Células e Tecidos

74.061 visualizações

Publicada em

Aula teórica de Imunologia: Células e Tecidos

Publicada em: Saúde e medicina, Tecnologia
4 comentários
20 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
74.061
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
448
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
904
Comentários
4
Gostaram
20
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Células e Tecidos

  1. 1. CÉLULAS E TECIDOS DO SISTEMA IMUNE
  2. 2. CÉLULAS DENDRÍTICAS <ul><li>Caracterizada pela sua intensa capacidade fagocítica e por possuir longas projeções de membrana </li></ul><ul><li>Expressam grandes quantidades de receptores para padrões moleculares associados a patógenos (PAMPs)] </li></ul><ul><li>Apresentam como marcador celular CD11. </li></ul><ul><li>Sua principal função é o reconhecimento inicial de antígenos, seu processamento e apresentação para Linfócitos T </li></ul>
  3. 3. CÉLULAS DENDRÍTICAS <ul><li>Duas subpopulações identificadas: Células Dendríticas Mielóides e Células Dendríticas Plasmocitóides </li></ul><ul><li>Mielóides: Células Dendríticas clássicas, responsáveis pela ativação dos Linfócitos T. Encontram-se distribuídas plor todos os tecidos linfóides, , e em diversos tecidos do organismos principalmente cutâneo e mucosas, aonde residem de uma forma ainda imatura. </li></ul><ul><li>Pele – células de Langerhans </li></ul><ul><li>Plasmocitóides – Distribuídas em diversos órgãos linfóides, mas em menor número do que as mielóides. Têm a função de combater infecções virais. </li></ul>
  4. 4. CÉLULAS DENDRÍTICAS <ul><li>Células dendríticas presentes no tecido podem reconhecer e aprisionar antígenos, e dessa forma irão se desligar do tecido nativo e concluir seu processo de maturação, enquanto migram para os linfonodos. </li></ul><ul><li>Receptores ligantes a manose, receptores Toll like... </li></ul><ul><li>Essas células vão então, nos linfonodos, juntamente com os antígeno que são drenados pela linfa num estado solúvel, iniciar a resposta adquirida a esse detemrinado agente infeccioso. </li></ul><ul><li>Células dendríticas interdigitais são residentes em linfonodos e são vistas como responsáveis por manter a memória imunológica. </li></ul>
  5. 5. CÉLULAS DENDRÍTICAS
  6. 6. CÉLULAS DENDRÍTICAS
  7. 7. Fagócitos Mononucleares <ul><li>Células especializadas na realização de fagocitose </li></ul><ul><li>Derivadas da medula óssea, são liberadas num estado imaturo e indiferenciado, completando sua maturação nos órgãos nos quais irão residir </li></ul><ul><li>Monócito – célula imatura, encontrada circulando no sangue, que apresenta núcleo em forma de feijão. </li></ul><ul><li>Quando monócitos se instalam nos tecidos e maturam, passam a ser chamados de MACRÓFAGOS. </li></ul><ul><li>Recebem nomes distintos de acordo com o tecido no qual se instalam: micróglia, no SNC, células de Kupffer no fígado; macrófagos alveolares no pulmao, e osteoclastos no tecido ósseo. </li></ul>
  8. 8. Fagócitos Mononucleares <ul><li>Função de eliminação de antígenos através do processo de fagocitose. </li></ul><ul><li>Possuem receptores de membrana altamente especializados que reconhecem moléculas estranhas ao organismo, ou mesmo moléculas ligadas a anticorpos e outras moléculas do sistema imunológico (complemento...) </li></ul><ul><li>Enzimas lisossomais são responsáveis pela destruição de antígenos no processo defagocitose (elastase, catepsinas...) </li></ul><ul><li>Produzem reativos intermediários do oxigênio (ROIs), através do processo de explosão respiratória, os quais podem oxidar e destruir microrganismos. (superóxidos, mieloperoxidase) </li></ul><ul><li>Óxido Nítrico – agindo em sinergia com superóxidos e mieloperoxidase, podendo destruir microrganismos tanto intra quanto extracelularmente. </li></ul>
  9. 9. MONÓCITO
  10. 10. MONÓCITO
  11. 11. MACRÓFAGO
  12. 12. MACRÓFAGO
  13. 13. MACRÓFAGO
  14. 14. Células NK <ul><li>São encontradas no sangue e no baço, sendo raras em outros tecidos linfóides. </li></ul><ul><li>Relacionadas aos linfócitos, mas não são da imunidade adquirida, e sim da inata, pois não reconhecem antígenos especificamente, e podem agir sem ativação prévia. </li></ul><ul><li>Conseguem reconhecer células infectadas com agentes intracelulares, e matar essas células principalmente por indução de apoptose </li></ul><ul><li>Também reconhecem células com mutações e possivelmente carcinogênicas, desempenhando grande papel no combate a tumores. </li></ul><ul><li>Reconhecem receptores que células em stress exibem (normalmente após infecção intracelular, ou mutação) </li></ul><ul><li>Também secretam citocinas, principalmente interferon gamma, que participará, de forma crucial, na ativação de linfócitos. </li></ul>
  15. 15. NATURAL KILLER
  16. 16. Granulócitos
  17. 17. GRANULÓCITOS
  18. 18. Neutrófilos <ul><li>Tipo de leucócito mais abundante no sangue </li></ul><ul><li>Participam da fase inicial das infecções </li></ul><ul><li>Possuem grânulos citoplasmáticos preenchidos com lisozima, colagenase e elastase. </li></ul><ul><li>Sua meia vida é muito curta, se dentro de seis horas não forem recrutados para sítios de infecção, acabam entrando em apoptose. </li></ul><ul><li>Agem principalmente por explosão respiratória, liberando enzimas e ROIs que vão agir diretamente sobre os microrganismos, além de possuírem intensa atividade fagocitária. </li></ul>
  19. 19. NEUTRÓFILO
  20. 20. Mastócitos e Basófilos <ul><li>Encontrados distribuídos pelos organismos inteiros, mas especialmente encontrados perto de vasos sanguíneos, terminações nervosas e abaixo dos epitélios. </li></ul><ul><li>Dois grupos de mastócitos: um encontrado nas mucosas do TGI e nos alvéolos, os quais possuem grânulos ricos em histamina. Outro encontrado nas cavidades serosas, pele e pulmões (de tecido conjuntivo), que além de possuírem alta quantidade de histamina, também produzem heparina, caboxipeptidases e proteases. </li></ul><ul><li>Basófilos são produzidos em quantidade muito baixa, e raramente são encontrados em tecidos, mas são rapidamente recrutados para sítios de infecção. Possuem grânulos citoplasmáticos muito semelhantes aos dos mastócitos. </li></ul><ul><li>Possuem função de defesa imediata, principalmente em mucosas, mas são freqüentemente envolvidos em casos de Hipersensibilidade Imediata (alergias) </li></ul>
  21. 21. BASÓFILO
  22. 22. MASTÓCITO
  23. 23. Eosinófilos <ul><li>Encontrados nos tratos respiratórios, intestinais e genitourinário. </li></ul><ul><li>Extremamente importantes na reação imunológica a helmintos. </li></ul><ul><li>Respondem a ação da eotaxina, produzida pelas células epiteliais em locais de reações inflamatórias. </li></ul><ul><li>Seus grânulos contêm: proteína básica maior (MBP), proteína hidrolases lisossômicas e proteína catiônica dos eosinófilos, as quais são extremamente tóxicas a diversos microrganismos e a helmintos. </li></ul><ul><li>Secretam também substâncias que vão induzir a migração de outros leucócitos para as regiões de inflamação. </li></ul>
  24. 24. EOSINÓFILO
  25. 25. Células do Sistema Imunológico Adquirido <ul><li>Possuem receptores que reconhecem especificamente moléculas estranhas ao organismo Linfócitos T – TCR Linfócitos B – Imunoglobulina de Membrana </li></ul><ul><li>Linfócitos: Dois tipos principais: Linfócitos T e Linfócitos B </li></ul><ul><li>Linfócitos B possuem imunoglobulinas em sua membrana, são capazes de produzirem anticorpos após serem ativados, e também podem reconhecer, processar e apresentar antígenos aos linfócitos T. Marcadores celulares CD19 e CD21. </li></ul><ul><li>Linfócitos T – Divididos em duas subpopulações principais: Linfócitos T auxiliares – possuem marcador celular CD4 Linfócitos T citotóxicos – possuem marcador celular CD8 Todos linfócitos T possuem marcador celular CD3 </li></ul>
  26. 26. Células do Sistema Imunológico Adquirido <ul><li>Linfócitos T Auxiliares – recebem apresentação de antígenos de células dendríticas, e ao serem ativados produzem diversos intermediários (citocinas) que vão apresentar diversas ações, tais como: </li></ul><ul><ul><li>Induzem o aumento da capacidade fagocítica de macrófagos </li></ul></ul><ul><ul><li>Induzem Linfócitos B a produzirem anticorpos </li></ul></ul><ul><ul><li>Ativam Linfócitos T citotóxicos </li></ul></ul><ul><ul><li>Ativam outros Linfócitos T Auxiliares </li></ul></ul>
  27. 28. Funções efetoras de linfócitos
  28. 29. Fases da Ativação dos Linfócitos
  29. 30. Linfócitos virgens e ativados
  30. 31. LINFÓCITOS
  31. 32. LINFÓCITOS
  32. 33. LINFÓCITOS
  33. 34. Ação dos Linfócitos T Citotóxicos
  34. 35. LINFÓCITOS T citotóxicos
  35. 37. Fases da Resposta Imune
  36. 38. ÓRGÃOS DO SISTEMA IMUNE
  37. 39. <ul><li>Divididos em dois tipos principais: </li></ul><ul><li>Órgãos linfóides primários: aonde ocorre a produção e/ou maturação das células do sistema imune – Medula óssea, Timo </li></ul><ul><li>Órgãos linfóides secundários: aonde ocorrem as respostas das células aos antígenos – Baço, linfonodos, sistema imune cutâneo, sistema imune de mucosas </li></ul>
  38. 40. MEDULA ÓSSEA <ul><li>Órgão gerador de todas as células sanguíneas </li></ul><ul><li>Sítio de maturação de Linfócitos B </li></ul><ul><li>Medula de costelas, vértebras, esterno e ossos ilíacos </li></ul><ul><li>Células estromais intermediadas de células-tronco precursoras </li></ul>
  39. 41. Hematopoiese Fatores de crescimento produzidos pelas células estromais e macrófagos
  40. 42. Timo <ul><li>Órgão de maturação de linfócitos T localizado na regiaõ do mediastino </li></ul><ul><li>Córtex externo intensamente corado em lâminas histológicas, medula interna mais clara – depende da população celular </li></ul><ul><li>Composto por linfócitos T em diversos estágios de maturação,macrófagos, células dendríticas tímicas. </li></ul>
  41. 43. TIMO
  42. 44. Maturação de Linf. T no Timo
  43. 45. Linfonodos <ul><li>Pontos de filtragem de antígenos na circulação linfática </li></ul><ul><li>Córtex externo, contendo aglomerados de linfócitos B (folículos linfóides, com LB virgens, e centros germinativos, com LB ativados) </li></ul><ul><li>Paracórtex – Presença de LT e de células fagocíticas </li></ul><ul><li>Medula – macrófagos e plasmócitos </li></ul>
  44. 46. LINFONODO
  45. 47. LINFONODO
  46. 48. Baço <ul><li>Órgão aonde ocorre filtragem de antígenos presentes na circulação sanguínea </li></ul><ul><li>Irrigado por uma artéria, denominada esplênica, que se subdivide progressivamente, penetrando na forma de arteríolas no órgão. </li></ul><ul><li>As arteríolas são compostas de folículos linfóides e centros germinativos, compondo a bainha periateriolar (PAL). </li></ul><ul><li>As PALs são cercadas de populações de linfócitos T e macrófagos, formando a Zona Marginal. PAL + Zona Marginal – Polpa Branca </li></ul><ul><li>As arteríolas terminam nos sinusóides, ricos em eritrócitos, linfócitos e macrófagos – Polpa Vermelha – terminam em vênulas que dream para a veia esplênica </li></ul>
  47. 49. BAÇO
  48. 50. Sistema Imune Cutâneo <ul><li>Composto principalmente de células de Langerhans epidérmicas (células dendríticas imaturas) e linfócitos T intra-epiteliais (maioria LTc) perivasculares. </li></ul>
  49. 51. Sistema Imune de Mucosas <ul><li>A superfície das mucosas do TGI e do trato respiratório possuem linfócitos e células fagocíticas com a função de defender o organismo de antígenos inalados ou ingeridos </li></ul><ul><li>Linfócitos T intra-epiteliais – compostos na maioria por LTc </li></ul><ul><li>Dispersos na lâmina própria, podem ser encontradas populações de LTh (interfoliculares), LB, plasmócitos e células fagocíticas. </li></ul><ul><li>Placas de Peyer – aglomerados de células do SI, principalmente LB e alguns LTh, presentes na lamina própria do intestino </li></ul>
  50. 52. PLACAS DE PEYER
  51. 53. PLACAS DE PEYER
  52. 54. PLACAS DE PEYER
  53. 55. Circulação Linfática
  54. 56. CIRCULAÇÃO LINFÁTICA
  55. 57. Recirculação de linfócitos
  56. 58. Recirculação de linfócitos

×