SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
Baixar para ler offline
NORBERT ELIAS – O
PROCESSO CIVILIZADOR
Reflexões sobre a obra
Lucio
SONHOS DE CIVILIZAÇÃO
O PROCESSO CIVILIZADOR
Elias analisa a história dos costumes a partir da formação do Estado Moderno e suas influências sobre a
civilização. Nessa, que é reconhecida como sua maior obra, Elias leva-nos a pensar no que aconteceria se um
homem da sociedade contemporânea fosse, de repente, transportado para uma época remota de sua
própria sociedade. É possível que encontrasse um modo de vida muito diferente do seu, alguns hábitos e
costumes lhe seriam atraentes, convenientes e aceitáveis do seu ponto de vista, enquanto outros seriam
inadequados. Estaria diante de uma sociedade que, para ele, não seria civilizada. No Processo Civilizador,
Elias procura analisar questões fundamentais como quais os motivos e de que forma ocorreu essa mudança?
Dito de outra forma, as demandas sociais de cada tempo histórico possibilitam transformações
nos hábitos e costumes socialmente aceitos. Essas transformações sucessivas na civilidade
humana permitiram o atual grau de civilização e o desenvolvimento de nossa época, no
entanto, esse processo não seria obra de planejamento de uma única pessoa ou grupo de
pessoas. Foi a somatória dessas transformações que permitiu a constituição da atual
civilização
DE CERTA FORMA COMPROVANDO AS TESES DE UMA IMBRICADA RELAÇÃO ENTRE O INDIVIDUO
,SOCIEDADE E AS TENSÕES SOCIAIS DE UM DETERMINADO TEMPO HISTÓRICO O PROCESSO
CIVILIZADOR .
PÚBLICADO PELA PRIMEIRA VEZ EM 1936 - O PROCESSO CIVILIZADOR -FEZ MUITO POUCO
SUCESSO, POIS AQUELA REALMENTE NÃO ERA UMA BOA HORA PARA O LANÇAMENTO DE UM
LIVRO ESCRITO EM ALEMÃO, POR UM JUDEU E QUE, SOBRETUDO, FALAVA SOBRE CIVILIZAÇÃO.
ELIAS ANALISA A OBRA DE ERASMO DE ROTTERDAM COMO UM DOCUMENTO DE UMA
ÉPOCA , UM MANUAL DE CIVILIDADE. ESTE DOCUMENTO SIMBOLIZAVA UM PRESENTE
INDESEJADO E UM FUTURO DESEJADO , SOBRE UMA SOCIEDADE TRADICIONAL E UMA
OUTRA SOCIEDADE A SER CONSTRUÍDA SOB NOVAS BASES DE RELACIONAMENTO. NESTE
CASO UMA SOCIEDADE DE CAMPONESES- UMA SOCIEDADE BASEADA EM TRABALHO NO
CAMPO, NA PASSAGEM PARA UMA SOCIEDADE INDUSTRIAL ESTE TIPO DE TRABALHO E DE
ETHOS NÃO ERA MAIS DESEJADO.
DE PUERIS- DE MENINOS – ERASMO DE ROTTERDAM
“Nariz sujo e mucosa pituitária são sinais de indivíduo desasseado. Aliás, houve quem reprovasse o
filósofo Sócrates por tal defeito.” – “Limpar o nariz no braço ou sobre o cotovelo é próprio dos
camponeses.” – “Não é bonito também limpar o nariz com as mãos e, depois, esfrega-las nas
vestes.”
-Espirro“Se na presença de outras pessoas, ocorre o espirro, é de bom tom virar o dorso. Uma vez
passado o acesso, há de se fazer o sinal da cruz sobre os lábios e , a seguir, tirando o barrete, fazer
um cumprimento às pessoas que disseram “saúde” ou pelo menos, deveriam tê-lo dito.”
- O pão
[..] apertar o pão com a palma da mão para depois parti-lo em pedaços com as pontas dos dedos.
É coisa de cortesão. Tu porem deves cortá-lo, com a faca, indo de um lado para o outro. “Isso sim
revela modo de gente refinada.”
A SOCIEDADE DO PRESENTE QUE INTERESSA A ELIAS É A QUE FLORESECEU
EM ALGUNS PAÍSES DA EUROPA OCIEDENTAL E DISSEMINOU UMA MANEIRA
PRÓPRIA DE SER PENSAR, DE SE APRESENTAR DIANTE DAS OUTRAS DE SE
AUTO OLHAR.
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE ????
ESSA ATITUDE DE JULGAR O OUTRO A
PARTIR DOS NOSSOS PADRÕES
SÓCIO-CULTURAIS É CONHECIDA
COMO ETNOCENTRISMO
Quando estranhamos maneiras de ser distintas das
nossas, que aceitamos e aprovamos , somo
tentados a definir nosso jeito de ser como bom,
desejável , melhor, e a classificar o diferente
distante , desconhecido como “ruim”, “atrasado”,
“decadente”, “selvagem”, “rude”.
QUEM TEM A BOMBA????
Em 711, os muçulmanos (mouros ou
árabes) cruzaram o Estreito de Gibraltar
e invadiram a Península Ibérica
Embora cientificamente mais
adiantados, os árabes não
desprezaram os conhecimentos
advindo dos habitantes da península.
Tais conhecimentos foram utilizados nas
escolas e observatórios que criaram e
também deram a eles a sua própria
contribuição. Assim, surgiu uma cultura
riquíssima e uma ciência que não só
produziu obras muito importantes, como
também foi aproveitada na prática.
Na agricultura, introduzem
novas formas de regar a terra
como a cegonha ou picota
e a roda ou nora. Estas
técnicas vão permitir
aumentar a produção, com
muito menos esforço.
Na Matemática, por exemplo,
trouxeram o atual sistema de
numeração, a numeração árabe,
a cujos sinais damos o nome de
algarismos.
Na Arquitetura, O arco em ferradura é
um elemento caraterístico da arquitetura
árabe, tal como a utilização do azulejo
que introduziram na península Ibérica.
“DICAS” DA FIFA
VEJA DICAS DA FIFA PARA TURISTA QUE VISITARÁ O BRASIL.
1 - Sim não significa sempre sim: é a entonação da voz que define
se o sim é
realmente um sim, ou um talvez. Por isso, "não espere o telefone
tocar nos
próximos cinco minutos" se um brasileiro dizer "te ligo na
sequência".
2 - O tempo é flexível: não espere que o brasileiro seja pontual. "Se
duas
pessoas marcam de se encontrar às 12h30, elas vão se ver a partir
das 12h45".
3 - Contato corporal: brasileiros não estão acostumados com o jeito
dos
europeus de se manter educadamente uma distância entre um e
outro. Eles
falam usando as mãos e não vão hesitar em tocar na pessoa com
quem estão
falando.
4 - Filas: Esperar pacientemente numa fila não está no DNA dos
brasileiros,
que preferem cultivar o caos.
5 - Sobrevivência das maiores: nas ruas, os pedestres são
ignorados, e mesmo
na faixa de pedestres, raramente um motorista vai parar.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Alienação e-trabalho
Alienação e-trabalhoAlienação e-trabalho
Alienação e-trabalhoEdirlene Fraga
 
Conceitos básicos de sociologia
Conceitos básicos de sociologiaConceitos básicos de sociologia
Conceitos básicos de sociologiaGilmar Rodrigues
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 01 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 01 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 01 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 01 do Tomazipascoalnaib
 
As origens e os principais teóricos da sociologia
As origens e os principais teóricos  da sociologiaAs origens e os principais teóricos  da sociologia
As origens e os principais teóricos da sociologiaLucio Oliveira
 
Industria Cultural e Cultura de Massa
Industria Cultural e Cultura de MassaIndustria Cultural e Cultura de Massa
Industria Cultural e Cultura de MassaElisama Lopes
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 02 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 02 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 02 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 02 do Tomazipascoalnaib
 
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)e neto
 
Teoria crítica e educação
Teoria crítica e educaçãoTeoria crítica e educação
Teoria crítica e educaçãorichard_romancini
 
Indivíduo e Sociedade
Indivíduo e SociedadeIndivíduo e Sociedade
Indivíduo e Sociedadecarlosbidu
 
7 positivismo comte slide
7 positivismo comte slide7 positivismo comte slide
7 positivismo comte slideErica Frau
 
Indústria Cultural
Indústria CulturalIndústria Cultural
Indústria CulturalMunis Pedro
 

Mais procurados (20)

Alienação e-trabalho
Alienação e-trabalhoAlienação e-trabalho
Alienação e-trabalho
 
Conceitos básicos de sociologia
Conceitos básicos de sociologiaConceitos básicos de sociologia
Conceitos básicos de sociologia
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 01 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 01 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 01 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 01 do Tomazi
 
01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia
 
As origens e os principais teóricos da sociologia
As origens e os principais teóricos  da sociologiaAs origens e os principais teóricos  da sociologia
As origens e os principais teóricos da sociologia
 
Emile durkheim
Emile durkheimEmile durkheim
Emile durkheim
 
Industria Cultural e Cultura de Massa
Industria Cultural e Cultura de MassaIndustria Cultural e Cultura de Massa
Industria Cultural e Cultura de Massa
 
Auguste comte
Auguste comteAuguste comte
Auguste comte
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 02 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 02 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 02 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 02 do Tomazi
 
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
Os Clássicos da Sociologia (Émile Durkheim)
 
Surgimento da Sociologia
Surgimento da SociologiaSurgimento da Sociologia
Surgimento da Sociologia
 
Clássicos da sociologia
Clássicos da sociologiaClássicos da sociologia
Clássicos da sociologia
 
Industria cultural
Industria culturalIndustria cultural
Industria cultural
 
Teoria crítica e educação
Teoria crítica e educaçãoTeoria crítica e educação
Teoria crítica e educação
 
Indústria Cultural
Indústria CulturalIndústria Cultural
Indústria Cultural
 
Karl marx
Karl marxKarl marx
Karl marx
 
Indivíduo e Sociedade
Indivíduo e SociedadeIndivíduo e Sociedade
Indivíduo e Sociedade
 
Socialismo e comunismo
Socialismo e comunismo  Socialismo e comunismo
Socialismo e comunismo
 
7 positivismo comte slide
7 positivismo comte slide7 positivismo comte slide
7 positivismo comte slide
 
Indústria Cultural
Indústria CulturalIndústria Cultural
Indústria Cultural
 

Destaque

Norbert elias conceptos basicos
Norbert elias  conceptos basicosNorbert elias  conceptos basicos
Norbert elias conceptos basicosmaria ester rivas
 
Norbert Elias, El proceso de la civilizacion
Norbert Elias, El proceso de la civilizacionNorbert Elias, El proceso de la civilizacion
Norbert Elias, El proceso de la civilizacionJosé Durán
 
Sonhos de civilização
Sonhos de civilizaçãoSonhos de civilização
Sonhos de civilizaçãoAldenei Barros
 
Norbert elias e pierre bordieu
Norbert elias e pierre bordieuNorbert elias e pierre bordieu
Norbert elias e pierre bordieumaah_vianah
 
La sociedad de los individuos
La sociedad de los individuosLa sociedad de los individuos
La sociedad de los individuosKata Suarez
 
Estrutura e mobilidade social conecte
Estrutura e mobilidade social   conecteEstrutura e mobilidade social   conecte
Estrutura e mobilidade social conecteLucio Braga
 
Estado liberal e contratualismo
Estado liberal e contratualismoEstado liberal e contratualismo
Estado liberal e contratualismoLucio Braga
 
Metodos e pesquisa em ciências sociais aula 2
Metodos e pesquisa em ciências sociais aula 2Metodos e pesquisa em ciências sociais aula 2
Metodos e pesquisa em ciências sociais aula 2Lucio Braga
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociaisLucio Braga
 
Nobert Elias, Pierre Bourdieu e Laranja Mecânica
Nobert Elias, Pierre Bourdieu e Laranja MecânicaNobert Elias, Pierre Bourdieu e Laranja Mecânica
Nobert Elias, Pierre Bourdieu e Laranja MecânicaDalmo Alexsander
 
La sociedad y el individuo
La sociedad y el individuoLa sociedad y el individuo
La sociedad y el individuomariely2012
 
La sociedad de los individuos.
La sociedad de los individuos.La sociedad de los individuos.
La sociedad de los individuos.Kitty Sánchez
 
Tramitacao- Marco Civil da Internet
Tramitacao- Marco Civil da InternetTramitacao- Marco Civil da Internet
Tramitacao- Marco Civil da InternetLucio Braga
 

Destaque (20)

Norbert elias conceptos basicos
Norbert elias  conceptos basicosNorbert elias  conceptos basicos
Norbert elias conceptos basicos
 
Norbert elias
Norbert eliasNorbert elias
Norbert elias
 
Os estabelecidos e os outsiders
Os estabelecidos e os outsidersOs estabelecidos e os outsiders
Os estabelecidos e os outsiders
 
Norbert Elias E Pierre Bourdieu
Norbert Elias E Pierre BourdieuNorbert Elias E Pierre Bourdieu
Norbert Elias E Pierre Bourdieu
 
Elias, norbert. teoria simbólica
Elias, norbert. teoria simbólicaElias, norbert. teoria simbólica
Elias, norbert. teoria simbólica
 
Norbert Elias, El proceso de la civilizacion
Norbert Elias, El proceso de la civilizacionNorbert Elias, El proceso de la civilizacion
Norbert Elias, El proceso de la civilizacion
 
Sonhos de civilização
Sonhos de civilizaçãoSonhos de civilização
Sonhos de civilização
 
Norbert elias e pierre bordieu
Norbert elias e pierre bordieuNorbert elias e pierre bordieu
Norbert elias e pierre bordieu
 
La sociedad de los individuos
La sociedad de los individuosLa sociedad de los individuos
La sociedad de los individuos
 
Estrutura e mobilidade social conecte
Estrutura e mobilidade social   conecteEstrutura e mobilidade social   conecte
Estrutura e mobilidade social conecte
 
Estado liberal e contratualismo
Estado liberal e contratualismoEstado liberal e contratualismo
Estado liberal e contratualismo
 
Norbert elias e pierre bourdieu
Norbert elias e pierre bourdieuNorbert elias e pierre bourdieu
Norbert elias e pierre bourdieu
 
Metodos e pesquisa em ciências sociais aula 2
Metodos e pesquisa em ciências sociais aula 2Metodos e pesquisa em ciências sociais aula 2
Metodos e pesquisa em ciências sociais aula 2
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
Nobert Elias, Pierre Bourdieu e Laranja Mecânica
Nobert Elias, Pierre Bourdieu e Laranja MecânicaNobert Elias, Pierre Bourdieu e Laranja Mecânica
Nobert Elias, Pierre Bourdieu e Laranja Mecânica
 
La sociedad y el individuo
La sociedad y el individuoLa sociedad y el individuo
La sociedad y el individuo
 
La sociedad de los individuos.
La sociedad de los individuos.La sociedad de los individuos.
La sociedad de los individuos.
 
DE LOS OUTSIDERS DE NORBERT ELIAS
DE LOS OUTSIDERS DE NORBERT ELIASDE LOS OUTSIDERS DE NORBERT ELIAS
DE LOS OUTSIDERS DE NORBERT ELIAS
 
La sociedad
La sociedadLa sociedad
La sociedad
 
Tramitacao- Marco Civil da Internet
Tramitacao- Marco Civil da InternetTramitacao- Marco Civil da Internet
Tramitacao- Marco Civil da Internet
 

Semelhante a Elias analisa formação do Estado Moderno e influências sobre civilização

História, Crise e Dependência do Brasil
História, Crise e Dependência do BrasilHistória, Crise e Dependência do Brasil
História, Crise e Dependência do Brasilcarlos ars
 
Estudo sobre surdez - II
Estudo sobre surdez - IIEstudo sobre surdez - II
Estudo sobre surdez - IIasustecnologia
 
Dia da consciencia negra reeditado em 2020
Dia da consciencia negra   reeditado em 2020Dia da consciencia negra   reeditado em 2020
Dia da consciencia negra reeditado em 2020Fabio Rogerio Nepomuceno
 
Trajetórias na educação_dos_surdos
Trajetórias na educação_dos_surdosTrajetórias na educação_dos_surdos
Trajetórias na educação_dos_surdosPaula Aparecida Alves
 
Cap 8 antropologia social
Cap 8 antropologia socialCap 8 antropologia social
Cap 8 antropologia socialJoao Balbi
 
Cap 8 antropologia social
Cap 8 antropologia socialCap 8 antropologia social
Cap 8 antropologia socialJoao Balbi
 
Estudos2 091010061921-phpapp01
Estudos2 091010061921-phpapp01Estudos2 091010061921-phpapp01
Estudos2 091010061921-phpapp01Assis- SP
 
Aula introdutória de História
Aula introdutória de HistóriaAula introdutória de História
Aula introdutória de Históriavivas85
 
Certeau a cultura no plural
Certeau a cultura no pluralCerteau a cultura no plural
Certeau a cultura no pluralMyllena Azevedo
 
Aula 01 de ciências humanas e suas tecnologias
Aula 01 de ciências humanas e suas tecnologiasAula 01 de ciências humanas e suas tecnologias
Aula 01 de ciências humanas e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Sergio Buarque de Holanda
Sergio Buarque de HolandaSergio Buarque de Holanda
Sergio Buarque de HolandaJuli Rossi
 
História, cultura e sociedade
História, cultura e sociedadeHistória, cultura e sociedade
História, cultura e sociedadeEdpositivo
 
A História do Antigo Egito
A História do Antigo EgitoA História do Antigo Egito
A História do Antigo EgitoRose vargas
 
Apostila libras-reformulada- completa
Apostila libras-reformulada- completaApostila libras-reformulada- completa
Apostila libras-reformulada- completaAnisia Barros
 

Semelhante a Elias analisa formação do Estado Moderno e influências sobre civilização (20)

Historia da Educação dos Surdos.
Historia da Educação dos Surdos. Historia da Educação dos Surdos.
Historia da Educação dos Surdos.
 
História, Crise e Dependência do Brasil
História, Crise e Dependência do BrasilHistória, Crise e Dependência do Brasil
História, Crise e Dependência do Brasil
 
Historia vol1
Historia vol1Historia vol1
Historia vol1
 
Estudo sobre surdez - II
Estudo sobre surdez - IIEstudo sobre surdez - II
Estudo sobre surdez - II
 
História i módulo
História i móduloHistória i módulo
História i módulo
 
Dia da consciencia negra reeditado em 2020
Dia da consciencia negra   reeditado em 2020Dia da consciencia negra   reeditado em 2020
Dia da consciencia negra reeditado em 2020
 
Introducao a sociologia
Introducao a sociologiaIntroducao a sociologia
Introducao a sociologia
 
Trajetórias na educação_dos_surdos
Trajetórias na educação_dos_surdosTrajetórias na educação_dos_surdos
Trajetórias na educação_dos_surdos
 
Cap 8 antropologia social
Cap 8 antropologia socialCap 8 antropologia social
Cap 8 antropologia social
 
Cap 8 antropologia social
Cap 8 antropologia socialCap 8 antropologia social
Cap 8 antropologia social
 
Estudos2 091010061921-phpapp01
Estudos2 091010061921-phpapp01Estudos2 091010061921-phpapp01
Estudos2 091010061921-phpapp01
 
Trabalho e Sociedade
Trabalho e SociedadeTrabalho e Sociedade
Trabalho e Sociedade
 
Aula introdutória de História
Aula introdutória de HistóriaAula introdutória de História
Aula introdutória de História
 
Capítulo 1 - História, tempo e cultura
Capítulo 1 - História, tempo e culturaCapítulo 1 - História, tempo e cultura
Capítulo 1 - História, tempo e cultura
 
Certeau a cultura no plural
Certeau a cultura no pluralCerteau a cultura no plural
Certeau a cultura no plural
 
Aula 01 de ciências humanas e suas tecnologias
Aula 01 de ciências humanas e suas tecnologiasAula 01 de ciências humanas e suas tecnologias
Aula 01 de ciências humanas e suas tecnologias
 
Sergio Buarque de Holanda
Sergio Buarque de HolandaSergio Buarque de Holanda
Sergio Buarque de Holanda
 
História, cultura e sociedade
História, cultura e sociedadeHistória, cultura e sociedade
História, cultura e sociedade
 
A História do Antigo Egito
A História do Antigo EgitoA História do Antigo Egito
A História do Antigo Egito
 
Apostila libras-reformulada- completa
Apostila libras-reformulada- completaApostila libras-reformulada- completa
Apostila libras-reformulada- completa
 

Mais de Lucio Braga

Weber a Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo
Weber   a Ética Protestante e o Espírito do CapitalismoWeber   a Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo
Weber a Ética Protestante e o Espírito do CapitalismoLucio Braga
 
A sociologia compreensiva de weber
A sociologia compreensiva de weber  A sociologia compreensiva de weber
A sociologia compreensiva de weber Lucio Braga
 
Os Tipos de Dominação para Weber- 1o.ano - CSB
Os Tipos de Dominação para Weber- 1o.ano - CSBOs Tipos de Dominação para Weber- 1o.ano - CSB
Os Tipos de Dominação para Weber- 1o.ano - CSBLucio Braga
 
A sociologia de max weber
A sociologia de max weberA sociologia de max weber
A sociologia de max weberLucio Braga
 
Cidadania e direitos humanos
Cidadania e direitos humanosCidadania e direitos humanos
Cidadania e direitos humanosLucio Braga
 
Consumo e cidadania
Consumo  e cidadaniaConsumo  e cidadania
Consumo e cidadaniaLucio Braga
 
Mídia e Poder na Sociedade espetáculo- Guy Dèbord
Mídia e Poder na Sociedade espetáculo- Guy DèbordMídia e Poder na Sociedade espetáculo- Guy Dèbord
Mídia e Poder na Sociedade espetáculo- Guy DèbordLucio Braga
 
teoria Crítica e Escola de Frankfurt
teoria Crítica e Escola de Frankfurtteoria Crítica e Escola de Frankfurt
teoria Crítica e Escola de FrankfurtLucio Braga
 
Estado liberal e contratualismo
Estado liberal e contratualismo  Estado liberal e contratualismo
Estado liberal e contratualismo Lucio Braga
 
Questões terceiro ano ensino médio
Questões terceiro ano ensino médioQuestões terceiro ano ensino médio
Questões terceiro ano ensino médioLucio Braga
 
Mobilidade social link
Mobilidade social linkMobilidade social link
Mobilidade social linkLucio Braga
 
A divisão social do trabalho émile durkheim
A divisão social do trabalho  émile durkheimA divisão social do trabalho  émile durkheim
A divisão social do trabalho émile durkheimLucio Braga
 
Fato patologico e anomia
Fato patologico e anomiaFato patologico e anomia
Fato patologico e anomiaLucio Braga
 
Raízes do brasil – sergio buarque de holanda
Raízes do brasil – sergio buarque de holandaRaízes do brasil – sergio buarque de holanda
Raízes do brasil – sergio buarque de holandaLucio Braga
 
Os sertões euclides_da_cunha
Os sertões euclides_da_cunhaOs sertões euclides_da_cunha
Os sertões euclides_da_cunhaLucio Braga
 
A sociologia de max weber - CEI
A sociologia de max weber - CEIA sociologia de max weber - CEI
A sociologia de max weber - CEILucio Braga
 
Metodos e tecnicas em ciencias sociais
Metodos e tecnicas  em ciencias sociaisMetodos e tecnicas  em ciencias sociais
Metodos e tecnicas em ciencias sociaisLucio Braga
 
A sociologia de max weber
A sociologia de max weberA sociologia de max weber
A sociologia de max weberLucio Braga
 
Indviduo e sociedade
Indviduo e sociedadeIndviduo e sociedade
Indviduo e sociedadeLucio Braga
 

Mais de Lucio Braga (20)

Weber a Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo
Weber   a Ética Protestante e o Espírito do CapitalismoWeber   a Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo
Weber a Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo
 
A sociologia compreensiva de weber
A sociologia compreensiva de weber  A sociologia compreensiva de weber
A sociologia compreensiva de weber
 
Os Tipos de Dominação para Weber- 1o.ano - CSB
Os Tipos de Dominação para Weber- 1o.ano - CSBOs Tipos de Dominação para Weber- 1o.ano - CSB
Os Tipos de Dominação para Weber- 1o.ano - CSB
 
A sociologia de max weber
A sociologia de max weberA sociologia de max weber
A sociologia de max weber
 
Cidadania e direitos humanos
Cidadania e direitos humanosCidadania e direitos humanos
Cidadania e direitos humanos
 
Consumo e cidadania
Consumo  e cidadaniaConsumo  e cidadania
Consumo e cidadania
 
Mídia e Poder na Sociedade espetáculo- Guy Dèbord
Mídia e Poder na Sociedade espetáculo- Guy DèbordMídia e Poder na Sociedade espetáculo- Guy Dèbord
Mídia e Poder na Sociedade espetáculo- Guy Dèbord
 
teoria Crítica e Escola de Frankfurt
teoria Crítica e Escola de Frankfurtteoria Crítica e Escola de Frankfurt
teoria Crítica e Escola de Frankfurt
 
Estado liberal e contratualismo
Estado liberal e contratualismo  Estado liberal e contratualismo
Estado liberal e contratualismo
 
Questões terceiro ano ensino médio
Questões terceiro ano ensino médioQuestões terceiro ano ensino médio
Questões terceiro ano ensino médio
 
Mobilidade social link
Mobilidade social linkMobilidade social link
Mobilidade social link
 
A divisão social do trabalho émile durkheim
A divisão social do trabalho  émile durkheimA divisão social do trabalho  émile durkheim
A divisão social do trabalho émile durkheim
 
Fato patologico e anomia
Fato patologico e anomiaFato patologico e anomia
Fato patologico e anomia
 
Raízes do brasil – sergio buarque de holanda
Raízes do brasil – sergio buarque de holandaRaízes do brasil – sergio buarque de holanda
Raízes do brasil – sergio buarque de holanda
 
Atividade elias
Atividade eliasAtividade elias
Atividade elias
 
Os sertões euclides_da_cunha
Os sertões euclides_da_cunhaOs sertões euclides_da_cunha
Os sertões euclides_da_cunha
 
A sociologia de max weber - CEI
A sociologia de max weber - CEIA sociologia de max weber - CEI
A sociologia de max weber - CEI
 
Metodos e tecnicas em ciencias sociais
Metodos e tecnicas  em ciencias sociaisMetodos e tecnicas  em ciencias sociais
Metodos e tecnicas em ciencias sociais
 
A sociologia de max weber
A sociologia de max weberA sociologia de max weber
A sociologia de max weber
 
Indviduo e sociedade
Indviduo e sociedadeIndviduo e sociedade
Indviduo e sociedade
 

Elias analisa formação do Estado Moderno e influências sobre civilização

  • 1. NORBERT ELIAS – O PROCESSO CIVILIZADOR Reflexões sobre a obra Lucio
  • 3. O PROCESSO CIVILIZADOR Elias analisa a história dos costumes a partir da formação do Estado Moderno e suas influências sobre a civilização. Nessa, que é reconhecida como sua maior obra, Elias leva-nos a pensar no que aconteceria se um homem da sociedade contemporânea fosse, de repente, transportado para uma época remota de sua própria sociedade. É possível que encontrasse um modo de vida muito diferente do seu, alguns hábitos e costumes lhe seriam atraentes, convenientes e aceitáveis do seu ponto de vista, enquanto outros seriam inadequados. Estaria diante de uma sociedade que, para ele, não seria civilizada. No Processo Civilizador, Elias procura analisar questões fundamentais como quais os motivos e de que forma ocorreu essa mudança? Dito de outra forma, as demandas sociais de cada tempo histórico possibilitam transformações nos hábitos e costumes socialmente aceitos. Essas transformações sucessivas na civilidade humana permitiram o atual grau de civilização e o desenvolvimento de nossa época, no entanto, esse processo não seria obra de planejamento de uma única pessoa ou grupo de pessoas. Foi a somatória dessas transformações que permitiu a constituição da atual civilização
  • 4. DE CERTA FORMA COMPROVANDO AS TESES DE UMA IMBRICADA RELAÇÃO ENTRE O INDIVIDUO ,SOCIEDADE E AS TENSÕES SOCIAIS DE UM DETERMINADO TEMPO HISTÓRICO O PROCESSO CIVILIZADOR . PÚBLICADO PELA PRIMEIRA VEZ EM 1936 - O PROCESSO CIVILIZADOR -FEZ MUITO POUCO SUCESSO, POIS AQUELA REALMENTE NÃO ERA UMA BOA HORA PARA O LANÇAMENTO DE UM LIVRO ESCRITO EM ALEMÃO, POR UM JUDEU E QUE, SOBRETUDO, FALAVA SOBRE CIVILIZAÇÃO.
  • 5. ELIAS ANALISA A OBRA DE ERASMO DE ROTTERDAM COMO UM DOCUMENTO DE UMA ÉPOCA , UM MANUAL DE CIVILIDADE. ESTE DOCUMENTO SIMBOLIZAVA UM PRESENTE INDESEJADO E UM FUTURO DESEJADO , SOBRE UMA SOCIEDADE TRADICIONAL E UMA OUTRA SOCIEDADE A SER CONSTRUÍDA SOB NOVAS BASES DE RELACIONAMENTO. NESTE CASO UMA SOCIEDADE DE CAMPONESES- UMA SOCIEDADE BASEADA EM TRABALHO NO CAMPO, NA PASSAGEM PARA UMA SOCIEDADE INDUSTRIAL ESTE TIPO DE TRABALHO E DE ETHOS NÃO ERA MAIS DESEJADO. DE PUERIS- DE MENINOS – ERASMO DE ROTTERDAM “Nariz sujo e mucosa pituitária são sinais de indivíduo desasseado. Aliás, houve quem reprovasse o filósofo Sócrates por tal defeito.” – “Limpar o nariz no braço ou sobre o cotovelo é próprio dos camponeses.” – “Não é bonito também limpar o nariz com as mãos e, depois, esfrega-las nas vestes.” -Espirro“Se na presença de outras pessoas, ocorre o espirro, é de bom tom virar o dorso. Uma vez passado o acesso, há de se fazer o sinal da cruz sobre os lábios e , a seguir, tirando o barrete, fazer um cumprimento às pessoas que disseram “saúde” ou pelo menos, deveriam tê-lo dito.” - O pão [..] apertar o pão com a palma da mão para depois parti-lo em pedaços com as pontas dos dedos. É coisa de cortesão. Tu porem deves cortá-lo, com a faca, indo de um lado para o outro. “Isso sim revela modo de gente refinada.”
  • 6. A SOCIEDADE DO PRESENTE QUE INTERESSA A ELIAS É A QUE FLORESECEU EM ALGUNS PAÍSES DA EUROPA OCIEDENTAL E DISSEMINOU UMA MANEIRA PRÓPRIA DE SER PENSAR, DE SE APRESENTAR DIANTE DAS OUTRAS DE SE AUTO OLHAR.
  • 8. ESSA ATITUDE DE JULGAR O OUTRO A PARTIR DOS NOSSOS PADRÕES SÓCIO-CULTURAIS É CONHECIDA COMO ETNOCENTRISMO Quando estranhamos maneiras de ser distintas das nossas, que aceitamos e aprovamos , somo tentados a definir nosso jeito de ser como bom, desejável , melhor, e a classificar o diferente distante , desconhecido como “ruim”, “atrasado”, “decadente”, “selvagem”, “rude”.
  • 9. QUEM TEM A BOMBA????
  • 10. Em 711, os muçulmanos (mouros ou árabes) cruzaram o Estreito de Gibraltar e invadiram a Península Ibérica Embora cientificamente mais adiantados, os árabes não desprezaram os conhecimentos advindo dos habitantes da península. Tais conhecimentos foram utilizados nas escolas e observatórios que criaram e também deram a eles a sua própria contribuição. Assim, surgiu uma cultura riquíssima e uma ciência que não só produziu obras muito importantes, como também foi aproveitada na prática. Na agricultura, introduzem novas formas de regar a terra como a cegonha ou picota e a roda ou nora. Estas técnicas vão permitir aumentar a produção, com muito menos esforço. Na Matemática, por exemplo, trouxeram o atual sistema de numeração, a numeração árabe, a cujos sinais damos o nome de algarismos. Na Arquitetura, O arco em ferradura é um elemento caraterístico da arquitetura árabe, tal como a utilização do azulejo que introduziram na península Ibérica.
  • 11. “DICAS” DA FIFA VEJA DICAS DA FIFA PARA TURISTA QUE VISITARÁ O BRASIL. 1 - Sim não significa sempre sim: é a entonação da voz que define se o sim é realmente um sim, ou um talvez. Por isso, "não espere o telefone tocar nos próximos cinco minutos" se um brasileiro dizer "te ligo na sequência". 2 - O tempo é flexível: não espere que o brasileiro seja pontual. "Se duas pessoas marcam de se encontrar às 12h30, elas vão se ver a partir das 12h45". 3 - Contato corporal: brasileiros não estão acostumados com o jeito dos europeus de se manter educadamente uma distância entre um e outro. Eles falam usando as mãos e não vão hesitar em tocar na pessoa com quem estão falando. 4 - Filas: Esperar pacientemente numa fila não está no DNA dos brasileiros, que preferem cultivar o caos. 5 - Sobrevivência das maiores: nas ruas, os pedestres são ignorados, e mesmo na faixa de pedestres, raramente um motorista vai parar.