SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Baixar para ler offline
Foto: Gilberto Abelha
COMUNICAÇÃO DIDÁTICA:
A INTENCIONALIDADE PEDAGÓGICA
 COMO ESTRATÉGIA DE ENSINO E
AMBIENTAÇÃO DA APRENDIZAGEM



           Prof. Msc. Paulo Sérgio Negri
                  setenegri@hotmail.com
Intencionalidade...          Intenção...

           Consciência...

Desejo explícito : LOGO...
Entendemos       a    Intencionalidade
Pedagógica como sendo toda a ação
consciente, planejada e executada pelo
professor/educador,        acomodada
dentro    do    cenário    pedagógico,
determinado como espaço relacional,
dos que ensinam e dos que aprendem.
É a intenção direcionada que vai além
da transmissão pura de conteúdo pelo
conteúdo. Envolve, claramente, a
atitude    e     a     postura      do
professor/educador, além do domínio
de determinadas habilidades de ensino
capazes de conduzir o participante do
processo          a         aprender.
_____________________________
QUADRO COMPARATIVO COM ALGUNS EXEMPLOS
AÇÃO COM REPRODUÇÃO       AÇÃO COM INTENCIONALIDADE


• Dar aula              Constrói a aula: elaborar e reelaborar.

• Transmite conteúdos   Mediação entre os conteúdos e a
                        aprendizagem/significados.
• Reprodução            Dialética.

• Imitação              Consciência das habilidades.

• Aluno                 Agente central do processo.
• Previsto/Imprevisto   Planejamento flexível.

• Faz o necessário      Comprometimento/Veste a camisa.
• “Bico”                Profissão/Vocação.
AULA: OS ATORES NO ESPAÇO RELACIONAL

                  PERSONAGENS


• Professor/Educador     Fomentador do processo
                         ensino- aprendizagem.
                         ensino- aprendizagem.


• Aluno                  Agente participante do
                         processo. “Produto” final.
                         processo.           final.
AMBIENTAÇÃO


• As      relações   em cena determinam
positivamente    ou negativamente a AÇÃO-
                                    AÇÃO-
            atores.
REAÇÃO dos atores.

• O(s) mecanismo(s) desta relação são indicadores
para o efetivo processo de aprendizagem.
INDICADORES

  Cognitivo.
• Cognitivo.
  Desejo.
• Desejo.
                           humanas.
• Equilíbrio das dimensões humanas.
              pedagógica.
• Persuasão pedagógica.
                 Didática:            aproximação.
• Comunicação Didática: linguagem de aproximação.
          emocional.
• Afetivo emocional.
              aula:
• Fases da aula: Fase Inicial, Fase Intermediária ou de
                    Final.
Execução e Fase Final.
                                          ensino.
• Domínio das habilidades fundamentais de ensino.
                              alcance.
• Visão profissional de longo alcance.
A INTENCIONALIDADE PEDAGÓGICA
 COMO INSTRUMENTO DO “FAZER”
           DOCENTE
A) FASE INICIAL
ORGANIZAÇÃO.
ORGANIZAÇÃO
           aula.
Planejou a aula.
                  físico.
Preparou o espaço físico.
Verificou o recurso áudio visual e ser utilizado.
                                       utilizado.
          PEDAGÓGICA.
ESTRUTURA PEDAGÓGICA
                                     aula.
Esclareceu suficientemente o tema da aula.
                      aula.
Comunicou a missão da aula.
                                        aluno.
Vinculou o tema da aula ao cotidiano do aluno.
                         estratégias.
Ação didática prevista – estratégias.
                                                            aula.
Esclareceu suficientemente qual a avaliação prevista para a aula.
B) FASE INTERMEDIÁRIA OU DE
                  EXECUÇÃO


                  SELECIONADOS.
CONHECIMENTOS SELECIONADOS
Indicou dentro do tema da aula qual /quais conteúdos a serem
abordados.
abordados.
Os conteúdos foram estabelecidos nos níveis de dificuldade:
                                                  dificuldade:
                 complexo.
simples, médio e complexo.
                            transmitir.
Domínio do conteúdo / Soube transmitir.
AULA.
COMUNICAÇÃO DA AULA.
                      fluente:                             né,
Comunicação verbal fluente: sem agregados negativos (é, né, hã,
                  etc.
bom, a gente vai, etc.)
Uso correto e estimulador da voz (alto, baixo) expressão verbal
correta.
correta.
Comunicação não verbal (gestos de mãos, olhar, movimentos
           adequados:
oscilantes adequados: frente, atrás, direita, esquerda e recuo de
quadro).
quadro).
                                                     auto-
Ocupou o “Cenário Pedagógico” da aula com auto-controle
(segurança).
(segurança).
                                           Visuais.
Usou adequado e correto dos Recursos Áudio Visuais.
Exemplificou os conteúdos selecionados, facilitando            a
aprendizagem.
aprendizagem.
Estabeleceu um clima de harmonia que proporciona
interatividade com os alunos (pergunta, e dá oportunidade aos
                                  exemplos).
alunos de perguntarem, de darem exemplos).
Postura adequada (comportamento condizente com a função que
             exercer).
se pretende exercer).
Intencionalidade didática – Pedagógica (na fala, nos gestos, ao
administrar os conteúdos, no sorriso, na acolhida aos alunos com
                aprendizagem).
dificuldades de aprendizagem).
Imagem pessoal adequada (roupa condizente com a formalidade
                                                      alunos).
exigida, “adereços” que provocam sons e distraem os alunos).
Percepção do nível de aprendizagem dos alunos durante a
exposição do conteúdo previsto (pergunta aos alunos se eles
                                                    tranquilidade;
estão entendendo, responde dúvidas com tranquilidade;
estabeleceu um clima de liberdade para que a aprendizagem se
realize).
realize).
C) FASE FINAL


            AULA.
SÍNTESE DA AULA.
Ao término do conteúdo selecionado houve revisão, observando
                 existentes.
as dúvidas ainda existentes.
                                                       dúvidas.
Proporcionou tranquilidade aos alunos em elaborar suas dúvidas.
                                           aula.
Executou a avaliação prevista no início da aula.
Tempo - soube aproveitar o tempo estabelecido para a aula (sem
                                minutos).
ultrapassar ou sobrar em muitos minutos).
AULA.
FEEDBACK DA AULA.
Permitiu em diversos momentos da aula, especialmente na
síntese final, que os alunos demonstrassem se houve ou não
                                                  satisfatório).
aprendizagem e, em que nível (satisfatório / não satisfatório).
                              aula.
Indicou o tema para a próxima aula.
                                                           etc.
Saudação final (bom dia, tarde, noite, até a próxima aula, etc.).
CONCLUINDO...

A Intencionalidade Pedagógica não se
realiza isoladamente, se relaciona, interage,
reflete e exige uma postura aberta, com
papéis definidos para quem ensina e para
quem aprende.
É um “contrato” invisível, porém, consciente
e tem, NECESSARIAMENTE, que partir do
professor;
professor; ator regulador e mediador do
processo de ensino, provocando a
ambientação para que a aprendizagem se
                              eficaz.
realize de forma eficiente e eficaz.
Msc.
                     Prof. Msc. Paulo Sérgio Negri
                     setenegri@hotmail.com

                           Tel. (43) 8802-0386
                                (43) 3371-4145



Slides/Criação: Fernando Inácio
ferig77@hotmail.com
Tel. (43) 8816-7485
          8816-

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Motivação em sala de aula
Motivação em sala de aulaMotivação em sala de aula
Motivação em sala de aula
Roselene Rocha
 
Projeto de Intervenção
Projeto de IntervençãoProjeto de Intervenção
Projeto de Intervenção
moniquests
 
Plano de trabalho para Gestão Escolar
Plano de trabalho para Gestão EscolarPlano de trabalho para Gestão Escolar
Plano de trabalho para Gestão Escolar
Belister Paulino
 
Relatório de observação
Relatório de observaçãoRelatório de observação
Relatório de observação
Arte Tecnologia
 
Avaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagemAvaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagem
Gerdian Teixeira
 
Educação formal e não formal
Educação formal e não formalEducação formal e não formal
Educação formal e não formal
Ana Vilalva
 

Mais procurados (20)

Avaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagemAvaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagem
 
Motivação em sala de aula
Motivação em sala de aulaMotivação em sala de aula
Motivação em sala de aula
 
Projeto de Intervenção
Projeto de IntervençãoProjeto de Intervenção
Projeto de Intervenção
 
Formação para os Professores, Premissas: Excelência em Gestão, Corresponsabil...
Formação para os Professores, Premissas: Excelência em Gestão, Corresponsabil...Formação para os Professores, Premissas: Excelência em Gestão, Corresponsabil...
Formação para os Professores, Premissas: Excelência em Gestão, Corresponsabil...
 
Estagio supervisionado
Estagio supervisionado Estagio supervisionado
Estagio supervisionado
 
Tipos de avaliacao
Tipos de avaliacaoTipos de avaliacao
Tipos de avaliacao
 
Planejamento pedagógico
Planejamento pedagógicoPlanejamento pedagógico
Planejamento pedagógico
 
Avaliação Escolar
Avaliação EscolarAvaliação Escolar
Avaliação Escolar
 
Plano de trabalho para Gestão Escolar
Plano de trabalho para Gestão EscolarPlano de trabalho para Gestão Escolar
Plano de trabalho para Gestão Escolar
 
Educação Inclusiva
Educação Inclusiva Educação Inclusiva
Educação Inclusiva
 
Projeto de leitura. 1º ao 9º ano
Projeto de leitura. 1º ao 9º anoProjeto de leitura. 1º ao 9º ano
Projeto de leitura. 1º ao 9º ano
 
Aula nota 10 - 49 técnicas para ser um professor nota 10
Aula nota 10 - 49 técnicas para ser um professor nota 10Aula nota 10 - 49 técnicas para ser um professor nota 10
Aula nota 10 - 49 técnicas para ser um professor nota 10
 
Relatório de observação
Relatório de observaçãoRelatório de observação
Relatório de observação
 
Reunião com equipe_gestora_emei
Reunião com equipe_gestora_emeiReunião com equipe_gestora_emei
Reunião com equipe_gestora_emei
 
Plano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógicaPlano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógica
 
PPT encontro com Professores Coordenadores
PPT encontro com Professores CoordenadoresPPT encontro com Professores Coordenadores
PPT encontro com Professores Coordenadores
 
Avaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagemAvaliação da aprendizagem
Avaliação da aprendizagem
 
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries IniciaisRelatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
 
AVALIAÇÃO EDUCACIONAL: PESPECTIVIAS
AVALIAÇÃO EDUCACIONAL: PESPECTIVIASAVALIAÇÃO EDUCACIONAL: PESPECTIVIAS
AVALIAÇÃO EDUCACIONAL: PESPECTIVIAS
 
Educação formal e não formal
Educação formal e não formalEducação formal e não formal
Educação formal e não formal
 

Destaque

Teorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Teorias da Aprendizagem e Modelos PedagógicosTeorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Teorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Instituto Consciência GO
 
Intenções, como funciona?
Intenções, como funciona?Intenções, como funciona?
Intenções, como funciona?
Milton Moura
 
Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)
PamelaAschoff
 
Psicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagemPsicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagem
na educação
 
Metodologia e alfabetização
Metodologia e alfabetizaçãoMetodologia e alfabetização
Metodologia e alfabetização
cefaprodematupa
 
A intencionalidade mente corpo de john searle
A intencionalidade mente corpo de john searleA intencionalidade mente corpo de john searle
A intencionalidade mente corpo de john searle
melquisedeque Chagas
 
VersãO Projecto Autonomia E GestãO Aprovada Em Conselho De Ministros De 21 ...
VersãO Projecto Autonomia E GestãO Aprovada Em  Conselho De  Ministros De 21 ...VersãO Projecto Autonomia E GestãO Aprovada Em  Conselho De  Ministros De 21 ...
VersãO Projecto Autonomia E GestãO Aprovada Em Conselho De Ministros De 21 ...
José Matias Alves
 
Pensar o curriculo_de_arte_2013
Pensar o curriculo_de_arte_2013Pensar o curriculo_de_arte_2013
Pensar o curriculo_de_arte_2013
Andreia Carla Lobo
 
Aprendizagem e ensino as teorias pedagógicas da educação
Aprendizagem e ensino   as teorias pedagógicas da educaçãoAprendizagem e ensino   as teorias pedagógicas da educação
Aprendizagem e ensino as teorias pedagógicas da educação
Kelly Lima
 
Planejamento escolar um instrumento facilitador do trabalho docente
Planejamento escolar um instrumento facilitador do trabalho docentePlanejamento escolar um instrumento facilitador do trabalho docente
Planejamento escolar um instrumento facilitador do trabalho docente
UNEB
 
Ação humana - trabalho 1
Ação humana - trabalho 1Ação humana - trabalho 1
Ação humana - trabalho 1
Isaque Tomé
 
A acção humana a sua natureza e as suas condicionantes
A acção humana   a sua natureza e as suas condicionantesA acção humana   a sua natureza e as suas condicionantes
A acção humana a sua natureza e as suas condicionantes
Luis De Sousa Rodrigues
 

Destaque (20)

Tipos De Aprendizagem
Tipos De AprendizagemTipos De Aprendizagem
Tipos De Aprendizagem
 
Teorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Teorias da Aprendizagem e Modelos PedagógicosTeorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Teorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
 
Intenções, como funciona?
Intenções, como funciona?Intenções, como funciona?
Intenções, como funciona?
 
Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)
 
Psicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagemPsicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagem
 
Metodologia e alfabetização
Metodologia e alfabetizaçãoMetodologia e alfabetização
Metodologia e alfabetização
 
A atuação do pedagogo em espaços não escolares
A atuação do pedagogo em espaços não escolaresA atuação do pedagogo em espaços não escolares
A atuação do pedagogo em espaços não escolares
 
Concepcoes de alfabetizacao e letramento
Concepcoes de alfabetizacao e letramentoConcepcoes de alfabetizacao e letramento
Concepcoes de alfabetizacao e letramento
 
Experiência Pedagógica
Experiência PedagógicaExperiência Pedagógica
Experiência Pedagógica
 
A intencionalidade mente corpo de john searle
A intencionalidade mente corpo de john searleA intencionalidade mente corpo de john searle
A intencionalidade mente corpo de john searle
 
VersãO Projecto Autonomia E GestãO Aprovada Em Conselho De Ministros De 21 ...
VersãO Projecto Autonomia E GestãO Aprovada Em  Conselho De  Ministros De 21 ...VersãO Projecto Autonomia E GestãO Aprovada Em  Conselho De  Ministros De 21 ...
VersãO Projecto Autonomia E GestãO Aprovada Em Conselho De Ministros De 21 ...
 
Pensar o curriculo_de_arte_2013
Pensar o curriculo_de_arte_2013Pensar o curriculo_de_arte_2013
Pensar o curriculo_de_arte_2013
 
Alfabetização e Letramento: Uma prática pedagógica
Alfabetização e Letramento: Uma prática pedagógicaAlfabetização e Letramento: Uma prática pedagógica
Alfabetização e Letramento: Uma prática pedagógica
 
Aprendizagem e ensino as teorias pedagógicas da educação
Aprendizagem e ensino   as teorias pedagógicas da educaçãoAprendizagem e ensino   as teorias pedagógicas da educação
Aprendizagem e ensino as teorias pedagógicas da educação
 
Rotina da educação infantil
Rotina da educação infantilRotina da educação infantil
Rotina da educação infantil
 
Planejamento escolar um instrumento facilitador do trabalho docente
Planejamento escolar um instrumento facilitador do trabalho docentePlanejamento escolar um instrumento facilitador do trabalho docente
Planejamento escolar um instrumento facilitador do trabalho docente
 
Planejamento ed física
Planejamento ed físicaPlanejamento ed física
Planejamento ed física
 
Ação humana - trabalho 1
Ação humana - trabalho 1Ação humana - trabalho 1
Ação humana - trabalho 1
 
3. intencionalidade
3. intencionalidade3. intencionalidade
3. intencionalidade
 
A acção humana a sua natureza e as suas condicionantes
A acção humana   a sua natureza e as suas condicionantesA acção humana   a sua natureza e as suas condicionantes
A acção humana a sua natureza e as suas condicionantes
 

Semelhante a Intencionalidade pedagogica

Cepead tutoria em ea d
Cepead tutoria em ea dCepead tutoria em ea d
Cepead tutoria em ea d
cacildasr
 
Tipos de atividades
Tipos de atividadesTipos de atividades
Tipos de atividades
RubiaCP
 
TEACCH ESE word Sofia Pedrosa - PARA IMPRIMIR.ppt
TEACCH ESE word Sofia Pedrosa - PARA IMPRIMIR.pptTEACCH ESE word Sofia Pedrosa - PARA IMPRIMIR.ppt
TEACCH ESE word Sofia Pedrosa - PARA IMPRIMIR.ppt
Sandra Borges
 
Tutoria em EaD
Tutoria em EaDTutoria em EaD
Tutoria em EaD
cacildasr
 
Aee principios teoricos_e_praticos
Aee principios teoricos_e_praticosAee principios teoricos_e_praticos
Aee principios teoricos_e_praticos
marilethneves
 

Semelhante a Intencionalidade pedagogica (20)

Trabalho aderbal
Trabalho aderbalTrabalho aderbal
Trabalho aderbal
 
Cepead tutoria em ea d
Cepead tutoria em ea dCepead tutoria em ea d
Cepead tutoria em ea d
 
Ensino participativo na Escola Dominical
Ensino participativo na Escola DominicalEnsino participativo na Escola Dominical
Ensino participativo na Escola Dominical
 
Capítulo 7 e 8
Capítulo 7 e 8Capítulo 7 e 8
Capítulo 7 e 8
 
Avaliacao na aprendizagem
Avaliacao na aprendizagemAvaliacao na aprendizagem
Avaliacao na aprendizagem
 
Tipos de atividades
Tipos de atividadesTipos de atividades
Tipos de atividades
 
DIDÁTICA GERAL.pptx
DIDÁTICA GERAL.pptxDIDÁTICA GERAL.pptx
DIDÁTICA GERAL.pptx
 
Estudo e Planejamento1 ( REPLANEJAMENTO ESP).pdf
Estudo e Planejamento1 ( REPLANEJAMENTO ESP).pdfEstudo e Planejamento1 ( REPLANEJAMENTO ESP).pdf
Estudo e Planejamento1 ( REPLANEJAMENTO ESP).pdf
 
TEACCH ESE word Sofia Pedrosa - PARA IMPRIMIR.ppt
TEACCH ESE word Sofia Pedrosa - PARA IMPRIMIR.pptTEACCH ESE word Sofia Pedrosa - PARA IMPRIMIR.ppt
TEACCH ESE word Sofia Pedrosa - PARA IMPRIMIR.ppt
 
Tutoria em EaD
Tutoria em EaDTutoria em EaD
Tutoria em EaD
 
Sequencia didatica na educao infantil
Sequencia didatica na educao infantilSequencia didatica na educao infantil
Sequencia didatica na educao infantil
 
Aee principios teoricos_e_praticos
Aee principios teoricos_e_praticosAee principios teoricos_e_praticos
Aee principios teoricos_e_praticos
 
Escola Inclusiva
Escola InclusivaEscola Inclusiva
Escola Inclusiva
 
Planejamento escolar e sequências didáticas
Planejamento escolar e sequências didáticasPlanejamento escolar e sequências didáticas
Planejamento escolar e sequências didáticas
 
Acompanhamento de sala de aula
Acompanhamento de sala de aulaAcompanhamento de sala de aula
Acompanhamento de sala de aula
 
Planejamento escolar e sequências didáticas
Planejamento escolar e sequências didáticasPlanejamento escolar e sequências didáticas
Planejamento escolar e sequências didáticas
 
Capacitação de Ciências - 2ª parte
Capacitação de Ciências - 2ª parteCapacitação de Ciências - 2ª parte
Capacitação de Ciências - 2ª parte
 
As actividades de cada fase de aula
As actividades de cada fase de aulaAs actividades de cada fase de aula
As actividades de cada fase de aula
 
Inclusão escolar: desafios para a formação de professores alfabetizadores - P...
Inclusão escolar: desafios para a formação de professores alfabetizadores - P...Inclusão escolar: desafios para a formação de professores alfabetizadores - P...
Inclusão escolar: desafios para a formação de professores alfabetizadores - P...
 
Didática professores trânsito fácil1
Didática professores trânsito fácil1Didática professores trânsito fácil1
Didática professores trânsito fácil1
 

Último

ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
azulassessoria9
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
andreaLisboa7
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
sfwsoficial
 

Último (20)

livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 

Intencionalidade pedagogica

  • 2. COMUNICAÇÃO DIDÁTICA: A INTENCIONALIDADE PEDAGÓGICA COMO ESTRATÉGIA DE ENSINO E AMBIENTAÇÃO DA APRENDIZAGEM Prof. Msc. Paulo Sérgio Negri setenegri@hotmail.com
  • 3. Intencionalidade... Intenção... Consciência... Desejo explícito : LOGO...
  • 4. Entendemos a Intencionalidade Pedagógica como sendo toda a ação consciente, planejada e executada pelo professor/educador, acomodada dentro do cenário pedagógico, determinado como espaço relacional, dos que ensinam e dos que aprendem.
  • 5. É a intenção direcionada que vai além da transmissão pura de conteúdo pelo conteúdo. Envolve, claramente, a atitude e a postura do professor/educador, além do domínio de determinadas habilidades de ensino capazes de conduzir o participante do processo a aprender.
  • 6. _____________________________ QUADRO COMPARATIVO COM ALGUNS EXEMPLOS AÇÃO COM REPRODUÇÃO AÇÃO COM INTENCIONALIDADE • Dar aula Constrói a aula: elaborar e reelaborar. • Transmite conteúdos Mediação entre os conteúdos e a aprendizagem/significados. • Reprodução Dialética. • Imitação Consciência das habilidades. • Aluno Agente central do processo. • Previsto/Imprevisto Planejamento flexível. • Faz o necessário Comprometimento/Veste a camisa. • “Bico” Profissão/Vocação.
  • 7. AULA: OS ATORES NO ESPAÇO RELACIONAL PERSONAGENS • Professor/Educador Fomentador do processo ensino- aprendizagem. ensino- aprendizagem. • Aluno Agente participante do processo. “Produto” final. processo. final.
  • 8. AMBIENTAÇÃO • As relações em cena determinam positivamente ou negativamente a AÇÃO- AÇÃO- atores. REAÇÃO dos atores. • O(s) mecanismo(s) desta relação são indicadores para o efetivo processo de aprendizagem.
  • 9. INDICADORES Cognitivo. • Cognitivo. Desejo. • Desejo. humanas. • Equilíbrio das dimensões humanas. pedagógica. • Persuasão pedagógica. Didática: aproximação. • Comunicação Didática: linguagem de aproximação. emocional. • Afetivo emocional. aula: • Fases da aula: Fase Inicial, Fase Intermediária ou de Final. Execução e Fase Final. ensino. • Domínio das habilidades fundamentais de ensino. alcance. • Visão profissional de longo alcance.
  • 10. A INTENCIONALIDADE PEDAGÓGICA COMO INSTRUMENTO DO “FAZER” DOCENTE
  • 11. A) FASE INICIAL ORGANIZAÇÃO. ORGANIZAÇÃO aula. Planejou a aula. físico. Preparou o espaço físico. Verificou o recurso áudio visual e ser utilizado. utilizado. PEDAGÓGICA. ESTRUTURA PEDAGÓGICA aula. Esclareceu suficientemente o tema da aula. aula. Comunicou a missão da aula. aluno. Vinculou o tema da aula ao cotidiano do aluno. estratégias. Ação didática prevista – estratégias. aula. Esclareceu suficientemente qual a avaliação prevista para a aula.
  • 12. B) FASE INTERMEDIÁRIA OU DE EXECUÇÃO SELECIONADOS. CONHECIMENTOS SELECIONADOS Indicou dentro do tema da aula qual /quais conteúdos a serem abordados. abordados. Os conteúdos foram estabelecidos nos níveis de dificuldade: dificuldade: complexo. simples, médio e complexo. transmitir. Domínio do conteúdo / Soube transmitir.
  • 13. AULA. COMUNICAÇÃO DA AULA. fluente: né, Comunicação verbal fluente: sem agregados negativos (é, né, hã, etc. bom, a gente vai, etc.) Uso correto e estimulador da voz (alto, baixo) expressão verbal correta. correta. Comunicação não verbal (gestos de mãos, olhar, movimentos adequados: oscilantes adequados: frente, atrás, direita, esquerda e recuo de quadro). quadro). auto- Ocupou o “Cenário Pedagógico” da aula com auto-controle (segurança). (segurança). Visuais. Usou adequado e correto dos Recursos Áudio Visuais. Exemplificou os conteúdos selecionados, facilitando a aprendizagem. aprendizagem.
  • 14. Estabeleceu um clima de harmonia que proporciona interatividade com os alunos (pergunta, e dá oportunidade aos exemplos). alunos de perguntarem, de darem exemplos). Postura adequada (comportamento condizente com a função que exercer). se pretende exercer). Intencionalidade didática – Pedagógica (na fala, nos gestos, ao administrar os conteúdos, no sorriso, na acolhida aos alunos com aprendizagem). dificuldades de aprendizagem). Imagem pessoal adequada (roupa condizente com a formalidade alunos). exigida, “adereços” que provocam sons e distraem os alunos). Percepção do nível de aprendizagem dos alunos durante a exposição do conteúdo previsto (pergunta aos alunos se eles tranquilidade; estão entendendo, responde dúvidas com tranquilidade; estabeleceu um clima de liberdade para que a aprendizagem se realize). realize).
  • 15. C) FASE FINAL AULA. SÍNTESE DA AULA. Ao término do conteúdo selecionado houve revisão, observando existentes. as dúvidas ainda existentes. dúvidas. Proporcionou tranquilidade aos alunos em elaborar suas dúvidas. aula. Executou a avaliação prevista no início da aula. Tempo - soube aproveitar o tempo estabelecido para a aula (sem minutos). ultrapassar ou sobrar em muitos minutos).
  • 16. AULA. FEEDBACK DA AULA. Permitiu em diversos momentos da aula, especialmente na síntese final, que os alunos demonstrassem se houve ou não satisfatório). aprendizagem e, em que nível (satisfatório / não satisfatório). aula. Indicou o tema para a próxima aula. etc. Saudação final (bom dia, tarde, noite, até a próxima aula, etc.).
  • 17. CONCLUINDO... A Intencionalidade Pedagógica não se realiza isoladamente, se relaciona, interage, reflete e exige uma postura aberta, com papéis definidos para quem ensina e para quem aprende.
  • 18. É um “contrato” invisível, porém, consciente e tem, NECESSARIAMENTE, que partir do professor; professor; ator regulador e mediador do processo de ensino, provocando a ambientação para que a aprendizagem se eficaz. realize de forma eficiente e eficaz.
  • 19. Msc. Prof. Msc. Paulo Sérgio Negri setenegri@hotmail.com Tel. (43) 8802-0386 (43) 3371-4145 Slides/Criação: Fernando Inácio ferig77@hotmail.com Tel. (43) 8816-7485 8816-