Equoterapia

697 visualizações

Publicada em

Equoterapia no Piauí.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
697
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
47
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Equoterapia

  1. 1. EQUOTERAPIAEQUOTERAPIA LAERSON SOARES DOS SANTOSLAERSON SOARES DOS SANTOS PsicólogoPsicólogo Especialista em terapia cognitivo-comportamental e analítico-Especialista em terapia cognitivo-comportamental e analítico- comportamentalcomportamental NeuropsicologoNeuropsicologo
  2. 2. HISTÓRICO:HISTÓRICO:  Hipócrates; • A inserção do cavalo em processos terapêuticos data de 458-370 a.C., quando Hipócrates, pai da medicina, fez referência à equitação como fator regenerador da saúde (FREIRE, 1999) • Afirmava que a “equitação praticada ao ar livre faz com que os músculos melhorem o seu tônus”
  3. 3. HISTÓRICO:HISTÓRICO:  Em 1967, foi fundado o primeiro centro de equitação para pessoas com deficiências nos Estados Unidos (HASKIN et al., 1974).  Em 1965, a equoterapia torna-se uma matéria didática;  Em 1969 primeiro trabalho científico de equoterapia no Centro Hospitalar Universitário da Universidade de Salpentire, em Paris.
  4. 4. HISTÓRICO:HISTÓRICO:  A equitação terapêutica para crianças com necessidade especial foi realizada pela primeira vez pela fisioterapeuta Eilset Bodtker, na Noruega.
  5. 5. HISTÓRICO:HISTÓRICO: • No Brasil, a equoterapia começou a ser conhecida e valorizada, a partir de 1989, em atividades eqüestres realizadas na Granja do Torto, em Brasília, atual sede da Associação Nacional de Equoterapia (ANDE – BRASIL)
  6. 6. HISTÓRICO:HISTÓRICO:  A equoterapia foi reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina do Brasil como método terapêutico em 1997 (LERMONTOV, 2004),  Estima-se que atualmente, cerca de mais de 30 países adotam esta modalidade de terapia (CIRILLO, 2001; LIPORONI e OLIVEIRA, 2005; BARRETO et al., 2007).
  7. 7. ANDE-BRASILANDE-BRASIL
  8. 8. ANDE-BRASILANDE-BRASIL  Sociedade civil de caráter filantrópico terapêutico, educativo, cultural, desportivo e assistencial, sem fins lucrativos com atuação em todo território nacional tendo sede e foro em Brasília-Distrito Federal
  9. 9. EQUOTERAPIA NO PIAUÍEQUOTERAPIA NO PIAUÍ
  10. 10. O QUE É EQUOTERAPIA?O QUE É EQUOTERAPIA?  É um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar, nas áreas de saúde educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicosocial de pessoas portadoras de deficiência e/ou necessidades especiais.
  11. 11. ÁREAS DE APLICAÇÃO DAÁREAS DE APLICAÇÃO DA EQUOTERAPIA?EQUOTERAPIA?
  12. 12. • SAÚDE, na reabilitação de pessoas com deficiências; • EDUCAÇÃO, para pessoas com necessidades educativas especiais e outros; • SOCIAL, para pessoas com distúrbios evolutivos ou comportamentais. ÁREAS DE APLICAÇÃO DAÁREAS DE APLICAÇÃO DA EQUOTERAPIA?EQUOTERAPIA?
  13. 13. PROGRAMAS BÁSICOS DE EQUOTERAPIAPROGRAMAS BÁSICOS DE EQUOTERAPIA • HIPOTERAPIA • EDUCAÇÃO/REEDUCAÇÃO • PRÉ-ESPORTIVO; • PRÁTICA ESPORTIVA PARAEQUESTRE.
  14. 14. O praticante em tratamento pode contar com o acompanhamento de uma equipe interdisciplinar. Esta pode ser formada por: Profissionais da área da Saúde: Fisioterapeuta; Fonoaudiólogo; Psicólogo; Terapeuta Ocupacional; Psicomotricista; Médico. Profissionais da área da Educação: Pedagogo; Psicopedagogo; Professor de Educação Física. Profissionais da área da Equitação e do trato animal: Instrutor de Equitação; Auxiliar-guia; Tratador; Veterinário.
  15. 15.  PACIENTEPACIENTE CAVALO TERAPEUTACAVALO TERAPEUTA
  16. 16. Características do cavalo:Características do cavalo:  Movimento tridimensional;  Movimento rítmico-balançante;  Movimento e mudança de equilíbrio constante;  Imponência e altura do cavalo;  Docilidade e o contato do cavalo.
  17. 17. Movimento tridimensionalMovimento tridimensional    para cima para os lados para frente para baixo para trás
  18. 18. ANDARANDAR ==
  19. 19. OBJETIVOS:OBJETIVOS:  Desenvolve as condutas psicomotoras: - Esquema corporal; - Percepção; - Equilíbrio; - Coordenação motora; - Estruturação espacial e temporal.
  20. 20.  Desenvolve a força muscular;  Marcha;  Postura;  Facilita a aprendizagem;  Favorece a integração social;  Desenvolve a coragem, a autoconfiança e a concentração;
  21. 21. INDICAÇÕES:INDICAÇÕES:  Atrasos no desenvolvimento neuropsicomotor;  Alterações do SN;  Deficiência mental;  Dependentes químicos;  Doenças psiquiátricas;  Estresse e depressão;  Hiperatividade;  Timidez;  Dificuldade no aprendizado;  Algumas alterações ortopédicas;  Distúrbios visuais e auditivos;
  22. 22. CONTRA-INDICAÇÕES:CONTRA-INDICAÇÕES:  Afecções graves da coluna vertebral;  Luxações de quadril;  Frouxidão ligamentar das primeiras vértebras cervicais;  Pouca sensibilidade na região das coxas;  Psicóticos com alto potencial de suicídio.
  23. 23. HISTÓRICO DA EQUOTERAPIA NO MUNDO HIPÓCRATES (460-377 a.C), no seu Livro das Dietas, aconselhava a equitação para “regenerar a saúde e preservar o corpo humano de muitas doenças, mas sobretudo para o tratamento da insônia”, além de melhorar o tônus muscular. O HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DE OXFORD (1917), fundou o primeiro grupo de terapia com o cavalo para atender os feridos da 1ª Guerra Mundial, também com a ideia fundamental de lazer e de quebra de monotonia do tratamento.
  24. 24. No Piauí começou a ser desenvolvida no ano de 2002, na capital. E atualmente, conta com a parceria da Secretaria Estadual para Inclusão da Pessoa com Deficiência – SEID e a Polícia Militar do Piauí através de seu Esquadrão Independente de Polícia Montada – Piauí.
  25. 25. INDICAÇÕES DA EQUOTERAPIA  Atraso no desenvolvimento neuropsicomotor  Síndrome de Down  Encefalopatia crônica não progressiva  Transtorno do espectro autista  Síndrome de Willian  Acidente Vascular Cerebral (AVC)  Esclerose (diversas)  Transtorno de Ansiedade  Dificuldade de aprendizagem  Transtorno Depressivo, dentre outros quadros clínicos
  26. 26. ÁREAS DE APLICAÇÃO DA EQUOTERAPIA • SAÚDE, na reabilitação de pessoas com deficiências; • EDUCAÇÃO, para pessoas com necessidades educativas especiais e outros; • SOCIAL, para pessoas com distúrbios evolutivos ou comportamentais.
  27. 27. PROGRAMAS DE EQUOTERAPIA • HIPOTERAPIA • EDUCAÇÃO/REEDUCAÇÃO • PRÉ-ESPORTIVO • PRÁTICA ESPORTIVA PARAEQUESTRE
  28. 28. A EQUIPE DE EQUOTERAPIA O paciente em tratamento pode contar com o acompanhamento de uma equipe interdisciplinar. Esta pode ser formada por: Profissionais da área da Saúde: Fisioterapeuta; Fonoaudiólogo; Psicólogo; Terapeuta Ocupacional; Psicomotricista; Médico. Profissionais da área da Educação: Pedagogo; Psicopedagogo; Professor de Educação Física. Profissionais da área da Equitação e do trato animal: Instrutor de Equitação; Auxiliar-guia; Tratador; Veterinário.
  29. 29. DINÂMICA DO CAVALO O cavalo “parado”: troca de patas, deslocamento da cabeça ao olhar para os lados, flexões da coluna, abaixar e alongar do pescoço. Em deslocamento, ao passo: • Cada movimento um ajuste tônico no cavaleiro. • Em cada seg. 1 a 1,25 movimentos, gerando 1 a 1,25 ajustes tônicos no cavaleiro. • Logo, em uma sessão de 30 minutos 1800 a 2250 ajustes tônicos
  30. 30. DESLOCAMENTO DO CAVALO VIBRAÇÕES NAS REGIÕES ÓSTEO-ARTICULARES MEDULA CÉREBRO 180 oscilações por minuto CINTURA PÉLVICA DO CAVALEIRO
  31. 31. “Desde de que iniciei essa terapia só tenho tido resultados positivos. Quando eu cheguei aqui eu era muito nervoso, hoje sou uma pessoa mais tranquila, meu equilíbrio também melhorou muito”. RELATOS José Antonio de Araujo, de 45 anos de idade, vítima de traumatismo craniano encefálico
  32. 32. Nome: Bianca F.R.Aguiar Idade: 15 anos Queixa: “ Falta de equilíbrio e força muscular, com frequentes quedas”. Diagnóstico: Encefalopatia não progressiva crônica.
  33. 33. AVALIAÇÃO  Distúrbio de marcha(ataxia): com maior comprometimento dos membros inferiores;  Equilibrio corporal comprometido;  Cognitivo preservado.
  34. 34. ENCAMINHAMENTOENCAMINHAMENTO Equoterapia acompanhada pelo profissional de fisioterapia.
  35. 35. PLANO DE ATENDIMENTO Objetivo Geral: Promover a autoconfiança e, assim favorecer o relacionamento interpessoal, de modo a proporcionar um melhor convívio social.
  36. 36. 1ª SESSÃO: 14.08.2013 PROGRAMA: HIPOTERAPIA MEDIADOR: FISIOTERAPEUTA Após seis meses de acompanhamento apresentou ganhos consideráveis, no tangente à consciência de suas limitações e potencialidades, com amplitude de movimentos em membros superiores e inferiores. EM 29.01.2014 PROGRAMA: EDUCAÇÃO/REEDUCAÇÃO MEDIADOR: EDUCADOR FÍSICO Apresentou melhora no equilíbrio postural; ganho de força em membros inferiores; melhora da coordenação motora e amplitude dos membros superiores; e, autoconfiança- passou a guiar o cavalo durante os rodeios. 27.02.2015 PROGRAMA: PRÉESPORTIVO MEDIADOR: EQUITADOR Desenvolveu a autonomia na condução independente do cavalo; ampliou sua consciência quanto à segurança; melhorou a força muscular; almeja participar em eventos culturais e competitivos.
  37. 37. O ambiente equoterápico propõe ao praticante novas experiências com situações ricas em desafios, que contribuem para o seu desenvolvimento, aprimorando suas potencialidades.
  38. 38. OBRIGADO!
  39. 39. LAERSON SOARESLAERSON SOARES (Psicólogo)(Psicólogo) laersonsoares@hotmail.comlaersonsoares@hotmail.com 98809-722098809-7220 99949-095099949-0950 CENTRO DE EQUOTERAPIACENTRO DE EQUOTERAPIA Avenida são Francisco nºAvenida são Francisco nº Fone:994Fone:994

×