SlideShare uma empresa Scribd logo

Era Vargas

O documento descreve o período da Era Vargas no Brasil, desde o Governo Provisório em 1930 até o fim do Estado Novo em 1945. Resume os principais aspectos políticos, econômicos e sociais desse período, incluindo a ascensão de Vargas ao poder, a Revolução Constitucionalista, a Constituição de 1934, o Estado Novo, a repressão a opositores e as reformas populares e de intervenção estatal na economia.

1 de 29
Baixar para ler offline
Era Vargas
Disciplina: Realidade Sócio-Econômica e Política Brasileira
Prof.: Ms. Laércio Torres de Góes
Governo Provisório (1930 – 34)


O novo governo aglutinou diversas forças sociais
(oligarquias dissidentes, classe média, setores da
burguesia urbana, sindicatos e o Exército).



As oligarquias não iriam mais exercer o papel
hegemônico.



As disputas políticas abriram espaço para a
intermediação pessoal de Getúlio Vargas.



As forças do novo governo estavam centradas nas
lideranças tenentistas. Muitos foram nomeados
interventores.
Governo Provisório (1930 – 34)


Buscou reeditar a política de apoio ao café, através do
Departamento Nacional do Café (DNC), em 1933,
promovendo a compra e estocagem do produto.



Aproximação com a oligarquia paulista.



Crescimento expressivo da indústria nacional, principalmente
nos setores têxtil e alimentar.



Nova época: início da mudança no modelo econômico. O
país deixa de ser uma economia predominantemente
agroexportadora.



Reforma educacional
Governo Provisório (1930 – 34)


Populismo: Vargas acenava às classes trabalhadoras com reformas
trabalhistas e benefícios.



Criação do Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio (novembro
de 1930).



Criação de órgãos para arbitrar conflitos entre patrões e operários
(Juntas de Conciliação e Julgamento).



Unicidade sindical



A legalidade de um sindicato dependia do reconhecimento
ministerial.
Governo Provisório (1930 – 34)


Revolução Constitucionalista (1932):



Oligarquia cafeeira questiona o poder de
Getúlio Vargas.



Vargas nomeou um interventor paraibano
(João Alberto) para São Paulo, o que
desagradou os cafeeicultores.



Mesmo com a nomeação de um interventor
paulista (Pedro de Toledo), a insatisfação
continuava crescendo.



Frente Única Paulista: Partido Democrático
(que rompe com o Governo Vargas) e o PRP.
Governo Provisório (1930 – 34)


Revolução Constitucionalista (1932):



Propostas



Nomeação de interventor civil para São
Paulo.



Volta do Estado de Direito.



Constituição para o país.



As promessas de redemocratização e
convocação de uma assembleia constituinte
eram vagas.

Recomendados

O governo João Goulart (1961-1964)
O governo João Goulart (1961-1964)O governo João Goulart (1961-1964)
O governo João Goulart (1961-1964)Edenilson Morais
 
Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo
Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo
Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo Valéria Shoujofan
 
Revolução russa slide
Revolução russa slideRevolução russa slide
Revolução russa slideIsabel Aguiar
 
Primeiro Reinado (1822-1831)
Primeiro Reinado (1822-1831)Primeiro Reinado (1822-1831)
Primeiro Reinado (1822-1831)Edenilson Morais
 
Redemocratização brasil
Redemocratização brasilRedemocratização brasil
Redemocratização brasilFabiana Tonsis
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e RedemocratizaçãoDaniel Alves Bronstrup
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O Segundo Governo de Vargas
O Segundo Governo de VargasO Segundo Governo de Vargas
O Segundo Governo de VargasGabriel Caetano
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado NovoFrei Ofm
 
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoA Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoRodrigo Luiz
 
Janio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulartJanio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulartharlissoncarvalho
 
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)Edenilson Morais
 
O populismo no brasil
O populismo no brasilO populismo no brasil
O populismo no brasilhomago
 
Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)Edenilson Morais
 
BRASIL 1945 a 64 - Republica populista - democratica
BRASIL 1945 a 64 - Republica populista - democraticaBRASIL 1945 a 64 - Republica populista - democratica
BRASIL 1945 a 64 - Republica populista - democraticaGisele Finatti Baraglio
 
Descolonizaçao da África e da Ásia
Descolonizaçao da  África e da ÁsiaDescolonizaçao da  África e da Ásia
Descolonizaçao da África e da ÁsiaRodrigo Luiz
 
Descolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásiaDescolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásiaIsaquel Silva
 
Do governo dutra ao governo joão goulart
Do governo dutra ao governo joão goulartDo governo dutra ao governo joão goulart
Do governo dutra ao governo joão goulartEdenilson Morais
 
O Governo Dutra (1946-1950)
O Governo Dutra (1946-1950)O Governo Dutra (1946-1950)
O Governo Dutra (1946-1950)Edenilson Morais
 
República Populista (1946-1964)
República Populista (1946-1964)República Populista (1946-1964)
República Populista (1946-1964)Edenilson Morais
 

Mais procurados (20)

O Segundo Governo de Vargas
O Segundo Governo de VargasO Segundo Governo de Vargas
O Segundo Governo de Vargas
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
 
Totalitarismo
TotalitarismoTotalitarismo
Totalitarismo
 
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoA Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
 
Janio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulartJanio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulart
 
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
3º ano era vargas
3º ano   era vargas3º ano   era vargas
3º ano era vargas
 
Nova República
Nova RepúblicaNova República
Nova República
 
O populismo no brasil
O populismo no brasilO populismo no brasil
O populismo no brasil
 
Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)
 
BRASIL 1945 a 64 - Republica populista - democratica
BRASIL 1945 a 64 - Republica populista - democraticaBRASIL 1945 a 64 - Republica populista - democratica
BRASIL 1945 a 64 - Republica populista - democratica
 
Descolonizaçao da África e da Ásia
Descolonizaçao da  África e da ÁsiaDescolonizaçao da  África e da Ásia
Descolonizaçao da África e da Ásia
 
Descolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásiaDescolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásia
 
Do governo dutra ao governo joão goulart
Do governo dutra ao governo joão goulartDo governo dutra ao governo joão goulart
Do governo dutra ao governo joão goulart
 
Primeiro Reinado
Primeiro ReinadoPrimeiro Reinado
Primeiro Reinado
 
O Governo Dutra (1946-1950)
O Governo Dutra (1946-1950)O Governo Dutra (1946-1950)
O Governo Dutra (1946-1950)
 
O brasil na primeira republica
O brasil na primeira republicaO brasil na primeira republica
O brasil na primeira republica
 
O segundo governo vargas
O segundo governo vargasO segundo governo vargas
O segundo governo vargas
 
República Populista (1946-1964)
República Populista (1946-1964)República Populista (1946-1964)
República Populista (1946-1964)
 

Destaque

O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novoliea
 
5º era vargas.hist.ed.brasil
5º era vargas.hist.ed.brasil5º era vargas.hist.ed.brasil
5º era vargas.hist.ed.brasilMarcilio Sampaio
 
H.Brasil: Revolução 1930 e Era Vargas
H.Brasil: Revolução 1930 e Era VargasH.Brasil: Revolução 1930 e Era Vargas
H.Brasil: Revolução 1930 e Era VargasEdvaldo Lopes
 
Estado novo vargas
Estado novo vargasEstado novo vargas
Estado novo vargasDilermando12
 
Era Vargas (1930-1945)
Era Vargas (1930-1945)Era Vargas (1930-1945)
Era Vargas (1930-1945)Elton Zanoni
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargasalanac
 
A Era Vargas (1930-1945). Prof. Medeiros
A Era Vargas (1930-1945). Prof. MedeirosA Era Vargas (1930-1945). Prof. Medeiros
A Era Vargas (1930-1945). Prof. MedeirosJoão Medeiros
 
O REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO IO REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO IIsabel Aguiar
 
2015 Upload Campaigns Calendar - SlideShare
2015 Upload Campaigns Calendar - SlideShare2015 Upload Campaigns Calendar - SlideShare
2015 Upload Campaigns Calendar - SlideShareSlideShare
 
What to Upload to SlideShare
What to Upload to SlideShareWhat to Upload to SlideShare
What to Upload to SlideShareSlideShare
 
How to Make Awesome SlideShares: Tips & Tricks
How to Make Awesome SlideShares: Tips & TricksHow to Make Awesome SlideShares: Tips & Tricks
How to Make Awesome SlideShares: Tips & TricksSlideShare
 
Getting Started With SlideShare
Getting Started With SlideShareGetting Started With SlideShare
Getting Started With SlideShareSlideShare
 

Destaque (20)

Resenha - Sonhos tropicais
Resenha - Sonhos tropicaisResenha - Sonhos tropicais
Resenha - Sonhos tropicais
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
 
Mídias e meios de comunicação rádio
Mídias e meios de comunicação   rádioMídias e meios de comunicação   rádio
Mídias e meios de comunicação rádio
 
5º ano Getúlio e a Era do Rádio
5º ano   Getúlio e a Era do Rádio5º ano   Getúlio e a Era do Rádio
5º ano Getúlio e a Era do Rádio
 
5º era vargas.hist.ed.brasil
5º era vargas.hist.ed.brasil5º era vargas.hist.ed.brasil
5º era vargas.hist.ed.brasil
 
H.Brasil: Revolução 1930 e Era Vargas
H.Brasil: Revolução 1930 e Era VargasH.Brasil: Revolução 1930 e Era Vargas
H.Brasil: Revolução 1930 e Era Vargas
 
Era vargas 1
Era vargas 1Era vargas 1
Era vargas 1
 
Estado novo vargas
Estado novo vargasEstado novo vargas
Estado novo vargas
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
Populismo
PopulismoPopulismo
Populismo
 
A era-vargas-e-o-populismo-no-brasil
A era-vargas-e-o-populismo-no-brasilA era-vargas-e-o-populismo-no-brasil
A era-vargas-e-o-populismo-no-brasil
 
Era Vargas (1930-1945)
Era Vargas (1930-1945)Era Vargas (1930-1945)
Era Vargas (1930-1945)
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
A Era Vargas (1930-1945). Prof. Medeiros
A Era Vargas (1930-1945). Prof. MedeirosA Era Vargas (1930-1945). Prof. Medeiros
A Era Vargas (1930-1945). Prof. Medeiros
 
O REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO IO REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO I
 
2015 Upload Campaigns Calendar - SlideShare
2015 Upload Campaigns Calendar - SlideShare2015 Upload Campaigns Calendar - SlideShare
2015 Upload Campaigns Calendar - SlideShare
 
What to Upload to SlideShare
What to Upload to SlideShareWhat to Upload to SlideShare
What to Upload to SlideShare
 
How to Make Awesome SlideShares: Tips & Tricks
How to Make Awesome SlideShares: Tips & TricksHow to Make Awesome SlideShares: Tips & Tricks
How to Make Awesome SlideShares: Tips & Tricks
 
Getting Started With SlideShare
Getting Started With SlideShareGetting Started With SlideShare
Getting Started With SlideShare
 

Semelhante a Era Vargas (20)

Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
Era vargas1
Era vargas1Era vargas1
Era vargas1
 
Era vargas1
Era vargas1Era vargas1
Era vargas1
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 
Aula do estagiario Eduardo
Aula do estagiario EduardoAula do estagiario Eduardo
Aula do estagiario Eduardo
 
Brasil aula sobre o período vargas
Brasil aula sobre o período vargasBrasil aula sobre o período vargas
Brasil aula sobre o período vargas
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 
Brasil era vargas (1930 - 1945) 2021
Brasil era vargas (1930 - 1945) 2021Brasil era vargas (1930 - 1945) 2021
Brasil era vargas (1930 - 1945) 2021
 
A Era Vargas
A Era VargasA Era Vargas
A Era Vargas
 
Aula 20 era vargas
Aula 20   era vargasAula 20   era vargas
Aula 20 era vargas
 
Brasil 1930 - 2010
Brasil 1930 - 2010Brasil 1930 - 2010
Brasil 1930 - 2010
 
A era vargas
A era vargasA era vargas
A era vargas
 
História republicana brasileira
História republicana brasileiraHistória republicana brasileira
História republicana brasileira
 
A Era Vargas 1930 -1945: Parte 2 - Governo
A Era Vargas 1930 -1945: Parte 2 - GovernoA Era Vargas 1930 -1945: Parte 2 - Governo
A Era Vargas 1930 -1945: Parte 2 - Governo
 
9° Ano - A era Vargas.ppt
9° Ano - A era Vargas.ppt9° Ano - A era Vargas.ppt
9° Ano - A era Vargas.ppt
 
Era Vargas e o Período Populista
Era Vargas e o Período PopulistaEra Vargas e o Período Populista
Era Vargas e o Período Populista
 
Brasil Era Vargas (1930 - 45)
Brasil Era Vargas (1930 - 45)Brasil Era Vargas (1930 - 45)
Brasil Era Vargas (1930 - 45)
 

Mais de Laércio Góes

Ecologia da comunicação e iconofagia
Ecologia da comunicação e iconofagiaEcologia da comunicação e iconofagia
Ecologia da comunicação e iconofagiaLaércio Góes
 
Ferramentas para reportagem multimídia
Ferramentas para reportagem multimídiaFerramentas para reportagem multimídia
Ferramentas para reportagem multimídiaLaércio Góes
 
Modelos de negócio no jornalismo digital
Modelos de negócio no jornalismo digitalModelos de negócio no jornalismo digital
Modelos de negócio no jornalismo digitalLaércio Góes
 
Paradigma midiológico
Paradigma midiológicoParadigma midiológico
Paradigma midiológicoLaércio Góes
 
Comunicação e linguagem
Comunicação e linguagemComunicação e linguagem
Comunicação e linguagemLaércio Góes
 
Infográfico Multimídia
Infográfico MultimídiaInfográfico Multimídia
Infográfico MultimídiaLaércio Góes
 
Jornalismo e fake news
Jornalismo e fake newsJornalismo e fake news
Jornalismo e fake newsLaércio Góes
 
Jornalismo e aplicativos móveis
Jornalismo e aplicativos móveisJornalismo e aplicativos móveis
Jornalismo e aplicativos móveisLaércio Góes
 
Pesquisa norte-americana - Teorias da comunicação
Pesquisa norte-americana - Teorias da comunicaçãoPesquisa norte-americana - Teorias da comunicação
Pesquisa norte-americana - Teorias da comunicaçãoLaércio Góes
 
Características do jornalismo digital
Características do jornalismo digitalCaracterísticas do jornalismo digital
Características do jornalismo digitalLaércio Góes
 
Reportagem multimídia
Reportagem multimídiaReportagem multimídia
Reportagem multimídiaLaércio Góes
 
Jornalismo e redes sociais
Jornalismo e redes sociaisJornalismo e redes sociais
Jornalismo e redes sociaisLaércio Góes
 
Teoria Crítica - Escola Frankfurt
Teoria Crítica - Escola FrankfurtTeoria Crítica - Escola Frankfurt
Teoria Crítica - Escola FrankfurtLaércio Góes
 
Multimidialidade no jornalismo
Multimidialidade no jornalismoMultimidialidade no jornalismo
Multimidialidade no jornalismoLaércio Góes
 
Aula - Movimentos sociais em rede
Aula - Movimentos sociais em redeAula - Movimentos sociais em rede
Aula - Movimentos sociais em redeLaércio Góes
 
Aula - Jornalismo sindical
Aula - Jornalismo sindicalAula - Jornalismo sindical
Aula - Jornalismo sindicalLaércio Góes
 
Aula - Comunicação popular, alternativa e comunitária
Aula - Comunicação popular, alternativa e comunitáriaAula - Comunicação popular, alternativa e comunitária
Aula - Comunicação popular, alternativa e comunitáriaLaércio Góes
 
Aula - Jornalismo ambiental
Aula - Jornalismo ambientalAula - Jornalismo ambiental
Aula - Jornalismo ambientalLaércio Góes
 

Mais de Laércio Góes (20)

Ecologia da comunicação e iconofagia
Ecologia da comunicação e iconofagiaEcologia da comunicação e iconofagia
Ecologia da comunicação e iconofagia
 
Semiótica
SemióticaSemiótica
Semiótica
 
Ferramentas para reportagem multimídia
Ferramentas para reportagem multimídiaFerramentas para reportagem multimídia
Ferramentas para reportagem multimídia
 
Modelos de negócio no jornalismo digital
Modelos de negócio no jornalismo digitalModelos de negócio no jornalismo digital
Modelos de negócio no jornalismo digital
 
Paradigma midiológico
Paradigma midiológicoParadigma midiológico
Paradigma midiológico
 
Comunicação e linguagem
Comunicação e linguagemComunicação e linguagem
Comunicação e linguagem
 
Infográfico Multimídia
Infográfico MultimídiaInfográfico Multimídia
Infográfico Multimídia
 
Jornalismo e fake news
Jornalismo e fake newsJornalismo e fake news
Jornalismo e fake news
 
Jornalismo e aplicativos móveis
Jornalismo e aplicativos móveisJornalismo e aplicativos móveis
Jornalismo e aplicativos móveis
 
Pesquisa norte-americana - Teorias da comunicação
Pesquisa norte-americana - Teorias da comunicaçãoPesquisa norte-americana - Teorias da comunicação
Pesquisa norte-americana - Teorias da comunicação
 
Características do jornalismo digital
Características do jornalismo digitalCaracterísticas do jornalismo digital
Características do jornalismo digital
 
Reportagem multimídia
Reportagem multimídiaReportagem multimídia
Reportagem multimídia
 
Jornalismo e redes sociais
Jornalismo e redes sociaisJornalismo e redes sociais
Jornalismo e redes sociais
 
Teoria Crítica - Escola Frankfurt
Teoria Crítica - Escola FrankfurtTeoria Crítica - Escola Frankfurt
Teoria Crítica - Escola Frankfurt
 
Multimidialidade no jornalismo
Multimidialidade no jornalismoMultimidialidade no jornalismo
Multimidialidade no jornalismo
 
Aula - Movimentos sociais em rede
Aula - Movimentos sociais em redeAula - Movimentos sociais em rede
Aula - Movimentos sociais em rede
 
Aula - Jornalismo sindical
Aula - Jornalismo sindicalAula - Jornalismo sindical
Aula - Jornalismo sindical
 
Aula - Comunicação popular, alternativa e comunitária
Aula - Comunicação popular, alternativa e comunitáriaAula - Comunicação popular, alternativa e comunitária
Aula - Comunicação popular, alternativa e comunitária
 
Aula - Jornalismo ambiental
Aula - Jornalismo ambientalAula - Jornalismo ambiental
Aula - Jornalismo ambiental
 
Aula - Perfil
Aula - PerfilAula - Perfil
Aula - Perfil
 

Último

A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...excellenceeducaciona
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;azulassessoriaacadem3
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...azulassessoriaacadem3
 
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...azulassessoriaacadem3
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...azulassessoriaacadem3
 
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Mary Alvarenga
 
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdfPlanejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdfCludiaFrancklim
 
Um círculo de Leitura Fada Oriana. Colmeias.pptx
Um círculo de Leitura Fada Oriana. Colmeias.pptxUm círculo de Leitura Fada Oriana. Colmeias.pptx
Um círculo de Leitura Fada Oriana. Colmeias.pptxColmeias
 
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...Prime Assessoria
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...azulassessoriaacadem3
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...azulassessoriaacadem3
 
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.Prime Assessoria
 
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médioElementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médioProfessor Belinaso
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...apoioacademicoead
 
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...Prime Assessoria
 
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIMSOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIMHisrelBlog
 

Último (20)

SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
 
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
 
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoriaAtividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
 
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
 
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
 
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdfPlanejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
 
Um círculo de Leitura Fada Oriana. Colmeias.pptx
Um círculo de Leitura Fada Oriana. Colmeias.pptxUm círculo de Leitura Fada Oriana. Colmeias.pptx
Um círculo de Leitura Fada Oriana. Colmeias.pptx
 
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
 
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
 
Namorar não és ser don .
Namorar não és ser don                  .Namorar não és ser don                  .
Namorar não és ser don .
 
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médioElementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
 
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIMSOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
 

Era Vargas

  • 1. Era Vargas Disciplina: Realidade Sócio-Econômica e Política Brasileira Prof.: Ms. Laércio Torres de Góes
  • 2. Governo Provisório (1930 – 34)  O novo governo aglutinou diversas forças sociais (oligarquias dissidentes, classe média, setores da burguesia urbana, sindicatos e o Exército).  As oligarquias não iriam mais exercer o papel hegemônico.  As disputas políticas abriram espaço para a intermediação pessoal de Getúlio Vargas.  As forças do novo governo estavam centradas nas lideranças tenentistas. Muitos foram nomeados interventores.
  • 3. Governo Provisório (1930 – 34)  Buscou reeditar a política de apoio ao café, através do Departamento Nacional do Café (DNC), em 1933, promovendo a compra e estocagem do produto.  Aproximação com a oligarquia paulista.  Crescimento expressivo da indústria nacional, principalmente nos setores têxtil e alimentar.  Nova época: início da mudança no modelo econômico. O país deixa de ser uma economia predominantemente agroexportadora.  Reforma educacional
  • 4. Governo Provisório (1930 – 34)  Populismo: Vargas acenava às classes trabalhadoras com reformas trabalhistas e benefícios.  Criação do Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio (novembro de 1930).  Criação de órgãos para arbitrar conflitos entre patrões e operários (Juntas de Conciliação e Julgamento).  Unicidade sindical  A legalidade de um sindicato dependia do reconhecimento ministerial.
  • 5. Governo Provisório (1930 – 34)  Revolução Constitucionalista (1932):  Oligarquia cafeeira questiona o poder de Getúlio Vargas.  Vargas nomeou um interventor paraibano (João Alberto) para São Paulo, o que desagradou os cafeeicultores.  Mesmo com a nomeação de um interventor paulista (Pedro de Toledo), a insatisfação continuava crescendo.  Frente Única Paulista: Partido Democrático (que rompe com o Governo Vargas) e o PRP.
  • 6. Governo Provisório (1930 – 34)  Revolução Constitucionalista (1932):  Propostas  Nomeação de interventor civil para São Paulo.  Volta do Estado de Direito.  Constituição para o país.  As promessas de redemocratização e convocação de uma assembleia constituinte eram vagas.
  • 7. Governo Provisório (1930 – 34)  Revolução Constitucionalista (1932):  A elite cafeeira paulista desejava retornar ao poder.  Em 09 de julho de 1932, São Paulo rompe com o Governo Vargas.  Alistamento de jovens da classe média paulista ao exército constitucionalista.  Não houve adesão do operariado paulista.  Mal equipados e após três meses de conflito, os paulistas se renderam.
  • 8. Governo Provisório (1930 – 34)  Constituição de 1934:  Vargas buscou uma composição política (acordo) com a oligarquia paulista.  Nacionalização progressiva das minas, jazidas minerais e quedas de água, julgadas básicas ou essenciais à defesa econômica ou militar do país.  Pluralidade e autonomia dos sindicatos.  Legislação trabalhista: proibição de diferença de salários para um mesmo trabalho por motivo de idade, sexo, nacionalidade ou estado civil; salário mínimo, regulamentação do trabalho das mulheres e dos menores; descanso semanal; férias remuneradas; indenização na despedida sem justa causa.  Educação: ensino primário gratuito e de frequência obrigatória; ensino religioso de frequência facultativa nas escolas públicas aberto a todas as confissões.
  • 9. Governo Provisório (1930 – 34)  Constituição de 1934:  Segurança nacional: Conselho Superior de Segurança Nacional, presidido pelo presidente da República e integrado pelos ministros e os chefes dos Estadosw-maiores do Exército e da Marinha.  Serviço militar obrigatório.  Incorporação do Código Eleitoral (1933): obrigatoriedade do voto, voto secreto e feminino, Justiça Eleitoral, “deputados classistas” eleitos pelos sindicatos.  Getúlio Vargas é eleito, em 15 de julho de 1934, pelo voto indireto da Assembleia Constituinte, presidente da república com mandato até 3 de maio de 1938.
  • 10. Governo Constitucional (1934 – 37)  Radicalização da política: fortalecimento das influências comunista e fascista (integralistas) entre os grupos políticos brasileiros. O liberalismo estava em crise.  Ação Integralista Brasileira (AIB): repudiavam a democracia liberal, a pluralidade partidária e a representação individual do cidadão.  Proposta: governo autoritário, chefiado por um líder autoritário, nacionalista (xenofobia).  Líder: Plínio Salgado.  Rejeitavam o comunismo, pois acreditavam na desigualdade entre os homens.  O símbolo do movimento era o Sigma (∑) e seus membros saudavam-se com um cumprimento tupi-guarani “anauê!”. Inspiravam-se no nazismo alemão.
  • 11. Governo Constitucional (1934 – 37)  Aliança Nacional Libertadora (ANL): rejeição ao fascismo, as desconfianças em relação à democracia liberal, mobilização popular, frente ampla liderada pelos comunistas.  Criada em março de 1935, contava com um número crescente de adeptos por todo o país.  Propostas da ANL:  Suspensão do pagamento da dívida externa e seu cancelamento unilateral. Nacionalização das empresas estrangeiras. Defesa das liberdades individuais. Combate ao fascismo. Criação de um governo popular Reforma agrária, com a manutenção da pequena e média propriedade.     
  • 12. Governo Constitucional (1934 – 37)  Crescia a defesa da revolução entre os seguidores da ANL. Para eles a revolução nasceria nos quartéis e o povo a seguiria.  O apelo revolucionário do movimento tornam-se justificativas para Vargas colocá-lo na ilegalidade.  Intentona Comunista (1935): a quartelada comunista foi derrotada e a adesão popular ao movimento não ocorreu.  Tentativa de golpe deu motivo para Vargas decretar o estado de sítio.
  • 13. Governo Constitucional (1934 – 37)  O golpe do Estado Novo (1937):  A disputa eleitoral de 1934 iniciou com três candidatos: Armando de Salles Oliveira (paulista, Partido Democrático), José Américo de Almeida (candidato do Governo Vargas, paraibano) e Plínio Salgado (candidato da AIB).  Góis Monteiro e Vargas conspiravam para um golpe.  Modelo de desenvolvimento industrial estatizante e ligado às Forças Armadas, cada vez mais atraídas pela ideia de uma ditadura.
  • 14. Governo Constitucional (1934 – 37)  O golpe do Estado Novo (1937):  O golpe militar recebia apoio dos governadores dos Estados.  O governo divulgou a existência de um falso plano, o Plano Cohen, redigido por um integralista, o Capitão Olympio de Mourão Filho, que previa uma revolução comunista.  O falso plano foi mais um pretexto para o golpe.  Em 10 de novembro de 1937,Vargas ordenou o fechamento do Congresso, a extinção dos partidos, a suspensão da campanha presidencial e da Constituição.
  • 15. Estado Novo (1937-1945)  Nova Constituição (a Polaca, 1937), com inspiração fascista:  Centralização política, com fortalecimento do Executivo.  Extinção do Legislativo, cujas funções passariam ao Executivo.  Subordinação do Judiciário ao Executivo.  Indicação dos governadores (interventores) dos Estados pelo presidente.  Legislação trabalhista.
  • 16. Estado Novo (1937-1945)  Intentona Integralista (1938): mantida à margem do Estado Novo, tentou derrubar Vargas.  Plínio Salgado foi enviado ao exílio e a AIB foi extinta.  Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP):  Enaltecer o governo e o presidente Controlar os meios de comunicação (censura prévia) Promoção de eventos culturais (de interesse nacional).    Construção da imagem de Getúlio como protetor dos trabalhadores e guia dos brasileiros.
  • 17. Estado Novo (1937-1945)  Departamento Administrativo do Serviço Público (DASP):  Aumento das atribuições do Estado brasileiro  Intervenção maior do Estado sobre a economia  Função de coordenar e controlar os serviços públicos  Aumento da eficiência dos serviços públicos.  Representou uma revolução no serviço público, tradicional reduto de nepotismo, favorecimentos e privilégios.
  • 18. Estado Novo (1937-1945)  O poder policial se fortaleceu, principalmente a Polícia Especial, chefiada por Filinto Müller.  Repressão aos opositores, principalmente, os comunistas (prisão e tortura).  Prisão de Luís Carlos Prestes (por dez anos).  Olga Benário, militante comunista, é presa e deportada para a Alemanha nazista. Estava grávida, sendo confinada num campo de concentração. Poucos anos depois foi assassinada numa câmara de gás.
  • 19. Estado Novo (1937-1945)  Aproximação de Vargas dos trabalhadores urbanos, configurando o populismo.  Concessões populares: introdução do salário mínimo, semana de 44 horas de trabalho, Consolidação das Leis do Trabalho (CLT - 1943), carteira profissional e férias remuneradas.  As reformas de Vargas distensionavam as relações entre operariado e burguesia, o que diminuía o ímpeto revolucionário dos trabalhadores.  Imposto Sindical (figura do pelego)  Criação de federações e confederações sindicais.  Criação da Justiça do Trabalho
  • 20. Estado Novo (1937-1945)  Intervenção do Estado na Economia:  Café: agroexportação não foi abandonada. O governo compra e queima excedentes para evitar queda nos preços.  Criação de Institutos para cuidar de diversos produtos: Instituto do Açúcar e do Álcool, Instituto do Mate e do Pinho, etc.  Prioridade: incentivo à industrialização.  Setores com presença do Estado: siderurgia, mineração, mecânica pesada, química e geração de energia, principalmente, hidrelétrica.  A Era Vargas é considera um período de modernização conservadora (industrialização num período de ditadura).
  • 21. Estado Novo (1937-1945)  Intervenção do Estado na Economia:  Nacionalismo: soberania da nação, para tornar-se menos dependente da economia estrangeira.  Primeiras empresa estatais (indústria de base:  Companhia Siderúrgica Nacional (CSN – 1941)  Companhia Vale do Rio Doce (CRVD – 1942)  Petrobras (1953)
  • 22. Estado Novo (1937-1945)  A posição do Governo Vargas pendia entre os aliados e o eixo (nazi-fascismo).  Os EUA enviam 20 milhões de dólares para a construção da Usina Siderúrgica de Volta Redonda, o que fez o Brasil pender para os Aliados na guerra.  1942: após o torpedeamento de vários navios brasileiros, o Governo Vargas declara guerra as forças do Eixo.  FEB (Força Expedicionária Brasileira) e FAB (Força Aérea Brasileira): 25 mil homens. Os brasileiros lutaram na Itália.  Americanos instalam base aérea em Natal (RN).
  • 23. Estado Novo (1937-1945)  Situação paradoxal: combatia-se a ditadura fascista na Europa, enquanto, no Brasil, mantinha-se um regime ditatorial, desgastado e inspirado no fascismo.  Góis Monteiro, aliado de Vargas no golpe do Estado Novo, passou a defender eleições democráticas.  Em 1943, estudantes universitários começaram a se mobilizar contra a ditadura, organizando a União Nacional dos Estudantes (UNE).  Vargas, pressionado, emite decreto possibilitando a criação de partidos políticos e marcando eleições para o final de 1945.
  • 24. Estado Novo (1937-1945)  O objetivo de Vargas era redemocratizar o país e se apresentar como um grande democrata.  Vargas organizou dois partidos: PTB (Partido Trabalhista Brasileiro), composto pelos sindicalistas varguistas) e PSD (Partido Social Democrático), formado pelos interventores e burocracia estatal.  Antiga oposição liberal, herdeira dos partidos democráticos estaduais, formou a União Democrática Nacional (UDN).  Queremismo: Vargas estimulava movimentos e comícios, onde repetia-se “Queremos Getúlio!”, o movimento envolveu os trabalhadores e, inclusive, o PCB.
  • 25. Estado Novo (1937-1945)  Com o temor de uma guinada à esquerda de Vargas, o General Góis Monteiro e o General Eurico Gaspar Dutra pressiona para que renuncie, colocando fim ao Estado Novo.  Vargas continuava um político influente, capaz de estabelecer as pautas da política nacional.  Os partidos PTB e PSD, em aliança, lançam o General Eurico Gaspar Dutra, que também recebeu o apoio de Getúlio Vargas, e foi eleito presidente.
  • 26. As muitas faces (fases) de Getúlio
  • 27. O rádio na Era Vargas  Em 1930, Getúlio Vargas instituiu a publicidade no rádio através de decreto-lei, em março de 1932.  Com o impulso da industrialização e a publicidade, a programação foi radicalmente transformada e associada ao entretenimento.  Implantação da censura pelo Estado Novo, em 1937, por Getúlio Vargas, organizada pelo Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP), criado em 1939.  As emissoras recebiam diariamente uma lista com a relação de todos os assuntos que não deveriam ser veiculados, e todas as matérias eram datilografadas e arquivadas para verificação pelos censores.  DIP organizou a propaganda do Governo Vargas. Criação da Hora do Brasil, em 1938. Divulgava atos presidenciais, notícias, informações oficiais para todo o Brasil. Modelo semelhante ao dos regimes fascistas.
  • 28. O rádio na Era Vargas  Com a implantação da publicidade, facilitou a criação de novos quadros, contratação de cantores e músicos populares, que se apresentavam antes apenas para divulgar seu trabalho: Lupicínio Rodrigues, Orlando Silva, Francisco Alves, Aracy de Almeida, Carmem Miranda, Silvio Caldas.  Época de Ouro: influenciador dos hábitos e costumes dos ouvintes.  Popularização dos programas de calouros e de auditório: Ary Barroso e César Ladeira.  Rádio Nacional - fenômeno dos auditórios assume características massivas: Paulo Gracindo, Manoel Barcelos e César de Alencar.  Rádio Nacional foi encampada por Getúlio Vargas, em 1940, como parte de seu projeto político de integração nacional.
  • 29. FIM