Integrando a Matrix Funcional,
Psicodinâmica e Imunológica:
Novas Aventuras Exames de
Alergias Tardias
Louis Cady, MD
CEO,...
“Há dois objetos de educação médica: para curar
os doentes e para o avanço da ciência ".
- Dr. Charles H. Mayo, MD
“A glór...
PRÁTICA ATUAL DA MEDICINA:
O que uma paciente tinha a dizer do seu “especialista”:
“Eles simplesmente
monitoram a minha
de...
Modelo triádico de pensar sobre o
diagnóstico ou quebra-cabeças do
tratamento
• PSICODINAMICO – O que faz um paciente
o el...
“Se não poder ler mais do que
um artigo sobre psicoterapia em
toda su vida em Mayo, este é
esse artigo.”
- John Graf, MD
G...
Stanley E. Greben, MD
• Alguns terapeutas são reconhecidos como
efetivos como mais ninguém.
• Os académicos não são melhor...
“Os Sete Hábitos” de Greben
• Empatia e interesse
• Calor Humano
• Interação
• Manter a esperanza
• Expectativa de melhori...
Psicodinâmica 101
• Os pacientes podem vexar.
• Os impasses no diagnóstico provocam angústia
narcisista.
• Os médicos frus...
IMUNOLOGIA
O composto olvidado dos
“checapes”
“O que é
alimento para
alguns, é
amargo
veneno para
outros.”
Lucrécio – 099? a.C. –
055? a.C.
De rerum natura.
“Os três Igs e três Histórias”
•Ig E
•Ig G
•Ig
xciting- emocionante
oing along – indo junto
Norant -ignorante
Anticorpos IgE: Reações catastróficas contra
espirros e cocheira (testes da pele ou RAST)
http://pathmicro.med.sc.edu/ghaf...
http://users.rcn.com/jkimball.ma.ultranet/B
iologyPages/M/MastCell.gif
www.souzaoenterprises.com/A
llergiescomp.jpg
CELLUL...
O modelo de IgG1 humano foi creado
por E. A. Padlan -- "Anatomy of the
Antibody Molecule." Molecular
Immunology 31:169 (19...
Ações e Efeitos Indiretos
• Ação Direta dos anticorpos:
– Aglutinação, precipitação, neutralização, lise
• Efeitos Indiret...
Diagnose de
TDAH - DSM-IV
ou 5
– Os sintomas apareceram
antes dos 7 anos (12 anos
em DSM 5).
– Os sintomas provocam
danos ...
From:
www.patientmedia.com
(usado com aprovação de
William Esteb)
A sua vida é indo a lugar
nenhum ?
Alergias alimentares e TDAH na literatura científica
• Get “THE THINKER” illustration•Alimentares alimentares aparentement...
Millman, et al – O artigo
revolucionário
• “Allergy & Learning Disabilities in Children” – Annals
of Allergy, 1976 [36:3, ...
Dieta oligoantigênica (sem testes)
• “Controlled trial of oligoantigenic treatment in the
Hyperkinetic Syndrome.” Egger et...
O estudo crossover – sem distinguir
entre IgE e IgG
• “Effects of a few foods diet on ADD.” Carter et al, Archives
of Dise...
Cuidados Profundos
• “Effects of a few foods diet on ADD.” Carter et al, Archives
of Disease in Childhood, 1993;69:564-568...
A aparência do IgG
• “Os alimentos e aditivos são causas comuns de
TDAH em crianças”. Boris, et. al. Annals of
Allergy, vo...
“Alergia alimentar IgE e não IgE”
• Sabra, et al. Annals of Allergy, Asthma, and
Immunology 2003;90 (Suppl 3)71-76.
• “O a...
Paciente: “Billy”
• 8/1998 – criança da Europa do Leste de 4
anos adotada. – “TDAH e problemas
comportamentais, destrutivo...
Sintomas do Billy
• “Mercurial” – Fácil de se dar bem (exceto com a
hiperatividade) mais tem semanas nas quais olha
furios...
Billy, cont.
• Algumas melhoras
• 3/1999 – aumento do mau humor. Triste, disforia.
– Adicionamos sertralina.
– Metilfenida...
Billy, cont – 1999 - 2000
• A Ritalina e o Adderall não funcionavam.
• Humor terrível ao ponto de arranhar a cara.
Urinand...
Billy, cont.
• 3/2000 – Valproato adicionado para ajudar ao
humor e ao sintoma “bipolar”. A situação piorou.
Cambaleio.
– ...
Billy, final de 2000
• Outono 2000:
– Mordeu e atacou a professora com um lápis, chutou a
cadeira, a parede e a escrivanhi...
Maio 2002: 9 Conferência Anual IFM
Billy, 2003
• Imprevisível constante até que começou
ziprasidona.
– Menor hiperatividade
– Não urinava na cama
– Melhor li...
Billy – Sensibilidad alimentar IgG
Julho 2003
• Mais do que 21 reações... Das quais…..
– Queijo (3+)
– Leite de vaca (3+)
...
Billy, 2003 - 2004
• Variável. Não seguiu uma dieta séria.
• 9/2003 “definitivamente não pode ficar sentado.
Mudanças de h...
Intervenções Radicais
• Junho 2004 – Adicionado lítio.
– Aumentou toxicidade brevemente mas houve
melhora.
– Tentaram faze...
Manifestações Clínicas da Deficiência
de Ácidos Graxos
• Dermatite
• Maior apetito e ingestão
calórica nas crianças
(adult...
Resultados dos Ácidos Graxos
Essenciais
Valor Faixa de
Referência
EPA 3 (L) 20 - 80
DHA 32 (L) 70 - 150
Billy – 3 de maio 2005
• Estável. Parou de furtar comida.
• Restrições IgG: Trigo, glúten*, leite de vaca, açúcar
processs...
Billy – 23 de junho 2009
• Adolescente estável. “Bom comportamento exceto quando
sua vontade não é respeitada”.
• Restriçõ...
Status: 17 de agosto 2011
• “Ele está muito bem”.
• Tentaram reintroducir alimentos sem êxito.
– Ocasionalmente come maçãs...
DA HIPERATIVIDADE A
DORES DE CABEÇA
…e dor nas
articulações,
enxaqueca, pouca
claridade mental,
intestino irritável,
asma,...
www.pubmed.com busca em 30 de agosto 2015
Correlações entre a alergia alimentar e:
• Depressão
• Ansiedade
• Psicose aguda...
Glúten – Um dos “acusados” na
sensibilidade alimentar
• Headaches
• Tearing up your gut
• Depression
• Suicide*
– * Untrea...
Glúten e doenças neurológicas
• “Os estudos mais recentes tem enfatizado
que um amplo espectro de síndromes
neurológicas p...
“UBO’s on MRI” – the gluten
connection
• 10 pacientes – tinahm dores de cabeça.
– Imagem por ressonância magnética.
– UBO’...
“Apresentação Atípica” Clássica
• Homem de 43 anos em boa condição aeróbica,
ciclista competitivo e vendedor de farmacéuti...
Intervenções e Tratamentos
• Estudo do sono – Não revelou nada.
• O dermatólogo considerou possibilidade de
alergia IgE. T...
Outros tratamentos:
- Tomografia cérebro – normal
- Tomografia abdômen – normal
- Ecografia hepatobiliar – anormal
- Vesíc...
Sintomas na apresentação
• Mente e emoções:
– Depressão
– Dificuldades de memória e atenção.
– Períodos de atenção curtos....
Mais sintomas na apresentação
• Pele reseca e com rugas.
• Círculos escuros sob os olhos.
• Erupções persistentes com sens...
Resultados relevantes (ordenados
antes da visita):
O que pode ser conseguido com uma
abordagem integrativa em 15 meses:
Tratamento: Dieta sem laticínios (+IgG); D3 5000 IU/d...
Mais outro caso: Joey - 28/6/11
• Garoto de 11 anos com diagnóstico de TDAH e
Apraxia na fala; problemas de leitura, escri...
Suspeita de sensibilidade IgG aos
latícinios. Teste e resultados:
• O IgE RAST = Resultado NEGATIVO.
• 25/7/11 – sem mudan...
O que aprendi e o que podemos
aprender
• Pense primeiro na “the matrix”.
• A avaliação e avaliação funcional e imunológica...
Desafios no diagnóstico e
sensibilidades IgG - Oportunidades
• “Casos difíceis”.
• Sintomas esquisitos e múltiples.
• Dore...
Personal collection - Louis B. Cady, M.D.
Provavelmente a capacidade de não
somente obter a confiança do paciente,
mas de merecê-la, consiste em ver o que
ele desej...
Informações de contato:
Louis B. Cady, M.D.
www.cadywellness.com
www.Facebook/cadywellness
www.TMS-relief.com
Escritório: ...
Outras diapositivas para mais
informação no apêndice 
Noções de fundo – Greben (apêndice)
• “A prática da psicoterapia [e da medicina!] é, e vai
ser, em grande medida uma arte”...
Conclusões de Greben:
• Não técnicas aprendidas mas refleções da
personalidade e do caráter e valores do
terapeuta.
• “Exi...
121 crianças com múltiples alergias alimentares.
-44 tinham reações imediatas
-Dos 44, 41 também tinham reações tardias.
-...
Nutrição e TDAH
• “Há muita evidência que muitas crianças
com problemas comportamentais têm
sensibilidades a um ou mais co...
236 refs julho 2005;
315 refs 23 junho 2009
329 refs 17 agosto 2011
390 refs 30 agosto 2015
August 30, 2015
Fibro, depósitos de IgG e “inflamação
neurogênica"
Shooting in the dark with milk - 1986...
ou: “O que fazer se você não tem um
teste?!"
Sensibilidades IgG em intestino
irritável
• 100% de 20 pacientes com intestino irritável com
sensibilidades IgG confirmada...
43 refs julho 2005
58 em 6/23/2009
66 em 8/18/2011
83 citações – 30 agosto 2015
Tem que ser celíaco ou glúten para
afetar sua cabeça?
Answer: NO!
- A prevalência da enxaqueca é elevada – 18%
- Foram exa...
O que procurar…
• Problemas
gastrointestinais.
• Apresentações atípicas.
• Associações KNOWN
(autismo).
• Variações de sin...
Pediatras observadores e pais
deprimidos e celíacos
Corvaglia, et al 1999
• 3 pacientes adultos com doença celíaca sem
diagnosticar ou tratar.
• Encontrados por pediatras que...
Integração Funcional, Psicodinâmica e Imunológicos Matrix: Novas Aventuras em testes de alergia alimentar - Brasil 2015
Integração Funcional, Psicodinâmica e Imunológicos Matrix: Novas Aventuras em testes de alergia alimentar - Brasil 2015
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Integração Funcional, Psicodinâmica e Imunológicos Matrix: Novas Aventuras em testes de alergia alimentar - Brasil 2015

381 visualizações

Publicada em

Nesta apresentação, o Dr. Cady desconstrói as manifestações curiosas e às vezes desconcertante de sensibilidade testes de alergia alimentar atrasado, apoiando-o com as citações da literatura médica peer-reviewed e extensas referências bibliográficas. A importância de compreender o potencial contribuição imunológica para o estado mental de um paciente é revista.

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

Integração Funcional, Psicodinâmica e Imunológicos Matrix: Novas Aventuras em testes de alergia alimentar - Brasil 2015

  1. 1. Integrando a Matrix Funcional, Psicodinâmica e Imunológica: Novas Aventuras Exames de Alergias Tardias Louis Cady, MD CEO, Founder – Cady Wellness Institute Newburgh, Indiana (US) Indiana School of Medicine, Dept. of Psychiatry Brazil, 2015
  2. 2. “Há dois objetos de educação médica: para curar os doentes e para o avanço da ciência ". - Dr. Charles H. Mayo, MD “A glória da medicina é que ele está sempre se movendo para a frente, que há sempre mais a aprender.”
  3. 3. PRÁTICA ATUAL DA MEDICINA: O que uma paciente tinha a dizer do seu “especialista”: “Eles simplesmente monitoram a minha degeneração.”
  4. 4. Modelo triádico de pensar sobre o diagnóstico ou quebra-cabeças do tratamento • PSICODINAMICO – O que faz um paciente o ele(a) é? – (O que faz eles responderem e agirem asim?) • FUNCIONAL - Quais os processos fisiológicos subjacentes que podem ser patogênicos? • IMUNOLÓGICO - quais são as manifestações sutis de alergias e sensibilidades alimentares?
  5. 5. “Se não poder ler mais do que um artigo sobre psicoterapia em toda su vida em Mayo, este é esse artigo.” - John Graf, MD Greben, S. Can Psychiatr. Assoc Journ. Vol 22 (1977): 371-380 “On Being Therapeutic”
  6. 6. Stanley E. Greben, MD • Alguns terapeutas são reconhecidos como efetivos como mais ninguém. • Os académicos não são melhores. • “Todo terapeuta potencial deve ter um chão e um teto em sua capacidade terapéutica.” • Alguns terapeutas talentosos são capazes de explicar porque têm êxito mas outros não. “Muitas das coisas que fazem são intuitivas.”“On Being Therapeutic” [Canadian Psychiatric Association Journal. Vol. 22(1977) 371-380.
  7. 7. “Os Sete Hábitos” de Greben • Empatia e interesse • Calor Humano • Interação • Manter a esperanza • Expectativa de melhoria • “Não desesperar” • Confiabilidade e afabilidade *requer profundidade clínica e amplitude de conhecimento *
  8. 8. Psicodinâmica 101 • Os pacientes podem vexar. • Os impasses no diagnóstico provocam angústia narcisista. • Os médicos frustrados não se identifican bem com os pacientes. • A mais ferramentas e capacidades, maior é a liberdade, as opções e as possibilidades de ter impacto positivo no paciente. • Quando o êxito é maior o paciente, o médico e a relação médico-paciente se sentem melhor. • O contrário também existe, o que é preocupante.
  9. 9. IMUNOLOGIA O composto olvidado dos “checapes”
  10. 10. “O que é alimento para alguns, é amargo veneno para outros.” Lucrécio – 099? a.C. – 055? a.C. De rerum natura.
  11. 11. “Os três Igs e três Histórias” •Ig E •Ig G •Ig xciting- emocionante oing along – indo junto Norant -ignorante
  12. 12. Anticorpos IgE: Reações catastróficas contra espirros e cocheira (testes da pele ou RAST) http://pathmicro.med.sc.edu/ghaffar/skintest.jpg
  13. 13. http://users.rcn.com/jkimball.ma.ultranet/B iologyPages/M/MastCell.gif www.souzaoenterprises.com/A llergiescomp.jpg CELLULAR immunity
  14. 14. O modelo de IgG1 humano foi creado por E. A. Padlan -- "Anatomy of the Antibody Molecule." Molecular Immunology 31:169 (1994) HUMORAL Immunity “As moléculas de globulina capazes de atacar os invasores.” [Guyton]
  15. 15. Ações e Efeitos Indiretos • Ação Direta dos anticorpos: – Aglutinação, precipitação, neutralização, lise • Efeitos Indiretos: Ativação complementar: – Lise, opsonização/fagocitose, quemotaxe, aglutinação, neutralização dos vírus, EFEITOS INFLAMATÓRIOS.
  16. 16. Diagnose de TDAH - DSM-IV ou 5 – Os sintomas apareceram antes dos 7 anos (12 anos em DSM 5). – Os sintomas provocam danos em 2 ou mais categorias. – Efeitos significativos nos âmbitos social, acadêmico ou ocupacional. – Exclui outros transtornos mentais.
  17. 17. From: www.patientmedia.com (usado com aprovação de William Esteb) A sua vida é indo a lugar nenhum ?
  18. 18. Alergias alimentares e TDAH na literatura científica • Get “THE THINKER” illustration•Alimentares alimentares aparentemente relacionadas com TDAH. •Antes de 1976 – Não era conocida a relação entre alergias e TDA. •1976 – Reatividade IgE + alergias alimentares = IQ mais baixo. •1985 – Parar os alimentos antigênicos = Melhora do TDAH. •1993 – Mais confirmação. •1994 – Algumas das crianças que melhoraram com a dieta NÃO tinham reatividade IgE. •2003 – Maior evidência que as sensibilidades que não são IgE relacionadas com alergias alimentares. •2002 – 2011 Pelsser LM et al – SEIS artigos publicados (European and Dutch literature, cf: www.pubmed.gov). •66 artigos – 19/8/2011 •82 artigos – 30/8/2015 !
  19. 19. Millman, et al – O artigo revolucionário • “Allergy & Learning Disabilities in Children” – Annals of Allergy, 1976 [36:3, 149-160.] • “The allergic tension-fatigue syndrome observed by Speer” – “A symptom complex accepted by many allergists.” • Alergias alimentares estabelecidas com o teste scratch ou com injeções intradérmicas. • Correlação positiva entre alergias alimentares [IgE] e coeficiente intelectual. –A mais alergias alimentares menor coeficiente intelectual.
  20. 20. Dieta oligoantigênica (sem testes) • “Controlled trial of oligoantigenic treatment in the Hyperkinetic Syndrome.” Egger et al. Lancet, March 9, 1985, 540-545. • Não foram realizados testes. • A crianças seguiram uma dieta restritiva empiricamente. – Duas carnes, duas fontes de carbohidratos, duas frutas, um vegetal, água, cálcio e vitaminas. • Não foram provocados sintomas de alergia; melhora no TDAH.
  21. 21. O estudo crossover – sem distinguir entre IgE e IgG • “Effects of a few foods diet on ADD.” Carter et al, Archives of Disease in Childhood, 1993;69:564-568. • “Poucos alimentos”. Dieta de eliminação. – 59 de 78 crianças melhoraram. • “Este estudo indica que a dieta pode contribuir à melhora dos transtornos comportamentais em crianças e que esse efeito pode ser mostrado em um estudo duplo cego, placebo”. • “As maneiras em que [esta] dieta funciona não ficam claras. Poderiam estar envolvidos tóxicos farmacológicos ou mecanismos alérgicos e os efeitos fisiológicos dos diferentes alimentos podem variar”.
  22. 22. Cuidados Profundos • “Effects of a few foods diet on ADD.” Carter et al, Archives of Disease in Childhood, 1993;69:564-568 (cont.) • “O tratamento que foi aplicado nesse estudo tem disvantagens. É um régime difícil e preciso que produz um esforço estremo em toda a família. Não fica claro se as dietas modificadas também seriam efetivas… Portanto poderia ser possível determinar uma dieta menos restritiva com resultados similares.” • Impressão de Cady: “Atirar no escuridão é perigoso”.
  23. 23. A aparência do IgG • “Os alimentos e aditivos são causas comuns de TDAH em crianças”. Boris, et. al. Annals of Allergy, vol.. 72, 1994, 462-468. • “DBPCF” - “Test duplo cego placebo controlado”. • 4/19 crianças que mostraram melhoras com a remoção dos alimentos não eram atópicos
  24. 24. “Alergia alimentar IgE e não IgE” • Sabra, et al. Annals of Allergy, Asthma, and Immunology 2003;90 (Suppl 3)71-76. • “O aparelho digestivo serve não somente uma função nutritiva sinão que também é um orgão imunológico. Embora acreditávamos que principalmente um mecanismo mediado pelo IgE o provocava, a evidência considerável agora sugire que os mecanismos que não são IgE também poderiam estar envolvidos na patogênese da alergia alimentar.
  25. 25. Paciente: “Billy” • 8/1998 – criança da Europa do Leste de 4 anos adotada. – “TDAH e problemas comportamentais, destrutivo.” – Os primeiros 3 anos de vida em um orfanato. • História Psicológica Familiar: – Pae – “Psicose inducida por substâncias”. – Mãe – “Descompesações esquizofrênicas freqüêntes”.
  26. 26. Sintomas do Billy • “Mercurial” – Fácil de se dar bem (exceto com a hiperatividade) mais tem semanas nas quais olha furiosamente, fica taciturno, com mau humor, puxa os irmãos, joga a comida, etc. • MSE – Muito hiperativo. Não pode enfocar nem jogando Nintendo (!) Foi encontrado de pé sobre uma caixa no salão de vídeos, supervisado por seu pai. DSM-IV: 5/6 • Estudo prévio de Rx: De 5 mg a 10 mg de sais misturadas de anfetamina tiveram efeito negativo. • ….Começou metilfenidata e clonidina
  27. 27. Billy, cont. • Algumas melhoras • 3/1999 – aumento do mau humor. Triste, disforia. – Adicionamos sertralina. – Metilfenidata com duração de 1 ½ horas • 5/1999 - 4 ½ anos. Resultado dos testes: – Compreensão auditoria = 2 anos 11 meses – Linguagem total = 2 anos 11 meses • 6/1999 – óleo de linho, L-tirosina, tabletas de Pediactive. Castigos constantes o pai apresentou sintomas de depressão.
  28. 28. Billy, cont – 1999 - 2000 • A Ritalina e o Adderall não funcionavam. • Humor terrível ao ponto de arranhar a cara. Urinando na cama. • 12/1999 – começou a risperidona – 1mg de manhã e ½ mg mais tarde. • 2/2000 – Teste psicológico – IQ 78 – TDAH – Inteligência Borderline. – Problemas de processamento mental. – A “psicose infantil” foi eliminada.
  29. 29. Billy, cont. • 3/2000 – Valproato adicionado para ajudar ao humor e ao sintoma “bipolar”. A situação piorou. Cambaleio. – DSM IV 6/7 – risperidona, guanfacina, sertralina, valproata, metilfenidata SR (aos 6 anos de idade) • Verão – Tratamento OROS MPH. Resposta boa “com uma queda antes de começar a escola”. • 10/2000 – “Olhadas fixas.” Revisado pelo neurologista. EEG negativo. • Mayo sugiriu mas os seguros não pagariam.
  30. 30. Billy, final de 2000 • Outono 2000: – Mordeu e atacou a professora com um lápis, chutou a cadeira, a parede e a escrivanhia, cuspou no chão e à professora. Colocou carros em filas obsesivamente, estalava os lábios (Diskinesia tardia?) • Tratado com risperidona, valproato e OROS metilfenidato. • 8/2001 – 2002 Melhor mas ainda imprevisível e ataques de fúria. Olanzapina e mais valproato. • 8/2002 – Joga objetos às janelas. O Valproato não funciona. Mudanças de humor.
  31. 31. Maio 2002: 9 Conferência Anual IFM
  32. 32. Billy, 2003 • Imprevisível constante até que começou ziprasidona. – Menor hiperatividade – Não urinava na cama – Melhor linguagem e contato visual. • Julho 2003 – Realizou o teste de alergia alimentar IgG
  33. 33. Billy – Sensibilidad alimentar IgG Julho 2003 • Mais do que 21 reações... Das quais….. – Queijo (3+) – Leite de vaca (3+) – Leite de cabra (2+) – Levedura de cerveja (3+) – Milho-miúdo (+1) – Alface (!) (+1) Revisou os resultados com uma mãe com esperteza (quem não recomendou NADA).
  34. 34. Billy, 2003 - 2004 • Variável. Não seguiu uma dieta séria. • 9/2003 “definitivamente não pode ficar sentado. Mudanças de humor, fica zangado muito rápido”. • 12/2003 – não melhorou – Tratamento: Valproato, ziprasidona, OROS Metilfenidato, Clonidina. – 1/2004 – Nível VPA 122 ug/ml; {50 – 100} • 3/2004 - O pai falou: “Ele é estremamente bom quando faz o que quer, mas um idiota para tratar as pessoas.”
  35. 35. Intervenções Radicais • Junho 2004 – Adicionado lítio. – Aumentou toxicidade brevemente mas houve melhora. – Tentaram fazer tratamento tx. • Foi ordenado o painel de Ácidos Graxos. • Foi recomendado pegar as alergias alimentares COM SERIEDADE.
  36. 36. Manifestações Clínicas da Deficiência de Ácidos Graxos • Dermatite • Maior apetito e ingestão calórica nas crianças (adultos?!) • Dificuldade para curar feridas • Irritabilidade • Alopécia, cabelo seco, caspa • Unhas quebradiças • Susceptibilidade às infecções • Sede, polidipsia, poliuria • Infiltração de graxas no fégado • Fragilidade capilar • Fragilidade dos glóbulos vermelhos • Relação colesterol/HDL elevada
  37. 37. Resultados dos Ácidos Graxos Essenciais Valor Faixa de Referência EPA 3 (L) 20 - 80 DHA 32 (L) 70 - 150
  38. 38. Billy – 3 de maio 2005 • Estável. Parou de furtar comida. • Restrições IgG: Trigo, glúten*, leite de vaca, açúcar processsado (tolerava o açúcar de cana sem processar). Todas as formas de chocolate e cafeína. • Bebidas: limonada caseira, leite de soja ou de arroz • Seguia um programa de música na escola. “Aprendeu canções que não conhecia.” • MEDS: Levocarn; 72 mg OROS metilfenidato, óleo de peixe (DHA); 20 mg ziprasidona (1/2 do que antes) – Eliminados: Lítio, risperidona e valproato • Prognose: Excelente. Ainda com problemas cognitivos mas progressando na escola, o comportamento é estável sem mudanças de humor nem fúria. * Nota – não tinha sido detetado originalmente nos testes.
  39. 39. Billy – 23 de junho 2009 • Adolescente estável. “Bom comportamento exceto quando sua vontade não é respeitada”. • Restrições IgG: Trigo, glúten, leite de vaca, açúcar processado (tolera a cana de açúcar sem processar). Todas as formas de chocolate e cafeína. • Mais expressivo: Sobre a terapia das mascotas comenta “Este cachorro não grosna, ele gosta da gente”. • MEDICAMENTOS: – Óleo de peixe “carregado de DHA” duas vezes ao dia. – Multivitamínico de manhã. – Lis-dexamfetamina 70 mg, reforço de metilfenidata de tarde; risperidona 0.5 mg duas vezes, valproato 500 mg ER duas vezes. • Sintomas TDAH: – Zero – Sintomas de desatenção. – UM – Sintoma de hiperatividade ou impulsividade.
  40. 40. Status: 17 de agosto 2011 • “Ele está muito bem”. • Tentaram reintroducir alimentos sem êxito. – Ocasionalmente come maçãs. – Não come laticínios, glúten, cítricos ou bananas. • Colégio – Um ano atrás (em educação especial). • Bom relacionamento com irmãos, não progressou mais do que o primeiro grau academicamente mas os talentos espaciais visuais excelentes. • Trabalhou no jardim. Moveu 8 toneladas de pedras.
  41. 41. DA HIPERATIVIDADE A DORES DE CABEÇA …e dor nas articulações, enxaqueca, pouca claridade mental, intestino irritável, asma, fadiga, dor geral.
  42. 42. www.pubmed.com busca em 30 de agosto 2015 Correlações entre a alergia alimentar e: • Depressão • Ansiedade • Psicose aguda • Autismo • Esquizofrenia
  43. 43. Glúten – Um dos “acusados” na sensibilidade alimentar • Headaches • Tearing up your gut • Depression • Suicide* – * Untreated celiac disease and attempted suicide. Lancet, September 1995. Pelligrino et al
  44. 44. Glúten e doenças neurológicas • “Os estudos mais recentes tem enfatizado que um amplo espectro de síndromes neurológicas poderiam ser a manifestação extraintestinal da sensibilidade ao glúten com ou sem patologia intestinal”. – -Bushara, KO. Neurologic presentation of celiac disease – Gastroenterology. 2005 Apr; 128(4 Suppl 1):592-7.
  45. 45. “UBO’s on MRI” – the gluten connection • 10 pacientes – tinahm dores de cabeça. – Imagem por ressonância magnética. – UBO’s • 6 – instável, 4 perturbações da marcha. • 90% responderam à dieta sem glúten.
  46. 46. “Apresentação Atípica” Clássica • Homem de 43 anos em boa condição aeróbica, ciclista competitivo e vendedor de farmacéuticos. Bebe shakes (soro de leite). Cansado com vários sintomas vagos nos últimos 3 anos. Cochila no carro de tarde. – Se sentia nauseado nos últimos dois anos. O médico ignorou ele. • Aos 41 anos diagnosticado com febre do carrapato. Tratado com Doxiciclina. – Diagnostico de úlcera com + h. pylori. • Tratamento: Macrodantina e Flagyl. – “Começou uma sensação de alfinetes e agulhas na pele – Maio 2009 (A antihistamina não funcionou).
  47. 47. Intervenções e Tratamentos • Estudo do sono – Não revelou nada. • O dermatólogo considerou possibilidade de alergia IgE. Trataram com anti-histamina mas os sintomas voltaram. • Dor muscular – O médico não ajudou. • Testosterona transdérmica sem resultados. • Colecistectomia – Sept 2009 • Prisão de ventre severa Dic 2009 – vários dias sem defecar. • Colonoscopia – Possível “sobrecrescimento de bactérias no intestino” antibióticos. • Possível Lyme – mais antibióticos.
  48. 48. Outros tratamentos: - Tomografia cérebro – normal - Tomografia abdômen – normal - Ecografia hepatobiliar – anormal - Vesícula biliar – Extraida - Ressonância magnética lumbar baixo – quase normal com um disco apenas saliente - Ressonância torácica e cervical – Bem. - Colonoscopia e sigmoidoscopia – Benign. - Biópsia muscular – “Dano no nervo” - Electro e ecocardiograma – Na faixa normal.
  49. 49. Sintomas na apresentação • Mente e emoções: – Depressão – Dificuldades de memória e atenção. – Períodos de atenção curtos. – Debilidade, fadiga, perda de energia. • Miscelâneos: – Fadiga. – Apatia ou letargia . – Apnéia (revisada anteriormente) . – Dificuldade para levantar de manhã. • Úlceras recurrentes.
  50. 50. Mais sintomas na apresentação • Pele reseca e com rugas. • Círculos escuros sob os olhos. • Erupções persistentes com sensação de agulhas. • “peso” nas pernas e falta de ar. • Exhaustão com o mínimo esforço. • Alguns alimentos causam sensação de doença. • Dificuldade para perder peso. • Precisa de beber café de manhã. • Cansado entre 1 e 3 horas depois das comidas. • Sensações de desmaio e debilidade. • Considera-se com sobrepeso.
  51. 51. Resultados relevantes (ordenados antes da visita):
  52. 52. O que pode ser conseguido com uma abordagem integrativa em 15 meses: Tratamento: Dieta sem laticínios (+IgG); D3 5000 IU/d; Armour tireóide, testosterona cipionato 100 mg IM q wk, MVI, Zinco, DHEA 50 mg SR, CoQ10 400mg (15 meses após tratamento) (permission granted to use photos & data)
  53. 53. Mais outro caso: Joey - 28/6/11 • Garoto de 11 anos com diagnóstico de TDAH e Apraxia na fala; problemas de leitura, escritura, linguagem oral expressiva, matemáticas, pôr em seqüência. • Medicamente: – História de “intestino preguiçoso” • “Não defeca mais do que 2 vezes por semana”. • Dieta: Gosta do queijo, nuggets de frango, sorvete, Coca Cola, pizza. Gostava do queijo cottage. – Os sintomas gastrointestinais não respondiam. • Dx 1: TDA: 9/6 desatenção com MEDICINAS. • Dx 2:“Sensibilidades IgG prováveis com problemas de prisão de ventre”.
  54. 54. Suspeita de sensibilidade IgG aos latícinios. Teste e resultados: • O IgE RAST = Resultado NEGATIVO. • 25/7/11 – sem mudanças, 2 defecações em um mês. – IgG ordenado (a mãe se resistia por causa do custo. Finalmente realizado após esta visita). RESULTADOS: • Leite – SEVERA • Leve: Ervilha, feijões pinto, milho, alho, tomate, trigo • 15/8/11 – A prisão de ventre e a retenção de fezes foram eliminadas.
  55. 55. O que aprendi e o que podemos aprender • Pense primeiro na “the matrix”. • A avaliação e avaliação funcional e imunológica é um pré-requisito para a melhora em alguns casos. – (“No podemos saber com ver”.) • Erros psicodinâmicos (“culpar o paciente”) podem sabotar progressos miraculosos. • O corpo humano tem uma capacidade maravilhosa para se curar naturalmente se permitimos.
  56. 56. Desafios no diagnóstico e sensibilidades IgG - Oportunidades • “Casos difíceis”. • Sintomas esquisitos e múltiples. • Dores de cabeça. • Sintomas gastrointestinais, vontade grande de comer algo ou ambos. • Sintomas TDAH e “bipolar”. • Problemas de processamento. • Dores de cabeça resistentes aos tratamentos médicos e quiroprácticos. • Fadiga, pouca claridade mental, fúria.
  57. 57. Personal collection - Louis B. Cady, M.D.
  58. 58. Provavelmente a capacidade de não somente obter a confiança do paciente, mas de merecê-la, consiste em ver o que ele deseja e precisa com o uso do sexto sentido, a intuição. Este vem da ampla experiência e profunda simpatia e devoção para o paciente, o que permite ao médico uma capacidade incrível de atingir resultados. ...William J. Mayo, 1935
  59. 59. Informações de contato: Louis B. Cady, M.D. www.cadywellness.com www.Facebook/cadywellness www.TMS-relief.com Escritório: 812-429-0772 E-mail: lcady@cadywellness.com 4727 Rosebud Lane – Suite F Interstate Office Park Newburgh, IN 47630 (USA) Download from iTunes or Android App store now! www.slideshare.net/lcadymd -para todas as imagens de Powerpoint
  60. 60. Outras diapositivas para mais informação no apêndice 
  61. 61. Noções de fundo – Greben (apêndice) • “A prática da psicoterapia [e da medicina!] é, e vai ser, em grande medida uma arte” • “A psicoterapia deve ter uma base teórica…” • “É provável que aqueles elementos que são terapêuticos em cualquer forma de psicoterapia [ou encontro curativo com o médico – Cady] estejam presentes em qualquer outra forma de psicoterapia [encontro] a um grau significativo”. “On Being Therapeutic” [Canadian Psychiatric Association Journal. Vol. 22(1977) 371-380.
  62. 62. Conclusões de Greben: • Não técnicas aprendidas mas refleções da personalidade e do caráter e valores do terapeuta. • “Existe um espectro” • “Todo pode melhorar com entendimento… porque aumenta a possibilidade de um bom efeito terapêutico”. Todo isso é relevante para o médico inteligente porque melhora a comunicação e o relacionamento com o paciente!
  63. 63. 121 crianças com múltiples alergias alimentares. -44 tinham reações imediatas -Dos 44, 41 também tinham reações tardias. -77 tinham SOMENTE alergias tardias. -O que significa que 118/121 tinham reações IgG!
  64. 64. Nutrição e TDAH • “Há muita evidência que muitas crianças com problemas comportamentais têm sensibilidades a um ou mais compostos de alimentos que podem afetar negativamente seu comportamento…Geralmente, a modificação da dieta tem um papel importante no TDAH e deveria ser considerada como parte dos protocolos de tratamento”. • Schnoll, et al. Appl Psychophysiol Biofeedback. 2003 Mar;28(1):63-75
  65. 65. 236 refs julho 2005; 315 refs 23 junho 2009 329 refs 17 agosto 2011 390 refs 30 agosto 2015 August 30, 2015
  66. 66. Fibro, depósitos de IgG e “inflamação neurogênica"
  67. 67. Shooting in the dark with milk - 1986... ou: “O que fazer se você não tem um teste?!"
  68. 68. Sensibilidades IgG em intestino irritável • 100% de 20 pacientes com intestino irritável com sensibilidades IgG confirmadas e tratados com dietas de eliminação e rotação tinham melhoras significativas. – A melhora continuou durante um ano. – Eles REPROVARAM “terapias médicas estandard em uma clínica médica”. • Drisko et al. Treating irritable bowel syndrome with a food elimination diet followed by food challenge and probiotics. J Am Coll Nutr. 2006 Dec;25(6):514-22 University of Kansas Medical Center – 150 patients – outro estudo - “A eliminação de alimentos baseada nos anticorpos IgG pode ser efetiva na redução de sintomas do intestino irritável e merece mais investigação biomédica”. • Atkinson, et al. Food elimination based on IgG antibodies in IBS: a randomized control trial. Gut. 2004 Oct;53(10):1459-64.
  69. 69. 43 refs julho 2005 58 em 6/23/2009 66 em 8/18/2011 83 citações – 30 agosto 2015
  70. 70. Tem que ser celíaco ou glúten para afetar sua cabeça? Answer: NO! - A prevalência da enxaqueca é elevada – 18% - Foram examinados os alérgenos específicos IgG no soro dos pacientes QUE NÃO RESPONDIAM AO TRATAMENTO TRADICIONAL. -Os anticorpos IgG obtidos a 108 alérgenos medidos em 56 pacientes com enxaqueca e um grupo controle. -Foram encontradas diferências significativas entre o grupo da enxaqueca e o controle em várias alergias alimentares. -CONCLUSÕES: “CONFORME AOS RESULTADOS OBTIDOS, os anticorpos IgG no soro a alimentos comuns deveriam ser avaliados em pacientes com enxaqueca”.
  71. 71. O que procurar… • Problemas gastrointestinais. • Apresentações atípicas. • Associações KNOWN (autismo). • Variações de sintomas com a dieta. • Uso excessivo de antibióticos (cândida). • Pouco progresso com o tratamento.
  72. 72. Pediatras observadores e pais deprimidos e celíacos
  73. 73. Corvaglia, et al 1999 • 3 pacientes adultos com doença celíaca sem diagnosticar ou tratar. • Encontrados por pediatras que estudaram a história familiar das crianças. • A diagnose de doença celíaca foi FEITA na infância, mas pararam a dieta porque não apresentavam sintomas gastrointestinais. • Nos três pacientes a depressão melhorou com a dieta sem glúten.

×