Estudo de um modelo de Rede de Relacionamento Web          como Ferramenta Estratégica para     Disseminação do Conhecimen...
MOTIVAÇÃO
130 MILHÕES DE EXEMPLARES
MAIS DE 1 TRILHÃO DE PÁGINAS
2 BILHÕES DE USUÁRIOS
500 MILHÕES DE USUÁRIOS
CAÓTICA TROCA DE EXPERIÊNCIAS
COMO RETER O CONHECIMENTO   NAS ORGANIZAÇÕES?
E A ROTATIVIDADE?
GERAÇÃO Y
FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO WEB
GESTÃO DO CONHECIMENTO
ESTRATÉGIA CORPORATIVA
Conhecimento Tácito  Externalização                      Socialização  Combinação                          Internalização ...
Conhecimento   Tácito                                                                     Internalização                  ...
E COMO APLICARESSES CONCEITOS NA WEB 2.0?
CLASSIFICAÇÃO DA WEB
CLASSIFICAÇÃO DA WEB
CLASSIFICAÇÃO DA WEB
CLASSIFICAÇÃO DA WEB
CLASSIFICAÇÃO DA WEB
CLASSIFICAÇÃO DA WEB
CLASSIFICAÇÃO DA WEB
CLASSIFICAÇÃO DA WEB
CLASSIFICAÇÃO DA WEB
CLASSIFICAÇÃO DA WEB
CLASSIFICAÇÃO DA WEB
CLASSIFICAÇÃO DA WEB
CLASSIFICAÇÃO DA WEB
CLASSIFICAÇÃO DA WEB
CLASSIFICAÇÃO DA WEB
CLASSIFICAÇÃO DA WEB
CLASSIFICAÇÃO DA WEB
CLASSIFICAÇÃO DA WEB
CLASSIFICAÇÃO DA WEB
Internalização                                   Combinação                  Externalização   SocializaçãoA CONVERSÃO DO C...
Objetivo            Tipos de                         Modo de                                 Conteúdo           conversão ...
Redes Sociais                     Estabelecimento de vínculos.Mídia social                                                ...
56,67%                                                           46,67%       46,67% 36,67%                               ...
Modelo Proposto
Modelo Proposto
Modelo Proposto
Modelo Proposto
Modelo Proposto
Modelo Proposto
Modelo Proposto
Modelo Proposto
O MUNDO ESTÁ MUDANDO.O QUE NÓS VAMOS FAZER A RESPEITO?
ARAÚJO, Larissa. As redes de relacionamento. Artigo publicado no Jornal do Comercio. Online. Disponível em<http://www2.uol...
DUARTE, Noélio. O Incrível poder da motivação – São Paulo: Hagnos, 2008.DUBNER, Alan. Linkedin: a principal mídia social d...
________________.b; Orkut x Facebook – As principais diferenças. 2009. Online. Disponível em<http://www.itu.com.br/conteud...
SENGE, Peter M. – A quinta Disciplina – Arte e Prática da Organização de Aprendizagem, Tradução OP Traduções, Ed.Nova Cult...
Dúvidas?LEANDRO BORGES DE REZENDE      LEANDRO.REZENDE@STF.JUS.BR
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Estudo de um modelo de rede de relacionamento web como ferramenta estratégica para disseminação do conhecimento corporativo.

1.397 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.397
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estudo de um modelo de rede de relacionamento web como ferramenta estratégica para disseminação do conhecimento corporativo.

  1. 1. Estudo de um modelo de Rede de Relacionamento Web como Ferramenta Estratégica para Disseminação do Conhecimento Corporativo LEANDRO BORGES DE REZENDE MBA EM GOVERNANÇA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO -UNICESP ENGENHEIRO DE REDES DE COMUNICAÇÃO - UNB
  2. 2. MOTIVAÇÃO
  3. 3. 130 MILHÕES DE EXEMPLARES
  4. 4. MAIS DE 1 TRILHÃO DE PÁGINAS
  5. 5. 2 BILHÕES DE USUÁRIOS
  6. 6. 500 MILHÕES DE USUÁRIOS
  7. 7. CAÓTICA TROCA DE EXPERIÊNCIAS
  8. 8. COMO RETER O CONHECIMENTO NAS ORGANIZAÇÕES?
  9. 9. E A ROTATIVIDADE?
  10. 10. GERAÇÃO Y
  11. 11. FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO WEB
  12. 12. GESTÃO DO CONHECIMENTO
  13. 13. ESTRATÉGIA CORPORATIVA
  14. 14. Conhecimento Tácito Externalização Socialização Combinação Internalização Conhecimento ExplícitoAS DIMENSÕES DO CONHECIMENTO) (NONAKA, TAKEUCHI, 1997
  15. 15. Conhecimento Tácito Internalização SocializaçãoConhecimento Combinação Externalização Explícito Indivíduo Grupo Organização Interorganização Nível do conhecimento A ESPIRAL DO CONHECIMENTO) (NONAKA, TAKEUCHI, 1997
  16. 16. E COMO APLICARESSES CONCEITOS NA WEB 2.0?
  17. 17. CLASSIFICAÇÃO DA WEB
  18. 18. CLASSIFICAÇÃO DA WEB
  19. 19. CLASSIFICAÇÃO DA WEB
  20. 20. CLASSIFICAÇÃO DA WEB
  21. 21. CLASSIFICAÇÃO DA WEB
  22. 22. CLASSIFICAÇÃO DA WEB
  23. 23. CLASSIFICAÇÃO DA WEB
  24. 24. CLASSIFICAÇÃO DA WEB
  25. 25. CLASSIFICAÇÃO DA WEB
  26. 26. CLASSIFICAÇÃO DA WEB
  27. 27. CLASSIFICAÇÃO DA WEB
  28. 28. CLASSIFICAÇÃO DA WEB
  29. 29. CLASSIFICAÇÃO DA WEB
  30. 30. CLASSIFICAÇÃO DA WEB
  31. 31. CLASSIFICAÇÃO DA WEB
  32. 32. CLASSIFICAÇÃO DA WEB
  33. 33. CLASSIFICAÇÃO DA WEB
  34. 34. CLASSIFICAÇÃO DA WEB
  35. 35. CLASSIFICAÇÃO DA WEB
  36. 36. Internalização Combinação Externalização SocializaçãoA CONVERSÃO DO CONHECIMENTO NA WEB 2.0
  37. 37. Objetivo Tipos de Modo de Conteúdo conversão do Validaçãono modelo laços conhecimento motivação fortes informacional externalização relevância organização do promoção fracos conversacional internalização conteúdo pessoal compartilhamento combinação de conhecimento socialização A CONSTRUÇÃO DO MODELO
  38. 38. Redes Sociais Estabelecimento de vínculos.Mídia social Recursode origem Objetivo Tipos de Modo de Conteúdo conversão do Validaçãono modelo laços conhecimento motivação fortes conversacional socialização relevância promoção fracos pessoal UM CASO PONTUAL: ESTABELECIMENTO DE VÍNCULOS
  39. 39. 56,67% 46,67% 46,67% 36,67% 33,33% 33,33% 30,00% 30,00% 30,00% 23,33% 20,00% 16,67% 16,67% Ranking Fracos Fortes Promoção pessoal Informacional Conversacional Motivação Internalização Combinação Externalização Organização do conteúdo Socialização Compartilhamento de ConhecimentoTipo de Conteúdo Objetivo no modelo Tipos de Laços Modo de conversão do Validação conhecimento ENTÃO, O QUE TEMOS DISPONÍVEL?
  40. 40. Modelo Proposto
  41. 41. Modelo Proposto
  42. 42. Modelo Proposto
  43. 43. Modelo Proposto
  44. 44. Modelo Proposto
  45. 45. Modelo Proposto
  46. 46. Modelo Proposto
  47. 47. Modelo Proposto
  48. 48. O MUNDO ESTÁ MUDANDO.O QUE NÓS VAMOS FAZER A RESPEITO?
  49. 49. ARAÚJO, Larissa. As redes de relacionamento. Artigo publicado no Jornal do Comercio. Online. Disponível em<http://www2.uol.com.br/JC/sites/deloitte/artigos/a86.htm>. Acessado em: 14 de junho de 2010.ARISTÓTELES. Política. Tradução de José Oscar de Almeida Marques. IFCH-Unicamp, Departamento de Filosofia, Campinas.Disponível em: <http://www.unicamp.br/~jmarques/cursos/1998-hg-022/politica.doc>. Acessado em: 05 de junho de 2010.BARNES, J. A.a "Class and Committees in a Norwegian Island Parish", Human Relations, 1972, p. 39-58._________________.b Social networks. (An Addison-Wesley Module in Anthropology) Module 26, 1972, p. 1-29.BASTOS, Paulo Júnior; PACHECO, Fernando Flávio; PEREIRA, Heitor José, SANTOS, Antônio Raimundo dos. Gestão doconhecimento como modelo empresarial. Curitiba: Champagnat, 2001 267 p.: il.; 23 cm. Disponível em<http://www1.serpro.gov.br/publicacoes/gco_site/livro_formato_pdf.zip>. Acessado em: 06 de junho de 2010.BSC INSTITUTE. What is the Balanced ScoreCard. Online. Disponível em<http://www.balancedscorecard.org/BSCResources/AbouttheBalancedScorecard/tabid/55/Default.aspx>. Acessado em: 10 demaio de 2010CARVALHO, R. B.; CHOO, Chun Wei; FERREIRA, M. A. T. Evoluindo da intranet para o portal corporativo: as trilhas para a gestãodo conhecimento. Online. 2007. Disponível em:<http://portal.portaltwservices.com.br/portal/page/portal/PortalTWServices/Comunica%C3%A7%C3%A3o/Artigos%20Publicados/ListaArtigosPublicados/EVOLUINDO05_0.PDF> Acessado em: 06 de junho de 2010.CHIAVENATO, Idalberto. Recursos Humanos – Edição Compacta. São Paulo: Atlas, 2000, p. 114.COLTRE, Sandra Maria. Aplicação do modelo de criação do conhecimento de Nonaka e Takeuchi, em instituições de ensinosuperior – IES, para a promoção da qualidade da educação permanente. Tese de Doutorado em Engenharia de Produção noPrograma de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis 2004.DAVENPORT, T.H., PRUSAK, L. Conhecimento Empresarial: como as organizações gerenciam o seu capital intelectual. Rio deJaneiro. Campus, 1998. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS [1/4]
  50. 50. DUARTE, Noélio. O Incrível poder da motivação – São Paulo: Hagnos, 2008.DUBNER, Alan. Linkedin: a principal mídia social dos negócios. Online. 2009. Disponível em:<http://www.midiasocial.com.br/home/linkedin.asp>. Acessado em: 17 de junho de 2010.DUBNER, Deborah. Mídias sociais: você está preparado? Online. Disponível em <http://www.midiasocial.com.br/home/midias-sociais.asp>. Acessado em: 01 de junho de 2010.____________________.b; Facebook em terras brasileiras: quem diria! Online. 2009. Disponível em <http://www.midiasocial.com.br/home/facebook.asp>. Acessado em: 20 de junho de 2009.FRESNEDA, Paulo Sérgio Vilches; GONÇALVES, Sonia Maria Goulart. A experiência brasileira na formulação de uma proposta depolítica de gestão do conhecimento para a administração pública federal – Brasília: Câmara dos Deputados, Coordenação dePublicações, 2007. P. 83 – (Série temas de interesse do legislativo; n. 13)FROTA, Cristiane Souto; PANTOJA, Ricardo Rodrigues. Teoria da Criação do Conhecimento Organizacional de Nonaka e Takeuchi.Online. Disponível em<http://portal.portaltwservices.com.br/portal/page/portal/PortalTWServices/Comunica%C3%A7%C3%A3o/Artigos%20Publicados/ListaArtigosPublicados/PDF_Artigo_Teoria_Nonaka_Takeuchi.pdf>. Acessado em: 06 de junho de 2010.GLOGS Consultoria Web Marketing Digital. O que é mídia social? Online. Disponível em <http://www.agenciadigital.org/2010/02/o-que-e-midia-social.html>. Acessado em: 04 de junho de 2010.HARRIS, Marvin. The Rise of Anthropological Theories. Londres, Routledge & Kegan Paul. Edição atualizada. 2001.HOMMERDING, Nádia Maria dos Santos. O profissional da informação e a gestão do conhecimento nas empresas: Um novoespaço para atuação, com ênfase no processo de mapeamento do conhecimento e disponibilização por meio da Intranet.Dissertação apresentada como requisito parcial para título de Mestre em Ciências da Comunicação. USP. São Paulo. 2001.KAPLAN Andreas M., HAENLEIN Michael. Users of the world, unite! The challenges and opportunities of social media, BusinessHorizons, Vol. 53, Issue 1. 2010.MARTINS, Guilherme. Orkut: com certeza você já “adicionou” essa mania. 2009. Online. Disponível em<http://www.midiasocial.com.br/home/orkut.asp>. Acessado em: 20 de junho de 2010. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS [2/4]
  51. 51. ________________.b; Orkut x Facebook – As principais diferenças. 2009. Online. Disponível em<http://www.itu.com.br/conteudo/detalhe.asp?cod_conteudo=19131&adm=1>. Acessado em: 20 de junho de 2010._________________.c; MySpace: o caminho para o sucesso. 2009. Online. Disponível em <http://www.midiasocial.com.br/home/myspace.asp >. Acessado em: 20 de junho de 2010._________________.d; YouTube: você vendo e fazendo TV!. 2009. Online. Disponível em<http://www.midiasocial.com.br/home/YouTube.asp>. Acessado em: 20 de junho de 2010.MASA DA AMAZÔNIA. Modelo de Gestão. 2009. Online. Disponível em <http://www.masadaamazonia.com.br/modelodegestao/index.html>. Acessado em: 05 de julho de 2010._________________.b; Flickr, o encontro das imagens. Mídia Social. Online. Disponível em <http://www.midiasocial.com.br/home/flickr.asp>. Acessado em: 29 de junho de 2010.NONAKA, Ikujiro; TAKEUCHI, Hirotaka. Criação do conhecimento na empresa: como as empresas japonesas geram a dinâmica dainovação. 2. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1997.PETROBRAS. Estratégia Corporativa. 2009. Online. Disponível em <http://www.petrobras.com.br/pt/quem-somos/estrategia-corporativa/>. Acessado em: 05 de julho de 2010.RECUERO, Raquel.a Sites de Rede Social e Apropriação: Uma discussão. Social Media. Online. Disponível em<http:/www.pontomidia.com.br/raquel/arquivos/sites_de_rede_social_ e_apropriacao_uma_discussao.html>. Acessado em: 05de junho de 2010._________________.b; ZAGO, Gabriela. Em busca das “Redes que importam”. Redes sociais e capital social no Twitter.Associação Nacional dos Programas de Pós Graduação em Comunicação. Compós. Disponível em<http:/www.pontomidia.com.br/raquel/ arquivos/sites_de_rede_social_e_apropriacao_uma_discussao.html>. Acessado em: 05de junho de 2010._________________.c; Redes Sociais. 2009. Online. Disponível em <http://www.redessociais.net/cubocc_redessociais.pdf>.Acessado em: 13 de junho de 2010.Roos, Dave. Como funciona o LinkedIn. 2009. Online. Traduzido por HowStuffWorks Brasil. Disponível em<http://informatica.hsw.uol.com.br/linkedin1.htm>. Acessado em: 15 de junho de 2009. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS [3/4]
  52. 52. SENGE, Peter M. – A quinta Disciplina – Arte e Prática da Organização de Aprendizagem, Tradução OP Traduções, Ed.Nova CulturalLTDA. São Paulo, 2002.STEWART, Thomas A. Capital Intelectual. 3ª edição. Rio de Janeiro: Campus, 1998.SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. Planejamento Estratégico 2009-2013. 2009. Online. Disponível em<http://www.stf.jus.br/portal/cms/verTexto.asp?servico=sobreStf PlanejamentoEstrategico>. Acessado em: 05 de julho de 2010.MCINTOSH, Kevin. Different Types of Social Media. Social-Ology. Online. 23/02/2009. Disponível em<http://kevinmcintosh.com/social-media-marketing/different-types-of-social-media>. Acessado em: 06 de junho de 2010.MICROINGEST.a The 10 types of social media sites you need to be on and Why. 2009. Online. Disponível em<http://microgeist.com/2009/04/the-10-types-of-social-media-sites-you-need-to-be-on-and-why>. Acessado em: 06 de junho de2010._________________.b; Why Microblogging Really Does Have Value. 2009. Online. Disponível em<http://microgeist.com/2009/03/why-microblogging-really-does-have-value/>. Acessado em: 06 de junho de 2010.MONTEIRO, Marília. Eu blogo, tu blogas, ele bloga. Mídia Social. Online. Disponível em<http://www.midiasocial.com.br/home/blog.asp>. Acessado em: 06 de junho de 2010.SVEIBY, K. E.. A nova riqueza das organizações – Rio de Janeiro: Campus, 1998.TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO. Planejamento e Gestão. 2009. Online. Disponível em<http://portal2.tcu.gov.br/portal/page/portal/TCU/planejamento_gestao>. Acessado em: 05 de julho de 2010.VALOR ECONÔMICO; HADAR, Giora. Interação para gerar conhecimento. Entrevista à revista Valor Econômico. 01/06/2010.Disponível em <http://www.valoronline.com.br/ ?impresso/carreira/292/6295912/interacao-para-gerar-conhecimento>. Acessadoem: 05 de junho de 2010.YANO, Célio. Twitter é a mídia social mais acessada do Brasil. Portal Exame 23 de abril de 2010. Online. Disponível em<http://portalexame.abril.com.br/geral/twitter-midia-social-mais-acessada-brasil-552292.html>. Acessado em: 06 de junho de2010. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS [4/4]
  53. 53. Dúvidas?LEANDRO BORGES DE REZENDE LEANDRO.REZENDE@STF.JUS.BR

×