Hidrólise Ácida do Amido

20.667 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
20.667
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
143
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Hidrólise Ácida do Amido

  1. 1. AGRONOMIA HIDRÓLISE ÁCIDA DO AMIDODisciplina: Bioquímica Turma: XXXXXXXXXProfessora: XXXXXXXXXXXXXXXData da experiência: XXXXXXXX Data da entrega:Nomes: Jessica Varjão nº: Aula 4 Jhessica Bortolotti Larissa Corradi Voss NOTA: Dois Vizinhos 1º semestre/2013
  2. 2. 1. RESUMO Para que se possa comprovar a hidrólise ácida do amido, são utilizados métodos decoloração com reagentes DNS e Lugol. Para que essa reação aconteça é necessárioaquecer a solução em banho-maria, desta forma o amido é hidrolisado transformando-se em glicose como produto final e obtendo como produtos intermediários dextrinas eoligossacarídeos, sendo que estes obtém colorações diferentes com relação ao tempoem que permanecem em banho-maria. A coloração ideal obtida é gradual crescente nos tons de amarelo/laranja/vermelhopara o método DNS de determinação de açucares redutores (glicose) e tons deazul/roxo para o método com Lugol (pigmentação das dextrinas). O experimento prático obteve erros de execução no método Lugol, a coloração nométodo DNS obteve sucesso, sendo possível comprovar experimentalmente a hidróliseácida do amido.
  3. 3. 2. INTRODUÇÃO O amido é um homopolisacarídeo não-redutor constituído essencialmente porresíduos de glicose unidos por ligações alfa-1,4 (amilose e amilopectina) e alfa-11,6(amilopectina). Entre as peculiaridades deste polissacarídeo, está à diferença entre as moléculasque o compõe, a amilose além de apresentar estrutura linear, é mais hidrossolúvel quea amilopectina, a qual apresenta altamente ramificada, tornando-se possívela separação destes componentes após aquecimento. Desta forma, quando uma solução de amido é tratada com ácido à quente, ocorremsucessivas hidrólises até que suas moléculas sejam convertidas totalmente em sua osefundamental, a glicose. Durante esse processo, são encontrados como produtosintermediários dextrinas e oligossacarídeos. Para comprovação da hidrólise ácida do amido, utiliza-se como prova a mudança decoloração da solução durante o processo. Sendo utilizados como reagentes a soluçãode Ácido 3,5-Dinitrosalicílico, conhecido como método DNS para determinação deaçucares redutores (glicose) e a solução de Lugol (iodo-iodeto de potássio) parareação com as dextrinas produzidas durante a hidrólise.
  4. 4. 3. OBJETIVOS Demonstrar que um polissacarídeo pode ser hidrolisado com a produção deaçucares redutores; Verificar através de reações especifica o desaparecimento do amido e oconcomitante aparecimento de açucares redutores durante o curso da hidrólise;
  5. 5. 4. HIPÓTESES Quando realiza-se uma hidrólise ácida de uma solução de amido, deve-se obtercomo produtos intermediários dextrinas e oligossacarídeos e como produto final aglicose. Com a utilização das soluções de reagentes, sendo estes o lugol e o método DNS,espera-se que a mudança de coloração dos tubos possa ser observada após o tempode banho-maria especifico para cada tubo, conforme descrito abaixo. Método DNS : apresenta coloração em tons de amarelo, laranja e vermelho; Método Lugol: Apresenta coloração em tons de azul forte e roxo. O Método DNS é o responsável pela determinação de açucares redutores, a glicosecomo produto final da hidrólise irá reagir com o DNS, e obterá coloraçãolaranja/vermelho aumentando de forma gradual. O método Lugol, irá reagir com as dextrinas, produzidas durante a hidrólise comoprodutos intermediários. As dextrinas dependendo do seu tamanho e complexidademolecular desenvolvem diferentes colorações com o iodo. A coloração obtida noexperimento possui tom azul/roxo e aumenta de forma gradual assim como a coloraçãodo método DNS.Tempo (min.) 0 0 10 20 30 40 Tubos 0 (branco) 1 2 3 4 5 Alíquota e 0,5mL água 0,5 mL 0,5 mL 0,5 mL 0,5 mL 0,5 mL amostra destilada solução de solução de solução de solução de solução de amido com amido com amido com amido com amido com ácido ácido ácido ácido ácido clorídrico clorídrico clorídrico clorídrico clorídrico em banho em banho em banho em banho maria maria maria maria Sem coloração Pequena Já se notaDNS + NaOH Sem coloração (sem quebra mudança mudança para Tom forte Tom forte amido) coloração tom mais forte Diminuição Diminuição Praticamente sem Lugol Sem coloração Tom forte Tom forte gradual cor gradual cor coloraçãoQuadro 1. Distribuição de amostras e tempos com os respectivos tubos para observação dahidrólise do amido, hipóteses reais.
  6. 6. 5. MATERIAS E MÉTODOS5.1 MATERIAIS UTILIZADOS1. Erlenmeyer de 125 mL;2. Tubos de ensaio e estante para tubos de ensaio;3. Micropipeta e Pipeta;4. Banho-Maria.5.2 REAGENTES UTILIZADOS1. Solução de Amido 1% (m/v);2. Solução de Lugol (iodo-iodeto de potássio);3. Solução de Ácido 3,5- Dinitrosalicílico;4. Solução de Hidróxido de sódio 50%;5. Ácido Clorídrico concentrado.5.3 PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL1.Preparou-se 2 conjuntos de 6 tubos de ensaio (kit A e kit B), numerando-os de 0 a 5;2. Foram adicionadas com pipeta duas gotas de lugol nos seis tubos do kit A;3. Transferiu-se 1 mL do reagente DNS para cada tubo do kit B, mais 100 µL dasolução de Hidróxido de sódio 50%; (foi observado que o NaOH já estava secristalizando pelo fato da temperatura ambiente)4. Adicionou-se 0,5 mL de água destilada, nos tubos de ensaio número 0 de cada kit.5. Colocou-se 0,5 mL de solução de amido nos tubos 1 do kit A e Kit B;(Os itens 5 e 6 a seguir dizem respeito ao preparo da solução, que havia sidopreparada previamente pelo monitor)6. No ernlenmeyer de 125 mL adicionou-se 100 mL da solução de amido 1%;7. Adicionou-se 2 mL ou 4mL de ácido clorídrico concentrado no erlenmeyer8. Misturou-se e retirou-se imediatamente uma alíquota de 0,5 mL para o tubo 1 decada kit (sem aquecer, temperatura ambiente);9. Levou-se o erlenmeyer ao banho-maria em ebulição;10. A cada 10 minutos, foi retirada uma alíquota de 0,5 mL para os tubos de cada kitconforme apresentado no quadro 2;11. Colocou-se os cinco tubos contendo o hidrolisado contendo o reativo DNS embanho-maria em ebulição por 5 minutos.12. Observou-se a coloração apresentada pela reação com o lugol e pela reação com oDNS, após o banho-maria.13. Foram anotadas as alterações de cores apresentadas nos dois kits durante ahidrólise do amido.
  7. 7. 6. RESULTADOS E DISCUSSÃOAo realizar-se os experimentos, observou-se os seguintes resultados apresentados noquadro 2:Tempo (min.) 0 0 10 20 30 40 Tubos 0 (branco) 1 2 3 4 5 Alíquota e 0,5mL água 0,5 mL solução 0,5 mL solução 0,5 mL solução 0,5 mL solução 0,5 mL solução destilada de amido com de amido com de amido com de amido com de amido com amostra ácido clorídrico ácido clorídrico ácido clorídrico ácido clorídrico ácido clorídrico em banho maria em banho maria em banho em banho maria maria Sem coloração Sem coloração Pequena Já se nota Tom forte Tom forteDNS + NaOH (sem quebra mudança mudança para amido) coloração tom mais forte Sem coloração Coloração fraca Coloração forte ( Coloração forte Coloração Coloração Diferença brusca) intermediária intermediária Lugol (Pequena (Pequena diferença) diferença)Quadro 2. Distribuição de amostras e tempos com os respectivos tubos para observação dahidrólise do amido, experimento real. Tendo como base os resultados esperados, apresentados anteriormente nashipóteses, com relação aos resultados obtidos na prática do experimento, é possívelnotar que o experimento realizado com o reagente DNS para determinação deaçucares redutores foi realizado com sucesso, pois os resultados alcançados sãocondizentes com o esperado. A coloração observada atendeu ao que foi proposto na teoria, sendo os primeirostubos (0 e I) sem coloração, os tubos do meio (II e III) com coloração intermediaria,com tons de amarelo e laranja devido a quebra progressiva do amido, e os últimostubos (IV e V) apresentando uma coloração em tons fortes de laranja avermelhado. Já a experiência com o reagente Lugol, apresentou algumas variâncias em relação ahipótese apresentada anteriormente. Foi observado que no primeiro tubo (0) não houvecoloração, no tubo ( I ) ocorreu uma coloração fraca de roxo, nos tubos do meio (II eIII )houve coloração em tons fortes de azul/roxo, com mudança brusca da coloração, e nosúltimos tubos ( IV e V) a coloração observada foi em tons de azul/roxo fraca, notando-se pouca diferença entre o tom dos dois últimos tubos. O erro pode ter ocorrido por diversos fatores, dentre eles a possibilidade de troca detubo no momento de adição dos reagentes, ou adição de uma quantidade errada dereagente em um tubo (erro de calibração da micropipeta), troca de tubos no momentode banho-maria dos mesmos, dentre muitos outros, alguns talvez nem observados pelogrupo.
  8. 8. 7. CONCLUSÃO Apesar do experimento prático ter apresentado falhas em sua execução, tendo emvista o erro na coloração com o reagente Lugol, foi possível demonstrar que o amidopode ser hidrolisado e obtido como produto final da hidrólise a glicose. Sendo aglicose um açúcar redutor, que ao passo em que a hidrólise acontece ocorre adiminuição da quantidade de amido ao mesmo tempo (proporcional) que a glicose éformada.
  9. 9. 8. BIBLIOGRAFIAREMIÃO, Jose Oscar R. et al. Bioquímica: guia de aulas práticas. Versão online,Porto Alegre, EDI-PUCRS, 2003. Disponível em: <http://books.google.com.br/books?id=9DTw-nE1dOQC&pg=PA109&lpg=PA109&dq=hidrolise+acida+do+amido&source=bl&ots=TQHu6Y-yaw&sig=aiNHoMD3rxEuMLJoj8SrboRFNS8&hl=pt&sa=X&ei=WecfUeflJo2W8gSl4YGgAw&redir_esc=y > Acessado em: 19 fev. 2013.

×