O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Públicos / Stakeholders

16.946 visualizações

Publicada em

Aula do Prof. Fábio França na PUC - Cogeae (Jornalismo Institucional)

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Públicos / Stakeholders

  1. 1. M ÓDULO V A classificação dos stakeholders
  2. 2. CONCEITO DE STAKEHOLDERS - 1 O conceito de stakeholders, criado por Freemam, passou a ser amplamente empregado para descrever como as empresas são organizadas e administradas; como ferramenta de gestão nos relacionamentos com os públicos de interesse; no conhecimento e reconhecimento dos interesses dos públicos nas transações com a organização. Nas interações com a sociedade e com os públicos, o conceito está também intimamente ligado aos compromissos sociais das organizações.
  3. 3. CONCEITO DE STAKEHOLDERS - 2 Carroll (1998, p. 38) diz que stakeholder é um termo idiomático inglês que define todas as pessoas que possuem interesse em relação às empresas, ou organizações: shareholders (acionistas), o governo, os consumidores e os grupos ativistas de consumidores, funcionários, as comunidades representativas e a mídia.
  4. 4. CONCEITO DE STAKEHOLDERS - 3 <ul><li>Na acepção geral stakeholders indicam os públicos que influenciam ou podem ser influenciados pela organização. Para Carrol, “um stakeholder” é qualquer indivíduo ou grupos de indivíduos que reivindicam ter um ou mais de um stake nos negócios da empresa, firma, companhia ou organização”. </li></ul><ul><li>Têm dois tipos de direitos: </li></ul><ul><ul><ul><li>os típicos de acionistas, alguns direitos dos funcionários e dos consumidores; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2. os direitos morais, que envolve, por exemplo, o tratamento do empregado com justiça ou com imparcialidade. </li></ul></ul></ul>
  5. 5. CONCEITO DE STAKEHOLDERS - 4 <ul><li>Os stakeholders podem ser afetados pelas decisões da empresa, eles também podem afetar as ações, decisões e políticas daquela. No caso, existe sempre uma interação bidirecional ou troca de influências: </li></ul><ul><ul><ul><li>O de que um stake é um legítimo, genuíno interesse ou reivindicação em relação à companhia e não apenas o que pensam os espectadores interessados. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2. Stakeholders podem ser indivíduos ou grupos que reivindicam ter stakes legais ou morais em relação à organização. </li></ul></ul></ul>
  6. 6. CONCEITO DE STAKEHOLDERS - 5 Do ponto de vista de negócios, os mais legítimos “ stakeholders” são os “ shareholders ” (acionistas), os consumidores e os funcionários. Do ponto de vista de uma sociedade altamente pluralista, os “stakeholders ” podem influir outros grupos, assim como: a comunidade, os grupos com interesses especiais, o governo, a mídia e o público em geral.
  7. 7. CONCEITO DE STAKEHOLDERS - 6 Hoje o termo está totalmente integrado na administração e nos princípios da área de Responsabilidade Social (RSE) empresarial e de sustentabilidade. As organizações adotam a “ Stakeholder Theory” e “Stakeholder organization” em seus sistemas de gestão e de relacionamentos organizados com seus públicos de interesse. É também muito comum o seu uso na montagem de muitos projetos, nos quais praticamente são confundidos com o conceito de públicos.
  8. 10. M ÓDULO VI Pesquisa sobre p úblicos e seus resultados
  9. 11. OBJETIVO ESPECÍFICO DA PESQUISA • Revisão do conceito sociológico. • Objetivo estrito: encontrar um conceito de caráter geral, que atendesse aos princípios éticos, estratégicos e operacionais das organizações e que pudesse ser aplicado de maneira universal às relações de negócios desenvolvidos por elas para a consecução efetiva das metas de produtividade e lucratividade ( business relationship).
  10. 12. O QUE SE PRETENDIA DA ORGANIZAÇÃO <ul><li>Do ponto de vista da organização: </li></ul><ul><li>• Identificar a posição dos empresários em relação: </li></ul><ul><ul><ul><li>- aos tipos de públicos com os quais interagem </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- à análise dos objetivos e expectativas do relacionamento </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- ao nível de dependência organização/públicos: essencial/não essencial </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- à determinação do nível de envolvimento e da interpessoalidade da relação </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- à determinação da duração da relação. </li></ul></ul></ul>
  11. 13. O QUE SE PRETENDIA DOS PÚBLICOS <ul><li>• Do ponto de vista dos públicos: </li></ul><ul><ul><ul><li>- Definir o tipo de relacionamento que mantêm com a organização </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- Saber quais seus objetivos e expectativas em relação às organizações com as quais estão ligados ou podem vir a estar. </li></ul></ul></ul>
  12. 14. O QUE SE PRETENDIA EM RELAÇÃO AOS CONCEITOS DE PÚBLICOS <ul><ul><ul><li>• Delimitar como as organizações veem e definem os seus públicos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>• Encontrar a terminologia que empregam na definição de seus públicos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>• Saber o que esperam dos públicos que interagem com elas e que tipo de comportamento esperavam deles </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>• Procurar identificar as políticas de relacionamento com os públicos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>• Tentar encontrar a existência ou não de um conceito que contribuísse para explicar o relacionamento com os públicos que fosse além da aplicação dos conceitos sociológicos e estivesse mais voltado para a realização de negócios. </li></ul></ul></ul>
  13. 15. OS PONTOS QUE FIZERAM PARTE DA PESQUISA 1. Tipos de públicos 2. Tipos de relacionamento 3. Objetivos predominantes do relacionamento 4. Imprescindibilidade ou não da colaboração dos públicos 4. Resultados esperados do relacionamento
  14. 16. OS PONTOS QUE FIZERAM PARTE DA PESQUISA
  15. 18. M ÓDULO VII A conceituaç ão lógica de público
  16. 19. CRITERIOS DE RELACIONAMENTO ۰ Rede de concorrentes: local, regional, nacional, internacional. Prioridade variável; definida pelo maior ou menor conflito de interesses. • Rede de comunicação de massa: mídia impressa / mídia eletrônica / mídia digital • Rede de ativistas • Redes Ideol ó gicas Grau de interferência dos públicos sobre a organização e os seus negócios. Esses públicos não participam nem da constituição, nem da manutenção da empresa. Podem interferir no desenvolvimento de seus negócios e até na sua sobrevivência. 3º critério • Públicos não essenciais: Prestação qualificada de serviços por ligações legais, representativas ou associativas, comunitárias. Grau de participação, maior ou menor nos negócios da empresa, na defesa de seus interesses e na sua promoção institucional ou mercadológica. 2º critério Públicos: • Essenciais constitutivos • Essenciais não-constitutivos primários secundários Grau de dependência jurídico ou situacional da organização de seus públicos para sua constituição, existência e sobrevivência. 1º critério
  17. 24. Demonstrativo de tipos, objetivos, dependência e expectativas de relacionamentos da organização com os públicos <ul><li>Produtos de qualidade </li></ul><ul><li>Assistência técnica </li></ul><ul><li>Bom atendimento </li></ul><ul><li>Credibilidade </li></ul><ul><li>Satisfação </li></ul><ul><li>Fidelidade </li></ul>Essencial <ul><li>Manter alto índice de vendas </li></ul><ul><li>Negócios </li></ul><ul><li>Parcerias a longo prazo </li></ul>Clientes <ul><li>Cumprimento de contratos </li></ul><ul><li>Pagamento na data marcada </li></ul><ul><li>Relação duradoura </li></ul><ul><li>Cumprimento dos contratos </li></ul>Essencial <ul><li>Fazer bons contratos </li></ul><ul><li>Ter produtos de qualidade </li></ul><ul><li>Negócios </li></ul><ul><li>Legal </li></ul>Fornecedores <ul><li>Retorno de investimentos </li></ul><ul><li>Honestidade nos negócios </li></ul><ul><li>Credibilidade </li></ul><ul><li>Fidelidade </li></ul><ul><li>Comprometimento </li></ul>Essencial <ul><li>Obter investimento </li></ul><ul><li>Expandir </li></ul><ul><li>Negócios </li></ul><ul><li>Legal </li></ul>Acionistas <ul><li>Cumprimento de acordos </li></ul><ul><li>Reconhecimento do sindicato </li></ul><ul><li>Reconhecimento </li></ul><ul><li>Salários justos </li></ul><ul><li>Não discriminação </li></ul><ul><li>Pagamento em dia </li></ul>EXPECTATIVAS DOS PÚBLICOS <ul><li>Confiança </li></ul><ul><li>Respeito aos acordos </li></ul><ul><li>Ética na relação </li></ul><ul><li>Dedicação </li></ul><ul><li>Lealdade </li></ul><ul><li>Satisfação </li></ul><ul><li>Comprometimento </li></ul>EXPECTATIVAS DA EMPRESA Não-essencial <ul><li>Obter apoio </li></ul><ul><li>Evitar conflitos </li></ul><ul><li>Social </li></ul><ul><li>Político </li></ul><ul><li>Legal </li></ul>Sindicato Essencial <ul><li>Manter a produtividade </li></ul><ul><li>Ter capacidade operacional </li></ul><ul><li>Ter lucratividade </li></ul><ul><li>Ter empregados bem treinados </li></ul><ul><li>Legal </li></ul><ul><li>Negócio </li></ul><ul><li>Social </li></ul>Empregados NÍVEL DE DEPENDÊNCIA OBJETIVOS DA EMPRESA TIPO DE RELACIONAMENTO TIPO DE PÚBLICO
  18. 25. Demonstrativo das relações empregados-empresa <ul><li>Dedicação </li></ul><ul><li>Lealdade </li></ul><ul><li>Comprometimento </li></ul>EXPECTATIVAS A EMPRESA <ul><li>Recebimento do salário em dia </li></ul><ul><li>Bom ambiente de trabalho </li></ul><ul><li>Respeito das chefias </li></ul><ul><li>Obtenção de promoções </li></ul><ul><li>Permanência no emprego </li></ul>EXPECTATIVAS DOS EMPREGADOS Essencial <ul><li>Ter bom emprego </li></ul><ul><li>Trabalhar em uma grande empresa </li></ul><ul><li>Ganhar bom salário </li></ul><ul><li>Ter emprego duradouro </li></ul><ul><li>Legal </li></ul><ul><li>Social </li></ul>Empregados NÍVEL DE DEPENDÊNCIA DA EMPRESA OBJETIVOS DOS EMPREGADOS NA EMPRESA TIPO DE RELACIONA-MENTO COM A EMPRESA TIPO DE PÚBLICO
  19. 26. M ÓDULO VIII Aplicaç ão estratégica da conceituação
  20. 27. Conceituação lógica aplicada a uma empresa metalúrgica <ul><li>Pagamento conforme os contratos </li></ul><ul><li>Parcerias duráveis </li></ul><ul><li>Confiança da empresa </li></ul><ul><li>Procedimentos éticos </li></ul><ul><li>Cumprimento de contratos </li></ul><ul><li>Comprometimento com o negócio </li></ul><ul><li>Comportamento ético </li></ul><ul><li>Confidencialidade </li></ul><ul><li>Obter matéria-prima de qualidade </li></ul><ul><li>Fazer bons contratos </li></ul><ul><li>Conseguir entregas just in time </li></ul><ul><li>Conseguir preços justos </li></ul><ul><li>Negócios </li></ul><ul><li>Legal </li></ul><ul><li>Social </li></ul>Fornecedores <ul><li>Assistência técnica garantida </li></ul><ul><li>Produtos de qualidade </li></ul><ul><li>Entregas nas datas marcadas </li></ul><ul><li>Comportamento ético da empresa </li></ul><ul><li>Satisfação com os produtos </li></ul><ul><li>Excelente relacionamento </li></ul><ul><li>Aumentar as vendas </li></ul><ul><li>Expandir o negócio </li></ul><ul><li>Conseguir fidelização dos clientes </li></ul><ul><li>Merecer confiança do mercado </li></ul><ul><li>Negócios </li></ul><ul><li>Legal </li></ul><ul><li>Social </li></ul>Clientes <ul><li>Política de benefícios </li></ul><ul><li>Salários pagos em dia </li></ul><ul><li>Estabilidade no emprego </li></ul><ul><li>Oportunidade de promoção </li></ul><ul><li>Respaldo operacional </li></ul><ul><li>Estabilidade </li></ul><ul><li>Confiança </li></ul>EXPECTATIVAS <ul><li>Comprometimento </li></ul><ul><li>Dedicação </li></ul><ul><li>Pontualidade </li></ul><ul><li>Motivação no trabalho </li></ul><ul><li>Ter empregados bem treinados </li></ul><ul><li>Conseguir dedicação ao trabalho </li></ul><ul><li>Dar treinamento operacional </li></ul><ul><li>Negócios </li></ul><ul><li>Legal </li></ul><ul><li>Social </li></ul>Empregados <ul><li>Retorno dos investimentos </li></ul><ul><li>Cumprimento das metas </li></ul><ul><li>Comprometimento </li></ul><ul><li>Ética nos negócios </li></ul><ul><li>Obter resultados programados </li></ul><ul><li>Manter administração eficiente </li></ul><ul><li>Atingir os objetivos estratégicos </li></ul><ul><li>Parceria </li></ul><ul><li>Social </li></ul><ul><li>Político </li></ul>Diretoria RESULTADOS OBJETIVOS TIPO DE RELACIONA-MENTO PÚBLICOS
  21. 28. Quadro demonstrativo de públicos comunitários <ul><li>Apoio </li></ul><ul><li>Comprometimento </li></ul><ul><li>Não-essencial </li></ul><ul><li>Defender interesses da comunidade </li></ul><ul><li>Político </li></ul><ul><li>Reivindicatório </li></ul>Grupos de pressão Organismos sociais Redes de negócio Governo TIPO DE PÚBLICO <ul><li>Colaboração </li></ul><ul><li>Participação </li></ul><ul><li>Não-essencial </li></ul><ul><li>Proteger interesses da comunidade </li></ul><ul><li>Social </li></ul><ul><li>Político </li></ul><ul><li>Parcerias </li></ul><ul><li>Fidelidade </li></ul><ul><li>Colaboração </li></ul><ul><li>Essencial não-constitutiva </li></ul><ul><li>Conseguir clientes </li></ul><ul><li>Obter lucratividade </li></ul><ul><li>Colaborar para o progresso da comunidade </li></ul><ul><li>Jurídico </li></ul><ul><li>Social </li></ul><ul><li>Comercial </li></ul><ul><li>Obediência as leis </li></ul><ul><li>Colaboração </li></ul><ul><li>Essencial constitutiva </li></ul><ul><li>Obter respeito </li></ul><ul><li>Jurídico </li></ul><ul><li>Social </li></ul><ul><li>Político </li></ul>EXPECTATIVAS DOS EMPREGADOS NÍVEL DE DEPENDÊNCIA OBJETIVOS DA RELAÇÃO TIPO DE RELACIONAMENTO COM A EMPRESA
  22. 29. Conceituação lógica aplicada a ONG <ul><li>Manter a colaboração dessas empresas </li></ul><ul><li>Manter financeiramente a ONG </li></ul>Essencial de sustentação primária Ocasional <ul><li>Negócios </li></ul><ul><li>Social </li></ul>Patrocinadores Essencial de sustentação primária Essencial de sustentação primária Essencial constitutivo NÍVEL DE DEPENDÊNCIA <ul><li>Estreitar o relacionamento com as empresas para a sua manutenção financeira e defesa do meio-ambiente </li></ul><ul><li>Responsabilizar os coletores pela tiragem e encaminhamento correto do material para empresas recicladoras ou compradoras </li></ul>Freqüente <ul><li>Negócios </li></ul><ul><li>Parceria total </li></ul>Coletores <ul><li>Criar parcerias para conseguir doações constantes </li></ul><ul><li>Ajudar financeiramente o maior número possível de instituições </li></ul>EXPECTATIVAS DA ONG <ul><li>Fornecer À ONG material reciclável </li></ul>Freqüente <ul><li>Negócios </li></ul><ul><li>Parceria total </li></ul>Doadores <ul><li>Conseguir voluntários e parceiros </li></ul><ul><li>Aumentar o número de fornecedores de material reciclável </li></ul>Permanente <ul><li>Operacional </li></ul><ul><li>Assembléia geral </li></ul><ul><li>Diretoria executiva </li></ul><ul><li>Conselhos </li></ul><ul><li>Sócios </li></ul>OBJETIVOS DA ONG NÍVEL DE ENVOLVIMENTO TIPO DE RELACIONAMENTO PÚBLICOS
  23. 30. Conceituação lógica aplicada a ONG <ul><li>Conseguir a participação constante dos fornecedores </li></ul><ul><li>Aumentar a ajuda às instituições </li></ul><ul><li>Receber rendas para a entidade </li></ul>Não essencial comunitários Freqüente <ul><li>Social </li></ul><ul><li>Institucional </li></ul>Beneficiados Essencial de sustentação primária Essencial de sustentação primária Não essencial de setores associativos NÍVEL DE DEPENDÊNCIA <ul><li>Busca de novos colaboradores </li></ul><ul><li>Competência no trabalho </li></ul><ul><li>Fidelidade </li></ul><ul><li>Manter programas individualizados de coleta de material </li></ul><ul><li>Promover a educação ambiental </li></ul><ul><li>Gerar recursos para as entidades beneficiadas </li></ul>Total <ul><li>Operacional </li></ul><ul><li>Parceria total </li></ul>Funcionários e voluntários <ul><li>Ajudar financeiramente instituições de caridade </li></ul><ul><li>Contar com o apoio dos colaboradores </li></ul>EXPECTATIVAS DA ONG <ul><li>Fazer com que reciclem o material coletado </li></ul>Inexistente <ul><li>Negócios </li></ul>Recicladores <ul><li>Manter suas redes como postos de arrecadação </li></ul>Parcial <ul><li>Parceria </li></ul>Colaboradores OBJETIVOS DA ONG NÍVEL DE ENVOLVIMENTO TIPO DE RELACIONAMENTO PÚBLICOS
  24. 31. Conceituação lógica aplicada a uma empresa prestadora de serviços <ul><li>Respeito/Boa remuneração </li></ul><ul><li>Reconhecimento profissional </li></ul><ul><li>Observância da Lei </li></ul><ul><li>Credibilidade </li></ul><ul><li>Harmonia da equipe </li></ul><ul><li>Dedicação nos trabalhos científicos </li></ul><ul><li>Ter equipe capacitada </li></ul><ul><li>Dar apoio a trabalhos científicos </li></ul><ul><li>Disseminar conhecimento </li></ul><ul><li>Negócios </li></ul><ul><li>Social </li></ul>Essencial Equipe profissional <ul><li>Ser procurada pelos pacientes </li></ul><ul><li>Propagar a marca </li></ul><ul><li>Merecer confiança do público </li></ul><ul><li>Ter equipe capacitada e motivada </li></ul><ul><li>Ter equipe com experiência profissional </li></ul>OBJETIVOS DA EMPRESA <ul><li>Excelente atendimento </li></ul><ul><li>Solução de seu caso </li></ul><ul><li>Preços compatíveis </li></ul><ul><li>Procedimentos clínicos avançados </li></ul><ul><li>Respeito </li></ul><ul><li>Bons salários/Benefícios </li></ul><ul><li>Amparo social </li></ul><ul><li>Emprego duradouro </li></ul>EXPECTATIVAS DOS PÚBLICOS <ul><li>Satisfação/Credibilidade </li></ul><ul><li>Fidelidade </li></ul><ul><li>Propagação da marca </li></ul><ul><li>Confiança </li></ul><ul><li>Negócios </li></ul><ul><li>Saúde </li></ul>Essencial Pacientes <ul><li>Credibilidade/Fidelidade </li></ul><ul><li>Harmonia entre colaboradores </li></ul><ul><li>Satisfação/Lealdade </li></ul><ul><li>Legal </li></ul><ul><li>Negócios </li></ul><ul><li>Social </li></ul>Essencial Funcionários RESULTADOS ESPERADOS NÍVEL DE RELACIONAMENTO TIPO DE DEPENDÊNCIA PÚBLICOS
  25. 32. Conceituação lógica aplicada a uma empresa prestadora de serviços <ul><li>Aumento do número de serviços contratados </li></ul><ul><li>Ética nas relações </li></ul><ul><li>Observância da lei </li></ul><ul><li>Lucratividade </li></ul><ul><li>Credibilidade </li></ul><ul><li>Fidelidade </li></ul><ul><li>Conseguir bons contratos </li></ul><ul><li>Merecer apoio </li></ul><ul><li>Divulgar a marca </li></ul><ul><li>Negócios </li></ul><ul><li>Social </li></ul>Não-essencial Convênios <ul><li>Conseguir apoio </li></ul><ul><li>Obter divulgação </li></ul><ul><li>Ser fonte de informação </li></ul><ul><li>Obter divulgação da marca </li></ul><ul><li>Obter reconhecimento institucional </li></ul>OBJETIVOS DA EMPRESA <ul><li>Fonte de informação </li></ul><ul><li>Respeito </li></ul><ul><li>Confiança </li></ul><ul><li>Apoio social </li></ul><ul><li>Solução de seus casos </li></ul>EXPECTATIVAS DOS PÚBLICOS <ul><li>Apoio público </li></ul><ul><li>Divulgação da marca </li></ul><ul><li>Aprovação </li></ul><ul><li>Social </li></ul><ul><li>Político </li></ul>Não-essencial de rede de interferência Imprensa <ul><li>Aprovação </li></ul><ul><li>Confiança </li></ul><ul><li>Divulgação </li></ul><ul><li>Social </li></ul>Não-essencial Comunidade RESULTADOS ESPERADOS NÍVEL DE RELACIONAMENTO TIPO DE DEPENDÊNCIA PÚBLICOS
  26. 33. MODALIDADES DAS APLICAÇ ÕES DA CONCEITUAÇÃO LÓGICA - 1 Aplicação 1 <ul><li>Aprendizado </li></ul><ul><li>Realização pessoal e social </li></ul><ul><li>Reconhecimento </li></ul><ul><li>Colaboração </li></ul><ul><li>Comprometimento </li></ul><ul><li>Participação </li></ul>Conseguir investimento social <ul><li>Social </li></ul><ul><li>Colaboração </li></ul>Realizam atividades voluntárias na entidade Voluntários <ul><li>Fazer parcerias </li></ul><ul><li>Obter recursos </li></ul><ul><li>Agir de maneira legal </li></ul>OBJETIVOS DA EMPRESA <ul><li>Cumprimento das normas legais </li></ul><ul><li>Retorno social </li></ul>EXPECTATIVAS DO PÚBLICO <ul><li>Parceria para garantir o cumprimento das leis do setor </li></ul><ul><li>Participação </li></ul><ul><li>Legal </li></ul><ul><li>Sustentação </li></ul><ul><li>Político </li></ul>Participa ativamente na sustentação da entidade e de alguns de seus núcleos dando apoio financeiro e legal Setor público RESULTADOS ESPERADOS TIPO DE RELACIONAMENTO PERFIL DOS PÚBLICOS TIPO DE PÚBLICOS
  27. 34. MODALIDADES DAS APLICAÇ ÕES DA CONCEITUAÇÃO LÓGICA - 2 Aplicação 2 O relacionamento dos diretores com os empregados é autoritária sob o argumento de se manter a qualidade dos serviços prestados. Pela convivência muito ´próxima com os empregados, há também atitudes paternalistas por parte dos diretores quando se preocupam com problemas pessoais se seus funcionários <ul><li>Social </li></ul><ul><li>Legal </li></ul>Funcionários Embora sobressaia a relação comercial, firmada por contrato de prestação de serviços, há uma convivência de caráter amistoso, já que a maioria dos componentes da equipe foi contratada por indicações de uma rede de relacionamento. Os diretores fazem questão também de que a adaptação de profissionais à metodologia de trabalho seja por todos homologada, de maneira total e irrestrita. DESCRIÇÃO DO RELACIONAMENTO <ul><li>Social </li></ul><ul><li>Legal </li></ul><ul><li>Comercial </li></ul>Equipe profissional TIPO DE RELACIONAMENTO TIPO DE PÚBLICO
  28. 35. MODALIDADES DAS APLICAÇ ÕES DA CONCEITUAÇÃO LÓGICA - 3 Aplicação 3 Aplicação 4 CLASSIFICAÇ ÃO DO RELA-CIONAMENTO EXPECTA-TIVAS DOS PÚBLICOS DESCRIÇÃO DE RELACIONA-MENTO RESULTADOS ESPERADOS PELA EMPRESA OBJETIVOS TIPO DE RELACIO-NAMENTO PERFIL DO PÚBLICO TIPO DE PÚBLICO FUNÇÃO DO PÚBLICO PARA A ORGANIZAÇÃO NÍVEL DE DEPENDÊNCIA TIPO DE RELACIONAMENTO PERFIL DO PÚBLICO TIPO DE PÚBLICO
  29. 36. M ÓDULO IX Aplicação da conceituação lógica
  30. 37. ROTEIRO PARA IDENTIFICAÇ ÃO DOS PÚBLICOS - 1 Determinar quais são as expectativas da organização nessa relação. 6 Definir quais são os objetivos do relacionamento com esses públicos 5 Analisar o tipo de relacionamento com esses púbicos em seus pontos fortes e fracos. 4 Estudar a cultura dos públicos para conhecê-los dentro de seu contexto social e para garantir o estabelecimento de interatividade duradoura com eles. 3 Selecionar do rol geral os públicos de interesse específico da organização e determinar o seu tipo e o seu perfil. 2 Identificar e listar todos os públicos de interesse da organização na visão corporativa de que a organização deve se relacionar com todos os seus púbicos estratégicos. 1
  31. 38. ROTEIRO PARA IDENTIFICAÇ ÃO DOS PÚBLICOS - 2 Utilizar a pesquisa para garantir a compreensão e a qualidade constante dos relacionamentos desenvolvidos no decorrer do tempo 12 Criar e manter um processo efetivo de comunicação com os públicos 11 Compreender e atender as expectativas do público em relação à organização 10 Avaliar o nível de envolvimento da organização com os públicos 9 Descrever o nível de participação do público na empresa 8 Analisar o nível de interdependência empresa-públicos: grau de interação, dependência – total, parcial, permanente, sazonal - importância (prioridade) desses públicos. Identificar os públicos essenciais e não-essenciais. 7
  32. 39. APLICAÇÃO DA CONCEITUAÇÃO NA COMUNICAÇÃO CORPORATIVA - 1 Fornecedores Acionistas Empregados Determinação dos públicos objetos da comunicação Informativos, visitas, encontros, debates, jornais, pesquisas, manuais técnicos, folhas de especificações de produtos, feiras, Intranet, Internet <ul><li>Direta, informativa, com regularidade, tecnológica, precisa, transparente, motivadora, manifestadora de interesses, de manutenção, de parcerias, de satisfação pelo serviço recebido, cobrança de prazos e de cumprimento de cronogramas </li></ul>Reuniões, boletins, informativos, relatórios, semestrais, anuais, Internet, Intranet <ul><li>Direta, informativa, transparente, com regularidade, do tipo prestação de contas semestrais e anuais </li></ul>Encontros, reuniões, eventos, confraternizações, publicações, hepline, hotline, Intranet <ul><li>Direta, permanente, informativa, motivadora, interativa e persuasiva </li></ul><ul><li>Disseminadora dos valores organizacionais (visão, missão, princípios éticos etc), bilateral </li></ul>Instrumentos que podem ser utilizados, mídia selecionada Como deve ser planejada a comunicação com públicos específicos
  33. 40. APLICAÇÃO DA CONCEITUAÇÃO NA COMUNICAÇÃO CORPORATIVA - 2 Governo Comunidade Clientes Determinação dos públicos objetos da comunicação Contatos diretos, visitas, encontros, ações de lobby, audiências, relatórios, projetos Direta, de regularidade bem planejada, informativa, tecnológica, transparente, persuasiva e ética Encontros, projetos sociais, patrocínios, parcerias, publicações, eventos <ul><li>Direta, com regularidade, informativa, motivadora, transmissora de valores e políticas empresariais, para conquistar apoio e interesse pela empresa, pela sua defesa </li></ul>Publicações, informativos, volantes, campanhas, outdoors, rádio, TV, merchandising, faixas, prêmios, coleções, sorteios, ofertas, eventos <ul><li>Direta, persuasiva, motivadora, permanente e sazonal (campanhas), promocional, criativa, chamando atenção, despertando interesse, desejo de compra, e de manutenção da fidelidade à marca </li></ul>Instrumentos que podem ser utilizados, mídia selecionada Como deve ser planejada a comunicação com públicos específicos
  34. 41. M ÓDULO X Exerc ícios
  35. 42. EXERC Í CIOS <ul><li>Classifique os p úblicos da empresa onde você trabalha </li></ul><ul><li>Classifique os p úblicos de uma indústria </li></ul><ul><li>Classifique os públicos de uma prestadora de serviços </li></ul>
  36. 50. M ÓDULO XI Monografia
  37. 51. MONOGRAFIA <ul><li>Fazer a monografia ou o trabalho indicado pelas normas do curso sobre a utilizaç ão da conceituação lógica de públicos. </li></ul>
  38. 52. FIM, Obrigado <ul><li>Prof. Dr. F ábio França </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul>

×