0508 ascaridíase, escabiose, pediculose - rose

3.028 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.028
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.121
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
60
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

0508 ascaridíase, escabiose, pediculose - rose

  1. 1. ASCARIDÍASE
  2. 2. Teníase  A teníase é uma doença causada pela forma adulta das tênias (Taenia solium e Taenia saginata, principalmente), com sintomatologia mais simples. Muitas vezes, o paciente nem sabe que convive com o parasita em seu intestino delgado. São duas fases distintas de um mesmo verme, causando, portanto, duas parasitoses no homem, o que não significa que uma mesma pessoa tenha que ter as duas formas ao mesmo tempo.
  3. 3. Teníase  As tênias também são chamadas de “solitárias”, porque, na maioria dos caso, o portador traz apenas um verme adulto. São altamente competitivas pelo habitat e, sendo hermafroditas com estruturas fisiológicas para autofecundação, não necessitam de parceiros para a cópula e postura de ovos.
  4. 4. Cisticerco  O homem portador da verminose apresenta a tênia no estado adulto de seu intestino, sendo, portanto, o hospedeiro definitivo. Os últimos anéis ou proglótides são hermafroditas e aptos à fecundação. Geralmente, os espermatozóides de um anel fecundam os óvulos de outro segmento, no mesmo animal. A quantidade de ovos produzidos é muito grande (30 a 80 mil em cada proglote), sendo uma garantia para a perpetuação e propagação da espécie. Os anéis grávidos se desprendem periodicamente e caem com as fezes.
  5. 5. Ciclo Evolutivo  O hospedeiro intermediário é o porco, animal que, por ser coprófago, ingere os proglótides grávidos ou os ovos que foram liberados no meio. Dentro do intestino do animal, os embriões deixam a proteção dos ovos e, por meio de seis ganchos, perfuram a mucosa intestinal. Pela circulação sangüínea, alcançam os músculos e o fígado do porco, transformando-se em larvas denominadas cisticercos , que apresentam o escólex invaginado numa vesícula.
  6. 6. Ciclo Evolutivo  Quando o homem se alimenta de carne suína crua ou mal cozida contendo estes cisticercos, as vesículas são digeridas, liberando o escólex que se everte e fixa-se nas paredes intestinais através dos ganchos e ventosas.
  7. 7. Ciclo Evolutivo  O homem com tais características desenvolve a teníase, isto é, está com o helminte no estado adulto, e é o seu hospedeiro definitivo. Os cisticercos apresentam-se semelhantes a pérolas esbranquiçadas, com diâmetros variáveis, normalmente do tamanho de uma ervilha. Na linguagem popular, são chamados de “pipoquinhas” ou “canjiquinhas”.
  8. 8. Sintomatologia  Muitas vezes a teníase é assintomática. Porém, podem surgir transtornos dispépticos, tais como: alterações do apetite (fome intensa ou perda do apetite), enjôos, diarréias freqüentes, perturbações nervosas, irritação, fadiga e insônia
  9. 9. Profilaxia e Tratamento  A profilaxia consiste na educação sanitária, em cozinha bem as carnes e na fiscalização da carne e seus derivados (lingüiça, salame, chouriço,etc.)
  10. 10. Sinônimos:  Verminose – Lombriga – Infecção por Ascaris.  O que é?  É uma verminose causada por um parasita chamado Ascaris lumbricoides.
  11. 11. Como se adquire?  É a verminose intestinal humana mais disseminada no mundo. A contaminação acontece ocorre quando há ingestão dos ovos infectados do parasita, que podem ser encontrados no solo, água ou alimentos contaminados por fezes humanas. O único reservatório é o homem. Se os ovos encontram um meio favorável, podem contaminar durante vários anos.
  12. 12. ESCABIOSE
  13. 13. Escabiose  O agente da doença  A Escabiose é uma doença causada por ácaros parasitos de pele. Nos cães é conhecida como Sarna Sarcóptica, cujo agente é o Sarcoptes scabiei variedade canis; nos gatos é chamada de Sarna Notoédrica, cujo agente é o Notoedris cati. A Sarna Humana normalmente é causada pelo Sarcoptes scabiei, variedade hominis, porém, o homem pode se infectar com os agentes causadores de sarna de cães e gatos.
  14. 14. Escabiose  A Sarna é uma doença parasitária tegumentar (ou seja, da pele), infecto- contagiosa, cujo principal sintoma é o prurido (coceira) intenso. Os agentes de cães e gatos podem acidentalmente infectar o homem (não são parasitos tegumentares específicos do homem e sim, parasitos acidentais da pele humana).
  15. 15. Escabiose  Os sintomas que serão apresentados pelos pacientes com escabiose dependem de vários fatores como o número de ácaros que infectaram o indivíduo, a espécie de ácaro envolvida e a resposta imunológica do hospedeiro, estimulada pela presença do agente no organismo (relação hospedeiro - parasito).
  16. 16. Escabiose  A escabiose é uma enfermidade cosmopolita considerada endêmica, podendo ocorrer surtos epidêmicos. Está intimamente relacionada com hábitos de higiene e é freqüente em locais onde há aglomeração de indivíduos (como em famílias, escolas, creches, hospitais, criações de animais, etc...). Não causa morte em seres humanos, porém a doença é crônica, acarretando perdas econômicas significativas, que vão desde redução de produtividade (devido ao grande incômodo que causa) até gastos com métodos diagnósticos e tratamento.
  17. 17. Escabiose A doença no Homem: O principal sintoma é o prurido intenso (maior durante a noite), acompanhado de crostas, escarificações, entre outras. No caso do agente Sarcoptes scabiei, variedade hominis, as áreas da pele mais freqüentemente acometidas são: pregas interdigitais, dedos, punhos, cotovelos, axilas, região peri-umbilical, nádegas, mamas (ao redor dos mamilos principalmente) e órgãos genitais masculinos; nas crianças, nos idosos e nos imunossuprimidos pode ocorrer também em couro cabeludo, palma das mãos e planta dos pés
  18. 18. Escabiose  . Quando o agente é o Sarcoptes scabiei variedade canis, o homem apresenta intenso prurido e formação de pequenos pontos avermelhados (pápulas) principalmente em região de braço e tronco. O Notoedris cati nem sempre acomete o homem (quando acomete, a sintomatologia é semelhante à provocada pelo Sarcoptes scabiei variedade canis). As lesões podem regredir em 1- 2 semanas, ou podem evoluir, mas por esse tempo pode haver infestação de outros indivíduos.
  19. 19. Tratamento  Tratamento do doente: lavar as roupas de banho e de cama com água quente (pelo menos a 55°C); lavar com água quente todos os fômites dos pacientes com sarna norueguesa; buscar casos na família ou nos residentes do mesmo domicílio do doente e tratá-los o mais breve possível. A escabiose, raramente, vem como caso isolado, por esse motivo tratar as pessoas que tiveram contato cutâneo com o doente.
  20. 20. Pediculose (piolho) PEDICULOSE
  21. 21. Pediculose  A pediculose também é uma doença parasitária, causada pelo piolho. Há, basicamente, três tipos de piolhos que atingem os seres humanos: capilar Pediculus humanus capitis), corporal (Pediculus humanus corporis) e pubiano (Phthirus pubis). Todos eles causam lesões na pele e podem se tornar vetores de doenças infecciosas como o tifo exantemático e a febre recorrente.
  22. 22. Pediculose Capilar  Crianças em período escolar são as mais atingidas pela pediculose capilar. O parasita vive do sangue sugado do couro cabeludo. A fêmea deposita lêndeas, ovos de cor esbranquiçada, nos fios de cabelo. A principal característica da doença é a coceira, que acontece com mais intensidade na parte posterior da cabeça. Com a coceira podem aparecer lesões secundárias, que infectadas por bactérias podem levar ao aumento dos gânglios linfáticos
  23. 23. Pediculose  A transmissão do piolho acontece através de contato pessoal, compartilhamento de objetos pessoais e, no caso da pediculose pubiana, a transmissão geralmente se dá através de relações sexuais.
  24. 24. Pediculose corporal  A pediculose corporal (Pediculus humanus corporis) é um parasita pouco maior que o do couro cabeludo. Vive na região entre os ombros, axilas e nádegas. A falta de higiene é fator fundamental para seu aparecimento. “O tratamento é feito com a troca de roupas e passando a loção. Isso já é o suficiente”.
  25. 25. Pediculose Pubiana  Existe ainda a pediculose pubiana, transmitida pelo parasita Phthirus pubis, popularmente conhecido como chato. Transmite-se por meio do contato sexual, e pode ser veiculada através de vestuário, roupas de cama, toalhas etc.
  26. 26. Pediculose Pubiana  A doença atinge tanto homens quanto mulheres. Os piolhos atingem os pêlos pubianos, parte inferior do abdômen, coxas e nádegas. “O tratamento é feito do mesmo modo que o da escabiose, com loções escabicidas e/ou oralmente, com a repetição dos mesmos após uma semana. É importante, também, aparar os pelos pubianos”.

×