SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
Ciências Naturais
       Professor: Zairo Moreira
                   25/10/2012
   Animais exclusivamente marinhos;
   Dotados de endoesqueleto (endo =
    dentro) calcário muitas vezes provido de
    espinho;
   Sistema ambulacrário: locomoção,
    respiração, circulação, excreção e
    percepção animal;
   Alimentam-se de pequenos animais e
    algas;
   Possui tubo digestorio completo;

Equinodermos
 Respiração feita por brâquias e pés
  ambulacrários;
 Sexo são separados e do ovo sai uma
  larva que origina o adulto;
 Principais representantes: ouriços do
  mar, pepinos-do-mar, estrelas
  serpentes, lírios do mar, estrela do mar e
  bolachas de praia.
   Crianças brincando descalças em terrenos
    cheios de lixo e morando em barracos
    sem rede de esgotos e água limpa. Uma
    menina, entrevistada por um reporter, diz
    que “teve doença de bichinho”. A mãe
    dela completa dizendo que a menina
    sara, mas fica doente de novo: “não dá
    para fazer nada. É o jeito como agente
    mora”.



Platelmintos
   Verme – qualquer animal invertebrado
    que possui corpo alongado, fino e sem
    patas;
   Possuem corpo achatado;
   Apresentam orgãos definidos;
   Existem espécies que sobrevivem em
    ambientes terrestres úmidos;
   Principais representantes:
Planária
 Possuem manchas ocelares (olhos muitos
  simples – não há percepção de imagens.
  Somente luz);
 São hemafroditas;
 Reprodução sexuada: necessita de dois
  indivíduos para que ocorra;
 Reprodução assexuada: cada pedaço
  forma um novo ser.
Tênia ou Solitária
   Parasita que passa parte de seu ciclo de
    vida no intestino delgado;
   Pode atingir até 12 m de comprimento;
   Formada por uma cabeça (escólex) e um
    grande número de anéis corporais
    (proglótes);
   São hemafroditas e fazem
    autofecundação;
   Ciclo da tenia.
Esquitossomo
 Possuem sexos diferentes: o macho
  costuma carregar a fêmea num canal de
  seu corpo, que abandona na postura de
  ovos;
 Vivem na veia do fígado e do intestino
  delgado;
 Ovos são eliminados nas fezes;
 Ciclo do esquistossomo;
   Tem corpo muito fino em forma de fio;
   Nem todos são parasitas;
   Muitos são microscópicos e outros
    possuem milímetros de comprimento;
   Corpo tem forma delgada, pontas afiladas
    e musculatura desenvolvida, que os torna
    capazes de dar chicotadas no ar;
   Possuem tubo digestório completo
    composto por boca e ânus;
   Principais componentes:

Nematóides
Lombriga
 Podem medir entre 15 e 40 cm de
  comprimento;
 Os vermes adultos vivem no intestino
  delgado do homem.
 Podem eliminar mais de 200 mil ovos por
  dia (fezes);
 Pode causar problemas no pulmão e em
  outros
  orgãos, enjôo, cólicas, emagecimento, ent
  re outros.
Ancilostomo e Néctor
 Fixa no intestino delgado com os “dentes”
  e perfura a parede do intestino, atinge os
  vasos sanguíneos e alimenta-se do
  sangue das pessoas;
 Pode causar anemia e a pessoa fica com a
  pele pálida;
Oxiuro
Filária
Bicho-geográfico
 Anelídeos: formados por anel;
 Principais representantes:
  minhocas, Sanguessuga, Poliqueta;




Anelídeos
Minhoca
   Musculatura pode contrair-se
    separadamente;
   Superfície possui cerdas que funciona
    como ganchos;
   Alimentam-se de detritos orgânicos;
   Respiração cutânea;
   São hemafroditas mas não reproduzem
    sozinhas;
   As minhocas fazem com que o solo se
    torne mais fértil, por causa da melhor
    circulação do ar e aumento da entrada de
    água;
Outros anelídeos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Invertebrados
InvertebradosInvertebrados
Invertebrados
 
Reino animal i
Reino animal iReino animal i
Reino animal i
 
Reino Animalia (Metazoa)
Reino Animalia (Metazoa)Reino Animalia (Metazoa)
Reino Animalia (Metazoa)
 
Cordados
CordadosCordados
Cordados
 
Poríferos, Cnidários e Platelmintos
Poríferos, Cnidários e PlatelmintosPoríferos, Cnidários e Platelmintos
Poríferos, Cnidários e Platelmintos
 
Cordados
CordadosCordados
Cordados
 
Os Poríferos
Os PoríferosOs Poríferos
Os Poríferos
 
Vertebrados
VertebradosVertebrados
Vertebrados
 
Poríferos e cnidários
Poríferos e cnidáriosPoríferos e cnidários
Poríferos e cnidários
 
Aula platelmintos e nematelmintos
Aula  platelmintos e nematelmintosAula  platelmintos e nematelmintos
Aula platelmintos e nematelmintos
 
Poríferos e Cnidários
Poríferos e CnidáriosPoríferos e Cnidários
Poríferos e Cnidários
 
Aula de Biologia - Vertebrados (Peixes e Anfíbios) - 2° Ano Ensino Médio
Aula de Biologia - Vertebrados (Peixes e Anfíbios) - 2° Ano Ensino MédioAula de Biologia - Vertebrados (Peixes e Anfíbios) - 2° Ano Ensino Médio
Aula de Biologia - Vertebrados (Peixes e Anfíbios) - 2° Ano Ensino Médio
 
Moluscos
MoluscosMoluscos
Moluscos
 
O reino animal
O reino animalO reino animal
O reino animal
 
Reino animalia pdf
Reino animalia pdfReino animalia pdf
Reino animalia pdf
 
Zoologia: Platelmintos
Zoologia: PlatelmintosZoologia: Platelmintos
Zoologia: Platelmintos
 
Reino Animalia - Poríferos e cnidários
Reino Animalia - Poríferos e cnidáriosReino Animalia - Poríferos e cnidários
Reino Animalia - Poríferos e cnidários
 
Poríferos, Cnidários e Platelmintos
Poríferos, Cnidários e PlatelmintosPoríferos, Cnidários e Platelmintos
Poríferos, Cnidários e Platelmintos
 
Invertebrados
InvertebradosInvertebrados
Invertebrados
 
Filo annelida
Filo annelidaFilo annelida
Filo annelida
 

Destaque

Patologia seudo hermafroditismo
Patologia seudo hermafroditismoPatologia seudo hermafroditismo
Patologia seudo hermafroditismoMonik Daniela
 
Sexualidade Humana - Formação do Sexo
Sexualidade Humana - Formação do SexoSexualidade Humana - Formação do Sexo
Sexualidade Humana - Formação do SexoAndreaSchaf
 
Doenças genéticas: Síndromes
Doenças genéticas: SíndromesDoenças genéticas: Síndromes
Doenças genéticas: SíndromesMatheus Fellipe
 
Mutações e Aberrações Cromossômicas - Síndrome de Down
Mutações e Aberrações Cromossômicas - Síndrome de DownMutações e Aberrações Cromossômicas - Síndrome de Down
Mutações e Aberrações Cromossômicas - Síndrome de DownIbrain A. Pires
 
Estados intersexuales
Estados intersexualesEstados intersexuales
Estados intersexualesJess Sam
 
Síndromes e doenças genéticas
Síndromes e doenças genéticasSíndromes e doenças genéticas
Síndromes e doenças genéticasAíza Soares
 
Aberrações cromossômicas
Aberrações cromossômicasAberrações cromossômicas
Aberrações cromossômicasCarolina Azevedo
 
Alterações cromossomiais
Alterações cromossomiaisAlterações cromossomiais
Alterações cromossomiaisDalu Barreto
 
Mutações cromossômicas
Mutações cromossômicasMutações cromossômicas
Mutações cromossômicasThiago Faria
 
Hermafroditismo verdadeiro
Hermafroditismo verdadeiroHermafroditismo verdadeiro
Hermafroditismo verdadeiroProf Paula
 
Trabalho Hermafroditismo G2
Trabalho Hermafroditismo G2Trabalho Hermafroditismo G2
Trabalho Hermafroditismo G2Daniel Sousa
 
Hermafrodita
HermafroditaHermafrodita
HermafroditaPelo Siro
 

Destaque (20)

Ambigüedad genital
Ambigüedad genitalAmbigüedad genital
Ambigüedad genital
 
Patologia seudo hermafroditismo
Patologia seudo hermafroditismoPatologia seudo hermafroditismo
Patologia seudo hermafroditismo
 
Genitales ambiguos
Genitales ambiguosGenitales ambiguos
Genitales ambiguos
 
Aberracoes cromossomicas
Aberracoes cromossomicasAberracoes cromossomicas
Aberracoes cromossomicas
 
Sexualidade Humana - Formação do Sexo
Sexualidade Humana - Formação do SexoSexualidade Humana - Formação do Sexo
Sexualidade Humana - Formação do Sexo
 
Aula aberracoes cromossomicas
Aula aberracoes cromossomicasAula aberracoes cromossomicas
Aula aberracoes cromossomicas
 
Doenças genéticas: Síndromes
Doenças genéticas: SíndromesDoenças genéticas: Síndromes
Doenças genéticas: Síndromes
 
Mutações e Aberrações Cromossômicas - Síndrome de Down
Mutações e Aberrações Cromossômicas - Síndrome de DownMutações e Aberrações Cromossômicas - Síndrome de Down
Mutações e Aberrações Cromossômicas - Síndrome de Down
 
Doenças Cromossómicas
Doenças CromossómicasDoenças Cromossómicas
Doenças Cromossómicas
 
Estados intersexuales
Estados intersexualesEstados intersexuales
Estados intersexuales
 
Hermafroditismo
HermafroditismoHermafroditismo
Hermafroditismo
 
Hermafroditismo
HermafroditismoHermafroditismo
Hermafroditismo
 
Síndromes e doenças genéticas
Síndromes e doenças genéticasSíndromes e doenças genéticas
Síndromes e doenças genéticas
 
2º ano
2º ano2º ano
2º ano
 
Aberrações cromossômicas
Aberrações cromossômicasAberrações cromossômicas
Aberrações cromossômicas
 
Alterações cromossomiais
Alterações cromossomiaisAlterações cromossomiais
Alterações cromossomiais
 
Mutações cromossômicas
Mutações cromossômicasMutações cromossômicas
Mutações cromossômicas
 
Hermafroditismo verdadeiro
Hermafroditismo verdadeiroHermafroditismo verdadeiro
Hermafroditismo verdadeiro
 
Trabalho Hermafroditismo G2
Trabalho Hermafroditismo G2Trabalho Hermafroditismo G2
Trabalho Hermafroditismo G2
 
Hermafrodita
HermafroditaHermafrodita
Hermafrodita
 

Semelhante a Ciências naturais zairo

Semelhante a Ciências naturais zairo (20)

Animais Invertebrados
Animais InvertebradosAnimais Invertebrados
Animais Invertebrados
 
Invertebrados
InvertebradosInvertebrados
Invertebrados
 
Invertebrados
InvertebradosInvertebrados
Invertebrados
 
Reino animal invertebrados
Reino animal   invertebradosReino animal   invertebrados
Reino animal invertebrados
 
Reino Animalia
Reino Animalia Reino Animalia
Reino Animalia
 
Artropodes
ArtropodesArtropodes
Artropodes
 
Artópodes e Equinodermos
Artópodes e EquinodermosArtópodes e Equinodermos
Artópodes e Equinodermos
 
Aula 7º ano - Reino Animalia (invertebrados)
Aula 7º ano - Reino Animalia (invertebrados)Aula 7º ano - Reino Animalia (invertebrados)
Aula 7º ano - Reino Animalia (invertebrados)
 
Animais invertebrados (mazza)
Animais invertebrados (mazza)Animais invertebrados (mazza)
Animais invertebrados (mazza)
 
Zoo 1 de poríferos a nematelmintos
Zoo 1    de poríferos a nematelmintosZoo 1    de poríferos a nematelmintos
Zoo 1 de poríferos a nematelmintos
 
001678868.pdf
001678868.pdf001678868.pdf
001678868.pdf
 
Aula invertebrados
Aula invertebradosAula invertebrados
Aula invertebrados
 
Plat Nemat Anelidae
Plat Nemat AnelidaePlat Nemat Anelidae
Plat Nemat Anelidae
 
Invertebrados marinhos 1o b
Invertebrados marinhos 1o bInvertebrados marinhos 1o b
Invertebrados marinhos 1o b
 
Filo platelminto
Filo platelmintoFilo platelminto
Filo platelminto
 
Platelmintos.pdf
Platelmintos.pdfPlatelmintos.pdf
Platelmintos.pdf
 
Poliferos e Cnidários.pptx
Poliferos e Cnidários.pptxPoliferos e Cnidários.pptx
Poliferos e Cnidários.pptx
 
Porif cnida plat
Porif cnida platPorif cnida plat
Porif cnida plat
 
1º estudo de ciências – 7º ano – setembro
1º estudo de ciências   – 7º ano – setembro 1º estudo de ciências   – 7º ano – setembro
1º estudo de ciências – 7º ano – setembro
 
Vertebrados
VertebradosVertebrados
Vertebrados
 

Mais de laboratório de informática cef15 (15)

Geometria
Geometria Geometria
Geometria
 
Cícero Felipe
Cícero FelipeCícero Felipe
Cícero Felipe
 
Carolinny 6F
Carolinny 6FCarolinny 6F
Carolinny 6F
 
Trabalho em dupla zoológico3
Trabalho em dupla zoológico3Trabalho em dupla zoológico3
Trabalho em dupla zoológico3
 
Animais 7 ano B
Animais 7 ano BAnimais 7 ano B
Animais 7 ano B
 
Ciências naturais moluscos zairo
Ciências naturais   moluscos zairoCiências naturais   moluscos zairo
Ciências naturais moluscos zairo
 
Evolução da Tecnologia
Evolução da TecnologiaEvolução da Tecnologia
Evolução da Tecnologia
 
Eq. 2º grau Rodrigo
Eq. 2º grau RodrigoEq. 2º grau Rodrigo
Eq. 2º grau Rodrigo
 
Carboidratos 7ª série
Carboidratos 7ª sérieCarboidratos 7ª série
Carboidratos 7ª série
 
Apresentação de colocação pronominal
Apresentação de colocação pronominalApresentação de colocação pronominal
Apresentação de colocação pronominal
 
China – o dragão asiático3
China – o dragão asiático3China – o dragão asiático3
China – o dragão asiático3
 
Violência nas escolas palestra para crianças
Violência nas escolas palestra para criançasViolência nas escolas palestra para crianças
Violência nas escolas palestra para crianças
 
Sais (2)
Sais (2)Sais (2)
Sais (2)
 
Oxidos (3)
Oxidos (3)Oxidos (3)
Oxidos (3)
 
Acidos e bases (1)
Acidos e bases (1)Acidos e bases (1)
Acidos e bases (1)
 

Ciências naturais zairo

  • 1. Ciências Naturais Professor: Zairo Moreira 25/10/2012
  • 2. Animais exclusivamente marinhos;  Dotados de endoesqueleto (endo = dentro) calcário muitas vezes provido de espinho;  Sistema ambulacrário: locomoção, respiração, circulação, excreção e percepção animal;  Alimentam-se de pequenos animais e algas;  Possui tubo digestorio completo; Equinodermos
  • 3.  Respiração feita por brâquias e pés ambulacrários;  Sexo são separados e do ovo sai uma larva que origina o adulto;  Principais representantes: ouriços do mar, pepinos-do-mar, estrelas serpentes, lírios do mar, estrela do mar e bolachas de praia.
  • 4.
  • 5.
  • 6. Crianças brincando descalças em terrenos cheios de lixo e morando em barracos sem rede de esgotos e água limpa. Uma menina, entrevistada por um reporter, diz que “teve doença de bichinho”. A mãe dela completa dizendo que a menina sara, mas fica doente de novo: “não dá para fazer nada. É o jeito como agente mora”. Platelmintos
  • 7. Verme – qualquer animal invertebrado que possui corpo alongado, fino e sem patas;  Possuem corpo achatado;  Apresentam orgãos definidos;  Existem espécies que sobrevivem em ambientes terrestres úmidos;  Principais representantes:
  • 9.  Possuem manchas ocelares (olhos muitos simples – não há percepção de imagens. Somente luz);  São hemafroditas;  Reprodução sexuada: necessita de dois indivíduos para que ocorra;  Reprodução assexuada: cada pedaço forma um novo ser.
  • 11. Parasita que passa parte de seu ciclo de vida no intestino delgado;  Pode atingir até 12 m de comprimento;  Formada por uma cabeça (escólex) e um grande número de anéis corporais (proglótes);  São hemafroditas e fazem autofecundação;  Ciclo da tenia.
  • 13.  Possuem sexos diferentes: o macho costuma carregar a fêmea num canal de seu corpo, que abandona na postura de ovos;  Vivem na veia do fígado e do intestino delgado;  Ovos são eliminados nas fezes;  Ciclo do esquistossomo;
  • 14. Tem corpo muito fino em forma de fio;  Nem todos são parasitas;  Muitos são microscópicos e outros possuem milímetros de comprimento;  Corpo tem forma delgada, pontas afiladas e musculatura desenvolvida, que os torna capazes de dar chicotadas no ar;  Possuem tubo digestório completo composto por boca e ânus;  Principais componentes: Nematóides
  • 16.  Podem medir entre 15 e 40 cm de comprimento;  Os vermes adultos vivem no intestino delgado do homem.  Podem eliminar mais de 200 mil ovos por dia (fezes);  Pode causar problemas no pulmão e em outros orgãos, enjôo, cólicas, emagecimento, ent re outros.
  • 18.  Fixa no intestino delgado com os “dentes” e perfura a parede do intestino, atinge os vasos sanguíneos e alimenta-se do sangue das pessoas;  Pode causar anemia e a pessoa fica com a pele pálida;
  • 22.
  • 23.  Anelídeos: formados por anel;  Principais representantes: minhocas, Sanguessuga, Poliqueta; Anelídeos
  • 25. Musculatura pode contrair-se separadamente;  Superfície possui cerdas que funciona como ganchos;  Alimentam-se de detritos orgânicos;  Respiração cutânea;  São hemafroditas mas não reproduzem sozinhas;  As minhocas fazem com que o solo se torne mais fértil, por causa da melhor circulação do ar e aumento da entrada de água;