Física - UCS 1
UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL
Campus Universitário da Região dos Vinhedos
Centro de Ciências Exatas, da Nat...
Força de Atrito
Física - UCS2
Introdução
Este experimento tem por finalidade primordial estudar o movimento de corpos em
c...
Física - UCS 3
Objetivo
O desenvolvimento das atividades experimentais tem como objetivo mostrar o contato
de corpos que s...
Força de Atrito
Física - UCS4
Resultados e Discussões
Após a realização dos procedimentos experimentais, pelos dados obtid...
Física - UCS 5
Abaixo, dados obtidos pela atividade realizada em sala de aula sobre força de atrito.
MEDIDAS mls Força Gra...
Força de Atrito
Física - UCS6
Fórmula do atrito e passos para encontrar o coeficiente de atrito das medições
feitas nas at...
Física - UCS 7
Conclusão
Em física, o atrito é uma força natural que atua apenas quando um objeto está em
contato com outr...
Força de Atrito
Física - UCS8
Referências
TIPLER, Paul A. Física para cientistas e engenheiros. Vol. 3. Rio de Janeiro: GE...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

3º relatório física

248 visualizações

Publicada em

3

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
248
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
25
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

3º relatório física

  1. 1. Física - UCS 1 UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL Campus Universitário da Região dos Vinhedos Centro de Ciências Exatas, da Natureza e Tecnologia FORÇA DE ATRITO Componentes: Aline de Godoy; Ariane dos Santos Dorneles; Carine Aliati; Claudecir Bens; Kétini Mafalda Sacon Bacin; Lucas Rossatto Messias; Patrícia Amaro e Willian Lando Czeikoski e-mails: agodoy@ucs.br; asdorneles@ucs.br; caliati@ucs.br; cbes@ucs.br;kmsbaccin@ucs.br; lrmessias@ucs.br; pamaro1@ucs.br; wlczeikoski@ucs.br; Bento Gonçalves, 13 de julho de 2015.
  2. 2. Força de Atrito Física - UCS2 Introdução Este experimento tem por finalidade primordial estudar o movimento de corpos em contato sob a ação de uma força, provocando o deslizamento de um corpo sobre a superfície do outro. Neste caso, a superfície de apoio exerce uma força de reação devido ao atrito entre os mesmos. Esta força de reação é a então chamada força de atrito, a qual será o assunto relatado. Para existir a força de atrito, deve haver movimentos relativos entre os corpos em contato, ou pelo menos a tendência de um se mover em relação ao outro graças à ação de outra(s) força(s) externa(s) a ele(s) aplicado. A força de atrito f é sempre paralela às superfícies em interação e é causada pela oposição que a superfície de um dos corpos opõe ao movimento relativo do outro. A ação do atrito sobre a superfície dependerá do estado do contato: grau de polimento, oxidação, presença ou não de camadas fluidas (água ou lubrificantes) e de contaminantes. Foi verificado experimentalmente que em muitos casos a força de atrito é proporcional à força normal N que é a força de contato que pressiona perpendicularmente um corpo contra o outro. Apesar de sempre paralelo às superfícies em interação, o atrito entre estas depende da força normal entre o objeto e a mesma; quanto maior for à força normal maior será o atrito.
  3. 3. Física - UCS 3 Objetivo O desenvolvimento das atividades experimentais tem como objetivo mostrar o contato de corpos que se deslocam sob ação de uma força, quando existe uma interação de contato entre os mesmos. Os resultados obtidos pelos cálculos feitos permitirá a elaboração gráfica, por meio da qual seja possível determinar o coeficiente de atrito. A força de atrito é calculada pela seguinte relação: Fat = força de atrito μ = coeficiente de atrito N = força normal Material Utilizado  Dinamômetro  Corpo de prova (bloco de madeira)  Copo de Becker de 600ml  Água  Régua Procedimento Colocando o bloco de madeira sobre uma mesa horizontal engatou-se o dinamômetro ao mesmo, e em cima do bloco, o Becker. Puxamos o corpo, na horizontal, com o dinamômetro até o instante antes que ele se mova. Medimos a força exercida na leitura do dinamômetro. Repetiu-se os procedimentos, porém colocou-se 100ml a cada medição. Sempre anotando-se os resultados. E ao final da coleta dos dados elaborou-se o gráfico. Figura 1: materiais utilizados Figura 2: experimento em ação
  4. 4. Força de Atrito Física - UCS4 Resultados e Discussões Após a realização dos procedimentos experimentais, pelos dados obtidos e a aplicação dos mesmos, obtemos os resultados necessários para a atividade esperada. Discussão feita pelo grupo: O dinamômetro é um aparelho que consiste na deformação que a mola sofre em razão da ação de uma força que é proporcional a esta força aplicada. Geralmente, quando empurramos (ou puxamos) um objeto, ele não entra em movimento. Isso ocorre porque também passa a atuar sobre ele outra força. Esta força, que aparece toda vez que um corpo tende a entrar em movimento é chamada de força de atrito. O esquema abaixo mostra o modo como a força de atrito age no conjunto. As forças que atuam sobre um corpo são: a força peso exercida pela Terra, a força de sustentação exercida pelo plano ou força normal e a força de atrito exercida pelo contato entre o plano e o corpo. A força normal (N) surge sempre que um corpo é apoiado sobre uma superfície. Ela equilibra a força peso aplicada sobre um corpo e é sempre perpendicular às superfícies em contato, por isto é chamada de normal. O atrito aparece sempre que duas superfícies em contato deslizam uma sobre a outra. Este efeito é sempre contrário ao movimento.
  5. 5. Física - UCS 5 Abaixo, dados obtidos pela atividade realizada em sala de aula sobre força de atrito. MEDIDAS mls Força Gramas Quilogramas 1ª 0 0,1 263 0,263 2ª 100 0,6 363 0,363 3ª 200 1 463 0,463 4ª 400 1,2 663 0,663 5ª 500 1,4 763 0,763 E a obtenção dos resultados gerou um gráfico, que envolve a massa do corpo e a força obtida pelo mesmo.
  6. 6. Força de Atrito Física - UCS6 Fórmula do atrito e passos para encontrar o coeficiente de atrito das medições feitas nas atividades. Fat = μ x N Fat/N = μ μ = Fat/Kg (9,8) Cálculos: 1ª μ = 0,1/0,263 x 9,8 μ = 0,1/2,6 μ = 0,038 Fat/N 2ª μ = 0,6/0,363 x 9,8 μ = 0,6/3,2 μ = 0,1875 Fat/N 3ª μ = 1/0,463 x 9,8 μ = 1/4,5 μ = 0,222 Fat/N 4ª μ = 1,2/0,663 x 9,8 μ = 1,2/6,5 μ = 0,184 Fat/N 5ª μ = 1,4/0,763 x 9,8 μ = 1,4/7,5 μ = 0,186 Fat/N
  7. 7. Física - UCS 7 Conclusão Em física, o atrito é uma força natural que atua apenas quando um objeto está em contato com outro e sofre a ação de outra força que tende a colocá-lo em movimento. Podemos verificar isto no dia a dia, como por exemplo: quando um corpo está em cima de uma mesa de superfície horizontal, ao início este está parado, mas quando se tenta empurrá-lo é necessário contrariar a força existente. De acordo com os nossos cálculos verificou-se que o coeficiente de atrito da madeira varia de acordo com a superfície que ela está em contato e com a massa em que nela ela inserida. As forças de atrito apresentam, na maior parte das situações, desvantagens pois contribuem para a perda de energia em muitos processos, no entanto também não seria possível fazer várias coisas sem elas, como por exemplo, caminhar, andar de bicicleta ou de carro.
  8. 8. Força de Atrito Física - UCS8 Referências TIPLER, Paul A. Física para cientistas e engenheiros. Vol. 3. Rio de Janeiro: GEN LTC, 1993. RESNICK, Robert; HALLIDAY, David e KRANE, Kenneth S.: Física 1. 5ª edição. Editora LTC, 2002. Me Salva! DIN013 – Força de Atrito. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=9QvFcJEaMhQ>. Acesso em: 10 jul. 2015, 00:28. HALLIDAY, David; WALKER, Jearl e RESNICK, Robert. Fundamentos de física, vol.1: mecânica, 8 edição. Rio de Janeiro, GEN LTC, 2008.

×