Nome:Larissa de Souza n:21Nome:Larissa de Souza n:21
Apresentacao dos 10 livrosApresentacao dos 10 livros
Gabriela Cravo e canelaGabriela Cravo e canela
 Uma curta metragemUma curta metragem
sobre o livrosobre o livro
http://ww...
Resenha do livro 1:Gabriela Cravo eResenha do livro 1:Gabriela Cravo e
canelacanela
 Em terra de adaptações duvidosas, qu...
Sitio do pica pau amareloSitio do pica pau amarelo
 Curta metragem:Curta metragem:
http://www.http://www.youtubeyoutube.....
Resenha do livro:Sitio do pica pauResenha do livro:Sitio do pica pau
amarelo.amarelo.
 Viagem ao Céu - Dona Benta que se ...
A moreninha.A moreninha.
 FotoFoto
novela:http://www.youtnovela:http://www.yout
ube.com/watch?ube.com/watch?
v=d9U50bM9tg...
Resenha do livro a moreninha .Resenha do livro a moreninha .
 Resenha:Essa semana resolvi escrever sobre um livro que já ...
Morangos mofadosMorangos mofados
 CurtaCurta
metragem:http://www.ymetragem:http://www.y
outube.com/watch?outube.com/watch...
Resenha do livro Morangos mofadosResenha do livro Morangos mofados
 É um livro que, do modo particular, retrata os sentim...
Escrava IsauraEscrava Isaura
 CurtaCurta
metragem:http://www.ymetragem:http://www.y
outube.com/watch?outube.com/watch?
v=...
Resenha do livro escrava IsauraResenha do livro escrava Isaura
 O Livro "A Escrava Isaura", escrito por Bernardo Guimarãe...
O cortiçoO cortiço
 CurtaCurta
metragem:http://www.ymetragem:http://www.y
outube.com/watch?outube.com/watch?
v=kR767i873Y...
Resenha do livro:o cortiçoResenha do livro:o cortiço
 OO livrolivro OO CortiçoCortiço é um livro de romance que marcou o ...
O tempo eo ventoO tempo eo vento
 CurtaCurta
metragem:http://www.ymetragem:http://www.y
outube.com/watch?outube.com/watch...
Resenha do livro: O tempo eo ventoResenha do livro: O tempo eo vento
 O episódio deO episódio de Ana TerraAna Terra apare...
O guaraniO guarani
 CurtaCurta
metragem:http://www.ymetragem:http://www.y
outube.com/watch?outube.com/watch?
v=nqLC-jzsyj...
Resenha do livro o guaraniResenha do livro o guarani
 O GuaraniO Guarani
O Guarani foi o primeiro romance indianista escr...
As metamorfosesAs metamorfoses
CurtaCurta
metragem:http://www.ymetragem:http://www.y
outube.com/watch?outube.com/watch?
v=...
Resenha do livro:as metamorfosesResenha do livro:as metamorfoses
 Em poucas páginas, em um estilo ousado e objetivo, Kafk...
O quinzeO quinze
 CurtaCurta
metragem:http://www.ymetragem:http://www.y
outube.com/watch?outube.com/watch?
v=fTI5gG8ngNkv...
Resenha do livro O quinzeResenha do livro O quinze
 O quinze é a descrição da vida de retirantes cearenses que sofrem com...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

trabalho de lingua portuguesa -Larissa de souza

595 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
595
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

trabalho de lingua portuguesa -Larissa de souza

  1. 1. Nome:Larissa de Souza n:21Nome:Larissa de Souza n:21 Apresentacao dos 10 livrosApresentacao dos 10 livros
  2. 2. Gabriela Cravo e canelaGabriela Cravo e canela  Uma curta metragemUma curta metragem sobre o livrosobre o livro http://www.youtube.com/watch?v=u5A-ZPHlKUMhttp://www.youtube.com/watch?v=u5A-ZPHlKUM ..  Capa:Capa:
  3. 3. Resenha do livro 1:Gabriela Cravo eResenha do livro 1:Gabriela Cravo e canelacanela  Em terra de adaptações duvidosas, quem leu o livro adaptado é rei. No próximo ano, mais uma vez os leitores viverão a incerteza da fidelidade dos filmes adaptados às obrasEm terra de adaptações duvidosas, quem leu o livro adaptado é rei. No próximo ano, mais uma vez os leitores viverão a incerteza da fidelidade dos filmes adaptados às obras literárias. Dentre as adaptações cinematográficas esperadas para 2013, estãoliterárias. Dentre as adaptações cinematográficas esperadas para 2013, estão Em chamasEm chamas (Suzanne Collins),(Suzanne Collins), O HobbitO Hobbit (J.R.R. Tolkien),(J.R.R. Tolkien),Percy Jackson e o Mar dePercy Jackson e o Mar de MonstrosMonstros (Rick Riordan),(Rick Riordan), Os MiseráveisOs Miseráveis (Victor Hugo) e(Victor Hugo) e A HospedeiraA Hospedeira(Stephenie Meyer). É uma lista de adaptações que, dependendo do resultado, podem destruir sonhos e(Stephenie Meyer). É uma lista de adaptações que, dependendo do resultado, podem destruir sonhos e lares em grande quantidade pelo mundo. Mas se por um lado está a completa descaracterização dos personagens (lares em grande quantidade pelo mundo. Mas se por um lado está a completa descaracterização dos personagens (verver JustinJustin BieberBieber cotado para viver Christiancotado para viver Christian GreyGrey nos cinemasnos cinemas), pelo outro está a porta de entrada para a literatura a partir do cinema.), pelo outro está a porta de entrada para a literatura a partir do cinema.   Mais ou menos assim que aconteceu comigo, só que não foi pelo cinema, fui puxado para as páginas pelos tentáculos da televisão. Não foi preciso ir tão longe, bastou que euMais ou menos assim que aconteceu comigo, só que não foi pelo cinema, fui puxado para as páginas pelos tentáculos da televisão. Não foi preciso ir tão longe, bastou que eu fizesse o trajeto quarto-cozinha para buscar alguns quitutes que na volta cozinha-quarto a voz da Gal Costa me pegou. Sentei no sofá, ainda com o olhar desconfiado, enquantofizesse o trajeto quarto-cozinha para buscar alguns quitutes que na volta cozinha-quarto a voz da Gal Costa me pegou. Sentei no sofá, ainda com o olhar desconfiado, enquanto a abertura da minissérie Gabriela corria: "Quando eu vim para esse mundo/ Eu não atinava em nada/ Hoje eu sou Gabriela". Não deu outra, me encantei pelos personagens ea abertura da minissérie Gabriela corria: "Quando eu vim para esse mundo/ Eu não atinava em nada/ Hoje eu sou Gabriela". Não deu outra, me encantei pelos personagens e me apaixonei pelas interpretações. Como nunca tinha lido nada do Jorge Amado, enxerguei no seriado a chance de adentrar nos livros do baiano.me apaixonei pelas interpretações. Como nunca tinha lido nada do Jorge Amado, enxerguei no seriado a chance de adentrar nos livros do baiano.   Gabriela, Cravo e Canela,Gabriela, Cravo e Canela, livro de 1958 escrito por Jorge Amadolivro de 1958 escrito por Jorge Amado,, narra o romance entre Gabriela e o sírio Nacib. Nacib é dono de um bar, o bar Vesúvio, que concentra osnarra o romance entre Gabriela e o sírio Nacib. Nacib é dono de um bar, o bar Vesúvio, que concentra os coronéis da cidade de Ilhéus e é o ponto de encontro dos homens da cidade (junto com o cabaré Bataclan). O sírio vive dias de cão quando sua cozinheira, Filomena, decide ircoronéis da cidade de Ilhéus e é o ponto de encontro dos homens da cidade (junto com o cabaré Bataclan). O sírio vive dias de cão quando sua cozinheira, Filomena, decide ir embora de Ilhéus. Sua única salvação para fazer as comidas do bar são as irmãs Dos Reis, que cobram caro demais e começam a lhe trazer prejuízo. Em umaembora de Ilhéus. Sua única salvação para fazer as comidas do bar são as irmãs Dos Reis, que cobram caro demais e começam a lhe trazer prejuízo. Em uma busca incensante pela cidade por cozinheira, Nacib encontra no "mercado de escravos" Gabriela, uma retirante com quase nada além de sua trouxa que chegou em Ilhéusbusca incensante pela cidade por cozinheira, Nacib encontra no "mercado de escravos" Gabriela, uma retirante com quase nada além de sua trouxa que chegou em Ilhéus fugindo da seca.fugindo da seca.   O pano de fundo da história entre os dois é a ascensão da produção de cacau na cidade de Ilhéus e as mudanças sociais impulsionadas pelo declínio da sociedade patriarcalO pano de fundo da história entre os dois é a ascensão da produção de cacau na cidade de Ilhéus e as mudanças sociais impulsionadas pelo declínio da sociedade patriarcal dirigida pelos velhos coronéis. O livro é constituído de vários núcleos e não se limita apenas ao romance entre Gabriela e Nacib. Personagens cativantes, como a jovemdirigida pelos velhos coronéis. O livro é constituído de vários núcleos e não se limita apenas ao romance entre Gabriela e Nacib. Personagens cativantes, como a jovem revolucionária Malvina, ou intrigantes, como a luxuriosa Glória, permeiam a obra e a deixam ainda mais interessante. A partir de alguns personagens mais tradicionais, Jorgerevolucionária Malvina, ou intrigantes, como a luxuriosa Glória, permeiam a obra e a deixam ainda mais interessante. A partir de alguns personagens mais tradicionais, Jorge Amado descreve costumes antigos: a honra lavada com sangue, o machismo que imperava, a tecnologia que assustava e o preconceito que desde aquela época já estavaAmado descreve costumes antigos: a honra lavada com sangue, o machismo que imperava, a tecnologia que assustava e o preconceito que desde aquela época já estava cravado na sociedade brasileira.cravado na sociedade brasileira.   "Falava-se muito em progresso, o dinheiro corria solto, o cacau rasgava estradas, erguia povoados, mudava o aspecto da cidade, mas conservavam-se os costumes antigos,"Falava-se muito em progresso, o dinheiro corria solto, o cacau rasgava estradas, erguia povoados, mudava o aspecto da cidade, mas conservavam-se os costumes antigos, aquele horror."aquele horror." "Malvina odiava aquela terra, a cidade dos cochichos, do disse-que-disse. Odiava aquela vida e contra ela passara a lutar. Começara a ler e descobriu outro mundo mais além"Malvina odiava aquela terra, a cidade dos cochichos, do disse-que-disse. Odiava aquela vida e contra ela passara a lutar. Começara a ler e descobriu outro mundo mais além de Ilhéus, onde a vida era bela, onde a mulher não era escrava."de Ilhéus, onde a vida era bela, onde a mulher não era escrava."  No romance de Jorge Amado, a oposição entre modernidade e costumes tradicionais, o culto e o popular é representada, respectivamente, pelos personagens Nacib eNo romance de Jorge Amado, a oposição entre modernidade e costumes tradicionais, o culto e o popular é representada, respectivamente, pelos personagens Nacib e Gabriela. Essa diferença de temporalidades históricas marca a relação entre os dois. Gabriela vive com pouco, quase nada e se julga feliz. Nacib, de vida feita, casa e comida,Gabriela. Essa diferença de temporalidades históricas marca a relação entre os dois. Gabriela vive com pouco, quase nada e se julga feliz. Nacib, de vida feita, casa e comida, não encontra a felicidade de jeito nenhum, só entre o perfume de cravo e a cor de canela de Gabriela.não encontra a felicidade de jeito nenhum, só entre o perfume de cravo e a cor de canela de Gabriela.  O livro é um primor, nunca li nada do Jorge Amado e já penso que comecei com o pé direito. Uma leitura leve e sem rodeios com uma escrita envolvente e apaixonante. Eu lia eO livro é um primor, nunca li nada do Jorge Amado e já penso que comecei com o pé direito. Uma leitura leve e sem rodeios com uma escrita envolvente e apaixonante. Eu lia e parava, pensava e gargalhava. Livros históricos sempre me fascinaram, mas esse em especial merece um espaço destacado na minha estante. Fiquei tão encantado com oparava, pensava e gargalhava. Livros históricos sempre me fascinaram, mas esse em especial merece um espaço destacado na minha estante. Fiquei tão encantado com o estilo do autor que na biblioteca da universidade já cuidei de emprestarestilo do autor que na biblioteca da universidade já cuidei de emprestar Tieta do Agreste.Tieta do Agreste.   Por causa de tempo não deu pra assistir os episódios da minissérie, mas já baixei e estão todos no computador, cada dia que passa vou vendo mais um. O enredo principalPor causa de tempo não deu pra assistir os episódios da minissérie, mas já baixei e estão todos no computador, cada dia que passa vou vendo mais um. O enredo principal não teve grande alteração, o que aconteceu na minissérie foi apenas a exploração de alguns núcleos que no livro são apenas citados. Uns personagens tiveram uns dramasnão teve grande alteração, o que aconteceu na minissérie foi apenas a exploração de alguns núcleos que no livro são apenas citados. Uns personagens tiveram uns dramas adicionais que de acordo com alguns estudiosos não prejudicaram a obra original, pois o grande comprometimento do Jorge Amado era com as questões da atualidade, e,adicionais que de acordo com alguns estudiosos não prejudicaram a obra original, pois o grande comprometimento do Jorge Amado era com as questões da atualidade, e, portanto, a série manteve o mesmo comprometimento. No entanto, tanto a obra televisiva quanto a literária possuem suas particularidades e seus sabores e ambas merecemportanto, a série manteve o mesmo comprometimento. No entanto, tanto a obra televisiva quanto a literária possuem suas particularidades e seus sabores e ambas merecem atenção, mas ainda assim, para o livro eu deixo todo o especial destaque.atenção, mas ainda assim, para o livro eu deixo todo o especial destaque. 
  4. 4. Sitio do pica pau amareloSitio do pica pau amarelo  Curta metragem:Curta metragem: http://www.http://www.youtubeyoutube.. com/watchcom/watch?? v=mcLWLANHsQ0v=mcLWLANHsQ0  Capa:Capa:
  5. 5. Resenha do livro:Sitio do pica pauResenha do livro:Sitio do pica pau amarelo.amarelo.  Viagem ao Céu - Dona Benta que se prepare, porque mais umaViagem ao Céu - Dona Benta que se prepare, porque mais uma aventura emocionante está para começar. Se normalmente aaventura emocionante está para começar. Se normalmente a imaginação já não tem limites para a turma do sítio, imagine então oimaginação já não tem limites para a turma do sítio, imagine então o que pode acontecer quando eles resolvem embarcar numa Viagem aoque pode acontecer quando eles resolvem embarcar numa Viagem ao Céu. Primeiro Pedrinho constrói um telescópio. Depois o garotoCéu. Primeiro Pedrinho constrói um telescópio. Depois o garoto convoca Narizinho, Emília, Visconde, o Conselheiro e Tia Anastácia.convoca Narizinho, Emília, Visconde, o Conselheiro e Tia Anastácia. Eles chegam a um lugar diferente e misterioso, decidem que estão naEles chegam a um lugar diferente e misterioso, decidem que estão na lua e pronto... fazem tanta bagunça que acordam o dragão São Jorge!lua e pronto... fazem tanta bagunça que acordam o dragão São Jorge! E isso é só o começo, porque a turma ainda irá conhecer outrosE isso é só o começo, porque a turma ainda irá conhecer outros planetas, passear em cometas, e até encontrar um novo companheiro,planetas, passear em cometas, e até encontrar um novo companheiro, um inocente anjinho de asa quebrada. Enquanto isso, um grupo deum inocente anjinho de asa quebrada. Enquanto isso, um grupo de astrônomos está pronto para anunciar as primeiras formas de vidaastrônomos está pronto para anunciar as primeiras formas de vida inteligente avistadas no espaço. Adivinhe quem serão... Viagem aointeligente avistadas no espaço. Adivinhe quem serão... Viagem ao céu é uma das mais divertidas histórias da turma do Sítio do Picapaucéu é uma das mais divertidas histórias da turma do Sítio do Picapau Amarelo, série baseada na obra de Monteiro Lobato.Amarelo, série baseada na obra de Monteiro Lobato.
  6. 6. A moreninha.A moreninha.  FotoFoto novela:http://www.youtnovela:http://www.yout ube.com/watch?ube.com/watch? v=d9U50bM9tgEv=d9U50bM9tgE  Capa:Capa:
  7. 7. Resenha do livro a moreninha .Resenha do livro a moreninha .  Resenha:Essa semana resolvi escrever sobre um livro que já li a muito tempo, mas queResenha:Essa semana resolvi escrever sobre um livro que já li a muito tempo, mas que considero como um dos meus clássicos brasileiros favoritos, por ser uma históriaconsidero como um dos meus clássicos brasileiros favoritos, por ser uma história simples e gostosa de se ler.simples e gostosa de se ler.  A Moreninha, de Joaquim Manuel de Macedo conta a história pitoresca de Augusto, umA Moreninha, de Joaquim Manuel de Macedo conta a história pitoresca de Augusto, um jovem namorador e estudante de medicina, e Carolina, moça traquina e esperta. Tudojovem namorador e estudante de medicina, e Carolina, moça traquina e esperta. Tudo começa com uma aposta.começa com uma aposta. Augusto faz uma aposta com seus amigos, de que caso se apaixonasse por algumaAugusto faz uma aposta com seus amigos, de que caso se apaixonasse por alguma moça durante o final de semana na Ilha de S’tanna teria que escrever um romance, casomoça durante o final de semana na Ilha de S’tanna teria que escrever um romance, caso contrário, seus amigos escreveriam sobre sua derrota.contrário, seus amigos escreveriam sobre sua derrota.  Na ilha acontece justamente o inesperável para Augusto, que até então se achavaNa ilha acontece justamente o inesperável para Augusto, que até então se achava imune do amor. Conhece Carolina, e se apaixona por ela, pelo seu jeito teimoso,imune do amor. Conhece Carolina, e se apaixona por ela, pelo seu jeito teimoso, traquino e apaixonante de ser. Porém, ainda está preso a um juramento de casamento,traquino e apaixonante de ser. Porém, ainda está preso a um juramento de casamento, feito quando criança com uma menina muito especial que conheceu na praia durante umfeito quando criança com uma menina muito especial que conheceu na praia durante um só dia, seu primeiro amor. Nessa parte vemos que Augusto não é tão incessível, poissó dia, seu primeiro amor. Nessa parte vemos que Augusto não é tão incessível, pois ainda esperava essa menina a quem prometeu amor eterno na infância.ainda esperava essa menina a quem prometeu amor eterno na infância.  O destino se encarrega de arrumar as coisas e de uma forma muito simples e singela,O destino se encarrega de arrumar as coisas e de uma forma muito simples e singela, Augusto teve que escrever um romance.... Não possui grandes acontecimentos, mas fazAugusto teve que escrever um romance.... Não possui grandes acontecimentos, mas faz o leitor viajar e se dispersar das preocupações diárias.o leitor viajar e se dispersar das preocupações diárias.  ..
  8. 8. Morangos mofadosMorangos mofados  CurtaCurta metragem:http://www.ymetragem:http://www.y outube.com/watch?outube.com/watch? v=_vwF2MXW_v8v=_vwF2MXW_v8  Capa:Capa:
  9. 9. Resenha do livro Morangos mofadosResenha do livro Morangos mofados  É um livro que, do modo particular, retrata os sentimentos humanos. Ele fala sobre as razões pelas quais alguémÉ um livro que, do modo particular, retrata os sentimentos humanos. Ele fala sobre as razões pelas quais alguém começa a amar outra ou achar que ama, da angústia pela espera de alguém que venha te trazer a tal da felicidade,começa a amar outra ou achar que ama, da angústia pela espera de alguém que venha te trazer a tal da felicidade, da solidão, das tentativas de querer ser compreendido e ser correspondido pelo que sente, e do sentimento sufocanteda solidão, das tentativas de querer ser compreendido e ser correspondido pelo que sente, e do sentimento sufocante que causa isso não acontecer.que causa isso não acontecer. Morangos MofadosMorangos Mofados é então composto por dezenove contos que trazem a história deé então composto por dezenove contos que trazem a história de casais comuns, vivendo crises ou tentando se encontrar em meio ao que restou do amor.casais comuns, vivendo crises ou tentando se encontrar em meio ao que restou do amor.   Um casal que há muito tempo vive junto, mas que no fim acabam por descobrir que sentem atração por pessoas doUm casal que há muito tempo vive junto, mas que no fim acabam por descobrir que sentem atração por pessoas do mesmo sexo, tanto ela quanto ele, mas ainda não encontram coragem de revelar isso ao parceiro por simplesmesmo sexo, tanto ela quanto ele, mas ainda não encontram coragem de revelar isso ao parceiro por simples costume de estar com o outro (conto:costume de estar com o outro (conto: Os SobreviventesOs Sobreviventes). Tem aquele que vai ao encontro da pessoa que ama). Tem aquele que vai ao encontro da pessoa que ama convicto de que será um encontro perfeito, só que era apenas ilusão, pois o outro nem sabia do seu amorconvicto de que será um encontro perfeito, só que era apenas ilusão, pois o outro nem sabia do seu amor (conto:(conto: Além do PontoAlém do Ponto). Duas mulheres, de diferentes tipos, mas que a seu modo esperam pela mesma coisa, o amor). Duas mulheres, de diferentes tipos, mas que a seu modo esperam pela mesma coisa, o amor de alguém que as façam felizes (conto:de alguém que as façam felizes (conto:FotografiasFotografias). O fim de um casamento pela ausência da essência colorida e). O fim de um casamento pela ausência da essência colorida e mágica que os uniu (conto:mágica que os uniu (conto: Caixinha de MúsicaCaixinha de Música). A incompreensão da amizade ou mesmo do que é diferente). A incompreensão da amizade ou mesmo do que é diferente (conto:(conto: Aqueles doisAqueles dois). E por fim, o conto título do romance,). E por fim, o conto título do romance, MorangosMorangosee MofadosMofados, falam do homem que sente um, falam do homem que sente um gosto de morango mofando na boca, e não sabe o porquê, mas que no fim consegue superar sua própria angústia.gosto de morango mofando na boca, e não sabe o porquê, mas que no fim consegue superar sua própria angústia.   A escrita prende o leitor, mesmo que no inicio de alguns contos seja confuso entender, mas se tem aquelaA escrita prende o leitor, mesmo que no inicio de alguns contos seja confuso entender, mas se tem aquela expectativa de chegar ao final do e descobrir o que os personagens vão fazer. São contos curtos, e que transmitemexpectativa de chegar ao final do e descobrir o que os personagens vão fazer. São contos curtos, e que transmitem mensagens claras para quem estiver atento nas entrelinhas. No mais, Morangos Mofados pode não entrar na listamensagens claras para quem estiver atento nas entrelinhas. No mais, Morangos Mofados pode não entrar na lista dos seus favoritos, mas é uma boa leitura e supera preconceitos que se possa ter se apenas se restringir a lê-lo pordos seus favoritos, mas é uma boa leitura e supera preconceitos que se possa ter se apenas se restringir a lê-lo por causa do título, talvez pelo fato de que os casais apresentados se aproximam bastante do real.causa do título, talvez pelo fato de que os casais apresentados se aproximam bastante do real.
  10. 10. Escrava IsauraEscrava Isaura  CurtaCurta metragem:http://www.ymetragem:http://www.y outube.com/watch?outube.com/watch? v=cHiwZTLhmG4v=cHiwZTLhmG4  Capa:Capa:
  11. 11. Resenha do livro escrava IsauraResenha do livro escrava Isaura  O Livro "A Escrava Isaura", escrito por Bernardo Guimarães, em 1875, conta a históriaO Livro "A Escrava Isaura", escrito por Bernardo Guimarães, em 1875, conta a história de uma menina filha de um feitor e de uma escrava (herdando, assim, a condição dede uma menina filha de um feitor e de uma escrava (herdando, assim, a condição de prisioneira de sua mãe - que morreu quando ela era ainda muito pequena).prisioneira de sua mãe - que morreu quando ela era ainda muito pequena). Isaura, mesmo não sendo livre, foi criada e educada como se fosse filha de suaIsaura, mesmo não sendo livre, foi criada e educada como se fosse filha de sua senhora, adquirindo trejeitos e postura semelhantes aos das mulheres brancas dasenhora, adquirindo trejeitos e postura semelhantes aos das mulheres brancas da época.época. Sua vida se torna um inferno a partir do momento em que seus antigos senhoresSua vida se torna um inferno a partir do momento em que seus antigos senhores morrem e ela se torna propriedade do filho do casal, Leôncio, que tenta seduzi-la demorrem e ela se torna propriedade do filho do casal, Leôncio, que tenta seduzi-la de todas as formas.todas as formas. Seu pai, o ex feitor chamado Miguel, ainda vivo, procura maneiras de tentar libertá-laSeu pai, o ex feitor chamado Miguel, ainda vivo, procura maneiras de tentar libertá-la para livrá-la das intenções de seu senhor. E quando nada mais parece dar certo, ele tempara livrá-la das intenções de seu senhor. E quando nada mais parece dar certo, ele tem em mente uma última esperança:em mente uma última esperança: fugirfugir. E é aí que tudo se complica e se transforma na. E é aí que tudo se complica e se transforma na vida da encantadora protagonista!vida da encantadora protagonista! Opinião:Opinião: Como li uma edição antiga (duas reformas ortográficas atrás, com "êle", porComo li uma edição antiga (duas reformas ortográficas atrás, com "êle", por exemplo), a leitura não fluiu muito bem. Mas a história é singela e interessante,exemplo), a leitura não fluiu muito bem. Mas a história é singela e interessante, superando minhas expectativas. Recomendo e sugiro, inclusive, que façam como eu:superando minhas expectativas. Recomendo e sugiro, inclusive, que façam como eu: intercalar livros atuais com antigos, para variar um pouco. /felizintercalar livros atuais com antigos, para variar um pouco. /feliz
  12. 12. O cortiçoO cortiço  CurtaCurta metragem:http://www.ymetragem:http://www.y outube.com/watch?outube.com/watch? v=kR767i873Ygv=kR767i873Yg  capa:capa:
  13. 13. Resenha do livro:o cortiçoResenha do livro:o cortiço  OO livrolivro OO CortiçoCortiço é um livro de romance que marcou o naturalismo no Brasil. Publicado em 1890é um livro de romance que marcou o naturalismo no Brasil. Publicado em 1890 por Aluísio Azevedo é uma obra que descreve a vida de pessoas que moram em um cortiço no Riopor Aluísio Azevedo é uma obra que descreve a vida de pessoas que moram em um cortiço no Rio de Janeiro. Foi alvo de grandes polêmicas, pois foi um dos primeiros livros que retrata a vida nasde Janeiro. Foi alvo de grandes polêmicas, pois foi um dos primeiros livros que retrata a vida nas favelas do Rio de Janeiro fora dos centros de elite e burguesia, com todos os problemas políticos,favelas do Rio de Janeiro fora dos centros de elite e burguesia, com todos os problemas políticos, sociais e econômicos que as favelas do Rio de Janeiro apresentam. O autor descreve neste livro, associais e econômicos que as favelas do Rio de Janeiro apresentam. O autor descreve neste livro, as divergências entre a riqueza e pobreza, os portugueses, burgueses e os negros e mulatos. A maiordivergências entre a riqueza e pobreza, os portugueses, burgueses e os negros e mulatos. A maior polêmica envolvida na publicação deste livro é a retratação de um relacionamento lésbico, nuncapolêmica envolvida na publicação deste livro é a retratação de um relacionamento lésbico, nunca antes contado em nenhum outro tipo de livro ou crônica. Um dos marcos do livro O Cortiço é aantes contado em nenhum outro tipo de livro ou crônica. Um dos marcos do livro O Cortiço é a técnica de zoomorfismo que é a técnica utilizada para descrever os personagens e compará-lostécnica de zoomorfismo que é a técnica utilizada para descrever os personagens e compará-los diretamente com os animais e em situações onde as pessoas são guiadas pelos seus própriosdiretamente com os animais e em situações onde as pessoas são guiadas pelos seus próprios instintos.instintos.  O Cortiço – resenhaO Cortiço – resenha  No começo do livro, as ações estão envolvidas em volta do personagem João Romão, um portuguêsNo começo do livro, as ações estão envolvidas em volta do personagem João Romão, um português avarento e ganancioso comerciante que engana uma escrava chamada Bertoleza e a induz aavarento e ganancioso comerciante que engana uma escrava chamada Bertoleza e a induz a trabalhar de graça, esta passa ser a sua amante. João Romão era uma pessoa extremamentetrabalhar de graça, esta passa ser a sua amante. João Romão era uma pessoa extremamente ambiciosa e privava-se de luxo, gastando seu dinheiro apenas com negócios que o faziam ganharambiciosa e privava-se de luxo, gastando seu dinheiro apenas com negócios que o faziam ganhar mais dinheiro. Com isto, ele começa a construir um cortiço e seu vizinho Miranda, um rico portuguêsmais dinheiro. Com isto, ele começa a construir um cortiço e seu vizinho Miranda, um rico português questiona as riquezas de Romão e vive invejando-o. Miranda conseguiu acumular as riquezasquestiona as riquezas de Romão e vive invejando-o. Miranda conseguiu acumular as riquezas através do dote que recebeu de sua mulher no casamento, Estela, porém é um casamento infeliz eatravés do dote que recebeu de sua mulher no casamento, Estela, porém é um casamento infeliz e eles não se amam. Romão constrói uma pedreira e contrata Jerônimo para fazer a supervisão doseles não se amam. Romão constrói uma pedreira e contrata Jerônimo para fazer a supervisão dos trabalhadores escravos.trabalhadores escravos.
  14. 14. O tempo eo ventoO tempo eo vento  CurtaCurta metragem:http://www.ymetragem:http://www.y outube.com/watch?outube.com/watch? v=XgfuOA2SBf0v=XgfuOA2SBf0  Capa:Capa:
  15. 15. Resenha do livro: O tempo eo ventoResenha do livro: O tempo eo vento  O episódio deO episódio de Ana TerraAna Terra aparece no segundo capítulo do livro O Continente, primeira parte da trilogia O Tempo e o Vento, de Érico Veríssimo. É uma história fascinante,aparece no segundo capítulo do livro O Continente, primeira parte da trilogia O Tempo e o Vento, de Érico Veríssimo. É uma história fascinante, marcada pela força, determinação e resistência de uma mulher. Ana Terra torna-se símbolo de grandeza, pois num momento em que as circunstâncias indicavam amarcada pela força, determinação e resistência de uma mulher. Ana Terra torna-se símbolo de grandeza, pois num momento em que as circunstâncias indicavam a impossibilidade de continuar, de ter vida, ela não se dá por vencida, junta o que sobrou de sua parca existência e tem coragem de recomeçar, tudo isso por Pedro, pelo filhoimpossibilidade de continuar, de ter vida, ela não se dá por vencida, junta o que sobrou de sua parca existência e tem coragem de recomeçar, tudo isso por Pedro, pelo filho viveria, mais ainda, pelo menino queria viver. Então, Ana Terra é a mulher que dá origem a um clã, a um feudo, é a matriarca dos Terra-Cambará e seu nome eterniza-se naviveria, mais ainda, pelo menino queria viver. Então, Ana Terra é a mulher que dá origem a um clã, a um feudo, é a matriarca dos Terra-Cambará e seu nome eterniza-se na literatura, mostrando a força de uma mulher numa época em que o papel feminino era pouco valorizado e a mulher tinha pouco espaço na sociedade. Assim, Ana Terraliteratura, mostrando a força de uma mulher numa época em que o papel feminino era pouco valorizado e a mulher tinha pouco espaço na sociedade. Assim, Ana Terra representa, acima de tudo, o grito de liberdade e a vitória da mulher brasileira.representa, acima de tudo, o grito de liberdade e a vitória da mulher brasileira.  RESUMO:RESUMO:  Ana Terra morava num rancho, com seus Pais Maneco Terra e d. Henriqueta e seus dois irmãos Antônio e Horácio. Eles moravam muito longe da cidade e tinham uma vidaAna Terra morava num rancho, com seus Pais Maneco Terra e d. Henriqueta e seus dois irmãos Antônio e Horácio. Eles moravam muito longe da cidade e tinham uma vida dura, sofrida e voltada para o trabalho pesado no campo.dura, sofrida e voltada para o trabalho pesado no campo.  Certo dia, enquanto lavava roupa em um riacho, Ana encontrou um homem caído no chão, ferido e sangrando, e avisou o pai e os irmãos, então, Maneco, Horácio e Antônio oCerto dia, enquanto lavava roupa em um riacho, Ana encontrou um homem caído no chão, ferido e sangrando, e avisou o pai e os irmãos, então, Maneco, Horácio e Antônio o levaram para o rancho onde cuidaram de seu ferimento. O rapaz se chamava Pedro Missioneiro, era alto forte e tinha jeito de índio, porém, com a pele mais clara.levaram para o rancho onde cuidaram de seu ferimento. O rapaz se chamava Pedro Missioneiro, era alto forte e tinha jeito de índio, porém, com a pele mais clara.  Maneco tinha a intensão de mandá-lo embora assim que ele melhorasse do tiro que levou. O rapaz, no entanto, mostrou-se trabalhador e acabou conquistando a confiança doManeco tinha a intensão de mandá-lo embora assim que ele melhorasse do tiro que levou. O rapaz, no entanto, mostrou-se trabalhador e acabou conquistando a confiança do pai de Ana, assim, construiu uma barraca perto do riacho e ali passou a morar.pai de Ana, assim, construiu uma barraca perto do riacho e ali passou a morar.  Ana passa a ter sentimentos pelo rapaz, uma mistura de ódio, nojo e no fundo… fascinação. Com o tempo, acaba se apaixonando pelo bugre (era como o pai e os irmãos oAna passa a ter sentimentos pelo rapaz, uma mistura de ódio, nojo e no fundo… fascinação. Com o tempo, acaba se apaixonando pelo bugre (era como o pai e os irmãos o chamavam), e, certo dia, acaba se entregando ao índio e engravida.chamavam), e, certo dia, acaba se entregando ao índio e engravida.  Ela conta à mãe que está gravida e o pai acaba ouvindo a conversa, fica revoltado e manda Antônio e Horácio matarem Pedro. Ana fica muito triste, o pai e os irmãos pararamEla conta à mãe que está gravida e o pai acaba ouvindo a conversa, fica revoltado e manda Antônio e Horácio matarem Pedro. Ana fica muito triste, o pai e os irmãos pararam de falar com ela, o clima fica extremamente pesado.de falar com ela, o clima fica extremamente pesado.  Depois de um tempo, nasce Pedrinho, o filho de Ana. A partir daí, os irmãos voltaram a lhe dirigir a palavra, o pai, porém, ainda não, e preferia que o menino tivesse nascidoDepois de um tempo, nasce Pedrinho, o filho de Ana. A partir daí, os irmãos voltaram a lhe dirigir a palavra, o pai, porém, ainda não, e preferia que o menino tivesse nascido morto.morto.  Horácio se casa com a filha de um tanoeiro, e Antônio se casa com Eulália e passa a morar num puxado que tinha feito no rancho, com quem teve logo uma filha chamadaHorácio se casa com a filha de um tanoeiro, e Antônio se casa com Eulália e passa a morar num puxado que tinha feito no rancho, com quem teve logo uma filha chamada Rosinha.Rosinha.  Dona Henriqueta morreu de nó na tripa. Com isso Maneco passou a falar com a filha e se apegou mais ao neto, depois de certo tempo, o velho Terra realizou o seu sonho deDona Henriqueta morreu de nó na tripa. Com isso Maneco passou a falar com a filha e se apegou mais ao neto, depois de certo tempo, o velho Terra realizou o seu sonho de plantar milho. No entanto, o perigo de ataque por parte dos castelhanos era grande, e um dia aconteceu, os castelhanos invadiram o sítio e Ana mandou Pedrinho se esconderplantar milho. No entanto, o perigo de ataque por parte dos castelhanos era grande, e um dia aconteceu, os castelhanos invadiram o sítio e Ana mandou Pedrinho se esconder no mato junto com Eulália e Rosinha. Os vândalos saquearam o sítio, mataram os homens da casa e os escravos. Depois disso, estupraram Ana até que a mesmano mato junto com Eulália e Rosinha. Os vândalos saquearam o sítio, mataram os homens da casa e os escravos. Depois disso, estupraram Ana até que a mesma desmaiasse, depois que tornou do desmaio, Ana sentiu vontade de se matar, ainda se jogou num poço, mas mudou de ideia, pensou no filho, ele precisava dela, por isso, Anadesmaiasse, depois que tornou do desmaio, Ana sentiu vontade de se matar, ainda se jogou num poço, mas mudou de ideia, pensou no filho, ele precisava dela, por isso, Ana teve novo alento e resolveu lutar pela vida .teve novo alento e resolveu lutar pela vida .  Os sobreviventes ficaram sem saber o que fazer, até que por aquelas bandas, passou um viajante chamado Marciano Bezerra, que estava indo morar em um lugar onde seriaOs sobreviventes ficaram sem saber o que fazer, até que por aquelas bandas, passou um viajante chamado Marciano Bezerra, que estava indo morar em um lugar onde seria fundado um povoado, então, Ana pega o dinheiro que o pai conseguiu vendendo trigo e acompanha Marciano, juntamente com o filho, a cunhada e a sobrinha. A viagemfundado um povoado, então, Ana pega o dinheiro que o pai conseguiu vendendo trigo e acompanha Marciano, juntamente com o filho, a cunhada e a sobrinha. A viagem demorou meses e uma filha de Marciano acabou morrendo no percurso. Mas, enfim, chegaram aos campos do velho Amaral.demorou meses e uma filha de Marciano acabou morrendo no percurso. Mas, enfim, chegaram aos campos do velho Amaral.  Ana construiu uma casa e passou a viver com filho a cunhada e a sobrinha, trabalhando no campo e fazendo partos, já que muitos diziam que ela tinha “boas mãos”.Ana construiu uma casa e passou a viver com filho a cunhada e a sobrinha, trabalhando no campo e fazendo partos, já que muitos diziam que ela tinha “boas mãos”.  Pedrinho já era um homem feito e se apaixonou por Arminda Melo de quem acabou ficando noivo, porém, os portugueses entraram em guerra novamente com os espanhois.Pedrinho já era um homem feito e se apaixonou por Arminda Melo de quem acabou ficando noivo, porém, os portugueses entraram em guerra novamente com os espanhois. Coronel Amaral reúniu seus homens, juntamente com alguns escravos e foram lutar contra os castelhanos. A vila ficou praticamente despovoada sem os homens, somenteCoronel Amaral reúniu seus homens, juntamente com alguns escravos e foram lutar contra os castelhanos. A vila ficou praticamente despovoada sem os homens, somente com mulheres, crianças, velhos e inválidos incapazes de servirem na guerra.com mulheres, crianças, velhos e inválidos incapazes de servirem na guerra.  Porém depois de mais de um ano, dos quarenta e poucos homens que foram para guerra, somente vinte e cinco voltaram, Pedro era um deles, para a felicidade de Ana ePorém depois de mais de um ano, dos quarenta e poucos homens que foram para guerra, somente vinte e cinco voltaram, Pedro era um deles, para a felicidade de Ana e Arminda. Pedro se casa com Arminda com quem teve dois filhos, um menino chamado Juvenal e uma menina chamada Bibiana. Eulália se casou novamente com um viúvo eArminda. Pedro se casa com Arminda com quem teve dois filhos, um menino chamado Juvenal e uma menina chamada Bibiana. Eulália se casou novamente com um viúvo e passou a morar com ele, juntamente com rosinha que já estava noiva do capataz do coronel Amaral.passou a morar com ele, juntamente com rosinha que já estava noiva do capataz do coronel Amaral.  A guerra se aproximou do povoado e os homens tiveram que novamente lutar contra os castelhanos. Como não se pode mudar a sina, Pedro teve que ir novamente para aA guerra se aproximou do povoado e os homens tiveram que novamente lutar contra os castelhanos. Como não se pode mudar a sina, Pedro teve que ir novamente para a guerra, entretanto, com o compromisso de voltar já que agora tinha uma mulher e dois filhos, fato que ocorreu, Pedro Terra sobreviveu a mais uma guerra.guerra, entretanto, com o compromisso de voltar já que agora tinha uma mulher e dois filhos, fato que ocorreu, Pedro Terra sobreviveu a mais uma guerra.
  16. 16. O guaraniO guarani  CurtaCurta metragem:http://www.ymetragem:http://www.y outube.com/watch?outube.com/watch? v=nqLC-jzsyjIv=nqLC-jzsyjI  Capa:Capa:
  17. 17. Resenha do livro o guaraniResenha do livro o guarani  O GuaraniO Guarani O Guarani foi o primeiro romance indianista escrito porO Guarani foi o primeiro romance indianista escrito por José de Alencar. Na tentativa de criar um herói deJosé de Alencar. Na tentativa de criar um herói de identidade nacional, Alencar conta a história do índio Peri,identidade nacional, Alencar conta a história do índio Peri, o “bom selvagem”, e sua comovente devoção pelao “bom selvagem”, e sua comovente devoção pela portuguesa Cecília. A história se passa no período de pré-portuguesa Cecília. A história se passa no período de pré- descobrimento, e a intenção de Alencar foi, basicamente,descobrimento, e a intenção de Alencar foi, basicamente, mostrar a influência do colonizador português sobre osmostrar a influência do colonizador português sobre os índios, corrompendo sua cultura e religião. Esse livro trazíndios, corrompendo sua cultura e religião. Esse livro traz características marcantes do autor, como e riquíssimacaracterísticas marcantes do autor, como e riquíssima descrição de espaço. Apesar de ser um romance histórico,descrição de espaço. Apesar de ser um romance histórico, O Guarani não é uma narrativa enfadonha, pelo contrário:O Guarani não é uma narrativa enfadonha, pelo contrário: ação é o que não falta! Uma das mais belas obras-primasação é o que não falta! Uma das mais belas obras-primas da nossa literatura, na minha opinião.da nossa literatura, na minha opinião.
  18. 18. As metamorfosesAs metamorfoses CurtaCurta metragem:http://www.ymetragem:http://www.y outube.com/watch?outube.com/watch? v=qbLW_0VBWeUv=qbLW_0VBWeU Capa:Capa:
  19. 19. Resenha do livro:as metamorfosesResenha do livro:as metamorfoses  Em poucas páginas, em um estilo ousado e objetivo, Kafka criou uma das mais perturbadoras obras da literatura mundial.Em poucas páginas, em um estilo ousado e objetivo, Kafka criou uma das mais perturbadoras obras da literatura mundial. Tudo começa com a inesquecível cena de Gregor Samsa acordando e percebendo que se transformou em um inseto monstruoso. É interessante notar, que o que maisTudo começa com a inesquecível cena de Gregor Samsa acordando e percebendo que se transformou em um inseto monstruoso. É interessante notar, que o que mais impressiona aqui é a naturalidade com que o autor retrata toda a situação de Gregor, ele o faz de uma maneira tão sucinta e objetiva que parece que estamos vendoimpressiona aqui é a naturalidade com que o autor retrata toda a situação de Gregor, ele o faz de uma maneira tão sucinta e objetiva que parece que estamos vendo uma pessoa sofrer de resfriado ou algo assim.uma pessoa sofrer de resfriado ou algo assim. Não existe em nenhum momento aquela reação que se é esperada de uma pessoa que sofre de uma terrível “transformação” física, o que se vê aqui é somente aNão existe em nenhum momento aquela reação que se é esperada de uma pessoa que sofre de uma terrível “transformação” física, o que se vê aqui é somente a constatação de que Gregor não poderá naquele dia cumprir o ritual diário de sua vida: acordar cedo, pegar o trem e prosseguir com a sua profissão de caixeiro-viajante.constatação de que Gregor não poderá naquele dia cumprir o ritual diário de sua vida: acordar cedo, pegar o trem e prosseguir com a sua profissão de caixeiro-viajante. Toda a situação é vista como um obstáculo que impossibilita Gregor de seguir sua vida imediata, cotidiana.Toda a situação é vista como um obstáculo que impossibilita Gregor de seguir sua vida imediata, cotidiana. Nada na obra de Kafka é escrito sem muita tristeza e desolação, parece que o que ele realmente pretendia ao escrever o livro, era fazer o leitor acordar de um transeNada na obra de Kafka é escrito sem muita tristeza e desolação, parece que o que ele realmente pretendia ao escrever o livro, era fazer o leitor acordar de um transe profundo no qual este não se da conta de que de uma hora para outra, todos os conceitos e todas as certezas que temos podem ser subvertidos sem qualquer aviso ouprofundo no qual este não se da conta de que de uma hora para outra, todos os conceitos e todas as certezas que temos podem ser subvertidos sem qualquer aviso ou prevenção; é como se Kafka nos desse um tapa na cara (como quem diz: acorde para a vida ou as coisas podem mudar e você pode se ver indefeso subitamente).prevenção; é como se Kafka nos desse um tapa na cara (como quem diz: acorde para a vida ou as coisas podem mudar e você pode se ver indefeso subitamente). Esse sentimento de impotência é ressaltado pelo próprio autor em uma carta: “Precisamos de livros que nos afetem como um desastre, que nos angustiemEsse sentimento de impotência é ressaltado pelo próprio autor em uma carta: “Precisamos de livros que nos afetem como um desastre, que nos angustiem profundamente, como a morte de alguém que amamos mais do que a nós mesmos, como ser banido para florestas distantes de todos, como um suicídio. Um livro temprofundamente, como a morte de alguém que amamos mais do que a nós mesmos, como ser banido para florestas distantes de todos, como um suicídio. Um livro tem que ser o machado para o mar congelado dentro de nós”.que ser o machado para o mar congelado dentro de nós”. Então Kafka já havia criado uma narrativa singular, cuja sensação de impotência em relação à história é sempre presente não só para Gregor, como também para oEntão Kafka já havia criado uma narrativa singular, cuja sensação de impotência em relação à história é sempre presente não só para Gregor, como também para o leitor.leitor. O que resta ao leitor é ter que se conformar com a situação cujo ponto de partida ele desconhece, permanece oculto até o último momento. O que permanece é aO que resta ao leitor é ter que se conformar com a situação cujo ponto de partida ele desconhece, permanece oculto até o último momento. O que permanece é a dúvida, pois tanto Gregor quanto o leitor não sabe o porque do protagonista ter sido transformado em um inseto.dúvida, pois tanto Gregor quanto o leitor não sabe o porque do protagonista ter sido transformado em um inseto. Isso pode servir como uma metáfora para a própria falta de humanidade e espírito caridoso da grande maioria das pessoas, que em certas oportunidades tratam deIsso pode servir como uma metáfora para a própria falta de humanidade e espírito caridoso da grande maioria das pessoas, que em certas oportunidades tratam de forma injusta ou até humilhante seus semelhantes, simplesmente porque estes “causam problemas”.forma injusta ou até humilhante seus semelhantes, simplesmente porque estes “causam problemas”. Isso se reflete em um trecho do livro em que a família de Gregor decide dar fim a toda a situação matando-o (por assim dizer), visto que este último não consegue ajudarIsso se reflete em um trecho do livro em que a família de Gregor decide dar fim a toda a situação matando-o (por assim dizer), visto que este último não consegue ajudar no sustento da família, já que não pode trabalhar e garantir mantimentos para esta.no sustento da família, já que não pode trabalhar e garantir mantimentos para esta. Esse livro funciona como uma espécie de espelho para inúmeras situações que presenciamos em nosso cotidiano, como filhos que resolvem colocar os pais em asilos,Esse livro funciona como uma espécie de espelho para inúmeras situações que presenciamos em nosso cotidiano, como filhos que resolvem colocar os pais em asilos, porque estes dão muito trabalho e já não ajudam (de uma forma ou de outra), sendo chamados até de “parasitas”, a questão aqui é a seguinte: como você podeporque estes dão muito trabalho e já não ajudam (de uma forma ou de outra), sendo chamados até de “parasitas”, a questão aqui é a seguinte: como você pode simplesmente desprezar alguém que te ajudou a vida inteira porque tal pessoa não corresponde mais as suas expectativas, e como se sentiria essa pessoa? Se vocêsimplesmente desprezar alguém que te ajudou a vida inteira porque tal pessoa não corresponde mais as suas expectativas, e como se sentiria essa pessoa? Se você pensou em um inseto, então estamos na mesma conversa, certo.pensou em um inseto, então estamos na mesma conversa, certo. Parece-me que existe alguma coisa muito errada nesse utilitarismo cego; deixar uma pessoa de lado simplesmente porque não abraçam nossos anseios e expectativas;Parece-me que existe alguma coisa muito errada nesse utilitarismo cego; deixar uma pessoa de lado simplesmente porque não abraçam nossos anseios e expectativas; deve-se reconhecer que tal pessoa teve durante muito tempo, grande importância em nossas vidas, como no caso de Gregor, parece que o fato dele ter trabalhado edeve-se reconhecer que tal pessoa teve durante muito tempo, grande importância em nossas vidas, como no caso de Gregor, parece que o fato dele ter trabalhado e ajudado durante longo tempo sua família, não contribui em nada para este ser tratado como um mero “inseto”, seria o mesmo que abandonar uma pessoa doente naajudado durante longo tempo sua família, não contribui em nada para este ser tratado como um mero “inseto”, seria o mesmo que abandonar uma pessoa doente na família ou um amigo, visto que este não pode mais lhe beneficiar, tratando-o como um nada, um “inseto”.família ou um amigo, visto que este não pode mais lhe beneficiar, tratando-o como um nada, um “inseto”. Ou o que devemos preservar em uma pessoa que nós é importante seja certamente a lembrança, de que essa pessoa é o que ela sempre foi, não o que se pareceOu o que devemos preservar em uma pessoa que nós é importante seja certamente a lembrança, de que essa pessoa é o que ela sempre foi, não o que se parece agora, tendo isso em mente é possível conviver em paz e aceitar essa situação com uma perspectiva diferente da que é mostrada no livro.agora, tendo isso em mente é possível conviver em paz e aceitar essa situação com uma perspectiva diferente da que é mostrada no livro. Infelizmente para Gregor e para o leitor de Kafka, o mundo que Kafka cria se mostra como sendo o mundo real: não é o mundo do “era uma vez”, mas do “é”, como seInfelizmente para Gregor e para o leitor de Kafka, o mundo que Kafka cria se mostra como sendo o mundo real: não é o mundo do “era uma vez”, mas do “é”, como se pode ler no texto, este uma espécie “significação pura”, tudo é o que é, sem nenhuma atenuação, como na própria vida.pode ler no texto, este uma espécie “significação pura”, tudo é o que é, sem nenhuma atenuação, como na própria vida.
  20. 20. O quinzeO quinze  CurtaCurta metragem:http://www.ymetragem:http://www.y outube.com/watch?outube.com/watch? v=fTI5gG8ngNkv=fTI5gG8ngNk  Capa:Capa:
  21. 21. Resenha do livro O quinzeResenha do livro O quinze  O quinze é a descrição da vida de retirantes cearenses que sofrem com o pior fenômeno climático por eles jáO quinze é a descrição da vida de retirantes cearenses que sofrem com o pior fenômeno climático por eles já vivenciado. A visão central da obra é feita em cima de Chico Bento, Iguatuense morador de Quixadá. Chico Bento eravivenciado. A visão central da obra é feita em cima de Chico Bento, Iguatuense morador de Quixadá. Chico Bento era contratado de Dona Maroca para cuidar do gado, mas a seca atacava sem piedade o sertão e o mesmo foi ordenadocontratado de Dona Maroca para cuidar do gado, mas a seca atacava sem piedade o sertão e o mesmo foi ordenado a soltar o gado e deixá-lo morrer se até o dia de São Pedro não chovesse. A chuva não chegou, mas com insistênciaa soltar o gado e deixá-lo morrer se até o dia de São Pedro não chovesse. A chuva não chegou, mas com insistência e fé o caboclo decidiu esperar mais uma semana, tempo perdido. Nada de chuva e a única saida foi arrumar ase fé o caboclo decidiu esperar mais uma semana, tempo perdido. Nada de chuva e a única saida foi arrumar as trouxas e ir-se embora para a cidade em busca de alguns miréis. Pelo fato de não ter conseguido passagens de trem,trouxas e ir-se embora para a cidade em busca de alguns miréis. Pelo fato de não ter conseguido passagens de trem, Chico Bento e a familia fazem a viagem a pé. Na estrada Mocinha, cunhada de Chico Bento, deixa a familia paraChico Bento e a familia fazem a viagem a pé. Na estrada Mocinha, cunhada de Chico Bento, deixa a familia para trabalhar em uma venda. Pouco mais a frente, Josias, um dos filhos do caboclo, morre por ter comido umatrabalhar em uma venda. Pouco mais a frente, Josias, um dos filhos do caboclo, morre por ter comido uma macacheira crua ainda na terra. Chegando em Acarape, Pedro, outro filho, foge da familia e mesmo assim Chicomacacheira crua ainda na terra. Chegando em Acarape, Pedro, outro filho, foge da familia e mesmo assim Chico Bento persistira até o fim. Chegando ao destino, toda a familia estava em extrema miséria, foram parcialmente salvosBento persistira até o fim. Chegando ao destino, toda a familia estava em extrema miséria, foram parcialmente salvos pela comadre Conceição que deu de comer a todos por alguns dias e arrumou um "emprego" para seu compadre.pela comadre Conceição que deu de comer a todos por alguns dias e arrumou um "emprego" para seu compadre. Conceição se apegara de forma impressionante a Duquinha, filho caçula de Chico Bento, que decidirá criar a criança.Conceição se apegara de forma impressionante a Duquinha, filho caçula de Chico Bento, que decidirá criar a criança. Vendo a situação dificil Chico Bento e Cordulina sua esposa vão a São Paulo com os três filhos que lhe restam doisVendo a situação dificil Chico Bento e Cordulina sua esposa vão a São Paulo com os três filhos que lhe restam dois seis que tinham. Josias morrera, Pedro fugira e Duquinha tinha sido adotado por Conceição sua madrinha. Depois daseis que tinham. Josias morrera, Pedro fugira e Duquinha tinha sido adotado por Conceição sua madrinha. Depois da viagem nada mais é relatado sobre a familia.viagem nada mais é relatado sobre a familia. Conceição sempre fora muito apaixonada por Vicente um vaqueiro que conhecia desde criança. Os dois vivem umaConceição sempre fora muito apaixonada por Vicente um vaqueiro que conhecia desde criança. Os dois vivem uma história morna, sem um corresponder ao outro. Conceição termina como varias mulheres, solteira, dedicando seuhistória morna, sem um corresponder ao outro. Conceição termina como varias mulheres, solteira, dedicando seu tempo a Duquinha filho adotivo. E Vicente? Somente cuidando das reses, pelas quais tinha muita paixão.tempo a Duquinha filho adotivo. E Vicente? Somente cuidando das reses, pelas quais tinha muita paixão. Rachel de Queiroz aborda de maneira nobre a situação de nordestinos frente a essa desgaça ambiental que fora aRachel de Queiroz aborda de maneira nobre a situação de nordestinos frente a essa desgaça ambiental que fora a seca de 15. Mostrando tanto a situação do Fenômeno climático, como o descaso das autoridades frente a populaçãoseca de 15. Mostrando tanto a situação do Fenômeno climático, como o descaso das autoridades frente a população mais carente.mais carente.

×