3ª aula teórica de urologia hiperplasia prostática benigna - prof. rommel

6.485 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.485
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
151
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

3ª aula teórica de urologia hiperplasia prostática benigna - prof. rommel

  1. 1. Disciplina de Urologia Faculdade de Medicina Universidade Federal do Ceará Rommel Prata Regadas Urologista, Mestre em Cirurgia Hospital São Carlos Hiperplasia Prostática Benigna
  2. 2. Definição <ul><li>Expansão nodular dos elementos da glândula prostática (estroma, epitélio ou ambos) na zona de transição </li></ul>
  3. 3. Anatomia <ul><li>Peso = 20g </li></ul><ul><li>Localização </li></ul><ul><li>40 anos </li></ul><ul><li>4g / década </li></ul><ul><li>Fluxo = redução </li></ul><ul><li>de 0,2ml / s/ ano </li></ul><ul><li>- Consultas / ano = 1,7 milhões </li></ul><ul><li>Gastos = 2 bilhões / ano </li></ul>
  4. 4. Epidemiologia <ul><li>Adenoma Prostático </li></ul><ul><li>Tumor benigna mais comum </li></ul><ul><li>Rara nos Orientais </li></ul><ul><li>Comuns nos africanos </li></ul><ul><li>Predisposição genética (parentes de 1 °grau  risco 4x) </li></ul>
  5. 5. Fatores de Risco <ul><li>Idade </li></ul><ul><li>Fatores Genéticos e Familiares </li></ul><ul><li>Raça </li></ul><ul><li>Dieta </li></ul><ul><li>Fatores Geográficos </li></ul>
  6. 6. Fisiopatologia <ul><li>Idade </li></ul><ul><li>Testículos </li></ul><ul><li>Funcionantes </li></ul>A associação entra HPB e a idade pode resultar de um aumento dos níveis estrógenos, causando indução de receptores androgênicos, os quais sensibilizam a próstata a testosterona livre ESSENCIAIS
  7. 7. Fisiopatologia da Hipertrofia <ul><li>DHT </li></ul><ul><li>Desequilíbrio estrógeno / testosterona </li></ul><ul><li>Interação Estroma e epitélio </li></ul><ul><li>Falha da Apoptose </li></ul><ul><li>Célula Tronco </li></ul>
  8. 11. HBP e Sintomas Sintomatologia não tem relação com o tamanho prostático
  9. 12. Sintomatologia <ul><li>Tamanho da próstata </li></ul><ul><li>Resistência uretral dinâmica </li></ul><ul><li>Cápsula prostática </li></ul><ul><li>Disfunção vesical secundária a obstrução </li></ul><ul><li>Variações anatômicas </li></ul>
  10. 13. Lobo Mediano
  11. 14. Estenose de Uretra
  12. 15. Nódulos Periuretrais (aumento no número) Invasão dos nódulos por tecidos glandulares (aumento do tamanho dos nódulos) Zona de transição e Periuretral 90% da próstata
  13. 17. Alterações Vesicais <ul><li>Hipertrofia da musculatura </li></ul><ul><li>Instabilidade Vesical </li></ul><ul><li>Falência detrusora </li></ul>(Espessamento, trabeculações) (Predomínio de armazenamento)
  14. 18. <ul><li>DIAGNÓSTICO </li></ul>
  15. 19. <ul><li>Anamnese dirigida </li></ul><ul><li>Co-morbidades </li></ul><ul><li>Exame físico </li></ul><ul><li>Exames </li></ul><ul><li>complementares </li></ul>
  16. 20. Manifestações Clínicas
  17. 21. IPSS (International Prostate Symptoms Score) 0-7 = LEVE 8-19 = MODERADA 20-35 = GRAVE
  18. 22. Questionar <ul><li>Antecedentes cirúrgicos </li></ul><ul><li>Doenças Neurológicas </li></ul><ul><li>Uso de medicações </li></ul><ul><li>HF de CA de próstata </li></ul><ul><li>Infecção do TGU </li></ul>
  19. 23. <ul><li>Abdome </li></ul><ul><li>Toque (exame da próstata) </li></ul>Exame Físico
  20. 24. Importância do Toque <ul><li>Toque: </li></ul><ul><ul><li>Tamanho da próstata </li></ul></ul><ul><ul><li>Nódulo endurecido </li></ul></ul><ul><ul><li>Superfície irregular </li></ul></ul><ul><ul><li>Próstata fixa </li></ul></ul>Chance de Câncer - Maior que 50%
  21. 25. Exames Complementares <ul><li>Sumário de Urina </li></ul><ul><li>PSA total (25% têm PSA >4,0) </li></ul><ul><li>Cistoscopia (tamanho prost, trabaculações) </li></ul><ul><li>US </li></ul><ul><li>Urodinâmica (60% podem ter hiperatividade) </li></ul><ul><li>Creatinina </li></ul>Contração não inibida  > que 15cmH20 com volume < 300 ml
  22. 26. Progressão da HPB <ul><li>Idade </li></ul><ul><li>Volume Prostático (> 30-40g) </li></ul><ul><li>PSA (>1,4) </li></ul>
  23. 27. Complicações <ul><li>Retenção urinária </li></ul><ul><li>Litíase vesical </li></ul><ul><li>ITU </li></ul><ul><li>Hematúria </li></ul><ul><li>Insuficiência Renal </li></ul>
  24. 28. TRATAMENTO
  25. 29. <ul><li>1987 </li></ul><ul><li>1999 </li></ul>285000 / ano 86000 / ano RTU (2001) - EUA UROLOGISTA (1999) = 12 RTUs / ANO J Urol, 2001
  26. 30. Opções <ul><li>Observação </li></ul><ul><li>Tratamento medicamentoso </li></ul><ul><li>Tratamento cirúrgico </li></ul><ul><li>Ressecção Endoscópica </li></ul><ul><li>Prostatectomia </li></ul>
  27. 31. Observação <ul><li>IPSS baixo (0-7) e qualidade de vida preservada </li></ul><ul><li>Pacientes que não desenvolveram complicações da HPB </li></ul><ul><li>Ingesta de líquidos a noite </li></ul><ul><li>Álcool </li></ul><ul><li>Café, sal e pimenta </li></ul><ul><li>Cigarros </li></ul>
  28. 32. Tratamento Medicamentoso <ul><li>α - bloqueadores </li></ul><ul><li>Inibidores da </li></ul><ul><li>5 α redutase </li></ul><ul><li>Associação </li></ul><ul><li>Fitoterápicos </li></ul>
  29. 33. α - bloqueadores <ul><li>Seguros </li></ul><ul><li>Eficientes </li></ul><ul><li>Boa resposta clínica </li></ul><ul><li>Resposta dose/dependente </li></ul><ul><li>Duradores (> 42 meses) </li></ul>
  30. 34. Indicações dos α - bloqueadores <ul><li>Paciente Sintomático </li></ul><ul><li>Sem indicação cirúrgica absoluta </li></ul><ul><li>Não aceita cirurgia </li></ul><ul><li>CI a cirurgia </li></ul><ul><li>Aguardando cirurgia </li></ul>
  31. 35.  São bloqueadors α 1a seletivos
  32. 36. Efeitos Colaterais <ul><li>Hipotensão </li></ul><ul><li>Tontura – mecanismo via SNC </li></ul><ul><li>Ejaculação Retrógrada </li></ul><ul><li>Astenia </li></ul><ul><li>Cefaléia </li></ul>
  33. 37. Inibidores da 5 α redutase <ul><li>Eficazes e seguros </li></ul><ul><li>Boa tolerabilidade </li></ul><ul><li>Melhor indicação = próstata > 40g </li></ul><ul><li>Redução no tamanho = 25 – 40% </li></ul><ul><li>Tempo mínimo de 6 meses </li></ul><ul><li>EC = perda do libido </li></ul><ul><li>Eficazes para tratar a hematúria associada a HPB </li></ul>
  34. 38. Inibidores da 5 α redutase <ul><li>Finasterida 5mg </li></ul><ul><li>Dutasterida 0,5mg </li></ul><ul><li>Inibidor da 5 α redutase tipo II = 76% da DHT </li></ul><ul><li>Em 24 meses, pode reduzir oa próstata em até 25% </li></ul><ul><li>Efeito persiste por 60 meses. </li></ul><ul><li>- Inibe 5alfaredutase tipo I e II. </li></ul><ul><li>É, portanto, mais eficaz em inibir a DHT, reduzindo a níveis de castração = 97 % da DHT </li></ul><ul><li>Em 24 meses, pode reduzir oa próstata em até 42 % </li></ul>
  35. 39. Inibidores da 5 α redutase <ul><li>Causam privação prostática do estímulo androgênica sem causar os efeitos indesejáveis do hipogonadismo </li></ul><ul><li>Reduzem progressão da doença enquanto a testosterona permanece nos níveis normais ou até levemente aumentada </li></ul>
  36. 40. Teoria Combinada - COMBAT <ul><li>- Menor índice de progressão da doença </li></ul><ul><li>Indicação = evitar progressão da doença </li></ul>
  37. 41. * Próstatas pequenas e sintomáticas. Não esquecer de Bexiga Hiperativa.
  38. 42. Futuro <ul><li>Melhor entendimento sobre a patofisiologia da doença </li></ul><ul><li>Antagonistas das endotelinas </li></ul>
  39. 43. Indicações de Cirurgia
  40. 44. Tratamento Cirúrgico Minimamente Invasivo <ul><li>Termoterapia </li></ul><ul><li>Ablação transuretral com agulhas - Retenção </li></ul><ul><li>US de alta frequência </li></ul><ul><li>da próstata </li></ul><ul><li>Coagulação Intersticial da próstata </li></ul><ul><li>Dilatação intrauretral da próstata </li></ul><ul><li>Stent </li></ul>(principal complicação – urge-incontimência )
  41. 45. Indicações <ul><li>Alto risco cirúrgico e sintomáticos </li></ul><ul><li>Sintomas irritativos </li></ul><ul><li>Preocupação com a ejaculação </li></ul><ul><li>Próstata pequenas </li></ul>
  42. 46. Resultados <ul><li>Melhora moderada dos sintomas </li></ul><ul><li>Alto índice de retratamento (50%) </li></ul><ul><li>Baixa Morbidade </li></ul>
  43. 47. Ressecção Endoscópica (RTU) <ul><li>- Próstatas < 80g </li></ul><ul><li>- Pacientes com estenose </li></ul><ul><li>de uretra </li></ul><ul><li>- Tempo cirúrgico < 1h </li></ul><ul><li>Risco da Sd pós- RTU </li></ul><ul><li>Cansaço do Cirurgião </li></ul>
  44. 48. Antes Depois da RTU
  45. 49. Prostatectomia <ul><li>Próstatas grandes (>80g) </li></ul><ul><li>Cálculo < 1cm </li></ul><ul><li>Divertículo > 7cm </li></ul><ul><li>Anquilose de quadril </li></ul>
  46. 50. Cirurgia Aberta <ul><li>TRANSVESICAL </li></ul><ul><li>(SUPRAPÚBICA) </li></ul><ul><li>GRANDE LOBO MÉDIO </li></ul><ul><li>CÁLCULOS VESICAIS </li></ul><ul><li>DIVERTÍCULOS SINTOMÁTICOS </li></ul><ul><li>MULLER </li></ul><ul><li>(RETROPÚBICA) </li></ul>- Permiti remoção do adenoma sobre visão direta - Maior complicação da cirurgia aberta – ejaculação retrógrada
  47. 51. Seguimento <ul><li>Anual </li></ul><ul><li>PSA </li></ul><ul><li>TR </li></ul><ul><li>Anamnese </li></ul>

×