Texto: Olhos de verAutor: Luiz Gonzaga PinheiroMúsica: Frank 3
Ter olhos para ver significa olhar por trás, por    dentro, na contraparte oculta do que e                  observado.
Adentrar a alma, as reentrâncias, o sopro que            deu origem a tudo.
Cada ser vivo ou objeto tem vários lados: o poético, o fatal, o útil, o cômico... que se   mostram em momentos adequados.
Daí a relatividade de tudo. Dizer que algo é  inútil é desconhecer a sabedoria divina.
Por isso respeites tudo ao teu redor. Não é oque observas inútil, mas teu conhecimento é                que é parco.
Não é a maldade que tem força, mas a bondade               que é tímida.
Diante da agressão responde com o perdão, criado por Deus para momentos assim.
O perdão não é um afago em teu adversário,  mas um medicamento que ministras a tipróprio, preservando-te de males futuros.
Se perdoastes não te julgues grande, pois      agistes em benefício próprio.
Na verdade, nossas ações agem comobumerangues. Sempre voltam para nossas                mãos.
Somente quando entendemos esta verdade é      que adquirimos olhos de ver.
Formatação: o caçador de imagens
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Olhos de ver

386 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Olhos de ver

  1. 1. Texto: Olhos de verAutor: Luiz Gonzaga PinheiroMúsica: Frank 3
  2. 2. Ter olhos para ver significa olhar por trás, por dentro, na contraparte oculta do que e observado.
  3. 3. Adentrar a alma, as reentrâncias, o sopro que deu origem a tudo.
  4. 4. Cada ser vivo ou objeto tem vários lados: o poético, o fatal, o útil, o cômico... que se mostram em momentos adequados.
  5. 5. Daí a relatividade de tudo. Dizer que algo é inútil é desconhecer a sabedoria divina.
  6. 6. Por isso respeites tudo ao teu redor. Não é oque observas inútil, mas teu conhecimento é que é parco.
  7. 7. Não é a maldade que tem força, mas a bondade que é tímida.
  8. 8. Diante da agressão responde com o perdão, criado por Deus para momentos assim.
  9. 9. O perdão não é um afago em teu adversário, mas um medicamento que ministras a tipróprio, preservando-te de males futuros.
  10. 10. Se perdoastes não te julgues grande, pois agistes em benefício próprio.
  11. 11. Na verdade, nossas ações agem comobumerangues. Sempre voltam para nossas mãos.
  12. 12. Somente quando entendemos esta verdade é que adquirimos olhos de ver.
  13. 13. Formatação: o caçador de imagens

×