Anatomia foliar das plantas1

780 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
780
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Anatomia foliar das plantas1

  1. 1. Autores: J.R. Martins; A.A. Alvarenga; E.M. deCastro; A.P.O. da Silva; C. Oliveira; E. AlvesRevista: Ciência Rural, Santa Maria, v. 39, n.1, p.82-87,jan-fev, 2009
  2. 2. 1. CARACTERÍSTICAS2. IMPORTÂNCIA DA ESPÉCIE3. OBJETIVOS4. MATERIAIS E MÉTODOS5. RESULTADOS E DISCUSSÃO6. CONCLUSÃO
  3. 3.  Ocimum gratissimum Lineu OrigemFigura 2 - Fontepfd.aphp.fr/pathologie/traitements/phytotherapie/ocimum_gratissimumFigura 1 - Fonte -www.cnip.org.br
  4. 4.  Medicina popularKlebsiellapneumoniaeStaphylococcusaureusProteusmirabilisFigura 5 - Fonte - mdsaudeFigura 3 - Fonte - bioquell Figura 4 - Fonte - venganzaPneumonia Pedra nos rinsInfecções
  5. 5.  Medicina popularLeishmaniaamazonensisPseudomonasaeruginosaeBacillus sppFigura 6Fonte - oomycotaFigura 7Fonte - wikipediaFigura 8 - Fonte - allpostersBacteriemia InfecçõesLeishmaniose
  6. 6. ANATOMIAFOLIARRADIAÇÃO Órgão plástico Estrutura interna Intensidade Qualidadeespectral
  7. 7. JUSTIFICATIVA: Importância do conhecimento dasrespostas dos vegetais às mudanças receptivas de luz.OBJETIVO: Utilizar malhas de transmissão de luzdiferenciada para avaliar o efeito das alterações daintensidade e qualidade espectral da luz.Figura 9 - http://pegasus.portal.nom.br/wp-content/uploads/2012/07/banda.jpg
  8. 8.  Semeadura Transplantio Irrigação Submissão a malhas coloridas
  9. 9. Figura 10www.br.all.bizFigura 11 - portuguese.alibaba.comFigura 12 - www.orquidarioimirim.com.br
  10. 10.  Integrador de área foliarFigura 13 - www.instrumentalia.com.ar Ocular micrometradaFigura 14 - enilaequipamentos.com.br
  11. 11.  Microscópio eletrônico devarredura Os dados foram submetidos àanálise de variância no programaestatístico SISVAR 4.3 e as médiasforam comparadas através doteste de Tukey com 5% deprobabilidadeFigura 15
  12. 12.  Caracterização Foliar Dorsiventral, Anfihipoestomática, EpidermesuniestratificadasFigura 16
  13. 13.  Parênquima Clorofiliano Função, Resultados e ComparaçõesP. PaliçádicoP. LacunosoESPESSURA - TODOS OS TRATAMENTOS>ESPESSURA - PLENO SOL X MALHAS COLORIDASP. LacunosoP. Paliçádico >P. LacunosoP. PaliçádicoFigura 17
  14. 14.  Tricomas Tectores e Glandulares (Captados e Peltados) Função, Resultados e ComparaçõesM. ColoridasPleno SolQUANT. DE TRICOMAS FACE ADAXIAL>QUANT. DE TRICOMAS P/MALHA VERMELHA= O. selloiFigura 18 Figura 19
  15. 15.  Estômatos Anomocíticos Função, Resultados e ComparaçõesM. AzulDENSIDADE ESTÔMATICAFACE ADAXIALFOLHA ANFIHIPOESTOMÁTICAFace AdaxialFace AbaxialM. ColoridasPleno Sol >M. VermelhaM. PretaDENSIDADE DE ESTÔMATOS FACE ABAXIALM. ColoridasM. Vermelha>>DENSIDADE ESTOMÁTICA≠ O. selloiFigura 20
  16. 16.  Quanto a espessura e área foliar Quanto a densidade de estômatos e de tricomasCultivo apleno solcultivossombreadosMalhasvermelha,preta e azul> =Cultivo apleno solcultivossombreadosMalhasvermelha,preta e azul>
  17. 17.  Presença no cotidianoO cultivo como alternativaA falta de domínio tecnológicoCaracterísticas desejáveisProdução mundial: 45.000 t, U$700 milhões/anoProdução nacional:13,5% emtonelada (ROCHA, 2002)FONTE: EMBRAPAFigura 21Figura 23Figura 22

×