A Vida Após a Vida

894 visualizações

Publicada em

Estamos numa longa caminhada onde o tempo se torna insignificante e o que importa de verdade é o que incorporamos para o nosso ser imortal.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
894
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
29
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Vida Após a Vida

  1. 1. “Os que não acreditam em outravida já estão mortos mesmo nesta” Goethe
  2. 2. Este assunto já despertou muita polêmica... Matar-me? A mim? Ninguém pode me matar! Eu sou a minha alma, ninguém pode matar Sócrates” Sócrates (470 a.C. - filósofo grego e fundador da filosofia moderna) óleo sobre tela “A Morte de Sócrates", por Jacques-Louis David (1787)
  3. 3. ...e continua gerando Livro “Novas Utopias” Pelo espírito Dom Helder Câmara (Dom Helder foi Arcebispo de Olinda e um dos fundadores da CNBB, grande defensor dos direitoshumanos no Brasil, indicado 4 vezes ao Nobel da Paz) Psicografia de Carlos Pereira Prefaciado por Marcelo Barros(monge beneditino, e teólogo, que durante 9 anos foi secretario de D. Helder) No prefácio do livro aparece também o aval do teólogo Inácio Strieder e a opinião favorável da historiadora Jordana Gonçalves Leão, ambos ligados à Igreja Católica. Os direitos autorais do livro foram divididos entre a Sociedade Espírita Ermance Dufaux e o Instituto Dom Helder Câmara
  4. 4. Questionamentos que procuraremos melhor compreender• Deixando a Terra, para onde vamos?• Que seremos após a morte?• Estaremos melhor ou pior?• Existiremos ou não?• Viveremos eternamente, ou tudo se aniquilará de vez?• A crença da imortalidade é intuitiva, entretanto a maior parte dos que nela crêem apresentam-se possuídos de grande amor às coisas terrenas e temerosos da morte! Por quê?
  5. 5. A crença na imortalidade ao longo do tempo• Os primeiros registros da crença na vida após a morte datam de 190 mil anos antes do presente com a descoberta em sítios arqueológicos de enterramentos com presença de rituais;• No Egito antigo, o Livro dos Mortos ensinava que quando o corpo morria, sua alma denominada de ka (corpo duplo) e ba (personalidade) iam para o reino dos mortos e para obter a recompensa no outro mundo era exigido um coração livre de pecados.• No Zoroastrismo, na antiga Pérsia por volta do século VII a.C., pregava-se a vida após a morte e em um de seus textos descreve o julgamento particular da alma três dias após a morte, sendo cada alma enviada para o paraíso, inferno ou para um lugar neutro para aguardar pelo Juízo Final.• Na Grécia antiga, na Odisseia de Homero, refere-se aos mortos como "espectros consumidos". Platão descreve almas sendo julgadas após a morte e depois que seus respectivos julgamentos tenham sido devidamente gozados ou sofridos, as almas reencarnariam.• A crença na imortalidade da alma é uma unanimidade presente em todos os tempos da história do ser humano.
  6. 6. Grande divulgação nos LEMBRANÇAS DE VIDAS PASSADASmeios de comunicação Reportagem de 3 páginas em 27.08.10
  7. 7. Livros espíritas – mais de 2 mil títulos
  8. 8. Filmes espíritas – milhões assistiram
  9. 9. Filmes, novelas e seriados de TV com conteúdos espiritualistas GHOST
  10. 10. Alguns números sobre o assunto...• "Nosso Lar" e “Chico Xavier – 2º e 3º filme brasileiro mais visto em 2010. (fonte Ancine)• A FEB publicou mais de 400 títulos, são quase 40 milhões de volumes vendidos. (fonte website da FEB)• Os livros de Chico Xavier ultrapassam 30 milhões de cópias.• Nosso Lar (André Luiz), superou a marca de 2 milhões de exemplares.• As obras da codificação já venderam mais de 22 milhões de livros. (fonte website da FEB e Revista Veja)• Atualmente existem 200 editoras publicando somente livros espíritas. (fonte Revista Veja)• O espiritismo tornou-se a religião – ou, pelo menos, a segunda opção religiosa – de 40 milhões de brasileiros. (fonte Revista Veja)• Uma pesquisa (2005) mostrou que 51% dos americanos acreditam em espíritos, 27% acreditam em reencarnação e 90% acreditam na sobrevivência da alma após a morte. (fonte The New York Times)
  11. 11. A imortalidade sob a ótica da ciênciaDra. Elisabeth Kübler-RossPsiquiatra e pioneira no estudo de casos de quase-morte, tendorecebido 20 títulos honoríficos de Dr. Hernani Guimarães doutorado Fundador do Instituto de Pesquisa Dr. Ian Stevenson Psicobiofísicas. Publicou o livro Diretor do Departamento de Reencarnação no Brasil. Psiquiatria e Neurologia da Escola de Medicina da Universidade de Virgínia catalogou cerca de 2000 casos que sugerem reencarnação. Dr. Brian Weiss Phd em Psiquiatria pela Universidade de Columbia e Yale Medical School, escreveu diversos livros sobre casos que sugerem reencarnação e comunicação dos espíritos.
  12. 12. Ainda sob a ótica da ciência Dr. Sam Parnia Médico e especialistas em estudos científicos sobre Dr. Bruce Greyson experiências de quase- Professor de Psiquiatria daDr. Raymond Moody e seus livros morte nos hospitais do Universidade de Virginia e editor- Médico e psicólogo, fundador do Instituto Reino Unido e em Nova Chefe do Jornal de Estudos de Memorial da Mente nos Estados Unidos Iorque. Quase-Morte Dr. Jim Tucker Professor de Psiquiatria e Ciências Neurocomportamentais da Universidade de Virginia, escritor e pesquisador com mais de 40 anos de pesquisa com Dr. Ken Ring e seus livros casos de crianças que sugerem Professor de psicologia na Universidade de reencarnação. Connecticut e fundador da Associação Internacional para Estudos de Quase-Morte
  13. 13. Ressureição de Jesus• Páscoa significa “passagem”• Ressureição em seu significado literal é voltar à vida.• Existiram dois momentos bem distintos nos relatos evangélicos a respeito da vida de Jesus.
  14. 14. A vida espiritual• “reafirmamos tão somente que, ainda aqui, encontraremos, depois da grande renovação, o retrato espiritual de nós mesmos com as situações que forjamos, a premiar-nos pelo bem que produzam ou a exigir-nos corrigenda pelo mal que estabeleçam...” Emmanuel
  15. 15. Mudança de paradigma... "Nós não somos seres humanostendo uma experiência espiritual.Somos seres espirituaistendo uma experiência humana" (Teillard de Chardin) Padre jesuíta, teólogo e filósofo francês.
  16. 16. O que vamos levar... « Nascer, morrer, re nascer ainda e progredir sem cessar, tal é a lei » Allan Kardec
  17. 17. Que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?Eu sou o caminho... (Jesus)
  18. 18. Aproximadamente 500 anos antes de Cristo, vivia em Atenas, o filósofo Sócrates. A suafilosofia não era uma teoria especulativa, mas a própria vida que ele vivia. Já idoso foiSócrates condenado à morte, embora inocente. Enquanto aguardava no cárcere o diada execução, seus amigos e discípulos moviam céus e terra para o preservar da morte.O filósofo, porém não moveu um dedo para esse fim; com perfeita tranquilidade e pazde espírito aguardou o dia em que ia beber o veneno mortífero.Na véspera da execução, conseguiram seus amigos subornar o carcereiro, que abriu aporta da prisão. Críton, o mais ardente dos discípulos de Sócrates, entrou na cadeia edisse ao mestre: "Foge depressa, Sócrates!". "Fugir, por que?" - perguntou o preso."Ora, não sabes que amanhã te vão matar?"."Matar-me? A mim? Ninguém me pode matar!". Depois puxando com os dedos apele da mão, Sócrates perguntou: "Críton, achas que isto aqui é Sócrates?". E, batendocom o punho no osso do crânio, acrescentou: "Achas que isto aqui é Sócrates? ... Poisé isto que eles vão matar, este invólucro material; mas não a mim. EU SOU A MINHAALMA. Ninguém pode matar Sócrates!" ... e ficou sentado na cadeia aberta, enquantoCríton se retirava, chorando, sem compreender o que ele considerava teimosia ouestranho idealismo do mestre.No dia seguinte, quando o sentenciado já bebera o veneno mortal e seu corpo iaperdendo aos poucos a sensibilidade, Críton perguntou-lhe, entre soluços: "Sócrates,onde queres que te enterremos?" Ao que o filósofo, semiconsciente, murmurou: "Já tedisse, amigo, ninguém pode enterrar Sócrates ... Quanto a esse invólucro, enterrai-oonde quiserdes. Não sou eu... EU SOU MINHA ALMA..." E assim expirou esse homem,que tinha descoberto o segredo da FELICIDADE, que nem a morte lhe pôde roubar.

×