TEXTOS DE APOIO
Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO
2011-2012
Prof. Luís Veiga 2011/2012
Página1
Textos de Apoio
TEXTOS DE APOIO
Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO
2011-2012
Prof. Luís Veiga 2011/2012
Página2
relevo é o conjunto da...
TEXTOS DE APOIO
Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO
2011-2012
Prof. Luís Veiga 2011/2012
Página3
As colinas são elevaçõ...
TEXTOS DE APOIO
Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO
2011-2012
Prof. Luís Veiga 2011/2012
Página4
Uma cordilheira é um g...
TEXTOS DE APOIO
Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO
2011-2012
Prof. Luís Veiga 2011/2012
Página5
Vulcão é toda a abertu...
TEXTOS DE APOIO
Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO
2011-2012
Prof. Luís Veiga 2011/2012
Página6
Designação dos element...
TEXTOS DE APOIO
Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO
2011-2012
Prof. Luís Veiga 2011/2012
Página7
Altitude de um ponto n...
TEXTOS DE APOIO
Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO
2011-2012
Prof. Luís Veiga 2011/2012
Página8
TEXTOS DE APOIO
Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO
2011-2012
Prof. Luís Veiga 2011/2012
Página9
TEXTOS DE APOIO
Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO
2011-2012
Prof. Luís Veiga 2011/2012
Página10
SERRAS ….
Serra de Mo...
TEXTOS DE APOIO
Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO
2011-2012
Prof. Luís Veiga 2011/2012
Página11
Serra do Larouco
A Se...
TEXTOS DE APOIO
Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO
2011-2012
Prof. Luís Veiga 2011/2012
Página12
Serra do Caramulo
A S...
TEXTOS DE APOIO
Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO
2011-2012
Prof. Luís Veiga 2011/2012
Página13
Serra da Arrábida
A S...
TEXTOS DE APOIO
Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO
2011-2012
Prof. Luís Veiga 2011/2012
Página14
(Serra) do Pico
A Ser...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

83118531 t-apoio-relevo-serras

548 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
548
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

83118531 t-apoio-relevo-serras

  1. 1. TEXTOS DE APOIO Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO 2011-2012 Prof. Luís Veiga 2011/2012 Página1 Textos de Apoio
  2. 2. TEXTOS DE APOIO Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO 2011-2012 Prof. Luís Veiga 2011/2012 Página2 relevo é o conjunto das formas da crosta terrestre (camada mais externa do planeta), manifestando-se desde o fundo dos oceanos até às terras emersas(que ficam acima d'água), e é resultado da ação de forças endógenas (fenômenos que têm a sua origem no interior do globo terrestre), ou exógenas (fenômenos que têm a sua origem no exterior do globo terrestre-água corrente, temperatura, chuva, vento, geleiras, seres vivos). O relevo não se caracteriza apenas pela sua altitude mas também pelo seu aspeto. Ao longo de milénios a superfície da Terra foi-se alterando, dando origem a diferentes formas de relevo. Encontramos formas diversas de relevo: montanhas, planaltos, planícies, depressões, cordilheiras, morros, serras, icebergs, vulcões, vales, escarpas, abismos, etc. Formas de Relevo As montanhas são elevações que apresentam grandes desníveis, vales profundos e cumes muito altos e altitudes, geralmente, superiores a 1000 metros. Os cumes podem terminar em forma de pico ou arredondados, consoante se tratem de montanhas mais recentes ou mais antigas, respetivamente. Fig. 1: Montanhas Os planaltos são formas de relevo aplanadas e com altitudes variadas superiores a 200 metros, são antigas montanhas que, ao longo dos tempos, foram desgastadas pela erosão (da água ou do vento). Fig. 2: Planalto (Trás-os-Montes As planícies são formas de relevo aplanadas e com altitudes inferior a 200 metros (pouca ou nenhuma variação de altitude - encontradas, na maioria das vezes, em regiões de baixas altitudes). Umas resultaram da ação dos agentes erosivos, que aplanaram os relevos antigos, outras formaram-se pela deposição de sedimentos transportados pelos grandes rios. Estas chamam-se planícies aluviais. Fig.3: Planície (Rio Tejo)
  3. 3. TEXTOS DE APOIO Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO 2011-2012 Prof. Luís Veiga 2011/2012 Página3 As colinas são elevações de baixa altitude (entre os 100 e os 00m de altitude), de formas arredondadas e fraco declive – vertentes com inclinação pouco acentuada. Os outeiros são pequenas elevações ( que não vão além dos 100m de altitude) de terreno com declive suave. Depressões são regiões geográficas mais baixas do que as áreas à sua volta. Quando esta região se situa numa altitude abaixo do nível do mar, ela é chamada de depressão absoluta. Quando são apenas mais baixas do que as áreas ao redor, são chamadas de depressões relativas. As crateras de vulcões desativados são consideradas depressões. É comum a formação de lagos nas depressões. COVÃO D'AMETADE - CANTARO MAGRO - COVÃO CIMEIRO - - O Covão d'Ametade corresponde a uma depressão mal drenada, em cujo fundo se acumularam sedimentos, que por sua vez possibilitaram o desenvolvimento de vegetação arbórea. Esta depressão corresponde ao que se denomina por um covão glaciário e localiza-se a cerca de 200 m a jusante do Covão Cimeiro. Ainda é possível observar, para jusante deste ponto um outro covão, designado por Covão da Albergaria. Esta sucessão de depressões mal drenadas (covões) é característica de zonas montanhosas que foram ou estão sujeitas a glaciações, dando origem a lagos com pouca expressão, que se distribuem ao longo dos vales. A montante pode identificar-se facilmente o ferrolho glaciário (verrou) do Covão Cimeiro, que quase fecha o vale.
  4. 4. TEXTOS DE APOIO Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO 2011-2012 Prof. Luís Veiga 2011/2012 Página4 Uma cordilheira é um grande sistema de montanhas reunidas, geralmente resultado do encontro de duas placas tectônicas que muitas vezes lançam ramos ou cadeias de montanhas secundárias. As cordilheiras mais famosas do mundo são a do Himalaia na Ásia, a dos Andes na América do Sul, as Rochosas na América do Norte e a dos Alpes na Europa. Serra - são terrenos acidentados com fortes desníveis, frequentemente aplicados a escarpas assimétricas, possuindo uma vertente abrupta e outra menos inclinada (montanhas ligadas umas às outras). escarpas Serra Icebergue é um gigantesco bloco de gelo que flutua no mar, navegando à toa pelos oceanos polares.
  5. 5. TEXTOS DE APOIO Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO 2011-2012 Prof. Luís Veiga 2011/2012 Página5 Vulcão é toda a abertura (respiradouro) na superfície da crusta terrestre, através da qual se projetam gases e cinzas associadas, se dá a erupção do magma, procedentes do interior da terra. Ocorre tanto nas regiões continentais como nas submarinas, mas sabe-se que os magmas se originam a altas temperaturas e pressões, e que essas condições se encontram principalmente nas regiões de contacto das placas que formam a litosfera. Os vales são depressões alongadas e estreitas, situadas entre montanhas, normalmente resultantes da ação de um rio ou de um glaciar. Vale fluvial (rio Douro) Vale glacial (rio Zêzere) Abismo define-se como uma depressão natural, no relevo de uma paisagem. Também pode ser definido como uma caverna com desenvolvimento predominantemente vertical.
  6. 6. TEXTOS DE APOIO Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO 2011-2012 Prof. Luís Veiga 2011/2012 Página6 Designação dos elementos de uma elevação: Cume- Ponto mais alto da montanha. Encosta- É a parte compreendida entre o sopé e o cume. Sopé- É a base da montanha Cume em forma de “ Agulha” Cume em forme de “Pico” Cume em forma de “Cabeço”
  7. 7. TEXTOS DE APOIO Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO 2011-2012 Prof. Luís Veiga 2011/2012 Página7 Altitude de um ponto na Terra é a distância medida na vertical entre o nível médio das águas do mar e um dado lugar:  Altitude positiva – acima do nível médio das águas do mar;  Altitude negativa – abaixo do nível médio das águas do mar. O RELEVO DA PENÍNSULA IBÉRICA A Península Ibérica apresenta diversas formas de relevo:  Montanhas - grandes elevações de terreno geralmente cortadas por vales profundos; as principais são: Pirenéus; Montes Cantábricos, Montes Ibéricos, Cordilheira Central e Cordilheira Bética;  planaltos, isto é, grandes extensões de terreno plano a grande ou média altitude; o principal é o Planalto Central;  planícies, isto é, grandes extensões de terreno plano de baixa altitude; as principais situam-se na costa e nos vales dos grandes rios: Tejo, Douro, Guadiana, Guadalquivir, Júcar e Ebro. Principais elevações de Portugal Continental Serra Altitude (em metros) Estrela 1993 Gerês 1548 Marão 1415 Montemuro 1382 Sintra 528 Caldeirão 580 Arrábida 501
  8. 8. TEXTOS DE APOIO Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO 2011-2012 Prof. Luís Veiga 2011/2012 Página8
  9. 9. TEXTOS DE APOIO Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO 2011-2012 Prof. Luís Veiga 2011/2012 Página9
  10. 10. TEXTOS DE APOIO Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO 2011-2012 Prof. Luís Veiga 2011/2012 Página10 SERRAS …. Serra de Montesinho A Serra de Montesinho (grafia arcaica Montezinho) é a quarta maior elevação de Portugal Continental, com 1486 metros de altitude. Situa-se no Alto Trás-os-Montes, nos concelhos de Bragança e Vinhais, onde também tem lugar o Parque Natural de Montesinho Serra de Deilão A Serra de Deilão – com cotas entre os 700 e 1000 m de altitude, apresenta inclinações médias a baixas e uma boa exposição, na vertente volvida ao rio Sabor. Acima dos 800 m, destaca-se, na proximidade de Deilão, a Alta Lombada. Serra da Coroa A Serra da Coroa é uma elevação de Portugal Continental, com 1274 metros de altitude. Situa-se na Terra Fria Trasmontana, Alto Trás-os-Montes – extremo norte transmontano - em pleno concelho de Vinhais, entre os rios Tuela e Rabaçal, próximo à fronteira com a Espanha. Do seu topo podem avistar-se as serras espanholas que compõem a ponta Sul da Cordilheira Cantábrica, e as portuguesas Serra de Montesinho, Serra da Padrela, Serra da Nogueira, Serra de Bornes, Serra de Santa Comba e a Serra do Larouco. Localmente, é mais conhecida por Serra da Croa. Serra de Nogueira A Serra da Nogueira é um maciço montanhoso que se ergue a sudoeste da cidade de Bragança, com orientação N-S, e com uma extensão de, aproximadamente, 13 Kms que abrange os concelhos de Bragança, Macedo de Cavaleiros e Vinhais. No ponto mais alto, atinge os 1319 m de altitude. Neste ponto, situa-se o Santuário de Nossa Senhora da Serra ( ou N. Senhora. das Neves ) e, em dias claros, pode servir de miradouro para uma das visões mais alargadas que existe em Portugal, tal é a amplitude do horizonte visual que dali se disfruta. Serra de Bornes A Serra de Bornes é uma elevação de Portugal Continental, cujo ponto mais elevado (próximo de Bornes) tem 1200 m de altitude. Situa-se no Alto Trás-os-Montes, concelho de Macedo de Cavaleiros, distrito de Bragança. Serra de Mogadouro A Serra de Mogadouro é uma elevação de Portugal Continental, com 993 metros de altitude. Situa-se entre o rio Douro e o rio Sabor, no concelho de Mogadouro, no Alto Trás-os-Montes, tendo a orientação geral Este-Sudoeste
  11. 11. TEXTOS DE APOIO Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO 2011-2012 Prof. Luís Veiga 2011/2012 Página11 Serra do Larouco A Serra do Larouco é uma serra portuguesa localizada na província Trás-os-Montes, Concelho de Montalegre, distrito de Vila Real. É a terceira maior elevação de Portugal Continental, com 1535 metros de altitude; situa-se na fronteira do distrito de Vila Real com a Galiza. Esta serra faz parte do sistema montanhoso da Peneda-Gerês Serra da Peneda A Serra da Peneda é a quinta maior elevação de Portugal Continental, com 1.416 metros de altitude no ponto mais elevado (Pedrada, próximo de Gavieira) e uma das mais proeminentes do país (768 m). Situa-se no Alto Minho, nas proximidades de Castro Laboreiro, fazendo parte do sistema montanhoso da Peneda-Gerês. Está incluída no Parque Nacional da Peneda-Gerês. Serra do Gerês A Serra do Gerês é a segunda maior elevação de Portugal Continental, tem no seu cume (Pico da Nevosa), segundo folha do Instituto Geográfico do Exército, 1548 metros de altitude. No seu espaço enquadra-se o Parque Nacional da Peneda-Gerês. Faz ainda parte do sistema montanhoso da Peneda-Gerês. Serra do Marão A Serra do Marão é a sexta maior elevação de Portugal Continental, com 1415 m de altitude e 689 m de proeminência topográfica. Situa-se na região de transição do Douro Litoral para o Alto Douro. No ponto mais alto encontra-se o vértice geodésico do Marão e o Observatório Astronómico do Marão. Serra da Estrela A Serra da Estrela é a maior elevação de Portugal Continental, e a segunda maior em território da República Portuguesa (apenas o Pico, nos Açores, a supera). Tem 1993 metros de altitude, segundo retificações introduzidas por medições realizadas pelo Instituto Geográfico do Exército. A real altitude da serra da Estrela, no seu cume, a Torre, é de 1993 m, conforme Julga-se que corresponda à elevação a que os tratadistas romanos da Antiguidade chamavam de Montes Hermínios (Herminius Mons), e ter sido o berço do guerreiro lusitano Viriato. O ponto mais alto, a Torre, situa-se no concelho de Seia, distrito da Guarda. As temperaturas mais baixas de Portugal são registadas no cume da Serra, com mínimas que já atingiram a marca de -20°C no inverno. Na Serra da Estrela situa-se um parque natural (Parque Natural da Serra da Estrela). Serra da Cabreira A Serra da Cabreira é uma elevação de Portugal Continental, com 1262 metros de altitude, no Alto do Talefe. Situa-se no Baixo Minho, predominantemente nos concelhos de Vieira do Minho e Cabeceiras de basto. O Rio Saltadouro é um rio português, afuente da margem esquerda do Cávado e nasce na Serra da Cabreira.
  12. 12. TEXTOS DE APOIO Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO 2011-2012 Prof. Luís Veiga 2011/2012 Página12 Serra do Caramulo A Serra do Caramulo está situada no Concelho de Tondela, distrito de Viseu, a Serra do Caramulo é uma zona montanhosa de origem geológica granítica e xistosa, com flora variada, matas densas, inúmeros ribeiros e cascatas. O Caramulinho é o ponto mais alto da Serra, com 1075 metros de altitude, onde se Avistam as serras de Montemuro (norte), Lousã (sudoeste) e Estrela (sudeste). Serra do Montemuro A Serra de Montemuro é a oitava maior elevação de Portugal Continental, com 1382 metros de altitude. Situa-se nos concelhos de Arouca, Cinfães, Resende e Castro Daire e Lamego (distrito de Viseu) e entre as regiões do Douro Litoral e da Beira Alta. A altitude média é de 838 metros. Está compreendida entre o rio Douro, a Norte e o rio Paiva, a sul, confina com a cidade de Lamego. O ponto mais alto da serra é denominado por Talegre ou Talefe, a 1.381 metros de altitude. Toda a serra tem bastante relevo e é íngreme praticamente de todos os lados. A serra é povoada até cerca dos 1.100 metros de altitude, as aldeias encontram-se espalhadas por toda a serra, mas quase sempre perto de cursos de água, como o rio Bestança que a divide na direção Sul-Norte. Serra do Caldeirão A Serra do Caldeirão ou do Mu [1] faz a fronteira entre o litoral e barrocal algarvios e as peneplanícies do Baixo Alentejo. O seu ponto mais alto localiza-se no Baixo Alentejo, próximo da fronteira com o Algarve, onde atinge os 580 m de altitude; nos concelhos de Tavira e de Loulé possui diversos pontos em que ultrapassa os 500 m. Serra de Monchique Serra de Monchique A Serra de Monchique é uma serra do oeste do Algarve, cujo ponto mais elevado - Fóia, com 902 m de altitude - é o mais alto do Algarve e um dois pontos mais proeminentes de Portugal (739 m) Serra do Buçaco A Serra do Buçaco (antigamente verificava-se também a grafia Bussaco; em tempos foi também chamada serra de Alcoba) é uma elevação de Portugal Continental, com 549 metros de altitude. Abrange os concelhos da Mealhada,Mortagua e Penacova. Foi nesta serra que se travou a batalha do Buçaco em 1810, entre as forças anglo- lusas comandadas pelo Duque de Wellington, de um lado, e as francesas comandadas por André Massena, de outro. Serra de Sintra A Serra de Sintra (também conhecido como Monte da Lua) situa-se na Estremadura perto de Lisboa e tem de altitude 528 metros. As escarpas estão, na maioria, orientadas a Oeste , o que aumenta o tempo de luz em tardes de Verão. É na Serra de Sintra que podemos encontrar o Castelo dos Mouros e o fantástico Palácio da Pena.
  13. 13. TEXTOS DE APOIO Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO 2011-2012 Prof. Luís Veiga 2011/2012 Página13 Serra da Arrábida A Serra da Arrábida é uma pequena elevação de Portugal Continental, com apenas 501 metros de altitude. Situa-se na Península de Setúbal; aí se localiza o Parque Natural da Arrábida. Serra da Lousã A Serra da Lousã é uma elevação de Portugal Continental, com 1205 m de altitude no ponto mais elevado (Trevim). Situa-se na transição do distrito de Coimbra para o de Leiria. Integra o sistema montanhoso luso-espanhol da Meseta. Esta serra abrange os concelhos de Miranda do Corvo, Lousã, Góis, Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos. Serra da Gardunha A Serra da Gardunha é uma elevação de Portugal Continental, com 20 Km de comprimento, 10 Km de largura e 1227 metros de altitude. Situa-se na Beira Baixa. Concelho de Fundão, Distrito de Castelo Branco. A Serra da Gardunha, também é conhecida por Guardunha (palavra árabe que significa "refúgio"). Serra de Montejunto A Serra de Montejunto é uma serra de Portugal. É o miradouro natural mais alto da Estremadura, elevando-se a 666 m de altitude. Situa-se no norte do distrito de Lisboa ( a 65 km de Lisboa), entre os concelhos do Cadaval, a norte, e Alenquer, a sul. Serra de S. Mamede A Serra de São Mamede é uma elevação de Portugal Continental, com 1025 metros de altitude. Situa-se no Alto Alentejo, distrito de Portalegre. Aí se situa o Parque Natural da Serra de São Mamede, Pico Ruivo O Pico Ruivo, no concelho de Santana, na Ilha da Madeira, é, com os seus 1862 metros de altitude, a terceira montanha mais alta de Portugal (depois da Ponta do Pico, nos Açores, e da Serra da Estrela, em Portugal Continental), e a mais alta do Arquipélago da Madeira. Pico do Areeiro O Pico do Areeiro é um pico situado na ilha da Madeira. Com 1818 metros de altitude é o terceiro pico mais alto da ilha, depois do Pico Ruivo (1861 m) e do Pico das Torres (1851 m).
  14. 14. TEXTOS DE APOIO Aspetos Físicos do Meio Local - RELEVO 2011-2012 Prof. Luís Veiga 2011/2012 Página14 (Serra) do Pico A Serra do Pico (Ponta do Pico, Montanha do Pico ou pelo menos Pico) é o ponto mais alto do vulcão do mesmo nome na ilha do Pico, arquipélago dos Açores. O cume da montanha está a 2.351 m acima do nível médio do mar, sendo o ponto mais alto de Portugal. O Vulcão do Pico é muito recente (aproximadamente 750 000 anos de idade), entrando em atividade pela última vez no seu flanco sueste (São João) no século XVIII. Pico da Vara O Pico da Vara é uma elevação portuguesa localizada no concelho da Povoação, ilha de São Miguel, arquipélago dos Açores. Este acidente geológico tem o seu ponto mais elevado a 1103 metros de altitude acima do nível do mar e é o ponto mais elevado da ilha de São Miguel. Faz conjuntamente com a Serra da Tronqueira, o Planalto dos Graminhais, o Espigão dos Bois e o Pico verde a maior formação montanhosa desta ilha. Nas suas encostas encontra-se a Reserva Florestal Natural Parcial do Pico da Vara. Síntese: O território de Portugal apresenta uma grande variedade de relevo. Conforme podemos verificar, as elevações estão espalhadas por todo o país, mas é no Norte e no Centro que existem em maior quantidade. A Norte do rio Tejo predominam as grandes elevações – orientadas na sua maioria no sentido nordeste-sudoeste - com uma altitude superior a 400m ( montanhas) e próximas dos 2000m, que alternam com vales profundos de rios rápidos. A Sul daquele rio predominam as zonas planas, pois as elevações que existem são de pouca altitude e orientam-se no sentido norte-sul. O ponto com maior altitude, de Portugal Continental, é a serra da Estrela (1993m), seguindo- se-lhe a serra do Gerês (1548m), a serra do Larouco (1535m), a serra da Peneda (1416m) e a serra do Marão (1415m)…. Em Portugal os vales predominam na zona norte do continente, mais montanhosa que o sul. As planícies distribuem-se sobretudo ao sul do rio Mondego e geralmente pelo litoral e margem dos rios. As principais regiões planálticas são no Alto Alentejo, no distrito da Guarda e em Bragança. Os arquipélagos da Madeira e dos Açores têm origem vulcânica. A Madeira tem um relevo muito recortado e elevações com vales profundos. Os pontos mais elevados são o Pico Ruivo (1860m) e o Pico do Areeiro (1818m), que fazem parte de um conjunto de serras ( cordilheira) que se estende pela ilha na direção este-oeste. A ilha da Madeira é mais alta do que a ilha de Porto Santo, havendo uma única zona plana na ilha chamada Paul da Serra (planalto). A região interior dos Açores é extremamente montanhosa. A maior elevação é o Pico (2345m), sendo a maior elevação de Portugal. Outros pontos elevados do arquipélago são o Pico da Vara, na ilha de S. Miguel e a serra de Santa Bárbara, na ilha Terceira. Neste arquipélago a altitude aumenta do litoral para o interior. Curiosidades: O ponto mais alto da Terra é o pico Evereste, com 8845 metros, situado na cordilheira dos Himalaias, no Tibete, no continente asiático.

×