Moderação de listas de discussão à luz da Teoria da Atividade

2.025 visualizações

Publicada em

TAVARES, K. C. A. Aprender a moderar lista de discussão: um estudo na perspectiva da teoria da atividade. 2004. 240 f. Tese (Doutorado em Lingüística Aplicada e Estudos da Linguagem – LAEL) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), São Paulo.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Moderação de listas de discussão à luz da Teoria da Atividade

  1. 1. Aprender a moderar lista de discussão - um estudo na perspectiva da teoria da atividade <ul><li>Kátia Cristina do Amaral Tavares </li></ul>Doutorado em LAEL – PUC/SP 2004
  2. 2. Justificativa <ul><li>aumento do número de listas de discussão destinadas à formação profissional contínua </li></ul><ul><li>grande número de pesquisas sobre moderação com caráter prescritivo e foco nas ações do moderador </li></ul><ul><li>falta de trabalhos sobre formação do moderador (especialmente de listas de discussão não vinculadas a cursos ou instituições) </li></ul><ul><li>interesse em compreender melhor a atuação e formação do moderador </li></ul>
  3. 3. Objetivo <ul><li>Investigar a experiência de uma moderadora iniciante, Mila, que aprende a moderar “na prática”, com o apoio de dois moderadores mais experientes (sendo um deles esta pesquisadora), uma lista de discussão de profissionais interessados em educação a distância (EaD), que se pretende uma comunidade de aprendizagem on-line </li></ul>
  4. 4. Fundamentação teórica <ul><li>Papéis e trabalho do moderador on-line </li></ul><ul><li>Formação do moderador on-line </li></ul><ul><li>Teoria da Atividade </li></ul>
  5. 5. Metodologia de pesquisa <ul><li>arcabouço de análise da teoria da atividade </li></ul><ul><li>base etnográfica com orientação crítica </li></ul><ul><li>intervenção na atividade de aprender a moderar, com trabalho de natureza colaborativa entre pesquisadora e moderadora iniciante </li></ul>
  6. 6. Teoria da Atividade <ul><li>sistema conceitual para compreender atividade em contexto </li></ul><ul><li>análise holística do fenômeno investigado </li></ul><ul><li>unidade de análise: além do indivíduo; sistemas de atividades; relações entre diferentes sistemas de atividades em redes de sistemas </li></ul>
  7. 7. Modelo da teoria da atividade de segunda geração - Sistema de atividade humana (Engeström, 1987) Divisão de trabalho Comunidade Regras Sujeito(s) Instrumentos mediadores Objeto/motivo Resultado(s)
  8. 8. Teoria da Atividade – 3a geração <ul><li>rede de sistemas de atividades: inclui, no mínimo, dois sistemas de atividade que interagem entre si e exibem padrões de contradição e tensão </li></ul><ul><li>Engeström, 1987; 1999: transformação da prática surge do conflito, questionamento e insatisfação </li></ul><ul><li>objetivos desta pesquisa: investigar dois sistemas de atividade interligados, observar possíveis mudanças no decorrer das atividades e identificar áreas de conflito para indicar possibilidades de transformação e aperfeiçoamento dos tipos de atividades investigadas </li></ul>
  9. 9. Sistema de atividade 1: Aprender a moderar lista de discussão Discutir sobre “Qualidade e Avaliação em EaD” via lista Sistema de atividade 2: Sujeito: Mila Objeto Resultado Moderação Instrumento Objeto: Qualidade e Avaliação em EaD Sujeitos: Participantes da lista
  10. 10. Orientação crítica e natureza colaborativa <ul><li>instrumental de análise da teoria da atividade usado retrospectivamente </li></ul><ul><li>não é “developmental intervention research” (Engeström, 1987) </li></ul><ul><li>nesta pesquisa: intervenção = participação da pesquisadora como moderadora experiente desenvolvendo trabalho de natureza colaborativa com moderadora iniciante a partir da reflexão </li></ul><ul><li>não é pesquisa colaborativa </li></ul><ul><li>orientação crítica da pesquisa = preocupação em transformar a realidade </li></ul>
  11. 11. Contexto de pesquisa (I) <ul><li>lista de discussão do Yahoo!Groups criada para permitir a continuidade da interação dos ex-alunos de um curso de capacitação para auto-formação contínua de educadores, ministrado totalmente via Internet, em nível de extensão universitária </li></ul><ul><li>curso: metodologia baseada na criação de comunidade de aprendizagem on-line; lista de discussão como principal meio de interação </li></ul><ul><li>na lista: início de ciclo de estudos e discussão (dinâmica semelhante à do curso on-line) sobre temas específicos (escolhidos pelo próprio grupo) com rodízio de moderadores voluntários </li></ul>
  12. 12. Contexto de pesquisa (II) <ul><li>tema escolhido: “Avaliação e Qualidade em EaD” </li></ul><ul><li>moderadora iniciante voluntária: Mila </li></ul><ul><li>período previsto: 6 semanas </li></ul><ul><li>período efetivo: 11 semanas (2 meses e meio) </li></ul><ul><li>assessoria dos moderadores habituais da lista (moderadores experientes) </li></ul><ul><li>contexto de pesquisa: dois sistemas de atividade interligados – discutir sobre tema de EaD via lista e aprender a moderar </li></ul><ul><li>escolha do contexto de investigação: facilidade de acesso + momento de formação de um novo moderador </li></ul>
  13. 13. Sistema de atividade 1: Aprender a moderar lista de discussão Discutir sobre “Qualidade e Avaliação em EaD” via lista Sistema de atividade 2: Sujeito: Mila Objeto Resultado Moderação Instrumento Objeto: Qualidade e Avaliação em EaD Sujeitos: Participantes da lista
  14. 14. Participantes <ul><li>total: 53 participantes na lista interessados em EaD, EaD via Internet, tecnologia educacional </li></ul><ul><li>moderadora iniciante: Mila </li></ul><ul><li>dois moderadores habituais da lista/ moderadores experientes: José e Kátia </li></ul><ul><li>50 membros da lista </li></ul>
  15. 15. Instrumentos de pesquisa <ul><li>registro eletrônico das 534 mensagens postadas na lista de discussão no período em que Mila atuou como moderadora </li></ul><ul><li>registro eletrônico das 194 mensagens de e-mail entre a moderadora iniciante e os moderadores habituais da lista de discussão durante o período de moderação de Mila e naqueles imediatamente anterior e posterior </li></ul><ul><li>diário da moderadora iniciante </li></ul><ul><li>entrevista informal, face-a-face, com a moderadora, após um mês de moderação </li></ul><ul><li>observação participante da pesquisadora na lista de discussão com tomada de notas </li></ul>
  16. 16. Perguntas de pesquisa (I) <ul><li>Como o trabalho de moderação é realizado e (possivelmente) modificado ao longo da referida atividade de discussão, tendo em vista os diferentes componentes desta atividade e os conflitos a eles relacionados? </li></ul><ul><li>=> investigar como o objeto, a comunidade, as regras e a divisão de trabalho da referida atividade de discussão e os possíveis conflitos, contradições e mudanças envolvendo estes componentes se relacionam com o trabalho desenvolvido pela moderadora iniciante (que é um dos instrumentos mediadores da atividade) </li></ul>
  17. 17. Perguntas de pesquisa (II) <ul><li>O que a moderadora iniciante aprende sobre seu trabalho de moderação? Como ela aprende? Quais os principais conflitos e limitações envolvidos nessa aprendizagem? </li></ul><ul><li>=> investigar o objeto da atividade a partir da identificação dos temas e dúvidas levantados pela moderadora em seu processo de aprendizagem; investigar como foram utilizados os instrumentos disponíveis para a participante aprender a moderar a lista; identificar conflitos e limitações relacionados a componentes da atividade </li></ul>
  18. 18. Sistema de atividade: Discutir sobre “Qualidade e Avaliação em EaD” através de lista de discussão Divisão de trabalho Comunidade Regras Sujeito(s) Instrumentos mediadores Objeto/motivo Resultado(s) Computador, internet, serviço de lista de discussão Linguagem escrita, moderação, mensagens, textos e perguntas Participantes da lista Netiqueta Cronograma de trabalho Leitura de textos indicados Respostas a perguntas Discussão e novas questões Lista de discussão Moderadora da discussão Moderadores habituais da lista Participantes “ Qualidade e avaliação em EaD” Síntese da discussão sobre o tema
  19. 19. Sistema de atividade: Aprender a moderar a lista de discussão Divisão de trabalho Comunidade Regras Sujeito Instrumentos mediadores Objeto/motivo Resultado(s) Computador, internet, serviço de lista de discussão, linguagem escrita, diário da moderadora, mensagens entre moderadores, modelos de moderação, discussão na lista Mila Cronograma de trabalho Leitura de textos indicados Redação e envio de diário Respostas a perguntas Discussão e novas questões Lista de discussão Moderadora iniciante Moderadores mais experientes Participantes Moderação de lista Moderação da discussão em foco
  20. 20. Atividade: Discutir sobre “Qualidade e Avaliação em EaD” via lista – Foco no objeto <ul><li>Resultados </li></ul><ul><li>falta de negociação e compartilhamento; dispersão </li></ul><ul><li>“ reversão” de objeto e instrumento: texto como objeto (não instrumento) </li></ul><ul><li>Implicações </li></ul><ul><li>necessidade de negociação para definição inicial e possíveis reformulações posteriores </li></ul><ul><li>necessidade de avaliação constante dos instrumentos </li></ul><ul><li>em contextos semelhantes ao escolar: verificar possível reprodução de situações típicas do contexto escolar tradicional </li></ul>
  21. 21. Atividade: Discutir sobre “Qualidade e Avaliação em EaD” via lista – Foco na comunidade <ul><li>Resultados </li></ul><ul><li>comunidade de aprendizagem X turma (ex-alunos de curso on-line) </li></ul><ul><li>comunidade de aprendizagem X comunidade social </li></ul><ul><li>Implicações </li></ul><ul><li>em contextos semelhantes ao escolar: verificar possível reprodução de situações típicas do contexto escolar tradicional </li></ul><ul><li>necessidade de negociação entre os participantes sobre objetivos do grupo </li></ul>
  22. 22. Atividade: Discutir sobre “Qualidade e Avaliação em EaD” via lista – Foco nas regras (I) <ul><li>Resultados </li></ul><ul><li>moderadora: padrão de responder separadamente cada mensagem enviada para a lista => relação um-a-um; não “costura” contribuições </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>moderadora: dúvidas sobre quando e a que mensagens responder; preocupação em valorizar participação => “balançar de cabeça virtual” </li></ul><ul><li>Implicações </li></ul><ul><li>considerar impactos de responder cada mensagem separadamente na participação e interação do grupo </li></ul><ul><li>buscar formas mais adequadas de lidar com ausência de sinais sociais típicos da interação face-a-face (ex: mensagens de agradecimento e estímulo em “private”; maior divisão de trabalho: valorização da participação por parte de outros, além do moderador) </li></ul>
  23. 23. Atividade: Discutir sobre “Qualidade e Avaliação em EaD” via lista – Foco nas regras (II) <ul><li>Resultados </li></ul><ul><li>curso on-line X lista de discussão voluntária: diferenças de ritmo e intensidade da discussão => reformulações só no cronograma </li></ul><ul><li>tentativa de reprodução de regras da “sala de aula on-line” X possibilidade de criação regras funcionais pelo grupo </li></ul><ul><li>Implicações </li></ul><ul><li>adequação do volume de trabalho ao tempo disponível para a lista + avaliação geral das regras (não só do cronograma) e dos instrumentos </li></ul><ul><li>dinâmica de participação na discussão não pode ser vista só como questão de adequação ao cronograma </li></ul>
  24. 24. Atividade: Discutir sobre “Qualidade e Avaliação em EaD” via lista – Foco na divisão de trabalho <ul><li>Resultados </li></ul><ul><li>principal divisão: entre moderadores e demais participantes </li></ul><ul><li>Implicações </li></ul><ul><li>maior divisão de trabalho (possivelmente baseada na divisão de tarefas por áreas de atuação do moderador): compartilhamento de diferentes tarefas de moderação, diminuição da sobrecarga de trabalho do moderador, maior engajamento de todos na discussão </li></ul>
  25. 25. Atividade: Aprender a moderar lista de discussão – Foco no objeto (I) <ul><li>Resultados </li></ul><ul><li>identificação de temas e dúvidas levantados pela moderadora em seu processo de aprendizagem: </li></ul><ul><li>(a) questões práticas sobre a atuação do moderador: </li></ul><ul><li>Implicações </li></ul><ul><li>conteúdos a serem considerados na formação do moderador de listas </li></ul><ul><li>considerar impactos de responder cada mensagem separadamente na participação e interação do grupo </li></ul><ul><li>buscar formas mais adequadas de lidar com ausência de sinais sociais típicos da interação face-a-face </li></ul><ul><li>conscientizar o moderador das diferentes ações possíveis em cada área de atuação do moderador para ajudar a diversificar os objetivos de suas mensagens e evitar preocupação excessiva com momento e freqüência de postagem de suas respostas </li></ul><ul><li>esclarecer diferenças entre justapor e relacionar idéias; orientar o moderador a resumir e relacionar as contribuições de modo constante e periódico para facilitar o desenvolvimento da discussão </li></ul><ul><li>preocupações sobre quando e com que freqüência responder às mensagens postadas; </li></ul><ul><li>dúvidas sobre como resumir a discussão </li></ul>
  26. 26. Atividade: Aprender a moderar lista de discussão – Foco no objeto (II) <ul><li>Resultados </li></ul><ul><li>(b) questões gerais sobre o trabalho do moderador: importância do uso adequado da linguagem pelo moderador; aspectos emocionais envolvidos na interação via lista; tempo necessário para o trabalho de moderação; dúvidas sobre a necessidade de o moderador ser um especialista em conteúdo ou um animador/facilitador da discussão </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>(c) questões gerais sobre a dinâmica de funcionamento da lista: tentativas de compreender dinâmica de discussão como um todo; questionamentos sobre ritmo de discussão e volume de mensagens </li></ul><ul><li>Implicações </li></ul><ul><li>abordar na formação do moderador as questões identificadas </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>destaque para a necessidade de o moderador aprender a gerenciar o tempo </li></ul>
  27. 27. Atividade: Aprender a moderar lista de discussão – Foco nos instrumentos <ul><li>Resultados   </li></ul><ul><li>limitação de tempo da moderadora para escrever o diário dialogado (descrever prática e relacionar com teoria) </li></ul><ul><li>preferência pela interação por e-mail com moderadores experientes: foco na tomada de decisões práticas e imediatas </li></ul><ul><li>observação da prática de moderadores experientes </li></ul><ul><li>ausência de trabalho sistemático de leitura e discussão de textos teóricos; ausência de relações entre estes e a prática da moderadora </li></ul><ul><li>Implicações </li></ul><ul><li>encorajar a definição, o mais breve possível, de um único aspecto a ser focalizado </li></ul><ul><li>aprofundar relações entre prática e teoria </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>além de observar a prática de moderadores experientes, destacar episódios e mensagens para discussão mais detalhada  </li></ul><ul><li>na formação do moderador: trabalho sistemático com textos sobre moderação e estabelecimento de relações entre estes e a prática observada (tanto do próprio moderador em formação quanto de moderadores mais experientes) </li></ul>
  28. 28. Atividade: Aprender a moderar lista de discussão – Foco na divisão de trabalho <ul><li>Resultados </li></ul><ul><li>Kátia: proposta de formação reflexiva do moderador X José: abordagem mais prática, com respostas diretas às dúvidas de Mila </li></ul><ul><li>Implicações </li></ul><ul><li>perigo de aplicar teorias e regras prontas em vez de confrontar teoria e prática para a reconstrução desta </li></ul>
  29. 29. Comentários finais (I) <ul><li>interesse em conflitos, contradições, limitações, questionamentos e insatisfações para transformação da prática (Engeström, 1987;1999) </li></ul><ul><li>observadas especificidades, espera-se apontar caminhos para aperfeiçoamento dos tipos de atividades em foco (ou seja, discutir via lista e aprender a moderar lista de discussão) </li></ul><ul><li>espera-se contribuir para o desenvolvimento de conhecimentos sobre interação e moderação e para a formação de moderadores de listas de discussão destinadas à educação contínua </li></ul>
  30. 30. Comentários finais (II) <ul><li>arcabouço de análise da teoria da atividade: adequado aos objetivos da pesquisa </li></ul><ul><li>uso retrospectivo da TA; não adoção da metodologia de pesquisa proposta por Engeström (1987; 1999) de “intervenção para o desenvolvimento” ( developmental intervention ) </li></ul><ul><li>condução de novas pesquisas sobre discussão em listas, moderação e formação do moderador com tal metodologia </li></ul><ul><li>mais estudos sobre como se aprende e se ensina a moderar; mais relatos e avaliações críticas de experiências concretas de formação de moderadores de listas de discussão (especialmente em contextos não vinculados a cursos ou instituições) </li></ul>

×