Implicit and Explicit Processes in Social Cognition Chris D. Frith   and Uta Frith Neuron 60, November 6 (2008) 503-510 Ap...
Resumo <ul><li>Revisa a história da Neurociência Cognitiva Social </li></ul><ul><li>Compara e contrasta  Processos Implíci...
Neurociência Cognitiva Social Breve História <ul><li>Há menos de 20 anos atrás, a idéia de investigar sistemas e processos...
<ul><li>Comportamento Social em Macacos.  Investigações sobre a Teoria da Mente em Chimpanzés. Implicações no campo do Des...
<ul><li>Três Domínios Principais </li></ul><ul><li>“ Leitura” das disposições e emoções de outras pessoas, via expressão f...
Processos Implícitos e Explícitos <ul><li>Processos Implícitos : ocorrem em níveis mais baixos, são rápidos, altamente aut...
O Contexto das Instruções <ul><li>PARA PENSAR... </li></ul><ul><li>Os Processos Explícitos são construídos sobre Processos...
 
Processos Implícitos e Explícitos VIA PRINCIPAL  (longa e precisa) Estímulo Visual Tálamo Córtex Visual Amígdala VIA SECUN...
Efeitos Interferentes de Processos Sociais Implícitos <ul><li>Gaze Following : processo de seguir a direção do olhar de ou...
O Grupo Versus o Indivíduo <ul><li>Quando indivíduos competem dentro de grupos, os indivíduos mais egoístas ganham. Por ou...
Emoção Egoísta e Razão Social? <ul><li>Exp.:  Ultimatum Game </li></ul><ul><li>Altruistic Punishment  - Outro exemplo de c...
Processos Superiores Controlados são Pró-sociais? <ul><li>A afirmação anterior se baseia na noção de que os Processos Expl...
Processos Automáticos Pró-sociais são Necessariamente Bons? <ul><li>Mas e os Processos Implícitos, são necessariamente bon...
<ul><li>Processos Implícitos e Processos Explícitos  apresentam uma  interação recíproca  que estudos futuros em Cognição ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Implicit and Explicit Processes in Social Cognition

396 visualizações

Publicada em

Laboratório de Psicologia Experimental, Neurociências e Comportamento - LPNeC, Journal Club, 2010.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
396
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
40
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Implicit and Explicit Processes in Social Cognition

  1. 1. Implicit and Explicit Processes in Social Cognition Chris D. Frith and Uta Frith Neuron 60, November 6 (2008) 503-510 Apresentação: KEITILINE R. VIACAVA Setembro, 2010. INSTITUTO DE PSICOLOGIA - UFRGS LABORATÓRIO DE PESQUISA EXPERIMENTAL NEUROCIÊNCIAS E COMPORTAMENTO – LPNEC CLUBE DE REVISTAS
  2. 2. Resumo <ul><li>Revisa a história da Neurociência Cognitiva Social </li></ul><ul><li>Compara e contrasta Processos Implícitos com Processos Explícitos </li></ul><ul><li>Mostra que as funções são distintas, complementares e concorrentes </li></ul><ul><li>Argumenta que os Processos Implícitos são automáticos e as vezes opostos às estratégias conscientes </li></ul><ul><li>Aponta que apesar de estarmos atentos aos Processos Explícitos, nem sempre podemos usá-los para evitar os Implícitos. </li></ul><ul><li>Cita estudos que destacam a ocorrência de Processos Implícitos em ações de: </li></ul><ul><li>Compartilhar Conhecimento </li></ul><ul><li>Compartilhar Sentimentos </li></ul><ul><li>Compartilhar Ações </li></ul><ul><li>Atenta que Processos Implícitos tendem ao Altruísmo ao invés do Egoísmo. Por outro lado, os Processos Explícitos tendem tanto ao Altruísmo quanto ao Egoísmo. </li></ul>
  3. 3. Neurociência Cognitiva Social Breve História <ul><li>Há menos de 20 anos atrás, a idéia de investigar sistemas e processos neurais envolvidos em Interações Sociais causava incredulidade. </li></ul><ul><li>Interação Social era tema de domínio das Ciências Sociais e não Biológicas. </li></ul><ul><li>Isso apesar de a Interação Social ser considerada uma das maiores forças responsáveis pela evolução da espécie humana. </li></ul><ul><li>Atualmente existem inúmeros pesquisadores dedicados à entender os processos fisiológicos subjacentes à Interação Social. </li></ul>Como isso aconteceu?
  4. 4. <ul><li>Comportamento Social em Macacos. Investigações sobre a Teoria da Mente em Chimpanzés. Implicações no campo do Desenvolvimento Infantil (Autismo). </li></ul><ul><li>Pesquisas com animais em outras áreas e a descoberta de Neurônios Espelho. Implicações no entendimento da imitação, ressonância emocional e empatia. </li></ul><ul><li>Economia Experimental . Investigações sobre tomada de decisão, confiança e altruísmo. Implicações no entendimento do Comportamento Moral. </li></ul><ul><li>Psicologia Social . Investigações sobre modelagem e mudança de comportamento via manipulação sistemática de interação social. </li></ul><ul><li>Aspecto Tecnológico : Imagem Cerebral. Espera-se poder aumentar a capacidade de decifrar os processos cognitivos e como eles influenciam comportamentos sociais, e.g. estereotipias, emoções, atitudes e auto-controle. </li></ul>Neurociência Cognitiva Social Que estudos apoiaram o desenvolvimento?
  5. 5. <ul><li>Três Domínios Principais </li></ul><ul><li>“ Leitura” das disposições e emoções de outras pessoas, via expressão facial. </li></ul><ul><li>“ Leitura” das intenções, desejos, conhecimentos e crenças dos outros, via formulação de Teoria da Mente/Mentalização. </li></ul><ul><li>Participação em interações sociais, em tempo real, tipicamente via jogos econômicos. </li></ul>Neurociência Cognitiva Social Introdução aos Temas Foco nos efeitos da situação social sobre indivíduos Foca nos efeitos da situação social sobre os indivíduos e nos efeitos dos indivíduos sobre a situação social DOIS NÍVEIS DE COGNIÇÃO SOCIAL: Implícito e Explícito
  6. 6. Processos Implícitos e Explícitos <ul><li>Processos Implícitos : ocorrem em níveis mais baixos, são rápidos, altamente automatizados e inconscientes. </li></ul><ul><li>Processos Explícitos : ocorrem em níveis mais altos, são lentos, flexíveis, conscientes e requerem esforço mental. Podem ser adquiridos via aprendizagem, experiência social. </li></ul><ul><li>DOIS EXP. PODEM ILUSTRAR ESSES PROCESSOS </li></ul><ul><li>Exp. 1 Medo: Racismo Implícito </li></ul><ul><li>Exp.: 2 Mentalização: “False Belief” </li></ul>Em ambos os casos há duas formas, relativamente independente, uma implícita e outra explícita
  7. 7. O Contexto das Instruções <ul><li>PARA PENSAR... </li></ul><ul><li>Os Processos Explícitos são construídos sobre Processos Implícitos pré-existentes? </li></ul><ul><li>O conhecimento explícito pode afetar diretamente os Processos Implícitos? </li></ul><ul><li>Para os autores eles são altamente independentes. Algumas evidencias vêm de estudos fisiológicos básicos do medo e iniciam com estímulos visuais. </li></ul><ul><li>Exp.: Estímulo visual, seguido de choque. </li></ul>
  8. 9. Processos Implícitos e Explícitos VIA PRINCIPAL (longa e precisa) Estímulo Visual Tálamo Córtex Visual Amígdala VIA SECUNDÁRIA (curta e tosca) Estímulo Visual Tálamo Amígdala Figura: Vias cerebrais de defesa . Fonte: LeDoux (2001, pp. 152)
  9. 10. Efeitos Interferentes de Processos Sociais Implícitos <ul><li>Gaze Following : processo de seguir a direção do olhar de outra pessoa. Essa capacidade teria relação com o processamento de emoção, expressão e com a formulação da Teoria da Mente. </li></ul><ul><li>Função: Promover a “atenção compartilhada”, facilitando a aprendizagem acerca do “mundo” do outro. Exp. Alvo. </li></ul><ul><li>Imitating Actions : condição de ativação (via observação) das áreas motoras correspondentes à ação de outra pessoa. Condição favorecida pelos neurônios espelho e que pode explicar porque as pessoas tendem à imitar os gestos e movimentos daqueles com os quais interagem. </li></ul><ul><li>Função: Promover “objetivos compartilhados”. Exp.: Movimento do Braço. </li></ul><ul><li>Tracking the Knowledge the Others : condição de tentar incluir e considerar pontos de vista, informações e conhecimentos dos outros. </li></ul><ul><li>Função: Promover “eqüidade de conhecimento” para facilitar a comunicação, por exemplo. Exp.: Figuras no Quarto. </li></ul>
  10. 11. O Grupo Versus o Indivíduo <ul><li>Quando indivíduos competem dentro de grupos, os indivíduos mais egoístas ganham. Por outro lado, quando grupos competem entre si, os grupos com maior número de indivíduos altruístas ganham. </li></ul><ul><li>Então, como podem existir grupos que mantém altas proporções de indivíduos egoístas? </li></ul><ul><li>A resposta pode estar no fato de as respostas pró-sociais e cooperativas serem automáticas. Bem como, do fato de a presença de audiência (real ou imaginária) ativar processos cognitivos ligados à cooperação. </li></ul><ul><li>Exp.: Dictator Game </li></ul><ul><li>Exp.: Honesty Box </li></ul>
  11. 12. Emoção Egoísta e Razão Social? <ul><li>Exp.: Ultimatum Game </li></ul><ul><li>Altruistic Punishment - Outro exemplo de comportamento pró-social. Tal comportamento parece ser importante na manutenção da cooperação intra-grupal </li></ul><ul><li>Exp.: Common Good Games </li></ul><ul><li>A interpretação desses resultados em termos de processos implícitos e emocionais é decorrente de observações de ativação na Ínsula Anterior. </li></ul><ul><li>Logo, nem todos os processos automáticos são egoístas, alguns são altruístas. Tal idéia contradiz a noção de que o homem é egoísta por natureza. </li></ul><ul><li>Seriam os Processos Cognitivos Superiores necessários à regulação de processos automáticos pró-sociais e no afastamento de respostas egoístas? </li></ul>Não necessariamente !
  12. 13. Processos Superiores Controlados são Pró-sociais? <ul><li>A afirmação anterior se baseia na noção de que os Processos Explícitos não são unicamente pró-sociais. Eles estão presente em ambos os casos (i.e. egoísmo e altruísmo) e, eventualmente, podem servir para rejeitar processos automáticos pró-sociais. </li></ul><ul><li>Exp.: Hipocrisia Moral . Estudos que examinam os processos subjacentes à hipocrisia moral, através de tarefas cognitivas competitivas, mostram que: </li></ul><ul><li>Ao invés de compartilhar conhecimento, nós os seguramos e os usamos para manipular e persuadir os outros. </li></ul><ul><li>Avaliamos os nossos comportamentos egoístas como menos repreensivos do que os comportamentos egoístas de outros. </li></ul><ul><li>Usamos os processos cognitivos superiores para “racionalizar” e “justificar” por que (em nosso caso) “egoísmo é algo bom”. </li></ul>
  13. 14. Processos Automáticos Pró-sociais são Necessariamente Bons? <ul><li>Mas e os Processos Implícitos, são necessariamente bons? Aparentemente não ! </li></ul><ul><li>O que se sabe é que mesmo processo que nós leva à ajudar os membros de nosso próprio grupo podem nos levar à prejudicar membros de outros grupos. </li></ul><ul><li>Exp. Antisocial Punishment – trata-se da punição de indivíduos com comportamentos pró-social. </li></ul>
  14. 15. <ul><li>Processos Implícitos e Processos Explícitos apresentam uma interação recíproca que estudos futuros em Cognição Social devem tentar desvendar. </li></ul><ul><li>Se isso for possível, talvez possamos encontrar maneiras de previnir alguns dos grandes conflitos entre egoísmo e altruísmo que marcam a história humana. </li></ul>Considerações Finais

×