Idade moderna 2 site

4.380 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.380
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
261
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Idade moderna 2 site

  1. 1. Idade Moderna By Carlos
  2. 2. Durante a Idade Moderna conviveram: <ul><li>Sobrevivências feudais; </li></ul><ul><li>Intolerância irracional; </li></ul><ul><li>Fanatismo – tirania sanguinária da Inquisição; </li></ul><ul><li>Enfim, podemos encontrar elementos feudais na Idade Moderna. </li></ul><ul><li>Individualismo; </li></ul><ul><li>Nascente K; </li></ul><ul><li>Burguesia dinâmica; </li></ul><ul><li>Conhecimento científico; </li></ul><ul><li>Humanismo </li></ul><ul><li>Racionalismo. </li></ul>Ou seja, toda a Modernidade pode ser encarada como uma fase de transição entre o Feudalismo e o Capitalismo, possuindo características de ambas!!
  3. 3. Modificações da Idade Moderna <ul><li>Cultural – Renascimento cultural </li></ul><ul><li>Política – Absolutismo </li></ul><ul><li>Econômica – Expansão marítima </li></ul><ul><li>Religiosa – Reforma religiosa </li></ul>
  4. 4. Absolutismo <ul><li>Razões para a implantação do Absolutismo: </li></ul><ul><li>Apoio dado pela burguesia ao rei, fato que lhe permitiu progressivamente destruir o poder da nobreza; </li></ul><ul><li>Desenvolvimento do espírito nacionalista que provocou inclusive o choque entre os chefe de estado e o papado; </li></ul><ul><li>Teorias defendidas por teóricos como Bossuet e Bodin que os reis possuíam o Poder Divino, recebiam de Deus o poder para governar. </li></ul>
  5. 5. Caracterização do Absolutismo <ul><li>Caracterização do Absolutismo: </li></ul><ul><li>Vontade do rei tem força de lei; </li></ul><ul><li>Reis recebem o poder de Deus e somente a ele devem dar conta de seus atos; </li></ul><ul><li>“ O Estado sou eu” (frase atribuída a Luis XIV). </li></ul><ul><li>Mercantilismo – política econômica da Rev. Comercial e do Absolutismo. </li></ul>
  6. 6. Teóricos <ul><li>Maquiavel: “O Príncipe” </li></ul><ul><li>Hobbes: “Leviatã” </li></ul><ul><li>Bossuet: “Teoria do Direito Divino” </li></ul><ul><li>Bodin: “Seis Livros da República” </li></ul><ul><li>Grotius: “Pai do direito internacional” </li></ul>
  7. 7. Casos especiais <ul><li>França </li></ul><ul><li>Iniciou com a dinastia capetíngia. </li></ul><ul><li>Salto com Luis IX, com uma moeda única, facilitando o comércio. </li></ul><ul><li>Consolidação com a Guerra dos Cem Anos (1337 – 1453) </li></ul><ul><li>Auge com Luis XIV </li></ul><ul><li>Inglaterra </li></ul><ul><li>Henrique II (1154-1189) enfraqueceu a nobreza feudal e criou uma justiça unificada. </li></ul><ul><li>Ricardo Coração de Leão – cruzado </li></ul><ul><li>João Sem-terra (1199 – 1216) assinou a Magna Carta em 1215. </li></ul><ul><li>Guerra dos Cem Anos </li></ul><ul><li>Guerra das Duas Rosas (1455 – 1485) </li></ul><ul><li>Henrique VIII e Elisabeth I </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Península Ibérica </li></ul><ul><li>Portugal – 1° estado de tipo moderno a surgir </li></ul><ul><li>Revolução de Avis (1385) – D. João I aliado da burguesia inaugura uma monarquia centralizada </li></ul><ul><li>Espanha – a partir da união entre Fernando e Isabel </li></ul><ul><li>Ambos – Guerra de Reconquista </li></ul>
  9. 9. Práticas econômicas do Estado Absolutista – O Mercantilismo <ul><li>Metalismo </li></ul><ul><li>Balança de Comércio Favorável </li></ul><ul><li>Protecionismo </li></ul><ul><li>Intervencionismo Estatal </li></ul><ul><li>Colonialismo </li></ul><ul><li>Pacto Colonial </li></ul><ul><li>Tipos de Mercantilismos </li></ul><ul><li>Bulionismo </li></ul><ul><li>Colbertismo </li></ul><ul><li>Comercialismo </li></ul><ul><li>Cameralismo </li></ul><ul><li>Colonialismo </li></ul>
  10. 10. Renascimento Cultural <ul><li>Movimento cultural que se estendeu do século XIV ao XVI </li></ul><ul><li>Inspirado nos valores clássicos </li></ul><ul><li>Rejeitava os valores medievais </li></ul><ul><li>Iniciou na Itália: berço da cultura romana, renascimento comercial, chegada de sábios bizantinos principalmente após a queda de Constantinopla (1453) </li></ul><ul><li>Mecenas </li></ul>
  11. 11. Características do Renascimento <ul><li>Classicismo – inspiração nos valores clássicos, não era um retorno ao passado </li></ul><ul><li>Individualismo – ascensão da individualidade, exemplo nas pinturas, cemitérios </li></ul><ul><li>Hedonismo – busca pelo prazer </li></ul><ul><li>Naturalismo – valorização da natureza </li></ul><ul><li>Antropocentrismo – o homem é a medida de todas as coisas </li></ul><ul><li>Espírito crítico e racionalismo – busca por respostas, experimentação </li></ul>
  12. 12. Artistas Italianos <ul><li>Boccaccio – Decameron </li></ul><ul><li>Botticelli – Nascimento da Vênus </li></ul><ul><li>Da Vinci – Última Ceia, Gioconda </li></ul><ul><li>Rafael Sanzio – Madonas, Escola de Atenas </li></ul><ul><li>Michelangelo – Pietá, Davi, Capela Sistina </li></ul>
  13. 16. Expansão do Renascimento <ul><li>França – Rabelais (Gargantua e Pantagruel) </li></ul><ul><li>Espanha – Cervantes (Don Quixote de la Mancha) </li></ul><ul><li>Inglaterra – Shakespeare (Romeu e Julieta, Hamlet, A Megera Domada) </li></ul><ul><li>Portugal – Camões (Os Lusíadas) </li></ul><ul><li>Holanda - van eyck (Casal Arnolfini) </li></ul>
  14. 17. Renascimento Científico <ul><li>Copérnico – Heliocentrismo </li></ul><ul><li>Bacon – método indutivo, a observação leva a formação de leis universais </li></ul><ul><li>Harvey – circulação do sangue </li></ul><ul><li>Galileu – astronomia </li></ul><ul><li>Kepler – órbitas elípticas </li></ul>
  15. 18. Reforma Religiosa <ul><li>Fortalecimento dos Estados absolutos </li></ul><ul><li>Nobres e o desejo de possuir os bens da Igreja </li></ul><ul><li>Burguesia que desejava lucro </li></ul><ul><li>Renascimento cultural preconizava a razão </li></ul><ul><li>Corrupção do clero </li></ul><ul><li>Não cumprimento do celibato </li></ul>
  16. 19. Luteranismo <ul><li>1517 Lutero lança as suas “95 teses” criticando alguns pontos da Igreja católica </li></ul><ul><li>Salvação pela fé </li></ul><ul><li>Livre interpretação da bíblia </li></ul><ul><li>Fim da hierarquia da Igreja </li></ul><ul><li>Culto simples </li></ul><ul><li>1520 – papa Leão X excomungou Lutero </li></ul><ul><li>1521 0 Dieta de Worms – Lutero reafirma suas idéias </li></ul><ul><li>1529 – Dieta de Spira – tolerância da nova religião nos Estados que já tinham-na adotado </li></ul><ul><li>1530 – Filipe Melanchton – Confissão de Augsburgo – princípios do luteranismo </li></ul><ul><li>1555 – Paz de Augsburgo – o príncipe define a religião – tal príncipe, tal religião </li></ul>
  17. 20. Calvinismo <ul><li>Salvação não depende da fé ou das obras, mas o homem já nasce predestinado </li></ul><ul><li>Bíblia como única fonte da verdade </li></ul><ul><li>Exclusão do culto aos santos e às imagens </li></ul><ul><li>Combate ao celibato e à autoridade papal </li></ul><ul><li>Manutenção dos sacramentos do batismo e eucaristia </li></ul><ul><li>Justificação da usura </li></ul><ul><li>Teve grande aceitação na burguesia pois se preocupava com a valorização do trabalho e da riqueza. </li></ul><ul><li>Caracterizavam-se por severas normas de vida e proibições: era vedado os jogos, danças, festas, comemorações católicas, uso de adornos, adoção de nomes que não fossem bíblicos, reuniões familiares com mais de vinte membros, críticas ao governo. </li></ul>
  18. 21. Anglicanismo <ul><li>Ato de supremacia – 1534 – onde o rei foi reconhecido como o único chefe da Igreja nos territórios ingleses </li></ul><ul><li>Desejo de rompimento do casamento entre Henrique VIII e Catarina de Aragão </li></ul><ul><li>O Anglicanismo se consolidou definitivamente durante o reinado de Elizabeth I quando foi aprovado a Lei dos 39 Artigos (1562), que transformou o anglicanismo numa combinação dos rituais católicos e da doutrina calvinista. </li></ul>
  19. 22. Contra-Reforma <ul><li>Reação da Igreja contra o protestantismo; </li></ul><ul><li>A contra-reforma determinou seus rumos no Concílio de Trento (1545); </li></ul><ul><li>Reativar o tribunal do santo ofício; </li></ul><ul><li>Editar o Index; </li></ul><ul><li>Surgimento da Cia. De Jesus. </li></ul>
  20. 23. Expansão Marítima Européia <ul><li>Séculos XV, XVI e XVII; </li></ul><ul><li>Renascimento comercial com as cidades italianas e desenvolvimento do comercio no norte da Europa; </li></ul><ul><li>Acúmulo de riquezas – utilizadas e, novas empreitadas; </li></ul><ul><li>Quebra do monopólio das cidades italianas; </li></ul><ul><li>Escassez de metais na Europa; </li></ul><ul><li>Apoio dos reis – fonte de renda para as Coroas; </li></ul><ul><li>Interesse em descobrir outro caminho para as Índias; </li></ul><ul><li>Progresso técnico científico. </li></ul>
  21. 24. <ul><li>Pioneirismo Português </li></ul><ul><li>Progresso técnico-científico </li></ul><ul><li>Estado Moderno </li></ul><ul><li>Mercantilismo </li></ul><ul><li>Paz interna </li></ul><ul><li>Posição geográfica </li></ul><ul><li>Espírito cruzadistico </li></ul>
  22. 25. <ul><li>Conseqüências da Expansão: </li></ul><ul><li>Mudança do Eixo econômico para o Atlântico; </li></ul><ul><li>Decadência do comércio italiano – novas potências; </li></ul><ul><li>XG fluxo de metais para a Europa – Espanha; </li></ul><ul><li>Desenvolvimento do sistema bancário e de crédito – Fuggers; </li></ul><ul><li>Estabelecimento dos fundamentos do K moderno; </li></ul><ul><li>Enriquecimento da burguesia; </li></ul><ul><li>Difusão da cultura européia – pcp na América; </li></ul><ul><li>Fortalecimento do poder real – Absolutismo; </li></ul><ul><li>Preparação do desenvolvimento industrial; </li></ul><ul><li>Acordos e tratados – Bula intercoetera(1493) e Tordesilhas(1494). </li></ul>
  23. 26. Antigo Sistema Colonial na América <ul><li>Povos pre-colombianos </li></ul><ul><li>América espanhola </li></ul><ul><li>America inglesa </li></ul>
  24. 27. Maias
  25. 28. Política <ul><li>Cidades-estados independentes </li></ul><ul><li>Governados por um chefe que dirigia a política e recebia impostos, assessorado por um conselho de nobres e sacerdotes </li></ul><ul><li>Cidades: Tikal, Palenque, Chihen Itza, Copán </li></ul>
  26. 29. Economia <ul><li>Agricultura – atividade fundamental sendo o milho o principal produto </li></ul><ul><li>Terra pertencia ao Estado e era cultivada coletivamente </li></ul><ul><li>Caça e pesca eram atividades complementares </li></ul><ul><li>Artesanato bem desenvolvido – tecido, cerâmica, lapidação </li></ul><ul><li>Desenvolveram um importante comércio com os povos vizinhos. </li></ul>
  27. 30. Sociedade <ul><li>Nobres: chefes guerreiros. </li></ul><ul><li>Sacerdotes: controle da religião. </li></ul><ul><li>Povo: maioria da população (trabalhadores da agricultura, construções e artesanato). </li></ul><ul><li>Escravos: em pequeno número, prisioneiros de guerra ou condenados. </li></ul>
  28. 31. Religião <ul><li>Politeístas – divindades relacionadas aos fenômenos da natureza. </li></ul><ul><li>Construção de templos em homenagem aos deuses </li></ul>
  29. 32. Produção cultural <ul><li>Artes: destaque para a arquitetura, pintura e escultura (baixos-relevos que retratavam divindades, sacerdotes ou chefes políticos. </li></ul><ul><li>Ciências: desenvolveram a matemática e a astronomia. Fizeram cálculos complexos como a duração da rotação de Vênus, fases da Lua, eclipses solares. </li></ul>
  30. 33. ASTECAS
  31. 34. Política <ul><li>Monarquia Semi-teocrática </li></ul><ul><li>Chefe Político-militar - Tlatoani </li></ul><ul><li>Grande Império </li></ul><ul><li>Capital-Tenochtitlán </li></ul><ul><li>Alianças (Texcoco e Tlácopan) </li></ul><ul><li>Força Militar- Imposição Asteca as províncias conquistadas </li></ul>
  32. 35. Economia <ul><li>“ Povo anfíbio” </li></ul><ul><li>Chinampas </li></ul><ul><li>Principal cultivo- Milho </li></ul><ul><li>Comércio (Moeda cacau) </li></ul><ul><li>Praticavam a caça e pesca </li></ul>
  33. 36. Sociedade <ul><li>Soberano (família), Sacerdotes e Militares </li></ul><ul><li>Comerciantes “Pochtecas” </li></ul><ul><li>Pequenos comerciantes, artesões e agricultores </li></ul><ul><li>Meceuali ou Calpulli (comunidades) </li></ul><ul><li>Escravos ( Dívida ou espólio de guerra) </li></ul>
  34. 37. Religião e Cultura <ul><li>“ Arquitetura matemática” </li></ul><ul><li>Cultura medicinal </li></ul><ul><li>Calendário solar com 365 dias </li></ul><ul><li>Politeístas </li></ul><ul><li>Deus maior- Quetzal-coált </li></ul><ul><li>Sacrifício voluntário </li></ul><ul><li>Agradar aos Deuses e garantir o ciclo da vida </li></ul>
  35. 38. Conquista espanhola <ul><li>Último Imperador Asteca- Montezuma II </li></ul><ul><li>“ Retorno dos Deuses” </li></ul><ul><li>Tenochtitlán derrubada </li></ul><ul><li>Doenças </li></ul><ul><li>Hernan Cortez(1519-21) </li></ul><ul><li>Encomienda e Mita </li></ul>
  36. 39. Incas
  37. 40. Política <ul><li>Monarquia teocrática. </li></ul><ul><li>Imperados ao mesmo tempo era o chefe político, religioso e militar. </li></ul><ul><li>Poder sustentado no culto ao Sol, ele era considerado a sua encarnação na terra. </li></ul><ul><li>Sucessão ao trono era hereditária. </li></ul><ul><li>Lutas internas enfraqueceram o império e facilitou a conquista. </li></ul>
  38. 41. Economia <ul><li>Agricultura bem desenvolvida inclusive com adubos e irrigação. </li></ul><ul><li>Domesticaram a lhama, vicunha e a alpaca – transporte, lã e couro. </li></ul><ul><li>Comércio feito em grandes mercados locais, mas desconheciam a moeda. </li></ul><ul><li>Trabalhavam com metais preciosos. </li></ul>
  39. 42. Economia
  40. 43. Sociedade <ul><li>Nobres e sacerdotes – o Inca (imperador) era a figura mais importante. Essa grupo estava isento de impostos e do trabalho gratuito. </li></ul><ul><li>Povo – camada social não-privilegiada formada basicamente por camponeses. Trabalhavam nas terras do Estado e pagavam impostos sob a forma de serviços. </li></ul><ul><li>Ayllus – comunidades formadas por laços de parentesco ou aliança. </li></ul>
  41. 44. Religião <ul><li>Adoravam as forças da natureza. INTI (Sol) e QUILLA (Lua). </li></ul><ul><li>Havia também o deus do trovão, do arco-íris, dos planetas, etc. sobre todos eles estava WIRACOCHA (deus criador). </li></ul><ul><li>Contavam com um bem organizado corpo de sacerdotes. </li></ul>
  42. 45. Produção cultural <ul><li>Grande destaque para a arquitetura, exemplo Machu Picchu. </li></ul><ul><li>Criaram um sistema de numeração decimal, denominado Quipu. Registravam as informações em diferentes cordões, com nós. </li></ul><ul><li>Usavam ervas medicinais e a sangria. Realizavam também a trepanação. </li></ul>
  43. 46. Conquista do Império Inca <ul><li>Francisco Pizarro. </li></ul><ul><li>Império Inca vivia momentos difíceis devido as lutas entre Atahualpa e Huascar (vencida pelo primeiro). </li></ul><ul><li>1533 espanhóis tomaram as cidades de Cuzco e Quito. Dois anos depois fundaram a cidade de Lima, a nova capital. </li></ul>
  44. 47. A SOCIEDADE COLONIAL ESPANHOLA: (aproximadamente 20 milhões de pessoas). CHAPETONES e CLERO : Espanhóis, altos cargos, privilégios. CRIOLLOS: Descendentes de espanhóis nascidos na América. Elite colonial, grandes proprietários e comerciantes. Integrantes dos Cabildos (Câmaras Municipais) MESTIÇOS : capatazes e artesãos que serviam aos criollos. ÍNDIOS e NEGROS: explorados como escravos ou “semi-escravos” ( Mita ou Repartimiento, E ncomienda. 58% 27,5% 13,5% 1%
  45. 48. Estrutura colonial espanhola <ul><li>Casa de Contratación </li></ul><ul><li>Conselho das índias </li></ul><ul><li>Adelantados </li></ul><ul><li>Vice-reinos </li></ul><ul><li>Captanias Gerais </li></ul><ul><li>Cabildos (Poderes locais- Criollos) </li></ul><ul><li>Reduções e Missões </li></ul><ul><li>Regime dos portos únicos (Sevilha) </li></ul>
  46. 49. <ul><li>Movimento cultural responsável por criticar o Estado Absolutista ou Antigo Regime, também conhecido como “Filosofia das Luzes” ou “Ilustração”. </li></ul><ul><li>Movimento que arquitetou as idéias que derrubaram o Antigo Regime. </li></ul>Iluminismo
  47. 50. Fim da Idade Média Séculos XIII e XIV Rei + Burguesia Unificação Política Aspirava o comércio Desenvolvimento comercial Aumento de Lucros Ascensão econômica da burguesia Séculos XV e XVI Grandes navegações Representam a ascensão econômica
  48. 51. Séculos XVII e XVIII Burguesia Passa a aspirar o Poder político Crítica ao Antigo Regime <ul><li>Antigo Regime ou Absolutismo Monárquico  </li></ul><ul><li>Política: Poder absoluto dos reis. </li></ul><ul><li>   Social: Sociedade dividida em estamentos (clero, nobreza e povo). </li></ul><ul><li> Economia: Mercantilismo. Intervenção do Estado na economia. </li></ul><ul><li>   Cultural: intolerância religiosa e filosófica. </li></ul>Ao criticar o antigo regime a burguesia criou a sua própria ideologia . “ O Estado só é poderoso se for rico. Para enriquecer deve haver capitalismo. Para haver capitalismo a burguesia deve estar no poder”. Surge então o ILUMINISMO
  49. 52. <ul><li>Características do Iluminismo:   </li></ul><ul><li>Igualdade: Perante a lei, economicamente desigual. </li></ul><ul><li>Tolerância religiosa ou filosófica: Não interessava ou era, mas sim o que tinha. </li></ul><ul><li>Liberdade: Pessoas livres = a Mercado consumidor. </li></ul><ul><li>Propriedade Privada: Não a estatização e sim a privatização. </li></ul>Lema Iluminista: LIBERDADE, IGUALDADE E PROPRIEDADE . <ul><li>Combatia: </li></ul><ul><li>Absolutismo: Impedia a participação política da burguesia, impedindo a realização dos seus ideais. </li></ul><ul><li>Mercantilismo: Prejudicial a Livre iniciativa (o mercantilismo controla a economia) </li></ul><ul><li>Poder da Igreja: Não permitia a liberdade de pensamento. </li></ul>
  50. 53. <ul><li>Teóricos: </li></ul><ul><li>Montesquieu: Separação dos poderes (legislativo, Executivo e Judiciário). </li></ul><ul><li>Voltaire: Campeão da liberdade individual. </li></ul><ul><li>Diderot e D’Alembert: A Enciclopédia. </li></ul><ul><li>Rousseau: Contrato Social (O povo elege para o bem comum) e o Bom selvagem (a pessoa é boa por natureza, à sociedade a corrompe). </li></ul><ul><li>Quesnay: A terra é a maior fonte de riqueza. Fisiocracia. </li></ul><ul><li>Adam Smith: Liberalismo econômico. Livre jogo da oferta e da procura. Laissez – Faire . Deixe fazer deixe passar. </li></ul>
  51. 54. Revolução Francesa (1789 – 1799)
  52. 55. <ul><li>Movimentos que antecedem a Revolução: </li></ul><ul><li>A revolta aristocrática: o agravamento do quadro econômico leva a convocação da Assembléia dos Notáveis (1787). </li></ul><ul><li>O problema da votação na reunião dos Estados Gerais foi o estopim do movimento (voto por cabeça X voto de classe). </li></ul>
  53. 56. Assembléia Nacional Constituinte (1789 – 1791) <ul><li>Tomada da Bastilha (14/07/1789) </li></ul><ul><li>Supressão dos privilégios feudais </li></ul><ul><li>Declaração dos Direitos dos Homens e dos Cidadãos = Liberdade, Igualdade e Fraternidade </li></ul><ul><li>Os bens do clero passaram a ser administrados pelo Estado </li></ul><ul><li>Promulgação da constituição de 1791 </li></ul>
  54. 57. Assembléia Legislativa (1791 – 1792) <ul><li>Fase curta e transitória. </li></ul><ul><li>Assembléia Legislativa composta na sua maioria por membros da Alta burguesia. </li></ul><ul><li>Parlamentares obrigam o rei a declarar guerra à Áustria. </li></ul><ul><li>Povo invade o palácio das Tulherias e aprisiona a família real. </li></ul><ul><li>Prússia invade a França. </li></ul><ul><li>Forças francesas vencem os prussianos. </li></ul>
  55. 58. Convenção Nacional (1792 – 1795) <ul><li>Fase popular da Revolução. </li></ul><ul><li>Jacobinos (PP burguesia – radicais) no poder – Período do Terror. </li></ul><ul><li>Principais líderes: Danton, Marat e Robespierre. </li></ul><ul><li>Luis XVI é guilhotinado. </li></ul><ul><li>Proclamada a República e instaurado o sufrágio universal. </li></ul><ul><li>Poder concentrado em Juntas: de Salvação Pública, Comissão de Segurança Nacional e Tribunal Revolucionário. </li></ul><ul><li>Adoção do sistema métrico decimal. </li></ul><ul><li>Construção do Louvre. </li></ul><ul><li>Novo calendário. </li></ul><ul><li>Abolição da escravidão nas colônias. </li></ul><ul><li>Reforma agrária. </li></ul><ul><li>Golpe de 09 de Termidor – queda da PP burguesia e volta dos Girondinos no poder. </li></ul>
  56. 59. Diretório (1795 – 1799) <ul><li>Convenção vota nova constituição: do ano III (1795) – restabelece o voto censitário, implanta o Diretório. </li></ul><ul><li>Fase corrupta, alta inflação e instabilidade política. </li></ul><ul><li>Campanha na Itália com Napoleão Bonaparte. </li></ul><ul><li>Conjura dos Iguais: comandada por Graco Babeuf. </li></ul><ul><li>Golpe do 18 Brumário: Napoleão apoiado pelo exército e alta burguesia derruba o Diretório e chega ao poder. </li></ul>
  57. 60. O Período Napoleônico 1799 - 1815 <ul><li>Consulado (1799 – 1804) </li></ul><ul><ul><li>Saneamento financeiro; </li></ul></ul><ul><ul><li>Fundação do Banco da França; </li></ul></ul><ul><ul><li>Reorganização do ensino </li></ul></ul><ul><ul><li>Concordata com a Igreja; </li></ul></ul><ul><ul><li>Código Napoleônico. </li></ul></ul>
  58. 61. <ul><li>O Império Napoleônico (1804 – 1814) </li></ul><ul><ul><li>1806 – Bloqueio Continental; </li></ul></ul><ul><ul><li>1812 – Campanha da Rússia; </li></ul></ul><ul><ul><li>1813 – Derrota na Batalha das Nações (Leipzig); </li></ul></ul><ul><ul><li>1814 – Exílio na ilha de Elba e o retorno dos Bourbons na França com Luis XVIII; </li></ul></ul><ul><ul><li>1815 – Fuga de Elba inaugurando na França o chamado Governo dos Cem dias. Derrota final na Batalha de Waterloo e morte na ilha de Santa Helena (1821). </li></ul></ul>
  59. 62. Congresso de Viena (1814 – 1815) <ul><li>Formado pelos países que derrotaram Napoleão: </li></ul><ul><ul><li>Áustria, Inglaterra, França, Rússia e Prússia. </li></ul></ul><ul><ul><li>Refazer o mapa europeu </li></ul></ul><ul><ul><li>Defendia a restauração, a legitimidade e a solidariedade. </li></ul></ul>
  60. 63. Santa Aliança <ul><li>Organização internacional que se comprometia a se defender mutuamente e a combater movimentos liberais revolucionários. </li></ul><ul><li>Áustria, Prússia e Rússia. </li></ul><ul><li>Foi assumido o compromisso de intervir militarmente em qualquer país que despontassem movimentos inspirados no liberalismo democrático. </li></ul><ul><li>Em 1825 a Santa Aliança e o sistema conservador europeu começaram a enfraquecer. </li></ul>

×