Cap. 20

6.109 visualizações

Publicada em

Introdução aos animais e estudo de Porifera e Cnidaria

Publicada em: Tecnologia, Educação
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.109
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
76
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
165
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cap. 20

  1. 1. Introdução aos animais e estudo de Porifera e Cnidaria<br />Profº Luiz Staut<br />
  2. 2. Introdução<br />O Reino Animalia, Reino Animal ou Reino Metazoa abrange todos os animais, por possuírem características comuns: organismos eucariontes multicelulares heterótrofos, além de obter seus alimentos do meio onde vivem, por ingestão. Porém é possível encontrar algumas exceções entre os animais devido a fatores como a adaptação, como por exemplo, os endoparasitas que perderam a capacidade de ingerir alimentos e os obtêm por absorção direta dos líquidos do corpo do hospedeiro. <br />O ramo da Biologia que estuda os animais é a Zoologia (zoo = animal; logia = estudo).<br />Os animais podem se dividir em dois grandes grupos: o dos invertebrados, que não possuem vértebras, e o dos vertebrados, que as possuem.<br />
  3. 3. Origem e evolução dos animais<br />Animais são eucariontes, e divergiram do mesmo grupo dos protozoários flagelados que deram origem aos fungos e aos coanoflagelados. Estes últimos são especialmente próximos por possuírem células com &quot;colarinhos&quot; aparecendo somente entre eles e as esponjas, e raramente em certas outras formas de animais. Em todos estes grupos, as células móveis, geralmente os gametas, possuem um único flagelo posterior com ultra-estrutura similar.<br />Exceto por uns poucos traços fósseis questionáveis, as primeiras formas que talvez representem animais aparecem nos registros fósseis por volta do Pré-Cambriano. São chamadas Biota Vendiana e são muito difíceis de relacionar com as formas recentes. Virtualmente todos os restantes filos fazem uma aparição mais ou menos simultânea durante o período Cambriano. Este efeito radioativo massivo pode ter surgido devido a uma mudança climática ou uma inovação genética e é tão inesperada que é geralmente chamada de Explosão Cambriana.<br />
  4. 4.
  5. 5. As esponjas (Porifera) separaram-se dos outros animais muito cedo e são muito diferentes. Esponjas são sésseis e geralmente alimentam-se retirando as partículas nutritivas da água que entra através de poros espalhados por todo o corpo, que é suportado por um esqueleto formado por espículas. As células são diferenciadas, porém, não estão organizadas em grupos distintos.<br />Os Metazoa mais simples apresentam simetria radial - por esta razão, são classificados como Radiata (em contraposição com os Bilatéria, que têm simetria bilateral). Para além disso, estes animais são diploblásticos, isto é, possuem dois folhetos embrionários. A camada exterior (ectoderma) corresponde a superfície da blástula e a camada interior (endoderma) é formada por células que migram para o interior. Ela então se invagina para formar uma cavidade digestiva com uma única abertura, (o arquêntero). Esta forma é chamada gástrula (ou plânula quando ela é livre-natante). Os Cnidaria e os Ctenophora (águas vivas, anêmonas, corais, etc.) são os principais filos diploblásticos.<br />
  6. 6. As formas restantes compreendem um grupo chamado Bilatéria, uma vez que eles apresentam Simetria bilateral, e são triploblásticos. A Blástula invagina sem se preencher previamente, então o endoderma é apenas seu forro interior, a parte interna é preenchida para formar o terceiro folheto embrionário entre eles (mesoderma). Os animais mais simples dentre estes são os Platyhelminthes (vermes achatados, como a tênia).<br />A vasta maioria dos filos triploblásticos formam um grupo chamado Protostômio. Todos os animais destes filos possuem um trato digestivo completo (incluindo uma boca e um ânus), com a boca se desenvolvendo do arquêntero e o ânus surgindo depois. A mesoderma surge como nos Platyhelminthes, de uma célula simples, e então divide-se para formar uma massa em cada lado do corpo. Geralmente há uma cavidade ao redor do intestino, chamada celoma, surgindo como uma divisão do mesoderma, ou ao menos uma versão reduzida disso (por exemplo, um pseudoceloma, onde a divisão ocorre entre o mesoderma e o endoderma, comum em formas microscópicas).<br />
  7. 7. Os Deuterostômios diferem dos Protostômios de várias formas. Eles também possuem um trato digestivo completo, mas neste caso o arquêntero desenvolve-se no ânus. A mesoderma e celoma não se desenvolvem da mesma forma, e sim da evaginação da endoderme, diz-se então, de origem enterocélica. E, finalmente, a clivagem dos embriões é diferente. Tudo isto sugere que as duas linhas são separadas e monofiléticas. São representados pelos equinodermos e cordados.<br />
  8. 8. Filo Porifera<br />Os representantes do Filo Porifera são aquáticos, a maioria do ambiente marinho. São animais de estrutura corpórea mais simples, sem tecidos diferenciados, não possuem órgãos de locomoção e grande parte está presa às rochas. Algumas espécies apresentam simetria radial, porém a maioria é assimétrica.<br />
  9. 9. As esponjas podem viver isoladamente ou formar colônias. São pequenas, medem alguns centímetros de altura, entretanto existem algumas espécies em que os representantes medem até 2 metros de altura e 3 metros de diâmetro. As esponjas possuem forma e cor variáveis, resultantes da espécie e de fatores ambientais. <br />
  10. 10. A água que conduz alimento e oxigênio penetra por uma série de poros apresentados na superfície de uma esponja.<br />Os poríferos são animais diblásticos, pois em seu desenvolvimento embrionário apresentam o corpo revestido externamente por células pavimentosas chamadas pinacócitos, que constituem a pinacoderme. A parede interna é formada de coanócitos, células flageladas, que constituem a coanoderme. <br />As esponjas são animais que se alimentam de partículas suspensas na água.<br />Os amebócitos (células que têm a capacidade de se deslocar pelo meso-hilo por meio de movimentos amebóides) é um tipo celular imerso no meso-hilo, constituído basicamente por um material gelatinoso.<br />
  11. 11. As esponjas reproduzem-se assexuada e sexuadamente. A reprodução assexuada pode ser por brotamento, fragmentação ou gemulação. Na reprodução sexuada, elas produzem espermatozóides ou óvulos.<br />As esponjas possuem grande capacidade de regeneração. <br />
  12. 12.
  13. 13. Tipos de Esponjas<br />
  14. 14. Filo Cnidaria<br />Os cnidários são também chamados de celenterados.<br />Celenterados, etimologicamente significa, dotado de cavidade intestinal.<br />Cnidário, vem do grego Knide, que significa urtiga.<br />Os cnidários constituem um filo que inclui os animais aquáticos, como as hidras de água doce, as medusas ou águas-vivas, os corais e as anêmonas do mar.<br />O corpo dos cnidários é formado basicamente por duas camadas de células: a epiderme e a gastroderme e entre as duas fica a mesogléia.<br /><ul><li>Epiderme: camada de revestimento externo.
  15. 15. Gastroderme: camada de revestimento interno.
  16. 16. Mesogléia: fina lâmina acelular, gelatinosa, que é constituída pelas substâncias das duas camadas que a envolve.</li></li></ul><li>Tipos de células.<br />Epiderme: Tecido de revestimento externo,especializado na proteção e na defesa.<br />Células epiteliomusculares: Células em forma de T, em que uma fibrila contrátil mergulha até a mesogléia.<br />Células glandulares: Células altas, que cobrem completamente o disco basal da forma pólipo, secretam um muco pegajoso com o qual o animal se fixa ao substrato.<br />Células intersticiais: Células não especializadas, pequenas e geralmente localizadas na base da epiderme.<br />Células sensoriais: Espalhadas por toda a superfície mas particularmente numerosas nos tentáculos e a volta da boca, têm ligação com as células nervosas. <br />Cnidócitos: Células especializadas na defesa e captura de alimentos, responsáveis pela designação do filo.<br />
  17. 17. Reprodução.<br />A reprodução dos cnidários pode ser sexuada ou assexuada.Na reprodução sexuada dos pólipos,os animais produzem testículos e ovários na parede lateral.Na reprodução assexuada a polipóide produz assexuadamente pequenas medusas que,após um período de desenvolvimento,produzem gametas de cuja função resulta o zigoto.<br />
  18. 18. Classes<br />Hydrozoa: Os membros dessa classe são medusóides ou polipóides ou exibem ambas as formas em seu ciclo de vida. <br />CARAVELA.<br />Filo: Cnidaria.<br />Classe: Hidrozoa<br />Ordem: Siphonophora.<br />Família: Physaliidae<br />Gênero: Physalia<br />Espécie: P. physalis<br />
  19. 19.
  20. 20. Scyphozoa: ou cifozoários é a classe que inclui as medusas ou águas-vivas, contendo mais de 200 espécies.<br />MEDUSA.<br />Filo: Cnidaria.<br />Classe: Scyphozoa.<br />Ordem: Acalephae.<br />Família: Semeostomidae<br />Gênero: Cyanea<br />Espécie: Cyanealamarchi<br />Diâmetro: até 60 cm Sexo: Unissexuada. Pões ovos e apresenta estágio larval Cor: branco azulado <br />
  21. 21.
  22. 22. Cubozoa:Ordem cubomedusae, da classe filo Cnidária, que inclui os animais chamados Cubozoários.<br />
  23. 23. Anthozoa: ou antozoários, classe que inclui os corais e as anêmonas do mar. <br />Coral Cerebro<br />Filo: Anthozoa<br />Classe: Anthozoa Ordem: Scleractinia<br />Família: Mussidae<br />Gênero: Mussismilia<br />Espécie: M. hispida<br />
  24. 24. Anêmona-do-mar<br />Filo: Cnidários <br />Classe: Antozoários <br />Ordem: Actiniaria (Actinários) <br />Familia: Aliciidae<br />Gênero: Alicia<br />Espécie: Alicia mirabilis<br />Dimensões: Pode atingir mais de 20 cm de altura.<br />Cor: Variável, frequentemente bege-arroxeada ou acastanhada, mais intensa nos tubérculos. <br />
  25. 25. Fim<br />

×