e esperado, posto que se trata do cumprimento dasprofecias bíblicas para o tempo fim: “E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerraao resto da sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho deJesus Cristo” (Apocalipse 12:17). Evidentemente, se tal guerra – atualmente ideológica – contra os que guardam osmandamentos de Deus não estivesse ocorrendo, poderíamos inferir que eles não preenchemas especificações da profecia bíblica. Todavia, como tal guerra de fato ocorre, entãoconcluímos que aqueles que guardam os mandamentos de Deus estão em perfeitaconsonância com a profecia bíblica. Logo, eles constituem o povo santo do Altíssimo, razãopela qual são objetos de violento ataque por parte do Dragão. “Na peleja a ser travada nos últimos dias estarão unidos, em oposição ao povo deDeus, todos os poderes corruptos que apostataram da lealdade à lei de Jeová. Nessa peleja, osábado do quarto mandamento será o grande ponto em litígio, pois no mandamento do
  13. 13. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíbliasábado o grande Legislador Se identifica como o Criador dos céus e da Terra”. (III ME, 392-393). Muitas dessas seitas, adversárias dos sábado, se julgam inspiradas pela divindade e,em sua altivez, supõem-se senhoras da verdade. Segundo sua perspectiva míope – excetoelas – todos os demais grupos religiosos são seitas, todos estão errados, enganados,equivocados e cheios de desvios doutrinários. Ao se arrogarem como juizes dos demais,implicitamente, colocam-se como sendo os únicos que estão corretos em suas interpretaçõesbíblicas. “Tu, porém, quem és, que julgas a outrem?” (Tiago 4:12). Todavia, a presunção dessas seitas, a agressividade e a falta de caridade em seusataques pessoais contra os seus semelhantes dão um claro e eloqüente testemunho de queelas não possuem a verdade, muito menos a santidade ou o Espírito de Cristo. Suas obras deintolerância religiosa falam mais alto do que suas palavras evangélicas. “Portanto, pelos seusfrutos os conhecereis” (Mateus 7:20). Devido às divergências doutrinárias e à ausência de uma unidade administrativacentralizada, essas seitas multiplicam-se como produto dos interesses pessoais ou dadiscórdia entre seus membros e fundadores. Encontram-se fragmentadas em milhares defacções, divididas e orientadas pelos mais diversos interesses particulares dos seus líderes oudirigentes. Algumas dessas seitas são tão extremistas que chegam a ponto de produzir grandequantidade de literatura visando unicamente abater o sábado bíblico e exaltar o domingopagão, o qual não tem nenhum respaldo, fundamento ou luz nas Escrituras Sagradas. Paraessas seitas a melhor defesa de suas heresias é o ataque, o qual tem sido muitas vezespessoais e proferidos de forma insensível e irresponsável. Jesus identificou essas seitas – que não observam todos os mandamentos dodecálogo, mas perseguem ardilosamente aqueles que os guardam – com as seguintespalavras condenatórias: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele quefaz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor,não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teunome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci:apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade” (Mateus 7:21-23). Em outro passo diztextualmente o seguinte: “E por que me chamais, Senhor, Senhor, e não fazeis o que eudigo?” (Lucas 6:46). A proliferação dessas seitas entre as nações do mundo tende a aumentarvertiginosamente. Esse crescimento foi profetizado por Jesus Cristo como sendo um dossinais indicadores e distintivos que antecederia a Sua segunda vinda e o fim do mundo.Observe o que disse o Senhor: “Porque se levantarão falsos cristos, e falsos profetas, e farãosinais e prodígios, para enganarem, se for possível, até os escolhidos” (Marcos 13:22). Segundo Jesus Cristo, essas seitas têm por base evangelística a operação de “sinais eprodígios” com o objetivo de enganar. Então, alguns podem perguntar: quais sãos as seitasque se infiltraram no mundo cristão nestes fins de tempos e que se vangloriam de profetizar,expulsar demônios ou fazer muitas outras maravilhas em nome de Jesus? Creio que todossabem de quem Jesus estava se referindo! Essas seitas, além de serem um movimento religioso independente, estão infiltradasem muitas denominações cristãs tradicionais, subvertendo centenas de igrejas às suasheresias espiritualistas. Diante da controvérsia teológica levantada sobre a questão do dia de repouso, apresente obra vem a lume com o objetivo de identificar pela Bíblia Sagrada, de forma
  14. 14. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíbliaprecisa, qual é o dia do Senhor: “sábado ou domingo”. Para tal empreitada seguiremosunicamente o exemplo dos bereanos que: “foram mais nobres do que os que estavam emTessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escriturasse estas coisas eram assim” (Atos 17:11). De antemão deve ficar bem claro ao leitor que, como cristãos bíblicos, a nossa fé estáprofundamente arraigada somente no que as Escrituras Sagradas ensinam, haja vista queconduzimo-nos pelos princípios da reforma protestante, especialmente o princípio da “solascriptura”. Princípio esse, nunca adotado na “prática” pelas seitas, que nos dias de hojequerem se passar por cristãs a todo custo. Muitas das doutrinas defendidas por essas seitas estão fundamentadas na tradiçãoprotestante, contudo as suas manifestações espirituais, não passam de mistificaçõesdiabólicas dos dons do Espírito Santo. É claro que existem os verdadeiros dons do Espírito, mas as doutrinas ensinadas porseus detentores estão em perfeita harmonia com o ensino da Palavra de Deus: “À Lei e aoTestemunho! se eles não falarem segundo esta palavra, nunca verão a alva” (Isaías 8:20). Enfim, a presente obra de caráter apologético, procura dar uma resposta clara eprecisa aos antagonistas do sábado, fornecendo aos amigos da verdade um fundamentobíblico sólido que identifica o verdadeiro dia do Senhor. Tal fundamento está realçado noprincípio de que o universo do cristão gira unicamente em torno das Escrituras Sagradas, enão nas tradições seculares da igreja, ou na filosofia dos homens ou ainda na “falsamentechamada ciência” (I Timóteo 6:20). Portanto, o que estiver fora das Escrituras Sagradas nãofaz parte da fé e do mundo dos cristãos, os quais são fiéis e guiados unicamente pelasverdades bíblicas.
  15. 15. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia CHAVE DE ABREVIATURASAA – Atos dos ApóstolosBC – The Seventh day Adventist Bible Commentary (Vols. I-VII)CS – Cristo em Seu SantuárioCSM – Conselhos Sobre MordomiaDTN – O Desejado de Todas as NaçõesEF – Eventos FinaisFEC – Fundamentos da Educação CristãGC – O Grande ConflitoHR – História da RedençãoME – Mensagens Escolhidas (Vols. I-III)MR – Manuscript ReleaseMs – Ellen G. White ManuscriptOE – Obreiros EvangélicosPE – Primeiros EscritosPP – Patriarca e ProfetasPR – Profetas e ReisRH – Review and HeraldRTC – Redemption: or the Teachings of ChristS – SantificaçãoTM – Testemunho Para Ministros e Obreiros EvangélicosTS – Testemunhos Seletos (Vols. I-III)VA – A Verdade Sobre os AnjosVJ – Vida de Jesus
  16. 16. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia 1 DISTINÇÃO ENTRE LEIS “Toda objeção levantada contra os mandamentos de Deus abrirá o caminho para o avanço da verdade ehabilitará os seus defensores a apresentarem seu valor perante os homens”. Ellen Gould White (XIII MR, 71-72)1.1 Introdução Tanto o Antigo como o Novo Testamento declaram enfaticamente que “há só umlegislador” e que “o Senhor é o nosso Legislador”. Observe o que diz o texto da BíbliaSagrada:Isaías 33:22 – “Porque o Senhor é o nosso Juiz; o Senhor é o nosso Legislador; o Senhor éo nosso Rei: ele nos salvará”.Tiago 4:12 – “Há só um legislador e um juiz que pode salvar e destruir. Tu, porém, quemés, que julgas a outrem?” É evidente que um legislador pode produzir diferentes categoria de leis, abrangendoas mais distintas áreas do comportamento humano em sociedade. Como único legislador doSeu Povo, o Senhor produziu várias espécies de leis e transmitiu oralmente ao seu servoMoisés, que as escreveu num livro (Êxodo 24:4; Deuteronômio 31:9; 31:24). Mas, para destacar a peculiaridade e a tremenda importância de uma dessas leis, oSenhor fez questão de escrevê-la pessoalmente com o Seu próprio dedo em duas tábuas depedra. Deus não permitiu que tal lei fosse dada por inspiração divina a Moisés, como asdemais o foram, mas escreveu-a em tábuas de pedra e entregou-a pessoalmente nas mãos deMoisés, para servir de norma de conduta individual para o Seu povo santo. Essa lei éuniversalmente conhecida como sendo os “Dez Mandamentos”, também chamados de“Decálogo”. Sobre o decálogo repousam todas as demais leis: civis, criminais e cerimoniais. Para os antigos, mais precisamente para os israelitas, que viveram durante muitosséculos como escravos no Egito – a terra das pirâmides seculares – qualquer coisa escrita empedra implicava na sua eternidade e imutabilidade, ainda mais escrita pelo próprio dedo deDeus! Note o que as Escrituras Sagradas dizem a respeito dos dez mandamentos, chamadopelo apóstolo Paulo de “Lei de Deus” (Romanos 7:22):Deuteronômio 4:13 – “Então vos anunciou ele o seu concerto que vos prescreveu, os dezmandamentos, e os escreveu em duas tábuas de pedra”.
  17. 17. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da BíbliaÊxodo 31:18 – “E deu a Moisés (quando acabou de falar com ele no monte de Sinai) asduas tábuas do testemunho, tábuas de pedra, escritas pelo dedo de Deus”.Êxodo 32:16 – “E aquelas tábuas eram obra de Deus; também a escritura era a mesmaescritura de Deus, esculpida nas tábuas”. Observe o que dizem os textos bíblicos mencionados. Essa lei é constituída por “dezmandamentos” escritos em “duas tábuas de pedra”, que foram “escritas pelo dedo de Deus”,“aquelas tábuas eram obra de Deus” e “escritura de Deus”. Posteriormente, ao registrar em livros a história do povo israelita, Moisés, estandodivinamente inspirado, transcreveu todos os dez mandamentos (Êxodo 20:3-17) para ochamado “livro da lei” (Deuteronômio 30:10; 31:26). O “livro da lei”, conhecido pelo título de “Pentateuco”, é constituído por cincolivros, a saber: “Gênesis”, “Êxodo”, “Levítico”, “Números” e “Deuteronômio”. Um estudo sistemático do livro da lei permite constatar facilmente a existência devárias categorias de leis, que regem diferentes áreas da relação humana em sociedade, asaber: moral, cerimonial, civil, criminal, saúde, higiênica etc. Mas o decálogo possui um diferencial que o destaca entre as demais leis registradasno Pentateuco. Esse diferencial consiste no seguinte: 1) foi escrito pessoalmente pelopróprio dedo de Deus; 2) foi escrito em duas tábuas de pedra; 3) foi transcrito por Moisésno livro da lei; 4) foi colocado dentro da arca da aliança, preparada especialmente para ser oreceptáculo do decálogo. Os dez mandamentos constituem a base moral de todas as leis registradas noPentateuco, por isso seus princípios estão esparsos por toda as Escrituras Sagradas. Não se pode negar que os preceitos morais expressos nos dez mandamentosrepresentam a “constituição” divina que direciona e permeia todas as demais leis registradasnas Escrituras Sagradas, posto que o decálogo é a lei fundamental estabelecida por Deuspara reger a santidade do homem e estabelecer regras de comportamento individual emsociedade. O decálogo é a materialização divina de dois grandes princípios eternos, que regem orelacionamento entre todos os seres vivos no Universo: “amor a Deus” e “amor aopróximo”.1.2 Lei moral e cerimonial A obrigatoriedade de guardar o sábado no sétimo dia da semana vem desde a épocada fundação do mundo, quando Deus consagrou o sétimo dia. Observe o que diz a BíbliaSagrada:Gênesis 2:1-3 – “Assim os céus, e a terra e todo o seu exército foram acabados. E havendoDeus acabado no dia sétimo a sua obra, que tinha feito, descansou no sétimo dia de toda asua obra, que tinha feito. E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque neledescansou de toda a sua obra, que Deus criara e fizera”. Ao santificar o sétimo dia, Deus separou-o dos demais dias da semana para repouso eadoração, pois a palavra “santo” significa ser separado para propósito sagrado. De nadaadiantaria Deus consagrar o sétimo dia da semana se não houvesse ninguém para observá-lo
  18. 18. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíbliaou a obrigação de santificá-lo. Além do mais, todo homem necessita de um dia de repousopara restaurar suas energias físicas, mentais e espirituais. Esse dia foi explicitamenteestabelecido pelo Senhor nosso Deus na criação do mundo. “Depois de ter criado o mundo e o homem, contemplou a obra que fizera e declarou-a muito boa. E ao ser posto o fundamento da Terra, foi posto também o fundamento dosábado. Quando as estrelas da manhã juntamente cantaram e todos os filhos de Deusrejubilaram, viu Deus que o sábado era necessário ao homem, mesmo no Paraíso. Ao dar osábado, Deus considerou a saúde espiritual e física do homem”. (TM, 136). A consagração do sétimo dia da semana ocorreu bem antes da entrada do pecado nomundo ou da existência de qualquer judeu sobre a face da Terra. Por essa razão, ficaevidente que o sábado nunca foi lei cerimonial, a qual foi estabelecida exclusivamente paraexpiar o pecado através do sacrifício de animais. Vale citar que as leis cerimoniaiscomeçaram a aparecer somente após a entrada do pecado no mundo. Posteriormente, com aformação da nação israelita, os cerimoniais de holocausto de animais passaram a serrealizado somente no lugar onde estava localizado o santuário (Levítico 6:25; Deuteronômio12:14; 14:23; 16:2 e 6), mas o sábado poderia ser observado em qualquer lugar onde osfilhos de Deus estivessem. O decálogo – onde se encontra registrado o sábado do sétimo dia da semana – é umalei moral que existirá para sempre. É inconcebível imaginar que no reino dos céus ou nomundo vindouro não haja lei ou que o decálogo estará abolido. Se tal situação fosse possívelnão haveria nenhuma restrição para a prática do mal. Os justos teriam irrestrita liberdadepara praticar todo tipo de pecado como, por exemplo, politeísmo, idolatria, blasfêmia,transgressão do dia santificado por Deus, desonrar pai e mãe, matar, adulterar, furtar,declarar falsos testemunhos e cobiçar. Todas esses pecados são terminantemente proibidospelo decálogo e continuarão sendo proibidos para sempre. Uma lei moral é aquela que estabelece a obrigação e o modo como os homens devemproceder, segundo a justiça e equidade natural, em suas relações para com Deus e para comos seus semelhantes. Em conformidade com esse conceito, o sábado do sétimo dia dasemana é um mandamento moral pelos seguintes motivos:a) Foi consagrado por Deus e não pelo homem (Gênesis 2:1-3).b) Foi estabelecido na primeira semana da criação (Gênesis 2:1-3).c) Deve ser observado no sétimo dia da semana (Êxodo 20:9-10).d) Foi criado antes da entrada do pecado no mundo (Gênesis 2:1-3).e) Deus o criou como um memorial da criação (Êxodo 20:11).f) Foi escolhido para descanso do trabalho secular (Êxodo 23:12).g) Foi estabelecido como dia de culto religioso (Levítico 23:3).h) Está no decálogo como mandamento moral (Êxodo 20:3-17).i) Não é cerimonial porque não expia o pecado (Hebreus 9:22). “O sábado não é apresentado como uma nova instituição, mas como havendo sidoestabelecido na criação. Deve ser lembrado e observado como a memória da obra doCriador. Apontando para Deus como Aquele que fez os céus e a Terra, distingue overdadeiro Deus de todos os falsos deuses. Todos os que guardam o sétimo dia, dão aentender por este ato que são adoradores de Jeová. Assim, é o sábado o sinal de submissão aDeus por parte do homem, enquanto houver alguém na Terra para O servir” (PP, 307).
  19. 19. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia As razões expostas destacam claramente a importância, o caráter moral e universaldo sábado. Esse dia foi explicitamente consagrado por Deus como memorial da criação domundo (Êxodo 20:11). Não há o que discutir. Lei é para ser cumprida e não para ser debatida. A menos quealguém queira discutir com Deus, o único legislador.1.3 Diversidade de leis A própria Bíblia Sagrada estabelece de forma explicita a existência de diferentesnomes dados para diversas espécies de leis registradas no Pentateuco. Observe o que dizalguns versículos:Deuteronômio 6:1 – “Estes, pois, são os mandamentos, os estatutos e os juízos quemandou o Senhor vosso Deus para se vos ensinar, para que os fizésseis na terra a quepassais a possuir”.Deuteronômio 6:17 – “Diligentemente guardareis os mandamentos do Senhor vosso Deus;como também os seus testemunhos, e seus estatutos, que te tem mandado”.I Reis 2:3 – “E guarda a observância do Senhor teu Deus, para andares nos seus caminhos,e para guardares os seus estatutos, e os seus mandamentos, e os seus juízos, e os seustestemunhos, como está escrito na lei de Moisés: para que prosperes em tudo quantofizeres, para onde quer que te voltares”. Dentro do que as Escrituras Sagradas identificam como sendo “mandamentos”,“estatutos”, “juízos” e “testemunhos” constata-se uma clara distinção entre várias espéciesde leis, caso contrário, o escritor bíblico estaria sendo redundante. Entre essas leis podemosidentificar leis civis, criminais, morais, cerimoniais, saúde, higiene etc. O profeta Isaías apresenta claramente a distinção existente entre lei moral e leicerimonial. Note o que ele escreveu a respeito do assunto:Isaías 56:6-7 – “E aos filhos dos estrangeiros, que se chegarem ao Senhor, para oservirem, e para amarem o nome do Senhor, sendo deste modo servos seus, todos os queguardarem o sábado, não o profanando, e os que abraçarem o meu concerto. Também oslevarei ao meu santo monte, e os festejarei na minha casa de oração; os seus holocaustos eos seus sacrifícios serão aceitos no meu altar, porque a minha casa será chamada casa deoração para todos os povos”. Quando Isaías fala dos estrangeiros “que guardarem o sábado” e “todos que osabraçarem o meu concerto”, ele está se referindo à lei moral representada pelo decálogo.Mas, quando o profeta fala que “os seus holocaustos e os seus sacrifícios serão aceitos nomeu altar”, ele está se referindo à lei cerimonial de sacrifício de animais para expiação depecados. Se não houvesse a distinção entre lei moral e lei cerimonial, o profeta estaria sendoredundante. A passagem bíblica registrada no Antigo Testamento prova que os crentes gentílicossão obrigados a guardar o sábado, posto que faz referência “aos filhos dos estrangeiros, que
  20. 20. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíbliase chegarem ao Senhor”. Também prova que eles deveriam observar o concerto de expiaçãode pecados pelo sacrifício de animais. Ocorre que, com a abolição do antigo concerto de expiação de pecados peloholocausto de animais, os cristãos além de observarem o sábado, também observam o novoconcerto de expiação de pecados pelo sangue de Cristo. Os dez mandamentos por serem morais e escritos pelo próprio dedo de Deus,continuarão existindo para sempre, enquanto que a lei cerimonial, por representar a expiaçãode pecados pelo sacrifício de animais, foi abolida para sempre (Daniel 9:27; Mateus 27:51)com a morte do “Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (João 1:29), o qual“ressuscitou para nossa justificação” (Romanos 4:25).1.4 Considerações finais Os escritores bíblicos intitulam o Pentateuco de “Livro da Lei de Deus” ou “Livro daLei de Moisés”, títulos que foram simplificados para “Livro da Lei” ou “Lei de Moisés”, outão somente “Lei”. É chamado de “Lei de Moisés” porque foi dada por Deus pelo ministériode Moisés (Neemias 10:29). O Pentateuco registra – em sentido amplo – duas espécies de leis. Essas leis foramescritas em diferentes materiais por duas personalidades totalmente distintas. Os dezmandamentos, constituídos por princípios morais, foram escritos pessoalmente por Deus emduas tábuas de pedra. As demais leis – cerimoniais, civis, criminais, saúde ou extensões dasleis morais – foram escritas por Moisés, sob inspiração divina (II Timóteo 3:16; Hebreus8:5; Êxodo 20:1 etc). O decálogo encontra-se registrado no “Livro da Lei”, simplesmente porque Moiséstranscreveu para aquele livro os dez mandamentos que estavam originalmente registradosnas duas tábuas de pedra. Muitas vezes, o Novo Testamento faz referência à palavra “lei” de modo indistinto,ora empregando-a em sentido “amplo” para designar o “Livro da Lei”, ora empregando-a emsentido “restrito” para designar alguma lei em particular. Para distinguir qual lei o NovoTestamento está se referindo é necessário analisar todo seu contexto. Enquanto que os dez mandamentos é uma lei moral, a lei cerimonial, sem contrariarnenhum preceito moral do decálogo, prescreve holocausto de animais, ofertas, rituais dosantuário, festas, luas novas, circuncisão, sábados cerimoniais etc. Todas essas leis sãosombras que visam unicamente a expiação do pecado, apontando para o Cordeiro de Deus eSeu corpo dilacerado numa cruz.
  21. 21. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia 2 O DECÁLOGO “O mundo protestante moderno vê no pequeno grupo de observadores do sábado um Mardoqueu à porta. Seucaráter e conduta, exprimindo a verdadeira reverência pela lei de Deus, são uma acusação constante para os querenunciaram o temor do Senhor, calcando a pés Seu santo sábado”. Ellen Gould White (II TS,150)2.1 Introdução O decálogo é uma lei de origem divina constituída por dez mandamentos morais(Êxodo 20:3-17), fundamentado no principio do “amor a Deus” e “amor ao próximo”. Osdez mandamentos servem de norma de conduta para direcionar o comportamento individualde todo ser humano diante Deus e dos homens. Os primeiros quatro mandamentos do decálogo referem-se à nossa obrigação paracom Deus e os últimos seis referem-se à nossa obrigação pra com nossos semelhantes. Foipor essa razão que Jesus Cristo, citando passagens do Antigo Testamento (Deuteronômio6:5; Levítico 19:18), apresentou o espírito com que os dez mandamentos devem serobservados. Além disso, os mandamentos do decálogo são extensões desses dois princípiosfundamentais.Mateus 22:35-37 – “E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, ede toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. Eo segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo”. Esses dois grandes mandamentos, que regem a relação do homem para com o criadore para com o seu próximo encontram-se materializados no decálogo. Os dez mandamentos objetivam a plena santificação do homem perante Deus (João17:17), mostrando o que é pecado e condenando a prática do pecado, haja vista que o saláriodo pecado é a morte (Romanos 6:23). “O sábado do quarto mandamento foi instituído no Éden. Depois de haver Deus feitoo mundo e criado o homem sobre a Terra, fez o sábado para o homem. Após o pecado e aqueda de Adão, coisa alguma foi tirada da lei de Deus. Os princípios dos Dez Mandamentosexistiam antes da queda e eram de caráter apropriado à condição de uma santa ordem deseres. Depois da queda os princípios desses preceitos não foram mudados, mas foram dadospreceitos adicionais que viessem ao encontro do homem em seu estado decaído” (HR, 145).2.2 Os dez mandamentos
  22. 22. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia A seguir observe o conteúdo dos dez mandamentos na forma como foram escritospessoalmente pelo dedo de Deus nas duas tábuas de pedra e, posteriormente, transcritos porMoisés nos livros sagrados:Primeiro mandamento: “Não terás outros deuses diante de mim” (Êxodo 20:3).Segundo mandamento: “Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhançado que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas de baixo da terra. Nãote encurvarás a elas nem as servirás: porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, quevisito a maldade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que meaborrecem. E faço misericórdia em milhares aos que me amam e guardam os meusmandamentos” (Êxodo 20:4-6).Terceiro mandamento: “Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão: porque oSenhor não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão” (Êxodo 20:7).Quarto mandamento: “Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis diastrabalharás, e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus: nãofarás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva,nem o teu animal nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas. Porque em seisdias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou:portanto abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou” (Êxodo 20:8-11).Quinto mandamento: “Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus diasna terra que o Senhor teu Deus te dá” (Êxodo 20:12).Sexto mandamento: “Não matarás” (Êxodo 20:13).Sétimo mandamento: “Não adulterarás” (Êxodo 20:14).Oitavo mandamento: “Não furtarás” (Êxodo 20:15).Nono mandamento: “Não dirás falso testemunho contra o teu próximo” (Êxodo 20:16).Décimo mandamento: “Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher doteu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nemcousa alguma do teu próximo” (Êxodo 20:17).2.3 Princípios morais do decálogo no Pentateuco Do decálogo emanam princípios, orientações, regras de conduta e preceitos morais,os quais se encontram esparsos pelos diversos livros do Pentateuco. Observe os seguintesexemplos de preceitos morais do decálogo:Primeiro mandamento: “E em tudo o que vos tenho dito, guardai-vos: e do nome deoutros deuses nem vos lembreis, nem se ouça da vossa boca” (Êxodo 23:13).
  23. 23. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da BíbliaSegundo mandamento: “Nem levantarás estátua, a qual o Senhor teu Deus aborrece”(Deuteronômio 16:22).Terceiro mandamento: “Nem jurareis falso pelo meu nome, pois profanaríeis o nome dovosso Deus: Eu sou o Senhor” (Levítico 19:12).Quarto mandamento: “Guarda o dia de sábado, para o santificar, como te ordenou oSenhor teu Deus” (Deuteronômio 5:12).Quinto mandamento: “Maldito aquele que desprezar a seu pai ou a sua mãe: E todo opovo dirá: Amém” (Deuteronômio 27:16).Sexto mandamento: “E quem matar a alguém certamente morrerá” (Levítico 24:17).Sétimo mandamento: “Quando um homem for achado deitado com mulher casada commarido, então ambos morrerão, o homem que se deitou com a mulher, e a mulher: assimtirarás o mal de Israel” (Deuteronômio 22:22).Oitavo mandamento: “Não furtareis, nem mentireis, nem usareis de falsidade cada umcom o seu próximo” (Levítico 19:11).Nono mandamento: “Não admitirás falso rumor, e não porás a tua mão com o ímpio, paraseres testemunha falsa” (Êxodo 23:1).Décimo mandamento: “As imagens de escultura de seus deuses queimarás a fogo; a pratae o ouro que estão sobre elas não cobiçarás, nem os tomarás para ti, para que te nãoenlaces neles; pois abominação é ao Senhor teu Deus” (Deuteronômio 7:25).2.4 Princípios morais do decálogo no Antigo Testamento Os dez mandamentos não estão relacionados somente nas duas tábuas de pedra ouapenas no Pentateuco, mas encontram-se esparsos pelos demais livros do AntigoTestamento. Observe alguns exemplos:Primeiro mandamento: Êxodo 15:11; 20:3; 20:23; 22:20; 23:13; 34:14; 34:17; Levítico19:4; Deuteronômio 4:35; 4:39; 6:14; 7:25-26; 8:19-20; 11:16; 11:26-28; 12:3; 18:20; 28:14;30:17-18; 32:17; Josué 23:7; 24:15; 24:23; Juízes 2:12; 10:6; I Reis 8:60; 9:6-7; 18:21 e 39;II Reis 17:35; 17:37-38; 19:18; 22:17; I Crônicas 5:25; 16:26; II Crônicas 7:19-20; 28:25;34:25; Salmos 96:5; Isaías 37:19; 41:22-24; 44:6; 45:5; 46:9; Jeremias 1:16; 7:6-7; 7:18;11:10; 13:10; 16:11; 19:4-5; 25:6; 35:15; 44:3; 44:5; 44:15; Daniel 3:14; 17-18.Segundo mandamento: Êxodo 20:4-6; 23:24; 34:13; Levítico 26:1; Números 33:52;Deuteronômio 4:15-18; 4:23; 7:5; 7:25-26; 12:3; 16:22; 27:15; I Reis 14:9; II Reis 17:12;17:16; II Crônicas 34:7; Salmos 97:7; 115:4-7; 135:15-17; Isaías 2:8; 40:19-20; 41:29; 42:8;42:17-18; 44:9-10; 44:13; 44:14-15; 44:16-18; 45:16; 45:20; 48:5; Jeremias 10:3-5; 10:14-15; 50:38; 51:17; Ezequiel 14:3; 14:6; 20:16; Oséias 13:2; Miquéias 1:7; 5:13; Habacuque2:18-19.
  24. 24. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da BíbliaTerceiro mandamento: Êxodo 20:7; Levítico 19:12; 20:3; 22:32; 24:15; 24:16; Salmos 8:1;29:2; 72:17; 72:19; 111:9; 135:3; Malaquias 4:2.Quarto mandamento: Gênesis 2:2-3; Êxodo 20:8-11; Levítico 23:3; Deuteronômio 5:12;Neemias 9:13-14; Isaías 56:1-2; 56:6-7; 58:13-14; 66:23; Jeremias 17:22; Ezequiel 20:12;20:20.Quinto mandamento: Êxodo 20:12; 21:15; 21:17; Levítico 19:3; 20:9; Deuteronômio 5:16;21:18-19; 27:16; Provérbios 1:8; 4:1; 6:20; 10:1; 13:1; 15:5; 15:20; 17:21; 17:25; 17:6;19:13; 19:26; 20:20; 23:22; 23:24; 23:25; 28:7; 28:24; 29:3; 30:11; 30:17; Miquéias 7:6.Sexto mandamento: Êxodo 20:12-13; 21:15; 23:7; Levítico 24:17; 24:21; Números 35:6;35:11-12; 35:15-19; 35:21; 35:25-28; 35:30-31; Deuteronômio 4:42; 13:9; 19:3-4; 19:5-6;27:24-25; Josué 20:3; 20:5-6; 21:13; 21:21; 21:27-28; 21:32; Jó 24:14; Oséias 4:2.Sétimo mandamento: Gênesis 38:24; Êxodo 20:14; Levítico 18:20; 18:22-23; 20:10;Deuteronômio 22:22; Provérbios 6:25-26; 6:28-29; 6:32; 7:10; 23:27; 29:3; 30:20; Jeremias13:27; 23:14; 29:23; Oséias 4:2; 4:13-14.Oitavo mandamento: Êxodo 20:15; 22:7; Levítico 19:11; Deuteronômio 24:7; Provérbios6:30; 29:24; Oséias 4:2.Nono mandamento: Êxodo 20:16; 23:1; Levítico 5:1; 6:5-7; 19:12; Números 35:30;Deuteronômio 17:6-7; 19:15-18; Jó 27:4; Salmos 4:2; 5:6; 31:18; 52:3; 58:3; 101:7; 141:3;119:104; Isaías 28:17; 30:9; Jeremias 9:3; 9:5; Provérbios 6:16-19; 12:5; 12:17; 12:19-20;12:22; 13:5; 14:5; 14:8; 19:5; 19:9; 20:17; 21:6; 21:28; 23:23; 24:28; 25:18; 26:19; 26:24;Oséias 10:13; 11:12; Amós 2:4; Miquéias 6:12; Naum 3:1; Sofonias 3:13; Zacarias 8:16-17;Malaquias 3:5.Décimo mandamento: Êxodo 20:17; Provérbios 1:19; 6:23-25; 15:27; 23:1-3; 23:6;Eclesiastes 6:7; Miquéias 2:1-2.2.5 Princípios morais do decálogo no Novo Testamento O Novo Testamento cita mais de 150 (cento e cinqüenta) vezes todos osmandamentos do decálogo, como norma de conduta para os cristãos. Inclusive torna arepetir o mandamento do sábado em mais de 60 (sessenta) passagens bíblicas. Ignorar essasverdades cristalinas e a validade da santa lei de Deus é assinar atestado ignorância. Seria amesma coisa que querer tapar o Sol com a peneira. Observe alguns versículos bíblicos que foram registrados no Novo Testamento sobreo dever do cristão observar todos os mandamentos do decálogo:Primeiro mandamento: Mateus 4:10; 6:24; 22:37; Marcos 12:30 e 32; Lucas 4:8; 10:27;16:13; João 4:24; Atos dos Apóstolos 14:15; Romanos 1:21; 3:30; 16:27; I Coríntios 8:4 e 6;Gálatas 3:20; Efésios 4:5-6; I Timóteo 2:5; Hebreus 3:12; Tiago 2:19; I Pedro 2:17.
  25. 25. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da BíbliaSegundo mandamento: João 4:24; Atos dos Apóstolos 17:16 e 29; Romanos 1:23-25; 2:22-23; I Coríntios 5:9-11; 10:7 e 14; 10:19-20; 12:2; II Coríntios 3:17; 6:10 e 16; Gálatas 5:19-21; Efésios 5:5; Colossenses 3:5-6; I Tessalonicenses 1:9; I Pedro 4:2-4; I João 5:21;Apocalipse 16:14; 22:15; 21:8.Terceiro mandamento: Mateus 6:9; 12:31; 15:19; Marcos 2:7; 3:28; 7:21-22; Lucas 11:2;João 10:36; Romanos 2:23-24; I Timóteo 6:1; Apocalipse 13:6; 16:9, 11 e 21.Quarto mandamento: Mateus 12:10-12; 24:20; Marcos 1:21; 2:27-28; 6:2; Lucas 4:16 e31; 13:10; 23:54-56; Atos dos Apóstolos 13:14-15; 13:42 e 44; 16:13; 17:2; 18:4 e 11.Quinto mandamento: Mateus 15:3-4; 19:19; Marcos 7:10; 10:19; Lucas 18:20; Efésios 6:1-3; Colossenses 3:20.Sexto mandamento: Mateus 5:21-22; 15:19; 19:18; Marcos 7:21; 10:19; Lucas 18:20; João8:44; Romanos 13:9; Gálatas 5:21; Efésios 4:26-27; Tiago 2:11; I João 3:15; Apocalipse21:8; 22:14-15.Sétimo mandamento: Mateus 5:27-28 e 32; 15:19; 19:9 e 18; Marcos 7:21; 10:11-12 e 19;Lucas 16:18; 18:20; Romanos 2:22; 7:3; 13:9; I Coríntios 6:10; Efésios 5:3; Hebreus 13:4;Tiago 2:11; 4:4; II Pedro 2:14.Oitavo mandamento: Mateus 15:19; 19:18; Marcos 7:21-22; 10:19; Lucas 18:20; João14:15; 15:14; Romanos 2:21; 13:9; I Coríntios 5:11; 6:10; Efésios 4:28; I Timóteo 6:10-11; IPedro 4:15.Nono mandamento: Mateus 5:37; 15:19; 19:18; Marcos 10:19; Lucas 18:20; Romanos13:9; Efésios 4:25; Colossenses 3:9; I Timóteo 1:9-10; Tiago 3:14; Apocalipse 21:27; 22:15;21:8.Décimo mandamento: Mateus 5:28; Atos dos Apóstolos 20:33; Romanos 6:12; 7:7; 13:9; ITimóteo 3:3; 6:10; Tito 1:7; Hebreus 13:5; Tiago 4:2-3; I Pedro 1:14; I João 2:16; Judas 17-19. E nessa esteira seguem-se muitos outros preceitos morais, que são extensõespróximas ou remotas do decálogo e, encontram-se esparsos no Antigo e no NovoTestamento. É claro que, por emanarem do decálogo, são preceitos morais e nãocerimoniais. Boa parte das leis civis, criminais e cerimoniais registradas nas Escrituras Sagradas,gira em torno da lei moral gravada nas duas tábuas de pedra pelo dedo de Deus. Muito embora as “ramificações” morais do decálogo não estejam escritas em tábuasde pedra, elas são claramente morais porque seus princípios encontram-se ressonância erespaldo no decálogo. É claro que os dez mandamentos não são preceitos cerimoniais, simplesmente porquenão emanam de nenhuma lei ou princípio relacionados com o ritual de expiação de pecadospelo holocausto (sacrifício) de animais, que eram realizados no santuário terrestre, sob asupervisão do ministério sacerdotal levítico.
  26. 26. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia2.6 O sábado no Novo Testamento Etimologicamente a palavra “sábado” significa descanso, repouso. Trata-se do últimodia da semana, também identificado como sendo sétimo dia da semana, o qual é dedicado aodescanso do trabalho secular e ao culto religioso. A interpretação de que o sábado foi abolido porque não teria sido mencionado noNovo Testamento está baseada numa inverdade descarada porque não condiz com os fatosobservados. Essa falsa interpretação não possui qualquer embasamento bíblico, a não ser ofundamento da mentira e do engano. Alegar e não provar é a mesma coisa que nada dizer! Contrariando essa falsa interpretação, defendida pelos antagonistas do sábado,podemos provar – pelos versículos bíblicos a seguir relacionados – que a santificação dosábado é largamente ensinada no Novo Testamento. Um levantamento estatístico permite constatar que, somente no Novo Testamento, osábado é mencionado sessenta vezes por diversos escritores bíblicos. Observe:Quarto mandamento: Mateus 12:1; 12:2; 12:5 (§ 1º); 12:5 (§ 2º); 12:8; 12:10; 12:11;12:12; 24:20; 28:01; Marcos 1:21; 2:23; 2:24; 2:27 (§ 1º); 2:27 (§ 2º); 2:28; 3:02; 3:04; 6:02;15:42; 16:01; Lucas 4:16; 4:31; 6:01; 6:02; 6:05; 6:06; 6:07; 6:09; 13:10; 13:14 (§ 1º); 13:14(§ 2º); 13:15; 13:16; 14:01; 14:03; 14:05; 23:54; 23:56; João 5:09; 5:10; 5:16; 5:18; 7:22;7:23 (§ 1º); 7:23 (§ 2º); 9:14; 9:16; 19:31 (§ 1º); 19:31 (§ 2º); 19:42; Atos dos Apóstolos1:12; 13:14; 13:27; 13:42; 13:44; 15:21; 16:13; 17:02; 18:04. Uma análise mais minuciosa permite verificar que, além das 60 (sessenta) vezes queo sábado do sétimo dia da semana aparece no Novo Testamento, ele é ainda mencionado emHebreus 4:4 como “dia sétimo” e “sétimo dia” e também citado em Apocalipse 1:10, como“dia do Senhor”. Portanto, na realidade, o sábado é lembrado no Novo Testamento em 63(sessenta e três) passagens bíblicas. A insistência dos santos escritores bíblicos em repetir o mandamento do sábadocontraria frontalmente a falsa alegação dos adversários dos sábado de que o NovoTestamento não menciona em nenhum lugar o sábado bíblico. Ora, se os adversários do sábado, visando defender suas teorias furadas, apelam deforma descarada para uma crassa mentira, o que se dirá das aberrações que inventam aoanalisarem alguns versículos bíblicos de difícil interpretação? Essas mentiras, inspiradaspelo “pai da mentira” (João 8:44), lhes tiram toda a autoridade de “doutrinadores” bíblicos.Quem poderá confiar no que tais pessoas ensinam? Se mentiram com algo que é tão simplesde constatar nas Escrituras Sagradas, então com certeza estão mentido com relação aosdemais ensinos que apresentam.2.7 Considerações finais É claro que o Novo Testamento não repete “ipsis litteris” – com as mesmas palavras– todos os mandamentos do decálogo, onde se encontra a guarda do dia do sábado. Porexemplo, não repete “ipsis litteris” o primeiro mandamento, que afirma: “Não terás outrosdeuses diante de mim” (Êxodo 20:3). Não repete “ipsis litteris” o segundo mandamento, quediz: “Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima noscéus, nem em baixo na terra, nem nas águas de baixo da terra” (Êxodo 20:4). Não repete
  27. 27. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia“ipsis litteris” o terceiro mandamento, que ensina: “Não tomarás o nome do Senhor teu Deusem vão: porque o Senhor não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão” (Êxodo20:7). Também não repete “ipsis litteris” a lei do dízimo. Mas, nem por isso pressupomos aabolição de tais mandamentos. Então por que pressupor a abolição do sábado? “O Novo Testamento não dá novamente a lei do dízimo, como também não dá a dosábado; pois pressupõe a validade de ambos, e explica sua profunda importância espiritual”(CSM, 66). A verdade é que, após a morte de Cristo, o Novo Testamento repete por preceito eexemplo todos os mandamentos do decálogo, inclusive a lei do dízimo. Muitas vezes repete-os de forma incidental, considerando-os como mandamentos válidos e em vigor,consagrados pelo uso e costume. Tais ocorrências implicam em sua validez para todos oscristãos. E claro que os santos do Altíssimo devem seguir estritamente o que está registradonas páginas da Bíblia Sagrada. Todavia, quem quiser seguir os ensinos dos falsos mestrescom suas teorias mirabolantes, que fique à vontade, mas lembre-se que é por sua própriaconta e risco. “Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras e as pratica, assemelha-lo-ei aohomem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha. E desceu a chuva, e correram rios, eassopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre arocha” (Mateus 7:24-25). “E aquele que ouve estas minhas palavras, e as não cumpre, compara-lo-ei ao homeminsensato, que edificou a sua casa sobre a areia. E desceu a chuva, e correram rios, eassopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda” (Mateus7:26-27).
  28. 28. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia 3 O SÁBADO E OS JUDEUS “Este tempo, em que se faz tanto esforço para impor a observância do domingo, é a verdadeira oportunidadepara apresentar ao mundo o autêntico sábado em contraste com o falso”. Ellen Gould White (II MR, 197)3.1 Introdução Alguns tomando por base algumas interpretações questionáveis e tendenciosassupõem e advogam a antibíblica e absurda hipótese de que os estrangeiros (gentios) nãotinham nenhuma obrigação de guardar o santo sábado, simplesmente porque, segundo essesfalsos “doutores”, o mandamento do sábado faz referência aos “filhos de Israel”. Observe otexto bíblico empregado por esses falsos mestres para defender o seu argumento ardiloso:Êxodo 31:16-17 – “Guardarão pois o sábado os filhos de Israel, celebrando o sábado nassuas gerações por concerto perpétuo. Entre mim e os filhos de Israel será um sinal parasempre: porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, e ao sétimo dia descansou, erestaurou-se”. A falsa interpretação de que o sábado é um mandamento feito para o povo israelita ea ninguém mais, contraria frontalmente os ensinos da Bíblia Sagrada. As Escrituras afirmam explicitamente e de forma categórica que a lei era a mesma,tanto para os israelitas como para os gentios. Observe o que diz a Bíblia: “uma mesma lei eum mesmo direito haverá para vós e para o estrangeiro que peregrina convosco” (Números15:16). A Bíblia Sagrada também é muito clara e riquíssima em ensinar que os filhos dosestrangeiros (gentios) que desejassem servir a Deus e se convertessem, também deveriamguardar o dia do sábado (Isaías 56:6). Além disso, o próprio mandamento da lei, queestabelece a santificação do sábado, também faz explicita referência aos gentios, quedeveriam cessar todas as suas atividades seculares nesse santo dia (Êxodo 20:10-11). Por não levarem em consideração todo o contexto bíblico, cabe aos antagonistas dosábado a censura lançada por Jesus Cristo: “Condutores cegos! que coais um mosquito eengolis um camelo” (Mateus 23:24). Esses condutores cegos coam um mosquito (considerando apenas alguns versículobíblico isolado do seu contexto geral), e depois se alvoroçam como intérpretes das EscriturasSagradas, dando a “explicação” que bem entendem, conforme o que bem lhes convém.Todavia, engolem um enorme camelo de versículos bíblicos que contradizem frontalmenteas suas teorias e interpretações ridículas e simplórias.
  29. 29. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia O erro desses condutores reside no fato de que a Bíblia Sagrada não afirma emnenhuma passagem que o sábado foi dado com exclusividade aos filhos de Israel. Também éverdade que o Livro Sagrado não ensina em nenhum lugar que os gentios estavamdispensados ou mesmo excluídos da obrigação de observar o santo sábado. Que o sábado não era uma instituição feita exclusivamente para os “filhos de Israel”é fato consumado! A própria Bíblia Sagrada esclarece no “Novo Testamento” que os gentiosconvertidos à Palavra de Deus, também guardavam o sábado. Observe o testemunhoirrefutável do texto sagrado:Atos dos Apóstolos 13:42 – “E, saídos os judeus da sinagoga, os gentios rogaram que nosábado seguinte lhes fossem ditas as mesmas coisas”.3.2 Novo Concerto somente para Judeus Supondo que, se fosse verdadeira a ridícula suposição de que o sábado não deveriaser guardado pelos gentios simplesmente porque está escrito que os “filhos de Israel”deveriam guardar o sábado; então podemos afirmar que os gentios nada têm com o “NovoConcerto”, porque igualmente está escrito que o Novo Concerto seria feito com a “casa deIsrael”. Observe o que diz o texto do Novo Testamento:Hebreus 8:8 – “Porque, repreendendo-os, lhes diz: Eis que virão dias, diz o Senhor, em quecom a casa de Israel e com a casa de Judá estabelecerei um novo concerto”.Hebreus 8:10 – “Porque este é o concerto que depois daqueles dias farei com a casa deIsrael, diz o Senhor; porei as minhas leis no seu entendimento, e em seu coração asescreverei: e eu lhes serei por Deus, e eles me serão por povo”. Observe também o que diz o texto do Antigo Testamento a respeito do NovoConcerto:Jeremias 31:31 – “Eis que dias vêm, diz o Senhor, em que farei um concerto novo com acasa de Israel e com a casa de Judá”. Todos esses versículos são claros, claríssimos em afirmar que o Novo Concerto seriaestabelecido com a “casa de Israel”. Portanto, supondo que o gentio não tem a obrigação deguardar o sábado simplesmente porque está escrito “guardarão pois o sábado os filhos deIsrael”, então – aferindo com a mesma medida – podemos concluir que os gentios nada têmcom o Novo Concerto, porque igualmente, está escrito: “que com a casa de Israel e com acasa de Judá estabelecerei um novo concerto”. Não obstante estar escrito que o novo concerto seria feito com a “casa de Israel ecom a casa de Judá”, ele é válido tanto para judeus como para gentios. Do mesmíssimomodo, apesar de estar escrito que o sábado deveria ser guardado pelos “filhos de Israel”, eleé válido tanto para judeus como para gentios. Bom senso, coerência e a ciência dehermenêutica exigem que o mesmo peso e a mesma medida sejam aplicados para ambos oscasos.
  30. 30. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia3.3 Deus somente para Israel Supondo que fosse verdadeira a obtusa hipótese de que o sábado foi estabelecidosomente para os israelitas e ninguém mais, simplesmente porque foi ordenado aos “filhos deIsrael” observar o sábado; então, empregando o mesmo peso e a mesma medida, podemosconcluir que os crentes gentios nada têm com Deus, pois as Escrituras Sagradas registramem 199 (cento, noventa e nove) passagens que o Senhor é o “Deus de Israel”. Note o quedizem algumas dessas passagens bíblicas:Jeremias 7:21 – “Assim diz o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel: Ajuntai os vossosholocaustos aos vossos sacrifícios, e comei carne”.Jeremias 11:3 – “Dize-lhes pois: Assim diz o Senhor, o Deus de Israel: Maldito o homemque não escutar as palavras deste concerto”.Jeremias 30:2 – “Assim fala o Senhor, Deus de Israel, dizendo: Escreve num livro todas aspalavras que te tenho dito”. Admitindo que o sábado pertence aos israelitas e que os gentios nada têm com osábado porque está escrito: “filhos de Israel”; então também podemos assegurar que oSenhor é o Deus dos israelitas e que os gentios nada têm com Ele, porque igualmente estáescrito: “Deus de Israel”. Se o Senhor é o Deus de Israel, então não é de ninguém mais!3.4 Deus também dos gentios É de fundamental importância asseverar que as Sagradas Escrituras jamais doutrinamque Deus ou o sábado são exclusividade dos filhos de Israel. Do mesmo modo, elas tambémnão ensinam que os gentios estão excluídos ou dispensados da observância do sábado ou deprestar adoração ao Deus de Israel. Observe o que a própria Bíblia Sagrada diz a respeito doassunto em análise:Jeremias 32:27 – “Eis que eu sou o Senhor, o Deus de toda a carne: seria qualquer cousamaravilhosa para mim?”. Agora, note o que o apóstolo Paulo afirma de forma cristalina e explicita:Romanos 3:29 – “É porventura Deus somente dos judeus? E não o é também dos gentios?Também dos gentios, certamente”. O mesmo argumento também se aplica ao sábado. As Escrituras Sagradas deixambem claro que o sábado não era para ser observado somente pelos filhos de Israel, mastambém deveria ser praticado pelos gentios. Observe o que diz a Bíblia Sagrada:Isaías 56:6-7 – “E aos filhos dos estrangeiros, que se chegarem ao Senhor, para oservirem, e para amarem o nome do Senhor, sendo deste modo servos seus, todos os queguardarem o sábado, não o profanando, e os que abraçarem o meu concerto. Também oslevarei ao meu santo monte, e os festejarei na minha casa de oração; os seus holocaustos e
  31. 31. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíbliaos seus sacrifícios serão aceitos no meu altar, porque a minha casa será chamada casa deoração para todos os povos”.. Estariam as Escrituras Sagradas em contradição? É claro que não. O que está emcontradição são as interpretações equivocadas dos falsos “mestres”, que são inimigosdeclarados da lei de Deus e do sábado. “Querendo ser doutores da lei, e não entendendo nemo que dizem nem o que afirmam” (I Timóteo 1:7).3.5 Dízimos exclusivamente para os Levitas Supondo que o sábado era para ser observado somente pelo povo israelita e ninguémmais, simplesmente porque foi ordenado aos “filhos de Israel” a guardar o sábado; então,com a mesma regra e propriedade desse argumento, podemos afirmar que os cristãos gentiosnada têm com o dízimo porque ele foi dado aos levitas e a ninguém mais.Números 18:21 – “E eis que aos filhos de Levi tenho dado todos os dízimos em Israel porherança, pelo seu ministério que exerce, o ministério da tenda da congregação”.Hebreus 7:5 – “E os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm ordem,segundo a lei, de tomar o dízimo do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que tenham saídodos lombos de Abraão”. Portanto, aqueles que desprezam o mandamento do sábado simplesmente porque estáescrito que os “filhos de Israel” deveriam guardar o sábado, então também deveriamdesprezar o mandamento do dízimo, porque igualmente está escrito que aos “filhos de Levi”o Senhor têm dado todos os dízimos. Até onde se sabe, nenhum gentio é filho de Levi! Ao intérprete não cabe oscilar entre dois pesos ou duas medidas de acordo com assuas próprias conveniências ou interesses particulares. Na verdade as Escrituras Sagradascondenam tal atitude: “Duas espécies de peso, e duas espécies de medida, são abominaçãopara o Senhor, tanto uma cousa como outra” (Provérbios 20:10). A Hermenêutica Bíblica é uma ciência que possui caráter universal, suas regraslógicas e adequadas às Escrituras Sagradas existem para ser seguida por todos os interpretes.Todavia os antagonistas do sábado parecem ter criar uma falsa hermenêutica para servir aosseus próprios interesses escusos.3.6 Conseqüências do argumento ardiloso Com as armas do falso argumento de que os gentios estão desobrigados de guardar osanto sábado porque ele é judaico, podemos concluir que: 1) a idolatria é judaica e nada temcom os gentios; 2) blasfemar de Deus é judaico e nada tem com os gentios; 3) a Bíblia éjudaica e nada tem com os gentios; 4) o Novo Testamento é judaico e nada tem com osgentios; 5) o cristianismo é judaico e nada tem com os gentios. Com base no mesmo raciocínio, podemos afirmar ainda mais: que nada temos comJesus Cristo, pois Ele era inteiramente judeu. Fazia parte do povo judeu, adorava o “Deus deIsrael”, observava e interpretava a lei judaica, orientou seus seguidores a observarem a leijudaica, guardava o sábado dos “filhos de Israel” e chamou judeus para discípulos,
  32. 32. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíbliaidentificou-se como o Messias judeu e morreu pelo povo judeu. Portanto, como gentios,nada temos com Jesus. Notaram as conseqüências absurdas da enganosa suposição de que o sábado é umainstituição feita somente para os judeus? Em última análise, tudo é judeu, desde a primeiraletra da Bíblia Sagrada até a última. Sua literatura, filosofia, valores morais e espirituais sãotodos de origem judaica. A atitude negativa contra os valores do povo judeu, por parte dealguns cristãos, parece expressar um sentimento anti-semita, o que é vergonhoso econdenável, ainda mais vindo de pessoas que se passam por cristãs, que é uma religião deorigem judaica. Portanto, podemos concluir que, de forma alguma poderá prevalecer o argumentoardiloso e desonesto de que o sábado foi criado exclusivamente para o povo judeu e que osgentios estavam totalmente excluídos da guarda do sábado. Tal argumento leva aconseqüências desatinadas que contradizem totalmente os mais claros e elementares ensinosdas Escrituras Sagradas. Além disso, a própria Bíblia Sagrada, em várias referênciasbastante explicitas, demonstra claramente o dever de todos os gentios em guardar o dia dosábado. Agora, se você é uma dessas pessoas que são sinceras e honestas às verdadesbíblicas, mas que está envolvido numa Igreja ou religião que prega a mentira de que osábado era coisa de judeu e que deveria ser guardado somente pelos judeus, então o Senhornosso Deus tem uma mensagem especial para você: “Sai dela, povo meu, para que não sejasparticipante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas” (Apocalipse 18:4).3.7 Os gentios são ordenados a guardar o sábado Admitindo a absurda hipótese de que o sábado deveria ser guardado somente pelosjudeus, então por que a Bíblia Sagrada determina firmemente que todos os gentios dentro doterritório israelita deveriam guardar o sábado? Observe o que está registrado nas páginas dasEscrituras Sagradas:Êxodo 20:10 – “Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus: não farás nenhumaobra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teuanimal nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas”.Êxodo 23:12 – “Seis dias farás os teus negócios, mas ao sétimo dia descansarás: para quedescanse o teu boi, e o teu jumento; e para que tome alento o filho da tua escrava, e oestrangeiro”. Supondo que o sábado deveria ser observado somente pelos “filhos de Israel”, entãopor que as Escrituras Sagradas orientam os gentios convertidos à verdade a obrigação deguardar o sábado? Observe o que a Bíblia Sagrada tem a dizer sobre o assunto:Isaías 56:2-3 – “Bem-aventurado o homem que fizer isto, e o filho do homem que lançarmão disto; que se guarda de profanar o sábado, e guarda a sua mão de perpetrar algummal. E não fale o filho do estrangeiro, que se houver chegado ao Senhor, dizendo: De todome apartará o Senhor do seu povo: nem tão pouco diga o eunuco: Eis que eu sou umaárvore seca”.
  33. 33. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da BíbliaIsaías 56:6-7 – “E aos filhos dos estrangeiros, que se chegarem ao Senhor, para oservirem, e para amarem o nome do Senhor, sendo deste modo servos seus, todos os queguardarem o sábado, não o profanando, e os que abraçarem o meu concerto. Também oslevarei ao meu santo monte, e os festejarei na minha casa de oração; os seus holocaustos eos seus sacrifícios serão aceitos no meu altar, porque a minha casa será chamada casa deoração para todos os povos”.Atos 13:42 e 44 – “E, saídos os judeus da sinagoga, os gentios rogaram que no sábadoseguinte lhes fossem ditas as mesmas coisas. E no sábado seguinte ajuntou-se quase toda acidade a ouvir a palavra de Deus”. Diante do exposto ficou demonstrado que as Escrituras Sagradas ensinam claramenteque os judeus deveriam guardar o sábado tanto quanto os gentios convertidos à verdade, ouquanto os gentios não convertidos, mas que estivessem dentro do território israelita.3.8 Exclusividade e exclusão Realmente, o Senhor ordenou aos “filhos de Israel” a observância do sábado,asseverou que o Novo Concerto seria estabelecido com a “casa de Israel” e também foimuito explicito em dizer que Ele era o “Deus de Israel”. Ocorre que, em nenhum momento o Senhor declarou que Ele era exclusivamente o“Deus de Israel”, nem afirmou que o Novo Concerto seria estabelecido exclusivamente coma “casa de Israel” e muito menos disse que o sábado foi dado com exclusividade aos “filhosde Israel”. No que pese estar escrito que Deus é o “Deus de Israel”, as Escrituras Sagradastambém ensinam que Deus é também o Deus dos gentios: “É porventura Deus somente dosjudeus? E não o é também dos gentios? Também dos gentios, certamente” (Romanos 3:29). No que pese estar escrito que os “filhos de Israel” deveriam guardar o sábado,também está escrito que os “filhos dos estrangeiros” que “guardarem o sábado”. Na verdade, o Senhor nem de longe insinuou que os gentios estavam excluídos dagraça do Novo Concerto ou que eles estariam excluídos da observância do sábado, ou aindaque o Senhor não era o Seu Deus.3.9 Considerações finais Por que razão a Bíblia Sagrada fala que os “filhos de Israel” deveriam guardar osábado? Por que as Escrituras Sagradas dizem que o Senhor é o “Deus de Israel”? Por que oSenhor diz que o Novo Concerto é com a “casa de Israel”? A resposta é muito simples! Antes da cruz, a nação israelita constituía a verdadeiraIgreja de Deus. Era a essa Igreja que Deus se reportava através dos santos profetas. Ela era aguardiã dos “oráculos divinos” (Romanos 3:2). Em meio a um mundo pagão, essa Igrejadeveria ser a luz do mundo gentio (I Crônicas 16:23-24; Salmos 73:28), mas ela fracassouvergonhosamente em sua sagrada missão. Finalmente, quando a Igreja judaica rejeitou o Messias, ela estava rejeitando a Luzdo mundo (João 8:12) e se tornou uma Igreja caída. Desse modo, os oráculos de Deuspassaram aos cuidados da Igreja fundada por Jesus Cristo.
  34. 34. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia 4 A ORIGEM DO SÁBADO “O sábado será a pedra de toque da lealdade, pois é o ponto da verdade especialmente controvertido. Quandosobrevier aos homens a prova final, traçar-se-á a linha divisória entre os que servem a Deus e os que não O servem”. Ellen Gould White (GC, 604)4.1 Introdução Sábado não foi criado para ser observado como dia sagrado somente pelos “filhos deIsrael”! Tal afirmação está fundamentada no fato de que Deus consagrou o sétimo dia dasemana na fundação do mundo, antes mesmo da existência de qualquer judeu sobre a face daTerra. Observe o que diz o texto sagrado:Gênesis 2:1-3 – “Assim os céus, e a terra e todo o seu exército foram acabados. E havendoDeus acabado no dia sétimo a sua obra, que tinha feito, descansou no sétimo dia de toda asua obra, que tinha feito. E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque neledescansou de toda a sua obra, que Deus criara e fizera”. “Semelhante ao sábado, a semana originou-se na criação, e foi preservada e trazidaaté nós através da história bíblica. O próprio Deus mediu a primeira semana como ummodelo para as semanas sucessivas até o final do tempo. Como todas as outras, consistiu desete dias literais. Seis dias foram empregados na obra da criação; no sétimo dia Deusrepousou, e então o abençoou e o separou como dia de descanso para o homem” (PP, 111). Como Deus santificou o sétimo dia da semana na criação do mundo, então fica bemclaro para quem o sábado foi destinado: para todos os homens. Não foi em vão que Jesusdisse: “O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado”(Marcos 2:27). Do versículo mencionado em Gênesis, deduz-se que a santificação do sétimo dia dasemana deveria ser uma benção para todos os homens, e não somente para algum povo emparticular. Além disso, podemos constatar que o sábado não é uma lei cerimonial, pois foiestabelecido por Deus antes mesmo da entrada do pecado no mundo. Portanto, tal dia nãopossui a função de expiar o pecado de ninguém.4.2 O sábado do judeu “Nada há no sábado que o restrinja a qualquer grupo de pessoas. Foi dado para ahumanidade”. (TM, 136).
  35. 35. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia Aqueles que insistem em depreciar o sábado do sétimo dia da semana chamando-o de“sábado do judeu”, para dar-lhe um sentido torpe, estão manifestando um condenávelsentimento anti-semita. Ademais, a expressão “sábado do judeu” não consta nas Escrituras Sagradas. Talexpressão é totalmente contrária aos ensinos da Bíblia Sagrada, haja vista que o sábadonunca foi chamado em nenhum lugar das Escrituras de “sábado do judeu”. Na verdade, o sábado sempre foi chamado de “sábado do Senhor” (Êxodo 16:23;16:25; 20:10; Levítico 23:3 e Deuteronômio 5:14), originando daí o título “dia do Senhor”(Isaías 58:13; Apocalipse 1:10) aplicado ao sábado bíblico. Ademais, quando Jesus Cristo afirmou que “o Filho do homem até do sábado éSenhor” (Marcos 2:28), Ele deixou bem claro que o sábado não é propriedade do povo judeuou de qualquer ser humano. Portanto, manifesta crassa ignorância das Escrituras Sagradas ou então má fé, todoaquele que designa o sétimo dia da semana como “sábado do judeu” ou por outrasexpressões semelhantes que não existem nas Escrituras Sagradas.4.3 A santidade do sábado “Deus fez o mundo em seis dias literais, e no sétimo dia literal descansou de toda aSua obra que fizera, e restaurou-Se. Assim deu ao homem seis dias em que trabalhar. Massantificou o dia de Seu descanso, e deu-o ao homem para ser observado, livre de todo otrabalho secular. Ao separar assim o sábado, deu Deus ao mundo um memorial. Não separouEle um de qualquer dia em sete, mas um dia especial, o sétimo dia. E ao observar o sábado,mostramos que reconhecemos a Deus como Deus vivo, o Criador do Céu e da Terra”. (TM,136). A ordem divina para o descanso sabático foi estabelecida por Deus na criação domundo e foi expressa nas seguintes palavras: “E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou;porque nele descansou de toda a sua obra, que Deus criara e fizera” (Gênesis 2:3). Portanto,está claro que os santos homens de Deus guardaram o sábado desde o princípio do mundo. Entretanto, algumas pessoas contaminadas pelas “filosofias e vãs sutilezas, segundoa tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo”(Colossenses 2:8) aventuram-se gratuitamente a defenderem uma espúria teoria de que nãoexiste nenhuma passagem bíblica em Gênesis ordenando aos homens a guardarem o sétimodia da semana. Como não? A palavra “santo” na língua hebraica é qadosh e em grego é hagio quesignificam “ser separado”. Compreendendo-se disso que o sétimo dia da semana foiseparado por Deus, na criação do mundo, para ser observado com um propósito sagrado. No próprio ato do Senhor tornar “santo” o sétimo dia da semana, está implícito ocomando para o homem consagrar esse dia ao Senhor. Caso contrário, a palavra “santificar”não teria nenhum sentido, se não houvesse ninguém para observar o sétimo dia da semana.Destarte, torna-se evidente que Adão e Eva foram os primeiros seres humanos a observaremo sábado no sétimo dia da semana. Deus os havia criado no sexto dia e no sétimo dia dasemana passaram a entreter uma comunhão mais plena e íntima com o Seu Criador. Portanto, aos homens foi ordenado a guarda do sábado desde o princípio da criaçãodo mundo. Mesmo porque, como mostram as Escrituras Sagradas, o sábado não foi feitoexclusivamente para o judeu. Mas foi feito para todos os filhos de Deus, em todas as épocas,quer sejam judeus ou gentios. Essa foi uma das grandes verdades que Jesus ensinou quando
  36. 36. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíbliaafirmou: “O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado”(Marcos 2:27). “O sábado do quarto mandamento foi instituído no Éden. Depois de haver Deus feitoo mundo e criado o homem sobre a Terra, fez o sábado para o homem. Após o pecado e aqueda de Adão, coisa alguma foi tirada da lei de Deus. Os princípios dos Dez Mandamentosexistiam antes da queda e eram de caráter apropriado à condição de uma santa ordem deseres. Depois da queda os princípios desses preceitos não foram mudados, mas foram dadospreceitos adicionais que viessem ao encontro do homem em seu estado decaído” (HR, 145).4.4 A suposta falta de mandamento É intrigante observar indivíduos defendendo a falácia de que não existe mandamentobíblico ordenando a guarda do sábado desde a criação do mundo até Moisés. Tais pessoas parecem que se esqueceram de duas coisas: Primeira, que o sétimo diada semana foi consagrado pelo Senhor na criação do mundo. De nada adiantaria o Senhorsantificar o sétimo dia semana se ninguém tivesse a obrigação de observá-lo (Gênesis 2:2-3).Segunda, supondo que não existe mandamento para observar o sábado, então muito menosexiste qualquer referência aos demais mandamentos do decálogo, proibindo politeísmo,idolatria, blasfêmia contra o nome de Deus, desonra aos pais, homicídio, adultério, furto,falso testemunho, cobiça etc. Ora, se os homens não tinham a obrigação de guardar o sábado porque“supostamente” não havia qualquer mandamento entre Adão e Moisés ordenandoexplicitamente a guarda do sétimo dia da semana, então temos que admitir a ridícula eabsurda hipótese de que todos os filhos de Deus, desde Adão até Moisés não tinham aobrigação de guardar nenhum dos dez mandamentos. Portanto, os homens santos de Deus poderiam ser politeístas, idólatras, desobedientesa pais, assassinos, adúlteros, ladrões, mentirosos cobiçadores etc. Tudo isso, simplesmente,porque não encontramos em nenhum lugar do livro de Gênesis onde se encontra registradoque os homens não poderiam praticar tais atos.4.5 A transgressão da lei É claro que Adão, Sete, Enoque, Noé, Abraão, Moisés e tantos outros heróis da fé,jamais realizaram tais práticas pecaminosas, simplesmente porque o decálogo estava emvigor desde a fundação do mundo. Pelo menos é isso que o apóstolo Paulo ensina. Observe oque diz o doutor dos gentios:Romanos 4:15 – “Porque a lei opera a ira. Porque onde não há lei também não hátransgressão”. O apóstolo Paulo afirma categoricamente que “onde não há lei também não hátransgressão”. Todavia, a Bíblia Sagrada registra a ocorrência de várias espécies detransgressões entre Adão e Moisés. Tal fato nos permite concluir que a lei estava em vigordesde a fundação do mundo, porque se não houvesse lei vigorando entre Adão e Moisés,também não haveria qualquer espécie de transgressão nesse período.
  37. 37. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia Supondo que não houvesse lei entre Adão e Moisés, então o que foi Sete, Enoque,Noé, Abraão e tantos outros santos homens de Deus obedeceram? É lógico que elesagradaram ao Senhor porque obedeceram à lei de Deus, a qual está em vigor desde afundação do mundo “porque onde não há lei também não há transgressão”. No livro do Gênesis encontramos o caso de Tamar que foi acusada de ter cometidoadultério. Observe o que diz o texto bíblico:Gênesis 38:24 – “E aconteceu que, quase três meses depois, deram aviso a Judá, dizendo:Tamar, tua nora, adulterou, e eis que está pejada do adultério. Então disse Judá: Tirai-afora para que seja queimada”. O adultério é um dos mandamentos prescrito no decálogo (Êxodo 20:14) punido coma morte (Levítico 20:10; Deuteronômio 22:22). Portanto, constatamos que a lei de Deusestava em vigor “porque onde não há lei também não há transgressão”. Também podemos verificar no livro do Gênesis que, aproximadamente, quinhentosanos antes do decálogo, Deus afirmou que “Abraão obedeceu à minha voz, e guardou o meumandado, os meus preceitos, os meus estatutos, e as minhas leis” (Gênesis 26:5). Mais uma vez fica claro que a lei de Deus estava vigorando bem antes do decálogoter sido escrito por Deus em duas tábuas de pedra, tanto é verdade que as EscriturasSagradas registram que Abraão obedeceu à voz do Senhor guardando “mandado”,“preceitos”, “estatutos” e as “leis” de Deus.4.6 A lei e o pecado Agora, observe o que o apóstolo Paulo ensina sobre a relação existente entre a lei e opecado:Romanos 5:13 – “Porque até à lei estava o pecado no mundo, mas o pecado não éimputado, não havendo lei”. As Escrituras Sagradas ensinam claramente que entre Adão e Moisés o mundofervilhava de pecado. Tanto é verdade que o homicida Caim, os seus descendentes, osantediluvianos, os sodomitas foram condenados pelo Senhor porque foram grandespecadores. Ora, se foram considerados pecadores é porque a lei estava em vigor desde afundação do mundo, haja vista que “o pecado não é imputado, não havendo lei”. Alguns antagonistas do sábado afirmam que a lei de Deus entrou em vigor somentepor ocasião do Monte Sinai. Todavia, como foi visto, tal suposição não encontra respaldonos ensinos das Escrituras Sagradas. Podemos constatar pelo livro de Gênesis que José, filho de Jacó, conhecia muito bemo sétimo mandamento do decálogo, o qual proíbe o pecado de adultério. Consta em Gênesis que José foi nomeado mordomo da casa de Potifar. Em certaocasião, tentado pela esposa de Potifar a manter relações sexuais com ela, o jovem fugiu desua presença. Ele sabia muito bem que o adultério é um pecado contra Deus. Observe o queJosé disse à esposa de Potifar a respeito deste assunto:
  38. 38. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da BíbliaGênesis 39:9 – “Ninguém há maior do que eu nesta casa, e nenhuma cousa me vedou,senão a ti, porquanto tu és sua mulher; como pois faria eu este tamanho mal, e pecariacontra Deus?”. Se não houvesse lei, José poderia ter se deitado com a mulher de Potifar e não teriacometido adultério ou pecado contra Deus porque “o pecado não é imputado, não havendolei”. Então, como pode algumas pessoas afirmar que a lei de Deus não estava em vigorantes do decálogo ter sido escrito em duas tábuas de pedra? Ainda mais considerando que aBíblia Sagrada mostra que os homens santos de Deus obedeciam aos preceitos do decálogo?4.7 Considerações finais Uma das razões pela qual o decálogo não foi dado na forma escrita em épocasanteriores ao êxodo está fundamentada no fato de que foi somente em torno da época deMoises que o “alfabeto” teve a sua origem. Muito embora a “escrita” seja muito antiga, foi somente em torno de 1600 a.C., queteve origem o primeiro “alfabeto”, o qual foi inventado pelos Cananeus, hebreus primitivose Fenícios, que viviam nas costas orientais do Mediterrâneo. Pouco tempo depois da invenção do “alfabeto”, o Senhor apresentou a Sua lei naforma escrita em duas tábuas de pedra. Antes da lei de Deus ter sido apresentada na forma escrita, o decálogo era ensinadoentre os povos da Terra verbalmente pelos santos profetas e sacerdotes do Altíssimo. Aexemplo disso temos registrado o nome de Enoque (Judas 1:14-15), Jó (Jó 1:1),Melquisedeque (Gênesis 14:18; Hebreus 7:1), Balaão (Números 22:18-20) antes deste secorromper, e tantos outros que as Escrituras Sagradas não fazem referência.
  39. 39. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíblia 5 UMA MESMA LEI PARA TODOS “Quando a religião de Cristo for mais desprezada, quando Sua lei mais desprezada for, então deve nosso zeloser mais ardoroso e nosso ânimo e firmeza mais inabaláveis”. Ellen Gould White (II TS, 31)5.1 Introdução Com base em alguns poucos versículos bíblicos, os antagonistas do sábado lançammão da irresponsável suposição de que o concerto do decálogo, que inclui a santificação dodia do sábado, bem como as demais leis cerimoniais foram feitas somente para os “filhos deIsrael” e ninguém mais. Para fundamentar seu argumento capcioso empregam as seguintespassagens bíblicas:Deuteronômio 5:1-3 e 12 – “E chamou Moisés a todo o Israel, e disse-lhes: Ouve, ó Israel,os estatutos e juízos que hoje vos falo aos ouvidos: e aprendê-los-eis, e guardá-los-eis, paraos cumprir. O Senhor nosso Deus fez conosco concerto em Horebe. Não com nossos pais fezo Senhor este concerto, senão conosco, todos os que hoje aqui estamos vivos. Guarda o diade sábado, para o santificar, como te ordenou o Senhor teu Deus”. A suposição de que o decálogo e as demais leis cerimoniais são instituiçõesestabelecidas exclusivamente para o povo israelita e ninguém mais, tem sido defendida porpessoas comprometidas com a tradição humana em detrimento às verdades bíblicas. Talasseveração também tem sido perpetrada por indivíduos incultos e preconceituosos que,desconhecendo a verdade bíblica, se aventuram a defender idéias alheias. Também tem sidoapresentada por uma classe de pessoas sinceras e honestas, mas que estão totalmenteequivocadas quanto aos ensinos das Escrituras Sagradas, além de desconhecerem as maiselementares regras da Hermenêutica Bíblica. Uma dessas regras afirma que o universo cristão gira somente em torno do queconsta nos registros das Escrituras Sagradas. Outra regra assevera que nenhum versículobíblico deve ser analisado isoladamente fora do seu contexto imediato e mediato. Ou seja,nenhum versículo deve ser interpretado sem levar em consideração todo o contexto anteriore posterior, bem como todo conteúdo sistemático da Bíblia Sagrada. Admitindo a aberração de que a lei de Deus deveria ser observada apenas pelosfilhos de Israel, isto implica em dizer que os gentios não tinham nenhuma obrigação paracom a lei, mas também não tinham esperança de salvação e estavam irremediavelmenteperdidos. Contrariando as suposições dos adversários da lei, o profeta Isaías fala da conversãodos gentios ao Deus de Israel nos seguintes termos: “filhos dos estrangeiros, que se
  40. 40. LEANDRO BERTOLDOO Sábado à Luz da Bíbliachegarem ao Senhor, para o servirem, e para amarem o nome do Senhor”. Mostra os gentiosconvertidos guardando o sábado: “todos os que guardarem o sábado, não o profanando”.Fala de gentios abraçando o concerto do Senhor: “os que abraçarem o meu concerto”. Indicaque os gentios poderiam expiar os seus pecados pelo holocausto de animais: “os seusholocaustos e os seus sacrifícios serão aceitos no meu altar”. (Isaías 56:6-7). Tudo issomostra que os gentios tinham a obrigação de observar todas as leis de Deus. Ora, se os crentes gentios estivessem excluídos da observância do sábado oudispensados de guardar os mandamentos do decálogo, então porque Jesus, os profetas, ossantos apóstolos ou mesmo a Bíblia Sagrada deixaram de apresentar tal ensino? A suposição de que os gentios estavam excluídos de guardar a lei de Deus poderia teralgum fundo de verdade? Bem, considerando que as Escrituras Sagradas são a nossa única emáxima fonte de autoridade em todas as questões de fé e doutrina, então, vejamos o que elastêm a declarar a respeito de tal assunto.5.2 Uma mesma lei para judeu e gentio Deus havia estabelecido explicitamente que deveria haver uma mesma lei tanto paraos filhos de Israel como para os gentios. Portanto, os gentios estavam sujeitos às mesmasleis que os israelitas. Observe o que diz as Escrituras Sagradas:Êxodo 12:49 – “Uma mesma lei haja para o natural, e para o estrangeiro que peregrinarentre vós”.Levítico 24:22 – Uma mesma lei tereis: assim será o estrangeiro como o natural; pois eusou o Senhor vosso Deus.Números 15:15 – “Um mesmo estatuto haja para vós, ó congregação, e para o estrangeiroque entre vós peregrina, por estatuto perpétuo nas vossas gerações; como vós, assim será operegrino perante o Senhor”.Números 15:16 – “Uma mesma lei e um mesmo direito haverá para vós e para oestrangeiro que peregrina convosco”.Deuteronômio 27:19 – “Maldito aquele que perverter o direito do estrangeiro, do órfão eda viúva. E todo o povo dirá: Amém”.5.3 Os gentios observavam os cerimoniais festivos Tanto os filhos de Israel quanto os gentios participavam das festividades cerimoniaisrealizadas pela nação israelita. Destarte, os gentios podiam participar dos asmos, sercircuncidado, celebrar a páscoa, participar das festas dos tabernáculos, das festas dasprimícias etc.Êxodo 12:19 – “Por sete dias não se ache nenhum fermento nas vossas casas; porquequalquer que comer pão levedado, aquela alma será cortada da congregação de Israel,assim o estrangeiro como o natural da terra”.

×