Desafios do Setor Energético no Rio Grande do Sul - Agenda 2020

568 visualizações

Publicada em

As Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs), os parques eólicos e as usinas térmicas movidas a carvão devem concentrar os investimentos gaúchos para a produção de energia nos próximos anos. Esse e outros pontos foram debatidos durante seminário promovido pelo Sindicato dos Engenheiros (Senge-RS), na Pucrs. Na ocasião, profissionais e políticos envolvidos com o tema discutiram a crise energética e suas consequências para o desenvolvimento do Brasil e do Rio Grande do Sul.

Para o representante da Agenda 2020, Humberto César Busnello, os desafios do Estado na área energética precisam ser vistos no contexto do modelo brasileiro de geração e distribuição. Dentro da perspectiva de que a oferta nacional deva crescer 30% até 2019, os gaúchos contribuiriam, a partir de projetos com recursos que já estão garantidos, com 340 megawatts (MW) de energia térmica via carvão, 755 MW de eólica e 1,2 mil MW de gás. O palestrante sugere, entre outros pontos, a busca por uma estabilidade regulatória para o setor e a possibilidade de leilões regionais ou por fonte.

Além disso, Busnello destacou a importância do investimento estadual em PCHs, que possuem potencial para agregar 1,1 mil MW ao sistema, o que custaria em torno de R$ 5 bilhões. Nesse caso, atualmente, são 125 projetos em licenciamento que, uma vez concluídos, podem dar um retorno de R$ 195 milhões ao ano apenas em ICMS. "Trata-se de um ótimo negócio, especialmente para os municípios, pois é um sistema que gera empregos e arrecadação", afirmou.

Publicada em: Governo e ONGs
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
568
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
119
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Desafios do Setor Energético no Rio Grande do Sul - Agenda 2020

  1. 1. DESAFIOS DO SETOR ENERGÉTICO NO RIO GRANDE DO SUL
  2. 2. “A SITUAÇÃO ENERGÉTICA DO RIO GRANDE DO SUL TEM QUE SER VISTA NO CONTEXTO DO MODELO DO SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO, ESPECIALMENTE COM OS REFORÇOS IMPLANTADOS NAS INTERLIGAÇÕES NACIONAIS E INTERNACIONAIS ”
  3. 3. SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL CARACTRÍSTICAS: Rede Básica com mais de 110 mil km de linhas acima de 230 kV; Grandes Usinas e Interligações (madeira, Belo Monte); Interligação dos Sistemas Isolados; Ampliação das interligações inter-regionais; Operação e Despacho Centralizado pelo ONS para otimização dos recursos eletroenergéticos; Interdependência entre Usinas e Bacias para a produção de energia
  4. 4. SISTEMA ELÉTRICO DE ATENDIMENTO AO RS Fonte: ONS
  5. 5. ESTRUTURA INSTITUCIONAL DO SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO ANEEL Agência Nacional de Energia Elétrica CNPE Conselho Nacional de Política Energética MME Ministério de Minas e Energis CMSE Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico EPE Empresa de Pesquisa Energética ONS Operador Nacional do Sistema Elétrico CCEE Câmara de Comercialização de Energia Elétrica AGENTES Geração, Transmissão, Distribuição, Comercialização... CERCA DE 340
  6. 6. COMPORTAMENTO DA CARGA DE ENERGIA - BRASIL Mesmo com os adventos de crise nas últimas décadas, o crescimento sempre retomou um ritmo da ordem de 3%-4% a.a. 32 34 36 38 39 41 42 39 41 43 45 47 49 51 52 52 56 58 61 63 65 10 20 30 40 50 60 70 RACIONAMENTO CRISE MUNDIAL (GWmed)
  7. 7. EXPECTATIVA DO CRESCIMENTO DA CARGA NO SIN EXPECTATIVA DE CRESCIMENTO ZERO (2014-2015)  Desaceleração da economia  Tarifas elevadas  Readaptação do consumo 65,064 66,474 68,648 71,423 74,208 67,260 69,612 72,249 75,424 78,309 2015 2016 2017 2018 2019 Planejamento Anual de 2015 - 1ª REV. QUADR. MAIO Planejamento Anual de 2015 - JANEIRO (MWmédio) Diferenças -2.196 -3.138 -3.601 -4.001 -4.101
  8. 8. MATRIZ DA OFERTA DE GERAÇÃO - BRASIL Fonte: ONS
  9. 9. 128.044 166,322 0 20,000 40,000 60,000 80,000 100,000 120,000 140,000 160,000 180,000 2014 2019 30%DE CRESCIMENTO MW MW MATRIZ DA OFERTA DE GERAÇÃO - BRASIL Fonte: ONS
  10. 10. 103 340 890 1,405 1,541 3,852 10,808 18,711 0 2000 4000 6000 8000 10000 12000 14000 16000 18000 20000 MATRIZ DA OFERTA DE GERAÇÃO - BRASIL Crescimento 2014-2019 (MW) Fonte: ONS
  11. 11. 103 340 890 1,405 1,541 3,852 10,808 18,711 0 2000 4000 6000 8000 10000 12000 14000 16000 18000 20000 EÓLICAS 875 MW ACRÉSCIMO DE GERAÇÃO NO RS UTE PAMPA SUL 340 MW UTE RIO GRANDE 1238 MW Fonte: ONS
  12. 12. 103 340 890 1,405 1,541 3,852 10,808 18,711 0 2000 4000 6000 8000 10000 12000 14000 16000 18000 20000 PROJETOS NOVOS DE HIDRELÉTRICAS SEM RESERVATÓRIOS, EM FUNÇÃO PRINCIPALMENTE DAS DIFICULDADES DE LICENCIAMENTO CARACTERÍSTICAS DA EXPANSÃO DA OFERTA FORTE EXPANSÃO DE FONTES RENOVÁVEIS E INTERMITENTES Fonte: ONS
  13. 13. ENERGIA ARMAZENADA NOS RESERVATÓRIOS 2001 6,2 meses 2021 3,3 meses
  14. 14. Aumento da dependência de chuvas Elevado despacho adicional de térmicas Diminuição na segurança de atendimento Custos elevados para o setor e sociedade. CONSEQUENCIAS
  15. 15. Atraso de obras de geração e transmissão, por questões associadas à licenças ambientais Condições hidrológicas extremamente desfavoráveis em 2014 e 2015 (piores do histórico de 84 anos) AGRAVANTES
  16. 16. DESAFIOS & OPORTUNIDADES
  17. 17. DESAFIOS Estabilidade institucional e regulatória; Continuidade dos leilões com sinal de preço mais adequado, possibilitando uma expansão mais equilibrada entre as fontes Avaliar a possibilidade de eventuais leilões regionais e/ou por fonte para fins de confiabilidade no atendimento as cargas; Ação conjunta entre governo federal e estadual, juntamente com órgãos ambientais, ministério público e outras instituições de forma a aperfeiçoar regras e processos de autorizações e licenças ambientais, minimizando atrasos de obras e consequentes custos adicionais para a Sociedade; Estímulo à eficiência tecnológica e racionalização do consumo.
  18. 18. OPORTUNIDADES POTENCIAL EÓLICO
  19. 19. OPORTUNIDADES POTENCIAL PCH Potencial identificado: 1.100 MW Investimento: R$ 5 bilhões 125 projetos em licenciamento Retorno ICMS: Aprox R$195 milhões a.a. POTENCIAL PCH
  20. 20. “ A ENERGIA ELÉTRICA, FUNDAMENTAL PARA QUALQUER PROCESSO PRODUTIVO, É UM DOS PRINCIPAIS PILARES DO CRESCIMENTO ECONÔMICO. SEU CUSTO É UM DOS FATORES MAIS RELEVANTES PARA GARANTIR A COMPETITIVIDADE DE UM ESTADO”
  21. 21. “A MULTIPLICIDADE DE AGENTES PÚBLICOS E PRIVADOS, ASSOCIADOS AS DIMENSÕES CONTINENTAIS DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL, CONDUZEM PARA A NECESSIDADE DE UM GRANDE ESFORÇO SINÉRGICO POR PARTE DOS GOVERNOS, EMPRESÁRIOS, ÓRGÃOS AMBIENTAIS, INSTITUIÇÕES E SOCIEDADE, NA BUSCA DE UM MELHOR EQUILÍBRIO ENTRE ENERGIA, DESENVOLVIMENTO, CONSUMO E MEIO AMBIENTE”
  22. 22. agenda2020.com.br @agenda2020 Agenda 2020

×