Centro Universitário Senac                  Priscila Aparecida de Souza - Design de Interface Digital - 4º Semestre       ...
Figura 2. Detalhe da Figura 1        Após ler esta parte, considerei dar atenção a uma série de mudanças no meu currículo ...
Uma outra sessão muito interessante, sobre repetição, foi a sessão sobre os   Petróglifos, comoo estranho réptil no topo d...
A parte sobre tipografia foi a mais demorada a ler, não pela extensão de teorias e conceitos, massim por ser uma área que ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Design para quem não é designer - Robin Williams

4.146 visualizações

Publicada em

Relatório sobre a leitura do livro de Robin Williams. Este é um ótimo livro, pra designers e não-designers. Resumido, simples e prático.
Vale a pena ler.
Este é um resumo de minha resenha deste livro, que não posso publicar por conter demasiadas informações do livro.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.146
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
51
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Design para quem não é designer - Robin Williams

  1. 1. Centro Universitário Senac Priscila Aparecida de Souza - Design de Interface Digital - 4º Semestre Relatório sobre a leitura do livro: ● Robin Williams ● Mesmo sendo o livro de Robin Williams um livro para iniciantes e não designers, creio quesua leitura deveria passar por todos os iniciantes nos ramos de design, gráfico, digital e etc. A estrutura deseu livro é crescente, começando com termos mais “fáceis” e assim evoluindo o grau de “dificuldade”. Éum livro completamente didático, possui exercícios no meio nas explicações, o autor chama de desafios,e no término de cada capítulo, um resumo para recapitular as teorias que ele apresentou. Durante a sualeitura, percebi que não é um livro para se ler página à página, a estratégia textual do autor “nos obriga”à voltar algumas páginas, algumas vezes por espontânea vontade. No final do livro ele faz quase que umarecapitulação geral, e ainda apresenta um exercício para o leitor pôr em prática tudo o que aprendeu, eposteriormente, o autor apresenta os resultados dos desafios, as respostas, o que de fato também nos fazfolhar o livro inúmeras vezes, sem trapacear! O livro todo é excelente, de fácil leitura, agradável, e bem simples, bem estruturado e separado,lembrou-me a estrutura do livro de Gilberto Strunck, Como criar identidades visuais para marcasde sucesso. Porém, algumas partes do livro me chamaram mais atenção que outras, como: as partessobre contraste, uma parte especial sobre repetição, e algumas partes sobre tipografia, aliás vale ressaltarque toda a segunda parte do livro trata somente de tipografia. A parte mais interessante sobre contraste, apresentada na Figura 1, traz o currículo como alvode atenção para uma bela diagramação. Figura 1. Contraste ● (WILLIAMS, Robin, P. 56)
  2. 2. Figura 2. Detalhe da Figura 1 Após ler esta parte, considerei dar atenção a uma série de mudanças no meu currículo que,infelizmente, se encaixava mais no exemplo de “não faça assim” do que o outro de “faça destaforma”, como mostra a Figura 3. Figura 3. . Contraste ● (WILLIAMS, Robin, P. 57)
  3. 3. Uma outra sessão muito interessante, sobre repetição, foi a sessão sobre os Petróglifos, comoo estranho réptil no topo da primeira página deste documento. Em geral podemos usar elementos repetitivos que nada têm a ver com o objetivo da página criada. Por exemplo, coloque alguns petróglifos ou alguns pássaros estranhos em um relatório. Escolha caracteres particularmente bonitos da fonte que estiver usando e coloque-os em tamanhos maiores, em cinza ou em uma segunda cor mais luminosa. Aplique-os em vários ângulos no seu material. É ótimo divertir-se. (WILLIAMS, Robin, P. 51) A Figura 4 ilustra este trecho do livro: Figura 4. Petróglifos ● (WILLIAMS, Robin, P. 51)
  4. 4. A parte sobre tipografia foi a mais demorada a ler, não pela extensão de teorias e conceitos, massim por ser uma área que não temos muito contato no nosso curso. A leitura deste livro despertou minha atenção e curiosidade, ganhei um olhar mais crítico, ecomo diria o autor, um olhar “consciente”. Com certeza este é mais um dos livros na minha lista dedesejos materiais a consumir, por enquanto tento me contentar com meus Scans. Fico muito feliz de aessa altura do curso, ter atingido o começo de meu objeto pela apreciação à leitura.Links de Apoio:http://www.traca.com.br/?mod=LV176194&origem=resultadodetalhadahttp://pt.wikipedia.org/wiki/Gilberto_Strunckhttp://sobredesign.wordpress.com/category/tipografia/page/2/Obs.: Os dados da atividade, como horário e data, estão presentes na ficha deacompanhamento, entregue pessoalmente no dia 23/11/07.

×