Pautas e fontes

1.676 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.676
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
69
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pautas e fontes

  1. 1. Redação Jornalística I Prof. Ms. Laércio Torres de Góes
  2. 2. Elementos da pauta  Uma boa pauta deve ter:  1 - Um resumo dos acontecimentos (idéias) que são objeto da reportagem.  2 - O que o repórter terá que conseguir, ou seja, o que interessa ao público.  3 - Como a empresa de mídia vai se posicionar em relação ao assunto.  4 - Fornecer todos os dados necessários para o repórter: nome, cargo ou função das pessoas que serão entrevistadas (sempre fornecer mais de uma fonte), telefones, hora da entrevista, local, e-mail.  A pauta é o ponto de partida de uma reportagem, nunca o meio ou o fim.
  3. 3. Itens da pauta  Cabeçalho: onde devem estar contidos o nome do redator, a data em que foi elaborada a pauta, a retranca (duas palavras que indiquem o tema da pauta) e a fonte (de onde foram tiradas as informações para a pauta).  Tema: sobre o que se trata a pauta.  Histórico/Sinopse: escrever em poucas linhas (média de 15 linhas) um resumo dos fatos que levaram esse tema a se justificar como assunto de uma pauta jornalística. Esse material é muito importante para situar o repórter e porque poderá ser utilizado por ele para o lide e/ou cabeça da matéria.  Enfoque/Encaminhamento: qual será o direcionamento a ser dado na matéria pelo repórter. Este item é que irá definir as sugestões de perguntas.
  4. 4. Itens da pauta  Fontes: para se obter as informações sobre o tema da matéria é fundamental que o pauteiro apresente as fontes para a reportagem, ou seja, as pessoas que serão entrevistadas pelo repórter. Nesse caso, além do nome e do cargo/função da pessoa, deve constar na pauta o endereço e todos os telefones possíveis para contato.  Sugestões de perguntas: como o nome já dia são sugestões a serem seguidas pelo repórter. Mas lembre-se uma pauta não é uma camisa de força. O repórter tem toda liberdade de questionar o entrevistado sobre outras questões que considerar importante naquele momento.  Anexos: caso o pauteiro tenha feito alguma pesquisa ou possua recorte de jornal/revista ou texto retirado da internet poderá anexar na pauta.
  5. 5. Fontes de notícias  A maioria das notícias contém informações fornecidas por instituições e personagens que testemunham ou participam de eventos de interesse público.  A informação começa na fonte  O papel dos jornalistas é selecionar e questionar essas fontes, colher dados e depoimentos, situá-los em algum contexto e processá-los segundo técnicas jornalísticas.  As fontes podem mentir mas é de esperar que não mintam.
  6. 6. Fontes de notícias  “Por que se conta que alguém preste informações a um estranho, se não ganha nada com isso?”  Os homens consideram crucial serem aceitos socialmente e, por isso, desenvolvem atitudes cooperativas (corrente funcionalista – Lazansfeld, Merton e Kennedy).  “Por que confiamos que, decidida a responder, essa pessoa não inventará uma resposta qualquer?”  Toda conversação depende do que um dos envolvidos imagina que o outro pretende.
  7. 7. Fontes de notícias  Se ambos se admitem como boa-fé, não serão:  a) Se vê o repórter como ameaça - Lacônicos (nem falará mais do que lhe foi perguntado);  b) Se vê na conversa uma oportunidade de defender seus direitos/interessesDeliberadamente falso (ou afirmará meras suspeitas);  c) Excessivamente minucioso;  d) Vago, ambíguo, com seu discurso desordenado.
  8. 8. Fontes de notícias  Princípio geral da conduta humana: buscar a máxima eficiência com o menor custo possível.  A mentira tem alto custo moral e físico.  Não estar mentindo não quer dizer que se está dizendo a verdade. Mas apenas acreditar que se está dizendo a verdade.
  9. 9. Classificação de fontes  a) Oficiais, oficiosas e independentes:  Oficiais são aquelas que representam as organizações com legitimidade. Tidas com as mais confiáveis. É comum não seres mencionadas, já que suas informações são tomadas como corretas. Fontes oficiais mentem. Ou sonegam informação. Cuidado.  Oficiosas são aquelas que não estão autorizadas a falar sobre determinado tema. Podem ser relevantes, por eventualmente se contraporem a informações oficiais. Mas (protegidas pelo estatuto do Off) podem ser preciosas. Podem mentir para se mostrarem bem informadas.  Fontes independentes são distante do poder com o tema. Normalmente são confiáveis. Estão equidistantes dos interesses envolvidos com o tema da reportagem.
  10. 10. Classificação de fontes  b) Primárias e secundárias:  Primárias são aquelas nas quais nos baseamos para colher as informações essenciais de uma matéria (fatos, versões e números).  Secundárias são as que fornecem dados complementares na produção da pauta ou construção de contextos.  Exemplo: Divulgação de pesquisa de emprego do IBGE. A fonte primária é o IBGE e as secundárias são economistas, sindicatos patronais e de trabalhadores. As informações do IBGE são confiáveis mas as fontes secundárias (uma de cada lado) ampliam a repercussão daqueles fatos.
  11. 11. Classificação de fontes  C) Testemunhas e experts   Testemunhas Testemunho é colorido pela emotividade. Se apóia mais na emoção, mas também na memória. O mais interessante é o imediato. No testemunho mais tardio, ganha-se em consistência o que se perde em exatidão fatual. Normalmente é fonte primária.  Experts  São os especialistas em algum tempo. São geralmente fontes secundárias. Formule questões preliminares. Especialistas têm tempo curto.     
  12. 12. Jornalista como fonte   O jornalista de assessoria de imprensa é similar ao de jornal: é um intermediário. Está onde o leitor/ouvinte/telespectador não pode estar.  Tem autorização para selecionar o que acha interessante que o público saiba.  Gatekeeper
  13. 13. Referências  LAGE, Nilson. A Reportagem: teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística. Rio de Janeiro: Record, 2006.  SOUSA, Ana Karina. Como elaborar uma pauta.

×