Boletim informativo n 12 b

559 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
559
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
136
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Boletim informativo n 12 b

  1. 1. MINISTÉRIO DA PESCA E AQUICULTURA MARCELO BEZERRA CRIVELLA SUPERINTENDÊNCIA FEDERAL DA PESCA E AQUICULTURA DO PARANÁ JOSÉ ANTONIO FARIA DE BRITO Curitiba – Quarta feira, 14 de outubro de 2012NESTA EDIÇÃO SUPERINTENDENTE DO PARANÁ DIVULGA O PLANO SAFRA DA PESCA E AQUICULTURANO OESTE DO ESTADO E MUNICÍPIO DE LONDRINA
  2. 2. COM ORIENTAÇÕES DO MINISTRO MARCELO CRIVELLA SUPERINTENDENTE PERCORRE O OESTE DO PARANÁ Centenas de pescadores recebem orientações do Plano Safra da Pesca e AquiculturaNa semana de 5 a 10 de novembro, o Superintendente Federal da Pesca eAquicultura do Paraná – Dr. José Antonio Faria de Brito, participou de umaverdadeira maratona nos Municípios do Oeste do Estado. Ele esteve em Fozdo Iguaçu, Santa Terezinha do Itaipu, Itaipulândia, São Miguel do Iguaçu,Santa Helena, Entre Rios do Oeste, Marechal Cândido Rondon e Guaira.Foram encontros com o setor da pesca, com a participação das Colônias dePescadores e Associação de Pescadores, além de representantes deinstituições ligadas a pesca. Durante os encontros, o superintendente tevea companhia de Irineu Motter, Gestor do Projeto Mais Peixes em NossasÁguas da Itaipu Binacional e Paulo Machajewski, Articulador destasuperintendência no Território Lindeiros do Oeste do Paraná.O objetivo da viagem foi o de apresentar ao setor o Plano Safra da Pesca eAquicultura, anunciado no final do mês de outubro pela Presidente DilmaRousseff. Foram dias de viagem percorrendo os cantinhos de cadaMunicípio onde existe uma Colônia de Pescadores, o Superintendentehonrou o apelido de Britasso, participando dos encontros, onde podeconhecer de perto a realidade dos pescadores artesanais da região,ouvindo suas demandas e respondendo aos questionamentos levantados.No final de cada agenda, Britasso estava exausto, mas feliz eentusiasmado. Feliz pela recepção calorosa que recebeu dos pescadoresartesanais e entusiasmado por poder dividir com eles as ações pretendidaspelo Plano Safra da Pesca e Aquicultura.Os Presidentes das Colônias de Pescadores e Associações de Pescadoresreceberam uma cópia da cartilha do Plano Safra da Pesca e Aquicultura,produzido pelo Ministério da Pesca e Aquicultura / MPA.Faria de Brito falousobre crédito, merenda escolar, piscicultura, carteiras de pescadoresprofissionais, ações do MPA, entre outros.
  3. 3. As palavras do Ministro da Pesca e Aquicultura Marcelo Crivella, durante olançamento do Plano Safra da Pesca e Aquicultura, foram levadas aospescadores artesanais; o sonho da transformação, o Ministro, sabedor daestagnação da pesca artesanal, estimulou a adesão da atividade daaquicultura pelos pescadores artesanais. Eles continuarão a serpescadores, comtodos os direitosprevistos na lei,mastambém serãoaquicultores,produzirão opescado, agregandorenda e ajudando opaís no crescimentoda sua produção. Osuperintendentedeu o recado. “ Opescador que aderira aquicultura teráum créditoespecífico para esta atividade, está previsto no Plano divulgado,” disse. Agrande dúvida do pescador artesanal se refere a perda da carteira depescador profissional, caso haja a adesão a aquicultura. O Superintendentedeixou todos tranquilos. “ Nada muda, ele continua com a sua carteira,com os benefícios que ela traz. O que o Governo Federal quer é que opescador artesanal progrida, tenha maiores recursos para ele e suafamília,” concluiu.Irineu Motter foium grandeparceiro duranteos encontros.Além de colocarpara ospescadoresartesanais asações da ItaipuBinacional; comoos incentivos –infra estruturaspara aaquicultura emdeterminadospontos de pesca,ele motivou atodos com umdiscurso positivoe responsável, um Irineu Motter – Itaipu Binacional com José Antonio Faria de Brito
  4. 4. discurso de construção, demonstrando a importância da união entre ospescadores (cooperativismo), e a luta travada para a liberação do cultivoda tilápia nos lagos de Itaipu.Motter levou a equipe do MPA ao Ponto de Pesca – 39, lá osuperintendente pode se reunir com pescadores artesanais da Colônia dePescadores São Francisco de Entre Rios do Oeste e conhecer a produção depacu.A MaratonaFoz do Iguaçu – Neste Município, o superintendente Britasso, foi recebidopelo Presidente da Colônia de Pescadores Z-12 de Foz do Iguaçu – FlávioKabroski, que estava acompanhado pelo Gerente Regional da CompanhiaParanaense de EnergiaElétrica/COPEL - NildoRossato e pelo Assessorda Secretaria Municipalde Agricultura – LauroDias Vilela.O encontro foi num doslocais de atividade doCaminhão do Peixe, doPrograma Peixe nosBairros do MPA. Naprimeira visita que fez a Foz do Iguaçu, o Superintendente ouviu dospescadores a necessidade dos pontos de luz, fornecido pela COPEL.Naquela época, Britasso esteve reunido com o Presidente da COPEL -Lindolfo Zimmer, que acionou a equipe regional daquele Município paraatender a demanda dos pescadores artesanais.Nildo Rossato se colocou à disposição e acompanhou o superintendente noslocais onde os pontos de luz deverão ser instalados.
  5. 5. Santa Terezinha de Itaipu – A Prefeita Ana Maria Carlessi, grande parceirados pescadores artesanais daquele Município, recebeu no seu gabinete oSuperintendente Britasso, o Presidente da Associação de Pescadores Artesanais de Santa Terezinha de Itaipu – Valdemar Somavila e diretores, logo depois, na sala de reuniões se juntaram aos demais pescadores artesanais.O Superintendente anunciou o Plano Safra da Pesca e Aquicultura e ouviualguns questionamentos: A validade das carteiras de pescadores artesanais;a necessidade de moradia,que atinge grande parte destes profissionais e aliberação do cultivo datilápia nos lagos deItaipu. Faria de Britodisse a todos, que ascarteiras estão comvalidade até 31 dedezembro de 2013, atélá, o MPA deve elaborarnovos documentos, acarteira será um cartãocom chip,onde os dadosdos pescadores estarãopresentes, diminuindo aburocracia e facilitando afiscalização. O novo documento terá como data de validade o dia doaniversário de cada pescador. O superintendente prometeu empenho paraviabilizar as outras questões.São Miguel do Iguaçu – Neste encontro, além do Superintendente Britasso edo Presidente da Colônia de Pescadores Z-11 de São Miguel do Iguaçu – Adilson Borges(Dicão), estavam presentes, o Gerente Regional do Banco do Brasil – Valmir Matiello, o ex Gerente do DRS – Banco do Brasil – Clóvis Ribeiro, colaborador dos pescadores artesanais da região, o Coordenador de Pesca e Aquicultura da União das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia
  6. 6. Solidária/UNICAFES – Alexandre Haveroth, representantes da EMATERRegional, Sindicato Rural e Representante da Agricultores Familiares.Mais uma vez Britasso detalhou a iniciativa do Plano Safra da Pesca eAquicultura e suas ações, tirou dúvidas e contou com a parceria da ItaipuBinacional, através de Irineu Motter.As demandas apresentadas se repetiam:liberação da tilápia nos lagos de Itaipu;concorrência com os pescadoresamadores, que pescam na piracema;atrasos nas entregas das carteiras depescadores; cozinha comunitária, entreoutros. Britasso entrega cartilha do Plano Safra da Pesca e Aquicultura para o Presidente da Colônia de São Miguel do Iguaçu – Adilson Borges (Dicão)Itaipulândia –Britasso foi recebido pelo Presidente da Colônia dePescadores de Itaipulândia - Ademar Vargas, além de ouvir as demandaslocal, o Superintendente ficou feliz em saber que neste Município, atravésda parceria entre aPrefeitura e a Colônia dePescadores, pela primeiravez no nosso Estado, foirealizado de forma regulara inclusão do pescado naalimentação escolar.Uma vez por mês, a ItaipuBinacional cede umadespolpadeira para quenesta colônia (que tem autorização da Vigilância Sanitária Municipal), sejadesossado os peixes que serão encaminhados para a Merenda Escolar.Santa Helena –Lírio Hoffmann,Presidente daColônia dePescadores NossaSenhora dosNavegantes deSanta Helena,recebeu oSuperintendentecom grande expectativa. Cerca de duzentos pescadores artesanais ouviramatentamente as palavras do superintendente. Além das demandas jácitadas, foi pedido ao superintendente uma ação voltada a saúde dosprofissionais, eles pedem a aquisição de protetor solar, já que muitos
  7. 7. sofrem com a exposição ao sol. Britasso prometeu procurar a sua basepolítica para atender ao pedido.Entre Rios do Oeste – O encontro com os pescadores aconteceu no Ponto de Pesca - 39. Lá, o Superintendente pode conhecer o módulo de produção de peixe em tanques rede. São 116 tanques com produção de 40 toneladas de pacu por safra, o problema é que trata-se de um peixe com pouca valorização comercial,e é claro que o grandegargalo é a liberação parao cultivo de tilápia noslagos de Itaipu. OPresidente da Associaçãode Pescadores de SãoFrancisco –Walter Kistpediu todo o empenhopossível de Faria de Brito,junto ao MPA e asautoridades da ItaipuBinacional, nesta questão.Marechal Cândido Rondon – O Presidente da Colônia de Pescadores Z-15 deMarechal Cândido Rondon – Comunidade de Porto Mendes, Marino e cercade 70 pescadores artesanais se reuniram com o superintendente numginásio da prefeitura local. Na ocasião, Faria de Brito apresentou o PlanoSafra da Pesca e Aquicultura, seus objetivos e direções. Depois, tirou asdúvidas e orientou a todos.
  8. 8. Guaira – Neste Município existe um Frigorífico de Peixe, construído comrecursos do MPA. Os equipamentos do empreendimento estão guardados naPrefeitura. Britasso visitou as instalações e prometeu conversar com oprefeito eleitoFabianVendruscolo,para reativar ofrigorífico.Após a visita ao Frigorífico, Faria de Brito participou do seu últimocompromisso nesta fase, no Oeste do Estado. No auditório da Prefeitura,estava reunido a Colônia de Pescadores de Guaira e seu presidente, JoséCirineu, a Associação de Pescadores de Guaíra, com o presidente Ivo Alvesdos Santos e a Colônia de Pescadores de Altônia, com o presidente AntonioJosé Capatti.Mais de trezentos pescadores(as) artesanais participaram ativamente doencontro. Todos ouviram atentamente as novidades trazidas pelo PlanoSafra da Pesca e Aquicultura e em seguida tiraram suas dúvidas e fizeramseus questionamentos.
  9. 9. Os pescadores se queixaram do abandono da gestão passada(Superintendência), e foi aplaudido ao anunciar a possibilidade dainstalação de um escritório regional da superintendência no Município deGuaira. “ Farei o possível, entrarei em contato com o prefeito paraviabilizarmos esta questão, além de discutir o funcionamento doFrigorífico,” disse.AS MESMAS DEMANDAS EM TODOS OS MUNICÍPIOSA extensa agenda do Superintendente foi altamente positiva. NosMunicípios pode ser constatado grandes demandas, verdadeiros apuros porque passam os pescadores artesanais do oeste do nosso Estado. O trabalhoé árduo, mas gratificante, pois promoverá uma mudança na vida decentenas de trabalhadores e suas famílias, promoverá a inclusão social, adignidade de verdadeiros guerreiros que lutam para viver, promoverá umsalto na produção de peixes do nosso Estado.Em todos os encontros o Superintendente ouviu relatos parecidos. Sãoeles: O pacu praticamente não tem comercialização, é de extremaurgência a liberação do cultivo da tilápia nos lagos de Itaipu; É proibido acomercialização do peixe entre os Municípios, deve haver uma mudança – Um Município pequeno não consome a sua produção, que pode ser em grande escala, o que fazer com o produto? Há de ter alternativas; A pesca amadora prejudica a pesca artesanal, já que eles podem pescar durante a piracema, exatamente quando os peixes estão desovando; maior fiscalização para os pescadores amadores, pois pescam uma quantidade muito maior a que tem direito; Moradia – Muitos pescadores artesanais não tem onde morar, moram nos pontos de pesca; Cozinhas Comunitárias – Essenciais para as Colônias eAssociações e agilidade nos processos que envolve as carteiras profissionaisdos pescadores.O Governo, com o lançamento do Plano Safra da Pesca e Aquicultura, querque a produção de pescados no país cresça, quer que o pescador artesanal
  10. 10. produza, para que a sua renda aumente. Sem dúvidas o momento é ótimopara que as mudanças aconteçam. Resta a interação de todos os envolvidosno setor. Governos Federal, Estadual e Municipal, através de suasinstituições, através de seus técnicos; Políticos que apóiam, através deemendas e pescadores compreendendo o cultivo. É necessário alinhartodas as situações para que possamos crescer e contribuir com os númerosque o país tanto necessita. “ Não queremos importar o pescado, queremosser exportadores de peixe, queremos os nossos pescadores com saúde ecom condições de cuidar de sua família, a sua dignidade será a nossa maiorconquista,” finalizou o superintendente. SUPERINTENDENTE EM LONDRINA O Superintendente Federal da Pesca e Aquicultura do Paraná, através de Londrina divulgou o Plano Safra da Pesca e Aquicultura para todo o Norte do EstadoNa manhã desta terça feira(13), no Auditório da Justiça Federal, emLondrina, o Superintendente Federal da Pesca e Aquicultura do Paraná –Dr. José Antonio Faria de Brito (Britasso), divulgou para pescadoresartesanais e aquicultores de toda a região norte do Estado, o Plano Safrada Pesca e Aquicultura.O Superintendente fez uma apresentação com as novidades, a começarpelo próprio Plano, que é o primeiro em toda a história do Ministério daPesca e Aquicultura. Faria de Brito transmitiu para o setor, o recado doMinistro Marcelo Crivella – Mais créditos e investimentos; Mais emprego,renda e inclusão social; mais organização produtiva; mais ciência,
  11. 11. tecnologia e inovação; mais assistência técnica e extensão pesqueira eaquícola e mais produção e produtividade.O grande gargalo apresentado pelo setor, continua a ser a dificuldade deconseguir o crédito. Segundo o superintendente, se o pescador ou oaquicultor tiver toda a garantia que é exigida pelos bancos não poderáhaver dificuldades. Ele lembrou que na sua volta de Brasília, teve umaagenda com os gerentes da Superintendência do Banco do Brasil emCuritiba, e ficou acertado que ao receber as instruções superiores, ainstituição financeira estaria apta a receber os pescadores e aquicultores.Vale lembrar, que, o Banco do Brasil sempre esteve ao lado do setor.Outro gargalo citado pelo setor trata-se das licenças ambientais. SegundoBritasso, o Plano também veio aproximar os produtores dos órgãos decontrole. “ Pelo menos no Paraná estamos bem adiantados neste aspecto,pois tenho me reunido com o Presidente do IAP e em breve teremos ótimasnotícias para o setor. Evidente que temos que dar as garantias decomprometimento com as leis ambientais,” disse.Britasso estará visitando todas as Colônias do Norte do Estado, como fez noOeste, pois só assim poderá dar uma atenção para as demandas pontuaisde cada entidade. DIVULGAÇÃOO Superintendente atendeu a imprensa do Norte do Estado, divulgandoainda mais o Plano Safra da Pesca e Aquicultura. “ Nem todos podem estarpresentes, então é fundamental o apoio da imprensa neste momento,queremos chegar nas casas dos pescadores e aquicultores e dizer que ahora é essa, vamos produzir, o Ministério da Pesca e Aquicultura conta comvocês,” concluiu.Britasso faz aqui um agradecimento especial aos servidores daSuperintendência (escritório de Londrina), que colaboraram com aarticulação junto ao setor, inclusive com um saboroso café da manhã, pararecepcionar os amigos pescadores artesanais e aquicultores. São eles:Marco Antonio Igarashi, Ivete Ferreira de Oliveira e Osvaldo José Luiz.
  12. 12. VISITA INSTITUCIONAL AO PREFEITO ELEITO DE LONDRINAFelizes as instituições que se valorizam – Esta frase diz muito dos objetivosconquistados por esta superintendência e foi assim que o Superintendentevisitou o Prefeito eleito de Londrina – Alexandre Kireeff /PSDAcompanhado pelo Vereador Emanuel Gomes/PRB, o SuperintendenteBritasso, parabenizou o novo prefeito pela vitória na última eleição. OSuperintendente soube que Alexandre Kireeff tem uma história ligada aosetor da aqüicultura no Município e aproveitou para solicitar parceria parao desenvolvimento da pesca e aquicultura no Município de Londrina. José Antonio Faria de Brito (Britasso), Alexandre Kireeff e Emanuel GomesO novo prefeito se colocou a disposição para ajudar no que for preciso.O Superintendente e o Vereador Emanuel Gomes, que tambémparabenizou a vitória de Alexandre Kireeff, levou ao novo prefeito, oabraço da vitória, do Deputado Estadual (PRB-PR) Edson Praczyk e doDeputado Federal (PRB-PR) Oliveira Filho. Emanuel Gomes, disse também,que o Deputado Praczyk, atendendo ao seu pedido, já destinou umaambulância e um veículo para atender a Prefeitura de Londrina. O novoPrefeito, muito agradecido, mandou um grande abraço do povo deLondrina para os parlamentares do PRB. Comunicação SFPA/PR ANTONIO RICARDO MEDEIROS ASSUNÇÃO ricardo.medeiros@mpa.gov.br 41. 3264-1646/3407 Rua Francisco Alves Guimarães, 346 Cristo Rei – Curitiba / PR

×