Governança corporativa aula 1

2.694 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Governança corporativa aula 1

  1. 1. GovernançaCorporativa
  2. 2. Definição• É o conjunto de processos, costumes, políticas, leis, regulamentos e instituições que regulam a maneira como uma empresa é dirigida;• Os principais atores são os acionistas, a alta administração e o conselho de administração;• Inclui também os funcionários, fornecedores, clientes, bancos e outros credores, instituições reguladoras (como a CVM, o Banco Central, etc.) e a comunidade em geral.
  3. 3. • É um conjunto de práticas, regras, costumes, leis, políticas e regulamentos que tem como finalidade regular o modo como uma empresa é administrada e controlada, favorecendo os interesses mútuos de acionistas controladores, acionistas minoritários, administradores, funcionários e fornecedores.• As boas práticas de governança corporativa têm a finalidade de preservar e aumentar o valor das organizações, facilitar seu acesso ao capital e contribuir para sua longevidade.
  4. 4. Princípios Básicos• Transparência• Eqüidade• Prestação de Contas• Responsabilidade Corporativa
  5. 5. Transparência• Mais que a obrigação de informar, a administração deve cultivar o desejo de disponibilizar informações relevantes e não apenas aquelas impostas por disposições de leis ou regulamentos;• Ou seja, a comunicação deve contemplar todos os fatores (inclusive intangíveis) que conduzem à criação (ou destruição) de valor.
  6. 6. Equidade• Caracteriza-se pelo tratamento justo de todos os sócios e demais "partes interessadas" . Atitudes ou políticas discriminatórias, sob qualquer pretexto, são totalmente inaceitáveis.• Partes interessadas (stakeholders) - acionistas, credores, clientes, fornecedores, funcionários.
  7. 7. Prestação de Contas• Os agentes da Governança (ai incluídos os Conselhos Fiscal e de Administração) devem dar conhecimento e assumir integralmente as consequências dos atos e omissões praticados no exercício dos mandatos;
  8. 8. Responsabilidade Corporativa• Conselheiros e executivos devem zelar pela longevidade das organizações, incorporando considerações de ordem social e ambiental de longo prazo na definição dos negócios e operações (sustentabilidade)
  9. 9. Evolução do modelo deGovernança Corporativa• MODELO ANTERIOR • MODELO EM TRANSIÇÃO• Conselheiros passivos – • Conselheiros treinados e amigos do Presidente maioria de profissionais• Acionista controlador externos com poder absoluto • Investidores• Minoritários passivos institucionais• Concentração do poder • Minoritários exigentes acionário • Fragmentação da• Acumulação de cargos composição acionária Presidente do Conselho - • Presidente profissional Diretor Presidente contratado • Separação das funções
  10. 10. Evolução do Modelo de Governança Corporativa • Modelo Anterior • Modelo EmergenteEmpresa gerenciada Empresa controlada por poucospor poucos acionistas acionistas ou de capitalcontroladores, com práticas pulverizado, com governançainformais de governança formal e acesso a capital para executar suas estratégias Maior qualidade na discussão estratégica Maior eficiência na tomada de decisões Melhor relacionamento com o mercado de capitais e órgãos reguladores Maior consideração dos interesses dos acionistas minoritários
  11. 11. Histórico CRASH, REVOLUÇÃO Revolução KEYNESIANA E OS Ética Industrial Ascensão AVANÇOS DA Calvinista do Capital MACROECONOMIA Doutrina Liberal Tecnologia, Escala e O sistema da O desenvolvimento Produção em Série Sociedade da ciência da Anônima administração
  12. 12. Ética Calvinista• Construída no início do século XVI, em contraposição à ortodoxia da teologia cristã;• Conciliação da diligência empreendedora com a vida espiritual;• A energia empresarial vista como inviolável e sagrada determinação divina;• Em vez da condenação da riqueza, a aprovação dos que a realizam e a promoção do seu bom senso.
  13. 13. Doutrina Liberal• Construída a partir da segunda metade do século XVIII;• “mão invisível” do mercado;• Sociedade privada dos meios de produção, livre empreendimento e forças coordenadoras dos mercados;
  14. 14. Revolução Industrial• Mudanças substanciais nos modos de produção e entre os agentes econômicos;• Desenvolvimento da indústria de bens de capital e multiplicação das oportunidades de investimento.
  15. 15. Tecnologia, as escalas e a produçãoem série• Integração de invenções: novas forças-motrizes (vapor, combustão, elétrica), novos materiais e novos processos;• Impactos: grandes escalas, produção em série e diversificação industrial;• Da “era ferroviária” a “era automobilística”;• Ícone da produção em série: Ford T, que passou de 10.607 unidades em 1908 para 730.041 em 1917.
  16. 16. A ascensão do capital• Transposição histórica: do poder da terra para o poder do capital;• Emersão de uma nova classe dominante: os proprietários de grandes manufaturas e os empreendedores da infraestrutura;• Conseqüências: alta produtividade, gigantismo, mobilização massiva das poupanças e riscos de assimetria entre oferta e procura.
  17. 17. O sistema da Sociedade Anônima:• Século XX – a institucionalização da moderna sociedade anônima;• Grande número de empresas com mais de 25.000 acionistas;• Novas questões: segurança dos investidores, efervescência do mercado de capitais, risco de crash;
  18. 18. O Crash, a Revolução Keynesiana eos avanços da macroeconomia• O grande colapso de 1929-33;• Da derrocada à modelagem do novo capitalismo: a revolução Keynesiana;• Instituições preservadas: liberdade, propriedade privada dos recursos, decisões via mercados, incentivo do lucro;• Mudanças fundamentais: fim da abstenção do governo, controle dos vícios do mercado (macro e microeconômicos) e conciliação do livre empreendimento com o interesse social;
  19. 19. O desenvolvimento da ciência daadministração• As contribuições do Renascimento : Luca Pacioli (registros contábeis) e Maquiavel (poder);• Séculos XVIII e XIX: nova ordem econômica, Revolução Industrial e primeira escola de Administração;• Século XX: • Escolas clássicas e neoclássicas; • As práticas japonesas; • A abordagem sistêmica e a gestão estratégica; • O despertar da governança corporativa.
  20. 20. O Gigantismo e o poder dascorporações• Após 1934, reiniciou o processo de expansão das organizações, motivados pelos seguintes fatores: • Avanços tecnológicos; • Expansão demográfica; • Aburguesamento da sociedade: surgimento da classe média; • Grandes escalas e produção em série; • Evolução do mercado de capitais; • Emissões primárias (ações) crescentes; • Proliferação de pequenos negócios; • Investimentos públicos; • Transnacionalização das companhias; • Fusões e aquisições; • Relações entre os poderes políticos e econômicos.
  21. 21. 500 maiores Receitas operacionais anuais das maiores companhias US$ bilhõesempresas 1955 1960 1970 1980 1995 2005 2007Maior 9,8 11,2 24,3 79,1 154,6 339,9 378,85 24,3 32,5 69,5 271,9 543,3 1214,9 1232,310 33,5 46,1 99,4 389,7 840 1869,8 2069,825 51,9 72,5 152,5 565,8 1314,1 2956 3478,950 81,6 99,3 234 745,8 1774,3 4344,1 4901,6100 101,1 127,8 305,5 960,6 2406,3 5516,1 6523,6200 123,6 159,6 383,1 1190,9 3185,4 7047,7 8252,1300 135,9 178,1 423,9 1313,3 3653,3 7993,8 9324,5400 143,7 189,4 450,8 1386,2 3978,3 8621,6 10039,6500 149,1 197,4 469,3 1436 4228,7 9088 10601,5
  22. 22. Receitas operacionais/PNB (em %) 500 maiores companhias 1955 1960 1970 1980 1995 2005 2007Maior 2,48 2,16 2,4 2,9 2,11 2,74 2,745 6,14 6,26 6,86 9,98 7,42 9,78 8,9210 8,46 8,88 9,81 14,3 11,47 15,06 14,9925 13,11 13,97 15,06 20,76 17,94 23,81 25,1950 20,61 19,14 23,1 27,36 24,22 34,99 35,49100 25,54 24,63 30,16 35,25 32,85 44,45 47,23200 31,22 30,76 37,82 43,7 43,49 56,76 59,75300 34,33 34,32 41,85 48,19 49,87 64,38 67,51400 36,3 36,5 44,51 50,86 54,31 69,44 72,69500 37,66 38,04 46,33 52,69 57,73 73,2 76,76
  23. 23. O divórcio entre a propriedade e agestão• Características: • Propriedade desligou-se da administração; • Substituição dos proprietários por executivos contratados; • Objetivos superam o de maximizar os lucros; • Conflitos decorrentes de interesses levaram a reaproximação da propriedade e da gestão, pela adoção de práticas de governança corporativa;

×