SlideShare uma empresa Scribd logo

patologia oral - perguntas e respostas

perguntas e respostas de pato oral - unig 2013-1

1 de 6
Baixar para ler offline
* Fibroma: tratamento é a incisão cirúrgica e confirmação histopatológica
* Granuloma Piogênico = Granuloma Gravídico - causado por oscilação hormonal, múltiplas
restaurações e tártaro.
* Técnica para diagnosticar uma lesão vascular - Debridação
* Linfoma é sempre amarelo? Não, somente quando ele é próximo ao epitélio
* Exame que caracteriza a deficiência renal: Uréia e Creatinina
* Um ponto importante do tratamento odontológico de paciente com insuficiência renal: A
anestesia é excretada pelos rins.
* Paciente que faz hemodiálise, quando pode fazer o tratamento? Logo após a hemodiálise
* Qual a complicação que um paciente diabético pode ter em um procedimento odontológico?
Risco de hemorragia e difícil cicatrização (Usar sempre antibiótico terapia)
* Características da Síndrome de Down: Macroglossia, sialorreia e periodontia
* Diferença no cuidado dos pacientes com HIV: É um paciente com porta aberta para infecção,
evitar o uso de anti inflamatório, e não se deve nunca usar corticoide (isso em qualquer doença
imunodeficiente)
* Exames pedidos para pacientes com distúrbios hematológicos: hemograma completo,
coagulograma completo.
* Qual tempo antes se deve suspender as medicações que causam hemorragias antes de um
cirurgia: 7 dias antes.
Grupo 1 Doenças fúngicas e bacterianas. C perguntas
Grupo 2 Doenças virais e endêmicas. C perguntas
Grupo 3 Lesões reacionais. c perguntas
Grupo 4 Neoplasias benignas c perguntas
Grupo 5 Neoplasias malignas c perguntas
Grupo 6 Patologias de glândulas salivares sem perguntas.
Grupo 7 Distúrbios hematológicos c perguntas.
Grupo 8 Manifestações orais de doenças sistêmicas c perguntas.
Grupo 9 Odonto Legal sem perguntas.
1Qual a diferença de celulite e erisipela?
R: A erisipela é de causas bacterianas no caso em questão o streptococus B
hemolíticos enquanto a celulite facial é de ordem odontogênica. A celulite nada
mais é do que um abscesso que não é capaz de drenar através da superfície
cutânea ou no interior da cavidade local e faz parúlide pelos tecidos moles. Ela
é a extensão aguda de um processo inflamatório.
2 Meio de transmissão da tubercuose?
R: A tuberculose se dissemina por meio de gotículas expelidas no ar por uma
pessoa infectada quando fala, tosse ou espirra.
3: Aspectos clínicos da Hanseníase?
Ela é uma doença que é transmitida pelas vias aéreas por meio de gotículas no
ar durante a fala ou tosse da pessoa infectada. Ela pode ser transmitida para
pessoas com feridas expostas, porém essa forma de transmissão é bem difícil.
A bactéria pode ficar encubada de 7 meses até 10 anos. Uma forma tranqüila
de se descobrir a hanseníase em um paciente é com uma caneta esferográfica
ou um outro objeto pontiagudo pois a hanseníase apresenta manchas na cor
de cobre e nesses locais a sensibilidade é afetada ou ausente. Toque com a
caneta em um local normal da pele para fazer o controle e peça para pessoa
mostrar o local tocado e depois o faça no centro da mancha suspeita. Se o
paciente não conseguir sentir o local tocado, ele tem hanseníase.
4 Qual a causa comum da sinusite? Como evitar? Por que ela é comum
nos dentistas? Qual dente é o mais comum causador ?
A sinusite se dá após a obstrução do complexo ostiomeatal. Isso diminui a
drenagem local, diminui a ventilação e precipita a doença.
A sinusite pode ocorrer nos seios maxilares por meio de infecção odontogênica
mais comum no 1 molar superiores.
5 Qual a faixa etária mais comum de ocorrer a candidíase?
R Nos idosos. Por conta de próteses totais velhas ou mal feitas.
6 Causa da paracocidinomicose?
R Mascar capim, mato. É a chamada doença de roceiro. É causada pelo P.
Brasiliensis.
7 O fluconazol e o Cetoconazol são antifúngicos, o que eles podem
causar se usados em quantidades erradas?
Hepatite medicamentosa.
8 O que o Fluconazol pode cetaconazol podem causar se ministrados em
pacientes que usam sinvastatina.
R: Eles podem causar hepatite medicamentosa e rabdomiólise que é uma
doença que causa degeneração dos tecidos musculares gerando complicações
renais.
9 O que é o mucocele e quais são as causas?
É a retenção de muco no epitélio, que é causado por trauma ou hábitos
viciosos. Normalmente é ocasionado pela ruptura de um ducto de uma glândula
salivar extravasando mucina, esta que se deposita sob o epitélio. O mucocele é
mais comum nos lábios inferiores.
10 O que é a marsupialização?
É a téc que fazemos para reduzir a pressão interna de um cisto, e dessa forma
ele reduz de tamanho.
11 O que é a hiperplasia de sucção?
É uma hiperplasia causada geralmnte por buraco em prótese tocal devido as
forças de sucção.
12 Qual a principal causa da hiperplasia fibrosa?
R: As próteses quando estas estão mal adaptadas.
13 O que é a técnica de ablasão?
R: É a remoção de tecido por meio de técnica a laser.
14 Como se trata xerostomia?
R: Com o uso de saliva artificial.
15 Conciderações sobre a queilite solar. O que ela causa na cavidade oral.
A queilite solar também é chamada de queitile actínica, ela causa manchas
brancas na cavidade oral e ela é pré maligna.
16 Como perceber o papiloma víruz?
R Os de tamanho pequeno é impossível porém os de tamanho grande nós
conseguimos observar com vinagre pois o local fica branco ou com azul de
toluidina.
17 Qual a forma de tratamento do fibroma?
R: excisão cirúrgica e exame histopatológico.
Obs: Todo tecido retirado deve ser encaminhado para biópcia.
18 Existe diferença para o granuloma gravídico para o granuloma
piogênico?
R: Não, só muda o nome pois eles ocorrem em períodos diferentes. O
granuoma gravídico ocorre durante o período da gestação pois é resultado de
grandes alterações hormonais que a mulher sofre.
Já o granuloma piogênico é causado por irritação local ou trauma.
Ele é conseqüência de um fator irritante local. É aconselhado as mulheres fazer
o tratamento odontológico antes de engravidar.
19) O linfoma é sempre amarelado?
R: Não pois ele pode conter sangue logo ficando avermelhado.
20) Qual a diferença dos tumores benignos dos tumores malignos?
R: Os tumores benignos tem crescimento lento são regulares bem definidos
tem células bem diferenciadas e são encapsulados e não causam metástases.
Os tumores malignos tem crescimento rápido, são mal definidos não são
encapsulados tem células indiferenciadas e causam metástases.
21 No tratamento de quimioterapia, o que ocorre com as células ao redor
das células cancerosas?
R: As células cancerosas morrem e as normais também.
21 Por que as células normais morrem também?
R: Por falta de oxigênio.
22 Em procedimentos cirúrgicos, qual os exames que devem ser feitos?
Tap, ptt, inr, cantagem de plaquetas e hematócrito.
23 Se o paciente faz uso de aspirina, quanto tempo ele deve suspender
para fazer procedimento cirúrgico?
R: De 7 a 9 dias que é o tempo médio de renovação das plaquetas.
24 Quais raças tem maior prevalência de anemia falciforme?
R: Os negros e asiáticos.
25)Na anemia, o que nós temos que repor no paciente?
R: Ferro e ácido fóloco
27) Qual a função das hemácias?
R: Transportar oxigênio.
28) Qual exame feito para diagnosticar a doença renal?
R: Uréria e Creatinina.
29) Qual a importância de vc saber se a função renal do seu paciente é
boa durante o tratamento odontológico?
R: É que principalmente os anestésicos aumentam muito a toxidade do sangue
e se o rim for deficiente, ele não vai conseguir eliminar essas toxinas todas.
30) Quando vc pode tratar pacientes que fazem hemodiálise?
R: Só após o tratamento pois se esperar dias para fazer o tratamento
odontológico, ele já vai estar com o sangue carregado de toxinas.
31) Qual o cuidado que temos de ter com pacientes diabéticos?
R: Cuidados para evitar ao máximo infecções, o exame de glicemia tem de ser
feito antes do procedimento. Se uma exodontia for feita, temos de fazer
antibióticoterapia.
31 O que é o papiloma lefebre?
R: É a única doença ligada diretamente a odontologia, ela causa uma
periodontite agressiva. Ela possui fatores hereditários.
32 Que características da síndrome de Donw que nós dentisas temos de ficar
atentos?
R: Macroglossia e sialorreia e eles tem uma pré disposição a doenças
periodontais.
33 Nos pacientes com síndrome de imunodeficiência, o que nós temos de
proceder?
R: Fazer exame de carga viral. Quanto maior a carga viral maiores as chances
de o paciente vir a ficar doente.
34 Quais cuidados temos de ter com pacientes imunosuprimidos?
R: Não fazer uso de antiinflamatórios e nem mesmo o corticóide pois
aumentam muito as chances de a doença aumentar pois eles diminuem o
sistema imunológico.
35 Na odontologia legal, saber diferenciar raças e sexos por meio do crânio.
Quanto tempo os registros devem ser mantidos dentro do consultório dentário?
R: 5 anos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Questionário Tuberculose
Questionário TuberculoseQuestionário Tuberculose
Questionário TuberculoseInês Santos
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 13
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 13Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 13
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 13Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 21
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 21Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 21
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 21Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 8
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 8Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 8
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 8Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 25
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 25Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 25
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 25Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 7
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 7Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 7
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 7Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 11
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 11Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 11
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 11Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 6
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 6Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 6
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 6Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 17
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 17Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 17
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 17Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 16
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 16Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 16
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 16Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 24
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 24Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 24
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 24Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 26
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 26Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 26
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 26Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 15
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 15Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 15
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 15Professor Robson
 

Mais procurados (16)

Questionário Tuberculose
Questionário TuberculoseQuestionário Tuberculose
Questionário Tuberculose
 
Questionário
QuestionárioQuestionário
Questionário
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 13
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 13Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 13
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 13
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 21
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 21Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 21
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 21
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 8
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 8Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 8
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 8
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 25
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 25Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 25
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 25
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 7
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 7Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 7
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 7
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 11
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 11Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 11
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 11
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 6
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 6Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 6
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 6
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 17
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 17Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 17
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 17
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 16
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 16Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 16
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 16
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 24
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 24Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 24
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 24
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 26
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 26Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 26
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 26
 
Fluorescência
FluorescênciaFluorescência
Fluorescência
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 15
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 15Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 15
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 15
 
Lesoes endoperiodontais
Lesoes endoperiodontaisLesoes endoperiodontais
Lesoes endoperiodontais
 

Destaque

Questões patologia geral 1º semestre
Questões patologia geral 1º semestreQuestões patologia geral 1º semestre
Questões patologia geral 1º semestreJumooca
 
Exercício 01 Patologia Geral 2009 2
Exercício 01   Patologia Geral 2009 2Exercício 01   Patologia Geral 2009 2
Exercício 01 Patologia Geral 2009 2UFPEL
 
02 cmf4-atividade lesão celular
02 cmf4-atividade lesão celular02 cmf4-atividade lesão celular
02 cmf4-atividade lesão celularÁreadaSaúde
 
3º lista de exercício avaliativo sobre concreto patologias e aditivos
3º lista de exercício avaliativo sobre concreto   patologias e aditivos3º lista de exercício avaliativo sobre concreto   patologias e aditivos
3º lista de exercício avaliativo sobre concreto patologias e aditivosprofNICODEMOS
 
Casos clínicos patologia geral
Casos clínicos   patologia geralCasos clínicos   patologia geral
Casos clínicos patologia geralDr.João Calais.:
 
Patologia 02 lesão e morte celular - med resumos - arlindo netto
Patologia 02   lesão e morte celular - med resumos - arlindo nettoPatologia 02   lesão e morte celular - med resumos - arlindo netto
Patologia 02 lesão e morte celular - med resumos - arlindo nettoJucie Vasconcelos
 
RESUMO FISIOPATOLOGIA - agressão, defesa, necrose e apoptose, causas das lesõ...
RESUMO FISIOPATOLOGIA - agressão, defesa, necrose e apoptose, causas das lesõ...RESUMO FISIOPATOLOGIA - agressão, defesa, necrose e apoptose, causas das lesõ...
RESUMO FISIOPATOLOGIA - agressão, defesa, necrose e apoptose, causas das lesõ...Flávia Lemes
 
Caso clínico Furúnculo
Caso clínico FurúnculoCaso clínico Furúnculo
Caso clínico FurúnculoThiago Henrique
 
B I O F I L M E S B U C A I S
B I O F I L M E S  B U C A I SB I O F I L M E S  B U C A I S
B I O F I L M E S B U C A I Sguest712f83
 
Patologia 01 introdução - med resumos - arlindo netto
Patologia 01   introdução - med resumos - arlindo nettoPatologia 01   introdução - med resumos - arlindo netto
Patologia 01 introdução - med resumos - arlindo nettoJucie Vasconcelos
 
Patologia 06 distúrbios hemodinâmicos - med resumos - arlindo netto
Patologia 06   distúrbios hemodinâmicos - med resumos - arlindo nettoPatologia 06   distúrbios hemodinâmicos - med resumos - arlindo netto
Patologia 06 distúrbios hemodinâmicos - med resumos - arlindo nettoJucie Vasconcelos
 
Lesões celulares
Lesões celulares Lesões celulares
Lesões celulares Karen Costa
 
Cistos odontogênicos e não odontogênicos
Cistos odontogênicos e não odontogênicosCistos odontogênicos e não odontogênicos
Cistos odontogênicos e não odontogênicosNadia Morais Tonussi
 

Destaque (20)

Questões patologia geral 1º semestre
Questões patologia geral 1º semestreQuestões patologia geral 1º semestre
Questões patologia geral 1º semestre
 
Exercício 01 Patologia Geral 2009 2
Exercício 01   Patologia Geral 2009 2Exercício 01   Patologia Geral 2009 2
Exercício 01 Patologia Geral 2009 2
 
02 cmf4-atividade lesão celular
02 cmf4-atividade lesão celular02 cmf4-atividade lesão celular
02 cmf4-atividade lesão celular
 
3º lista de exercício avaliativo sobre concreto patologias e aditivos
3º lista de exercício avaliativo sobre concreto   patologias e aditivos3º lista de exercício avaliativo sobre concreto   patologias e aditivos
3º lista de exercício avaliativo sobre concreto patologias e aditivos
 
Apostilas completas.doc patologia (1)
Apostilas completas.doc patologia (1)Apostilas completas.doc patologia (1)
Apostilas completas.doc patologia (1)
 
Casos clínicos patologia geral
Casos clínicos   patologia geralCasos clínicos   patologia geral
Casos clínicos patologia geral
 
Patologia 02 lesão e morte celular - med resumos - arlindo netto
Patologia 02   lesão e morte celular - med resumos - arlindo nettoPatologia 02   lesão e morte celular - med resumos - arlindo netto
Patologia 02 lesão e morte celular - med resumos - arlindo netto
 
RESUMO FISIOPATOLOGIA - agressão, defesa, necrose e apoptose, causas das lesõ...
RESUMO FISIOPATOLOGIA - agressão, defesa, necrose e apoptose, causas das lesõ...RESUMO FISIOPATOLOGIA - agressão, defesa, necrose e apoptose, causas das lesõ...
RESUMO FISIOPATOLOGIA - agressão, defesa, necrose e apoptose, causas das lesõ...
 
Patologia oral
Patologia oralPatologia oral
Patologia oral
 
Caso clínico Furúnculo
Caso clínico FurúnculoCaso clínico Furúnculo
Caso clínico Furúnculo
 
B I O F I L M E S B U C A I S
B I O F I L M E S  B U C A I SB I O F I L M E S  B U C A I S
B I O F I L M E S B U C A I S
 
Patologia 01 introdução - med resumos - arlindo netto
Patologia 01   introdução - med resumos - arlindo nettoPatologia 01   introdução - med resumos - arlindo netto
Patologia 01 introdução - med resumos - arlindo netto
 
Reparo dos tecidos
Reparo dos tecidosReparo dos tecidos
Reparo dos tecidos
 
Patologia 11 neoplasias
Patologia 11   neoplasiasPatologia 11   neoplasias
Patologia 11 neoplasias
 
Patologia 06 distúrbios hemodinâmicos - med resumos - arlindo netto
Patologia 06   distúrbios hemodinâmicos - med resumos - arlindo nettoPatologia 06   distúrbios hemodinâmicos - med resumos - arlindo netto
Patologia 06 distúrbios hemodinâmicos - med resumos - arlindo netto
 
Patologia geral
Patologia geralPatologia geral
Patologia geral
 
Patologia aula 1
Patologia aula 1Patologia aula 1
Patologia aula 1
 
Lesões celulares
Lesões celulares Lesões celulares
Lesões celulares
 
Cistos odontogênicos e não odontogênicos
Cistos odontogênicos e não odontogênicosCistos odontogênicos e não odontogênicos
Cistos odontogênicos e não odontogênicos
 
Devolutiva unidade i
Devolutiva   unidade iDevolutiva   unidade i
Devolutiva unidade i
 

Semelhante a patologia oral - perguntas e respostas

Semelhante a patologia oral - perguntas e respostas (20)

Caso clinico plect
Caso clinico  plectCaso clinico  plect
Caso clinico plect
 
apresentação estudo de caso LUZA.pptx
apresentação estudo de caso LUZA.pptxapresentação estudo de caso LUZA.pptx
apresentação estudo de caso LUZA.pptx
 
apresentação estudo de caso LUZA - Copia.pptx
apresentação estudo de caso LUZA - Copia.pptxapresentação estudo de caso LUZA - Copia.pptx
apresentação estudo de caso LUZA - Copia.pptx
 
Doenças bacterianas
Doenças  bacterianasDoenças  bacterianas
Doenças bacterianas
 
Sialografia
SialografiaSialografia
Sialografia
 
Infecções Fungicas - Microbiologia.pptx
Infecções Fungicas - Microbiologia.pptxInfecções Fungicas - Microbiologia.pptx
Infecções Fungicas - Microbiologia.pptx
 
Dst pdf
Dst pdfDst pdf
Dst pdf
 
Ulcera da córnea.
Ulcera da córnea.Ulcera da córnea.
Ulcera da córnea.
 
DST
DSTDST
DST
 
Neoplasia slide
Neoplasia slideNeoplasia slide
Neoplasia slide
 
Espiroquetas, micoplasmas, riquétsias, clamídias
Espiroquetas, micoplasmas, riquétsias, clamídiasEspiroquetas, micoplasmas, riquétsias, clamídias
Espiroquetas, micoplasmas, riquétsias, clamídias
 
Trabalho pronto
Trabalho prontoTrabalho pronto
Trabalho pronto
 
Alterações bucais em pacientes imunocomprometidos
Alterações bucais em pacientes imunocomprometidos Alterações bucais em pacientes imunocomprometidos
Alterações bucais em pacientes imunocomprometidos
 
Dst pronto mesmo2
Dst pronto mesmo2Dst pronto mesmo2
Dst pronto mesmo2
 
Histoplasmose
HistoplasmoseHistoplasmose
Histoplasmose
 
TRABALHO PROJETO.pptx
TRABALHO PROJETO.pptxTRABALHO PROJETO.pptx
TRABALHO PROJETO.pptx
 
Doenas granulomatosas -_pdf
Doenas granulomatosas -_pdfDoenas granulomatosas -_pdf
Doenas granulomatosas -_pdf
 
Apres de fungosm
Apres de fungosmApres de fungosm
Apres de fungosm
 
Saúde coletiva - Difiteria (crupe)
Saúde coletiva - Difiteria (crupe)Saúde coletiva - Difiteria (crupe)
Saúde coletiva - Difiteria (crupe)
 
Infecção e Antibioticoterapia em cirurgia
Infecção e Antibioticoterapia em cirurgiaInfecção e Antibioticoterapia em cirurgia
Infecção e Antibioticoterapia em cirurgia
 

Último

Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...azulassessoriaacadem3
 
Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...
Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...
Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...apoioacademicoead
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...azulassessoriaacadem3
 
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...GraceDavino
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...excellenceeducaciona
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...azulassessoriaacadem3
 
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptxAndreia Silva
 
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...assessoriaff01
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...azulassessoriaacadem3
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...azulassessoriaacadem3
 
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º anoReprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º anoMariaJoão Agualuza
 
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...azulassessoriaacadem3
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...excellenceeducaciona
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...azulassessoriaacadem3
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...azulassessoriaacadem3
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...excellenceeducaciona
 
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptxSlides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
 
Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...
Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...
Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
 
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docxGABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
 
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
 
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º anoReprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
 
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoriaAtividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
 
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
 
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptxSlides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
 

patologia oral - perguntas e respostas

  • 1. * Fibroma: tratamento é a incisão cirúrgica e confirmação histopatológica * Granuloma Piogênico = Granuloma Gravídico - causado por oscilação hormonal, múltiplas restaurações e tártaro. * Técnica para diagnosticar uma lesão vascular - Debridação * Linfoma é sempre amarelo? Não, somente quando ele é próximo ao epitélio * Exame que caracteriza a deficiência renal: Uréia e Creatinina * Um ponto importante do tratamento odontológico de paciente com insuficiência renal: A anestesia é excretada pelos rins. * Paciente que faz hemodiálise, quando pode fazer o tratamento? Logo após a hemodiálise * Qual a complicação que um paciente diabético pode ter em um procedimento odontológico? Risco de hemorragia e difícil cicatrização (Usar sempre antibiótico terapia) * Características da Síndrome de Down: Macroglossia, sialorreia e periodontia * Diferença no cuidado dos pacientes com HIV: É um paciente com porta aberta para infecção, evitar o uso de anti inflamatório, e não se deve nunca usar corticoide (isso em qualquer doença imunodeficiente) * Exames pedidos para pacientes com distúrbios hematológicos: hemograma completo, coagulograma completo. * Qual tempo antes se deve suspender as medicações que causam hemorragias antes de um cirurgia: 7 dias antes. Grupo 1 Doenças fúngicas e bacterianas. C perguntas Grupo 2 Doenças virais e endêmicas. C perguntas Grupo 3 Lesões reacionais. c perguntas Grupo 4 Neoplasias benignas c perguntas Grupo 5 Neoplasias malignas c perguntas Grupo 6 Patologias de glândulas salivares sem perguntas. Grupo 7 Distúrbios hematológicos c perguntas. Grupo 8 Manifestações orais de doenças sistêmicas c perguntas. Grupo 9 Odonto Legal sem perguntas. 1Qual a diferença de celulite e erisipela? R: A erisipela é de causas bacterianas no caso em questão o streptococus B hemolíticos enquanto a celulite facial é de ordem odontogênica. A celulite nada mais é do que um abscesso que não é capaz de drenar através da superfície cutânea ou no interior da cavidade local e faz parúlide pelos tecidos moles. Ela é a extensão aguda de um processo inflamatório.
  • 2. 2 Meio de transmissão da tubercuose? R: A tuberculose se dissemina por meio de gotículas expelidas no ar por uma pessoa infectada quando fala, tosse ou espirra. 3: Aspectos clínicos da Hanseníase? Ela é uma doença que é transmitida pelas vias aéreas por meio de gotículas no ar durante a fala ou tosse da pessoa infectada. Ela pode ser transmitida para pessoas com feridas expostas, porém essa forma de transmissão é bem difícil. A bactéria pode ficar encubada de 7 meses até 10 anos. Uma forma tranqüila de se descobrir a hanseníase em um paciente é com uma caneta esferográfica ou um outro objeto pontiagudo pois a hanseníase apresenta manchas na cor de cobre e nesses locais a sensibilidade é afetada ou ausente. Toque com a caneta em um local normal da pele para fazer o controle e peça para pessoa mostrar o local tocado e depois o faça no centro da mancha suspeita. Se o paciente não conseguir sentir o local tocado, ele tem hanseníase. 4 Qual a causa comum da sinusite? Como evitar? Por que ela é comum nos dentistas? Qual dente é o mais comum causador ? A sinusite se dá após a obstrução do complexo ostiomeatal. Isso diminui a drenagem local, diminui a ventilação e precipita a doença. A sinusite pode ocorrer nos seios maxilares por meio de infecção odontogênica mais comum no 1 molar superiores. 5 Qual a faixa etária mais comum de ocorrer a candidíase? R Nos idosos. Por conta de próteses totais velhas ou mal feitas. 6 Causa da paracocidinomicose? R Mascar capim, mato. É a chamada doença de roceiro. É causada pelo P. Brasiliensis. 7 O fluconazol e o Cetoconazol são antifúngicos, o que eles podem causar se usados em quantidades erradas? Hepatite medicamentosa. 8 O que o Fluconazol pode cetaconazol podem causar se ministrados em pacientes que usam sinvastatina.
  • 3. R: Eles podem causar hepatite medicamentosa e rabdomiólise que é uma doença que causa degeneração dos tecidos musculares gerando complicações renais. 9 O que é o mucocele e quais são as causas? É a retenção de muco no epitélio, que é causado por trauma ou hábitos viciosos. Normalmente é ocasionado pela ruptura de um ducto de uma glândula salivar extravasando mucina, esta que se deposita sob o epitélio. O mucocele é mais comum nos lábios inferiores. 10 O que é a marsupialização? É a téc que fazemos para reduzir a pressão interna de um cisto, e dessa forma ele reduz de tamanho. 11 O que é a hiperplasia de sucção? É uma hiperplasia causada geralmnte por buraco em prótese tocal devido as forças de sucção. 12 Qual a principal causa da hiperplasia fibrosa? R: As próteses quando estas estão mal adaptadas. 13 O que é a técnica de ablasão? R: É a remoção de tecido por meio de técnica a laser. 14 Como se trata xerostomia? R: Com o uso de saliva artificial. 15 Conciderações sobre a queilite solar. O que ela causa na cavidade oral. A queilite solar também é chamada de queitile actínica, ela causa manchas brancas na cavidade oral e ela é pré maligna. 16 Como perceber o papiloma víruz? R Os de tamanho pequeno é impossível porém os de tamanho grande nós conseguimos observar com vinagre pois o local fica branco ou com azul de toluidina. 17 Qual a forma de tratamento do fibroma?
  • 4. R: excisão cirúrgica e exame histopatológico. Obs: Todo tecido retirado deve ser encaminhado para biópcia. 18 Existe diferença para o granuloma gravídico para o granuloma piogênico? R: Não, só muda o nome pois eles ocorrem em períodos diferentes. O granuoma gravídico ocorre durante o período da gestação pois é resultado de grandes alterações hormonais que a mulher sofre. Já o granuloma piogênico é causado por irritação local ou trauma. Ele é conseqüência de um fator irritante local. É aconselhado as mulheres fazer o tratamento odontológico antes de engravidar. 19) O linfoma é sempre amarelado? R: Não pois ele pode conter sangue logo ficando avermelhado. 20) Qual a diferença dos tumores benignos dos tumores malignos? R: Os tumores benignos tem crescimento lento são regulares bem definidos tem células bem diferenciadas e são encapsulados e não causam metástases. Os tumores malignos tem crescimento rápido, são mal definidos não são encapsulados tem células indiferenciadas e causam metástases. 21 No tratamento de quimioterapia, o que ocorre com as células ao redor das células cancerosas? R: As células cancerosas morrem e as normais também. 21 Por que as células normais morrem também? R: Por falta de oxigênio. 22 Em procedimentos cirúrgicos, qual os exames que devem ser feitos? Tap, ptt, inr, cantagem de plaquetas e hematócrito. 23 Se o paciente faz uso de aspirina, quanto tempo ele deve suspender para fazer procedimento cirúrgico? R: De 7 a 9 dias que é o tempo médio de renovação das plaquetas. 24 Quais raças tem maior prevalência de anemia falciforme? R: Os negros e asiáticos.
  • 5. 25)Na anemia, o que nós temos que repor no paciente? R: Ferro e ácido fóloco 27) Qual a função das hemácias? R: Transportar oxigênio. 28) Qual exame feito para diagnosticar a doença renal? R: Uréria e Creatinina. 29) Qual a importância de vc saber se a função renal do seu paciente é boa durante o tratamento odontológico? R: É que principalmente os anestésicos aumentam muito a toxidade do sangue e se o rim for deficiente, ele não vai conseguir eliminar essas toxinas todas. 30) Quando vc pode tratar pacientes que fazem hemodiálise? R: Só após o tratamento pois se esperar dias para fazer o tratamento odontológico, ele já vai estar com o sangue carregado de toxinas. 31) Qual o cuidado que temos de ter com pacientes diabéticos? R: Cuidados para evitar ao máximo infecções, o exame de glicemia tem de ser feito antes do procedimento. Se uma exodontia for feita, temos de fazer antibióticoterapia. 31 O que é o papiloma lefebre? R: É a única doença ligada diretamente a odontologia, ela causa uma periodontite agressiva. Ela possui fatores hereditários. 32 Que características da síndrome de Donw que nós dentisas temos de ficar atentos? R: Macroglossia e sialorreia e eles tem uma pré disposição a doenças periodontais. 33 Nos pacientes com síndrome de imunodeficiência, o que nós temos de proceder? R: Fazer exame de carga viral. Quanto maior a carga viral maiores as chances de o paciente vir a ficar doente. 34 Quais cuidados temos de ter com pacientes imunosuprimidos?
  • 6. R: Não fazer uso de antiinflamatórios e nem mesmo o corticóide pois aumentam muito as chances de a doença aumentar pois eles diminuem o sistema imunológico. 35 Na odontologia legal, saber diferenciar raças e sexos por meio do crânio. Quanto tempo os registros devem ser mantidos dentro do consultório dentário? R: 5 anos.