SlideShare uma empresa Scribd logo
4 - NEGOCIAÇÕES COMERCIAIS
Possuindo dinheiro, as pessoas têm tendência natural ao consumo imediato de bens e
serviços. Se todos procurassem consumir ao mesmo tempo, haveria uma falta de bens e
serviços, levando à inflação, que é o aumento geral de preços. O mesmo acontece com o
dinheiro, papel-moeda. Atualmente, um bom número de pessoas usa o dinheiro
eletrônico, faz pagamentos, transferências, depósitos, etc., sem manipular dinheiro
diretamente. O que vemos são números diante dos nossos olhos. O dinheiro se
transformou em números. Se todos quisessem sacar, ao mesmo tempo, os recursos que
estão em suas contas bancárias, certamente não haveria papel-moeda suficiente para
atender a todos estes saques. Para que isso não aconteça, o governo incentiva a
poupança financeira com a promessa de pagamento de juros como instrumento de
política econômica e financeira. As instituições financeiras também utilizam o mesmo
recurso, elas pagam o nosso dinheiro que está depositado e emprestam àqueles que estão
necessitados cobrando uma taxa de juros. Daí o motivo pela qual não existe papel-
moeda suficiente para todas as pessoas sacarem ao mesmo tempo.
As taxas de juros são determinadas pelo mercado, mas o governo tem intervenção direta
no mercado, subindo ou descendo a mesma. Cada vez que o governo sobe a taxa, o
dinheiro fica mais caro e em razão disto, diminui o consumo. Quando a taxa desce, o
dinheiro fica mais acessível e o consumo aumenta, trazendo consigo o risco de inflação.
As taxas de juros também variam conforme o prazo. Quanto mais longo o prazo, maior
será a taxa de juros.
Termos comumente empregados no mundo financeiro:
- Capital (principal): corresponde ao recurso financeiro que seu proprietário cede
temporariamente ao tomador.
- Juro : é a remuneração do capital, podendo ser simples ou composto.
- Taxa de juro : é uma taxa que se aplica ao capital.
- Prazo : é o espaço de tempo em que o capital fica em poder do tomador.
- Resgate ou amortização : é a forma como o capital é resgatado ou amortizado.
- Spread : taxa de intermediação cobrada pelo intermediário financeiro.
4.1 - Juro Comercial
Por convenção, os juros são calculados com base em ano comercial de 360 dias. Então,
a taxa anual refere-se ao período de 360 dias, a taxa semestral ao período de 180 dias e a
taxa mensal ao período de 30 dias. A taxa de juro poderá ser fixa ou variável. A fixa não
se altera durante o período. Exemplo: 8,5 % a.m. durante 10 meses. A variável se altera
de acordo com o mercado. Exemplo: Taxa Libor (London Interbank Offered Rate) e
Taxa Anbid (Assoc. Nacional de Bancos de Investimentos e Desenvolvimento)
4.2 - Juro Real
Quando a taxa de juro é maior que a inflação, a diferença refere-se ao juro real, porque a
parte do juro igual ao da inflação corresponde à simples reposição do capital.
4.3 - Juros Simples
No regime de juros simples, o juro é calculado somente sobre o capital inicial, mesmo
que exista mais de um período de capitalização durante o prazo. Os juros simples
apresentam comportamento linear.
fórmula : J = P * i * n
onde : J = juro, P = Principal ( capital inicial ), i = taxa de juro, n = tempo ( número de
capitalização )
Exemplo:
Você aplicou a quantia de R$ 1.000,00 em um determinado banco em 01/03/2003, que
lhe prometeu juros simples de 5 % ao mês, durante 5 meses. Qual será a quantia que
terás no final do período ?
J = R$ 1.000,00 x 0,05 x 5
J = R$ 250,00
onde o Montante ( M ) será igual a :
M = P + J
M = R$ 1.000,00 + R$ 250,00 --> M = R$ 1.250,00
Demonstração da capitalização
Data Mês Saldo Início Juros do Mês Saldo final
01/03/2003 - 0 - R$ 1.000,00 - 0 - R$ 1.000,00
01/04/2003 01 R$ 1.000,00 R$ 50,00 R$ 1.050,00
01/05/2003 02 R$ 1.050,00 R$ 50,00 R$ 1.100,00
01/06/2003 03 R$ 1.100,00 R$ 50,00 R$ 1.150,00
01/07/2003 04 R$ 1.150,00 R$ 50,00 R$ 1.200,00
01/08/2003 05 R$ 1.200,00 R$ 50,00 R$ 1.250,00
4.4 - Juros Compostos
Neste regime, conhecido como juros sobre juros, o juro é calculado sobre o capital e
também sobre o juros produzidos nos períodos seguintes, até seu efetivo pagamento.
Exemplo:
Você aplicou a quantia de R$ 1.000,00 em um determinado banco em 01/03/2003, que
lhe prometeu juros compostos de 5 % ao mês, durante 5 meses. Qual será a quantia que
terás no final do período?
Demonstração da capitalização
Data Mês Saldo Início Juros do Mês Saldo final
01/03/2003 - 0 - R$ 1.000,00 - 0 - R$ 1.000,00
01/04/2003 01 R$ 1.000,00 R$ 50,00 R$ 1.050,00
01/05/2003 02 R$ 1.050,00 R$ 52,50 R$ 1.102,50
01/06/2003 03 R$ 1.102,50 R$ 55,13 R$ 1.157,63
01/07/2003 04 R$ 1.157,63 R$ 57,68 R$ 1.215,51
01/08/2003 05 R$ 1.215,51 R$ 60,78 R$ 1.276,28
4.5 - Prazo Médio Ponderado Simples
O Prazo Médio Ponderado Simples ( PMPS ) de um conjunto de capitais de diferentes
datas de vencimento é calculado com a ponderação de valores nominais em relação a
prazos. Este dado é muito importante pois, deveremos ter muito cuidado quando
estamos negociando com fornecedores e estes nos oferecem diversas opções. Nestes
casos deveremos fazer o cálculo do prazo médio para sabermos se o mesmo está
superior ou inferior aos nossos prazos médios que estamos habituados a negociar com
os nossos clientes. Exemplo:
Calcular o PMPS dos títulos que estaremos encaminhando ao banco para desconto.
Prazos de vencimentos
( dias )
Valores
nominais
30 R$ 100.000
60 R$ 100.000
90 R$ 100.000
180 R$ 100.000
Total R$ 400.000
então:
30 x R$ 100.000 = R$ 3.000.000
60 x R$ 100.000 = R$ 6.000.000
90 x R$ 100.000 = R$ 9.000.000
180 x R$ 100.000 = R$ 18.000.000
R$ 36.000.000
R$ 36.000.000 / R$ 400.000 = 90 dias
O prazo médio de 90 dias significa que os diversos títulos, no valor nominal de R$
400.000, vencem em média dentro de 90 dias. Se a taxa de juros bancária for de 4 %
a.m. o valor descontado por antecipação seria calculado da seguinte forma:
VP = R$ 400.000 / (1,04) ³ = R$ 355.598,54
Outro exemplo com valores diferentes:
O fornecedor lhe oferece uma determinada mercadoria com duas opções de pagamento.
A primeira opção com pagamento em três parcelas iguais de R$ 10.000,00 nos prazos
de 30, 60 e 90 dias e, a segunda opção, com pagamento de R$ 20.000,00 para 45 dias e
o restante para 65 dias. Qual das alternativas é a melhor para a empresa, no que diz
respeito ao prazo médio de pagamento?
Cálculo do PMPS 1ª opção: (30 + 60 + 90) / 3 = 60 dias
Cálculo do PMPS da 2ª opção:
45 x R$ 20.000,00 = R$ 900.000,00
65 x R$ 10.000,00 = R$ 650.000,00
R$ 1.550.000,00
então: R$ 1.550.000,00 / R$ 30.000,00 = 52 dias
Analisando as duas propostas, a melhor opção para o comprador seria a primeira, pois o
prazo médio é um pouco mais elástico. Claro que para tomar essa decisão o AF deverá
estar com o seu Fluxo de Caixa atualizado e deverá conhecer também o estoque
mínimo, o estoque máximo e o giro desta mercadoria, para não fazer compras
desnecessárias comprometendo o capital de giro da empresa.
Anterior Próximo
http://www.fluxo-de-caixa.com/fluxo_de_caixa/comercial.htm
de 30, 60 e 90 dias e, a segunda opção, com pagamento de R$ 20.000,00 para 45 dias e
o restante para 65 dias. Qual das alternativas é a melhor para a empresa, no que diz
respeito ao prazo médio de pagamento?
Cálculo do PMPS 1ª opção: (30 + 60 + 90) / 3 = 60 dias
Cálculo do PMPS da 2ª opção:
45 x R$ 20.000,00 = R$ 900.000,00
65 x R$ 10.000,00 = R$ 650.000,00
R$ 1.550.000,00
então: R$ 1.550.000,00 / R$ 30.000,00 = 52 dias
Analisando as duas propostas, a melhor opção para o comprador seria a primeira, pois o
prazo médio é um pouco mais elástico. Claro que para tomar essa decisão o AF deverá
estar com o seu Fluxo de Caixa atualizado e deverá conhecer também o estoque
mínimo, o estoque máximo e o giro desta mercadoria, para não fazer compras
desnecessárias comprometendo o capital de giro da empresa.
Anterior Próximo
http://www.fluxo-de-caixa.com/fluxo_de_caixa/comercial.htm

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Administração financeira pessoal uso conciênte do dinheiro
Administração financeira pessoal   uso conciênte do dinheiroAdministração financeira pessoal   uso conciênte do dinheiro
Administração financeira pessoal uso conciênte do dinheiro
Elizabeth Marçola Herrgen
 
Aula 2 finanças corporativas
Aula 2    finanças corporativasAula 2    finanças corporativas
Aula 2 finanças corporativas
Jorge Anna
 
Pós - Matemática Financeira
Pós - Matemática FinanceiraPós - Matemática Financeira
Pós - Matemática Financeira
Milton Henrique do Couto Neto
 
Modulo1 tesouro direto (2017)
Modulo1 tesouro direto (2017)Modulo1 tesouro direto (2017)
Modulo1 tesouro direto (2017)
Marcos E Silva
 
Tesouro Direto 2012
Tesouro Direto 2012Tesouro Direto 2012
Tesouro Direto 2012
Daniel Brandão de Castro
 
Tesouro Direto
Tesouro DiretoTesouro Direto
Trabalho cenários econ pier ietto
Trabalho cenários econ   pier iettoTrabalho cenários econ   pier ietto
Trabalho cenários econ pier ietto
Pier Ietto
 
Apostila de matemática financeira
Apostila de matemática financeiraApostila de matemática financeira
Apostila de matemática financeira
Adm Nadir Prado - Buscando Recolocação Profissional
 
Apostila resumão sobre sistema financeiro e mercado de capitais
Apostila   resumão sobre sistema financeiro e mercado de capitaisApostila   resumão sobre sistema financeiro e mercado de capitais
Apostila resumão sobre sistema financeiro e mercado de capitais
Paulocelso
 
Títulos de Renda Fixa
Títulos de Renda FixaTítulos de Renda Fixa
Títulos de Renda Fixa
Eder Nogueira
 
Matemática financeira exercicios
Matemática financeira exerciciosMatemática financeira exercicios
Matemática financeira exercicios
Berenice Vinhedo
 
Juros simplesecomposta
Juros simplesecompostaJuros simplesecomposta
Juros simplesecomposta
Hermes de Oliveira
 
Taxas de juros e avaliação de titulos rf - Professor Alexandre Pereira
Taxas de juros e avaliação de titulos rf - Professor Alexandre PereiraTaxas de juros e avaliação de titulos rf - Professor Alexandre Pereira
Taxas de juros e avaliação de titulos rf - Professor Alexandre Pereira
Alexandre Pereira
 
Módulo 1
Módulo 1Módulo 1
Módulo 1
Herminio Andrade
 
Matematica financeira
Matematica financeiraMatematica financeira
Matematica financeira
EvelyneBorges
 
Matematica financeira 01
Matematica financeira 01Matematica financeira 01
Matematica financeira 01
zeramento contabil
 
Economia e Mercado - Demanda de Moeda
Economia e Mercado - Demanda de MoedaEconomia e Mercado - Demanda de Moeda
Economia e Mercado - Demanda de Moeda
Bolivar Motta
 
Matematica slides descontos
Matematica slides descontosMatematica slides descontos
Matematica slides descontos
gabaritocontabil
 
Como Investir no Tesouro Direto
Como Investir no Tesouro DiretoComo Investir no Tesouro Direto
Como Investir no Tesouro Direto
RafaelPSilva
 
Matematica financeira capitalização simples
Matematica financeira capitalização simplesMatematica financeira capitalização simples
Matematica financeira capitalização simples
Anderson Costa
 

Mais procurados (20)

Administração financeira pessoal uso conciênte do dinheiro
Administração financeira pessoal   uso conciênte do dinheiroAdministração financeira pessoal   uso conciênte do dinheiro
Administração financeira pessoal uso conciênte do dinheiro
 
Aula 2 finanças corporativas
Aula 2    finanças corporativasAula 2    finanças corporativas
Aula 2 finanças corporativas
 
Pós - Matemática Financeira
Pós - Matemática FinanceiraPós - Matemática Financeira
Pós - Matemática Financeira
 
Modulo1 tesouro direto (2017)
Modulo1 tesouro direto (2017)Modulo1 tesouro direto (2017)
Modulo1 tesouro direto (2017)
 
Tesouro Direto 2012
Tesouro Direto 2012Tesouro Direto 2012
Tesouro Direto 2012
 
Tesouro Direto
Tesouro DiretoTesouro Direto
Tesouro Direto
 
Trabalho cenários econ pier ietto
Trabalho cenários econ   pier iettoTrabalho cenários econ   pier ietto
Trabalho cenários econ pier ietto
 
Apostila de matemática financeira
Apostila de matemática financeiraApostila de matemática financeira
Apostila de matemática financeira
 
Apostila resumão sobre sistema financeiro e mercado de capitais
Apostila   resumão sobre sistema financeiro e mercado de capitaisApostila   resumão sobre sistema financeiro e mercado de capitais
Apostila resumão sobre sistema financeiro e mercado de capitais
 
Títulos de Renda Fixa
Títulos de Renda FixaTítulos de Renda Fixa
Títulos de Renda Fixa
 
Matemática financeira exercicios
Matemática financeira exerciciosMatemática financeira exercicios
Matemática financeira exercicios
 
Juros simplesecomposta
Juros simplesecompostaJuros simplesecomposta
Juros simplesecomposta
 
Taxas de juros e avaliação de titulos rf - Professor Alexandre Pereira
Taxas de juros e avaliação de titulos rf - Professor Alexandre PereiraTaxas de juros e avaliação de titulos rf - Professor Alexandre Pereira
Taxas de juros e avaliação de titulos rf - Professor Alexandre Pereira
 
Módulo 1
Módulo 1Módulo 1
Módulo 1
 
Matematica financeira
Matematica financeiraMatematica financeira
Matematica financeira
 
Matematica financeira 01
Matematica financeira 01Matematica financeira 01
Matematica financeira 01
 
Economia e Mercado - Demanda de Moeda
Economia e Mercado - Demanda de MoedaEconomia e Mercado - Demanda de Moeda
Economia e Mercado - Demanda de Moeda
 
Matematica slides descontos
Matematica slides descontosMatematica slides descontos
Matematica slides descontos
 
Como Investir no Tesouro Direto
Como Investir no Tesouro DiretoComo Investir no Tesouro Direto
Como Investir no Tesouro Direto
 
Matematica financeira capitalização simples
Matematica financeira capitalização simplesMatematica financeira capitalização simples
Matematica financeira capitalização simples
 

Semelhante a 4 negociações comerciais

PITSTOP - Juros e Tesouraria - final 2023-08-08
PITSTOP - Juros e Tesouraria - final 2023-08-08PITSTOP - Juros e Tesouraria - final 2023-08-08
PITSTOP - Juros e Tesouraria - final 2023-08-08
MarianaTakitane1
 
Apostila de matemática financeira
Apostila de matemática financeiraApostila de matemática financeira
Apostila de matemática financeira
Adriana Alves
 
Bizcool matemática financeira
Bizcool   matemática financeiraBizcool   matemática financeira
Bizcool matemática financeira
Bizcool | Escola Aceleradora
 
Manual de matematica financeira uso da hp 12 c(1)portugues
Manual de matematica financeira uso da hp 12 c(1)portuguesManual de matematica financeira uso da hp 12 c(1)portugues
Manual de matematica financeira uso da hp 12 c(1)portugues
gugrus
 
Matemática financeira
Matemática financeiraMatemática financeira
Matemática financeira
Leandro Rios Leão
 
Análise financeira da carteira de recebiveis
Análise financeira da carteira de recebiveisAnálise financeira da carteira de recebiveis
Análise financeira da carteira de recebiveis
Carlos Alexandre Sá
 
Apostila mat financ_aplicada
Apostila mat financ_aplicadaApostila mat financ_aplicada
Apostila mat financ_aplicada
Leandro Goiano
 
Gestão financeira
Gestão financeiraGestão financeira
Gestão financeira
Karla Carioca
 
MATEMÁTICA FIN.pptx
MATEMÁTICA FIN.pptxMATEMÁTICA FIN.pptx
MATEMÁTICA FIN.pptx
Eliane Blen
 
Aula5 matematica
Aula5 matematicaAula5 matematica
Aula5 matematica
MkrH Uniesp
 
Apostila matematica-financeira-com-hp-12c
Apostila matematica-financeira-com-hp-12cApostila matematica-financeira-com-hp-12c
Apostila matematica-financeira-com-hp-12c
NicoleKrisleyAlvesNo
 
Slide Matematica Financeira Desconto Simples3
Slide Matematica Financeira Desconto Simples3Slide Matematica Financeira Desconto Simples3
Slide Matematica Financeira Desconto Simples3
Carlos Castro
 
Gestão financeira introdução e matemática financeira - juros simples e comp...
Gestão financeira   introdução e matemática financeira - juros simples e comp...Gestão financeira   introdução e matemática financeira - juros simples e comp...
Gestão financeira introdução e matemática financeira - juros simples e comp...
Ueliton da Costa Leonidio
 
Apostila matemática financeira
Apostila matemática financeiraApostila matemática financeira
Apostila matemática financeira
Wstallony Gomes
 
Matemática financeira.
Matemática financeira.Matemática financeira.
Matemática financeira.
lucasjatem
 
Aulas de matematica financeira (juros simples)
Aulas de matematica financeira (juros simples)Aulas de matematica financeira (juros simples)
Aulas de matematica financeira (juros simples)
Adriano Bruni
 
Rendas imediatas
Rendas imediatasRendas imediatas
Rendas imediatas
Universidade Pedagogica
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
Liderança financ
Liderança financLiderança financ
Liderança financ
FABRÍCIO SANTOS
 
Aula 3-juros-simples-versus-compostos-matfin-et5-gh-esufrn sem video
Aula 3-juros-simples-versus-compostos-matfin-et5-gh-esufrn sem videoAula 3-juros-simples-versus-compostos-matfin-et5-gh-esufrn sem video
Aula 3-juros-simples-versus-compostos-matfin-et5-gh-esufrn sem video
Roberval Edson Pinheiro de Lima
 

Semelhante a 4 negociações comerciais (20)

PITSTOP - Juros e Tesouraria - final 2023-08-08
PITSTOP - Juros e Tesouraria - final 2023-08-08PITSTOP - Juros e Tesouraria - final 2023-08-08
PITSTOP - Juros e Tesouraria - final 2023-08-08
 
Apostila de matemática financeira
Apostila de matemática financeiraApostila de matemática financeira
Apostila de matemática financeira
 
Bizcool matemática financeira
Bizcool   matemática financeiraBizcool   matemática financeira
Bizcool matemática financeira
 
Manual de matematica financeira uso da hp 12 c(1)portugues
Manual de matematica financeira uso da hp 12 c(1)portuguesManual de matematica financeira uso da hp 12 c(1)portugues
Manual de matematica financeira uso da hp 12 c(1)portugues
 
Matemática financeira
Matemática financeiraMatemática financeira
Matemática financeira
 
Análise financeira da carteira de recebiveis
Análise financeira da carteira de recebiveisAnálise financeira da carteira de recebiveis
Análise financeira da carteira de recebiveis
 
Apostila mat financ_aplicada
Apostila mat financ_aplicadaApostila mat financ_aplicada
Apostila mat financ_aplicada
 
Gestão financeira
Gestão financeiraGestão financeira
Gestão financeira
 
MATEMÁTICA FIN.pptx
MATEMÁTICA FIN.pptxMATEMÁTICA FIN.pptx
MATEMÁTICA FIN.pptx
 
Aula5 matematica
Aula5 matematicaAula5 matematica
Aula5 matematica
 
Apostila matematica-financeira-com-hp-12c
Apostila matematica-financeira-com-hp-12cApostila matematica-financeira-com-hp-12c
Apostila matematica-financeira-com-hp-12c
 
Slide Matematica Financeira Desconto Simples3
Slide Matematica Financeira Desconto Simples3Slide Matematica Financeira Desconto Simples3
Slide Matematica Financeira Desconto Simples3
 
Gestão financeira introdução e matemática financeira - juros simples e comp...
Gestão financeira   introdução e matemática financeira - juros simples e comp...Gestão financeira   introdução e matemática financeira - juros simples e comp...
Gestão financeira introdução e matemática financeira - juros simples e comp...
 
Apostila matemática financeira
Apostila matemática financeiraApostila matemática financeira
Apostila matemática financeira
 
Matemática financeira.
Matemática financeira.Matemática financeira.
Matemática financeira.
 
Aulas de matematica financeira (juros simples)
Aulas de matematica financeira (juros simples)Aulas de matematica financeira (juros simples)
Aulas de matematica financeira (juros simples)
 
Rendas imediatas
Rendas imediatasRendas imediatas
Rendas imediatas
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
Aula 01
 
Liderança financ
Liderança financLiderança financ
Liderança financ
 
Aula 3-juros-simples-versus-compostos-matfin-et5-gh-esufrn sem video
Aula 3-juros-simples-versus-compostos-matfin-et5-gh-esufrn sem videoAula 3-juros-simples-versus-compostos-matfin-et5-gh-esufrn sem video
Aula 3-juros-simples-versus-compostos-matfin-et5-gh-esufrn sem video
 

Mais de kennyaeduardo

1 parte coraçao selvagem j.del d. 1 (rev. pl)
1 parte   coraçao selvagem j.del d. 1 (rev. pl)1 parte   coraçao selvagem j.del d. 1 (rev. pl)
1 parte coraçao selvagem j.del d. 1 (rev. pl)
kennyaeduardo
 
Angélica, a marquesa dos anjos 26 - o triunfo de angélica
Angélica, a marquesa dos anjos   26 - o triunfo de angélicaAngélica, a marquesa dos anjos   26 - o triunfo de angélica
Angélica, a marquesa dos anjos 26 - o triunfo de angélica
kennyaeduardo
 
Angélica, a marquesa dos anjos 25 - angélica e a estrela mágica
Angélica, a marquesa dos anjos   25 - angélica e a estrela mágicaAngélica, a marquesa dos anjos   25 - angélica e a estrela mágica
Angélica, a marquesa dos anjos 25 - angélica e a estrela mágica
kennyaeduardo
 
Angelica a marquesa dos anjos 2 - o suplicio de angelica
Angelica a marquesa dos anjos   2 - o suplicio de angelicaAngelica a marquesa dos anjos   2 - o suplicio de angelica
Angelica a marquesa dos anjos 2 - o suplicio de angelica
kennyaeduardo
 
Angélica a marquesa dos anjos 1 - os amores de angélica (ed.nova cultural) ...
Angélica a marquesa dos anjos   1 - os amores de angélica (ed.nova cultural) ...Angélica a marquesa dos anjos   1 - os amores de angélica (ed.nova cultural) ...
Angélica a marquesa dos anjos 1 - os amores de angélica (ed.nova cultural) ...
kennyaeduardo
 
Trilogia o tempo e o vento de e ri co veríssimo
Trilogia o tempo e o vento de e ri co veríssimoTrilogia o tempo e o vento de e ri co veríssimo
Trilogia o tempo e o vento de e ri co veríssimo
kennyaeduardo
 
Alguns o es e suas indicações
Alguns o es e suas indicaçõesAlguns o es e suas indicações
Alguns o es e suas indicações
kennyaeduardo
 
14646177 aromaterapia1
14646177 aromaterapia114646177 aromaterapia1
14646177 aromaterapia1
kennyaeduardo
 
Aplicação e perfis psicologicoas dos óleos essenciais
Aplicação e perfis psicologicoas dos óleos essenciaisAplicação e perfis psicologicoas dos óleos essenciais
Aplicação e perfis psicologicoas dos óleos essenciais
kennyaeduardo
 
Medicinavibracional
Medicinavibracional Medicinavibracional
Medicinavibracional
kennyaeduardo
 
Aromaterapia curso-completo
Aromaterapia curso-completoAromaterapia curso-completo
Aromaterapia curso-completo
kennyaeduardo
 
Superioridade método fluxo_caixa_descontado_processo_avaliação_empresas
Superioridade método fluxo_caixa_descontado_processo_avaliação_empresasSuperioridade método fluxo_caixa_descontado_processo_avaliação_empresas
Superioridade método fluxo_caixa_descontado_processo_avaliação_empresas
kennyaeduardo
 
Fluxo cxdescontado
Fluxo cxdescontadoFluxo cxdescontado
Fluxo cxdescontado
kennyaeduardo
 
Fluxo de caixa livre
Fluxo de caixa livreFluxo de caixa livre
Fluxo de caixa livre
kennyaeduardo
 
A sucessão legítima no novo código civil
A sucessão legítima no novo código civilA sucessão legítima no novo código civil
A sucessão legítima no novo código civil
kennyaeduardo
 
Cap. 1 aspectos básicos do orçamento
Cap. 1 aspectos básicos do orçamentoCap. 1 aspectos básicos do orçamento
Cap. 1 aspectos básicos do orçamento
kennyaeduardo
 
81379448 adm financeira facil
81379448 adm financeira facil81379448 adm financeira facil
81379448 adm financeira facil
kennyaeduardo
 
Capial circulante líquido e a insolvência
Capial circulante líquido e a insolvênciaCapial circulante líquido e a insolvência
Capial circulante líquido e a insolvência
kennyaeduardo
 
2984913 contabilidade-analise
2984913 contabilidade-analise2984913 contabilidade-analise
2984913 contabilidade-analise
kennyaeduardo
 

Mais de kennyaeduardo (20)

1 parte coraçao selvagem j.del d. 1 (rev. pl)
1 parte   coraçao selvagem j.del d. 1 (rev. pl)1 parte   coraçao selvagem j.del d. 1 (rev. pl)
1 parte coraçao selvagem j.del d. 1 (rev. pl)
 
Angélica, a marquesa dos anjos 26 - o triunfo de angélica
Angélica, a marquesa dos anjos   26 - o triunfo de angélicaAngélica, a marquesa dos anjos   26 - o triunfo de angélica
Angélica, a marquesa dos anjos 26 - o triunfo de angélica
 
Angélica, a marquesa dos anjos 25 - angélica e a estrela mágica
Angélica, a marquesa dos anjos   25 - angélica e a estrela mágicaAngélica, a marquesa dos anjos   25 - angélica e a estrela mágica
Angélica, a marquesa dos anjos 25 - angélica e a estrela mágica
 
Angelica a marquesa dos anjos 2 - o suplicio de angelica
Angelica a marquesa dos anjos   2 - o suplicio de angelicaAngelica a marquesa dos anjos   2 - o suplicio de angelica
Angelica a marquesa dos anjos 2 - o suplicio de angelica
 
Angélica a marquesa dos anjos 1 - os amores de angélica (ed.nova cultural) ...
Angélica a marquesa dos anjos   1 - os amores de angélica (ed.nova cultural) ...Angélica a marquesa dos anjos   1 - os amores de angélica (ed.nova cultural) ...
Angélica a marquesa dos anjos 1 - os amores de angélica (ed.nova cultural) ...
 
Trilogia o tempo e o vento de e ri co veríssimo
Trilogia o tempo e o vento de e ri co veríssimoTrilogia o tempo e o vento de e ri co veríssimo
Trilogia o tempo e o vento de e ri co veríssimo
 
Alguns o es e suas indicações
Alguns o es e suas indicaçõesAlguns o es e suas indicações
Alguns o es e suas indicações
 
14646177 aromaterapia1
14646177 aromaterapia114646177 aromaterapia1
14646177 aromaterapia1
 
Aplicação e perfis psicologicoas dos óleos essenciais
Aplicação e perfis psicologicoas dos óleos essenciaisAplicação e perfis psicologicoas dos óleos essenciais
Aplicação e perfis psicologicoas dos óleos essenciais
 
Medicinavibracional
Medicinavibracional Medicinavibracional
Medicinavibracional
 
Aromaterapia curso-completo
Aromaterapia curso-completoAromaterapia curso-completo
Aromaterapia curso-completo
 
Fluxo caixa do igor
Fluxo caixa do igorFluxo caixa do igor
Fluxo caixa do igor
 
Superioridade método fluxo_caixa_descontado_processo_avaliação_empresas
Superioridade método fluxo_caixa_descontado_processo_avaliação_empresasSuperioridade método fluxo_caixa_descontado_processo_avaliação_empresas
Superioridade método fluxo_caixa_descontado_processo_avaliação_empresas
 
Fluxo cxdescontado
Fluxo cxdescontadoFluxo cxdescontado
Fluxo cxdescontado
 
Fluxo de caixa livre
Fluxo de caixa livreFluxo de caixa livre
Fluxo de caixa livre
 
A sucessão legítima no novo código civil
A sucessão legítima no novo código civilA sucessão legítima no novo código civil
A sucessão legítima no novo código civil
 
Cap. 1 aspectos básicos do orçamento
Cap. 1 aspectos básicos do orçamentoCap. 1 aspectos básicos do orçamento
Cap. 1 aspectos básicos do orçamento
 
81379448 adm financeira facil
81379448 adm financeira facil81379448 adm financeira facil
81379448 adm financeira facil
 
Capial circulante líquido e a insolvência
Capial circulante líquido e a insolvênciaCapial circulante líquido e a insolvência
Capial circulante líquido e a insolvência
 
2984913 contabilidade-analise
2984913 contabilidade-analise2984913 contabilidade-analise
2984913 contabilidade-analise
 

4 negociações comerciais

  • 1. 4 - NEGOCIAÇÕES COMERCIAIS Possuindo dinheiro, as pessoas têm tendência natural ao consumo imediato de bens e serviços. Se todos procurassem consumir ao mesmo tempo, haveria uma falta de bens e serviços, levando à inflação, que é o aumento geral de preços. O mesmo acontece com o dinheiro, papel-moeda. Atualmente, um bom número de pessoas usa o dinheiro eletrônico, faz pagamentos, transferências, depósitos, etc., sem manipular dinheiro diretamente. O que vemos são números diante dos nossos olhos. O dinheiro se transformou em números. Se todos quisessem sacar, ao mesmo tempo, os recursos que estão em suas contas bancárias, certamente não haveria papel-moeda suficiente para atender a todos estes saques. Para que isso não aconteça, o governo incentiva a poupança financeira com a promessa de pagamento de juros como instrumento de política econômica e financeira. As instituições financeiras também utilizam o mesmo recurso, elas pagam o nosso dinheiro que está depositado e emprestam àqueles que estão necessitados cobrando uma taxa de juros. Daí o motivo pela qual não existe papel- moeda suficiente para todas as pessoas sacarem ao mesmo tempo. As taxas de juros são determinadas pelo mercado, mas o governo tem intervenção direta no mercado, subindo ou descendo a mesma. Cada vez que o governo sobe a taxa, o dinheiro fica mais caro e em razão disto, diminui o consumo. Quando a taxa desce, o dinheiro fica mais acessível e o consumo aumenta, trazendo consigo o risco de inflação. As taxas de juros também variam conforme o prazo. Quanto mais longo o prazo, maior será a taxa de juros. Termos comumente empregados no mundo financeiro: - Capital (principal): corresponde ao recurso financeiro que seu proprietário cede temporariamente ao tomador. - Juro : é a remuneração do capital, podendo ser simples ou composto. - Taxa de juro : é uma taxa que se aplica ao capital. - Prazo : é o espaço de tempo em que o capital fica em poder do tomador. - Resgate ou amortização : é a forma como o capital é resgatado ou amortizado. - Spread : taxa de intermediação cobrada pelo intermediário financeiro. 4.1 - Juro Comercial Por convenção, os juros são calculados com base em ano comercial de 360 dias. Então, a taxa anual refere-se ao período de 360 dias, a taxa semestral ao período de 180 dias e a taxa mensal ao período de 30 dias. A taxa de juro poderá ser fixa ou variável. A fixa não se altera durante o período. Exemplo: 8,5 % a.m. durante 10 meses. A variável se altera de acordo com o mercado. Exemplo: Taxa Libor (London Interbank Offered Rate) e Taxa Anbid (Assoc. Nacional de Bancos de Investimentos e Desenvolvimento) 4.2 - Juro Real Quando a taxa de juro é maior que a inflação, a diferença refere-se ao juro real, porque a parte do juro igual ao da inflação corresponde à simples reposição do capital. 4.3 - Juros Simples
  • 2. No regime de juros simples, o juro é calculado somente sobre o capital inicial, mesmo que exista mais de um período de capitalização durante o prazo. Os juros simples apresentam comportamento linear. fórmula : J = P * i * n onde : J = juro, P = Principal ( capital inicial ), i = taxa de juro, n = tempo ( número de capitalização ) Exemplo: Você aplicou a quantia de R$ 1.000,00 em um determinado banco em 01/03/2003, que lhe prometeu juros simples de 5 % ao mês, durante 5 meses. Qual será a quantia que terás no final do período ? J = R$ 1.000,00 x 0,05 x 5 J = R$ 250,00 onde o Montante ( M ) será igual a : M = P + J M = R$ 1.000,00 + R$ 250,00 --> M = R$ 1.250,00 Demonstração da capitalização Data Mês Saldo Início Juros do Mês Saldo final 01/03/2003 - 0 - R$ 1.000,00 - 0 - R$ 1.000,00 01/04/2003 01 R$ 1.000,00 R$ 50,00 R$ 1.050,00 01/05/2003 02 R$ 1.050,00 R$ 50,00 R$ 1.100,00 01/06/2003 03 R$ 1.100,00 R$ 50,00 R$ 1.150,00 01/07/2003 04 R$ 1.150,00 R$ 50,00 R$ 1.200,00 01/08/2003 05 R$ 1.200,00 R$ 50,00 R$ 1.250,00 4.4 - Juros Compostos Neste regime, conhecido como juros sobre juros, o juro é calculado sobre o capital e também sobre o juros produzidos nos períodos seguintes, até seu efetivo pagamento.
  • 3. Exemplo: Você aplicou a quantia de R$ 1.000,00 em um determinado banco em 01/03/2003, que lhe prometeu juros compostos de 5 % ao mês, durante 5 meses. Qual será a quantia que terás no final do período? Demonstração da capitalização Data Mês Saldo Início Juros do Mês Saldo final 01/03/2003 - 0 - R$ 1.000,00 - 0 - R$ 1.000,00 01/04/2003 01 R$ 1.000,00 R$ 50,00 R$ 1.050,00 01/05/2003 02 R$ 1.050,00 R$ 52,50 R$ 1.102,50 01/06/2003 03 R$ 1.102,50 R$ 55,13 R$ 1.157,63 01/07/2003 04 R$ 1.157,63 R$ 57,68 R$ 1.215,51 01/08/2003 05 R$ 1.215,51 R$ 60,78 R$ 1.276,28 4.5 - Prazo Médio Ponderado Simples O Prazo Médio Ponderado Simples ( PMPS ) de um conjunto de capitais de diferentes datas de vencimento é calculado com a ponderação de valores nominais em relação a prazos. Este dado é muito importante pois, deveremos ter muito cuidado quando
  • 4. estamos negociando com fornecedores e estes nos oferecem diversas opções. Nestes casos deveremos fazer o cálculo do prazo médio para sabermos se o mesmo está superior ou inferior aos nossos prazos médios que estamos habituados a negociar com os nossos clientes. Exemplo: Calcular o PMPS dos títulos que estaremos encaminhando ao banco para desconto. Prazos de vencimentos ( dias ) Valores nominais 30 R$ 100.000 60 R$ 100.000 90 R$ 100.000 180 R$ 100.000 Total R$ 400.000 então: 30 x R$ 100.000 = R$ 3.000.000 60 x R$ 100.000 = R$ 6.000.000 90 x R$ 100.000 = R$ 9.000.000 180 x R$ 100.000 = R$ 18.000.000 R$ 36.000.000 R$ 36.000.000 / R$ 400.000 = 90 dias O prazo médio de 90 dias significa que os diversos títulos, no valor nominal de R$ 400.000, vencem em média dentro de 90 dias. Se a taxa de juros bancária for de 4 % a.m. o valor descontado por antecipação seria calculado da seguinte forma: VP = R$ 400.000 / (1,04) ³ = R$ 355.598,54 Outro exemplo com valores diferentes: O fornecedor lhe oferece uma determinada mercadoria com duas opções de pagamento. A primeira opção com pagamento em três parcelas iguais de R$ 10.000,00 nos prazos
  • 5. de 30, 60 e 90 dias e, a segunda opção, com pagamento de R$ 20.000,00 para 45 dias e o restante para 65 dias. Qual das alternativas é a melhor para a empresa, no que diz respeito ao prazo médio de pagamento? Cálculo do PMPS 1ª opção: (30 + 60 + 90) / 3 = 60 dias Cálculo do PMPS da 2ª opção: 45 x R$ 20.000,00 = R$ 900.000,00 65 x R$ 10.000,00 = R$ 650.000,00 R$ 1.550.000,00 então: R$ 1.550.000,00 / R$ 30.000,00 = 52 dias Analisando as duas propostas, a melhor opção para o comprador seria a primeira, pois o prazo médio é um pouco mais elástico. Claro que para tomar essa decisão o AF deverá estar com o seu Fluxo de Caixa atualizado e deverá conhecer também o estoque mínimo, o estoque máximo e o giro desta mercadoria, para não fazer compras desnecessárias comprometendo o capital de giro da empresa. Anterior Próximo http://www.fluxo-de-caixa.com/fluxo_de_caixa/comercial.htm
  • 6. de 30, 60 e 90 dias e, a segunda opção, com pagamento de R$ 20.000,00 para 45 dias e o restante para 65 dias. Qual das alternativas é a melhor para a empresa, no que diz respeito ao prazo médio de pagamento? Cálculo do PMPS 1ª opção: (30 + 60 + 90) / 3 = 60 dias Cálculo do PMPS da 2ª opção: 45 x R$ 20.000,00 = R$ 900.000,00 65 x R$ 10.000,00 = R$ 650.000,00 R$ 1.550.000,00 então: R$ 1.550.000,00 / R$ 30.000,00 = 52 dias Analisando as duas propostas, a melhor opção para o comprador seria a primeira, pois o prazo médio é um pouco mais elástico. Claro que para tomar essa decisão o AF deverá estar com o seu Fluxo de Caixa atualizado e deverá conhecer também o estoque mínimo, o estoque máximo e o giro desta mercadoria, para não fazer compras desnecessárias comprometendo o capital de giro da empresa. Anterior Próximo http://www.fluxo-de-caixa.com/fluxo_de_caixa/comercial.htm