Bases sobre a teoria da cor aplicada aos sistemas informáticos

540 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
540
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bases sobre a teoria da cor aplicada aos sistemas informáticos

  1. 1. BASES SOBRE A TEORIA DA COR APLICADA AOS SISTEMAS INFORMÁTICOS
  2. 2. COR  Sensação produzida pelos raios luminosos nos órgãos da visão e que é interpretada no cérebro depois de a luz atravessar a íris e atingir a retina.
  3. 3. COR  Atributo dos objetos que varia consoante a fonte de iluminação, a reflexão de luz produzida e as características sensoriais dos orgãos da visão ou de câmaras digitais.
  4. 4. LUZ A luz contém uma variedade de ondas electromagnéticas com diferentes comprimentos de onda. O sistema de visão do Homem apenas detecta e interpreta comprimentos de onda no intervalo de 380 a 780 nm, o que constitui o espetro de luz visível.
  5. 5. LUZ Visão escotópia Único tipo de bastonetes Sensíveis a alterações de luminosidade e não aos comprimentos de onda da luz visível (não detetam a cor). Visão fotópica Três tipos diferentes de cones Sensíveis aos comprimentos de onda da luz visível (cor). Distribuição na retina: 64% tipo vermelho (Red); 32% tipo verde (Green); 2% tipo azul (Blue).
  6. 6. LUZ PONTO Bastonete e Cones – tipos de sensores existentes na retina que apreendem a intensidade da luz e as diferenças de cor. Associam-se aos conceitos de luminância e crominância. PONTO Luminância e Crominância – conceitos relativos às formas de representar as cores.
  7. 7. MODELOS DE COR  MODELO ADITIVO E SUBTRATIVO  MODELO CMYK  MODELO HSV PONTO Espaço de cor – utilização de um sistema de coordenadas para determinar os componentes do modelo de cor; cada ponto representa uma cor distinta.
  8. 8. MODELOS ADITIVO E SUBTRATIVO  Modelo aditivo - utilizado para descrever as cores emitidas ou projetadas.  Modelo subtrativo - utilizado para as cores impressas.
  9. 9. MODELO ADTIVO No modelo aditivo, enquanto a ausência de luz corresponde à cor preta, a presença de luz ou cor branca resulta da mistura de comprimentos de cor ou de cores como o vermelho, o azul e o verde. Este modelo explica a mistura de comprimentos de onde de qualquer luz
  10. 10. MODELO SUBTRATIVO Ao contrário do modelo aditivo, a mistura de cores cria uma cor mais escura. Isto deve-se à absorção de comprimentos de onda, subtraindo-os à luz. Quando nenhum comprimento de onda é absorvido, mas sim todos refletidos, obtêm-se a cor branca. O modelo subtrativo mostranos que a cor visível de um objeto resulta da reflexão de
  11. 11. MODELO CMYK MODELO SUBTRATIVO Descreve as cores como uma combinação das três cores primárias ciano (Cyan), magenta (Magenta) e amarelo (Yellow). As cores geradas provém da redução de outras à luz que incide em dada superfície.
  12. 12. MODELO CMYK VARIANTE DO MODELO CMY Ao qual se acresentou a cor preta (blacK) por ser mais fácil a sua obtenção quando impressa diretamente em pepel do que recorrendo à mistura de cores. Apoia-se na forma como a natureza cria as suas cores quando parte do espectro de luz é reflectido ou absorvido.
  13. 13. MODELO CMYK APLICAÇÕES:  Impressão em papel, utilizando as cores do modelo CMY e acrescentando a tinta preta (K) para realçar melhor os tons de preto e cinza. A impressão assenta na sobreposição de camadas de tinta das cores primárias juntamente com a cor preta. As áreas em branco indicam inexistência de pigmento e as escuras concentração do mesmo.
  14. 14. MODELO CMYK APLICAÇÕES:  Utilização em impressoras, fotocopiadoras, pintura e fotografia – onde os pigmentos de cor das superfícies dos objetos absorvem certas cores e reflectem outras.
  15. 15. MODELO HSV Tonalidade (Hue) Cor pura, com saturação e valor máximos. EX: Laranja, vermelho, azul, verde. É expresso com valores em graus, podendo variar entre 0º e 360º. Os 0º ou 360º correspondem, por exemplo, ao vermelho, e os 180º ao ciano. Saturação (Saturation) Intensidade da cor (cor pura ou esbatida). Cor pura - cor onde há ausência das cores branco e preto. A Saturação varia de 0% a 100% (sendo 0% o valor que indica a inexistência de cor e 100% uma cor pura), descrevendo assim a quantidade de cinzas numa cor.
  16. 16. MODELO HSV Valor (Value) Define a luminiosidade (luz refletida) ou brilho (luz emitida)de uma cor. Ou seja, se é mais clara ou escura, indicando a quantidade de luz da mesma. Também esta característica é expressa de 0% a 100%, sendo o 0% a ausência de luz e o 100% a cor saturada. PONTO A tonalidade e a saturação são elementos de crominância (fornecem informações acerca da cor) e o valor é um elemento de luminância.
  17. 17. MODELO HSV APLICAÇÕES:  A aplicação deste modelo recai sobre tudo sobre os artistas plásticos. É mais intuitivo para um artista plástico utilizar o modelo HSV do que o modelo RGB, pois é mais fácil trabalhar com as cores em função dos tons e sombras do que apenas da combinação das cores vermelho, verde e azul.
  18. 18. O CALIMERO

×